Estudo sobre o Tabernáculo

Os Sermões em Assuntos Importantes por Rev. Paul C. Jong

 

A Cor da Porta do Tabernáculo < Êxodo 27:9-19 >

“Farás também o pátio do tabernáculo; ao lado do meio-dia, para o sul, o pátio terá cortinas de linho fino torcido; o comprimento de cada lado será de cem côvados. Também as suas vinte colunas e as suas vinte bases serão de cobre; os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata. Assim também do lado do norte as cortinas na largura serão de cem côvados de comprimento, e as suas vinte colunas e as suas vinte bases serão de cobre; os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata. E na largura do pátio do lado do ocidente haverá cortinas de cinquenta côvados; as suas colunas, dez, e as suas bases dez. Semelhantemente, a largura do pátio do lado oriental, para o levante, será de cinquenta côvados, De maneira que haja quinze côvados de cortinas de um lado; suas colunas, três, e as suas bases, três; E quinze côvados de cortinas do outro lado; as suas colunas, três, e as suas bases, três. E à porta do pátio haverá uma coberta de vinte côvados, de azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino torcido, de obra de bordador; as suas colunas, quatro, e as suas bases, quatro. Todas as colunas do pátio ao redor serão cingidas de faixas de prata; os seus colchetes serão de prata, mas as suas bases, de cobre. O comprimento do pátio será de cem côvados, e a largura de cada banda, de cinquenta, e a altura, de cinco côvados, de linho fino torcido; mas as suas bases serão de cobre. No tocante a todos os vasos do tabernáculo em todo o seu serviço, até todos os seus pregos e todos os pregos do pátio, serão de cobre.” 



Há diferenças claras entre a fé do nascido de novo e dos cristãos nominais: o primeiro sabe e crê que Deus desfez todos nossos pecados, e o segundo crê em Jesus baseado nos próprios pensamentos humanos, somente como um assunto de práticas religiosas. Ainda estes que só creem em Deus como um assunto religioso estão prosperando tanto que os que estão pregando a verdade real estão desanimados por ver estas pessoas de fé errada propagando os seus falsos ensinos e até mesmo o prosperando. Eles estão desanimados porque sabem que tantos cristãos têm sido atraídos às falsas religiões de decepção e fraudes. 

Também, eu estive desanimado durante algum tempo por causa disto. Porque eu nasci de novo encontrando a verdade, e verdadeiramente grato a Deus por me usar como um instrumento para Suas obras, e porque meu coração ansiava pela verdade de Deus ser espalhada longe e vastamente, quando vi que tantas pessoas conduziam suas vidas religiosas senão entristecer-me profundamente. 

Apesar disto, o que está claro é que o Espírito Santo está em meu coração, e que apesar de minhas faltas, meu coração não tem nenhum pecado. Em meu coração, então, é achada gratidão, e não tenho nenhuma vergonha do evangelho que eu creio. Quando prego este evangelho a pessoas por todo o mundo, se elas ouvem esta Palavra de verdade e creem nisto, também, não podem ter nenhuma vergonha diante de Deus e das pessoas, já que quando creem nesta verdade, todos eles realmente se tornam os filhos de Deus. 

Você também pode ter seguramente as mesmas bênçãos pela fé. Embora você não tenha estudado teologia, se você só crer na verdade deste evangelho da água e do Espírito, você receberá o perdão de seus pecados, se tornará filho de Deus, e receberá o Espírito Santo em seu coração. E com o Espírito Santo, você pode caminhar também com os servos de Deus. Esta é a verdade clara, e crer assim é a verdadeira fé. 

Embora esteja vivendo em um mundo que está cheio de mentiras, porque em meu coração está esta verdadeira fé, eu pude continuar pregando o evangelho de verdade até este momento. Desde que comecei a pregar a Palavra sobre o tema do Tabernáculo, eu vim a ter mais clareza sobre os esquemas dos mentirosos, e assim eu vim a discernir a verdade de entre os falsos. Esta é a razão por que eu tenho testemunhado esta verdade do Tabernáculo. Traz uma imensa alegria por mim que com a propagação da real verdade pelo Tabernáculo, as pessoas são capacitadas de discernir entre a verdade e o falso. 

Ao escrever este livro sobre o Tabernáculo, a tarefa mais difícil para mim foi tentar lidar com sua terminologia. Eu dediquei uma grande quantia de atenção a este assunto, observando os textos originais, para ter certeza que os difíceis glossários associados com o Tabernáculo não resultariam em um conjunto de informações erradas, nem que haveria recepção errada pelos leitores. Apesar de minha própria compreensão e conhecimento do Tabernáculo, devido às modalidades do Tabernáculo e seus significados espirituais escondidos tinham que ser explicados a esses cujo conhecimento é muito limitado, eu estava um pouco preocupado acerca da tarefa, inseguro de como precisamente e definitivamente eu realmente poderia explicar o significado do Tabernáculo. 

Seria agradável, claro que, se as pessoas pudessem entender e crê assim que ouvissem isto. Mas Roma não foi construída em um dia; igualmente, como em todos os assuntos, a propagação da verdade e a verdadeira fé não são realizadas em um dia, ou, mas é alcançado gradualmente, enquanto cavamos mais profundamente pouco a pouco no coração. Portanto, Eu estava particularmente preocupado por cavar muito profundo desde o princípio, já que nem todo o mundo poderia entender isto, e este foi um dos desafios mais formidáveis que eu enfrentei ao escrever este livro. 

Apesar disto, com a ajuda de Deus, finalmente, o livro saiu sem muita dificuldade. É desnecessário dizer, que eu estou muito contente e grato por isto. Por este livro, discernindo a verdade do falso, eu revelarei quão precioso, claro, e indubitavelmente foram salvos os crentes de hoje através do evangelho da água e do Espírito, e como é em contraste a fé vã e religiosa dos crentes de outros evangelhos diferentes deste evangelho da água e do Espírito, realmente. Eu sou grato a Deus, acima de tudo, por me salvar dos meus pecados. 

Hoje, há muitos denominados evangélicos que afirmam incondicionalmente que estão sem pecados só porque creem em Jesus. Os seus corações estão cheios com todos os tipos de fés infundadas e delirantes. Enquanto estudando o Tabernáculo, eu vim perceber até mesmo mais claramente quão vã e falsa a fé deles realmente é, e eu agradeço a Deus mais ainda com todo meu coração pela minha salvação por causa desta realização. 


A Porta e a Cerca do Pátio do Tabernáculo


Da passagem principal, nós podemos descobrir o fato que o comprimento do Pátio retangular do Tabernáculo era 45m. e sua largura que era 22.5m., como um cúbito é uma unidade de comprimento igual a 0.45cm.; o Pátio do Tabernáculo era rodeado por 60 pilares em todos os seus lados, a altura de cada pilar era 2.25m.; e que ao leste estava a porta, que media 9m. de largura; e que o resto da cerca (aproximadamente entre 126m. a 135m.) era rodeado pelas cortinas de tecido de linho retorcido. 

A porta do Pátio do Tabernáculo foi tecida com fios, azul, roxo, escarlate e tecido de linho retorcido, e media 9m. de largura com 2.25m. de altura. Em outras palavras, estes quatro fios diferentes foram tecidos para fazer uma tela que media 9m. por 2.25m. O fio azul foi tecido primeiro ao comprimento e largura do linho retorcido, e então o fio roxo foi tecido 2.25m. de altura, e então o fio escarlate foi tecido com 2.25m. de altura, seguido pelo tecido de linho retorcido, formando uma tela grossa e robusta, tecida como um tapete que tinha 2.25m. de altura. Deste modo, uma tela tecida que media 2.25m. de altura e 9m. de largura foi posta sobre quatro pilares do Pátio do Tabernáculo até o leste. 

Para entrar no Pátio do Tabernáculo, como tal, as pessoas tinham que puxar a tela com forma de tapete para cima. Ao contrário a maioria de outras portas, A porta do Tabernáculo não era de madeira. Embora seus pilares fossem feitos de madeira, a porta que era pendurada nestes pilares era uma tela tecida de fios, azul, roxo, escarlate e tecido de linho retorcido. 

Talvez você já tenha ido a um espetáculo de circo antes, e tenha visto como uma tenda de circo é construída. Sua porta normalmente é feita com tecidos grossos. A porta do Pátio do Tabernáculo era um pouco semelhante a este tipo de porta. Como era feita de tecidos grossos, não era aberto puxando ou empurrando, como em portas sólidas, mas era levantado para cima para entrar. Este não só era o caso da porta do Pátio do Tabernáculo, mas também das portas do Lugar Santo e do Santo dos Santos dentro do Tabernáculo. 

Por que Deus disse para os Israelitas que fizessem todas as três portas do Pátio do Tabernáculo, o Lugar Santo, e o Santo dos Santos os tecendo com fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido? Nós precisamos descobrir claramente qual era à vontade de Deus por trás desta ordem. O Livro de Hebreu nos fala que todas as coisas boas do Antigo Testamento são as sombras de uma real substância por vir, isso é, Jesus Cristo (Hebreu 10:1). 

Igualmente, A porta do Pátio do Tabernáculo está intricadamente relacionada ao batismo de Jesus Cristo, a Sua morte na Cruz, e a Sua própria identidade. Como tal, quando tivermos dificuldade para entender o Antigo Testamento, nós podemos alcançar esta compreensão olhando para o Novo Testamento. Sem ver a substância atual, é difícil entender sua sombra, mas quando vemos o que está por trás desta sombra, podemos perceber do que se trata. Nós todos devemos perceber quem claramente é o Salvador dos pecadores que Deus realmente preparou no Antigo Testamento, O conhecer como a substância atual do Tabernáculo, e crer que as Suas obras nos salvou de todos nossos pecados. 

Quem, então, é a real substância do Tabernáculo, quem é aqueles que se tornou o Salvador dos pecadores? Não é nenhum outro senão Jesus Cristo. Quando examinamos como Jesus Cristo, nosso Salvador veio a esta terra e como Ele nos salvou de nossos pecados, podemos então descobrir a verdade segura de que Ele salvou os pecadores pelos fios, azul, roxo, e escarlate. 

Compreendendo a salvação de Jesus aos pecadores, conhecendo e crendo na verdade manifestada nas cores da porta do Pátio do Tabernáculo é o mais importante. Ao cavar no Tabernáculo, a primeira coisa que nós temos que perceber é que a porta de seu pátio foi feita de quatro fios. E quando resolvermos o mistério desta porta, então podemos ter uma firme ideia de todas as obras de Jesus Cristo. Olhando para a porta de tela tecida desses quatro fios, também podemos entender claramente como devemos conhecer e crer em Jesus, e exatamente que tipo de fé é fé errada. 

O pátio exterior do Tabernáculo, na verdade, nos faz lembrar-se de um aprisco. Jesus, nosso Messias, é na realidade a porta do aprisco de Deus, e também se tornou o bom Pastor (João 10:1-15). Quando pensamos nos pilares que cercam o Pátio, de fato, nos fazem lembrar-se do Messias que se tornou a Porta e o Bom Pastor de Suas ovelhas, os santos nascidos de novos. 

O Pastor tem, de fato, colocado postes ao redor do aprisco para proteger Suas ovelhas e fez uma porta ali, e por esta porta, Ele está vigiando as Suas ovelhas. Por esta porta o Pastor tem comunhão íntima com as Suas ovelhas e as protege. De fato, todos esses que não são Suas ovelhas não lhes é permitido entrar por esta porta. O Pastor diferencia entre ovelhas e lobos. É por isto que as ovelhas precisam do Pastor. 

Ainda é possível que haja alguns entre estas ovelhas que estão recusando ser conduzidos pelo Pastor. Tais ovelhas podem entrar no caminho da morte, pensando que é um caminho bonito e bom quando é, na realidade, traiçoeiro e perigoso, porque não têm escutado a voz do Pastor e recusaram serem conduzidos por Ele. Estas ovelhas podem de fato ter suas vidas poupadas e podem ser bem alimentadas pelo Pastor, e viver suas vidas formosamente por causa dEle. Na realidade, nosso Pastor é Jesus Cristo que se tornou nosso Messias. 



Jesus Cristo Nos Mostrou às Quatro Cores da Porta do Tabernáculo

A tela que foi posta como porta do Tabernáculo foi tecida de fios, azul, roxo, escarlate e tecido de linho retorcido. Estes fios de quatro cores diferentes foram usados para fazer a porta do Tabernáculo. Eles simbolizavam os quatro ministérios que o Messias, enquanto veio a esta terra, teria que cumprir para salvar as ovelhas perdidas — isto é, os Israelitas espirituais por toda parte do mundo — de seus pecados e para convertê-los no povo sem pecados de Deus. 

Se na verdade sabemos quem é nosso Messias que veio a nós com os Seus quatro ministérios, então, a verdade inequívoca é que nós fomos lavados de todos nossos pecados por esta fé, dedicamos nossas vidas permanecendo a pregar o evangelho da água e do Espírito, e entraremos no Céu por esta mesma fé. Então, todo o mundo na realidade tem que conhecer a Palavra da verdade de que o Messias veio a nós pelos fios, azul, roxo e escarlate e nos salvou de todos nossos pecados. 

Você quer receber o perdão dos seus pecados crendo nos quatro ministérios do Messias? Então, aprendamos acerca do Tabernáculo. Esses que conhecem estes quatro ministérios, na realidade, se tornarão justos recebendo a remissão dos pecados pelos fios, azul, roxo, escarlate e pelo tecido de linho retorcido. 

O povo de Israel, olhando para a porta do Tabernáculo tecida de quatro cores diferentes de fios, teve que crer de fato que o Messias realmente viria no futuro e cumpriria estes quatro ministérios. 


A Verdade Que Todo Pecador tem Que crer

Se tivéssemos olhado para as cortinas feitas de linho branco do Pátio do Tabernáculo, teríamos reconhecido nossa necessidade do Salvador percebendo quão Santo realmente é Deus. Todo mundo que veio a conhecer a santidade de Deus, na realidade, não pôde evitar admitir, enquanto dizendo, “Deus, eu reconheço que estou destinado ao inferno por causa de meus pecados, porque eu sou uma massa grande de pecados.” Olhar para o linho branco colocado em cima dos pilares do pátio, devido a sua limpeza e majestade, era algo tão maravilhoso, que as pessoas reconheciam os seus pecados achados nos seus corações e percebiam que eram tão completamente indignas de viver com Deus. Sempre que esses, cujos corações não são retos, tentam ir diante de Deus, os seus pecados sempre são revelados. Como tal, as pessoas têm sido relutantes em ir diante de Deus, porque elas têm medo que os seus pecados sejam revelados. 

Mas quando tais pessoas pecadoras percebem que seu Salvador resolveu seus problemas de pecado com os fios, azul e escarlate dEle, elas podem ir confiantemente diante de Deus com uma grande convicção de salvação e podem esperar nos seus corações. 

A verdade dos quatro fios mostrada na porta do Tabernáculo nos fala que o Messias veio a esta terra na semelhança de homem, levou todos os pecados do mundo nEle com o Seu batismo recebido de João, e derramou o Seu sangue na Cruz. Esses que, pelo evangelho da água e do Espírito, conhecem exatamente e creem na verdade das quatro cores da porta do Pátio do Tabernáculo, podem, então, receber a remissão eterna dos pecados. O batismo de Jesus e a Sua crucificação, a verdade que o Cristo nos salvou completamente de todos os nossos pecados com o Seu batismo e o Seu sangue na Cruz, é salvação como as quatro cores da porta do Pátio do Tabernáculo. 

Os fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido, de fato, nos mostram o ministério do Messias que salvou os pecadores de todos seus pecados. A verdade de salvação que Deus deu à humanidade é revelada nesses fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido. Esses que têm pecados nos seus corações, na realidade, são perdoados de todos seus pecados crendo na verdade de salvação revelada no evangelho da água e do Espírito. 

Religiões incontáveis têm surgido neste mundo. Todas estas religiões mundanas propuseram as suas próprias doutrinas feitas com os seus próprios pensamentos, todas fazendo com que as pessoas tentem alcançar santidade. Mas nem mesmo uma única pessoa alguma vez foi lavada dos seus pecados por estas religiões mundanas. A razão é porque têm inventado suas próprias doutrinas de salvação baseadas nos seus próprios pensamentos, sem perceber que eles estão cheios de pecados. Porque todos não passam de uma grande massa de pecados, e nunca poderão ficar santos através de si mesmos, não importa que tanto tentem se libertar de sua natureza fundamental de pecado, ninguém já pode alcançar isto. É por isto que todos precisam absolutamente do Seu Salvador que pode libertá-los dos pecados — isto é, por que todo o mundo precisa de Jesus. Você tem que perceber que os seres humanos não têm nenhum outro verdadeiro Salvador aparte de Jesus Cristo. 

Porque a Lei de Deus não permite os pecadores entrarem na Casa de Deus, temos que saber e crer de fato que o Messias desfez todos nossos pecados. 

O evangelho que perdoou os pecados da humanidade de uma vez por todas não é outro senão o evangelho da água e do Espírito. Colocando a fé das pessoas nas doutrinas de religiões mundanas só as conduzirão às grandes dificuldades por causa de seus pecados, já que nosso Santo Deus condena, sem falta, todas as iniquidades dos pecadores. 

A verdade revelada pelos fios, azul, roxo, escarlate e pelo tecido de linho retorcido foi cumprida pelo evangelho da água e do Espírito na época do Novo Testamento. Você alguma vez ouviu alguém afirmando que a porta do Pátio do Tabernáculo foi feita só com fio escarlate ou só com o fio roxo e escarlate? Nesse caso, você tem que perceber agora, a partir deste momento, que a porta do Tabernáculo foi, de fato, tecida de fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. Deus ordenou, claramente, aos Israelitas, que fizessem a porta do Pátio do Tabernáculo com uma tela tecida de fios, azul, roxo, escarlate e com tecido de linho retorcido feito por um tecedor. 

Ainda porque muitas pessoas têm pensado erradamente que a porta do Pátio do Tabernáculo foi tecida só de fio escarlate, eles não puderam resolver o mistério dos verdadeiros quatro ministérios de nosso Deus. É por isto que eles tinham pecado nos seus corações ainda quando criam em Jesus. Perceba, agora, que Cristo tomou todos os seus pecados pelo Seu ministério dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido, e creia nesta verdade. A obra da salvação cumprida por estes fios, azul, roxo, escarlate e pelo tecido de linho retorcido, realmente, o salvou completamente de todos os seus pecados. Você tem que perceber que Jesus tomou todos os seus pecados com estes quatro ministérios. Fixar o seu próprio padrão da remissão dos pecados, enquanto permanece ignorante desta verdade, em outras palavras, está simplesmente errado. 

Algumas pessoas, ainda quando permanecem na ignorância do significado dos fios, azul, roxo e escarlate usados para a porta do Pátio do Tabernáculo, erradamente afirmam que só podem ser salvos incondicionalmente crendo em Jesus como o Salvador. Na realidade, quando perguntarmos aos líderes de comunidades Cristãs pelos quatro ministérios de Jesus, descobrimos que muitos deles são ignorantes quanto a eles. Eles dizem que só creem no ministério do fio escarlate. Se eles crerem em uma coisa mais, eles poderiam dizer que também creem no ministério do fio roxo. Porém, nosso Deus, na verdade, completou todas as tarefas para a salvação da humanidade com os fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido. Como tal, nós temos que crer que nosso Deus realizou por nós os Seus quatro ministérios de salvação. Quem tem um coração que deseja saber a verdade revelada nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido da porta do Tabernáculo pode, realmente, conhecer e crer nisto. 

“Como eu deveria entender o verdadeiro significado dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido?” Se você falasse dos fios e do linho, você poderia ser reprovado na resposta, “Você não deve tentar conhecer a Bíblia com muita profundidade e detalhe; pode trazer dano a você,” e sua curiosidade poderia ser ignorada. Então, desanimadas, muitas pessoas podem perder a sua curiosidade acerca dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. E nunca conheceriam o Messias, que é revelado em detalhes pela porta. 

Esses que tentam conhecer o Messias sem perceber o papel dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido, são, de fato, só religiosos que creem no Cristianismo como mais uma das religiões mundanas. Para entrar na Casa de Deus, nós temos que conhecer corretamente a verdade dos quatro ministérios de salvação de Deus revelada nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido, usados para a porta do Pátio do Tabernáculo. E os que acharam esta verdade têm que entender que o Senhor os cumpriu com o evangelho da água e do Espírito no tempo do Novo Testamento. 

Deus ordenou a Moisés que tecesse a porta do Pátio do Tabernáculo com fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido. Qual, então, é o significado espiritual disto? Cada cor dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido, usados para a porta do Pátio do Tabernáculo, é a obra que Jesus fez por nós, fazendo os nossos pecados desaparecerem. Portanto, estes fios e o linho estão intricadamente relacionados um ao outro. Como tal àqueles que prestam atenção e creem no evangelho da água e do Espírito podem crer na sua remissão eterna de pecado como os quatro ministérios de Jesus. 

Apesar disto, o não tentar conhecer e ignorar a verdade de salvação manifestada nas cores azul, roxo, e escarlata é, portanto, a expressão da completa indiferença da pessoa para o Messias e igual a se tornar o estando de pé inimigo dele contra Ele. Na realidade, muitas pessoas permanecem indiferentes à verdade manifestada nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido, e, assim, estão transformando o Cristianismo em uma das muitas religiões mundanas. Se estas pessoas considerarem os quatro ministérios de Jesus com indiferença, então esta é a evidência que elas são os frutos dos religiosos mundanos que estão contra Cristo. Porém, afortunadamente, há ainda esperança para nós, já que neste mundo muitas pessoas ainda estão buscando o evangelho da água e do Espírito. 

Quando as pessoas tiverem o conhecimento da verdade espiritual da remissão de pecado revelado pela porta do Pátio do Tabernáculo, elas poderão receber todas as bênçãos espirituais do Céu. Porque esta fé é, de fato, a fé exigida que se deva saber e crer para conhecer o Messias, nós não só temos que enfatizar uma vez isto, mas sempre. Se você verdadeiramente for um Cristão, você tem que prestar atenção nesta verdade. 

Quem quer entrar na Casa de Deus tem que descobrir a verdade manifestada nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido, e louvar a Deus adequadamente. 


O Messias Que Veio como o Realizador das Profecias

Deus profetizou com a Sua Palavra que o Messias nasceria do corpo de uma virgem. Isaías 7:14 diz, “Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome EMANUEL.” Por outro lado, Miqueias 5:2 afirma que o Messias nasceria em Belém: “E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” O Messias realmente veio a esta terra exatamente como profetizado por esta Palavra do Antigo Testamento. Ele veio a esta terra na semelhança de homem como o cumprimento das profecias de acordo com a Palavra de Deus. 

Então, em que ponto da história humana, veio o Messias? Quando Jesus Cristo veio a esta terra? Ele veio a esta terra durante o reinado do Imperador Romano Augusto (27 A.C. – 14 D.C.). Jesus veio a esta terra para libertar a mim e a você de todos os nossos pecados e condenação, recebendo o batismo de João e sendo crucificado, e derramando Seu sangue na Cruz. 

Jesus veio como o Salvador da humanidade quando Israel tinha sido transformado em uma colônia do Império Romano e quando Augusto estava reinando como seu Imperador. Porque Israel era uma colônia romana, teve que seguir os decretos de Roma. Neste momento, o Imperador Augusto tinha decretado que todos no Império Romano voltassem às suas cidades natais para se registrarem em um censo. Seguindo o decreto de Augusto, este censo começou imediatamente. Porque o censo buscava contar a cada pessoa que vivia no Império, incluindo esses que viviam em Israel, todos os Israelitas tiveram também que voltar às suas cidades natais. Desde este momento, Jesus Cristo já estava trabalhando na história da humanidade. 


Olhe para o Cumprimento da Palavra do Velho Testamento! 

Na ocasião, na terra da Judeia, o Messias, foi concebido no útero da Virgem Maria. E Maria estava comprometida com José. Maria e José eram da Tribo de Judá, do mesmo modo como Deus prometeu que das doze Tribos de Israel, os reis continuariam nascendo só da Tribo de Judá. 

Assim quando o Imperador Romano Augusto decretou um censo a acontecer, Maria, da Tribo de Judá, já estava levando um bebê no seu útero. Quando o tempo dela veio e estava a ponto de dar à luz, por causa do decreto do Imperador, ela teve que ir para a cidade natal de José e se registrar para o censo. Maria foi, então, até Belém, com José, e era esperado que ela desse à luz a qualquer hora. Quando Maria entrou em trabalho de parto, tiveram que achar um lugar para ela, mas não puderam achar na cidade. Então, tiveram que usar qualquer lugar que estivesse disponível a eles, até que terminaram em uma manjedoura. E Maria deu à luz ao seu bebê Jesus na manjedoura. 

Em 1 D.C., Jesus nasceu e o colocaram em uma manjedoura. O Deus Todo-Poderoso veio a esta terra na semelhança de homem. No lugar onde os animais ficavam, veio o Salvador da humanidade. Isto significa que Jesus nasceu neste lugar mais baixo para se tornar o nosso Messias, e todas estas coisas tinham sido postas e planejadas por Deus ainda antes da criação. Embora as pessoas pudessem saber que Jeová Deus move a história da humanidade, ninguém poderia perceber que Deus viria, de fato, a esta terra para salvá-los. Então, Deus tornou isto possível para qualquer um perceber que Ele os salvaria se rebaixando Ele mesmo a nascer nesta terra no corpo humilde de um homem para libertar a todos os seres humanos dos seus pecados. 

Por que, então, Jesus nasceu, de entre todos os lugares, em Belém? Nós também podemos querer saber por que Ele teve que nascer em uma manjedoura, e por que, de todas às vezes, quando Israel foi dominado por Roma como sua colônia? Mas podemos descobrir logo que todas estas coisas vieram debaixo da Sua providência planejada cuidadosamente para libertar ao Seu povo dos seus pecados. 

Quando José e Maria se registraram para o censo na sua cidade natal, eles tiveram que dar evidências provando que eles realmente eram desta cidade, e documentar suas identidades exatas. Eles só poderiam se registrar para o censo quando pudessem dar as evidências necessárias para provar que os seus antepassados, realmente, tinham habitado em Belém durante gerações. Foi assim que eles tiveram que mostrar quem eram os seus antepassados e a que casa pertenciam, e registrar tais detalhes das suas linhagens familiares no censo. Como nenhum destes fatos poderiam ser inventados ou omitidos, registrou-se historicamente às identidades exatas de José e Maria. Deus teve a certeza de que a história da humanidade, também, testemunharia do nascimento de Jesus (Mateus 1:1-16, Lucas 3:23-38). Todas estas foram as obras de Deus que Ele realizou para cumprir as profecias da Palavra do Antigo Testamento. 

Miqueias 5:2 afirma, “E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”. O dia do nascimento chegou e o Salvador nasceu precisamente na cidade profetizada de Belém. Fazendo José e Maria chegar ao mesmo tempo significa que Deus fez Sua obra para cumprir as profecias dos seus profetas. Isto é, sem dúvida, a realização planejada por Deus para destruir todos os pecados da humanidade. Realmente Jesus tinha que nascer na pequena cidade de Belém para cumprir a Palavra de Profecia do Antigo Testamento.

Centenas de anos antes que Jesus Cristo nascesse na pequena cidade de Belém, Deus já tinha dado a Sua Palavra de profecia pelo profeta Miqueias, como citado acima (Miqueias 5:2). Assim como o Profeta Isaías também profetizou aproximadamente 700 anos antes da vinda de nosso Senhor como o Messias viria a Seu povo para se tornar o Salvador dos pecadores (Isaías 53). E como Jesus Cristo nasceu, exatamente, em Belém como Deus profetizou pelo Profeta Miqueias, Ele sempre cumpre toda a Sua Palavra de profecia. 

Esta profecia foi cumprida como um fato histórico quando Maria e José subiram para a cidade natal dos seus antepassados para se registrarem no censo. Deus cumpriu a Sua Palavra tendo certeza de que o tempo para o bebê nascer foi justo quando Maria chegou a Belém, de forma que ela não teria outra escolha mais a não ser dar à luz nesta cidade. 

Aqui, descobrimos que nosso Deus é o Deus que fala a Sua Palavra de profecia conosco e cumpre toda a Palavra adequadamente. Disto podemos descobrir que o “tecido de linho retorcido”, usado para a porta do Pátio do Tabernáculo, implica a delicadeza e integridade da Palavra de Deus. Deus tinha planejado detalhadamente a salvação da humanidade antes mesmo da Criação, e Ele cumpriu isto sem falha de acordo com a Sua Palavra de profecia. 

Podemos, então, perceber que a Palavra do Antigo Testamento seguramente é a Palavra de Deus, e que a Palavra do Novo Testamento, também, é a Palavra de Deus. Nós também podemos perceber, como também crer, que Deus, realmente, rege sobre tudo e move toda a história do universo inteiro e desta terra. Em outras palavras, nós podemos descobrir que da mesma maneira que Deus criou o universo inteiro, Ele mostrou para nós que reina completamente sobre todas as pessoas, todas as histórias, e todas as condições de todo o mundo. Deus, então, mostra para nós que nada pode ser alcançado de acordo com o próprio esforço da pessoa, não importa o que seja, a menos que Ele permita isto. 

Quando o menino Jesus nasceu neste mundo, Ele não pôde senão nascer em um lugar de descanso para animais, já que não tinha nenhum quarto nas hospedarias. E Ele realmente nasceu na cidade de Belém. Nós temos que perceber que tudo por Deus esta de acordo com a Sua fidelidade. 

Então, nós temos que crer que o que move a história deste universo é o nosso Deus, o Salvador que nos libertou dos nossos pecados. Esta verdade é a Palavra de Deus, O Senhor de tudo. 

Assim foi provado que o nascimento de Jesus na pequena cidade de Belém não foi um incidente, nem algo que foi inventado arbitrariamente manipulando a Palavra da Bíblia. Isto é o que o próprio Deus disse, e também é o que o próprio Deus cumpriu por Jesus. 

Nós temos que saber isto e temos que crer nisto. Nós temos que levar isto aos nossos corações e crer que a salvação de nosso Messias é a verdade que está cumprida pelos fios, azul, roxo, escarlate e pelo tecido de linho retorcido. Deus mostrou para nós que a remissão dos pecados, também, não é algo que é alcançado incidentalmente, mas é alcançado pelos quatro ministérios de Jesus preparados na providência de Deus. 

Além disso, isto também mostra que o Cristianismo não é mais uma das muitas religiões mundanas. O fundador de uma religião mundana é um mero mortal, mas o fundador do Cristianismo é o nosso Salvador Jesus, e Deus nos mostrou que a verdade do Cristianismo começa do fato de que este nosso Salvador é o próprio Deus. Em outras palavras, Deus está testemunhando a nós que o Cristianismo que nós cremos não é meramente uma religião mundana. Ao contrário de todas as outras religiões terrestres, o Cristianismo está estabelecido sobre toda a Graça dada por Deus. Como está escrito em Romanos 11:36, “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória pois a ele eternamente. Amém.” Ele nos deu o Seu único Filho como o nosso Salvador, o evangelho da água e do Espírito, para a nossa remissão dos pecados, a habitação do Espírito Santo e o Reino do Céu. Então, nós devemos todos saber e crer, em nossos corações, que devemos temer e obedecer a Deus e a Sua Palavra com todo o nosso coração. 

O nascimento do Messias nesta terra foi de acordo com o plano de salvação determinado por Deus, o Pai, ainda antes da criação. Nossa salvação foi perfeitamente planejada dentro disto. Deus nos permitiu perceber, claramente, que esta verdade é a substância atual dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. Então, nós temos que reconhecer a salvação que veio a nós pelo evangelho da água e do Espírito como a remissão dos nossos pecados, e crer assim. É por esta fé que você e eu podemos ser salvos de todos os nossos pecados. Nós temos que crer que esta verdade das quatro cores, também, é completa por nossa fé no evangelho da Palavra da água e do Espírito. 


Jesus Cristo, o Salvador que nos Salvou, Com os Seus fios, Azul, Roxo, Escarlate e o Tecido de Linho Retorcido

As obras pelas quais Jesus Cristo salvou os pecadores dos seus pecados são quatro: O fio azul (o batismo de Jesus); o fio roxo (Jesus como o Rei dos Reis — Ele é Deus, em outras palavras); o fio escarlate (o sangue de Jesus); e o tecido de linho retorcido (a conclusão da salvação de todos os pecadores dos seus pecados pela Palavra elaborada no Antigo e Novo Testamento). Jesus se tornou, precisamente, o Salvador, com os fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido. 

Nós temos que perceber que, a menos que acreditemos que Jesus veio a nós pela água e pelo Espírito, e nos salvou dos nossos pecados com o fio azul (o batismo de Jesus), o fio roxo (Jesus é Deus), o fio escarlate (o sangue de Jesus), e o tecido de linho retorcido (Jesus alcançou a salvação com a Palavra do Antigo e Novo Testamento), nós nunca poderemos ser libertos dos nossos pecados e da condenação. Sem nos salvar dos nossos pecados e condenação, nosso Senhor não poderia se tornar o nosso Salvador perfeito. 

Temos que perceber a razão espiritual, pela qual, a cortina da porta do Pátio do Tabernáculo foi tecida com fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido. A porta do Pátio do Tabernáculo foi feita com estes fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido, de forma que todos poderiam reconhecer à porta, obviamente, e facilmente achá-la. Por esta porta, Deus permitiu que qualquer um entrasse na Sua Casa resplandecente. 

O próprio Tabernáculo é a resplandecente Casa de Deus. Ninguém que desejou entrar na Casa de Deus poderia ter entrado sem perceber a verdade da salvação manifestada na cerca e na porta do Pátio do Tabernáculo. Deus disse que esses que, ignorando a santidade da cortina feita de linho branco que cobria o Tabernáculo, não entram no Tabernáculo pela porta, mas saltam por cima de algum outro modo, são todos ladrões e salteadores. A porta de salvação se refere a Jesus Cristo (João 10). 

Quando a Bíblia diz que esta porta foi tecida com os fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido, Deus está mostrando claramente para nós, pela Sua verdadeira Palavra do Antigo e Novo Testamento, que Jesus Cristo veio a esta terra como o Filho de Deus, foi batizado por João, morreu na Cruz, ressuscitou de entre os mortos, e, assim, se tornou o nosso Messias. Nós podemos descobrir o mistério dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido, assim. Nós temos que crer que Deus nos permitiu acreditar que Jesus Cristo é o Filho de Deus que veio nos salvar do julgamento dos pecados deste mundo, sendo Ele, agora, o Salvador que alcançou a salvação da humanidade pela Palavra do Antigo e Novo Testamento. 

Nós devemos ser capazes de perceber, de fato, por que a porta do Pátio do Tabernáculo foi tecida com estes fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido. O que nos diz o fio azul, o fio púrpura, o fio escarlate e o tecido de linho retorcido? Quando nós percebermos o plano de Deus, nós também podemos perceber que as obras dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido, são o plano completo de Deus para a nossa salvação e a verdade da vida eterna, e nós podemos entrar, assim, no seu Reino por nossa fé na remissão dos pecados. 

Quando nós dizemos que sabemos e cremos nos fios, azul, roxo e escarlate, significa que nós sabemos bem a razão por que Jesus foi batizado por João Batista e derramou o Seu sangue na Cruz, quem é o Messias, todos os mistérios do sistema de sacrifício do Antigo Testamento, e o evangelho da água e do Espírito do Novo Testamento. Em resumo, a verdade que implica na porta do Pátio do Tabernáculo é essencial a todos os crentes que seriamente buscam a verdade de ser salvos eternamente. 

Pode parecer que muitas pessoas têm muito conhecimento do Tabernáculo, mas, na realidade, não é, de fato, assim. Na verdade, as pessoas são muito ignorantes quanto aos significados dos fios azuis, roxo, e escarlate, tecidos na porta do Pátio do Tabernáculo. Como o mistério destes fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido são difíceis de entender, muitas pessoas têm um verdadeiro desejo de aprender e crer neles. Porém, porque este mistério não pode ser entendido por qualquer um, muitos deles acabam interpretando isto erroneamente baseado nas suas próprias opiniões. Na realidade, muitos líderes religiosos interpretaram mal e entendem mal esta verdade na forma em que querem, e só usam para os seus próprios fins religiosos. Mas Deus não podia permitir os cristãos continuarem sendo enganados por estes mentirosos. Assim, Ele teve que explicar, claramente, o significado da verdade dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido, usados para a porta do Pátio do Tabernáculo, e, assim, os salvar de todos os seus pecados. 

1 João 5:6-8, no Novo Testamento, declara, “Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo: não só por água, mas por água e por sangue. E o Espírito é o que testifica, porque o Espírito e a verdade. Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam num.” Esta passagem, explicitamente, afirma que nosso Deus veio a este mundo na semelhança de homem, tomou os nossos pecados com o Seu batismo, e nos salvou através do derramamento de Seu sangue. Isto é porque a porta do Pátio do Tabernáculo era toda tecida dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. 

Primeiro, o que nos mostra o fio azul? Nos mostra uma parte da verdade sobre Jesus que se tornou o Messias dos pecadores vindo a esta terra e levando os pecados do mundo recebendo o Seu batismo de João. Na realidade, este batismo que Jesus recebeu de João no Rio Jordão é a verdade de que Jesus tomou todos os pecados do mundo de uma vez por todas. Jesus, na verdade, levou todos os pecados do mundo sobre Seus ombros sendo batizado por João Batista, o representante de toda a humanidade. Porque assim foram passados os pecados de todos os seres humanos sobre a própria cabeça de Jesus Cristo, esses que creem nesta verdade não têm nenhum pecado nos seus corações. 

Segundo, qual é o significado real do fio roxo, tecido na porta do Pátio do Tabernáculo? Nos fala que Jesus é o Rei dos reis. Na realidade, Jesus fez o universo, foi o próprio Criador, não uma criação, e é o Messias real que veio a esta terra. Ele, o Messias, na verdade, veio a esta terra na semelhança de homem. E levando todos os pecados do mundo no Seu próprio corpo pelo batismo que recebeu de João, e com a Sua morte de sacrifício e ressurreição, Jesus salvou a todo o Seu povo de todos os seus pecados, e do julgamento, àqueles que reconheceram temendo e crendo no seu Messias.

Jesus é, na realidade, o nosso Deus e Messias absoluto. Ele é o Salvador absoluto. Porque Jesus levou todos os nossos pecados do mundo nEle com o Seu batismo, sangrando e morrendo na Cruz, e ressuscitando de Sua morte, Ele não só limpou todos os nossos pecados, mas Ele também recebeu o julgamento vicário dos pecados em nosso lugar. 

Em terceiro lugar, o fio escarlate se refere ao sangue que Jesus derramou na Cruz, e seu significado é que Cristo deu nova vida para esses, entre nós, que creem. Esta verdade do fio escarlate nos fala que Jesus Cristo não só recebeu o julgamento de nossos próprios pecados levando os pecados do mundo nEle com o Seu batismo recebido de João, mas que Ele também deu vida nova aos crentes, concedendo a fé dotada de vida aos que morreram para o pecado. Aos que creem no Seu batismo e no sangue que Ele derramou, Jesus deu, realmente, vida nova. 

O que, então, significa o tecido de linho retorcido? Significa que com o Novo Testamento, Deus cumpriu a Sua promessa de salvação escrita no Antigo Testamento. E nos fala que quando Jesus levou todos os pecados do mundo nEle com o Seu batismo e foi julgado por nossos pecados na Cruz no Novo Testamento, Ele cumpriu a salvação que Deus tinha prometido aos Israelitas e a nós com a Sua Palavra do pacto. 

Jeová Deus disse em Isaías 1:18, “Vinde então, e argui-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” Também, o sistema de sacrifício do Antigo Testamento que ditava como os sacrifícios eram oferecidos no Tabernáculo, debaixo do qual foram passados os pecados do povo de Israel sobre o cordeiro de sacrifício com a imposição de mãos, foi a promessa que Deus fez aos Israelitas e a nós. Esta foi a revelação da promessa que Ele salvaria todas as pessoas do mundo dos seus pecados diários e de seus pecados anuais pelo Cordeiro de Deus, no futuro. 

Este também foi o sinal do Messias prometido por vir. Assim, no tempo do Novo Testamento, quando Jesus Cristo levou todos os pecados do mundo de uma vez nEle, recebendo o batismo de acordo com a forma do Antigo Testamento, foi a realização do pacto de Deus. Tendo-nos dado toda a Sua Palavra de promessa, Deus mostrou para nós que Ele as cumpriu todas, de fato, exatamente como Ele tinha prometido. O batismo que Jesus recebeu manifesta esta verdade, que o Deus do pacto cumpriu todos Seus pactos. 


Jesus Cristo Veio pela Água, pelo Sangue e pelo Espírito

Por que o Jesus foi batizado por João? A razão foi levar nEle todos os pecados da humanidade, e receber o julgamento dos pecados em nosso lugar. Para fazer todos os pecados da humanidade inteira desaparecer, e para se tornar o nosso verdadeiro Salvador, Jesus foi batizado por João Batista, foi à Cruz, derramou o Seu sangue e morreu nela. Fazendo assim Ele não só lavou todos os nossos pecados, mas também recebeu todo o julgamento destes pecados em nosso lugar, e, assim, se tornou o nosso Salvador eterno. Todos os nossos pecados foram passados para Jesus quando Ele foi batizado por João, e Ele levou estes pecados do mundo à Cruz. E porque Jesus Cristo foi paciente por todos os nossos pecados com o Seu batismo, e porque Ele levou estes pecados do mundo à Cruz, Ele poderia ser crucificado, ter derramado o seu sangue, e ter morrido em nosso lugar. 

Isaías 53:5 diz, “Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” Pelo batismo de nosso Senhor, nossos pecados originais que foram herdados de nosso antepassado comum, Adão, e nossos próprios pecados atuais que cometemos ao longo de nossas vidas foram todos passados para Ele. E Ele foi julgado por todos estes pecados. Vindo, assim, a nós pela água e pelo sangue, nosso Senhor fez todos os nossos pecados desaparecerem (1 João 5:5-8). 

Quem, então, é este Jesus Cristo, nosso Salvador e Messias, que levou todos os nossos pecados e fez com que desaparecessem? Gênesis 1:1 afirma, “No princípio, criou Deus os céus e a terra.” Quem foi este Deus poderoso que criou o Universo com a Sua Palavra? Ele não foi nenhum outro senão o Messias dos pecadores, Ele veio pela água do Seu batismo para salvar a mim e a você de todos os pecados do mundo, é o que veio como o Salvador que derramou o Seu sangue na Cruz, sendo julgado por todos os pecados do mundo. Pela água, pelo sangue, e pelo Espírito, Jesus nos libertou de nossos pecados e julgamento. Nosso Senhor veio a nós como o nosso Salvador para tomar todos os nossos pecados e ser julgado por estes pecados em nosso lugar. 

Na realidade, Jesus Cristo é o Filho de Deus e o próprio Deus, porque o Messias, de fato, é o nosso Deus. O nome “Jesus” significa “o Salvador que salvará ao Seu povo de seus pecados” (Mateus 1:21). “Cristo,” “Basileus” em grego, por outro lado, significa “Rei dos reis.” Jesus é o Criador que fez o universo inteiro, o governador absoluto de tudo, o Salvador dos pecadores, e o Rei dos reis que julga a Satanás. 

Este Deus absoluto, na verdade, criou o homem a Sua própria imagem. Como nós, Sua própria criação, caímos em pecados e fomos sentenciados à destruição por causa de nossas fraquezas, este Rei dos reis prometeu nos salvar dos nossos pecados, e cumprir esta promessa vindo até nós. E nos fazer o povo íntegro de Deus e sem pecados. Assim, nosso Senhor veio até nós pela água, pelo sangue, e pelo Espírito. 

O Messias que é o Criador, na verdade, veio a esta terra na semelhança de homem, para fazer todos os nossos pecados desaparecerem, e levou todos os nossos pecados nEle recebendo o batismo de João, no Rio Jordão. E morrendo na Cruz, Ele foi julgado por todos os nossos pecados em nosso lugar. Porque Jesus foi, na realidade, o mesmo Messias para nós, e porque Ele é o nosso Salvador e o Senhor de nossas vidas, podemos ganhar vida nova e eterna crendo nEle. Portanto, o Messias, realmente, se tornou o nosso Deus. Isto é porque a porta do Tabernáculo foi tecida dos fios, azul, roxo e escarlate, já que este é o mistério da água e do Espírito que nos liberta de todos os nossos pecados e do juízo dos nossos pecados. 

A verdade de que o Senhor nos salvou certamente de nossos pecados não é algo vago. Nosso Deus não nos prometeu esta salvação ambiguamente, não alcançou isto bruscamente, e não pode aprovar a fé desses que creem arbitrariamente nEle, à parte da Sua verdade concreta que Ele nos salvou, de fato, pela Sua água e sangue. Nosso Deus disse, então, a esses que nominalmente creem nEle, “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 7:21). 

Falsos mestres insistem que eles, na verdade, fizeram com que as pessoas recebessem o Espírito Santo em nome de Jesus, expulsassem demônios em Seu nome, e fizessem muitas maravilhas no Seu nome. Mas Deus disse a eles em Mateus 7:23, “E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.” Isto nos diz que, de fato, entre os cristãos, há muitos que ainda permanecem pecadores, e que serão julgados por seus pecados no Dia do Juízo, e, então, serão lançados no inferno. 

Na realidade, há muitos cristãos que claramente confessam, “Jesus é o nosso Salvador. Jesus nos salvou inequivocamente de todos nossos pecados.” Mas apesar de fazerem tal afirmação, eles, na verdade, não fazem nem mesmo tentativas para aprender que o Messias realmente levou os seus pecados com o Seu batismo, e que Ele realmente levou os seus pecados e o julgamento através do derramamento do sangue na Cruz. Estas pessoas vão diante de Deus enquanto ainda permanecem em pecados, porque eles só creem nominalmente, como se somente estivessem praticando uma das muitas religiões mundanas. 

Como tal, porque eles não creem de acordo com a verdade que nosso Deus disse, “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará,” eles não foram admitidos pelo Senhor. Se as pessoas creem em Jesus ou não, esses que têm pecados nos seus corações não podem entrar no Reino de Deus onde nenhum pecado é achado, porque eles não são qualificados para entrar. Então, eles têm que ter a certeza de que só podem ser qualificados para entrar no Céu crendo na verdade dos fios, azul, roxo e escarlate, enquanto ainda estão nesta terra. Fazer a porta do Pátio do Tabernáculo, tecendo a sua cortina com estes fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido, foi a providência do Messias. Esses que se dirigem ao inferno por causa dos pecados têm que crer nisto. 

Porque estas pessoas são ignorantes da verdade, e porque creem em Jesus com os seus conhecimentos errados alcançado por si mesmos, elas ainda permanecem pecadoras. Elas ainda têm pecados porque elas, em vez de crer de acordo com a verdade escondida nos materiais do Tabernáculo, têm pensado no seu Salvador por si mesmas e têm feito suas próprias doutrinas de salvação baseadas nestes pensamentos, enquanto crendo que a salvação vem pelos seus próprios esforços oferecendo orações de arrependimento a Deus e tentando alcançar à santificação com seus incrementos. 

Há muitos neste mundo que afirmam crer em Jesus como o seu Salvador, e ainda não creem, de fato, no batismo de Jesus e no sangue dEle. Há muitos neste mundo que, em vez de crer, de fato, nos fios, azul, roxo e escarlate, como a sua salvação, pensam que só podem entrar no Reino Santo de Deus crendo no sangue de Jesus, até mesmo quando ainda permanecem pecadores. 


A Igualdade do Antigo e Novo Testamento

Deus nos fala em Isaías 34:16 que toda Palavra de Deus tem seu par igual. Em outras palavras, a Palavra de Deus se renova inteiramente. Deus disse para olharmos e vermos por nós mesmos se a Sua Palavra do Antigo Testamento concorda com a Sua Palavra do Novo Testamento, ou não. O que está escrito no Antigo Testamento tem sua Palavra correspondente no Novo Testamento. Por exemplo, considerando que os Israelitas passaram os seus pecados sobre um cordeiro de sacrifício com a imposição de mãos no Antigo Testamento, no Novo Testamento isto é igualado por Jesus Cristo sendo batizado para levar todos os pecados do mundo, e assim levando todos os pecados sobre Ele. 

Pela Sua água e sangue, Jesus veio a esta terra como a oferta de sacrifício e o Salvador dos pecadores. Se Ele não tivesse levado os pecados do mundo recebendo o batismo, não teria havido nenhuma necessidade absoluta para Ele morrer na Cruz. Nosso Deus fez todos os nossos pecados desaparecerem totalmente com os fios, azul, roxo e escarlate. Também, isto foi prometido por Deus com a Sua Palavra, sobre a qual nosso Deus veio a nós por esta Palavra e lavou os nossos pecados escarlates, tornando-os tão branco como a neve. 

Antes de perceber esta verdade, na realidade, nós estávamos transbordando indubitavelmente em pecados infinitos. Nós não temos nada do que ostentar diante de Deus. Tampouco nada em que possamos confiar diante de Deus, como nós, também, não temos nada para sermos confiantes diante dEle. Em outras palavras, não há nada que nos permita sequer pretender fingir sermos inteligentes. Diante de Deus, tudo o que podemos dizer é, “Sim, Você tem razão”. 

Se Deus diz, “Você é uma semente de iniquidades, destinada ao inferno”.

“Sim, o Senhor tem razão; por favor, me salva.” 

“Eu te salvei deste modo, pela água, pelo sangue, e pelo Espírito.” 

“Sim, Senhor! Eu creio!” 

Só podemos dizer “sim” todo o tempo. Se levantando diante de Deus, nós não podemos dizer a Ele, “eu fiz isto e aquilo; eu servi bem à minha igreja; eu realmente cri em Jesus de todo coração; eu defendi minha fé com uma teimosia que ninguém mais poderia imaginar!”.

Como o Senhor, realmente, fez todos os nossos pecados, de fato, desaparecerem? Ele mostrou para nós que Ele os fez desaparecer pelos fios, azul, roxo e escarlate, e pela Palavra do Antigo e Novo Testamento. No Antigo Testamento, Ele fez os nossos pecados desaparecerem com os fios, azul, roxo e escarlate, enquanto que, no Novo Testamento, Jesus se tornou o nosso Salvador, vindo a esta terra na semelhança de homem, e levando todos os nossos pecados nEle com o Seu batismo recebido de João, e cuidando de todos os nossos pecados e do julgamento destes através do derramamento do Seu sangue na Cruz. 

Sendo batizado, nosso Senhor levou de uma só vez todos os pecados do mundo (Mateus 3:15). Todos os nossos pecados mundanos foram passados sobre o ombro de Jesus. Depois de carregar assim todos os nossos pecados do mundo com o Seu batismo, Ele levou estes pecados à Cruz, foi crucificado, derramou Seu sangue, morreu na Cruz, e ressuscitou de entre os mortos, fazendo, assim, todos os nossos pecados desaparecerem verdadeiramente. Jesus Cristo se tornou, com certeza, o nosso Salvador. 

A justiça de Deus que nós recebemos é a justiça adquirida crendo em Jesus Cristo, que veio a esta terra pela água, pelo sangue, e pelo Espírito. Esta é a mesma salvação recebida de Deus, e não algo que alcançamos por nós mesmos. Não há nada que possamos nos vangloriar diante de Deus. 

Na realidade, nós somos salvos de todos os nossos pecados crendo em Jesus Cristo, que se tornou o nosso único e certo Salvador. Em outras palavras, nós que tínhamos sido, de fato, pecadores, recebemos a remissão dos pecados crendo no batismo de Jesus e no sangue que Ele derramou por nós. Se a obra de salvação de Jesus fosse para considerar, digamos, cerca de uns 70 por cento de nossa salvação, e os 30 por cento restantes a contar por nossos próprios esforços de não cometer pecados, para que nós nos santificássemos gradualmente e para que nossa salvação fosse completada pouco a pouco, literalmente teríamos que estar despertos todas as noites orando fervorosamente, passar cada dia oferecendo nossas orações de arrependimento, servindo a comunidade, ou tentando fazer qualquer coisa e qualquer coisa possível! 

Mas o Apóstolo Paulo disse em Romanos, “Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” (Romanos 7:24-8:4). Assim, da mesma maneira que Paulo confessou, nós também temos que crer em Jesus Cristo como ele fez. A Bíblia nos fala que Jesus Cristo nos salvou completamente deste corpo de morte, 100 por cento. Quem, então, pode nos condenar? Ninguém pode nos condenar, já que Jesus Cristo nos salvou 100 por cento, apesar das nossas próprias fraquezas. 


Você e Eu, Também Éramos Todos os Fariseus Espirituais

Alguns de vocês podem ter conhecido e crido em Jesus um pouco por muito tempo. Você tinha crido em Jesus como o seu Salvador. Em outras palavras, ainda mesmo antes que você conhecesse o evangelho da água e do Espírito. Eu também tinha sido um Cristão, sem nascer de novo, durante dez anos. 

Quando cremos primeiro em Jesus como o nosso Salvador, nos foi uma experiência bastante prazerosa. Este começo foi tão prazeroso que pensamos que seríamos salvos incondicionalmente crendo em Jesus como o nosso Salvador, até mesmo se nós permanecêssemos ignorantes da verdade do fio azul, roxo, e escarlate. 

Quando eu cri pela primeira vez em Jesus, meu coração estava, na realidade, cheio de alegria. Foi assim que eu me alegrei grandemente quando eu cri pela primeira vez em Jesus, mas depois de aproximadamente cinco anos, eu olhei para mim, e vi que estava continuamente atado pelos pecados que eu tinha cometido, e cheguei ao reconhecimento de que eu ainda não estava livre. Você pensa que eu cometi pecados, ou que não cometi nada, nesses cinco anos de minha vida Cristã? Se você me conhece ou não, a resposta está bem clara: claro que sim. Durante este tempo, quando eu não conhecia a verdade, era atormentado toda vez que cometia pecados, e para me libertar desta agonia eu tive que oferecer orações de arrependimento, às vezes, até mesmo jejuando durante três dias. O fardo do meu coração, então, parecia aliviar um pouco, permitindo-me louvar a Deus, “♫ graça Surpreendente! ♪ Quão doce o som que salvou um infeliz como eu! ♫” Mas, depois disto, claro que, eu acabaria com tudo novamente cometendo mais pecados. Porque eu tinha tantas falhas e estava tão manchado, e como a cada dia cometia novos pecados, até mesmo quando eu odiava fazer. Nem uma só vez eu pude solucionar todos meus problemas de pecados para sempre. 

Dada estas circunstâncias, se passaram mais cinco anos, e quando eu já tinha sido Cristão durante aproximadamente dez anos, de repente, fui chocado ao descobrir quantos pecados tinha cometido durante todos esses anos. Olhando para mim cometendo tais grandes pecados todos os dias, eu fiquei profundamente entristecido e desanimado. E quando me parei diante da Lei, também descobri quão pecador realmente eu era. Para mim ficou mais difícil estar diante de Deus, e terminei me tornando em um pecador que nem mesmo podia afirmar, com boa consciência, conhecer bem a Jesus e crer nEle. Assim, em meu décimo ano como Cristão, não pude fazer outra coisa senão confessar minha pecaminosidade a mim mesmo. 

Quando eu cri em Jesus pela primeira vez, eu, na verdade, pensava que era um Cristão bastante bom. Mas conforme o tempo passou, só percebi, cada vez mais, que eu realmente não tinha nada que ostentar diante de Deus. Eu reconheci, “eu sou, de fato, um Fariseu. Os Fariseus não só são achados na Bíblia, porque eu sou um Fariseu da atualidade!”. 

Fariseu é o tipo de pessoa que, na sua santidade pretensiosa, todos os domingos em seu caminho à igreja com a Bíblia aos seus lados, gritam aos irmãos cristãos da mesma denominação, “Bom dia! Aleluia!” E quando estão adorando, em todas às vezes que ouvem alguém falando da Cruz, acabam chorando. Também, eu derramei muitas lágrimas, enquanto pensando no sangue de Jesus. Eu pensava que isto era do que se tratava a verdadeira adoração. Mas enquanto vivendo neste mundo, todo mundo se descobre eventualmente a si mesmo, enquanto cometendo pecados atrás de pecados. É assim que as pessoas, mais uma vez, recorrem para fazer orações de arrependimento. Elas poderiam até se sentir bem, na verdade, durante algum tempo; porém mais cedo ou mais tarde, se lhes esgotam estas orações de arrependimento, já que são muitos os pecados que elas têm cometido. Algumas pessoas até falam em línguas e têm visões mais adiante, mas tudo é inútil. Não importa que tipos de tentativas elas possam ter tentado fazer, porque são inúteis para resolver os problemas de pecados em seus corações. 

Se elas percebessem eventualmente que são seres simplesmente inúteis diante de Deus e reconhecessem que estão destinadas ao inferno por causa dos seus pecados, até mesmo se percebessem tardiamente, ainda seria um resultado favorável. Na realidade, por mais que creiamos em Jesus, mais perceberemos quão pecadores realmente somos. Mas os Fariseus são bons para esconder isto. Eles são tão bons para esconder os seus pecados nos corações e julgar aos outros que infelizmente são aprovados até mesmo por esses que estão ao redor deles. 

Os religiosos deste mundo grandemente se respeitam uns aos outros. Mas embora quanto mais respeito e aprovação eles obtenham de outros, quando estão diante de Deus, são somente uma grande massa de pecados. 

Quando não conhecíamos a verdade, nós também usávamos oferecer nossas orações de arrependimento diligentemente. Mas depois de um tempo, nos cansamos, e, assim, acabamos orando, “Senhor, faça tudo o que quer fazer. Eu tenho tantos pecados. E ainda pequei novamente. Agora é mais vergonhoso para mim Te falar.” Embora seja muito vergonhoso, porque tínhamos falado que Deus se agradaria sempre que nós confessássemos os nossos pecados, e que Ele perdoaria os nossos pecados com a Sua justiça, e que limparia toda injustiça, continuamos orando a Ele, “Senhor, eu pequei. Por favor, me perdoe Deus!” No entanto, os pecados ainda permanecem em nossos corações. 

Sempre que as pessoas prostram as suas cabeças para orar a Deus, as suas consciências os fazem lembrar-se dos seus pecados e isso corrói os seus corações. Nossa consciência atormenta nossos corações nos falando, “Com tantos pecados cometidos, como ousa orar a Deus?”. 

Assim, depois de um tempo, porque nós realmente não tivemos nada mais o que dizer, acabamos chorando, “Senhor, Senhor!” Cada vez mais frequentemente, nós nos achamos subindo uma montanha e gritando o nome do Deus. Para evitar o embaraço de chamar a atenção de pessoas, nós subimos uma montanha tarde da noite, nos metemos em uma caverna, e clamamos o nome de Deus. Mas isto, também, só foi um ataque de raiva de nós mesmos, e nossos pecados ainda assim permanecem conosco. 

Nós também tentamos aplacar a nossa consciência contando para nós mesmos que não somos nada mais do que pecadores, “Deus é tão misericordioso que Ele fez meus pecados desaparecerem. Eu jejuei e orei durante três dias. Mais ainda penso que eu não pequei tanto. Nosso Deus misericordioso não me perdoaria, então?”.

Mas nós realmente poderíamos nos enganar até mesmo se fôssemos louvar a Deus por Sua misericórdia? Como poderíamos enganar os nossos próprios corações enquanto permanecemos pecadores diante de Deus? Nós nunca poderíamos fazer assim! Não importa o quão alto tivéssemos subido em posições de liderança em nossas igrejas, e não importa o quanto fôssemos elogiados pelos outros, contanto que continuássemos cometendo pecados por nós mesmos, nós nunca poderíamos ser livres destes pecados, e assim, finalmente, terminaríamos como hipócritas. 

Desejos pecaminosos continuariam se levantando em nossos corações. Embora falando do sangue de Jesus na Cruz durante tempos incontáveis, entretanto, nós só derramaríamos muitas lágrimas pensando no Seu sangue da Cruz, e, entretanto, nós teríamos sido considerados bons cristãos, mesmo ainda permanecendo como pecadores, até que nós conhecêssemos o evangelho perfeito da água e do Espírito. Apesar de viver de acordo com todos os rituais do Cristianismo, nós teríamos ainda mais pecados. Esta era a religião dos Fariseus. Ainda há muitas pessoas nesta terra que têm este tipo de fé, e elas se encontram em nossas comunidades Cristãs até hoje. 


Os Nossos Pecados Desapareceram Quando Cremos no Evangelho da Água e do Espírito

Antes de conhecer o evangelho da água e do Espírito, e antes de crer neste evangelho, todos nós tínhamos pecados em nossos corações. Com toda honestidade, éramos todos pecadores diante de Deus, e nós estávamos todos destinados ao inferno por causa de nossos pecados, porque a Bíblia nos disse que “o salário do pecado é a morte”. Nós fomos atormentados assim grandemente por causa de nossos pecados. E nós fomos destinados fisicamente e espiritualmente ao inferno por causa do juízo de Deus em nós por nossos pecados. 

Temos convertido muitas pessoas ao cristianismo e as temos ensinado. Mas trabalhamos enquanto ainda éramos incapazes de limpar às nossas próprias consciências. Não podemos negar isto diante de Deus. Reconhecemos diante de Deus que os nossos corações estão cheios de pecados e que estamos destinados ao inferno. 

Eu sempre tinha uma pergunta sem resposta. “Por que o Senhor Jesus foi batizado quando veio a esta terra?” Eu queria saber por que Jesus tinha recebido o batismo. Podia entender o nosso próprio batismo na água como sinal de nossa fé em Jesus, mas não podia entender o porquê de Jesus ter sido batizado por João Batista. Por que Ele foi batizado? Por quê? 

Assim, eu perguntei a alguns líderes nas comunidades cristãs, “Reverendo, eu tenho uma pergunta. Importa-se que eu lhe pergunte? Disseram-me que estava bem, assim que perguntei”. É sobre a Bíblia. É claro que Jesus recebeu o batismo de João Batista no Novo Testamento. Mas, eu não estou seguro do motivo dEle ter sido batizado. Reverendo, sabe por quê? Então, eles sorriram, dizendo-me, “nem sequer sabe isto? É algo que nossos filhos aprendem na Escola Bíblica Dominical! Encontra-se nos textos das Escrituras originais e também nos dicionários da Bíblia. Por acaso não foi Jesus batizado para nos dar um exemplo, como um modelo para nos mostrar à Sua humildade?”. Assim, eu disse, “Reverendo, se a resposta fosse tão simples, ainda nossos filhos, nas nossas Escolas Bíblicas Dominicais, certamente o saberiam”. Eu tenho examinado em ambos, no texto original e historicamente, mas o Seu batismo não significa isso. Acaso não haveria uma razão, pela qual, Jesus, realmente, precisasse ser batizado por João Batista?

Eu continuei perguntando. Eu comecei a buscar uma resposta depois de converter-me em cristão. Não tinha outra opção senão entregar anos de busca à resposta desta pergunta. Busquei em todos os meios acadêmicos acerca desta pergunta. Ainda busquei, perguntei e investiguei tudo, e, em nenhum lado pude encontrar algo que explicasse o batismo de Jesus claramente e definitivamente. Eu tinha lutado por encontrar à resposta final, até que o Senhor me iluminou sobre o evangelho da água e do Espírito manifestado nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido.

Enquanto estava ocupado por esta pergunta sem resposta, acerca do batismo de Jesus, me encontrei com a oportunidade de respondê-la lendo o Evangelho de Mateus 3:13-17: “Então veio Jesus da Galileia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? Jesus; porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.

Ao ler esta palavra, finalmente me dei conta, “Assim que isto é! A razão por que Jesus foi batizado é que Ele era a oferta de sacrifício do Antigo Testamento! Esta é a verdade da sua salvação escondida nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido linho retorcido!”.

João, o Batista, era realmente o Elias que Deus havia prometido enviar no Antigo Testamento. Deus disse em Malaquias 4:5 porque ele enviaria o Elias antes do Dia do Juízo, e, em Mateus 11:14, nos disse que este Elias que ele prometeu enviar a nós não é nenhum outro senão João Batista. Assim foi que eu descobri acerca de Elias, mas ainda não estava seguro do motivo, pelo qual, Jesus ter sido batizado por João Batista. Então, regressei a Mateus 3:13-17 e segui a passagem de novo, “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. ‘... E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água...’ Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Desse modo, todas as minhas dúvidas desapareceram. “Para cumprir toda a justiça,” Ele realmente recebeu o Seu batismo. Jesus certamente cumpriu esta obra de justiça para salvar todas as pessoas através Seu batismo.

O batismo é o mesmo que a imposição de mãos do Antigo Testamento, quando as mãos eram impostas sobre as cabeças das ofertas de sacrifício de acordo com o sistema de sacrifício do Tabernáculo. Os pecadores traziam estas ofertas de sacrifício diante do altar de holocausto, impunham as mãos sobre elas e confessavam os seus pecados, passando-os à oferta de sacrifício, para que o Sumo Sacerdote confessasse todos os pecados do povo de Israel e os passasse à oferta de sacrifício pelos israelitas e por eles mesmos, e para que Jesus fosse batizado por João Batista no tempo do Novo Testamento. Assim, todas essas coisas são iguais umas às outras. Finalmente me dei conta de que Jesus, desse modo, recebeu o Seu batismo (imposição de mãos) para tomar sobre Si mesmo todos os pecados do mundo e para fazer desaparecer todos esses pecados.

Assim que busquei nos textos originais, olhei para a frase, “porque assim nos convém cumprir toda a justiça”.

Estas palavras escritas em Grego dizem:

Mateus 3:15 - ἀποκριθεὶς δὲ ὁ Ἰησοῦς εἶπεν αὐτῷ Ἄφες ἄρτι· οὕτως γὰρ πρέπον ἐστὶν ἡμῖν πληρῶσαι πᾶσαν δικαιοσύνην. τότε ἀφίησιν αὐτόν.

Nesta frase, “porque assim” e “justiça” foram escritos em grego como “hutos” (οὕτως) e “dikaiosune” (δικαιοσύνην). O primeiro significa “desta maneira”, “aproximadamente”, “só por este método”, “o mais apropriado que há”, ou “com este método”. E o último significa, “justiça ou a virtude aceitável a Deus”.

Nos diz que Jesus salvou os pecadores de seus pecados. Nos diz que Jesus cumpriu toda a justiça de Deus sendo batizado e derramando o Seu sangue. Em outras palavras, significa que Ele tomou todos os nossos pecados com o Seu batismo. Todas as nossas dúvidas foram assim respondidas, já que, agora, nos demos conta do verdadeiro significado do que havia causado tanta confusão e dúvida. Devido a Jesus tomar todos os nossos pecados com o Seu batismo, Ele foi à Cruz e morreu sobre ela como juízo por estes pecados. Esta é a verdade encontrada no evangelho da água e do Espírito.

Nós, os nascidos de novo, devemos perceber, em outras palavras, que o batismo que Jesus recebeu de João Batista é o ingrediente indispensável de nossa salvação, e que Ele tomou os pecados do mundo inteiro sobre Si mesmo de uma vez por todas com o Seu batismo. Você também tem que se dar conta da mesma verdade no evangelho da água e do Espírito. Só então sua alma pode ser iluminada.

De fato, não podemos duvidar do dia em que Jesus recebeu o batismo de João. Nunca poderemos duvidar do dia em que percebemos que todos os nossos pecados foram realmente passados sobre Jesus. Temos visto as mudanças que ocorreram em nossos corações com a realização desta verdade. Elas se espalharam por todo o nosso coração como as águas do mar. Perfurando através da escuridão, a brilhante luz do amanhecer nos penetrou, permitindo-nos conhecer a verdade da salvação.


O Batismo que Jesus Recebeu Passou os Pecados do Mundo Para Ele

Depois de ler Mateus 3:13-17, não pude expressar uma só palavra durante muito tempo. Embora de fato eu estivesse cheio de pecados, Jesus recebeu o Seu batismo, e disse “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça”. Portanto, a razão pela qual Ele teve que derramar o Seu sangue sobre a Cruz (o fio escarlate) foi o batismo de Jesus (o fio azul). Esse Jesus era o próprio Deus (o fio roxo). E com a palavra do Antigo e Novo Testamento (o tecido de linho retorcido), Ele nos tem ensinado a verdade real da salvação, Jesus, em outras palavras, tomou todos os nossos pecados.

Então, nós temos pecados ou não? Quando Jesus foi batizado por João Batista, os pecados de todos foram passados sobre Ele? Foram, também, os nossos próprios pecados passados sobre Ele? Foram passados os pecados do mundo sobre Ele nesse tempo? Pelos que já tínhamos quando ainda estávamos no ventre de nossas mães, os pecados eram mundanos ou não? Quais os pecados cometidos quando ainda tínhamos um ano de idade? Acaso não são também os pecados do mundo? Quais pecados cometemos em nossa infância? Acaso também pertencem aos pecados do mundo?

Temos que perguntar a nós mesmos essas perguntas para estarmos seguros de que estamos no caminho correto. Assim, a fé trata de nos assegurar de que estamos parados no terreno certo com a Palavra de Deus. Os pecados que cometemos em nossa infância são, certamente, os pecados do mundo, como os pecados que cometemos em nossa juventude são, também, os pecados mundanos. Os pecados que cometemos durante a nossa juventude e, também, os de nossa vida adulta, são os pecados do mundo. Tais pecados do mundo já foram passados para Jesus. Acaso não? Claro que sim! Está escrito que o nosso Senhor tomou não somente os nossos pecados, mas, sim, todos os pecados de cada ser humano. Então, todavia, nós temos pecados? Nunca, já não há nenhum pecado em nós! 

Deve-se isso ao fato de que Jesus foi realmente batizado por João Batista, o qual testificou, “No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (João 1:29). Jesus eliminou todos os pecados de cada pessoa que tem vivido e viverá, desde o princípio da humanidade até o fim. Todos os pecados que qualquer um tenha cometido ao longo de toda a sua vida, e ainda os pecados de todos os seus filhos, foram todos tomados por Jesus. Não importa quanto tempo dure este mundo, se já são milhares de anos ou bilhões de anos, nosso Senhor tomou os pecados de todas as pessoas com o Seu batismo, carregou estes pecados sobre seus ombros até a Cruz, foi crucificado, e, por isso, recebeu todo o juízo dos pecados por amor a nós - isto é o que temos que compreender.

Assim como nós, os nascidos de novo, realmente se dão contas de que Jesus Se levantou da morte e se tornou o nosso Salvador por essas razões, como cremos, e todas as nossas perguntas foram respondidas.

Com o batismo que Ele recebeu e derramando o Seu sangue sobre a Cruz, nosso Senhor se encarregou de todos os nossos pecados. Isso é o que a Bíblia nos fala dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido na porta do Pátio do Tabernáculo, e, também, o porquê de nos dizer, em 1 João 5:4-6, que Jesus veio a nós não só por água, mas por água e por sangue. Assim, percebemos ser esse o motivo da Bíblia nos dizer que o nosso Salvador Jesus cumpriu toda a justiça de Deus recebendo o Seu batismo. Esta é a verdade! Portanto, os líderes cristãos não nos ensinaram esta verdade por que eram ignorantes dela!

Chegamos a estar sem pecados somente quando a verdade de Deus, revelada nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido, nos diz que estamos sem pecados. Ninguém pode aprovar a fé de outra pessoa. Não ajuda em nada obter a recomendação de outros. Como poderíamos dizer as pessoas sobre nós - que somos muito bons cristãos, ou qualificar-nos como cristãos níveis A+ - para constituir a salvação dos pecados? Não chegamos a estar sem pecados quando as pessoas nos aprovam, mas somente quando a Palavra de Deus nos diz que Cristo fez desaparecer todos os nossos pecados com os fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido.

A Palavra de Deus nos diz que Jesus não só fez os meus pecados desaparecerem, senão também o seus. Nos diz que, devido a Jesus Cristo, o Messias, ter feito todos os pecados de todas as pessoas desaparecerem, todos nós recebemos a remissão dos pecados se tão somente crermos. É assim como podemos entrar pela porta do Pátio do Tabernáculo, recebendo a remissão dos pecados através da água e do Espírito.


Qual é a Fé Perfeita? 

A porta do Pátio do Tabernáculo estava tecida com os fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido. Todos devem ter esta fé perfeita que crê que o nosso Senhor veio a esta terra e assim nos salvou dos nossos pecados. Quando nós cremos que o Senhor nasceu nesta terra em forma de homem, foi batizado por João, morreu sobre a Cruz, se levantou de entre os mortos, e, portanto, se tornou o nosso Salvador, todos podem chegar a ser filhos de Deus. Embora nossas obras sejam pequenas, e nossa carne seja inútil, crendo nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido, temos sido revestidos com a justiça de Deus. Crendo no evangelho da água e do Espírito, em concreto, nos temos nos tornado os filhos de Deus.

Alguns de vocês podem não entender totalmente. Se for assim, tudo o que tem que fazer é continuar lendo este livro e participar de uma igreja de Deus. Até agora temos discutido aspectos gerais do Tabernáculo, mas uma vez que comece a ler as explicações detalhadas, será capaz de alcançar um entendimento completo do Tabernáculo. É tão fácil que até uma criança pode entender em uma leitura.

Se as pessoas fossem passar às suas fés sob o lastro do seu conhecimento de Jesus, nunca seriam salvas dos seus pecados, não importa por quanto tempo creiam em Jesus, 1000 ou 10.000 anos. Ainda terão pecados a cada dia. Então chorarão a cada dia, já que não poderão escapar da maldição dos seus pecados. Quando as coisas lhes aparentam sair bem, essas pessoas pensam que Deus as está ajudando. Mas quando as coisas vão mal, embora que ligeiramente, se perguntam, “será que é porque não dei o dízimo? Ou será que é porque faltei à Igreja no domingo passado? Eu tenho falhado em servir a Deus apropriadamente, penso que Deus está me punindo por isso”. E, desta maneira, morrem se prendendo na Lei, por que as Escrituras nos dizem que “a lei traz a ira” (Romanos 4:15).

Para realmente termos a fé que é completa, devemos saber corretamente e crer nos quatro ministérios de Jesus Cristo, que veio a nós através dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. Devemos, também, dar conta da verdade dada por Jesus Cristo. Só quando temos o entendimento claro desta verdade de quatro fases e cremos nela, podemos ter uma fé que é completa diante de Deus, e, realmente, chegamos a ser os seus filhos perfeitos. Tornamo-nos sem pecados crendo nestes quatro ministérios de Jesus, e somos sempre os “justos” sem pecados. Assim, sem o nosso próprio esforço para nos libertar das ataduras dos pecados, somos o povo sem pecados. Pela fé, e sem qualquer tipo de força de vontade própria, somos os perfeitos filhos de Deus, cujos pecados foram todos lavados tão brancos como a neve, sendo tudo isso, assim, independente de termos as nossas próprias boas obras, ou tentativas delas.

Nós temos paz e tranquilidade dentro dos nossos corações, e, diante dos olhos misericordiosos de Deus Pai, nós somos como bebês brincando e descansando em paz debaixo dos olhos atentos dos seus pais, crendo nesta verdade. Embora suas ações possam ser insuficientes, tudo o que tem a fazer é crer nas obras do Senhor, já que, entre mais insuficientes que sejam, mais sentirão o amor do nosso Senhor.

Estás clamando para receber à remissão dos Seus pecados, sendo ainda incapaz de ter a fé que crê nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido? Agora, esses que conhecem esta verdade não tem mais que clamar para receber à remissão dos seus pecados, bastando-lhes tão somente crer tranquilamente. Os que têm se convertido nos trilhos de Deus, pela fé, são apenas os que verdadeiramente conhecem e creem em Jesus Cristo, que veio a nós através da água, do sangue e do Espírito. Eles servem a Deus não com seus atos superficiais, mas o amam e o servem com a sua fé, primeiramente. Devido a crermos, Deus nos concede a Sua audiência e caminha conosco. E porque cremos nEle, Ele nos ajuda. E porque cremos em Jesus, que nos salvou com o Seu batismo e com o Seu sangue, no qual, colocamos a nossa fé, temos alcançado ser os servos de Deus que trabalham em Suas obras justas.

Agora, todos nós temos que perceber a verdade de que Deus fez a porta da nossa salvação e os átrios externos do Tabernáculo, tecidos com os fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido, para nos dar à salvação pela remissão definitiva dos pecados. As Escrituras nos dizem que Jesus veio a nós através da água, do sangue e do Espírito, e que Ele nos salvou dos nossos pecados com os fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido da porta do Pátio do Tabernáculo no Antigo Testamento. Nosso Senhor se tornou a porta de nossa salvação dos pecados. Devemos crer, e crer ainda de novo, nestas quatro obras do Messias que realmente e com feitos nos tem libertado de todos os nossos pecados.


O Batismo que Jesus Recebeu de João é a Substância Real do Fio Azul Manifestada na Porta do Pátio do Tabernáculo


Voltemos a Mateus 3:13-17 de novo, “Então veio Jesus da Galileia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por Ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? Jesus; porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então Ele o permitiu. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre Ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Neste tempo, quando Jesus foi batizado, já se haviam passado trinta anos desde que Ele nasceu da virgem Maria. A palavra “então” se refere ao tempo em que ambos, João Batista e Jesus, completaram 30 anos.

João Batista, nascido seis meses antes de Jesus, era o representante da humanidade desta terra a quem lhes estava dando o batismo de arrependimento (Mateus 3:11, 11:11). Quando Jesus completou 30 anos, Ele veio a João para ser batizado por ele, já que estava batizando as pessoas no Rio Jordão. Mas João Batista tentou evitá-lo, dizendo, “Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?”. Jesus, então, respondeu, “-Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” João, então, deixou, e Jesus foi batizado por ele. As Escrituras também mencionam que quando Jesus foi batizado, o Céu se abriu e uma voz veio do Céu dizendo, “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.

Em Mateus 3:15, Jesus disse a razão pela qual foi batizado por João. Essa verdade se refere ao fio azul do pátio do Tabernáculo: “-Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” O propósito do batismo de Jesus recebido de João foi para perdoar às iniquidades dos pecadores através de Suas obras manifestadas nos fios, azul, roxo e escarlate do Tabernáculo- “porque assim (era) nos convém (a Eles) cumprir toda justiça”.

Jesus Cristo tomou os pecados de todos sobre Si mesmo ao ser batizado por João Batista, sendo este o ato de amor da justiça de Deus e o cumprimento de Suas obras de salvação de todos os pecadores. Como diz em João 3:16, “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” Jesus foi batizado para nos salvar dos pecados do mundo, para que não fôssemos condenados devido aos nossos pecados. Foi por isso que Jesus tomou toda a justiça de Deus de todos os pecados da humanidade sobre Si mesmo sendo batizado por João, porque convinha para Eles cumprirem toda a justiça de Deus.

O que é “toda a justiça de Deus”? A passagem anterior nos disse que a razão pela qual Jesus foi batizado por João Batista foi para cumprir toda a justiça do Pai.

Aqui, necessitamos encontrar exatamente o que realmente é toda a justiça de Deus. “Toda a justiça” se refere ao feito no dia em que Jesus Cristo, sendo batizado por João, tomou todos os pecados da humanidade sobre Si mesmo. Com o Seu batismo, Ele tomou os pecados do mundo de uma só vez, o batismo de Jesus recebido de João foi claramente a justiça. Cumprir toda a justiça de Deus queria dizer cumprir às justas obras que fazem desaparecer todos os pecados do mundo - isto é, foi para cumprir à salvação.

O batismo de Jesus foi um método indispensável, pelo qual, Deus nos libertaria dos nossos pecados. Deus colocou no Antigo Testamento que para eliminar os nossos pecados, Ele levantaria a João Batista como o representante de toda a humanidade, disse que Seu Filho Jesus Cristo se batizaria, e, portanto, passou todos os nossos pecados sobre Seu Filho, como nenhuma outra coisa mais do que esta foi a obra da misericórdia de Deus. Por Deus nos amar tanto, fez com que Jesus fosse batizado por João para nos converter em Seus próprios filhos, e completou, assim, a justa obra de limpar os nossos pecados. É por isso que Deus disse, quando Jesus foi batizado e saiu da água, “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Deus Pai, em outras palavras, disse “com o Seu batismo, meu Filho tomou todos os seus pecados sobre Si mesmo”.

Em outras palavras, Jesus Cristo veio a esta terra e com este método de ser batizado por João, Ele levou todos os nossos pecados de uma só vez, na maneira mais apropriada, e, assim, se converteu na oferta de sacrifício para fazer desaparecer os nossos pecados.

Isso se deve ao fato de que o Filho de Deus foi batizado por nossa causa, aceitando, assim, os nossos pecados sobre Si mesmo, e a que Ele carregou estes pecados até a Cruz, e foi crucificado, e derramou o Seu precioso sangue, e, assim, se tornou o Salvador de todos nós. Jesus tem salvado aos que creem; em outras palavras, foi batizado por nossos pecados sacrificando a Si mesmo com o Seu sangue sobre a Cruz, e levantando-Se de entre os mortos. E, depois de se levantar de entre os mortos e completar à Sua obra de salvação, Ele, agora, se assenta à direita do Trono de Deus, e, quando o Seu tempo chegar, seguramente, Ele irá regressar. Esta verdade é o evangelho da água e do Espírito e o coração da salvação.

Sobre a porta do Pátio do Tabernáculo, Êxodo 27:16 diz “E à porta do pátio haverá uma coberta de vinte côvados, de azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino torcido, de obra de bordador; as suas colunas, quatro, e as suas bases, quatro.” Assim é que a porta do Pátio do Tabernáculo estava tecida desses fios , azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido. Isto nos diz a verdade de que entramos no Reino do Céu crendo no presente da salvação.

O fio azul, tecido na porta do Pátio do Tabernáculo, se refere ao feito de que todos os nossos pecados foram passados sobre Jesus quando Ele veio a esta terra e foi batizado.

O fio roxo nos diz que Jesus Cristo, que foi batizado por nossos pecados, é fundamentalmente o próprio Criador do Universo e de tudo o que nele há, sendo o Senhor meu e seu. Roxo é a cor dos reis (João 19:2-3), e, portanto, nos diz que Jesus Cristo é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores. A palavra “Cristo” significa “O Ungido”, e só os reis, ou os profetas podiam ser ungidos. Como tal, mesmo que Jesus Cristo tenha vindo a esta terra em semelhança de homem, Sua identidade era realmente a de Rei dos reis. Em outras palavras, Jesus é o Senhor e o Criador que fez todo o Universo. Jesus é o próprio Deus Todo-Poderoso e o Filho unigênito de Deus Pai.

O fio escarlate, tecido na porta do Tabernáculo, se refere ao sacrifício que este Rei dos reis fez quando, depois de ter vindo a esta terra em semelhança de homem e tomado os nossos pecados sobre Si mesmo com o Seu batismo, sendo crucificado e derramando o Seu sangue sobre a Cruz. Jesus Cristo deu o pagamento dos nossos pecados por amor a nós, sendo batizado, derramando o Seu precioso sangue, e, assim, sacrificando a Si mesmo por amor a nós. O fio escarlate manifesta o sacrifício do sangue de Jesus Cristo.

Finalmente, o tecido de linho retorcido se refere à complexa Palavra de Deus no Antigo e Novo Testamento. No Antigo Testamento, Deus prometeu que viria a nós como o Salvador dos pecadores, e, no Novo testamento, assim como Ele havia prometido, em Jesus Cristo, o próprio Deus, certamente veio a esta terra, foi batizado, e derramou o Seu sangue sobre a Cruz – e se deu a Si mesmo como o sacrifício dos nossos pecados.

Com o fio azul, Deus manifestou a palavra de que Jesus Cristo viria a esta terra para nos salvar dos nossos pecados e tomou, assim, os nossos pecados sobre Si mesmo com o Seu batismo; e com o fio roxo, Ele manifestou que este que seria batizado era, de fato, o próprio Deus. E com o fio escarlate, Deus manifestou que Ele tem salvado a mim e a você dos nossos pecados vindo a esta terra como o nosso Salvador, sendo batizado, carregando os pecados do mundo até a Cruz, e derramando o Seu precioso sangue.

Esta salvação veio pela palavra de Deus prometida no Antigo Testamento, mas, por outro lado, estava manifestada com o tecido de linho retorcido. É por isso que a porta do Pátio do Tabernáculo estava tecida com estes fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido. Quando olhamos para a porta do pátio do Tabernáculo, esta porta manifesta e nos mostra, claramente, como Deus nos salvou dos nossos pecados e nos tem feito Seu povo; como tal, devemos todos crer no significado espiritual dos quatro fios usados para a porta do Pátio do Tabernáculo.

Falando das cores da porta do Pátio do Tabernáculo, a Bíblia menciona primeiro o Seu fio azul. Normalmente pensamos na ordem dos fios como roxo, azul e escarlate, mas, a Bíblia, em realidade, nos menciona como os fios, azul, roxo e escarlate. Isto nos mostra a importância do fio azul. Enquanto que Jesus Cristo certamente veio a esta terra como o nosso Salvador, se Ele não tivesse sido batizado por João, não teríamos sido capazes de ser limpos dos nossos pecados. É por isso que Jesus para nos salvar dos pecados do mundo, foi batizado por João e crucificado, tudo em obediência à vontade do Pai.

Jesus é o Senhor do Universo que criou todas as coisas, e Ele é o nosso Deus. Deus deu prova de que nos tem feito nascer nesta terra, de que nos tem dado nova vida e que governa sobre as nossas vidas. Para que Ele nos salvasse dos nossos pecados, Ele teve que ser batizado pelo representante de toda a humanidade e, assim, tomar todos os nossos pecados sobre Si mesmo. Foi sendo batizado por João, em outras palavras, que Jesus Cristo se tornou em nosso verdadeiro Salvador.

Foi para libertar-nos dos nossos pecados que Jesus Cristo veio a esta terra, e foi para tomar todos os nossos pecados sobre Si mesmo que Ele foi batizado. Se não fosse pelo Seu batismo, primeiramente, Cristo nunca poderia ser crucificado, cópia disso é que a porta do Pátio do Tabernáculo nos está mostrando, clara e exatamente, como Jesus Cristo nos salvou dos nossos pecados - isto é, pelo método preciso de Sua salvação.

As cores da porta do Pátio do Tabernáculo nos dizem que Jesus Cristo viria a esta terra, tomaria todos os pecados da humanidade sobre Si mesmo com o Seu batismo recebido de João, seria crucificado - em outras palavras, que Ele se encarregaria de todos os nossos pecados por Si mesmo. Quando Jesus foi batizado, a porta do Céu foi aberta, e Deus Pai falou, “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. Jesus Cristo é o nosso Messias e Salvador, mas Ele também é o Filho de Deus, o próprio Deus e o Criador que fez todo o Universo com a Sua própria Palavra. Sendo Deus Santo, Jesus veio carregar todos os nossos pecados, e foi batizado para que pudesse se tornar em nosso verdadeiro Salvador.

Jesus Cristo, que criou todo o Universo e governa sobre ele, nos tem mostrado a salvação clara dos nossos pecados. Jesus Cristo, para limpar nossos pecados, veio a esta terra, tomou tais pecados sobre Si mesmo com o Seu batismo e morreu na Cruz, para que você e eu fôssemos verdadeiramente salvos. Jesus Cristo é o Criador que governa sobre a nossa vida e morte, que criou todo o Universo, é quem trouxe a existência os nossos antepassados e toda a humanidade sobre esta terra. Ele era a mesma substância dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido.

O próprio Deus veio a esta terra como a oferta de sacrifício dos pecadores. Jesus, que nos salvou, era este Deus Todo-Poderoso, e, também, o Deus da misericórdia. Jesus Cristo tomou todos os pecados sobre Si mesmo com o Seu batismo, cumprindo toda a justiça de Deus, e foi por isso que Ele carregou os pecados do mundo até a Cruz, foi crucificado e derramou o Seu precioso sangue. Assim como está manifestado na porta do Pátio do Tabernáculo, Jesus Cristo se converteu em nossa própria oferta de sacrifício para limpar todos os nossos pecados.

É por isso que não somente a porta do Pátio do Tabernáculo, mas, também, a porta do Lugar Santo, a porta do Santo dos Santos e, ainda, a coberta da Casa de Deus, estavam todos tecidos com os fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido. Porque Jesus Cristo foi batizado por nós, eu e você somos lavados de todos os nossos pecados, crendo nEle. Jesus foi batizado para cumprir toda a justiça, e esta justiça foi cumprida ao tomar todos os pecados de todas as pessoas sobre Si mesmo através do Seu batismo. Portanto, o que devemos fazer é dar conta de que todos os nossos pecados foram passados sobre Jesus, também, neste tempo, e crer nEle.

Sendo assim, existem muitos cristãos que creem nEle, mas são arbitrários e desordenados, sendo demasiadamente néscios para abandonar às suas próprias fés religiosas e desorganizadas, desafiando a Deus desde o princípio. Temos que crer nEle de acordo com o caminho da salvação que Ele nos tem dado. E como Jesus disse, “eu sou o caminho a verdade e a vida” (João 14:6). Ele está nos dizendo, “eu sou o caminho. Eu sou o caminho que te guia ao Céu. Eu sou o Pastor, o caminho e a verdade. Eu sou certamente a vida que te salva.” Salvando-nos dos nossos pecados, Jesus Cristo se tornou no Senhor da vida nova para nós.


Quando nós Cremos em Jesus, Como Devemos Entender e Crer nEle?

Podemos ser salvos de todos os nossos pecados somente crendo no caminho exato de que Ele veio a esta terra e nos salvou. A palavra “fé” inclui tais significados como “depender de”, “se sustentar de” e “confiar a.” Os anciãos frequentemente dependem de seus filhos quando já são muito velhos, se lhes é muito difícil viver por si mesmos. Da mesma maneira, a razão pela qual vivemos nos abandonando de Deus, se deve a que nós, simplesmente, não podemos fazer desaparecer os nossos pecados por si mesmos. Ainda que tentemos não pecar, terminamos sempre vivendo às nossas vidas pecando. Isso se deve a que não podemos nos libertar dos nossos pecados. Portanto, sendo assim, devemos crer em Deus e colocarmos à nossa confiança em Jesus Cristo, o nosso Salvador, crendo nEle e no que Ele tem feito por nós.

É por isso que quando cremos em Jesus e buscamos a nossa salvação, primeiro devemos saber que tipo de fé é a fé correta. Há mais de 2000 anos, Jesus veio a esta terra para salvar a mim e a você - certamente, cada ser humano deste mundo - dos nossos pecados. Completando trinta anos, Ele foi batizado por João Batista e, portanto, tomou todos os pecados do mundo sobre Si mesmo. Todos nós devemos crer nisto. De fato, devemos crer que quando Jesus não só aceitou os seus pecados e os meus, senão todos os pecados do mundo sobre Si mesmo com o Seu batismo, cada pecado, do passado, do presente, e do futuro, já foi tomado por Jesus Cristo.

Porém, muitas pessoas ainda continuam ignorando este feito de que não só todos os pecados do mundo, senão seus próprios pecados, que também foram passados para Jesus quando Ele foi batizado, e continuam crendo só no sangue da Cruz. É por isso que nenhum deles pode discernir facilmente qual é a fé correta, ainda que todos eles vejam que todas as portas do Tabernáculo estão tecidas com os fios, azul, roxo e escarlate, e com o tecido de linho retorcido.

Quando Jesus veio a esta terra para nos salvar, ele nos salvou de uma forma louca. Deve-se a que Ele realmente tomou todos os nossos pecados sobre Si mesmo com o Seu batismo e levou toda a condenação dos nossos pecados com a Sua crucificação para que você e eu tenhamos sido totalmente salvos. É assim como Jesus Cristo tem salvado toda a humanidade. É por isso que nosso Deus disse, “Todo o que o Pai me dá virá mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.” (João 6:37).

Quando dizemos que cremos em Jesus, não só cremos em sua personagem, não só em sua onipotência. Mas sim, somos salvos crendo em Cristo, pelo fato de que Ele é Deus, que veio a esta terra, tomou todos os seus e os meus pecados sobre Si mesmo com o Seu batismo, e foi crucificado sobre a Cruz por amor a nós. Quando olhamos à salvação manifestada no Tabernáculo, se faz tão transparente a nós quão exata é a fé correta que devemos ter quando professamos crer em Jesus.

Hoje, existem muitas pessoas que somente creem no sangue da Cruz, cantando incessantemente, “Por acaso serás livre de sua carga? Há poder no sangue, poder no sangue?”, e, cegamente, gritam, em seu próprio desejo, “Senhor eu creio!” Não importa quão ardente creiam em Jesus, nunca poderão ser livres dos seus pecados crendo somente no sangue da Cruz.

Porque somos de tal forma que nunca poderemos ser livres dos nossos pecados através de toda a nossa vida, absolutamente necessitamos do Senhor, e este Salvador não é nenhum outro senão Jesus Cristo. Jesus Cristo que veio libertar a mim e a você é o Salvador, o Rei dos reis, o Criador que fez todo o Universo e tudo o que nele há, e é o Senhor de nossas vidas. Ele veio a esta terra, tomou os nossos pecados sobre Si mesmo com o Seu batismo, Ele nos limpou dos nossos pecados morrendo na Cruz. Em outras palavras, somos salvos crendo em Jesus Cristo, que carregou toda a condenação dos nossos pecados com o Seu batismo e Cruz, como o nosso Salvador. Isto é o que a porta do Tabernáculo está clara e definitivamente nos mostrando.


As Pessoas que Creem em Jesus Só Religiosamente

Nestes dias, as pessoas afirmam que podem ser salvas só crendo no sangue da Cruz. O fazer tais afirmações vazias não é nada mais do que uma amostra de suas fés religiosas. Essas pessoas dizem, “quando eu fiz minhas orações de arrependimento a Deus, o Espírito Santo falou ao meu coração, ‘meu filho, Eu perdoei os seus pecados’. Quão agradecido estive quando ouvi à sua voz!” Fazem tais afirmações dizendo que essas crenças são os seus testemunhos de fé.

Mas a nossa salvação não veio por nossos próprios sentimentos emocionais. Mas sim, somos salvos através de todas as dimensões da nossa personalidade: conhecimento, emoção e vontade. Devemos ser salvos, em outras palavras, conhecendo primeiro como o Deus Salvador nos salvou, e, então, crer nEle. Mas, o que há com as religiões? As religiões não são nada mais do que instituições feitas por homens, construídas sobre os próprios pensamentos das pessoas.

Até muito, em minha família, minha mãe era cozinheira. Eu costumava ser o seu assistente, seguindo-a por toda a cozinha, perguntando o que precisava – porém, menos que Jacó na Bíblia, quando minha mãe estava ocupada preparando a refeição. Minha mãe e eu costumávamos formar uma combinação fantástica. Levantando-me de manhã acendíamos o fogo, preparávamos a mesa, e, depois da comida, varríamos o piso da cozinha com uma vassoura. Toda a tarefa da manhã era finalizada com esta vassoura.

Esta não era uma cena estranha na Coreia desses dias. Mas a coisa mais interessante era que esta mesma vassoura, que foi usada para limpar o chão da cozinha, se transformaria, de repente, em um “deus” que ostensivamente nos daria qualquer coisa que nós pedíssemos. Em outras palavras, havia pessoas que, de fato, oravam a esta vassoura velha. Tais absurdos eram frequentes em nossas vidas; não só isto, mas sempre que havia um pouco de infortúnio na família ou no bairro, nós chamávamos um “Xamã” para fazer feitiçarias. Porque as pessoas tinham crenças panteísticas e criam que os “deuses” estavam em todos os lugares, não só esta vassoura, que era usada para limpar o chão, poderia se transformar em um “deus”, mas também tábuas ancestrais, nas quais, os nomes de seus antepassados estavam escritos, uma pedra grande para cima na colina, ou, praticamente, qualquer coisa que os olhos vissem podia se tornar em um “deus”. 

Hoje em dia, com o passar do tempo, as pessoas têm saído gradualmente deste tipo de ignorância, mas, naquele tempo, era um acontecimento frequente que quase fazia qualquer coisa virar um “deus”. Assim, um dos negócios mais prósperos daquele tempo era, com certeza, a feitiçaria. Eu me lembro de ver bruxas que recitavam feitiços incompreensíveis enquanto executavam feitiçarias. Eu imitava o modo das bruxas de fazer feitiços, dizendo, “Abracadabra, Abracadabra, que a luz do dia venha, que a luz do dia venha, tudo é meu quando a luz do dia vem”. O barril de abóbora estava quebrado por causa da falta de devoção. “Abracadabra, abracadabra”. Eu não tinha nenhuma ideia, claro que não, do que elas queriam dizer. 

Quando tal feitiçaria era executada, em uma das casas do bairro, todos da aldeia inteira se reuniam para ver isto. O ponto culminante do evento era quando a cabeça de um porco morto era cheia com bilhetes, e riam-se sem ter uma ideia daquilo. Quantos mais bilhetes colocavam, mais se determinava os feitiços da bruxa e a sua potência. Esta feitiçaria continuava ao longo da noite inteira, até que a manhã chegasse. 

Entre minhas amizades, de antes, havia um que afirmava ser possuído por um fantasma virgem. Ele afirmava que podia expulsar quase todos os demônios, porque estava possesso por um fantasma virgem - fantasmas virgens supostamente tinham mais poder do que os outros. Ele dizia que se enfrentasse um demônio mais poderoso, ele poderia ser estrangulado em lugar de expulsar este demônio, mas afirmava, não obstante, que podia expulsar toda variedade de demônios. Ele não era nenhum outro senão um feiticeiro. 

Ele passava o seu tempo, ordinariamente, como qualquer outro, mas sempre que alguém lhe pedia que realizasse um exorcismo, ele mudava às suas roupas, colocava um traje de feiticeiro e realizava seu show espetacular. Porque os corações das pessoas estão ocupados por tais superstições, elas seguem esses tipos de religiões primitivas, que não têm nada a ver com a Palavra de Deus, e acabam crendo em todos os tipos de coisas loucas e vergonhosas. 

Em outras palavras, as pessoas têm criado suas próprias religiões pessoais. Como na história anterior, elas inventavam seus próprios “deuses”. Porque as pessoas têm este tipo de instinto, até mesmo como cristãos, quando lhes estão falando que Jesus foi crucificado por elas, elas também podem ser subjugadas facilmente pelas suas próprias emoções em cima disto, e acabam obcecadas e crendo cegamente nEle. E quando lhes é dito que Jesus é o Filho de Deus e o Criador que fez o Universo inteiro, elas gostam, e uma vez mais creem incondicionalmente. Elas também amam ouvir, eu sou o caminho, a verdade e a vida. “Ninguém vem ao Pai senão por mim,” e, contudo, novamente, creem nisto, incondicionalmente, sem qualquer real compreensão. Porque nenhuma Palavra de Deus é errada, até mesmo quando elas escutam a boa Palavra pela primeira vez, tudo aquilo que elas dizem é que elas amam a Jesus.

Mas Jesus virá julgar estas pessoas cujos corações ainda permanecem pecadores apesar de professarem às suas fés em Jesus. Ele também virá levar embora esses que creem no evangelho da água e do Espírito. A maioria das pessoas que são ignorantes da verdade do evangelho da água e do Espírito e só creem em Jesus baseadas nos seus próprios pensamentos, perceberão, aproximadamente 10 anos depois, eventualmente, que começaram às suas vidas religiosas, que elas, realmente, são pecadoras incapazes de viver de acordo com a Lei de Deus. 

Também, eu cria arbitrariamente em Jesus. Eu cantava louvores por todo o tempo, simplesmente jubiloso por ter encontrado a Cristo. Mas, depois de conhecer Jesus, eu conheci à Lei, e, então, soube dos meus pecados. Conhecendo os meus pecados, eu percebi, então, que haverá juízo eterno pelos pecados, e, como resultado, os sofrimentos dos pecados seguiriam. 

Portanto, para resolver estes sofrimentos pelos pecados, eu oferecia minhas orações sinceras de arrependimento. Porém, tal fé era igual às crenças supersticiosas com que as pessoas oravam a todas as coisas para serem abençoadas. Porque meu coração estava tão preocupado, depois que eu vim a conhecer à Lei escrita na Palavra de Deus e percebi os meus pecados, eu pensei que eu tivesse que dar minhas orações de arrependimento, e, que, tais orações de arrependimento trariam algum alívio emocional para mim. Mas os pecados ainda permaneciam em minha consciência, e descobri que a minha alma ainda estava na escravidão dos pecados, e continuava sofrendo. 

Deste modo, não foi porque eu estava atado por meus pecados que eu vim a crer no amor de Jesus, mas foi porque eu tinha crido em Jesus que eu vim a perceber os meus pecados, e foi depois que eu percebi os meus pecados que o sofrimento veio a mim. “Eu devo ter crido em Jesus tão cedo”, ainda pensei, e acabei resistindo porque conheci tão cedo a Jesus em minha mocidade. Ainda não pude deixar simplesmente de crer em Jesus. E, assim, para quebrar essa escravidão dos pecados, eu dei às minhas orações de arrependimento, mas sem proveito, porque estas orações fizeram pouco para, fundamentalmente, resolverem os meus problemas. 

As pessoas comuns não estão atentas para os pecados que elas cometeram, e até mesmo quando ainda os estão cometendo, mas quando começam a ir à Igreja elas ouvem falar da Lei e compreendem os seus pecados, e elas veem que estão presas neles. Assim, elas tentam, primeiramente, resolver os problemas dos seus pecados oferecendo orações emocionais de arrependimento, porém, por mais que o tempo passe, mais elas percebem que estão presas nos seus pecados e devem ser perdoadas deles. 

Não importa o quanto elas pedem nas suas orações de arrependimento, e, por mais que orem mais se dão conta dos seus pecados, longe de desaparecerem, e que se tornam, até mesmo, mais claramente revelados e lembram ainda mais da sua presença. Deste ponto em diante, as vidas religiosas de tais pessoas ficam tortuosamente dolorosas e continuam sofrendo. Elas desejam saber, “eu me senti tão bem quando eu cri pela primeira vez, mas, agora, por que eu me sinto pior do que há 5 ou 10 anos passados? Por que eu estou tão aborrecido?” Percebem, então, que às suas convicções de salvação, que tinham sido sustentadas tão firmemente quando creram pela primeira vez, já não estão mais ali. Pensando que se tornaram mais pecadoras depois de crerem em Jesus, elas recorrem a acomodar todos os tipos de doutrinas às suas convicções, e terminam sendo religiosas. 

Por estas pessoas ignorarem a verdade, de que Jesus as salvou dos seus pecados com os fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido, elas terminam se tornando meras religiosas, no final das contas. Embora elas professem crer em Jesus, elas ainda estão preocupadas, porque os seus corações não têm nenhuma paz. Tais pessoas não têm nem mesmo recursos para mudarem a um deus diferente, porque ainda que tentassem, elas já sabem que crer em qualquer coisa diferente do próprio Deus é estar cometendo idolatria. Porque elas sabem claramente que só Jesus é o Filho de Deus e que só Ele é o próprio Deus, e que só Ele é o seu Salvador, nem sequer podem crer em um deus diferente. E ainda porque elas não sabem a verdade, elas vivem sofrendo, sempre aborrecidas pelos seus pecados. 

É por isto que elas têm que saber e crer em Jesus Cristo, que veio pelos fios, azul, roxo, escarlate e pelo tecido de linho retorcido. Estes cristãos que terminaram se convertendo em religiosos sabem que Jesus é o Rei, que Ele derramou o Seu sangue na Cruz, e que a Palavra da Bíblia é a Palavra de Deus. 

Porém, o que elas não sabem é que Jesus não só levou os pecados delas, mas também todos os pecados do mundo nEle com o Seu batismo, e esta ignorância é a razão por que eles estão vivendo ainda como pecadoras enquanto professam à sua fé, e o porquê deles todos, no final, irem para o lugar reservado para os pecadores. Porque tais religiosos cristãos não têm nenhuma ideia de como Jesus exatamente se encarregou dos seus pecados, eles creem nas suas próprias emoções sempre que estas surgem. Como resultado, a realidade atual não coincide com o que eles creem, são como um cego que tenta entender um elefante tocando às suas partes. É por isto que eles estão completamente inconscientes ao que está errado com a fé que possuem, e é por isto que mais uma vez terminam em confusão. 


O que Aconteceria Conosco Se não Crêssemos Na Verdade do Fio Azul? 

O que aconteceria se fôssemos crer em Jesus como nosso Salvador, mas omitíssemos o fio azul da porta do Pátio do Tabernáculo? Quando Deus ordenou que construíssem a porta do Pátio do Tabernáculo, tecendo com os fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido, o que Ele teria dito se Moisés tivesse falado aos Israelitas para construírem a porta somente com os fios roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido e se os Israelitas realmente tivessem completado, deste modo, a porta? Deus teria aprovado isto como sendo a porta do Seu Tabernáculo? Ele nunca teria aprovado isto como tal. Porque Deus disse para os Israelitas que construíssem a porta do Tabernáculo com os quatro fios de cores diferentes, se não fosse construído adequadamente, nunca poderia ser chamada como a porta do Tabernáculo. Nenhum dos quatro fios poderia ser omitido. 

A porta do Pátio do Tabernáculo teve que ser tecida de fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. Porque Jesus, o próprio Deus, veio a esta terra como o nosso Salvador na semelhança de homem, levou todos os pecados do mundo no Seu próprio corpo, morreu na Cruz, ressuscitou de entre os mortos, e lavou os nossos pecados, deixando-nos, assim, tão brancos quanto à neve, e, portanto, é por confiar e crer neste Jesus Cristo que nós fomos libertos dos nossos pecados. As cores da porta do Tabernáculo nos falam como nós temos que crer em Jesus para sermos salvos dos nossos pecados. Esses que creem na verdade manifestada na porta do Tabernáculo têm sido salvos dos seus pecados. Todos eles têm recebido à remissão dos seus pecados, tão brancos quanto à neve. Jesus Cristo lavou os seus e os meus pecados, tornando-os tão brancos quanto à neve. Jesus Cristo se tornou o real Salvador seu e meu. 

Esta é a mesma verdade manifestada na porta do Tabernáculo. Ainda há muitas pessoas, hoje, que não creem na implicação do fio azul, até mesmo quando elas professam crer nos fios, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido. 

Ao fazer uma pesquisa preliminar para escrever este livro, eu fui uma vez a uma livraria Cristã. Lá eu achei alguns livros sobre o Tabernáculo escritos por alguns dos líderes cristãos mais famosos. Porém, alguns nem sequer mencionam a porta do Pátio do Tabernáculo, enquanto outros faziam afirmações infundadas como a seguinte: “O que nos diz dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido do Pátio do Tabernáculo? Azul é a cor do Céu, e, portanto, nos diz que Jesus é Deus. Escarlate se refere ao sangue precioso que Jesus derramou na Cruz quando Ele veio a esta terra. Roxo nos fala que Ele é o Rei”. 

Este tipo de interpretação está muito longe da realidade. Que Jesus é Deus se nos diz pelo fio roxo. Quando Deus já nos tinha dito pelo fio roxo que Jesus é o Rei dos reis e Senhor dos senhores, por que Ele repetiria isto novamente com o fio azul? É porque estas pessoas não conhecem o mistério do fio azul, pelo qual, elas não têm interpretado isto corretamente. 

Porque elas conhecem somente o sangue da Cruz, elas colocam uma grande ênfase no fio escarlate. Quando nós vemos os desenhos da porta do Tabernáculo, nós vemos que as cores dominantes são o branco e as cores vermelhas. Quando as quatro cores dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido, são mostrados, claramente, na porta do Pátio do Tabernáculo, os seus desenhos só mostram escarlate e fios brancos, com algo de fio roxo, mas nada de fio azul?

Há tantas pessoas agora neste mundo que falam de tal fé insustentável sem perceber a verdade do fio azul. Há tantos no tempo de hoje que afirmam que só podem ser salvos crendo no sangue de Jesus na Cruz, e não percebem que Jesus já levou todos os nossos pecados do mundo sobre Si mesmo com o Seu batismo de uma vez por todas e que, também, já levou à nossa condenação. Os corações de tais pessoas sempre permanecem cheios de pecados. Hoje, amanhã, e mais além - de fato, até que essas pessoas morram - tais pessoas permanecem atormentadas já que não podem ser libertas da sua pecaminosidade. Assim, algumas pessoas confessam, “eu sou um pecador diante de Deus até que eu morra”. Mas será esta, realmente, a fé certa, que eles permaneçam como pecadores até à sua morte, mesmo crendo em Jesus? 

Então, depois de crer em Jesus, exatamente quando nós ficamos justos? O Céu não é um lugar reservado para esses que ficaram sem pecados crendo no batismo e no sangue de Jesus? Realmente o Céu é um lugar para o justo, e não para o pecador. Só os justos que definitivamente foram salvos dos seus pecados e que ficaram sem pecados podem entrar no Céu. 

Esses que se declaram pecadores até à morte, ainda que creiam em Jesus, não têm nenhuma convicção da sua salvação, não importando quantas vezes eles confessem suas fés nEle, porque eles são ignorantes dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. Até mesmo quando eles creem em Jesus e oram a Ele, eles não têm nenhuma convicção de que às suas orações serão respondidas. Embora eles creiam em Jesus, eles nem são ajudados e nem amados por Ele. Podem se sentir amados enquanto mostram às suas devoções emocionais, mas quando saem da sua devoção, eles se sentem como se tivessem sido abandonados por Deus, como se fossem odiados por Ele. Eles pensam que Deus só os ama e os abençoa quando eles dão às suas ofertas de devoção a Ele, e que Ele já não os ama quando eles não Lhe dão às suas ofertas. Quando eles chegam aos tempos difíceis, pensam que Deus os odeia, e são incapazes de entender por que eles têm que passar por tais tempos difíceis, e, no final das contas, acabam culpando-O pela sua miséria e já não creem mais nEle. 

Ao final, a confiança entre tais pessoas e Deus é quebrada. Porque a fé que possuem é um produto dos seus próprios pensamentos e emoções, e são muito arbitrários, precários, e errados. Quando vamos a Deus, nós temos que pôr de lado as nossas emoções. Quando nós vamos a Deus, nós só temos que ir com a nossa fé que claramente crê na verdade de que Jesus Cristo nos salvou com o Seu batismo e sangue, e que estávamos destinados ao inferno por causa dos nossos pecados. Diante da Palavra de Deus e da Palavra da Lei, diante do evangelho da água e do Espírito, e, também, com as nossas consciências temos que reconhecer claramente que nós éramos aqueles que não podiam evitar serem condenados ao inferno, sem exceção. Só quando nós aprendemos, cremos e confiamos em quão pecaminosos nós realmente somos e como Deus nos salvou dos nossos pecados podemos perceber que Jesus Cristo Se tornou o nosso verdadeiro Salvador. 


Só pela Verdadeira Fé Podemos Receber o Presente da Salvação

Então, você e eu temos que perceber que somos salvos dos nossos pecados crendo nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido, e nunca fazendo ações virtuosas de nós mesmos. E temos que saber e crer que, para sermos salvos dos nossos pecados, Jesus Cristo veio a esta terra por nossa causa, e isto está muito claro nesta verdade das quatro cores. Ele prometeu no Antigo Testamento vir como o Messias, e da mesma maneira desta promessa, Ele realmente veio a esta terra, e, com o Seu batismo, levou os nossos pecados e os pecados de toda a humanidade de uma vez por todas nEle. Deste modo, Ele levou estes pecados do mundo à Cruz, foi crucificado, derramou o Seu sangue precioso, e morreu depois de proferir, “Está consumado!” (João 19:30), e ressuscitando de entre os mortos ao terceiro dia, Ele testemunhou durante 40 dias e ascendeu à direita do Trono de Deus, prometendo voltar. Nós temos que crer nisto. 

“Eu definitivamente os salvei com os Meus ministérios dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. E voltarei para levar aqueles que creem nesta verdade de salvação. Eu também lhes darei o direito de se tornarem os filhos de Deus. Para esses que creem nesta verdade nos seus corações, Eu limparei os seus pecados e os farei brancos como a neve, Eu lhes darei o Espírito Santo, e Eu lhes farei meus próprios filhos.” Isto é o que nosso Deus nos diz.

Nós temos que crer nesta Palavra. Nosso Deus já cumpriu estas promessas, e Ele está trabalhando, de fato, nas vidas desses nesta terra. Ele protege esses que creem nesta verdade e a testemunham. Assim é como nós fomos salvos pelas obras de nosso Senhor Jesus, e, pelo Seu batismo e sangue, habitamos na Graça, proteção e amor de Deus, e vivemos a vida dos justos. É por crer que Ele nos salvou que nós fomos libertos de todos os nossos pecados.

Quando este livro do Tabernáculo for traduzido em todos os idiomas do mundo, eu estarei seguro de que as pessoas do mundo inteiro serão salvas de seus pecados através de sua fé na verdade. Esses que afirmam que a remissão dos pecados só vem pelo sangue de Jesus já não poderão fazer tal afirmação, mas, eles virão a perceber quão falsas eram as suas afirmações. Eles já não poderão se agarrar a algo falso e afirmar que esta é a salvação. Eles nunca poderão dizer que só podem ser salvos crendo somente no sangue de Jesus. 

Na porta do Pátio do Tabernáculo se encontra o evangelho da água e do Espírito, a Palavra clara da salvação dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido. Porque esta é a Palavra que Deus prometeu e profetizou no Antigo Testamento, e Deus tem mantido esta promessa no Novo Testamento cumprindo à salvação de todos os nossos pecados com o Seu batismo e crucificação, e por nós crermos neste presente de salvação em gozo e gratidão, podemos todos receber à remissão eterna dos pecados. 

Esta é a Palavra que é tão fácil e perfeita, mas que, ao mesmo tempo, é a verdade que não pode ser entendida nem sequer com todo o conhecimento do Universo inteiro, se você não tiver a pura fé na Sua Palavra. Isso é por que nós temos que crer na Palavra dEle como é. Porque é uma verdade tão preciosa que não podemos nos dar ao luxo de permanecer na ignorância, você e eu temos que crer da forma correta no evangelho da água e do Espírito. Ensinando-nos à verdade dos fios, azul, roxo, escarlate e do tecido de linho retorcido, manifestados gratuita e facilmente no Tabernáculo, Deus nos permitiu ter este presente inestimável de salvação com a nossa fé. 

Você e eu, igualmente, que cremos nesta verdade, damos toda a nossa gratidão a Deus por Seu amor verdadeiro. Ainda há muitos que permanecem ignorantes da real verdade dos fios, azul, roxo e escarlate, e que estão ensinando e guiando pessoas para os seus falsos caminhos. Também, a eles queremos compartilhar esta verdade. A esses cujos corações estão atormentados pela sua ignorância da verdade, nós pregamos este evangelho da verdade da água e do Espírito, querendo que sejam livres dos seus pecados e entrem pela porta da salvação. Quando pregarmos a verdade do Tabernáculo, esses que creem nisto serão salvos, mas esses que não creem serão condenados pelos seus pecados. Se nós decidimos crer em Jesus, temos que crer nEle sabendo a verdade dos fios, azul, roxo e escarlate. 

Ninguém sabe a verdade dos fios, azul, roxo e escarlate desde o princípio. Deus nos disse, “e conhecereis a verdade e ela os libertará,” (João 8:32). O que é a verdade? A verdade é o verdadeiro evangelho (Efésios 1:13), que é, o evangelho da água e do Espírito manifestado nos fios, azul, roxo e escarlate. Conhecer os fios, azul, roxo e escarlate corretamente e crer neles é a fé correta na verdade. 

Por que Deus disse que a verdade nos fará livres? Como você foi salvo dos seus pecados? Crendo nos fios, azul, roxo e escarlate, você foi salvo não só de todos os seus pecados, mas seu coração também está sendo habitado pelo Espírito Santo? Do seu coração e consciência, desapareceram os seus pecados sem dúvida alguma? Você realmente crê e pode confessar no mais profundo do seu coração que Deus é o seu Pai? Saiba que Deus só reconhece a esses que estão sem pecados como os filhos dEle, Ele só aprova a fé desses que conhecem e creem nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido na porta do Pátio do Tabernáculo. Pecadores não são filhos de Deus; só os nascidos de novo que creem no evangelho da água e do Espírito, o único evangelho que Deus nos deu, são os filhos de Deus Pai. 

Embora enfrentemos muitas dificuldades, tribulações e sofrimentos enquanto vivemos neste mundo, porque Deus habita conosco, nós estamos felizes. Embora sejamos insuficientes, nós estamos vivendo às nossas vidas santificadas, crendo na justiça de Deus e pregando por todo mundo o evangelho dos fios, azul, roxo e escarlate, o evangelho que nos dá a justiça de Deus. 

Eu sou grato a Deus, acima de tudo, pelos fios, azul, roxo e escarlate. Quando eu cri em Jesus pela primeira vez, sem me importar com quanta devoção estava crendo, o meu coração ainda permanecia pecador, e fui grandemente atormentado por causa disto. Sem me importar com quanta sinceridade eu tinha professado crer que Jesus, o pecado continuava claramente presente em minha consciência. A pessoa pode descobrir se é pecadora ou não diante de Deus olhando para dentro da sua própria consciência. Em outras palavras, esses que ainda têm pecados escritos em suas consciências são aqueles que ainda não puderam receber à remissão dos seus pecados. Se as consciências deles ainda tiverem o menor de todos os pecados, esta é a evidência de que eles não receberam a remissão dos pecados. 

Porém, quando eu não podia conhecer a verdade que resolveria todos os problemas dos meus pecados, ainda o mais minúsculo de todos, e quando todos os tipos de perguntas surgiram como resultado em meu coração, Deus me encontrou pela Sua Palavra dos fios, azul, roxo e escarlate. 

Esta Palavra estava na passagem do Evangelho de Mateus que nós lemos, previamente. Enquanto lia Mateus 3:13-17, cheguei a esta passagem, “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” (Mateus 3:15). Eu percebi e cri, então, que quando Jesus foi batizado e saiu da água, Deus testificou à Sua justiça, e toda a justiça foi cumprida já que todos os pecados foram eliminados por este batismo de Jesus. 

Quando Jesus Cristo foi batizado por João, todos os meus pecados foram passados claramente sobre Ele, e, imediatamente, eles foram todos resolvidos na Cruz. No mesmo momento eu percebi e cri na razão por que Jesus foi batizado, todos os problemas e as perguntas acerca dos meus pecados foram solucionadas, já que todos os meus pecados foram retirados de mim. Eu estava tão grato por esta verdade da remissão dos pecados, pelo fato de que eu recebi esta remissão dos pecados conhecendo e crendo no evangelho da água e do Espírito, a verdadeira Palavra de Deus. 

O Senhor Jesus veio a mim pela Sua Palavra escrita, e eu recebi à remissão dos meus pecados por esta Palavra da água e do Espírito, crendo nisto em meu coração. Dali em diante, pela Palavra do Antigo Testamento e do Novo Testamento, eu tenho testemunhado o evangelho dos fios, azul, roxo e escarlate a muitas pessoas, e, como agora, estou continuando a proclamar todas estas verdades e mistérios da salvação. O verdadeiro evangelho não é algo feito pelos próprios pensamentos dos seres humanos, doutrinas, ou experiências emocionais. 

Com os fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido, nosso Deus destruiu os nossos pecados. Pelos fios, azul, roxo e escarlate, todos, em todo o mundo, podem perceber a verdade da salvação e reconhecer que esta verdade não era nenhuma outra coisa senão o evangelho da água e do Espírito. Esta também é a verdade que, absolutamente, se necessita nestes últimos tempos, incontáveis são as pessoas que estão crendo nesta verdade.

A atualidade é uma era onde a justiça das pessoas está se desfazendo e suas maldades correm por todos os lados separadamente. Quando as condições que nos rodeiam se deterioram, as pessoas derramam a maldade que, fundamentalmente, se encontra nelas. Apesar disto, nosso Senhor salvou a mim e a você dos nossos pecados pelo evangelho dos fios, azul, roxo e escarlate. Há gratidão por estas bênçãos que não têm preço? Eu agradeço ao nosso Senhor Jesus por esta clara salvação, porque estou transbordando com gozo e felicidade. 

O mundo está agora indo em direção aos tempos finais preditos por Deus, e já entrou nesta era. Em tempos assim, quando há menos e menos pessoas que servem ao Senhor Jesus com devoção, e quando até mesmo a fé dos crentes está debilitada, se você tentar se dedicar a algo diferente do que a verdade da água e do Espírito, você só terminará com feridas em seu coração. Ao crer em Deus, se você não crer no evangelho dos fios, azul, roxo e escarlate, você só se decepcionará, e já não deixará nada significativo em seu coração, como não produzirá frutos tangíveis.

A verdade do evangelho das quatro cores do Tabernáculo, os fios, azul, roxo, escarlate e o tecido de linho retorcido, é a verdade clara, e, é o melhor e único evangelho para este mundo escuro. Que vivamos nossas vidas tendo recebido a remissão dos nossos pecados conhecendo e crendo na verdade manifestada no Tabernáculo, pois esta é uma bênção inestimável, um presente precioso, e uma grande felicidade para nós. 

Para esses que conhecem e creem, na verdade, dos fios, azul, roxo e escarlate e do tecido de linho retorcido, manifestada na porta do Tabernáculo e estão servindo à verdade e não ao falso evangelho, em grande gozo se encontram os seus corações. 

Você também conhece e crê nesta verdade revelada na porta do Pátio do Tabernáculo? Você tem que conhecer e crer nisto.

Voltar para a Lista