Estudo sobre o Tabernáculo

Os Sermões em Assuntos Importantes por Rev. Paul C. Jong

 

Os Mistérios Espirituais Escondidos na Arca do Concerto < Êxodo 25:10-22 >



< Êxodo 25:10-22 >

“Também farão uma arca de madeira de acácia; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura de um côvado e meio, e de um côvado e meio a sua altura. E cobri-la-á de ouro puro; por dentro e por fora a cobrirás; e farás sobre ela uma coroa de ouro ao redor; E fundirás para ela quatro argolas de ouro, e as porás nos quatro cantos dela, duas argolas num lado dela, e duas argolas noutro lado. E farás varas de madeira de acácia, e as cobrirás com ouro. E colocarás as varas nas argolas, aos lados da arca, para se levar com elas a arca. As varas estarão nas argolas da arca, não se tirarão dela. Depois porás na arca o testemunho, que eu te darei. Também farás um propiciatório de ouro puro; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura de um côvado e meio. Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório. Farás um querubim na extremidade de uma parte, e o outro querubim na extremidade da outra parte; de uma só peça com o propiciatório, fareis os querubins nas duas extremidades dele. Os querubins estenderão as suas asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma defronte da outra; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório. E porás o propiciatório em cima da arca, depois que houveres posto na arca o testemunho que eu te darei. E ali virei a ti, e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel”.


The ark of the Testimony

O tópico de hoje é a Arca do Concerto. A Arca do Concerto media 113 cm. de comprimento, 68 cm. de largura, e 68 cm. de altura, era feita de madeira de acácia e revestida com ouro puro. Dentro desta Arca, existiam duas placas de pedra gravadas com os Dez Mandamentos e um vaso dourado de maná, e a vara brotada de Arão estava junto deles. O que, então, estes três artigos colocados dentro da Arca do Concerto nos dizem? Por estes artigos, eu gostaria de dar uma explicação completa dos três ministérios de Jesus Cristo. Vamos agora examinar a verdade espiritual manifestada nestes três artigos colocados dentro da Arca do Concerto.


As duas Tábuas de Pedra Gravadas com a Lei

The ark of the testimony

As duas tábuas de pedra gravadas com a Lei, colocadas dentro da Arca do Concerto, nos dizem que Deus é o Legislador que nos deu às Suas leis. Romanos 8:1-2 afirma, “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte”. Desta passagem, nós podemos ver que Deus estabeleceu duas leis em nossos corações: a lei da vida e a lei da condenação.

Com estas duas leis, o Senhor Deus trouxe a condenação e a salvação para todos. Em primeiro lugar, nós podemos reconhecer pela Lei que nós somos pecadores inevitavelmente destinados ao inferno. Porém, àqueles que reconhecem às suas próprias naturezas pecadoras e admitem que estão destinados à condenação, Deus lhes deu a Sua lei de salvação, a “lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus”. Deus se tornou o Salvador verdadeiro para todos lhes dando estas duas leis. 


O Maná Contido no vaso Dourado

O vaso dourado que também estava na Arca continha o maná. Quando o povo de Israel passou 40 anos no deserto, Deus trouxe para eles comida dos céus, e os Israelitas viveram deste maná que podia ser cozido de várias formas. Era como o grão de coentro branco e o seu gosto era como de hóstias feitas com mel. Este maná que Deus deu ao povo de Israel sustentava às suas vidas e era acondicionado em um vaso.

Isto nos diz que, hoje, os crentes também deveriam comer o pão da vida eterna, e que os filhos espirituais de Deus deveriam se alimentar dele diariamente pelo tempo em que estivessem neste mundo até o dia em que fossem entrar no Céu. Mas houve tempos quando queríamos apenas o pão do mundo, isto é, os ensinos deste mundo em vez da Palavra de Deus. Ainda hoje os filhos de Deus deveriam viver para alcançar a terra espiritual de Canaã, por meio da Palavra de Deus que contém o pão espiritual da vida verdadeira que desceu do Céu. 

Um cristão nascido de novo nunca se cansaria de receber o pão verdadeiro da vida. Quanto mais recebemos deste pão espiritual, mais as nossas vidas e almas se tornam verdadeiras. Mas se nos alimentarmos com o pão dos ensinos do mundo em vez da Palavra de Deus, nossas almas finalmente acabarão mortas.

Deus ordenou ao povo de Israel pôr o maná que desceu dos céus em um vaso e ali o manter. Como mostrado em Êxodo 16:33, Deus disse, “Toma um vaso, e põe nele um gômer cheio de maná, e coloca-o diante do SENHOR, para guardá-lo para as vossas gerações”. O maná que desceu dos céus era o pão da vida verdadeira para as almas das pessoas. “E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do SENHOR viverá o homem”. (Deuteronômio 8:3).


Qual Então é a Verdade da Vida para Nós?

O batismo que Jesus Cristo recebeu transferiu para Ele os nossos pecados. O Seu corpo, a Sua crucificação e a Sua morte são o nosso pão da vida verdadeira. Com a Sua carne e o Seu sangue, Jesus Cristo se tornou o nosso pão da vida eterna. Em João 6:48-58 lemos: “Eu sou o pão da vida. Vossos pais comeram o maná no deserto, e morreram. Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra. Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como nos pode dar este a sua carne a comer? Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre”.

Nosso Senhor Jesus disse, “Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre”. Qual é, então, “o pão que desceu do céu?”. É a carne e o sangue de Jesus. Na Bíblia, a carne de Jesus nos diz que Ele tomou os pecados do mundo sendo batizado por João Batista no Rio Jordão. E o sangue de Jesus nos diz por que Ele foi batizado, que Ele levou os pecados do mundo e carregou toda a condenação de pecados sendo crucificado.

O maná contido no vaso que foi colocado dentro da Arca do Concerto era o pão de vida para os Israelitas enquanto estavam no deserto, e na época do Novo Testamento, seu significado espiritual se refere à carne de Jesus Cristo. Esta verdade nos mostra o batismo pelo qual Jesus Cristo tomou todas as iniquidades de todos os pecadores e o sangue que Ele derramou na Cruz. Por ter Jesus Cristo tomado todos os pecados deste mundo em Seu corpo por Seu batismo e derramado o Seu sangue até morrer na Cruz, Seu batismo e morte se tornaram o perpétuo manancial de nova vida que habilita os crentes a nascerem de novo. 

A carne que Jesus Cristo renunciou para tomar as iniquidades dos pecadores por Seu batismo e por Seu sangue derramado na Cruz é o pão de vida que habilita todos os pecadores a receberem a remissão de pecados. Nós devemos, então, compreender a razão por que Jesus Cristo disse, “Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos”. (João 6:53).


Quem É Maior?

Quando nós olhamos para João 6, podemos ver que a maioria dos judeus daquela época consideravam ser Moisés maior do que Jesus. Quando Jesus veio a esta terra, eles perguntaram a Ele, “Você é maior do que nosso pai Moisés?”. De fato, eles consideravam Moisés ser o maior de todos. Por terem falhado em reconhecer o Senhor Jesus como o Messias, os judeus não viam Nele beleza alguma. Então eles o desafiaram perguntando, “Você é maior que Moisés?”. O povo de Israel cria em Jeová Deus, e, então, lhes surgiu um homem jovem de somente 30 anos de idade, afirmando, “Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram”. Por isto é que eles vieram a comparar o poder dos dois, Moisés e Jesus. 

Como Jesus declarou mais tarde, “Antes de Abraão existir, Eu sou,” Ele é maior do que qualquer outro ser humano da história da humanidade inteira, Ele mesmo é o Criador. Quão meras criaturas poderiam ousar desafiar o seu Criador? Mas, mesmo assim, ainda hoje há pessoas que dizem ser Jesus Cristo nada mais do que um grande mestre, sendo meramente um dos grandes sábios da história da humanidade. Que blasfêmia! Jesus Cristo é Deus, é o Rei dos reis e o Criador de todo o universo. Ele é onipotente e onisciente. Mas, ainda assim, Ele se humilhou e veio a esta terra na semelhança de homem para nos salvar de todos os nossos pecados e da morte eterna, se tornando o nosso verdadeiro Salvador. Jesus Cristo disse, “Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim. Não que alguém visse ao Pai, a não ser aquele que é de Deus; este tem visto ao Pai”. No final, em última instância, Jesus estava dizendo que Ele é o Cristo que os judeus estavam esperando. Mas eles falharam em entender o que Jesus estava dizendo, ninguém foi capaz de crer e aceitar, e resultou em um sério engano, e eles se perguntaram, “Como este nos pode dar a sua carne a comer? Você está dizendo que nós atingiríamos a vida eterna se nós realmente comêssemos a sua carne e bebêssemos o seu sangue? Você pensa que nós somos um tanto quanto canibais aqui?”.

Mas aqueles que comem a carne de Jesus Cristo e bebem o Seu sangue viverão para sempre. A carne de Jesus é o pão da vida eterna. A essência real do maná que foi colocado neste vaso, o pão da vida eterna, é a carne e o sangue de Jesus Cristo. Vindo a esta terra e renunciando à Sua carne e sangue, Jesus nos permitiu comer o pão de vida e receber a vida eterna.

Como, então, todo mundo pode comer a carne de Jesus e beber o Seu sangue? O único caminho para comer a carne de Jesus e beber o Seu sangue é crer no batismo de Jesus e no Seu sangue vertido na Cruz. Nós devemos comer a carne de Jesus e beber o Seu sangue pela fé. Para nos dar a remissão de pecados e nos permitir viver para sempre no Seu Reino Celestial Eterno, o nosso Senhor Jesus eliminou os nossos pecados de uma vez por todas sendo batizado e derramando o Seu sangue, e, assim, Ele se tornou o alimento para as nossas almas. Agora, crendo na Palavra de Deus por meio da água e do Espírito, nós devemos comer o alimento espiritual e receber a vida eterna.

Deixe-me testemunhar em mais detalhes sobre como nós podemos comer a carne de Jesus Cristo e beber o Seu sangue. Como você e eu conhecemos muito bem, Jesus Cristo veio a esta terra e carregou toda a condenação de nossos pecados pelo derramamento de Seu sangue e morte na Cruz. É crendo nesta grande verdade que nós podemos comer a Sua carne e beber o Seu sangue. O lavar de pecados foi cumprido pela questão de que os pecados da humanidade foram passados para o corpo de Jesus Cristo pelo batismo que Ele recebeu. Beber o Seu sangue significa que Jesus foi batizado e que derramou o Seu sangue na Cruz, este sangue que Ele derramou eliminou toda a condenação de nossos pecados. 

Como tal, os que creem no batismo e no sangue de Jesus em seus corações não estão mais com sede. A condenação de todos os seus pecados foi finalizada completamente com o castigo de Cruz que Jesus sofreu. Nós devemos compreender esta verdade. E devemos crer nisto. Porque Jesus Cristo veio a esta terra e aceitou os nossos pecados sendo batizado por João Batista, quando cremos nesta verdade somos limpos de todos os pecados de uma vez por todas. 

Deus nos disse para comermos a carne de Jesus e para também bebermos o Seu sangue pela fé. Isto porque Jesus Cristo tomou sobre Si todos os pecados do mundo pelo batismo que recebeu de João Batista, não deixando de fora nenhuma das iniquidades de ninguém, e, também, porque Ele renunciou ao Seu próprio corpo para o castigo na Cruz e derramou todo o Seu sangue pagando o preço dos pecados, eliminando, assim, toda a condenação de pecados. Foi por isso que Jesus disse, “Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida”. (João 6:55). 

Mais seguramente, Jesus Cristo é o Salvador, e, realmente, é o Filho de Deus que lavou os nossos pecados e eliminou toda à nossa condenação de pecados. Para nos libertar da Lei que declara que o salário dos pecados é a morte, nos lavar de todos os nossos pecados e nos libertar de todo o castigo merecido, o Salvador e Filho de Deus, renunciou ao Seu próprio corpo na Cruz, derramou o Seu sangue e limpou os corações daqueles que creem, extinguindo, assim, à sua sede. Este é o efeito da carne e do sangue do Senhor Jesus Cristo. A fome e a sede por salvação se extingue quando comemos a carne de Jesus e bebemos o seu sangue pela fé.

Jesus Cristo é o Salvador que cuidou dos pecados e da condenação da humanidade. Jesus é o Salvador que aceitou os pecados da humanidade pelo batismo que recebeu. Jesus foi crucificado e derramou o Seu sangue na Cruz suportando toda a condenação pelos pecados do mundo. Foi por Jesus ter aceitado os pecados do mundo transferidos para Ele no Seu batismo que o castigo dos pecados com que o torturaram na crucificação puderam se tornar o castigo de nossos próprios pecados.

É crendo na verdade da água e do Espírito que nós podemos receber a remissão de pecados. Você deve crer no batismo de Jesus e Sua morte como sendo a sua própria remissão de pecados. É crendo neste evangelho de verdade que nós podemos comer e beber a carne e o sangue de Jesus Cristo, espiritualmente. É crendo, em outras palavras, que Jesus Cristo, o Filho de Deus, veio a esta terra, tomou os nossos pecados por Seu batismo e eliminou toda à condenação de nossos pecados na Cruz, que nós podemos ser aqueles que podem comer a Sua carne, beber o Seu sangue, e, assim, receber a vida eterna. Crendo no batismo e morte de Jesus Cristo, nós podemos agora comer a Sua carne e beber o Seu sangue. Crendo no batismo de Jesus e no Seu sangue que Ele derramou na Cruz como sendo o nosso próprio alimento da remissão de pecados, nós podemos ser redimidos de todos os pecados. É por esta fé que nós podemos receber a remissão de nossos pecados e nos tornarmos os filhos de Deus, que viverão para sempre com Ele no Seu Reino. 


A vara de Arão Que Brotou

Entre os artigos colocados dentro da Arca do Concerto, a vara de Arão que brotou se refere a Jesus Cristo como o Sumo Sacerdote eterno do Reino de Deus. Também nos diz que a vida eterna é achada Nele. Para facilitar à nossa compreensão disto, vamos olhar Números 16:1-2: “E Coré, filho de Jizar, filho de Coate, filho de Levi, tomou consigo a Datã e a Abirão, filhos de Eliabe, e a Om, filho de Pelete, filhos de Rúben. E levantaram-se perante Moisés com duzentos e cinquenta homens dos filhos de Israel, príncipes da congregação, chamados à assembleia, homens de posição”. 

A passagem aqui nos diz que, entre os Levitas, 250 célebres líderes da congregação juntaram-se e se rebelaram contra Moisés. Eles disseram: “O que vocês, Moisés e Arão, fizeram por nós por nos tirar da terra do Egito? Vocês nos deram vinhas? Vocês nos levaram a um oásis? O que vocês fizeram por nós? Vocês nos trouxeram para o deserto somente para morrermos? Como vocês podem chamar-se a si mesmos como servos de Deus? Deus trabalha só por vocês?”. Lá surgiu, em outras palavras, uma rebelião contra a liderança de Moisés e Arão.

Naquele tempo, Deus disse para Coré, Datã, Om, e outros líderes da congregação que levantaram os rebelados: “Falou, pois, Moisés aos filhos de Israel; e todos os seus príncipes deram-lhe cada um uma vara, para cada príncipe uma vara, segundo as casas de seus pais, doze varas; e a vara de Arão estava entre as deles”. (Números 17:6). No verso 8, nós vemos que “a vara de Arão, da casa de Levi, brotou e criou botões de flores, floresceu e rendeu amêndoas maduras”. 

Então no verso 10, nós vemos, “Então o SENHOR disse a Moisés: Torna a pôr a vara de Arão perante o testemunho, para que se guarde por sinal para os filhos rebeldes; assim farás acabar as suas murmurações contra mim, e não morrerão”. Este foi o modo como a vara de Arão brotou e veio a ser colocada e mantida dentro da Arca do Concerto.

Isto mostra que Arão, um descendente de Levi, foi ungido como o Sumo Sacerdote do povo de Israel. Moisés era profeta de Deus, e Arão e seus descendentes eram Sumo Sacerdotes do povo de Israel. O próprio Deus confiou os serviços do Tabernáculo ao Sumo Sacerdote Arão. Deus mostrou o sistema de sacrifício para Moisés, onde o povo de Israel trazia ofertas de sacrifício e as ofereciam a Deus sempre que pecavam, e Ele fez a Arão vigiar o serviço destas ofertas de acordo com os requisitos do sistema de sacrifício. 

Até que Deus confiasse todas as obrigações sacerdotais para Arão, o Sumo Sacerdote, ainda existiam pessoas que desafiavam o seu sacerdócio, e foi por isto que Deus fez com que a vara de Arão brotasse, demonstrando que o seu sacerdócio realmente era vindo Dele. Deus, então, fez com que o povo de Israel mantivesse esta vara dentro da Arca do Concerto em memória desta lição. Foi assim como as duas tábuas de pedra da Lei, o vaso que tinha o maná e a vara de Arão, que brotou, foram colocados dentro da Arca do Concerto. Ao que estes três artigos se referem espiritualmente? Eles se referem aos ministérios de Jesus Cristo, nosso Salvador.


Com quais Ministérios Jesus Cristo Apagou Totalmente Todos os Nossos pecados? 

Primeiro, Ele cumpriu o ministério de Profeta. Ele é o Alpha e o Ômega. Ele conhece o início e o fim, e Ele nos ensinou tudo sobre o primeiro e o último. Nosso Senhor Jesus sabia o que aconteceria com a humanidade, com você e eu, se nós permanecêssemos pecadores. 

Segundo, Jesus Cristo se tornou o Sumo Sacerdote perpétuo do Reino do Céu. Ele veio a esta terra porque queria nos salvar de nossos pecados e se tornou o nosso próprio Salvador. Ele nos salvou completamente se tornando o nosso verdadeiro Sumo Sacerdote do Reino do Céu. 

Terceiro, Jesus Cristo é o nosso Rei. A Bíblia declara, “E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores”. (Apocalipse 19:16). Ele é o grande Criador do universo inteiro, e, deste modo, tem a autoridade para decidir sobre todas as coisas. 

Todos nós devíamos compreender que Jesus Cristo é o nosso verdadeiro Rei, o Profeta que nos ensinou verdadeiramente sobre a nossa salvação de pecados, e o Sumo Sacerdote eterno do Céu, e que, assim, se tornou nosso verdadeiro Salvador. 

Nosso Senhor Jesus libertou você e eu de nossos pecados, nos fez o povo de Deus, Seus filhos e Seus obreiros, e nos permite fazer boas obras. Ele fez com que as nossas almas nascessem de novo de forma que nós podemos viver novas vidas nesta terra, e Ele nos deu uma nova vida de forma que quando o tempo chegar, Ele poderá levantar os nossos corpos e nos deixar viver para sempre com Ele no Céu. Quem é Jesus Cristo para você e eu? Ele é o nosso verdadeiro Salvador. Jesus Cristo é o nosso Profeta, o nosso Sumo Sacerdote eterno e o nosso Rei.

Embora não queiramos desobedecer à Lei de Deus, nós somos tão insuficientes e fracos que não podemos evitar e, por isto, pecamos o tempo todo. Se nós continuarmos vivendo assim morreremos todos destinados ao inferno e não estaremos diante de Deus. E onde seria o lugar adequado para nós estarmos? Seria no Céu ou inferno? Se todos nós fôssemos ser julgados pelo que a Lei declara, “O salário do pecado é a morte,” nós não seríamos todos destruídos? Aquele que salvou tais pessoas como nós dos pecados e da destruição e se tornou o nosso Salvador é Jesus Cristo. Ele mesmo veio a esta terra, nos amou, e se tornou o Salvador que nos libertou dos pecados, se tornando o Grande Pastor de Seu rebanho.

João 3:16 afirma, “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Deus amou você e eu tanto que Ele próprio veio a esta terra por nós, foi batizado para tomar os pecados do mundo, foi crucificado e morto na Cruz, ressuscitou de entre os mortos, e, assim, verdadeiramente se tornou o nosso Salvador. Então, crendo em Jesus Cristo que se tornou o nosso Salvador, dentro dos nossos corações, nós nos tornamos pessoas que são limpas dos pecados, que receberam o presente da salvação de Deus, que permitiu que nos tornássemos os Seus filhos e atingíssemos à vida eterna.

Existe uma coisa que nós devemos ter certeza e crer diante de Deus. É que por nos amar tanto e para desfazer os nossos pecados, Ele veio a esta terra em carne humana, foi batizado, morreu na Cruz, ressuscitou de entre os mortos, e, assim, se tornou o nosso verdadeiro Salvador. Foi comendo a carne de Jesus e bebendo o Seu sangue pela nossa fé, dentro dos nossos corações, que a vida eterna nos pôde ser adicionada. Porque nada pode ser mais claro do que este fato, nós não podemos evitar pecar, mas por reconhecermos e crermos em Jesus Cristo, por meio do Evangelho da água e do Espírito, Deus nos mantém perfeitamente salvos. 

Nós devemos comer a carne de Jesus e beber o Seu sangue pela fé. Uma pessoa pode ter esta fé que reconhece e crê no evangelho da água e do Espírito cumprido por Jesus como é. O que precisa fazer é crer? Nós podemos fazer qualquer outra coisa, mas nunca permanecer contra Deus. Nós somos rápidos para desobedecer a Deus e pecar. Mas, ainda assim, Deus salvou você e eu de todos os nossos pecados de uma vez por todas, pois Ele amou completamente a todos.


Como Deus Falou de Sua Salvação no

Tempo do Antigo Testamento?

Por que método, então, o Senhor Jesus nos salvou? No Antigo Testamento, Ele falou desta salvação pelas cores manifestadas na entrada do Tabernáculo e nos artigos de vestuário usados pelo Sumo Sacerdote. As cores dos fios, azul, púrpura, escarlate e do tecido de linho retorcido manifestadas na entrada do Tabernáculo são a revelação que nos mostra à salvação perfeita. Nos artigos de vestuário do Sumo Sacerdote, o fio de ouro foi adicionado. 

O fio azul nos diz que Jesus Cristo veio a esta terra como o nosso Salvador e que tomou os nossos pecados sendo batizado. O fio púrpura nos diz que Jesus Cristo é o Rei de reis e o Deus Criador que fez todo o universo. O fio escarlate nos diz que por Jesus Cristo ter tomado todos os nossos pecados por Seu batismo, Ele levou os pecados do mundo e foi condenado por eles na Cruz derramando o Seu sangue e morrendo, nos dando, assim, à salvação que nos libertou da condenação de todos os nossos pecados. 

O tecido de linho retorcido significa a elaborada Palavra do Antigo e Novo Testamento que nos dizem que o nosso Senhor Jesus veio a esta terra, foi batizado, morto na Cruz, ressuscitou de entre os mortos e eliminou, assim, os pecados daqueles que verdadeiramente creem. Jesus limpou os seus corações deixando-os tão branco quanto à neve, e os salvou. O fio de ouro significa a fé que crê no que Jesus Cristo fez por nós. Por isto é que o fio de ouro brilha. Você e eu não temos absolutamente nada para nos gabarmos disso a não ser crermos sinceramente em Jesus Cristo, que é o próprio Deus e o Filho de Deus, que tudo fez por nós. Verdadeiramente nós podemos ser revestidos no amor de Deus, receber as Suas bênçãos, e ser abençoados por Ele somente por termos fé nos atos de justiça que Ele cumpriu. Isto é o que Deus está nos dizendo pelo Tabernáculo.

Nós devemos compreender bem o que Deus está nos dizendo pela Arca do Concerto que foi colocada dentro do Tabernáculo. Nós devemos conhecer e crer que Jesus Cristo veio a esta terra e tomou os pecados da humanidade. Sendo batizado por João Batista, eliminou a nossa condenação de pecados morrendo na Cruz, e ressuscitou de entre os mortos para viver novamente. Por meio da Arca do Concerto, Deus manifestou que nós devemos verdadeiramente crer em Jesus Cristo como o nosso próprio Salvador e como o nosso próprio Deus Eterno. Aqueles que creem no batismo de Jesus Cristo como a tomada de seus próprios pecados, na morte de Jesus na Cruz como a condenação de seus próprios pecados, na morte de Jesus Cristo como a sua própria morte e na ressurreição de Jesus Cristo como a sua própria ressurreição, são aqueles que Deus salvou.

Então, a quem este Tabernáculo se refere? Refere-se ao Senhor Jesus Cristo, é claro. O Tabernáculo nos diz sobre o método de salvação com que o Senhor Jesus Cristo nos salvou de todos os nossos pecados. No Novo Testamento, Jesus Cristo, ao ser batizado e morto na Cruz, eliminou todos os nossos pecados, nos lavando na água de Seu batismo e nos purificando com o sangue da Sua morte na Cruz. Ele foi condenado por todas as nossas iniquidades e nos salvou de todos os nossos pecados de uma vez por todas.

No Antigo Testamento, era a oferta de sacrifício que salvava os pecadores recebendo todas as suas iniquidades por meio da imposição de mãos sobre as suas próprias cabeças e, também, derramando o seu sangue até morrer. O Antigo Testamento descreve como se dava à morte estas ofertas de sacrifício, que recebiam os pecados dos pecadores pela imposição de mãos e morriam substituindo-os como sendo uma morte de compensação. O sistema de sacrifício da expiação de pecados manifestado no Antigo Testamento, quando justaposto ao Novo Testamento, se refere a Jesus Cristo, o Aperfeiçoador do evangelho da água e do Espírito que resultou de Seu batismo e de Seu sangue.

Quem, então, fez e nos deixou esta lei de salvação? Foi Deus, nosso Salvador quem a deixou. Deus estabeleceu uma lei de salvação que nos liberta dos pecados, e Ele deu esta lei para nós. Na Arca do Concerto estavam as duas tábuas da Lei, o vaso de maná, a vara de Arão que brotou, e todas estas coisas falam conosco acerca dos atributos e ministérios de Jesus Cristo. 

A vara de Arão que brotou nos diz que Deus nos salva quando nós cremos em Jesus Cristo que, espiritualmente, se tornou o Sumo Sacerdote do Reino do Céu e o nosso Grande Pastor. O vaso de maná também nos diz sobre a carne e o sangue de Jesus Cristo que se tornou nosso Pão de Vida. As duas tábuas de pedra da Lei também nos dizem que Deus é o Legislador. As leis estabelecidas por Deus são as leis do pecado e da morte e a lei da remissão de pecados e salvação. Como o nosso Deus, Jesus Cristo estabeleceu a lei de vida e a lei de condenação para nós.

Como isto, a Arca do Concerto e tudo mais falam conosco de Jesus Cristo. É crendo em Jesus Cristo como o nosso Salvador que nós podemos ser limpos de todos os nossos pecados e receber a nossa salvação. Não importa o quanto insuficientes e fracos possamos ser, quando aceitamos e seguimos às duas leis que Jesus Cristo estabeleceu, ainda que tenhamos sido pecadores anteriormente, seremos justificados recebendo a remissão de todos os nossos pecados e nos tornamos o povo de Deus. Você crê?

Agora, neste tempo presente, quase todos os cristãos, ao redor do mundo inteiro, estão propensos a crer em Jesus Cristo em vão por desconhecerem esta verdade manifestada no Tabernáculo. Eles creem que podem receber a remissão de pecados crendo somente no sangue de Jesus na Cruz. Eles creem, em outras palavras, que Jesus os salvou somente com o sangue da Cruz. Mas, de fato, que Jesus Cristo morreu na Cruz para a nossa salvação é uma verdade. Mas isto foi tudo o que Ele fez por nossa redenção? Não, não foi. Ele não fez só isto, pelo contrário, Ele recebeu todos os pecados do mundo de uma vez por todas sendo batizado por João Batista (Mateus 3:13-15, 1 Pedro 3:21, 1 João 5:6). 

Ainda hoje há cristãos crendo somente no sangue de Jesus Cristo derramado na Cruz, eles pensam que podem receber a remissão de pecados só com a metade da verdade. São falsos os seus pensamentos, convicções e fés de que já foram redimidos de seus pecados originais crendo, assim, em Jesus Cristo como o Salvador. Eles fazem orações de arrependimentos diariamente tentando lavar os seus pecados reais (de todo dia) sozinhos. Mas quão contraditória é esta salvação? É como lavar só a metade de seus pecados pela fé, e tentar lavar o resto dos pecados por seus próprios esforços. 

Quando este for o caso, e como você não pode evitar os pecados, continuar orando repetidamente todos os dias poderá trazer o batismo e o sangue de Jesus juntos? Até agora, muitos cristãos deste mundo, exceto aqueles do Primeiro período da Igreja, creem em uma salvação vazia ou pela metade. Não é por isto que as pessoas de agora estão meramente crendo em um Cristianismo equiparado às religiões mundanas?

Não faz muito tempo que uma mulher chamada Valéria Jones, nos Estados Unidos, recebeu a remissão de pecados depois de ler o primeiro volume desta série de livros “O Tabernáculo”. Antes de ler este livro, ela já tinha lido várias de nossas outras publicações. E embora ela concordasse com o que nossos livros estavam dizendo, ainda não tinha alcançado uma total convicção acerca do evangelho da água e do Espírito. Ela nos disse que ainda tinha um pouco de dúvidas, e que se perguntava: “Isto parece ser certo, entretanto, como que muitas pessoas não estão também pregando isto?”. Ela nos confessou isto! Mas quando terminou de ler o primeiro volume da série de livros “O Tabernáculo,” veio a ter uma fé clara de salvação, crendo que o evangelho da água e do Espírito realmente estava certo e que é a grande verdade manifestada no Tabernáculo.

Um leitor do mesmo livro, de Benin, também nos escreveu: “Você ficaria muito surpreso ao saber que, depois de receber a remissão de pecados lendo o seu livro, eu, agora, deixei a minha igreja. Por que eu deixei a igreja que eu tinha frequentado? Porque eles pregavam a doutrina de santificação gradual ou progressiva, algo que não é ensinado na Bíblia. Esta doutrina de santificação gradual ou progressiva é completamente antibíblica. Como eles mantiveram-se ensinando que eu devo e posso ser santificado quando, de fato, minha carne nunca poderá ser santificada, era insuportável para eu sentar-me e ouvir tais sermões.

Foi por isso que eu terminei saindo dessa igreja e me afastei deles. Por ter recebido a remissão de meus pecados lendo o seu livro, eu não tive nenhuma outra escolha a não ser deixar de ir à igreja que eu frequentava. Assim, então, me afastei. Como nós agora nos tornamos, por meio de tudo isso, pessoas de fé e nos unimos como a Igreja de Deus, todas as outras pessoas deste mundo também poderão mudar se tão somente souberem da verdade, tão qual a Palavra diz, ‘Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará’”. 

A Arca do Concerto do Tabernáculo também manifesta Jesus Cristo. Esta Arca do Concerto era colocada na parte mais escondida do Tabernáculo. Podia ser vista somente se erguessem a cortina do Tabernáculo e entrassem, para depois erguer o véu do Santo dos Santos e passar adentro. Em outras palavras, a entrada do Tabernáculo era localizada no leste, e a Arca estava colocada no oeste, no fim do Tabernáculo.


As Varas Não Podiam Ser Removidas da Arca

Êxodo 25:14-15 diz, “E colocarás as varas nas argolas, aos lados da arca, para se levar com elas a arca. As varas estarão nas argolas da arca, não se tirarão dela”. O que estes versos significam? Com estes versos, Deus está nos dizendo que devíamos servir ao evangelho da água e do Espírito nos dedicando a Ele. O evangelho é propagado somente quando nos dedicamos à Sua obra. Servir ao Senhor Jesus nos dedicando ao evangelho é como seguir o caminho da Cruz que o nosso Senhor Jesus trilhou antes de nós. Foi por isso que Ele disse aos Seus discípulos: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me”. (Marcos 8:34). 

Para propagar o verdadeiro evangelho no mundo inteiro, um grande sacrifício, empenho e sofrimento são exigidos. Nós podemos ver isso claramente quando olhamos para o sofrimento do Apóstolo Paulo pelo evangelho da água e do Espírito: “São ministros de Cristo? (Falo como fora de mim.) Eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; em açoites, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes. Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo. Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos. Em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez. Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas”. (2 Coríntios 11:23-28).

Porém, os que amam a si mesmos mais do que ao Senhor Jesus, que renunciou a Si mesmo para nos libertar de toda a nossa condenação, não conseguem sacrificar a si mesmos em prol do Reino de Deus. Não existe nenhum caminho fácil para aqueles que realmente querem servir ao evangelho da água e do Espírito. Como um fazendeiro poderia esperar ter uma boa colheita sem algum suor? 

Como isto, a Arca do Concerto devia ser carregada ainda que com muitos sacrifícios. Uma vez o Rei Davi tentou transportar a Arca em um novo carro puxado por bois, em vez de levá-la com as varas e por homens preparados como deveria ser levada. No caminho, os bois tropeçaram, e um homem chamado Uzá estendeu as mãos à Arca de Deus querendo agarrá-la. A ira do Senhor Deus foi, então, despertada contra Uzá, e Deus o atingiu por seu erro. Uzá morreu por causa da sua imprudência quanto à Arca do Concerto (2 Samuel 6:1-7). Então Davi, apavorado acerca disso e com medo do Senhor Deus, que vive eternamente, a fez levar a salvo à casa de Obede-Edom, o geteu. Somente depois de três meses e carregando-a nos ombros de homens preparados foi que ele a pôde trazer para o seu castelo. Como este relato ilustrado, nós devemos levar a Arca do Concerto exatamente como Deus nos disse, com o nosso suor e sangue, com os nossos sacrifícios e com a nossa devoção contínua pelo Seu evangelho.

Aqueles que realmente receberam a remissão de pecados com grande gratidão em seus corações estão mais do que felizes por se dedicarem ao Senhor Jesus que, antes, se dedicou a Si mesmo por eles. Nós damos as nossas inúmeras gratidões várias vezes ao Senhor Jesus, o nosso Salvador e Deus. Nós Lhe agradecemos por nos permitir servir ao evangelho da água e do Espírito nesta terra. 

Nós estamos todos jubilosos e maravilhados diante deste fato, que o Senhor Jesus nos escolheu para servir a este verdadeiro evangelho, e para seguir e viver o tipo de vida que agrada a Ele. Permitindo-nos apenas conhecer a verdadeira salvação já nos fez grandemente satisfeitos e extremamente felizes, mas o Senhor Jesus ainda nos permitiu servir a este puro evangelho. Aleluias! Dadas tais grandes bênçãos, como nós não iríamos Lhe agradecer? Nós damos toda a nossa gratidão a Deus. É por isso que nós não estamos nos poupando de lutar a todo tempo, nem de nos esforçarmos, ou mesmo de nossas posses pessoais para esta tarefa santa de evangelismo mundial.

Nós recebemos a remissão de pecados, de fato, e estamos realmente infinitamente gratos. Mas Deus não terminou, Ele tem, além disso, nos permitido encontrar e propagar o evangelho da verdade absoluta, o evangelho da água e do Espírito que é uma grande bênção para nossas vidas.

Que outros poderiam sequer ousar servir a este evangelho da água e do Espírito? Não é qualquer um que pode servir a este evangelho. Os políticos poderiam servir? Prefeitos? Governadores? Presidentes? Reis? Não importando quais sejam as altas posições sociais das pessoas, se não conhecerem e não crerem no evangelho da água e do Espírito, nunca poderão servir ao verdadeiro evangelho. Dando-nos uma oportunidade tão imerecida, Deus, realmente, nos permitiu que servíssemos ao lindo e puro evangelho da água e do Espírito. Que grande bênção! 

Eu agradeço a Deus pela graça que nos salvou e por Ele nos amar tanto assim. 

Irmãos e irmãs, nós cremos que Jesus Cristo é o nosso Deus e Salvador. Nós somos o povo de Deus que come a carne de Jesus e bebe o Seu sangue por meio de nossa fé espiritual. A Bíblia nos diz que Jesus Cristo não é Deus de mortos, mas de vivos (Lucas 20:38), e vivos aqui não se refere a mais ninguém senão àqueles que já receberam a vida eterna crendo no evangelho da água e do Espírito. Quem não crê na verdade deste poderoso evangelho está espiritualmente morto, e quem crê está espiritualmente vivo. Deus é realmente o Deus dos que creem no evangelho da água e do Espírito.

Irmãos e irmãs, Jesus nos disse que se vocês não crerem nesta verdade, não teriam nada a ver com Ele. Jesus Cristo oferece a todos vocês bênçãos divinas, a vida eterna e a remissão de seus pecados. Quem é Aquele que se tornou o Pastor que dá a vocês bênçãos eternas, que os guia e guarda? É Jesus Cristo, o Aperfeiçoador do evangelho da água e do Espírito. Jesus Cristo é este Deus. Eu espero e oro para que cada um de vocês creia no Senhor Jesus como o seu Deus.

Não somente agora crerei nesta verdade e servirei a Deus, mas sempre continuarei a fazer muito mais no futuro. E quanto a você? Você crê no evangelho da água e do Espírito? Você crê que deve estar na Igreja de Deus e no amor de Cristo Jesus pela sua fé? Vamos todos viver às nossas vidas crendo no evangelho da água e do Espírito até o dia em que nos encontrarmos com o nosso Senhor Jesus Cristo.

Voltar para a Lista