Estudo sobre o Tabernáculo

Os Sermões em Assuntos Importantes por Rev. Paul C. Jong

 

A Oferta da Remissão dos Pecados Entregue no Propiciatório < Êxodo 20:10-22 >

 


< Êxodo 20:10-22 >

“Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas entradas. Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; entretanto, abençoou o SENHOR o dia do sábado, e o santificou. Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá. Não matarás. Não adulterarás. Não furtarás. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo. E todo o povo viu os trovões e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte fumegando; e o povo, vendo isso, retirou-se e pôs-se de longe. E disseram a Moisés: Fala tu conosco, e ouviremos; e não fale Deus conosco, para que não morramos. E disse Moisés ao povo: Não temais, Deus veio para vos provar, e para que o seu temor esteja diante de vós, afim de que não pequeis. E o povo estava em pé de longe. Moisés, porém, se chegou à escuridão, onde Deus estava. Então disse o SENHOR a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: Vós tendes visto que, dos céus, eu falei convosco”.



O Propiciatório

The Most Holy

Um cúbito é o comprimento que vai da ponta da mão para o cotovelo. Na Bíblia, um cúbito é estimado em aproximadamente 45 cm. na medida de hoje. O comprimento do propiciatório era de dois cúbitos e meio, e quando convertido no sistema métrico, este comprimento é de mais ou menos 113 cm. E a sua largura era um cúbito e meio, medindo aproximadamente 67.5 cm. Isto nos dá uma ideia geral do tamanho do propiciatório.

A Arca do Concerto foi primeiramente feita de madeira de acácia e revestida com ouro por dentro e por fora. Mas o propiciatório, que foi colocado na Arca, era somente feito de ouro puro. E, em ambas as bordas, foram colocados querubins com as suas asas esticadas por cima dele, cobrindo a tampa da Arca, que é o propiciatório. Os querubins, de frente um para o outro, cobriam com as suas asas o propiciatório. O propiciatório é onde Deus dá à Sua graça àqueles que vêm a Ele pela fé.

Quatro argolas de ouro foram colocadas em cada canto da Arca. Duas argolas de ouro foram colocadas de cada lado, e varas foram postas nas argolas de forma que a Arca podia ser levada. Estas varas foram feitas de madeira de acácia e revestidas com ouro. Pondo uma vara pelas duas argolas em um lado e a outra nas duas argolas no outro lado, Deus teve certeza de que duas pessoas podiam erguer e levar esta Arca. E o nosso Senhor Deus disse, “eu encontrarei você neste propiciatório”.

Deus fez os Israelitas levarem a Arca do Concerto junto com o propiciatório pondo as varas na Arca. Isto significa que Deus quer propagar o evangelho ao longo do mundo inteiro. O mesmo foi com a verdade do altar de incenso, onde as argolas também foram colocadas em ambos os seus lados, e as varas foram postas por dentro das argolas, e duas pessoas foram preparadas para levar o altar. Isto, também, significa que nós devíamos pedir a ajuda de Deus sempre que nós enfrentarmos dificuldades, e que nós também devíamos orar para a propagação do evangelho ao longo do mundo inteiro aonde quer que possamos ir.

Na Arca do Concerto, três artigos foram postos: o vaso dourado cheio de maná, a vara de Arão que brotou, e as tábuas de pedra da Expiação. O que isto significa? Primeiro, o vaso dourado cheio de maná significa que Jesus Cristo dá a nova vida aos crentes. Ele uma vez proclamou, “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede”. (João 6:35). 

A vara de Arão que brotou nos diz que Jesus Cristo é o Senhor da ressurreição e que Ele nos dá à vida eterna. As tábuas de pedra da Expiação nos dizem que nós somos seres inevitavelmente condenados à morte diante da Lei. Porém, a misericórdia de Deus é tão grande que ele cobriu todas as condenações de nossos pecados que a Lei tem acusado. O propiciatório foi ajustado perfeitamente como o brilho da Arca a fim de que a maldição da Lei não viesse a aparecer. Deus completou o propiciatório com o sacrifício perfeito de Seu Filho Jesus. Todo crente no evangelho da água e do Espírito pode então vir corajosamente para o trono da Graça, o propiciatório.


O Sangue Precioso Que Foi Aspergido No propiciatório

Primeiro nós devemos descobrir o que é o mistério escondido no propiciatório. Uma vez por ano, o Sumo Sacerdote tomava o sangue de uma oferta de sacrifício e entrava no Santo dos Santos. Ele então aspergia este sangue da oferta de sacrifício no propiciatório por exatamente sete vezes. Deus disse que Ele encontraria os Israelitas neste propiciatório. Deus somente encontra àqueles que têm uma fé igual à fé do Sumo Sacerdote, isto é, a fé em Sua remissão de pecados revelada no sistema de sacrifício.

O sangue de sacrifício aspergido no propiciatório mostra o justo julgamento de Deus devido aos pecados, e, também, à Sua misericórdia para com a humanidade. No Dia da Expiação, o décimo dia do sétimo mês, Arão, o Sumo Sacerdote, impunha às suas mãos em uma oferta de sacrifício para eliminar todos os pecados anuais do povo de Israel. Em seguida, ele a degolava para derramar o seu sangue, que levava para dentro do véu e aspergia no propiciatório. (Levítico 16:11-16). 

Pelo sangue que era desse modo aspergido, Deus encontrava os Israelitas e lhes dava à bênção da remissão de pecados. Assim era a graça de Deus que Ele tinha estabelecido aos Israelitas pelo sistema de sacrifício. Com a imposição de mãos no animal de sacrifício e com o seu sangue, Deus eliminava os seus pecados justamente e lhes dava à Sua misericórdia, sendo, assim, a remissão de seus pecados pela graça. 

Como, então, nós podemos receber esta graça contida na Palavra de Deus que elimina todos os nossos pecados de uma vez por todas? Deus nos tem permitido perceber que devemos ter a fé que conhece e crê na verdade manifestada no sistema de sacrifício para que possamos, assim, receber o presente que Ele nos deu. Deus tornou isto possível por Sua justiça que foi totalmente cumprida com estes dois fatores; a imposição de mãos, conforme o batismo que Jesus Cristo recebeu e o sangue que Ele derramou na Cruz. 

Para receber os nossos próprios pecados e os pecados do mundo, Jesus Cristo, o Filho de Deus, foi batizado por João Batista. Ele se tornou a oferta de sacrifício na Cruz para pagar o salário destes pecados, e morreu por nós, e ressuscitou de entre os mortos para nos trazer à vida. O batismo que Jesus Cristo recebeu e a Sua morte na Cruz foram para nos dar à remissão de pecados, e são as graças das bênçãos verdadeiras que permitem àqueles que têm tal fé encontrar-se com Deus. Esta verdade é uma sombra do evangelho da água e do Espírito. O evangelho da água e do Espírito é a verdade que tem estabelecido o firme fundamento da fé verdadeira que permite aos pecadores receberem a remissão de pecados oferecida por Deus. Jesus Cristo se tornou a oferta de sacrifício por nossos pecados. Ele é a única ponte de verdade que nos permite ir a Deus, o Pai Santo. 

Novamente, nós podemos achar a evidência conclusiva para esta verdade nas cores dos quatro fios que foram usados para a entrada do Tabernáculo: os fios, azul, púrpura, escarlate e o tecido de linho retorcido. Os quatro fios da entrada do Tabernáculo, em outras palavras, nos dão os indícios do verdadeiro evangelho. 

O primeiro indício é o mistério do fio azul manifestado na entrada do Tabernáculo. Este mistério é que Jesus Cristo foi batizado por João Batista, significando que Ele tomou os nossos pecados e os do mundo inteiro. Nosso Senhor Jesus, em outras palavras, aceitou todos os nossos pecados que João Batista transferiu para Ele. Foi por isso que Ele persuadiu a João para batizá-Lo dizendo, “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça”. (Mateus 3:15). 

O segundo indício é o fio purpura manifestado no Tabernáculo. A cor púrpura é a cor dos reis. Jesus Cristo é o Rei de reis que veio a esta terra como o Salvador da humanidade para libertá-los dos pecados. Ele abandonou a glória do Céu e veio a esta terra para desfazer os nossos pecados. Jesus Cristo é o próprio Deus em Sua essência, mas nos salvou de todos os nossos pecados, Ele veio a esta terra, foi batizado e crucificado em obediência à vontade do Pai. Para desfazer todos os nossos pecados, em outras palavras, Deus abandonou o trono da glória no Céu e nasceu do corpo da Virgem Maria nesta terra para salvar os pecadores. Nós devemos então crer que O próprio Deus teve que nascer do corpo de uma virgem, ser batizado e derramar o Seu sangue na Cruz, e tudo de acordo com a promessa que Ele fez para o Profeta Isaías há 700 anos antes do seu nascimento aqui nesta terra.

O terceiro indício é o fio escarlate, também manifestado no Tabernáculo, o qual implica o sangue de Jesus Cristo. Isto manifesta à verdade de que Jesus Cristo completou a Sua missão de salvação dos pecadores derramando o Seu sangue na Cruz. Sua morte na Cruz foi um castigo que estava reservado para os mais hediondos de todos os criminosos. Com o castigo dos pecados recebidos por Jesus Cristo por meio do Seu batismo, todos os pecados da humanidade foram Nele julgados. Sendo crucificado e derramando o Seu sangue, Ele suportou a condenação de todos os pecados do mundo e, assim, nos libertou dos pecados. Aceitando os nossos pecados por meio do batismo recebido de João Batista e obedecendo ao Pai indo à Cruz para nela morrer, Deus salvou todos os pecadores de suas iniquidades. 

Você percebe que Jesus terminou toda a condenação de pecados e fez os crentes tornarem-se os filhos de Deus porque vicariamente levou toda a nossa própria condenação com o Seu castigo de crucificação? Deus fez todas estas coisas de forma que nós creríamos nesta verdade e receberíamos a vida eterna. Jesus ter sido batizado e condenado na Cruz significa que Ele nos salvou dos pecados. Foi por isso que Ele clamou com o Seu último folego: “Está consumado!”. (João 19:30). Jesus proclamou com grande contento e alívio por que Ele completou a nossa salvação de pecados de acordo com a vontade de Deus Pai. 

Ultimamente, o tecido de linho retorcido implica que Jesus é o Deus da Palavra. O tecido de linho retorcido revela à vontade de Deus através de sua elaborada e justa Palavra. Ao longo do Antigo Testamento, Deus disse com antecedência que viria a este mundo e salvaria toda humanidade com o Seu batismo e crucificação. E Ele cumpriu, então, todas as Suas promessas justamente no Novo Testamento. É por isso que a Bíblia afirma, “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus… E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade”. (João 1:1-14).

Esta verdade nos tem permitido ser lavados de todos os nossos pecados tornando-nos tão brancos quanto à neve. O batismo que Jesus recebeu e Sua morte na Cruz em nada se difere da imposição de mãos e da expiação dos pecados com o julgamento pelo sistema de sacrifício. Foi porque Jesus carregou todos os pecados do mundo sozinho em Seu corpo que Ele derramou o Seu sangue na Cruz. Como Jesus foi batizado para carregar todos os nossos pecados em nosso lugar, Ele foi para a Cruz e derramou o Seu sangue, sendo esta a verdade sólida que fundamentou e se tornou à expiação que lavou todos os nossos pecados.

O batismo que o Senhor Jesus recebeu quando veio a esta terra como um homem e o sangue que derramou na Cruz são as verdades manifestadas nos fios, azul, púrpura e escarlate. Jesus Cristo nasceu há 2000 anos nesta terra, tomou todos os pecados do mundo sendo batizado e morto na Cruz, ressuscitou de entre os mortos em três dias e ainda testemunhou por mais 40 dias, para, depois, ascender à destra do trono de Deus. Esta é a verdade manifestada nos fios, azul, púrpura e escarlate. Deus está nos dizendo para crermos nesta verdade que afirma que Ele nos salvou de uma vez por todas eliminando todos os nossos pecados. 

Quando nós cremos nesta verdade, Deus nos diz, “Agora, vocês se tornaram os meus filhos. Vocês não são mais pecadores. Vocês são o meu povo santo e não são mais pecadores. Eu salvei a vocês de todos os seus pecados, condenação e maldições. Eu salvei a vocês com o Meu amor incondicional. Por vocês serem tão adoráveis para Mim, eu os salvei sem quaisquer condições. Porque eu amo vocês, eu os salvei sozinho. Eu não só amei vocês, mas eu realmente demonstrei o Meu amor para vocês deste modo. Olhem para o sangue de Meu sacrifício. Isto é a evidência de Meu amor para vocês. Eu mostrei a vocês esta evidência”.

Quando nós viemos para o Senhor Jesus como pobres em espírito, Ele nos mostrou que nos salvou com os fios, azul, púrpura e escarlate. O Senhor Jesus veio a esta terra, foi batizado, foi menosprezado e condenado à morte na Cruz, ressuscitou de entre os mortos, e ascendeu para o Céu. Deus sempre encontra e recebe àqueles que creem em Seu amor de salvação.

Deus dá a graça de salvação àqueles que creem. Sua salvação transformou meras criaturas em Seus próprios filhos. Deus está nos dizendo, “Vocês agora são os Meus filhos. Vocês são os Meus filhos e filhas. Vocês não são mais os filhos de Satanás, mas são os Meus próprios filhos. Vocês não são mais criaturas, mas são o Meu próprio povo. Eu expiei todos os seus pecados por Meu Filho Jesus. Eu agora fiz de vocês o Meu povo, e vocês se tornaram o Meu povo pela fé”. Deus não somente salvou os pecadores, Ele também lhes deu à graça de fazê-los Seus próprios filhos.

Deus chamou a tampa da Arca do Concerto no Tabernáculo como propiciatório. Dois querubins foram colocados sobre ela. Por que Deus disse que encontraria o povo de Israel por cima do propiciatório? Foi porque Deus redimiu os pecados do povo de Israel aceitando o sangue do animal de sacrifício em que todos os seus pecados eram passados sobre o animal ofertado por meio da imposição de mãos. 

Deus disse isso, em outras palavras, porque Ele quis dar ao povo de Israel à remissão de seus pecados como um presente tendo eles passado os seus pecados sobre a sua oferta de sacrifício com a imposição de suas mãos em sua cabeça, e esta oferta de sacrifício pagava o salário dos pecados vicariamente em seu lugar, e tudo era feito em ordem para desfazer as iniquidades de Seu povo. Porque Deus não podia encontrar-Se com os pecadores sem a oferta de expiação, foi por meio desta oferta de sacrifício que Ele eliminou os seus pecados e assim os encontrava.

Todo mundo nasce neste mundo como pecador sendo um descendente de Adão. Todos no mundo então têm pecados, e ninguém pode encontrar a Deus sem a oferta de sacrifício. Por isto é que Deus disse que Ele aceitaria a oferta de sacrifício que expiava os pecados dos Israelitas e os encontrava por cima do propiciatório.

Deus fez o povo de Israel estabelecer o décimo dia do sétimo mês como o Dia da Expiação. Ele fez o Sumo Sacerdote passar por um ano inteiro o valor de todos os pecados dos Israelitas sobre a oferta de sacrifício e dar este sangue de sacrifício para Ele. Exatamente neste dia, os pecados do povo de Israel eram redimidos por um ano inteiro, e era assim porque neste dia, o Sumo Sacerdote dava a oferta de pecados no lugar deles. 


O Sistema De Sacrifício do Antigo Testamento para a Libertação dos Pecadores de Suas Iniquidades

Como Levítico 1:4 diz, “E porá a sua mão sobre a cabeça do holocausto, para que seja aceito a favor dele, para a sua expiação”. Todos os pecados de um pecador eram realmente passados para o bode expiatório com a imposição das mãos na cabeça do sacrifício. Deus aceita com prazer o tipo de oferta que é dada com a fé que verdadeiramente crê em Sua Palavra. Isto era essencial e também o primeiro passo no sistema de sacrifício que Deus estabeleceu para o Seu povo Israelita. 

Então a pessoa cortava a garganta da oferta e derramava o seu sangue, e dava este sangue aos sacerdotes. Os sacerdotes colocavam este sangue nos chifres do altar de holocaustos, colocavam a carne no altar e queimavam, e, assim, davam a Deus como a oferta de sacrifício pelos pecados dos pecadores. Assim era a lei de salvação que Deus realmente estabeleceu para redimir cada pecado dos pecadores. 

Porém, no Dia da Expiação, o décimo dia do sétimo mês, Deus permitia ao Seu povo oferecer um sacrifício que podia redimir um ano inteiro de pecados. Neste dia especial, o Sumo Sacerdote, o representante de todos os Israelitas, tinha que preparar dois bodes. “E Arão lançará sortes sobre os dois bodes; uma pelo SENHOR, e a outra pelo bode emissário. Então Arão fará chegar o bode, sobre o qual cair a sorte pelo SENHOR, e o oferecerá para expiação do pecado”. (Levítico 16:8-9). Ele tinha que impor as suas mãos na cabeça do primeiro bode de forma que um ano de pecados de todos os Israelitas pudessem passar sobre o sacrifício. Então ele derramava o seu sangue realmente matando-o, após entrava no Santo dos Santos e aspergia o sangue com o seu dedo no propiciatório no lado leste, e, diante do propiciatório, aspergia o sangue por sete vezes. Aceitando este sangue da oferta de sacrifício Deus lavava os seus pecados e os aprovava tendo-os como o Seu próprio povo. 

Depois disto, o Sumo Sacerdote saía do Tabernáculo e dava o outro bode diante da presença do povo de Israel. Realmente, para poder passar os pecados de seu povo, ele impunha as suas mãos novamente na cabeça da oferta de sacrifício e confessava, “eu passo todos os pecados que meu povo tem cometido durante um ano para esta oferta”. Depois disto, ele mandava esta oferta embora para o deserto pela mão de um homem apropriado. 

Este bode tinha que ser mandado embora para o deserto árido para morrer (Levítico 16:20-22). Isto nos diz que os pecados do povo de Israel estavam de uma vez por todas completamente redimidos com a oferta de pecados que davam no Dia da Expiação. 

Estes bodes expiatórios pressagiavam nada mais que fosse diferente do que o próprio Senhor Jesus. Esta oferta de pecados manifestava à verdade da salvação que Jesus Cristo completou sendo batizado por João Batista e sendo crucificado para desfazer os pecados de todos neste mundo. Deus prometeu encontrar-Se com o povo de Israel por cima do propiciatório quando eles oferecessem o sacrifício legal pelo Sumo Sacerdote. O povo de Israel considerava o Sumo Sacerdote e o propiciatório como sendo preciosos. Para eles, ser o Sumo Sacerdote que dava as ofertas de pecados todos os anos em seus lugares era uma posição especial, e sagrado era o propiciatório onde as suas iniquidades eram perdoadas. 

Igualmente, Jesus nos reconciliou com Deus tendo oferecido um sacrifício definitivo pelos nossos pecados com o Seu próprio corpo por meio do Seu batismo e morte. É por isso que nós não poderemos jamais conseguir dar suficientes ações de graças ao Senhor Jesus, e, também, por que nós temos que crer em Seu batismo junto com a Sua crucificação.


O Propiciatório Lacrava As duas Tábuas de Pedra dos Dez Mandamentos Que Foram Colocadas 

dentro da Arca do Concerto

No Monte Sinai, Deus ordenou a Moisés que colocasse as duas tábuas de pedra inscritas com os Dez Mandamentos dentro da Arca do Concerto e que a lacrasse por cima com o propiciatório. Deus fez assim porque Ele quis derramar o Seu amor de misericórdia sobre o povo de Israel, porque eles não podiam manter-se dentro da Lei. Em outras palavras, foi porque Deus não podia ter um relacionamento com o povo de Israel que pecava diariamente contra a Sua justa Lei que declarava que o salário do pecado é a morte. Isto, também, foi para que a remissão de pecados fosse dada ao povo de Israel.

O povo de Israel foi, em outras palavras, muito insuficiente com as suas ações diante de Deus para manter-se dentro da Sua Lei. Então Deus lhes deu o sistema de sacrifício com a Lei. Isto foi para fazê-los limpos de todos os seus pecados pela oferta de sacrifício. Isto nos mostra que para desfazer os pecados do povo de Israel, Deus lhes ordenou que passassem os seus pecados para a oferta de sacrifício impondo as suas mãos em sua cabeça, e que matassem a oferta em seu lugar cortando à sua garganta. Deus deu à Lei de Seu amor de salvação junto com a Lei de Sua justa ira para o povo de Israel. Como tal, nós também precisamos crer nas duas verdades paralelas da salvação de Deus; o batismo que o Messias recebeu de João Batista e o sangue que Ele derramou na Cruz. 

O animal de sacrifício para a oferta de pecados no Antigo Testamento equivalia ao corpo do Messias no Novo Testamento. As ofertas de sacrifícios que foram dadas por nós nas Escrituras foram o misericordioso amor de Deus que eliminou todos os nossos pecados. Tanto agora como antes, para sermos redimidos de nossos pecados, nós precisamos absolutamente da oferta de sacrifício de expiação. Desde muito tempo, para desfazer os pecados da humanidade, deveria haver a justiça de Deus e o misericordioso amor de Deus.

Como a justiça de Deus deve nos julgar se nós tivermos pecados, devemos lavar os nossos pecados passando-os sobre a oferta de pecados. Há um ditado na Coréia, “Odeie o pecado, mas não odeie os pecadores”. Deus odiou os nossos pecados, mas não odiou às nossas almas. Para Deus desfazer os pecados de nossas almas, nós precisamos impor as nossas mãos na cabeça da oferta de sacrifício, derramar o seu sangue e dar para Ele. No Antigo Testamento, quando diz que Deus reconciliou o povo de Israel significa dizer que Deus aceitou as suas ofertas de sacrifício e assim os redimiu de seus pecados.

Para o povo de Israel, o único criador da Lei foi o Deus Jeová, que revelou a Si mesmo diante do povo de Israel. Ele é Aquele que existe por Si mesmo, que tudo criou e nunca foi criado. Da mesma maneira que nós reconhecemos a Deus como o Único Legislador da Lei, nós devemos, também, reconhecer que Ele é o nosso Deus que aceita o sistema de sacrifício que Ele mesmo estabeleceu para desfazer os nossos pecados. Pelo sistema de sacrifício que foi estabelecido por Deus, nós podemos perceber o quanto Deus nos amou e como justamente Ele nos libertou dos pecados. E pela Lei de Deus, nós também podemos perceber como não tão simplesmente podemos manter os Seus Mandamentos. Desde o início, tínhamos sido idólatras diante de Deus, cometendo todos os tipos de iniquidades e transgressões. Então, como não podemos evitar os pecados, admitimos estar destinados ao inferno por nossos pecados e que podemos morrer a qualquer hora. Foi por isso que O próprio Deus teve que vir como o nosso Salvador.

Jesus Cristo deu o Seu corpo como sacrifício pelos pecados do mundo inteiro para sempre. Ele ofereceu a Si mesmo do mesmo modo como exatamente a oferta de pecados do Antigo Testamento era oferecida, especialmente mostrada na passagem do Dia da Expiação: com a imposição de mãos na cabeça do sacrifício e sua morte. As duas tábuas de pedra na Arca do Concerto e o propiciatório foram absolutamente necessários para o povo de Israel receber a remissão de seus pecados, e também para que Deus permitisse aos que creram na Sua justa Lei e na Sua promessa vitalícia de receberem a nova vida. Hoje, a Lei que mostra a justiça de Deus é a Palavra da verdade que traz a eterna salvação de pecados não somente ao povo de Israel, mas, também, para todos nós que queremos nos encontrar com Deus e receber a vida eterna. 

Você e eu que estamos vivendo nesta era devemos saber e crer sobre quem nosso Deus seja e o que Ele está nos dizendo, e por que Ele nos fez receber a remissão de nossos pecados. Pela verdade dos fios, azul, púrpura, escarlate e do tecido de linho retorcido manifestados na entrada do Tabernáculo no Antigo Testamento, Deus chamou a você e eu, aceitando-nos e dando-nos à fé que nisto crê.


O Fio Azul Implica Exatamente o Batismo Que Jesus Recebeu

Vamos para Mateus 3:13-17: “Então veio Jesus da Galileia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.

Pelas ofertas dadas diante do sistema de sacrifício do Antigo Testamento, Deus, o Pai, realmente mostrou que passaria todos os pecados do mundo sobre Seu único Filho Jesus Cristo. João Batista, de fato, ao batizar Jesus Cristo cumpriu toda a justiça de Deus. Porque os pecados do mundo foram realmente passados para Jesus Cristo quando Ele foi batizado por João Batista, aqueles que criam nisso podiam ser redimidos de todos os pecados de seus corações. 

Este batismo que Jesus recebeu tem um significado completamente diferente do batismo da água que as pessoas normalmente recebem como uma cerimônia para se tornar cristãos. Em outras palavras, o batismo da água que hoje as pessoas recebem é meramente um sinal externo de sua conversão para a religião Cristã. Jesus Cristo foi batizado no Rio Jordão para receber todos os pecados do mundo com a imposição das mãos de João Batista, o representante da humanidade. O batismo que o Senhor Jesus recebeu foi o batismo que cumpriu a promessa de Deus para a salvação eterna e para a remissão de pecados estabelecida por Deus por meio do sistema de sacrifício em Levítico. O Senhor Jesus tomando os pecados do mundo pessoalmente, sendo batizado e derramando o Seu sangue para a morte na Cruz a fim de pagar o salário destes pecados é o amor de Deus para com a humanidade e, também, a perfeita remissão de pecados.

Foi para nos salvar de todos os pecados do mundo que Deus, o Pai, fez o Seu Filho Jesus Cristo ser batizado por João Batista. “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu”. (Mateus 3:15). “Porque assim...” significa que o Senhor Jesus tomaria os pecados da humanidade inteira sendo batizado. Porque João Batista batizou Jesus Cristo, nossos pecados foram passados sobre Ele. Foi porque Jesus Cristo tomou os nossos pecados com o Seu batismo que Ele derramou o Seu sangue e morreu em nosso lugar. O batismo que Jesus Cristo recebeu é uma expressão do amor de Deus por meio do sacrifício para a remissão de pecados. Depois Dele realmente aceitar todos os nossos pecados passados sobre Ele, ao ser batizado, submergiu na água. Esta submersão implica à Sua morte. E Ele ter saído da água testemunha a Sua ressurreição com antecedência.


Jesus é o Nosso Criador e Salvador

A verdade é que Jesus Cristo que veio para nós é o próprio Deus que criou o Universo e todas as coisas que nele há. Gênesis 1:1 diz, “No princípio, criou Deus os céus e a terra”. E Gênesis 1:3 diga, “E disse Deus: Haja luz. E houve luz”. Em João 1:3 também declara, “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez”. Jesus Cristo realmente criou o Universo inteiro com o Pai e o Espírito Santo.

Filipenses 2:5-8 afirma, “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz”. Ele é o Criador real que fez este mundo e criou a humanidade. Para nos libertar dos pecados, o próprio Senhor Jesus veio a nós como um homem, recebeu voluntariamente os pecados do mundo sendo batizado por João Batista, derramou o Seu sangue por causa deste batismo, e, assim, nos salvou de todos os pecados.

O Messias realmente fez que os Israelitas fizessem todas as entradas do Tabernáculo tecidas de fios, azul, púrpura, escarlate e do tecido de linho retorcido. Ele fazer que usassem os fios, azul, púrpura e escarlate para as entradas do Tabernáculo manifesta à Sua intenção de salvar toda a humanidade de seus pecados. Jesus Cristo, verdadeiramente, tomou os pecados do mundo com o batismo que recebeu de João Batista. Ele pagou todo o salário de pecados que nós devíamos com o Seu sangue derramado na Cruz.

No Antigo Testamento, os pecadores traziam as suas ofertas de sacrifícios para o Tabernáculo e transferiam os seus pecados para elas impondo as mãos em suas cabeças diante do altar de holocaustos. Então derramavam o seu sangue cortando as suas gargantas, e davam este sangue aos sacerdotes. Os sacerdotes então davam esta oferta a Deus pondo o sangue nos quatro chifres do altar de holocaustos, e despejavam o restante deste sangue no chão. 

No Dia da Expiação, quando o Sumo Sacerdote tomava o sangue da oferta de sacrifício em cuja cabeça ele impunha as suas mãos no Santo dos Santos e aspergia no propiciatório, Deus aceitava este sangue da oferta de sacrifício como o julgamento delegado ao Seu povo. Por que o animal de sacrifício tinha que ser morto? Porque ele levava todos os pecados dos Israelitas pela imposição das mãos do Sumo Sacerdote em sua cabeça. Seu sangue era, em outras palavras, o resultado desta imposição de mãos. Deste modo, Deus aceitava o sangue do animal de sacrifício e o aroma suave de sua carne queimada no altar, e redimia, assim, a todos os pecados do povo de Israel.

Na era do Novo Testamento, Jesus Cristo veio para fazer exatamente assim. Para tomar os nossos pecados e aguentar a condenação destes pecados, nosso Senhor Jesus teve que vir a esta terra no corpo da Virgem Maria, Ele completou a nossa salvação sendo batizado por João Batista e derramando o Seu precioso sangue na Cruz. Os fios, azul, púrpura e escarlate realmente são o evangelho manifestando à verdade de que Jesus, o próprio Deus, foi batizado e crucificado.

Foi por ter tomado os nossos pecados com o Seu batismo que o Senhor Jesus foi crucificado, derramou todo o Seu sangue, morreu, ressuscitou de entre os mortos em três dias e se tornou o Salvador dos que creem, e sentou-se no trono à direita do Pai. Jesus Cristo tem permitido àqueles que realmente creem Nele como o seu Salvador chamar a Deus como Aba, Pai, porque foram redimidos de todos os seus pecados de uma vez por todas diante de Deus Pai. Estes são os mistérios da verdade escondidos nos fios, azul, púrpura e escarlate.

Por Seu batismo e o Seu sangue na Cruz, o Messias cumpriu completamente a limpeza de todos os nossos pecados e carregou toda a condenação de nossos pecados em nosso lugar. Agora, Ele se tornou o Salvador do mundo. Como tal, nós devemos crer que a entrada do Tabernáculo, no Antigo Testamento, foi feita com tecidos de fios, azul, púrpura, escarlate e com o tecido de linho retorcido; e nós devemos também crer que no Novo Testamento, o nosso Messias Salvador realmente veio a esta terra, tomou os pecados do mundo com o Seu batismo, e carregou a condenação de todos os pecados na Cruz. É assim que nós devemos receber a remissão de todos os nossos pecados.


Como Cristão Quanta Atenção Você Está Dando para a Sua Palavra?

Êxodo 25:22 afirma, “E ali virei a ti e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel”. Quão próximos estão vocês, então, do evangelho da água e do Espírito, o evangelho de expiação? De onde o Senhor Deus disse que falaria com aqueles entre vocês que creem em Jesus Cristo como o Salvador? Em Êxodo 25:22, Ele disse que daria a vocês todas as Suas ordens por cima da cobertura da Arca do Concerto. Para o povo de Israel no Antigo Testamento, Deus disse que falaria com eles no propiciatório.

Vocês devem perceber que isto é a promessa de Deus de que Ele salvaria às suas vidas depois de lhes dar a remissão de seus pecados pela oferta de sacrifício legal e faria de vocês o Seu povo. Deus está dizendo que não importa o quanto àqueles dentre vocês que creem no Cristianismo tentem ser guiados pelo Senhor, se continuarem crendo em Jesus Cristo enquanto permanecem ignorantes da verdade do evangelho da água e do Espírito, Ele não os poderá guiar. Como tal, se vocês realmente quiserem ser guiados pelo Senhor Jesus, vocês devem primeiro conhecer e aceitar a verdade da remissão de pecados que redimiu todos os seus pecados de uma vez, e, então, esperar por Sua direção. 

Existe uma coisa que eu quero dizer a vocês, é que se vocês quiserem se tornar filhos de Deus, e se vocês quiserem se tornar parte de Sua Igreja, vocês devem primeiro ser redimidos de seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito, que revela o mistério dos fios, azul, púrpura e escarlate. Só depois disto você poderá também receber as ordens faladas pelo Senhor Deus a você por cima da Arca do Concerto.

Nós devemos nos lembrar e crer que o Senhor Jesus sempre comanda e guia às nossas vidas quando nós temos a fé do evangelho da água e do Espírito, que nos permite receber a remissão de pecados. Você agora está recebendo as ordens dadas pelo Senhor Jesus por cima do propiciatório? Ou você está seguindo ao Senhor Jesus baseado em seus próprios sentimentos? 

Seus próprios sentimentos e emoções podem construir à sua fé, mas somente o levarão à confusão. Se você buscar seguir às ordens de Deus ditadas por cima da Arca do Concerto, você deverá perceber e crer que os fios, azul, púrpura, escarlate e o tecido de linho retorcido mencionados no Tabernáculo são a remissão dos pecados que Deus nos deu. 

Aleluia! Eu agradeço a Deus pelo batismo do Senhor Jesus, por Seu sangue derramado na Cruz, e pelo Seu poder e amor que nos salvou de todos os pecados do mundo.

Voltar para a Lista