សេចក្តីអធិប្បាយ

Assunto 3: Evangelho da Água e do Espírito

[3-7] O Sacerdócio Transformado (Hebreus 7:1-28)

O Sacerdócio Transformado
( Hebreus 7:1-28 )
“Porque este Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que saiu ao encontro de Abraão, quando voltava da matança dos reis, e o abençoou, para o qual também Abraão separou o dízimo de tudo (primeiramente se interpreta rei de justiça, depois também é rei de Salém, ou seja, rei de paz; sem pai, sem mãe, sem genealogia; que não teve princípio de dias, nem fim de existência, entretanto, feito semelhante ao Filho de Deus), permanece sacerdote perpetuamente. Considerai, pois, como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos. Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, de acordo com a lei, os dízimos do povo, ou seja, dos seus irmãos, embora tenham estes descendido de Abraão; entretanto, aquele cuja genealogia não se inclui entre eles recebeu dízimos de Abraão e abençoou o que tinha as promessas. Evidentemente, é fora de qualquer dúvida que o inferior é abençoado pelo superior. Aliás, aqui são homens mortais os que recebem dízimos, porém ali, aquele de quem se testifica que vive. E, por assim dizer, também Levi, que recebe dízimos, pagou-os na pessoa de Abraão. Porque aquele ainda não tinha sido gerado por seu pai, quando Melquisedeque saiu ao encontro deste. Se, portanto, a perfeição houvera sido mediante o sacerdócio levítico (pois nele baseado o povo recebeu a lei), que necessidade haveria ainda de que se levantasse outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não fosse contado segundo a ordem de Arão? Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei. Porque aquele de quem são ditas estas coisas pertence a outra tribo, da qual ninguém prestou serviço ao altar; pois é evidente que nosso Senhor procedeu de Judá, tribo à qual Moisés nunca atribuiu sacerdotes. E isto é ainda muito mais evidente, quando, à semelhança de Melquisedeque, se levanta outro sacerdote, constituído não conforme a lei de mandamento carnal, mas segundo o poder de vida indissolúvel. Porquanto se testifica: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa de sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nunca aperfeiçoou coisa alguma), e, por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus. E, visto que não é sem prestar juramento (porque aqueles, sem juramento, são feitos sacerdotes, mas este, com juramento, por aquele que lhe disse: O Senhor jurou e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre); por isso mesmo, Jesus se tem tornado fiador de superior aliança. Ora, aqueles são feitos sacerdotes em maior número, porque são impedidos pela morte de continuar; este, no entanto, porque continua para sempre, tem o seu sacerdócio imutável. Por isso, também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. Com efeito, nos convinha um sumo sacerdote como este, santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus, que não tem necessidade, como os sumos sacerdotes, de oferecer todos os dias sacrifícios, primeiro, por seus próprios pecados, depois, pelos do povo; porque fez isto uma vez por todas, quando a si mesmo se ofereceu. Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens sujeitos à fraqueza, mas a palavra do juramento, que foi posterior à lei, constitui o Filho, perfeito para sempre”.
 


Jesus Ministrou o Sacerdócio Celestial


Quem é superior, o Sumo Sacerdote Melquisedeque ou o Sumo Sacerdote terrestre da Ordem de Arão?
O Sumo Sacerdote Melquisedeque.
 
No Antigo Testamento, havia um Sumo Sacerdote chamado Melquisedeque. No tempo de Abraão, Quedorlaomer e os reis se aliaram para pegar todos os bens de Sodoma e Gomorra e todos os seus mantimentos e fugiram. Abraão armou os seus servos treinados, que nasceram em sua casa, e os liderou para a guerra.
Lá, ele derrotou Quedorlaomer, o rei de Elam, e os reis aliados a ele, e trouxe de volta seu sobrinho Ló e suas posses. Após o retorno de Abraão da derrota de seus inimigos, Melquisedeque, Rei de Salém e Sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho e abençoou Abraão. E Abraão deu a ele dez por cento de tudo que havia conquistado. (Gênesis capítulo 14).
Na Bíblia, a grandeza do Sumo Sacerdote Melquisedeque e dos Sumo Sacerdotes de sua Ordem está ilustrada em detalhes. O Sumo Sacerdote Melquisedeque era “Rei da Paz”, “Rei da Justiça”, sem pai, sem mãe, sem genealogia. Não tinha início de dias nem fim da vida, mas fez como o Filho de Deus, ele permaneceu um sacerdote continuamente.
A Bíblia nos fala para considerar a grandeza de Jesus Cristo, que foi o Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque, comparando o Sacerdócio de Jesus no Novo Testamento com o do Sumo Sacerdote Arão no Antigo Testamento.
Os descendentes de Levi tornavam-se sacerdotes e coletavam o dízimo do povo, ou seja, de seus irmãos, apesar de eles serem descendentes de Abraão. Mas, quando Abraão deu o dízimo para o Sumo Sacerdote Melquisedeque, Levi ainda estava longe de nascer.
Os Sumo Sacerdotes do Antigo Testamento eram maiores que Jesus? Está explicado na Bíblia. Jesus é maior do que os Sumo Sacerdotes terrenos? Quem deveria ser abençoado por quem? O escritor de Hebreus falava sobre isso desde o início, “Evidentemente, é fora de qualquer dúvida que o inferior é abençoado pelo superior”. Abraão foi abençoado por meio do Sumo Sacerdote Melquisedeque.
Como nós vivemos na nossa fé? Devemos confiar nos mandamentos de Deus, por intermédio do sistema sacrificial do tabernáculo do Antigo Testamento, ou devemos confiar em Jesus Cristo que veio até nós como o Sumo Sacerdote celestial através do Seu sacrifício da água e do Espírito?
Dependendo do que nós escolhermos, seremos abençoados ou amaldiçoados. Nós devemos viver segundo a Palavra de Deus e oferecer sacrifícios todos os dias ou devemos crer na salvação de Jesus que ofereceu a si próprio de uma vez por todas pela água e sangue? Temos que escolher entre essas duas coisas.
No tempo do Antigo Testamento, o povo de Israel vinha até os descendentes de Arão e Levi. Nos dias do Novo Testamento, se nós perguntássemos quem é o maior, Jesus ou os sacerdotes de Arão, então, sem dúvida, poderíamos responder que Jesus é maior. Mas, enquanto as pessoas conhecem claramente esse fato, poucas seguem isso em sua fé.
A Bíblia nos dá a resposta definitiva para essa questão. Ela nos fala que Jesus, que era de uma tribo diferente, da qual ninguém havia trabalhado no altar, tomou o Sacerdócio celestial. “Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei”.
Deus deu ao povo de Israel Dez Mandamentos e 613 artigos detalhados da Lei por intermédio de Moisés. Moisés falou ao povo para viver segundo a Lei e os mandamentos, e o povo concordou com isso.

Por que Deus deixou de lado a primeira aliança e estabeleceu a segunda?
Porque o homem era muito fraco para viver segundo a primeira aliança.
 
Na Bíblia, o povo de Israel garantiu que viveria pelos mandamentos de Deus no Pentateuco: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Deus proclamou cada mandamento e eles disseram “Sim” para todos, sem hesitação.
Mas podemos ver que depois de Deuteronômio, de Josué em diante, eles não viveram mais segundo os mandamentos de Deus. E de Juízes até I e II Reis, eles começaram a desacreditar nos seus líderes e, após isso, decaíram até chegar ao ponto de mudar o sistema sacrificial do Tabernáculo.
Finalmente, em Malaquias, eles trouxeram animais impuros para serem oferecidos, apesar da instrução de Deus para oferecerem um animal puro. Eles pediram aos sacerdotes, “Por favor, aceite este animal”. Em vez de oferecerem os sacrifícios segundo a Lei de Deus, eles alteraram arbitrariamente.
O povo de Israel nunca guardou a Lei de Deus completamente, mesmo no tempo do Antigo Testamento. Eles esqueceram e simplesmente ignoraram a salvação revelada no sistema. Portanto, Deus tinha que mudar o sistema sacrificial. Em Jeremias, Deus disse: “Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá”. 
Vamos ler Jeremias 31:31-34: “Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porquanto eles anularam a minha aliança, não obstante eu os haver desposado, diz o SENHOR. Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais me lembrarei”.
Deus disse que Ele faria uma Nova Aliança. Ele já tinha feito uma aliança com o povo de Israel, mas eles falharam em viver segundo a Palavra de Deus. Portanto, Ele decidiu fazer uma Nova Aliança de salvação com o Seu povo.
Eles se comprometeram diante de Deus, “Nós só adoraremos a Ti e viveremos por Suas Palavras e mandamentos”. Deus falou para eles, “Não terão outros deuses diante de Mim”, e o povo de Israel disse: “Claro, nós nunca adoraríamos outro deus. Tu és o único Deus para nós. Nunca haverá outro deus para nós”. Mas eles falharam em guardar o compromisso.
O cerne da Lei consiste nos Dez Mandamentos: “Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos Céus, nem embaixo na Terra, nem nas águas debaixo da Terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão. Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo. Honra teu pai e tua mãe. Não matarás. Não adulterarás. Não furtarás. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. Não cobiçarás a casa do teu próximo”. (Êxodo capítulo 20).
Também é subdivido em 613 artigos detalhados que deveriam ser guardados por todas as suas vidas. “O que não fazer com as filhas, o que não fazer com os filhos, o que fazer com madrastas...”. A Lei de Deus determinou que fizessem todas as coisas boas e não fizessem coisas más. Estes são os Dez Mandamentos e os 613 artigos detalhados.
Mas, entre toda a humanidade, não existe nem mesmo uma pessoa capaz de guardar todos os artigos da Sua Lei. Portanto, Deus tinha que determinar outra forma para salvar os seus pecados.
Quando o sacerdócio foi transformado? Após a vinda de Jesus ao mundo, o sacerdócio mudou. Jesus tomou o sacerdócio de todos os sacerdotes da Ordem de Arão, acabou com o sacrifício dos tabernáculos, que foi a justa herança dos sacerdotes de Ordem de Levi. Ele sozinho ministrou o Sumo Sacerdócio celestial.
Ele veio a este mundo, não como um descendente de Arão, mas como descendente de Judá, a casa dos reis. Ele se ofereceu como um sacrifício por meio do Seu batismo e Seu sangue na Cruz e salvou toda a humanidade de seus pecados.
Oferecendo-se, Ele tornou possível para nós resolver o problema do pecado. Ele lavou todos os pecados da humanidade por meio do sacrifício do Seu batismo e sangue. Ofereceu um eterno sacrifício pelo pecado.
 

Juntamente Com a Mudança no Sacerdócio Houve Também uma Mudança na Lei
 
Qual é a Lei transformada da salvação?
O único e eterno sacrifício de Jesus Cristo.
 
Queridos amigos, o sacerdócio do Antigo Testamento foi mudado no Novo Testamento. Nos tempos do Antigo Testamento, o Sumo Sacerdote entre os descendentes de Arão, da casa de Levi, ofereciam sacrifícios para expiar os pecados dos Israelitas a cada ano. O Sumo Sacerdote entrava no Santíssimo Lugar, ia até o propiciatório com o sangue do animal sacrificado. Apenas o Sumo Sacerdote podia passar além do véu, onde ficava o Santíssimo Lugar.
Mas, após a vinda de Jesus, o Sacerdócio de Arão foi passado para Ele. Jesus tomou o Sacerdócio eterno e ministrou-o oferecendo-se, para que toda a humanidade pudesse ser salva de seus pecados.
No Antigo Testamento, o Sumo Sacerdote também tinha que expiar por seus pecados colocando as mãos sobre a cabeça do touro, antes que ele pudesse ministrar por todo o povo. Ele passava os seus pecados pela imposição de mãos, dizendo, “Deus, eu pequei”. Então, ele matava o animal e pingava o seu sangue no propiciatório e ao seu redor por sete vezes.
Se o próprio Sumo Sacerdote Arão não era completo, você pode imaginar quão inconstante era o povo. Um filho de Levi, o próprio Sumo Sacerdote Arão, era um pecador e por isso tinha que oferecer um touro para expiar os seus pecados e os de sua família.
Em síntese, O Senhor disse em Jeremias capítulo 31: “Eu quebrarei a aliança. Eu fiz uma aliança com vocês, mas vocês não a guardaram. Portanto, eu deixarei de lado a aliança que não podia santificar vocês e darei uma nova aliança de salvação. Eu não os salvarei mais por meio dos Meus mandamentos, mas oferecerei a salvação por intermédio do evangelho da água e do Espírito”.
Deus nos deu uma Nova Aliança. Quando veio o tempo, Jesus desceu ao mundo na forma de homem, se ofereceu para levar os pecados do mundo e derramou sangue na Cruz, para salvar todos que cressem Nele. Ele levou os pecados de toda a humanidade por meio do Seu batismo.
A Lei de Deus foi afastada e recolocada. O povo de Israel poderia ter sido salvo se tivessem vivido segundo a Lei de Deus, mas eles falharam ao fazer isso. “Em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado”. (Romanos 3:20).
Deus queria que os Israelitas percebessem que eram pecadores e que a Lei não poderia salvá-los. Ele os salvou por meio da lei da salvação da água e do Espírito, não por intermédio das obras. Em Seu infinito amor, Deus nos deu uma Nova Aliança, pela qual podemos ser salvos de todos os pecados do mundo por meio do batismo e do sangue de Jesus.
Se você crer em Jesus sem conhecer o significado do Seu batismo e sangue, toda a sua fé é em vão. Quando faz isso, está mais enrascado do que quando não acreditava em Jesus de forma alguma.
Deus diz que Ele tinha que fazer uma Nova Aliança para salvar a humanidade dos seus pecados. Como resultado, nós agora somos salvos não pela lei das obras, mas pela justa lei da salvação através da água e do sangue.
Ele prometeu e cumpriu a Sua promessa, para nós que cremos em Jesus, e nos falou sobre a grandeza de Jesus. Ele nos falou quão grande Ele é comparado aos sacerdotes da Ordem de Arão no Antigo Testamento.
Nós nos tornamos especiais crendo na salvação através da água e do sangue de Jesus. Pense sobre isso. Não importa o quão estudado e eloquente seu pastor seja, como ele pode ser maior do que Jesus? Não existe possibilidade. Nós só podemos ser salvos por meio do evangelho da água e do sangue, nunca pela simples obediência aos mandamentos de Deus. Porque o sacerdócio foi mudado, a lei da salvação também foi mudada.
 

A Superioridade do Amor de Deus

O que é superior, o amor ou a Lei de Deus?
O amor de Deus.
 
Nós só podemos ser salvos quando cremos em Jesus. Devemos saber como Jesus nos salvou e quão grande é o amor de Deus por nós. Então qual é a diferença entre a fé nos Mandamentos e a fé na grandeza do amor de Deus?
Os legalistas dão mais importância às próprias doutrinas denominacionais e experiências pessoais do que à Palavra de Deus, enquanto a fé espiritual em Jesus é crer na grandeza da salvação cumprida através da água e do Espírito.
Mesmo hoje, muitas pessoas dizem que o pecado original está perdoado, mas que devem se arrepender todos os dias por seus pecados atuais. Muitas pessoas creem nisso e tentam viver suas vidas segundo os mandamentos do Antigo Testamento. Elas ainda estão desavisadas sobre a superioridade da salvação de Jesus, que veio pela água e Espírito.
No Antigo Testamento, os Israelitas tinham que viver pela Lei de Deus para serem salvos de seus pecados, só assim podiam ser salvos. Porque o Senhor conhece as nossas fraquezas e limitações, Ele afastou os Seus mandamentos. Nós nunca podemos ser salvos por intermédio das obras. Jesus disse que Ele nos salvaria por meio do Seu evangelho da água e do Espírito. Ele disse: “Eu mesmo libertarei todos vocês de seus pecados”. Deus profetizou isso em Gênesis.
“Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. (Gênesis 3:15). Depois que Adão e Eva pecaram e caíram, eles fizeram vestimentas de folhas de figueira para tentar esconder o seu pecado de Deus. Mas Deus os chamou e fez vestimentas de couro como um símbolo da salvação. Gênesis fala sobre dois tipos de vestimenta da salvação, uma foi feita de folhas de figueira e a outra de couro. Qual você acha que é melhor? É claro que as vestimentas de couro são melhores, porque a vida de um animal foi oferecida para proteger o homem.
Vestimentas de folhas de figueira em breve se desgastam. Como você sabe, uma folha de figueira parece com uma mão com cinco dedos. Então, colocar uma folha de figueira significa esconder os pecados da pessoa atrás das boas obras. Se você vestisse vestes de folha de figueira e sentasse, as folhas em breve seriam feitas em pedaços. Eu costumava fazer armaduras de folhas para brincar de soldado quando era criança, mas não importava o cuidado com que eu as vestisse, elas estariam todas rasgadas no fim do dia. Da mesma forma, a fraca carne humana torna a santificação impossível.
Mas a salvação da água e do sangue, o batismo de Jesus e a Sua morte na Cruz salvaram os pecadores para a grandeza do amor de Deus. Esta é a superioridade do amor de Deus sobre a Sua Lei.
 
 
Aqueles que Ainda têm Fé na Lei de Deus
 
Por que os legalistas se revestem todos os dias com suas obras?
Porque eles não sabem que suas obras não podem torná-los justos.

Aqueles que fazem as suas vestes com folhas de figueira são pessoas que levam uma vida legalista. Estes crentes sempre precisam estar mudando as suas vestes, fazem novas vestes todos os domingos quando vão à Igreja. “Querido Deus, eu pequei tanto esta semana. Mas Senhor, eu creio que você me salvou na Cruz. Senhor, por favor, lave os meus pecados com o sangue da Cruz!”. Eles costuram novas vestes sempre que precisam. “Oh, louve ao Senhor. Aleluia!”.
Mas eles logo precisam fazer outras vestes em casa. Por quê? Porque as vestes antigas já se rasgaram. “Querido Senhor, eu pequei durante os últimos três dias. Por favor, me perdoe”. Eles fazem e vestem novas vestes de arrependimentos continuamente.
No início, as vestes podem durar muitos dias, mas depois de um tempo, necessitam fazer uma nova todos os dias. Como não podem viver segundo a Lei de Deus, se envergonham de si mesmos, “Oh, isso é tão vergonhoso. Senhor, oh, Senhor, Eu pequei!”. e precisam fazer novas vestes de arrependimento. “Oh, Senhor, está tão difícil fazer novas vestes de folhas de figueira hoje”. Eles se esforçam muito para fazer uma nova roupa.
Sempre que tais homens clamam a Deus, é para confessar os seus pecados. Eles mordem seus lábios e clamam ao Senhor, “Deus!”. e continuam fazendo novas vestes todos os dias. Então, o que acontece quando eles se cansam?
Uma ou duas vezes por ano, eles sobem nos montes e jejuam. Tentam e fazem vestes superfortes. “Senhor, por favor, lave os meus pecados. Por favor, me transforme. Eu creio em Ti, Senhor”. Eles pensam que é melhor orar durante a noite. Então, eles descansam durante o dia e assim que a escuridão chega se agarram as árvores com todo o desejo ou vão para cavernas escuras e clamam ao Senhor. “Senhor, eu creio!”. “♪Eu me arrependo e encho a minha alma com uma mente contrita. ♪”. Eles oram em voz alta e gritam: “Eu creio”. Dessa forma, fazem vestes especiais que eles desejam que durem por muito tempo, mas nunca duram.
Oh, como é revigorante voltar de uma jornada de orações no monte! Como uma brisa refrescante ou como uma chuva de primavera caindo sobre as árvores e flores, as suas almas estão cheias com a paz e a Graça do Todo-Poderoso. Sentindo-se mais puros do que o espírito da montanha, eles encaram o mundo vestindo suas novas vestes especiais.
Mas logo que voltam às suas casas e Igrejas, e começam a viver novamente, as vestes ficam sujas e começam a rasgar.
Os seus amigos perguntam, “Por onde você tem andado?”.
“Bem, eu estive longe por um tempo”.
“Você parece que perdeu peso!”.
“Bem, sim, mas isso é outra história”.
Eles nunca divulgam que fizeram jejum, apenas vão para a Igreja e oram. “Eu nunca cobiçarei mulher, eu nunca mentirei. Eu nunca cobiçarei a casa do meu próximo. Amarei todas as pessoas”.
Mas no momento em que veem uma bela mulher com pernas bonitas, a santidade em seus corações muda instantaneamente para pura luxúria. “Veja como aquela saia é curta! As saias estão ficando cada vez mais curtas! Eu preciso ver aquelas pernas de novo! Oh, Não! Oh, Senhor! Eu pequei novamente!”.
Os legalistas parecem puros, mas você precisa saber que eles têm que fazer novas vestes todos os dias. O legalismo é a fé em vestes de folha de figueira, a fé errada. Muitas pessoas tentam viver piedosamente, segundo a Lei de Deus. Eles abaixam o volume de suas vozes para que elas pareçam mais piedosas.
Os legalistas passam uma imagem impressionante quando lideram reuniões de oração na Igreja. “Santo Pai do Céu! Nós pecamos esta última semana. Por favor, nos perdoe...”. Eles começam a chorar e o resto da congregação segue o exemplo. Eles pensam consigo mesmos, “Ele deve ter gastado muito tempo nas montanhas orando e jejuando. Ele parece tão piedoso e fiel”. Mas, porque sua fé é legalista, mesmo antes do fim das orações, o coração dele começa a se encher de arrogância e pecado.
Quando as pessoas fazem vestes especiais de folhas de figueira, elas podem durar não mais do que duas ou três semanas. Mais cedo ou mais tarde, as vestes começam a rasgar e elas precisam fazer novas roupas e seguir em frente com suas vidas hipócritas. Esta é a vida do legalista que tenta viver segundo a Lei, a fim de ser salvo. Eles precisam fazer novas vestes de folha de figueira incessantemente.
O legalismo é a fé das folhas de figueira. Os legalistas falam para você, “Vocês todos pecaram durante toda a semana, não pecaram? Então, se arrependam”.
Eles gritam bem alto, “Se arrependam! Orem!”. Ele sabe como fazer a sua voz soar bem santa, “Senhor! Desculpe-me. Eu não vivi pela sua Lei. Eu não guardei os Seus mandamentos. Perdoe-me, Senhor, me perdoe mais uma vez”.
Eles não podem viver pela Lei, apesar de tentarem fazer isso em vão. Na verdade, estão desafiando a Lei de Deus e o próprio Deus, por isso são arrogantes diante de Dele.
 

Os Gostos de Chudal Bae

Por que Deus afastou a Lei?
Porque não servia para nos salvar dos pecados.
 
Havia um jovem chamado Chudal Bae. Em 1950, durante a Guerra da Coreia, os soldados comunistas vieram e ordenaram que ele varresse o quintal no dia de Sábado, com a intenção de afastá-lo da sua fé religiosa firme e fazer dele um comunista. Mas este jovem religioso recusou-se a obedecer às ordens. Eles insistiram, mas o jovem se recusou novamente.
Finalmente, os soldados o amarraram a uma árvore e apontaram os rifles para ele, “O que você quer, varrer o quintal ou ser assassinado?”.
Quando forçado a tomar uma decisão, ele disse: “Eu prefiro morrer a trabalhar no Sábado”.
“Você fez a sua escolha e nós ficaremos felizes em te ajudar”.
E eles o mataram. Mais tarde, os líderes da Igreja o escolheram como diácono postumamente para comemorar sua fé religiosa inabalável.
Mas a sua fé religiosa estava errada. Por que ele não poderia ter varrido o quintal e pregado o evangelho para aqueles soldados? Por que ele teve que ser tão orgulhoso e morrer por isso? Deus o louvaria por ele não trabalhar no sábado? Não.
Nós devemos levar uma vida espiritual. Não são as nossas obras, mas nossa fé é importante na presença de Deus. Os líderes da Igreja querem celebrar alguém como Chudal Bae porque querem mostrar a superioridade e ortodoxia de suas próprias denominações. São como os fariseus hipócritas que desafiaram Jesus.
Não há nada que podemos aprender de legalistas. Nós devemos aprender sobre a fé espiritual. Poderíamos ponderar sobre o porquê Jesus teve que ser batizado e derramou sangue na Cruz e inquirir sobre a natureza do evangelho da água e do Espírito.
Nós devemos primeiro tentar encontrar as respostas para aquelas perguntas e então tentar espalhar o evangelho para todas as pessoas do mundo, para que elas possam nascer de novo. Devemos devotar as nossas vidas para as obras espirituais.
Se um pregador falar para você, “Seja como este jovem Chudal Bae. Guarde o sábado”, ele está apenas tentando fazer você ir à Igreja aos domingos.
Aqui está outra história. Havia uma mulher que precisava passar por muitas provações para ir à Igreja aos domingos. Seus padrastos não eram Cristãos e tentavam a todo custo evitar que ela fosse à Igreja. Eles falaram para ela trabalhar no domingo, mas ela começou a trabalhar nos campos nas noites de sábado até a meia-noite, para evitar que seus padrastos não deixassem que ela fosse à Igreja no domingo.
É claro, é muito importante ir à Igreja, mas é suficiente vir para o culto todos os domingos apenas para mostrar quão fiéis nós somos? As verdadeiras pessoas fiéis nasceram de novo da água e do Espírito. A verdadeira fé começa quando alguém nasce de novo.
Você pode ser salvo de todos os seus pecados vivendo segundo a Lei de Deus? Não. Eu não estou falando para você ignorar a Lei, mas todos nós sabemos que é humanamente impossível guardar todos os artigos da Lei.
Tiago 2:10 diz: “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos”. Portanto, pense primeiro como você pode ser nascido de novo da água e do Espírito e, então, vá à Igreja onde você pode ouvir do evangelho. Assim, você pode levar uma vida fiel, após nascer de novo, e quando o Senhor chamar, poderá se apresentar diante dele com alegria.
Não perca o seu tempo indo a falsas Igrejas, não gaste o seu dinheiro fazendo ofertas falsas. Os falsos pastores não podem evitar que você vá para o inferno. Primeiro ouça o evangelho da água e do Espírito e nasça de novo.
Pense sobre a razão pela qual Jesus veio a este mundo. Se nós pudéssemos entrar no Reino do Céu vivendo segundo a Lei, Ele não teria que ter vindo a este mundo. Após a Sua vinda, o sacerdócio foi transformado. O legalismo se tornou coisa do passado. Antes de sermos salvos, nós pensávamos que poderíamos ser salvos vivendo segundo a Lei, mas isso não é mais um sinal de verdadeira fé.
Jesus nos salvou de todos os pecados com o Seu amor, com a água do Seu batismo, com Seu sangue e com o Espírito. Ele cumpriu a nossa salvação por meio do Seu batismo no Rio Jordão, Seu sangue na Cruz e Sua ressurreição.
Deus afastou as antigas normas porque eram fracas e inúteis. “(pois a lei nunca aperfeiçoou coisa alguma), e, por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus. E, visto que não é sem prestar juramento (porque aqueles, sem juramento, são feitos sacerdotes)”. (Hebreus 7:19-20). Jesus fez uma aliança e nos salvou de todos os nossos pecados com o Seu batismo e sangue. O martírio legalista é uma morte infrutífera e a única fé verdadeira é crer no evangelho da água e do Espírito.
Nós temos que ter a fé frutífera. O que você acha que é bom para sua alma? Seria melhor frequentar regularmente uma Igreja e viver segundo a Lei ou frequentar a Igreja de Deus onde o evangelho da água e do espírito é pregado, para que você possa nascer de novo? Qual Igreja e qual pregador seriam mais benéficos para sua alma? Pense sobre isso e escolha aquilo que seria melhor.
Deus salva a sua alma por meio do pregador que tem as Palavras do evangelho da água e do Espírito. O verdadeiro crente sábio é aquele que subordina a sua alma à Palavra de Deus.
 


Jesus se Tornou Sacerdote Por Meio de um Juramento

 
Os descendentes da Ordem de Levi tornavam-se sacerdotes por meio de um juramento?
Não. Apenas Jesus tornou-se Sacerdote por meio de um juramento.
 
Hebreus 7:20-21 diz: “E, visto que não é sem prestar juramento (porque aqueles, sem juramento, são feitos sacerdotes, mas este, com juramento, por aquele que lhe disse: O Senhor jurou e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre.)”.
E o Salmos 110:4 diz: “O SENHOR jurou e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque”. O Senhor fez um acordo. Ele fez uma aliança conosco e a mostrou para nós por meio da sua Palavra escrita. “Eu me tornarei o eterno Sumo Sacerdote na Ordem de Melquisedeque. Melquisedeque é o Rei da Justiça, Rei da Paz e Sumo Sacerdote eterno. Eu me tornarei o eterno Sumo Sacerdote para a sua salvação”.
Jesus veio a este mundo e se tornou a certeza de uma aliança melhor. (Hebreus 7:22). Em vez de sangue de touros e bodes, Ele ofereceu a si mesmo como sacrifício, sendo batizado e derramando sangue na Cruz para lavar todos os nossos pecados.
No tempo do Antigo Testamento, quando um Sumo Sacerdote morria, seu filho prosseguia no sacerdócio quando completasse 30 anos. Quando ele ficava velho e seu filho alcançava a idade de 30 anos, novamente transferia o sacerdócio.
Havia muitos descendentes do Sumo Sacerdote, então Davi desenvolveu um sistema pelo qual todos eles desempenhariam as atividades em turnos. Como todos os descendentes de Arão foram escolhidos como sacerdotes, eles tinham o direito e a obrigação de ministrar o sacerdócio. Lucas 1 diz: “Zacarias, do turno de Abias... Ora, aconteceu que, exercendo ele diante de Deus o sacerdócio na ordem do seu turno...”.
Jesus veio a esse mundo e ministrou o Sacerdócio para sempre. Ele veio como o Sacerdote das boas novas que veio e cumpriu a salvação do novo nascimento da água e do Espírito.
Os descendentes de Arão eram fracos e incompletos. O que acontecia quando um Sumo Sacerdote morria? Seu filho assumia o Sumo Sacerdócio. Mas seus sacrifícios nunca eram suficientes para assegurar a completa salvação da humanidade. A fé por intermédio de homens nunca pode ser completa.
No tempo do Novo Testamento, Jesus veio a este mundo, mas Ele não precisava oferecer sacrifícios contínuos, porque vive para sempre. Ele levou todos os pecados para sempre com o Seu batismo e ofereceu a Si mesmo, sendo crucificado, para tornar todos àqueles que cressem Nele livres do pecado.
Agora, Ele está vivo e senta à direita de Deus para testemunhar por nós. “Querido Pai, eles ainda podem ser incompletos, mas creem em mim. Eu não levei os pecados de todos eles há muito tempo atrás?”. Jesus é o eterno Sumo Sacerdote da nossa salvação.
Os sacerdotes terrenos nunca foram completos. Quando eles morriam, seus filhos assumiam o sacerdócio. O nosso Senhor vive para sempre. Ele cumpriu a eterna salvação por nós vindo a este mundo, sendo batizado por João Batista e então derramando sangue na Cruz por todos os nossos pecados.
“Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado”. (Hebreus 10:18). Jesus testifica a nossa salvação até o fim dos tempos. Você já nasceu de novo da água e do Espírito?
“Com efeito, nos convinha um sumo sacerdote como este, santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus”. (Hebreus 7:26). “Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens sujeitos à fraqueza, mas a palavra do juramento, que foi posterior à lei, constitui o Filho, perfeito para sempre”. (Hebreus 7:28).
O que eu quero dizer para você é que Jesus Cristo, sem defeito, lavou os nossos pecados de uma vez por todas, através da água do Seu batismo e Seu sangue na Cruz. Ele nos salvou de todos os nossos pecados, não pela lei das obras, mas levando todos os nossos pecados e sendo julgado para sempre.
Você crê que Ele nos salvou de todos os nossos pecados por meio da salvação eterna? Se você crê, está salvo. Mas se não, ainda tem muito que aprender sobre a eterna salvação de Jesus.
A verdadeira fé vem do evangelho da água e do Espírito, estritamente baseado nas Escrituras. Jesus Cristo, o eterno Sumo Sacerdote celestial, tornou-se o eterno Salvador por meio do Seu batismo e sangue na Cruz.
 

Nós Temos que Entender por Completo a Nossa Fé

O que significa “crer em Jesus?”.
É ter fé no batismo de Jesus e na Sua morte na Cruz.
 
Nós temos que pensar sobre como podemos crer em Jesus e tornar a nossa fé mais correta. Como podemos crer em Jesus da forma mais correta? Podemos fazer isso crendo no evangelho do batismo de Jesus e Seu sangue na Cruz.
A fé correta é crer na obra de Jesus, Seu batismo e sangue, sem acrescentar nossas ideias erradas. Você crê? Mas qual é a sua condição espiritual? Você confia nas suas próprias obras e esforços?
Não muito tempo se passou desde que eu comecei a crer em Jesus, mas sofri por cerca de 10 anos em razão do legalismo. Mas me cansei daquele tipo de vida, nem gosto de lembrar-se de como eu era naquela época. Minha esposa está sentada aqui agora. Ela sabe o quão terrível foi para nós.
Nos domingos, eu dizia: “Amor, vamos reservar um tempo para nós hoje”.
“Mas hoje é domingo!”.
Ela nem mesmo lavava roupas no domingo. Um domingo, minhas calças estavam sujas e ela me falou para esperar até segunda. De fato, eu insistia para que observássemos o sábado corretamente, mas era muito difícil. Nós nunca descansávamos nos domingos porque era difícil guardar esse dia corretamente. Eu ainda me lembro daqueles dias.
Queridos amigos, para crer verdadeiramente em Jesus, temos que crer na expiação de nossos pecados por meio do Seu batismo e sangue na Cruz. A verdadeira fé é crer na divindade e humanidade de Jesus e em todas as coisas que Ele fez neste mundo. A verdadeira fé crê em todas as Suas Palavras.
O que significa “crer em Jesus?”. É crer no batismo de Jesus e no Seu sangue. É muito simples. Tudo o que temos que fazer é olhar para a Bíblia e crer no evangelho. Todos nós deveríamos crer da forma correta.
“Obrigado Senhor. Agora eu vejo que nada é feito por intermédio dos meus esforços! Pois pela Lei vem o conhecimento do pecado. (Romanos 3:20). Eu entendo tudo isso agora. Eu pensava que, porque a Lei era boa, porque eram os mandamentos de Deus, eu deveria tentar viver por ela. Eu tentei bastante até hoje, mas agora eu vejo que eu estava errado em pensar que eu poderia viver segundo a Lei. Agora eu vejo que eu nunca poderia guardar os mandamentos de Deus! Portanto, por meio da Lei de Deus, agora eu posso perceber que meu coração está cheio de pensamentos maus e transgressões. Eu entendo agora que a Lei é dada para instigar em nós o conhecimento do pecado. Oh, obrigado Senhor. Eu entendia errado a Sua vontade e tentava duramente guardar a Lei. Foi muita arrogância minha até mesmo tentar fazer isso. Eu me arrependo. Agora eu sei que Jesus foi batizado e derramou sangue pela minha salvação! Eu creio!”.
Você tem que crer francamente e puramente. Você só deve crer nas Palavras escritas na Bíblia. É o único modo de nascer de novo por completo.
O que é crer em Jesus? É algo que temos que completar em um período de tempo? A nossa fé é uma religião pela qual temos que trabalhar? As pessoas fizeram deuses e criaram religiões para esses deuses. Religião é um processo que o homem faz para alcançar um objetivo – a divindade do homem.
Então, o que é fé? Significa crer em Deus e ser grato a Ele por essa bênção. Esta é a verdadeira fé. Esta é a diferença entre fé e religião. Uma vez você aprendendo a distinguir entre as duas, irá avançar muito o seu entendimento sobre fé.
Os teólogos que não são nascidos de novo nos dizem que devemos crer em Jesus e viver piedosamente. Uma pessoa pode ser fiel simplesmente sendo piedosa? É claro que temos que ser bons. Quem leva uma vida mais piedosa do que aqueles que são nascidos de novo?
Mas o ponto é que eles estão falando isso para os pecadores. Existem 12 tipos de pecados dentro do pecador. Como ele pode viver piedosamente? Certamente a sua mente pode compreender o que ele precisa fazer, mas seu coração não pode cumprir. Quando um pecador sai da Igreja, viver piedosamente se torna apenas teoria e seus instintos o levam a pecar.
Portanto, nós temos que decidir em nossos corações se viveremos pela Lei ou seremos salvos pela crença no batismo de Jesus e Seu sangue na Cruz, tendo fé no eterno Sumo Sacerdote do Reino do Céu.
Lembre-se que Jesus é o verdadeiro Sumo Sacerdote para aqueles que creem. Vamos todos ser salvos pelo conhecimento e crença na verdadeira salvação por meio do batismo de Jesus e Seu sangue na Cruz.
 

O Nascido de Novo Não Teme o Fim do Mundo
 
Por que o nascido de novo não tem medo do fim do mundo?
Porque a sua fé no evange1ho da água e do Espírito o faz livre dos pecados.
 
Quando você realmente nasce de novo, não precisa temer o fim do mundo. Muitos Cristãos na Coreia diziam que o mundo iria acabar no dia 28 de outubro de 1992. Que dia terrível e tumultuado será, diziam eles. Mas todos os seus avisos revelaram-se falsos. O verdadeiro nascido de novo vive piedosamente, espalhando o evangelho até o último momento. Seja lá qual for o dia em que esse mundo vai terminar tudo o que temos que fazer é pregar o evangelho da água e do Espírito.
Quando o noivo vier, as noivas que realmente forem nascidas de novo poderão encontrá-Lo com grande alegria, dizendo: “Oh, finalmente o Senhor veio! Minha carne ainda é incompleta, mas você me amou e me salvou de todos os meus pecados. Então, não tenho nenhum pecado em meu coração. Obrigado, Senhor. Você é meu Salvador!”.
Jesus é o noivo para todos os justos. O casamento acontecerá porque o noivo ama a noiva, não pelo contrário. Eu sei que muitas vezes acontece dessa forma nesse mundo, mas no Céu, é o noivo que decide se o casamento vai acontecer. É o noivo que escolhe casar baseado no Seu amor e oferta de salvação, sem depender da noiva. Essa é a forma que o casamento no Céu é realizado.
O noivo sabe tudo sobre as noivas. Porque Suas amadas noivas eram pecadoras, Ele ficou com pena e salvou a todas de seus pecados, sendo batizado e derramando sangue na Cruz.
Nosso Senhor não veio a esse mundo como um descendente de Arão, não veio para oferecer sacrifícios terrenos. Havia muitos levitas, os descendentes de Arão, para fazer esse serviço.
De fato, o personagem principal dos sacrifícios no Antigo Testamento era o próprio Jesus Cristo. Portanto, quando Ele próprio veio ao mundo, o que aconteceu com as sombras? Elas foram dissipadas.
Quando Jesus veio a esse mundo, Ele nunca ofereceu sacrifícios como Arão fez, mas ofereceu a si mesmo pela humanidade ao ser batizado e derramando o sangue pela salvação dos pecadores. Ele cumpriu a salvação da Cruz.
Para aqueles que creem no batismo de Jesus e no Seu sangue na Cruz, a salvação não é duvidosa. Jesus não expiou os pecados de forma obscura. Ele o fez claramente. “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida”. (João 14:6). Jesus veio a esse mundo e nos salvou com o Seu batismo, Sua morte e Sua ressurreição.
 

O Antigo Testamento é o Modelo de Jesus

Qual foi a razão para o estabelecimento de uma outra Aliança?
Porque a primeira foi frágil e inútil.
 
O Antigo Testamento é à sombra do Novo Testamento. Apesar de Jesus nunca ter oferecido sacrifícios como os Sumos Sacerdotes no Antigo Testamento, Ele ministrou um Sacerdócio melhor, o eterno Sacerdócio celestial. Porque o povo nesse mundo é pecador, desde o seu nascimento, eles se tornaram pecadores e não podem se tornar justos por intermédio da Lei de Deus. Assim, Deus estabeleceu outra aliança.
Nosso Pai no Céu enviou o Seu único Filho para este mundo e nos pediu em troca para termos fé no Seu batismo, no Seu sangue e na Sua ressurreição. Esta é a segunda aliança de Deus. A segunda aliança requer de nós a crença no evangelho da água e do Espírito.
O Senhor não está mais pedindo para fazermos boas obras, não nos diz como viver para sermos salvos. Ele só pede para nós crermos na salvação através do Seu Filho. Ele nos pede para crer no Seu batismo e sangue e na Cruz acima de tudo. E nós temos que dizer sim.
Na Bíblia, a casa de Judá mantinha a realeza. Todos os reis de Israel nasceram na casa de Judá até o Rei Salomão. Mesmo depois da divisão do reino, a casa de Judá se manteve no trono no reino do sul, até o seu colapso em 586 a.C. Então, o povo de Judá permaneceu entre os Israelitas. A tribo de Levi era a dos sacerdotes. Cada tribo de Israel tinha o seu próprio papel. Deus prometeu para a tribo de Judá que Jesus viria dentre eles.
Por que Ele fez essa aliança com a tribo de Judá? Fazer essa aliança foi o mesmo que fazer uma aliança com o povo do mundo, porque os Israelitas representavam a população do mundo. Jesus cumpriu a Nova Aliança, que foi a salvação da humanidade por meio do Seu batismo, Sua morte na Cruz e Sua ressurreição.
 
 

Os Pecados dos Homens Não Podem ser Lavados Por Meio de Arrependimentos


Os pecados dos homens são lavados pelos arrependimentos?
Não.

Em Jeremias 17:1, está escrito que o pecado do homem está gravado em dois lugares. “O pecado de Judá está escrito com um ponteiro de ferro e com diamante pontiagudo, gravado na tábua do seu coração e nas pontas dos seus altares”.
Nossos pecados estão gravados em nossos corações. É por isso que sabemos que nós somos pecadores. Antes de crer em Jesus, a pessoa não sabe que é pecadora. Por quê? Porque tal pessoa não tem a Lei de Deus em seu coração. Portanto, quando alguém crê em Jesus, percebe que é pecadora diante de Deus.
Alguns só percebem que são pecadores 10 anos depois de começarem a crer em Jesus. “Oh, Senhor! Eu sou um pecador! Eu pensei que fosse salvo, mas de alguma forma eu ainda sou um pecador!”. A descoberta vem até ele um dia quando finalmente se vê como um pecador. Ele foi tão feliz por 10 anos, mas de repente vê a verdade. Você sabe por quê? Ele percebe isso porque finalmente é capaz de ver os seus pecados e transgressões por meio da Lei de Deus. Ele creu em Jesus por 10 anos sem ser nascido de novo.
Como a pessoa não pode apagar seus pecados do coração, ela permanece sendo pecadora diante de Deus. Algumas levam 5 anos, outras levam 10 anos para alcançar esta percepção. Algumas descobrem isso após 30 anos, algumas após 50 anos e outras nunca percebem a verdade. “Querido Deus, eu costumava ser bom antes de guardar os mandamentos na minha mente”. Eu estava confiante que eu estava guardando bem a Lei, mas agora eu percebo que eu pequei todos os dias. Assim como o Apóstolo Paulo disse: “Outrora, sem a lei, eu vivia; mas, sobrevindo o preceito, reviveu o pecado, e eu morri”. (Romanos 7:9). Eu sou um pecador apesar de crer em Cristo.
São os seus próprios pecados que lhe afastam de viver segundo a Palavra de Deus. Seus pecados estão gravados em seu coração. Porque Deus grava os seus pecados lá, quando você inclina a cabeça para orar, todos os seus pecados aparecem. “Surpresa! Eu sou o pecado que você cometeu”.
“Mas eu pedi perdão por você há 2 anos. Por que você está se mostrando novamente? Por que você não foi embora?”.
“Oh, não seja tão desagradável! Eu estou gravado em seu coração. Não importa o que você pense, você ainda é um pecador”.
“Não! Não!”.
Então, a pessoa se arrepende novamente pelos pecados que cometeu há 2 anos. “Por favor, me perdoe Senhor. Eu ainda estou atormentado pelos pecados que cometi antes. Arrependi-me, mas eles ainda estão comigo. Por favor, me perdoe, pois eu pequei”.
Mas aqueles pecados vão embora por meio do arrependimento? Os pecados do homem não podem ser apagados sem o evangelho da água e do Espírito, porque estão gravados em seus corações. Apenas por meio desse evangelho, a verdadeira expiação de pecados pode ser alcançada. Só podemos ser salvos por meio da nossa fé no verdadeiro evangelho de Jesus.
 

Eu Serei o Seu Salvador

Como devemos responder à Nova Aliança?
Temos que crer nela com nossos corações e pregá-la por todo o mundo.
 
Nosso Senhor no Céu fez uma Nova Aliança conosco: “Eu serei o seu Salvador. Eu te farei completamente livre dos pecados do mundo através da água e do sangue. Abençoarei todos aqueles que crerem em mim”.
Você crê nesta Nova Aliança com Deus? Nós podemos ser salvos de todos os nossos pecados e nascer de novo quando crermos na verdade da Sua aliança e Sua salvação através da água e do sangue.
Nós não confiamos em um médico se ele não nos diagnostica corretamente. Um médico primeiro precisa diagnosticar seu paciente corretamente e, então, prescrever o remédio adequado. Existem muitos tipos de remédios, mas ele tem que saber exatamente qual é aquele que deve usar. Uma vez o médico tendo diagnosticado o paciente de forma correta, existem muitos remédios disponíveis para curá-lo. Mas, com o diagnóstico errado, todos aqueles remédios bons só podem fazer o paciente piorar.
Da mesma forma, quando você crê em Jesus, tem que diagnosticar a condição do seu espírito baseado na Palavra de Deus. Quando examina o seu espírito com o a Palavra de Deus, você pode ver exatamente em qual condição o seu espírito está. O Médico dos espíritos pode curar todos os seus pacientes, sem exceção. Todos podem nascer de novo.
Se você diz: “Eu não sei se fui redimido”. Isso significa que você não é salvo. Se um pastor é verdadeiramente um discípulo de Jesus, ele tem que ser capaz de resolver o problema de pecado de seus seguidores. Então, poderá resolver os problemas de fé e guiá-los espiritualmente. Ele tem que ser capaz de ver a condição espiritual exata de seus seguidores.
Jesus veio a este mundo para levar todos os pecados do mundo. Veio, foi batizado e morreu na Cruz. Quando Ele expiou todos os pecados, ele deixou os seus de fora? A Palavra da água e do Espírito destruiu os pecados de todos os crentes.
O evangelho é como dinamite. Explode tudo, de grandes edifícios até montanhas. A obra de Jesus é da mesma forma. Ele limpa os pecados daqueles que creem Nele com o Seu evangelho da água e do Espírito. Vamos olhar para o evangelho da água e do Espírito como ele está expresso na Bíblia.
 

O Evangelho da Imposição de Mãos no Antigo Testamento

Qual era o propósito da imposição de mãos no Antigo Testamento?
Seu propósito era transferir os pecados para a oferta pelo pecado.
 
Vamos ler a verdade do evangelho da redenção em Levítico 1:3-4: “Se a sua oferta for holocausto de gado, trará macho sem defeito; à porta da tenda da congregação o trará, para que o homem seja aceito perante o SENHOR. E porá a mão sobre a cabeça do holocausto, para que seja aceito a favor dele, para a sua expiação”.
Esta passagem nos fala que o holocausto deveria ser oferecido na porta da tenda da congregação, diante do Senhor, pela imposição de mãos na cabeça da oferta, e o holocausto tinha que ser um animal vivo e sem defeito.
Na época do Antigo Testamento, um pecador colocava as mãos sobre a cabeça do holocausto para expiar seus pecados diários. Ele matava um animal diante do Senhor e o sacerdote pegava um pouco do sangue e colocava nos chifres do altar do holocausto. Ele então derramava o resto do sangue na base do altar e o pecador era perdoado pelos seus pecados diários.
Pelos pecados anuais, está escrito em Levítico 16:6-10: “Arão trará o novilho da sua oferta pelo pecado e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes e os porá perante o SENHOR, à porta da tenda da congregação. Lançará sortes sobre os dois bodes: uma, para o SENHOR, e a outra, para o bode emissário. Arão fará chegar o bode sobre o qual cair a sorte para o SENHOR e o oferecerá por oferta pelo pecado. Mas o bode sobre que cair a sorte para bode emissário será apresentado vivo perante o SENHOR, para fazer expiação por meio dele e enviá-lo ao deserto como bode emissário”. Como está explicado na Bíblia, bode emissário significa “lançado fora”. Então os pecados do ano eram expiados no décimo dia do sétimo mês.
Em Levítico 16:29-30 está escrito: “Isso vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez dias do mês, afligireis a vossa alma e nenhuma obra fareis, nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós. Porque, naquele dia, se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados, perante o SENHOR”.
Este era o dia em que os Israelitas expiavam por seus pecados anuais. Como isso podia ser feito? Primeiro, o Sumo Sacerdote Arão tinha que estar presente ao sacrifício. Quem representava o povo de Israel? Arão. Deus o designou e seus descendentes como Sumos Sacerdotes.
Arão oferecia um touro para expiar pelos seus pecados e da sua casa. Ele matava um touro e espirrava um pouco do seu sangue no propiciatório e nos arredores por sete vezes. Ele tinha que expiar por si mesmo e sua casa antes de tudo.
Expiação significa transferir os pecados de alguém para a oferta do pecado e deixar o holocausto morrer em seu lugar. O próprio pecador deveria morrer, mas ele podia expiar por seus pecados passando-os para o holocausto e deixando este morrer em seu lugar.
Após seus pecados e os da sua casa serem expiados, ele oferecia um bode diante de Deus enquanto enviava outro bode para o deserto como emissário, na presença do povo de Israel.
Um bode era oferecido como holocausto. Arão colocava suas mãos na cabeça dele e confessava, “O Senhor, Seu povo Israel violou todos os Dez Mandamentos e os 613 artigos da Sua Lei. Os Israelitas se tornaram pecadores. Eu agora coloco as minhas mãos neste bode para transferir todos os nossos pecados anuais”.
Ele cortava a garganta do animal e entrava no Santíssimo Lugar dentro do tabernáculo com seu sangue. Então espalhava um pouco do sangue no propiciatório e ao redor dele por sete vezes.
Dentro do Santíssimo Lugar ficava a Arca da Aliança. Sua cobertura é chamada de propiciatório e dentro dela ficavam as duas Tábuas da Aliança, o pote dourado de maná e o bordão de Arão.
O bordão de Arão significa a ressurreição, as duas tábuas significam a Sua justiça, e o pote de ouro de maná significa a Sua Palavra de vida.
Há uma cobertura na Arca da Aliança. O sangue era espalhado diante do propiciatório por sete vezes. Como havia sinos dourados pendurados na manga do manto do Sumo Sacerdote, eles soavam quando ele espalhava o sangue.
Em Levítico 16:14-15 está escrito: “Tomará do sangue do novilho e, com o dedo, o aspergirá sobre a frente do propiciatório; e, diante do propiciatório, aspergirá sete vezes do sangue, com o dedo. Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado, que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diante dele”.
Os sinos soavam todas as vezes que ele espalhava um pouco do sangue do bode e todos os Israelitas que se reuniam do lado de fora podiam ouvir o som. Como a expiação pelos seus pecados tinha que ser feita por intermédio do Sumo Sacerdote, o som dos sinos significava que o seus pecados haviam sido perdoados. Era o som da bênção para todo o povo de Israel.
Quando os sinos tocavam sete vezes, cada um podia dizer: “Agora estou aliviado. Eu estava preocupado com os pecados do ano todo e agora me sinto livre”. E o povo voltava para as suas vidas, sentindo-se livre de culpa. O som dos sinos naquele tempo era o mesmo que as boas novas do novo nascimento da água e do Espírito.
Quando nós ouvimos o evangelho da redenção da água e do Espírito e cremos com todo o nosso coração e o confessamos com a nossa boca, praticamos o verdadeiro evangelho. Quando o sino tocava por 10 vezes, todos os pecados anuais dos Israelitas eram lavados. Os seus pecados eram lavados diante de Deus.
Após oferecer um bode pelos Israelitas, o Sumo Sacerdote pegava o outro bode e enviava para as pessoas que estavam esperando fora do tabernáculo. Enquanto eles observavam, o Sumo Sacerdote Arão colocava suas mãos na cabeça do bode.
Em Levítico 16:21-22 está escrito: “Arão porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de Israel, todas as suas transgressões e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem à disposição para isso. Assim, aquele bode levará sobre si todas as iniquidades deles para terra solitária; e o homem soltará o bode no deserto”.
O Sumo Sacerdote, Arão, colocava suas mãos na cabeça do outro bode (emissário) e confessava todos os pecados anuais dos Israelitas diante de Deus. “Ó Deus, os Israelitas pecaram diante de Ti. Nós violamos os Dez Mandamentos e os 613 artigos da Sua Lei. O Deus, eu passo todos os pecados anuais dos Israelitas para a cabeça deste bode”.
Segundo Jeremias 17:1, os pecados estão gravados em dois lugares. Um é o Livro das Obras e o outro é a tábua do nosso coração. 
Então se o povo está expiando pelos seus pecados, eles devem ser apagados dos Livros das Obras e das tábuas dos seus corações. No Dia da Expiação, um bode era para os pecados escritos no Livro do Julgamento e o outro era para aqueles gravados nas tábuas dos seus corações.

O que Deus mostrou para os Israelitas por meio do sistema sacrificial do Antigo Testamento?
Que o Salvador viria e destruiria os seus pecados de uma vez por todas, da forma mais apropriada.
 
Pela imposição de mãos na cabeça do bode, o Sumo Sacerdote mostrava ao povo que os seus pecados anuais eram transferidos para o bode. Quando os pecados eram colocados na cabeça do animal, um homem guiava o bode para o deserto.
A Palestina é uma terra de deserto. O bode que levava todos os pecados anuais dos Israelitas era guiado ao deserto por um homem escolhido para a tarefa, onde não havia água ou grama. O povo aguardava e via o bode emissário ir para o deserto.
Eles diziam para si mesmos: “Eu devia morrer, mas o bode morrerá pelos meus pecados. O salário do pecado é a morte, mas o bode morrerá por mim. Obrigado, bode. Sua morte significa que eu posso viver”. O bode era enviado ao deserto e os Israelitas eram perdoados pelos pecados anuais.
Quando o pecado em seu coração é passado para o holocausto, você é limpo. É muito simples. A verdade é sempre simples quando a entendemos.
O bode desaparecia no horizonte. O homem voltava sozinho após libertá-lo. Todos os pecados anuais dos Israelitas iam embora. O bode perambulava pelo deserto, sem água ou grama, e morria juntamente com os pecados anuais dos Israelitas.
O salário do pecado é a morte, e a Justiça de Deus foi cumprida. Deus sacrificou o bode para que os Israelitas pudessem viver. Todas as transgressões dos Israelitas durante o ano eram lavadas.
Assim como os pecados diários e os pecados anuais eram perdoados dessa forma, nos tempos do Antigo Testamento, era a aliança de Deus que os nossos pecados fossem igualmente perdoados de uma vez por todas. Foi a Sua aliança que nos enviou o Messias e nos libertou de todos os nossos pecados. A aliança foi cumprida por meio do batismo de Jesus.
 

O Novo Nascimento da Água e do Espírito no Novo Testamento

Por que Jesus foi batizado por João Batista?
Para cumprir toda a justiça levando os pecados do mundo. O batismo de Jesus no Novo Testamento é a imposição de mãos do Antigo Testamento.
 
Vamos ler Mateus 3:13-15: “Por esse tempo, dirigiu-se Jesus da Galileia para o Jordão, a fim de que João o batizasse. Ele, porém, o dissuadia, dizendo: Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o admitiu”.
Jesus foi ao Rio Jordão e foi batizado por João Batista e, fazendo isso, Ele cumpriu toda a justiça. Ele foi batizado por João. João era o maior entre aqueles nascidos de mulher.
Mateus 11:11-12 diz: “Em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista; mas o menor no reino dos céus é maior do que ele. Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele”.
João Batista foi eleito por Deus para ser o representante da humanidade e foi enviado seis meses antes de Cristo. Ele era descendente de Arão e foi o último Sumo Sacerdote.
João Batista disse quando Jesus veio até ele, “Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?”.
“Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça”. Seu propósito era libertar a humanidade do pecado para que eles pudessem se tornar filhos de Deus. Jesus disse a João: “Nós temos que completar o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito. Então me batize agora”.
João batizou Jesus. Era preciso que Jesus fosse batizado para levar todos os pecados do mundo. Nós fomos salvos de todos os nossos pecados, porque Ele foi batizado da maneira mais apropriada, para que os nossos pecados pudessem ser passados para Ele.
Jesus veio a esse mundo e foi batizado quando tinha 30 anos. Foi o seu primeiro ministério. Cumpriu toda a justiça, destruindo todos os pecados do mundo, portanto, consagrando todas as pessoas.
Jesus veio a esse mundo e foi batizado da forma mais correta para nos libertar de todos os nossos pecados, portanto, toda a justiça foi cumprida.
Deus disse: “Este é o meu filho amado, em quem me comprazo”. (Mateus 3:17). Jesus Cristo sabia que Ele levaria todos os pecados da humanidade e derramaria sangue para morrer na Cruz, mas Ele obedeceu à vontade do Pai, dizendo: “não seja como eu quero, e sim como tu queres”. (Mateus 26:39). A vontade do Pai era lavar os pecados da humanidade e, portanto, oferecer salvação para as pessoas no mundo.
Então Jesus, o Filho obediente, cumpriu a vontade de seu Pai e foi batizado por João Batista.
Em João 1:29 está escrito: “No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. Jesus levou todos os pecados e derramou sangue na Cruz no Gólgota. “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”, testificou João Batista.
Você tem ou não pecado? Você é um pecador ou um homem justo? A verdade é que Jesus levou o pecado do mundo e foi crucificado na Cruz por nós.

Quando todos os pecados foram transferidos para Jesus?
Jesus levou todos os pecados, quando Ele foi batizado por João Batista no Rio Jordão.
 
Após nascermos nesse mundo, nós pecamos mesmo na idade de 1 a 10 anos. Jesus levou aqueles pecados. Também pecamos entre 11 e 20 anos. Os pecados que nós cometemos em nosso coração e em nossas ações, Ele levou todos eles.
Nós também pecamos entre os 21 e 45 anos. Ele levou todos esses também. Ele levou todos os pecados do mundo e foi crucificado. Nós pecamos do dia do nosso nascimento até a nossa morte, mas Ele levou todos.
“Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. Todo pecado, desde aqueles do primeiro homem, Adão, até aqueles do último homem a nascer na Terra - seja lá quem for – Ele levou todos. Ele não pega e escolhe os pecados que deseja levar.
Ele não escolheu amar somente alguns de nós, mas veio em carne, levou todos os pecados e foi crucificado na Cruz. Ele recebeu o Julgamento por todos nós e destruiu os pecados do mundo para sempre.
Ninguém foi excluído da Sua salvação. “Todos os pecados do mundo”, incluindo os nossos. Jesus levou todos eles.
Com o Seu batismo e sangue, Ele limpou todos os pecados do mundo. Ele levou todos eles por meio do Seu batismo e foi julgado por nossos pecados na Cruz. Antes de Jesus morrer na Cruz, Ele disse: “Está consumado”. (João 19:30). Significando com isso que a salvação da humanidade estava completa.
Por que Jesus foi crucificado na Cruz? Porque a vida da carne está no sangue e o sangue faz a expiação pela vida da pessoa. (Levítico 17:11). Por que Jesus teve que ser batizado? Porque Ele queria receber todos os pecados do mundo.
“Depois, vendo Jesus que tudo já estava consumado, para se cumprir a Escritura, disse: Tenho sede!”. (João 19:28). Jesus morreu, sabendo que todas as alianças de Deus no Antigo Testamento foram cumpridas com o Seu batismo no Rio Jordão e Sua morte na Cruz.
Jesus sabia que a redenção foi cumprida através Dele e disse: “Está consumado”. Ele morreu na Cruz, nos santificou, ressuscitou da morte após 3 dias e subiu aos Céus, onde agora está assentado à direita de Deus.
A purificação de todos os pecados por meio do batismo de Jesus e do Seu sangue na Cruz é o evangelho abençoado do novo nascimento da água e do Espírito. Creia e você será perdoado de todos os seus pecados.
Nós não podemos expiar os nossos pecados por intermédio de orações de arrependimento todos os dias. A redenção foi garantida de uma vez por todas apenas por meio do batismo de Jesus e do Seu sangue na Cruz. “Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado”. (Hebreus 10:18). 
Agora tudo o que temos que fazer é crer na redenção por meio do batismo de Jesus e da Sua crucificação. Creia e você será salvo.
Romanos 5:1-2 diz: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus”.
Não há outro caminho para ser justificado senão crer no abençoado evangelho do novo nascimento da água e do Espírito.
 

O Propósito da Lei de Deus

Nós podemos ser santificados pela Lei?
Não, nós não podemos. A Lei só pode nos alertar dos pecados.

Em Hebreus 10:9 está escrito: “Então, acrescentou: Eis aqui estou para fazer, ó Deus, a tua vontade. Remove o primeiro para estabelecer o segundo”. Nós não podemos ser santificados por meio da Lei. Ela apenas nos faz pecadores. Deus não quer dizer que nós devemos seguir a Lei.
Romanos 3:20 diz: “Pela lei vem o pleno conhecimento do pecado”. Deus deu aos Israelitas a Lei, por meio de Moisés, após 430 anos passados desde que Abraão recebeu a Aliança. Ele deu a Lei para que eles conhecessem o que significa pecar diante de Deus. Na ausência da Lei de Deus, a humanidade não teria o conhecimento do pecado. Deus nos deu a Sua Lei para que pudéssemos vir a entender o pecado.
Então o único propósito da Lei é nos fazer conhecer que somos pecadores diante de Deus. Por meio do conhecimento, podemos retornar para Jesus, crendo no evangelho abençoado do novo nascimento da água e do Espírito. Este é o propósito da Lei que Deus nos deu.
 

O Senhor Jesus Veio Para Fazer a Vontade de Deus

O que nós temos que fazer diante de Deus?
Devemos crer na redenção de Deus através de Jesus.
 
“Eis aqui estou para fazer, ó Deus, a tua vontade. Remove o primeiro para estabelecer o segundo”. (Hebreus 10:9). Porque nós não podemos ser santificados pela Lei, Deus não nos libertou pela Sua Lei, mas com a Sua completa redenção. Deus nos salvou com o Seu amor e justiça.
“Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas. Ora, todo sacerdote se apresenta, dia após dia, a exercer o serviço sagrado e a oferecer muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca jamais podem remover pecados; Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus”. (Hebreus 10:10-12).
Ele se assentou à destra de Deus porque a Sua obra de redenção foi completa e não havia mais nada para se fazer. Ele não será nem batizado e nem sacrificado novamente para nos salvar.
Agora que todos os pecados do mundo foram lavados, tudo o que Ele tem que fazer é prover a vida eterna para aqueles que creem Nele. Ele agora sela aqueles que creem na salvação da água e do Espírito com o Espírito.
Jesus veio a este mundo, levou todos os pecados e morreu na Cruz, portanto, completando a Sua obra. Agora que a obra do Senhor está completa, Ele está assentado à destra de Deus.
Nós devemos crer que o nosso Senhor Jesus nos salvou do pecado de uma vez por todas. Ele nos fez perfeitos para sempre com o Seu batismo e sangue.
 

Aqueles Que Se Tornam Inimigos de Deus

Quem são os inimigos de Deus?
São aqueles que creem em Jesus, mas têm pecados em seus corações.
 
Em Hebreus 10:12-13, o Senhor diz: “Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés”. Ele disse que iria esperar até o último para decidir o destino deles.
Seus inimigos ainda dizem: “Deus, por favor, perdoe os meus pecados”. Satanás e os seus seguidores não creem no evangelho da água e do Espírito e continuam pedindo pelo Seu perdão.
Nosso Senhor Deus não irá julgá-los por enquanto, mas no dia da Segunda Vinda de Jesus, eles serão julgados e condenados ao inferno para sempre. Deus irá tolerar até aquele dia na esperança de que se arrependam e tornem-se justos por meio da redenção.
Nosso Senhor Jesus levou todos os pecados e morreu por nós que cremos Nele. Jesus algum dia irá aparecer pela segunda vez para libertar todos aqueles que creram Nele. “Ó, por favor, venha até nós em breve, Senhor”. Ele virá uma segunda vez para levar os sem pecado para viver com Ele para sempre no Reino do Céu.
Aqueles que insistem que são pecadores não encontrarão lugar no Céu quando o Senhor voltar. No Último Dia, eles serão julgados e lançados nas chamas do inferno. Esta punição aguarda aqueles que se recusarem a crer no novo nascimento da água e do Espírito.
Nosso Senhor Jesus considera aqueles que creem na inverdade como Seus inimigos. É por isso que nós temos que combater a inverdade e crer no abençoado evangelho do novo nascimento da água e do Espírito.
 

Nós Temos Que Crer no Evangelho da Água e do Espírito

Existe alguma necessidade de expiarmos nossos pecados, agora que nossas dívidas (pecados) foram totalmente pagas?
Não, de jeito nenhum.
 
Hebreus 10:15-16 diz: “E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto, após ter dito: Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei”.
Após ter destruído os nossos pecados, Ele disse: “Esta é a aliança que farei com eles”. Qual é a aliança? “Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei”. Nós primeiro tentamos levar uma vida legalista segundo a Sua Lei, mas não podemos ser salvos por ela.
Mais tarde, nós entendemos que Jesus já salvou aqueles que creem, em seus corações, no evangelho abençoado do novo nascimento da água e do Espírito. Quem crer no batismo e no sangue de Jesus será redimido.
Jesus é o Senhor da salvação. “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”. (Atos 4:12). Jesus veio a este mundo como o nosso Salvador. Jesus nos salvou e gravou nas tábuas dos nossos corações que Ele nos salvou com a Sua lei do amor e salvação, porque não podemos ser salvos pelas obras.
“Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniquidades, para sempre. Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado”. (Hebreus 10:17-18).
Agora Ele não se lembra mais das nossas iniquidades, pois levou todos os pecados e, nós crentes, não temos mais nenhum que precisa ser perdoado. Nossos débitos já foram pagos por completo e não sobrou nada para pagar. Os homens foram salvos pela fé no ministério de Jesus, que nos salvou por meio do Seu batismo e sangue na Cruz.
Agora tudo o que temos que fazer é crer na água e do sangue de Jesus. “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. (João 8:32). Creia na salvação de Jesus. Obter a salvação é mais fácil do que respirar. Tudo o que você precisa fazer é crer nas coisas como elas são. Salvação é somente crer na Palavra de Deus.
Creia que Jesus é o nosso Salvador (no batismo de Jesus e Sua morte na Cruz) e apenas tenha fé que a salvação é sua. Negue seus próprios pensamentos e apenas creia na salvação de Jesus. Eu oro para que você realmente creia em Jesus e esteja pronto para viver a vida eterna com Ele.