Sermões

Assunto 11: O Tabernáculo

[11-6] (Gênesis 17:1-14) A Promessa de Deus Estabelecida em Seu pacto da Circuncisão Ainda É Válida para Nós

(Gênesis 17:1-14)
“SENDO, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o Senhor a Abrão, e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-poderoso; anda em minha presença e sê perfeito. E porei o meu concerto entre mim e ti, e te multiplicarei grandissimamente. Então caiu Abrão sobre o seu rosto, e falou Deus com ele, dizendo: Quanto a mim, eis o meu concerto contigo é, e serás o pai de uma multidão de nações. E não se chamará mais o teu nome Abrão, mas Abraão será o teu nome; porque por pai da multidão de nações te tenho posto. E te farei frutificar grandissimamente e de ti farei nações, e reis sairão de ti. E estabelecerei o meu concerto entre mim e ti e a tua semente depois de ti em suas gerações, por concerto perpétuo, para te ser a ti por Deus e à tua semente depois de ti. E te darei a ti e à tua semente depois de ti a terra de tuas peregrinações, toda a terra de Canaã em perpétua possessão, e ser-lhes-ei o seu Deus. Disse mais Deus a Abraão: Tu, porém, guardarás o meu concerto, tu e a tua semente depois de ti, nas suas gerações. Este é o meu concerto, que guardareis entre mim e vós e a tua semente depois de ti: Que todo macho será circuncidado. E circuncidareis a carne do vosso prepúcio, e isto será por sinal do concerto entre mim e vós. O filho de oito dias, pois, será circuncidado; todo macho nas vossas gerações, o nascido na casa e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua semente. Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; e estará o meu concerto na vossa carne por concerto perpétuo. E o macho com prepúcio, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada dos seus povos; quebrantou o meu concerto”. 
 
 
No capítulo 17 do Livro de Gênesis, o pacto da circuncisão que Deus estabeleceu com Abraão nos mostra à circuncisão espiritual pela qual todos os pecados estão lançados fora dos Israelitas pondo eles às suas mãos na cabeça da oferta de sacrifício no Tabernáculo, passando, assim, os seus pecados para ela. Em outras palavras, o pacto que Deus estabeleceu com Abraão era a prefiguração da oferta de pecados e da oferta de holocausto. A promessa que Deus fez a Abraão com a circuncisão, de que Ele seria o seu Deus e o Deus dos seus descendentes, profetizou, com respeito ao Tabernáculo, que os descendentes de Abraão iriam passar todos os seus pecados sobre a oferta de sacrifício impondo às suas mãos na cabeça da oferta. Nós também temos que perceber e crer no que isto mostra, e, além disso, crer que no tempo do Novo Testamento Jesus Cristo tomou todos os pecados do mundo com o Seu batismo recebido de João. 
Deus prometeu a Abraão, “Olha agora para os céus e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua semente”. (Gênesis 15:5). Aparecendo novamente diante de Abraão, Deus prometeu mais uma vez, “E te farei frutificar grandissimamente e de ti farei nações, e reis sairão de ti. E estabelecerei o meu concerto entre mim e ti e a tua semente depois de ti em suas gerações, por concerto perpétuo, para te ser a ti por Deus e à tua semente depois de ti”. (Gênesis 17:6-7). 
A promessa que Deus fez a Abraão e aos seus descendentes veio através da circuncisão. Esta circuncisão coincidiu com a imposição de mãos que seria realizada quando os Israelitas fossem dar às suas ofertas de sacrifício a Deus. Também foi profetizada, para durante o tempo do Novo Testamento, a remissão de pecados realizada por Jesus Cristo, que tomou os pecados do mundo com o Seu batismo que recebeu de João. Temos que nos dar conta e crer que a circuncisão do Antigo Testamento, prometida por Deus a Abraão, é manifestada no Novo Testamento pela circuncisão espiritual de lavagem de pecados, que foi cumprida pelo batismo de Jesus. Além disso, nos fala que a fé de Abraão foi necessária também, pelos Israelitas, ao darem à oferta de sacrifício no Tabernáculo. 
Deus falou para o Abraão, “E circuncidareis a carne do vosso prepúcio, e isto será por sinal do concerto entre mim e vós. O filho de oito dias, pois, será circuncidado; todo macho nas vossas gerações, o nascido na casa e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua semente”. (Gênesis 17:11-12). Em outras palavras, Deus fez Sua promessa a Abraão e aos seus descendentes através da circuncisão. Ele prometeu que seria o Deus de Abraão e o Deus dos seus descendentes, e, assim, retornando, Abraão e seus descendentes seriam circuncidados: “Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; e estará o meu concerto na vossa carne por concerto perpétuo”. (Gênesis 17:13). 
É por isso que, dentre todas as pessoas do mundo, só os homens israelitas dos dias de Abraão tinham recortado os seus prepúcios. Hoje em dia, a circuncisão ficou muito mais difundida por causa de seus benefícios à saúde, mas, naquela ocasião, só os varões israelitas foram circuncidados. Esta era a marca da promessa de Deus a Abraão, e Deus a deu a ele e ao povo de Israel, os seus descendentes, levar na carne este sinal do pacto que Ele estabeleceu com eles. 
Gênesis 17:11 diz, “E circuncidareis a carne do vosso prepúcio, e isto será por sinal do concerto entre mim e vós”. Assim a circuncisão era a marca do pacto. Para recapitular, foi assim como Deus fez à Sua promessa: “Como sabes que é Meu povo? Sabes ao ver as cicatrizes de sua circuncisão. De agora em diante, todo varão nascido entre vocês deverá ser circuncidado no seu prepúcio. Deste modo, Meu pacto estará em tua carne como um pacto perpétuo. Eu prometo ser o teu Deus e o Deus de teus descendentes. E eu prometo te abençoar e te multiplicar, e te fazer entrar na terra de Canaã e viver ali para sempre, e fazer nações de ti e levantar reis de ti”. (Gênesis 17:4-14). 
Deus disse que o pacto que Ele estabeleceu com Abraão e os seus descendentes seria achado nas suas carnes. Em outras palavras, a promessa de Deus foi impressa nas cicatrizes dos homens israelitas circuncidados. Deus fez à Sua promessa ao povo de Israel pela Sua circuncisão, e, de acordo com isso, se os homens estavam circuncidados ou não determinava se eles eram descendentes de Abraão ou não. Então, os que estavam circuncidados eram reconhecidos e abençoados por Deus como descendentes de Abraão, enquanto que os incircuncisos não eram reconhecidos como tal. 
 
 
Abraão É de fato um Homem Muito Importante para O povo de Israel
 
Para ao povo de Israel, o homem mais importante que Moisés, o pai da Lei, não é outro senão Abraão, o pai da fé. Embora haja muitos Israelitas que não se lembram de Noé, poucos, se há algum, não se lembram de Abraão. Só um pouco deles podem se lembrar de Sem, Sete, ou Metuselá, mas Abraão permanece como o pai inesquecível da fé para todo o povo de Israel. Todos eles reconhecem, creem, e o seguem como o pai de sua Nação. Como tal, a promessa de Deus feita aos Israelitas através de Abraão permanece efetiva. 
O povo de Israel está totalmente convicto de si mesmo, dizendo, “Nós somos os descendentes de Abraão. Nossa gente leva o sinal da circuncisão na carne. Portanto, Deus é o nosso Deus, e nós somos o Seu próprio povo”. A razão por que os Israelitas se consideram a si mesmos como o povo escolhido é porque eles ainda creem no pacto que Deus estabeleceu com Abraão através da circuncisão. 
Abraão teve duas esposas: Sarai, a sua esposa legal que, mais tarde, foi chamada de Sara, por Deus, e Agar, a sua segunda esposa, que tinha sido a serva de Sarai. Devido ao fato de que parecia que Sarai não lhe daria nenhum filho, Abraão, nos seus próprios pensamentos, buscou ter um filho através de Agar (Gênesis 16:1-4). Mas Deus disse, claramente, que por ser Sarai a esposa legal de Abraão, seria através do filho dela que Ele daria a Abraão tantos descendentes quanto às estrelas do céu. Desde que Deus prometeu que Ele só reconheceria como o Seu povo aqueles nascidos do corpo de Sarai, Ismael, que nasceu da segunda esposa, Agar, não foi reconhecido como tal diante de Deus. 
Se o povo de Israel não fosse circuncidado, a promessa que Deus fez a eles seria invalidada. Deus lhes disse que fossem circuncidados com o sinal do Seu pacto de forma que este pacto estaria nas suas carnes. Como tal, os Israelitas assim fizeram, já que serem incircuncisos faria ineficaz à promessa de Deus. Provavelmente, não há ninguém entre o povo de Israel que não tenha sido circuncidado, porque eles sabem muito bem que os incircuncisos são como os gentios, a quem a promessa de Deus é irrelevante. 
 
 
A Circuncisão Espiritual
 
O pacto que Deus estabeleceu com Abraão e os seus descendentes foi completamente realizado pela remissão dos pecados através Jesus Cristo quando Ele veio a esta terra e levou todos os pecados da humanidade sendo batizado por João Batista. 
Deus disse para os Israelitas que fizessem a porta do pátio do Tabernáculo e o véu que o cobria tecendo com os fios, azul, roxo, escarlate e com o tecido de linho retorcido (Êxodo 26:31, 27:16). Com esta forma detalhada do Tabernáculo, Deus nos ensinou à salvação que vem por Jesus Cristo. Esses que creem na verdade de que o Senhor Jesus Cristo veio a esta terra, levou os pecados da humanidade com o Seu batismo recebido de João Batista, na idade de 30 anos, que morreu na Cruz, ressuscitou dos mortos, e, assim, nos perdoou de todos os nossos pecados, são todos eles os descendentes de Abraão. Deus se tornou o Deus desses que creem nos fios, azul, roxo e escarlate e no tecido de linho retorcido do Tabernáculo.
Crendo no batismo de Jesus, nós todos devemos ser circuncidados espiritualmente. Esta circuncisão espiritual não é outra coisa senão eliminar os pecados de nossos corações crendo que todos os nossos pecados foram passados para Jesus Cristo pelo Seu batismo (Romanos 2:29). 
Como tal, os que receberam a remissão de pecados, hoje, crendo no evangelho da água e do Espírito, manifestado nos fios, azul, roxo, escarlate e no tecido de linho retorcido, são todos eles reis do Reino de Deus e Seus próprios filhos. Da mesma maneira que Deus prometeu, “reis sairão de ti” (Gênesis 17:6), o Seu povo, realmente, está se levantando por todo o mundo. 
Se quisermos nos tornar descendentes de Abraão, nós temos que crer no batismo que Jesus recebeu nesta terra e no Seu sangue na Cruz. Como tal, eu não posso enfatizar bastante só quão importante é conhecer e crer no batismo de Jesus. Jesus Cristo é o Rei dos reis. Ele é o Rei dos reis que vestiu uma túnica de púrpura (João 19:5). Jesus Cristo é o Rei do universo e o Seu Criador. Como Ele é o Filho Unigênito de Deus, Ele veio a esta terra em obediência à vontade do Pai, e para nos libertar de nossos pecados, Ele tomou todos os nossos pecados com o Seu batismo de uma só vez. Para destruir todos os nossos pecados, Ele os retirou de nossos corações e os pôs sobre o Seu próprio corpo com o Seu batismo, e foi julgado por todos os nossos pecados através do derramamento do Seu sangue na Cruz. Como tal, todos os que creem nesta verdade podem se tornar os descendentes de Abraão. 
Abraão, sua família e os seus descendentes eram todos fisicamente circuncidados. Até mesmo foram circuncidados os escravos comprados com dinheiro dos gentios. Quando creram no pacto e foram circuncidados, até mesmo esses escravos pagãos eram abençoados, e Deus também se tornou o seu Deus. Como tal, é por fé que nós nos tornamos os filhos de Deus, é por fé que somos abençoados por Deus, é por fé que entramos no Céu, e é por fé que nós vivemos como reis nesta terra. No tempo do Novo Testamento, esta fé é a fé daqueles que creem que Jesus levou todos os pecados do mundo com o Seu batismo. 
Porém, algumas pessoas afirmam que este batismo de Jesus não é importante, porque eles creem que foram perdoados de seus pecados só crendo no Seu sangue vertido na Cruz. Embora creiam na imposição de mãos sobre a cabeça da oferta de sacrifício realizada na época do Tabernáculo, eles dão pouca importância ao próprio batismo de Jesus. Portanto, eles insistem que devido à fé de Abraão ter sido aprovada diante do primeiro advento de Jesus Cristo nesta terra e até mesmo muito antes do Tabernáculo de Moisés, eles ainda insistem que são salvos só crendo na Palavra do sangue da Cruz, até mesmo sem crer na clareza da Palavra do batismo de Jesus. 
Mas nós temos que nos lembrar de que quando Deus falou para Abraão que trouxesse um novilho de três anos, uma cabra de três anos, um carneiro de três anos, uma rola e um pombo - tudo para fazer Abraão perceber que Ele daria à terra de Canaã para ele e para os seus descendentes como sua herança - Deus tinha em mente a oferta de holocausto do sacrifício através do fogo. Gênesis 15:17 diz, “E sucedeu que, posto o sol, houve escuridão; e eis um forno de fumaça, e uma tocha de fogo, que passou por aquelas metades”. Deus também aprovou à oferta de holocausto de Abel e a sua fé, mas Ele não aprovou a fé de Caim que não creu nesta oferta de holocausto. 
Entre os cristãos de hoje, há muitos pessoas que, erroneamente, entendem que são salvos só crendo cegamente em Jesus, sem serem circuncidados “espiritualmente” pela fé. Eles só creem na crucificação de Jesus, sem crer na verdade de que todos os seus pecados foram transferidos para Jesus pelo Seu batismo. Essas pessoas nunca poderão se tornar o próprio povo de Deus, e por crer de tal maneira nunca poderão eliminar os pecados dos seus corações. Como Deus disse que o sinal do Seu pacto está na carne dos circuncidados, os incircuncisos, portanto, não têm nada a ver com esta promessa de Deus. 
As pessoas podem ser salvas de seus pecados sem crer no batismo que Jesus recebeu de João Batista? Tais pessoas podem se tornar filhos de Deus? Eles podem entrar no Céu? Eles podem se tornar os reis de Seu Reino? As respostas para estas perguntas são, então, um ressonante NÃO! A passagem principal que nós lemos hoje provê a evidência clara para estas respostas. Hoje, a promessa que Deus tinha feito a Abraão é a mesma promessa que Ele fez a você e a mim, que temos recebido a remissão dos pecados crendo em Jesus Cristo como o nosso Salvador, no Seu batismo e no Seu sangue na Cruz. A esses que assim creem a mesma Palavra de bênçãos que Deus falou com Abraão é aplicável. 
 
 
Os Verdadeiros Crentes de Jesus não Seguem às Doutrinas de sua Própria Feitura
 
A Palavra de Deus na Bíblia é a definitiva e clara verdade de salvação; por mais que lermos e considerarmos isto, mais definitiva e clara se torna. Entre os cristãos de hoje, há muitos cuja fé está enganada, enquanto crendo e seguindo a Deus baseado nos seus próprios pensamentos, sem darem conta de que o que creem é, na realidade, falso. A própria base da tal fé dessas pessoas está equivocada. Crendo cegamente que Jesus os salvou de qualquer maneira pode ser bastante para satisfazer à sua autoconsciência, mas eles têm que perceber que Deus não aprova à sua fé cega. 
Nosso Deus disse que qualquer que deseje O seguir tem que primeiro negar a si mesmo e levar à sua cruz. Quem crer na Palavra de Deus tem que derrubar os seus próprios pensamentos e tem que crer de acordo ao que a Palavra de Deus diz de fato. Hoje, você e eu temos que crer na remissão de pecados que o Senhor Jesus Cristo nos deu vindo a esta terra, tomando e carregando os pecados do mundo com o Seu batismo, derramando o Seu sangue na Cruz, e ressuscitando de entre os mortos. 
Por estes dias, há muitas pessoas que não creem assim, mas que se seguram cegamente sobre o nome de Jesus, dizendo que eles têm à sua própria forma de crer. A fé de tais pessoas não tem nada a ver com o evangelho da água e do Espírito dado por Jesus. Por exemplo, há algumas pessoas que afirmam que Jesus se revelou enquanto eles estavam orando em alguma montanha escondida, insistindo que foi assim que eles foram salvos. Em outro exemplo, há esses que afirmam que os seus pecados desapareceram enquanto eles foram a uma igreja, jejuaram, e estiveram orando à noite toda, porque eles estavam agonizados pelos seus pecados, dos quais não podiam se libertar com as suas orações de arrependimento. 
Estes tipos de fé não têm nada a ver com a verdadeira salvação que só vem pelo evangelho da água e do Espírito dado pelo nosso Senhor Jesus. Onde diz na Palavra de Deus que Ele perdoaria os nossos pecados se nós tivéssemos tais tipos de fé? Em nenhuma parte! Essas pessoas, vagamente percebem que Deus é o Absoluto e que Jesus é o Todo-Poderoso, estão pedindo emprestado o nome de Jesus Cristo, e somando o seu conhecimento vazio e incerto de Deus sobre a fé, e, é assim que estão chamando o nome de Deus em vão, esquecendo-se dos seus próprios pecados, acumulando ainda mais a ira de Deus. Tais pessoas construíram o seu próprio Jesus fictício e a sua própria versão de salvação, e creem nessas coisas de suas próprias imaginações. 
Gênesis 17:14 diz, “E o macho com prepúcio, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada dos seus povos; quebrantou o meu concerto”. Deus nos prometeu, claramente, que Ele nos salvaria de nossos pecados pela circuncisão espiritual. E Deus também nos prometeu sem ambiguidades que apenas aqueles que nascerem de novo da água e do Espírito se tornariam os Seus filhos. Como tal, aqueles que só creem no sangue de Jesus na Cruz, sem crer no Seu batismo, nunca poderão se tornar os filhos de Deus. Tais pessoas traíram a Deus, e porque eles não creram no evangelho prometido por Deus, eles serão cortados do povo de Deus e amaldiçoado por Ele. 
O fundamento de fé que pode nos salvar de nossos pecados não é outra coisa senão o evangelho da água e do Espírito. Só quando o evangelho da água e do Espírito é posto como a nossa base é que podemos firmemente e completamente crer na Palavra de Deus. Como pode os gentios cujos corações permanecem incircuncisos espiritualmente colocar à Palavra de Deus nos seus corações? Eles nunca podem fazer isso! Porque o evangelho da água e do Espírito nos permite ser circuncidados espiritualmente, enquanto nos permite se tornar os filhos de Deus, mas sem ter esse fundamento muito definitivo, a Palavra de Deus só pode vir a nós como conhecimento intelectual. 
É por isso que os ensinos espirituais dos servos nascidos de novo só podem ser compreensíveis e disponíveis aos que basicamente creem no evangelho da água e do Espírito. Em outras palavras, só os que têm nascido de novo da água e do Espírito podem ouvir e entender a Palavra de Deus. Quando conhecemos as pessoas que, sendo ignorantes do evangelho da água e do Espírito, afirmam ter nascido de novo só pelo sangue da Cruz, embora digam que todos nós cremos no mesmo Deus, sentimos, não obstante, como se estivéssemos falando de um Deus completamente diferente. Quem é o Deus verdadeiro aqui? O verdadeiro Deus é o Deus que deu à Sua Palavra de promessa a Abraão. 
Deus prometeu a Abraão e aos seus descendentes, “Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; e estará o meu concerto na vossa carne por concerto perpétuo”. (Gênesis 17:13). Onde está o sinal que nos diz que nós recebemos a remissão de nossos pecados? É encontrado em nossos corações. Crendo no batismo de Jesus Cristo com os nossos corações, nos tornamos os filhos de Deus cujos corações receberam a circuncisão espiritual crendo no verdadeiro evangelho. Tornamo-nos os Seus filhos crendo com os nossos corações que o Senhor Jesus foi batizado por causa de nossos pecados, e para tomar todos esses pecados; e, assim, nos fazer ser circuncidados espiritualmente. 
É por nossa fé nesta verdade que passamos todos os nossos pecados para Jesus Cristo, e, Jesus, em troca, levou estes pecados à Cruz, foi crucificado em nosso lugar, ressuscitou de entre os mortos, e, assim, nos salvou de todos os nossos pecados. Em outras palavras, é por fé que nos tornamos os filhos de Deus. É por fé que estamos sem pecados. Então, temos mais algum pecado em nosso coração? Claro que não! Nós não temos nenhum pecado! Tudo isso foi cumprido pela maravilhosa verdade do evangelho. 
 
 
Como Eu e Você Podemos nos Tornar os Descendentes de Abraão? 
 
Tornamo-nos os descendentes de Abraão porque fomos circuncidados espiritualmente crendo nas obras que Jesus manifestou nos fios, azul, roxo e escarlate do Tabernáculo. É porque cremos no batismo de Jesus e no Seu sangue na Cruz que temos sido circuncidados espiritualmente e chegamos a nos tornar e ser os filhos de Deus. E porque cremos que Jesus levou todos os nossos pecados com o Seu batismo e foi julgado por todos os nossos pecados na Cruz, temos recebido a remissão de pecados. É esse o modo como você e eu nos tornamos os descendentes de Abraão espiritualmente. 
Aqueles que nascem de novo da água e do Espírito têm que reconhecer, agora, quem eles realmente são. Você e eu, que cremos no evangelho da água e do Espírito, somos todos os filhos de Deus e o Seu próprio povo que foi circuncidado espiritualmente por fé. 
Nós somos os reis do Reino do Milênio que vem, e que reinarão sobre todas as criações de Deus e desfrutarão de todo o Seu esplendor. É assim como o nosso estado tem mudado. Por acaso, as pessoas deste mundo sabem quem nós realmente somos? Não. Mas nós somos aqueles cujo estado espiritual mudou crendo na Palavra de Deus. Como tal, podemos saber, agora, claramente e sem ambiguidade. 
Aqueles que nasceram de novo pela Palavra de Deus sabem quem são realmente. Nós somos, fundamentalmente, diferentes daqueles que são propensos a anunciar nas suas comunidades religiosas mundanas, falsas doutrinas, e, apesar deles serem completamente ignorantes e olharem friamente para os nascidos de novo, nós é que somos o verdadeiro povo de Deus. Como o povo de Israel eles creem ser o povo escolhido e consideram-se os descendentes de Abraão, mas, diferentemente, nós é que somos os descendentes espirituais de Abraão, e temos o direito de nos considerarmos como o povo escolhido de Deus. 
Esses que entre nós creem no evangelho da água e do Espírito se tornaram, bem-aventurados, pela fé, nos descendentes de Abraão. Nós podemos entrar no Reino do Céu pela nossa fé no evangelho dos fios, azul, roxo e escarlate manifestados no Tabernáculo. 
E da mesma maneira que Deus prometeu a Abraão que Ele faria os seus descendentes tantos quanto às estrelas do céu, nós podemos testemunhar com os nossos olhos o cumprimento atual deste pacto conosco. Esta é a bênção que Deus nos deu.
Pela circuncisão de nossos corações, Deus nos salvou dos pecados do mundo. E esta circuncisão de fé é feita com os fios, azul, roxo, escarlate, e com o tecido de linho retorcido, usados para fazer a porta do Tabernáculo.