Sermões

Assunto 26: LEVÍTICO

[26-6] (Levítico 4:13-21) A morte de Jesus na cruz

(Levítico 4:13-21)
“Mas, se toda a congregação de Israel pecar por ignorância, e o erro for oculto aos olhos do povo, e se fizerem contra alguns dos mandamentos do Senhor, aquilo que não se deve fazer, e forem culpados, e quando o pecado que cometeram for conhecido, então a congregação oferecerá um novilho, por expiação do pecado, e o trará diante da tenda da congregação, e os anciãos da congregação porão as suas mãos sobre a cabeça do novilho perante o Senhor; e degolar-se-á o novilho perante o Senhor. Então o sacerdote ungido trará do sangue do novilho à tenda da congregação, e o sacerdote molhará o seu dedo naquele sangue, e o espargirá sete vezes perante o Senhor, diante do véu. E daquele sangue porá sobre as pontas do altar, que está perante a face do Senhor, na tenda da congregação; e todo o restante do sangue derramará à base do altar do holocausto, que está diante da porta da tenda da congregação. E tirará dele toda a sua gordura, e queimá-la-á sobre o altar; e fará a este novilho, como fez ao novilho da expiação; assim lhe fará, e o sacerdote por eles fará propiciação, e lhes será perdoado o pecado. Depois levará o novilho fora do arraial, e o queimará como queimou o primeiro novilho; é expiação do pecado da congregação”.
 
 
Sejam todos bem-vindos. Hoje eu quero pregar a Palavra e explicar a vocês como as pessoas do Antigo Testamento recebiam de Deus a remissão de pecados dando uma oferta de sacrifício específica. Quando lemos o livro de Levítico, vemos que ele é muito difícil de entender. Este livro narra em detalhes como as pessoas do Antigo Testamento recebiam a remissão de pecados. E como elas recebiam a remissão de pecados naquela época pela Palavra do sistema sacrificial, eu creio que todos nós que vivemos hoje também a recebemos crendo na Palavra do evangelho da água e do Espírito.
O texto bíblico deste capítulo se encontra em Levítico 4:13-21 e descreve como o povo de Israel recebia a remissão de pecados quando pecava contra Deus. Quando todo o povo de Israel pecava contra Deus e reconhecia seus pecados, eles tinham que oferecer um novilho como oferta pelo pecado. E para ser remidos dos seus pecados, os israelitas tinham que escolher um homem entre eles que seria designado pelo líder da congregação. Este líder então passava os pecados do povo de Israel para a cabeça do animal pela imposição de mãos. Em outras palavras, o representante dos israelitas passava seus pecados para um novilho sem defeito que seria sacrificado.
 
 
O que precisamos saber sobre o sistema sacrificial
 
É muito importante compreendermos a Palavra de Deus. O sistema sacrificial do Antigo Testamento se resumia em práticas rudimentares, e como o sumo sacerdote era o representante da congregação de Israel, era ele que passava todos os pecados do povo para o bode emissário impondo as mãos sobre sua cabeça. Depois o degolava e derramava seu sangue, levava um pouco deste sangue ao Santo dos Santos e o aspergia sete vezes sobre o propiciatório. E o sumo sacerdote ainda passava um pouco do sangue no altar de incenso. Ele ainda derramava no chão o resto do sangue na base do altar de ofertas queimadas. Por fim, o animal era cortado em pedaços e sua carne queimada no altar de ofertas queimadas e oferecida a Deus. Era assim que o povo de Israel recebia a remissão dos pecados que cometiam. Hoje eu quero discorrer sobre o sistema sacrificial pelo qual o povo de Israel era remido de todos os seus pecados passando-os para o holocausto pela imposição de mãos.
Descobrimos nas Escrituras como os pecados são remidos. Para um pecador receber a remissão de pecados, antes de tudo ele tinha que passá-los para o holocausto impondo as mãos sobre sua cabeça. E a oferta que tornava isso possível era chamada de ‘oferta pelo pecado’. Deixe-me explicar primeiro então o que é a oferta pelo pecado.
A ‘oferta pelo pecado’ era oferecida para se fazer expiação dos pecados. Quando alguém queria receber de Deus a remissão dos seus pecados, ele mesmo tinha que pagar um preço por isso; e este preço era pago oferecendo um animal em seu lugar. Melhor dizendo, a ‘oferta pelo pecado’ significa algo que é sacrificado no lugar de alguém para expiar seus pecados; e isso era feito sacrificando animais como ovelhas, bodes e novilhos. Por isso que é conhecida como ‘oferta pelo pecado’. Só para você entender: ao invés de o pecador morrer por causa dos seus pecados, eles eram passados para um novilho e este era morto em seu lugar para pagar o preço devido por eles. É muito importante que você entenda bem isso, pois só assim você crerá na Palavra enquanto eu estiver explicando-a.
 
 
Era necessário várias ofertas para cumprir a lei
 
Além da oferta pelo pecado, muitas outras também eram oferecidas como as ofertas queimadas e as ofertas de paz. E todas elas tinham algo em comum: eram oferecidas para passar os pecados de alguém para um animal. Ao invés de o pecador morrer então, um sacrifício era oferecido a Deus por ele. Em outras palavras, o animal morria no lugar do pecador. Assim era a justiça de Deus e sua justa salvação. Todos vocês sabem que há 613 mandamentos na lei, não sabem? Vocês também não sabem que não conseguem guardar todos os mandamentos? Mas ainda assim vocês tentam guardá-los, não é mesmo? De fato, guardar as leis de Deus é algo obrigatório para todos nós.
Mas se não conseguirmos guardar a lei, teremos que morrer para pagar o preço pelos nossos pecados. A conclusão que chegamos aqui então é simples e direta: se não guardarmos a lei de Deus, nosso destino não será outro senão a morte. O fato é que Deus tinha que matar os pecadores que não guardassem a lei, mas por ter nos amado de tal maneira, ele cumpriu a salvação da expiação, da água e do Espírito, ao aceitar um sacrifício por nós. Deus é justo e soberano. Ele é perfeito. Sendo assim, sua Palavra é a verdade absoluta que se cumpriu sem falhar.
Deus fez uma promessa ao povo de Israel com sangue por meio de Moisés, que por sua vez prometeu guardar sua lei. Deus mandou Moisés chamar os filhos de Israel perante ele. Então entregou a lei ao seu povo para que eles sacrificassem um novilho, aspergissem seu sangue juntos, e lhes disse: “Eu lhes dei minha lei e vocês prometeram guardá-la. Mas se não fizerem isso, você morrerão, assim como o novilho que tinha seu sangue derramado e morria.” No entanto, Deus já sabia que o povo de Israel não conseguiria guardar a lei, mas mesmo assim o amou. Ao invés de matá-los então, ele permitiu que eles oferecessem sacrifício em favor de si mesmos. Esta é a lei justa da salvação de Deus. E o mais importante que devemos entender aqui é que nenhum pecado pode ser remido sem que se pague todo o preço por ele.
Deus simplesmente não tolera o pecado. E o salário do pecado com certeza é a morte. Isso quer dizer então que ele só poder ser purificado se o preço por ele for pago com a morte. Não há outro preço a ser pago pelo pecado. Geralmente pensamos em Deus como um Deus de amor, que por sua bondade nos perdoará se pecarmos contra ele e não nos pedirá nada em troca. Mas a verdade é que não é assim que Deus perdoa o pecador; ao contrário, ele exige um preço pelo seu pecado, pois ele é perfeito, santo e justo. Em outras palavras, como Deus é santo, não mente ou tolera o pecado, todos os pecadores teriam que morrer. Mas por trás do ódio que Deus tem pelo pecado, há o seu amor justo, o amor da sua salvação.
Como podemos ver nas Escrituras, o amor da salvação de Deus se manifestou através do sacrifício de Jesus Cristo. E isso foi revelado a nós quando o Pai passou todos os pecados do homem para seu Filho quando ele foi batizado da mesma forma que a imposição de mãos, fez com que ele morresse, e assim purificou nossos pecados através da sua morte expiatória. Eu vou dar um exemplo para explicar como isso acontece na nossa vida cotidiana.
Vamos supor que você não tenha dinheiro, mas faz compras num supermercado. Será que você pode chegar ao caixa e dizer que não precisa pagar porque tudo já foi acertado? Claro que não. Você não pode pagar pelas compras apenas com palavras, pois ninguém vai aceitar isso. Se você não tiver condições de pagar, alguém tem que fazer isso por você. Isso é o certo a fazer. E é assim que Deus pensa. O homem também tem este senso de justiça, pois fomos criados conforme a imagem de Deus e segundo seu coração.
Como vemos no texto bíblico deste capítulo, Deus criou um sistema para que seu povo no Antigo Testamento recebesse a remissão de pecados. Quando o sumo sacerdote passava todos os pecados dos israelitas para o holocausto como seu representante, o degolava, derramava seu sangue e queimava sua carne como oferta a Deus, ele aceitava esta oferta e remia todos os pecados do povo.
 
 
A morte de Jesus na cruz
 
Como era assim que as pessoas recebiam a remissão de pecados na época do Antigo Testamento, nós que vivemos nos dias do Novo Testamento também a recebemos pelo mesmo princípio. Mas será que precisamos oferecer um cordeiro ou novilho também? Pelo que eu sei, nenhum de nós cria animais. No entanto, mesmo não tendo nenhum cordeiro, novilho ou bode, ainda assim temos que oferecer algo a Deus como sacrifício em nosso lugar. Quem então veio a esta terra como propiciação pelo pecado? Jesus Cristo. Como o novilho que tinha seu sangue derramado e morria, o Senhor levou sobre si todos os pecados do mundo, inclusive os meus e os seus, e morreu por nós como uma oferta a Deus. Foi por isso que Jesus veio a esta terra.
Após completar 30 anos de vida, Jesus foi batizado por João Batista no rio Jordão. E quando lemos Mateus 3:15 e o resto do capítulo, vemos como foi o batismo do Senhor. Quando foi batizado pelo representante do homem chamado João Batista (Mateus 11:11), Jesus recebeu todos os pecados do homem. Ele levou sobre si todos os pecados cometidos desde o início do mundo até o seu fim, todos eles. E ao fazer isso, ele se tornou a oferta de sacrifício por todos os pecadores, inclusive nós, como o novilho que vemos no texto bíblico deste capítulo.
Nós tínhamos que morrer pelos nossos pecados, mas Jesus levou todos eles ao ser batizado. Assim é o capítulo 3:15 de Mateus no original em grego: “Αποκριθεις δε ο ιησους ειπεν προς αυτον αφες αρτι ουτως γαρ πρεπον εστιν ημιν πληρωσαι πασαν δικαιοσυνην τοτε αφιησιν αυτον.” Temos que prestar atenção às palavras sublinhadas “ουτως” e “πασαν δικαιοσυνην.” “Oυτως” (hutos) no grego significa “justamente desse jeito, o mais apropriado ou não há outra maneira além dessa”. E as palavras “πασαν δικαιοσυνην” (pasan dik-ah-yos-oo’-nayn) significa “o estado mais perfeito, em que não há defeito algum”. Deste modo, este texto nos mostra que o Senhor levou sobre si todos os nossos pecados da maneira mais apropriada ao ser batizado por João Batista. E eu vou dizer novamente: Jesus foi batizado para levar todos nossos pecados.
Alguns de vocês já ouviram esta Palavra abençoada, que Jesus levou sobre si todos os pecados cometidos desde o início deste mundo até o fim dele, enquanto outros estão ouvindo pela primeira vez agora. Mas queira você estar ouvindo isso pela primeira vez ou já tenha ouvido muitas vezes, esta é a verdade encontrada nas Escrituras.
Mateus 3:15 afirma de modo bem claro que Jesus cumpriu toda a justiça quando foi batizado; ou seja, foi assim que ele apagou todos os nossos pecados. Depois ele morreu crucificado. E como lemos no texto bíblico deste capítulo, antes de morrer pelo povo de Israel na época do Antigo Testamento, o novilho tinha que receber todos os seus pecados. Mas será que o novilho tinha pecado? Ele conhecia a lei de Deus? É claro que não. Os animais não sabem nada sobre o pecado, só o homem. Não havia razão para o novilho morrer então.
Como eu disse há pouco, já que o homem foi criado conforme a imagem de Deus e recebeu um caráter santo, ele pode muito bem saber quando quebra sua lei e comete pecados. Por isso que muitos buscam a Deus em oração para ser remidos dos seus pecados. Alguns deles até procuram fazer boas obras como ajudar os pobres, se candidatar a síndico do condomínio, dar muitas ofertas na igreja; tudo em nome de Deus. Eles fazem isso porque acham que assim Deus não se importará com seus pecados. Sua intenção é até boa, mas sua atitude é que está errada.
Nossos pecados simplesmente não desaparecem quando fazemos boas obras em prol de alguém ou oramos muito tempo. Ao contrário, o salário do pecado tem que ser pago. Mas para fazer isso segundo a lei de Deus, nós pecadores tínhamos que morrer. Mas se esta exigência fosse cumprida hoje, ninguém nesta terra estaria vivo. Só que todos nós ainda estamos vivos. Pelo lado espiritual, todos estão mortos por causa dos seus pecados. E foi justamente por isso que Jesus foi batizado no rio Jordão e nos livrou da condenação do pecado. E depois ele foi crucificado por nós e derramou seu sangue na cruz, como o novilho sacrificado no Antigo Testamento era degolado e também derramava seu sangue.
Sempre que cometemos algum pecado, nos sentimos seres miseráveis. E quando pecamos contra Deus, ficamos tão mal que não desejamos mais viver neste mundo. E nos sentimos deprimidos assim porque o salário do pecado é a morte. A lei que foi dada por Deus há milhares de anos ainda se aplica ao nosso coração hoje em dia. Por isso que precisamos ser salvos crendo no batismo e no sangue de Jesus.
Para nós que cremos em Jesus, foi uma grande bênção ele ter morrido na cruz em nosso lugar. Mas alguns podem pensar no que há de tão abençoado em Jesus ter morrido de modo tão terrível na cruz. Outros ainda gostam até de usar um crucifixo no pescoço. Será que a cruz foi algo tão bom assim para usarmos um crucifixo? A crucificação era uma das penas capitais mais cruéis, que só era aplicada aos mais vis criminosos. O que há de tão interessante na cruz para usarmos um crucifixo no pescoço? As pessoas usam porque eram elas que tinham que morrer na cruz, mas Jesus fez isso em seu lugar e elas se sentem gratas. Por isso que foi uma grande bênção Jesus ter morrido por nós.
Não é porque cometem muitos pecados que as pessoas deveriam. Ao contrário, é a justa lei de Deus que exige que todos que cometem algum pecado, por menor que seja, devem morrer para pagar o salário do seu pecado. Alguns minutos atrás cantamos um hino chamado “No Calvário”. E eu amo este hino porque Jesus de fato morreu por nós. Todos nós não pecamos? Todos neste mundo não pecam, sejam cristãos ou não? Por natureza, o homem não consegue deixar de pecar. É da sua natureza pecar o tempo todo que está acordado. Hoje eu estou falando da morte de Jesus na cruz por nós.
Eu, vocês, todos neste mundo cometem inúmeros pecados, e por isso nos alegramos com a morte de Jesus na cruz. Alguns podem até pensar: “Jesus morreu na cruz por conta própria e nem nos consultou a respeito. Por que então isso é tão importante para nós? Por que devemos ser tão gratos a ele?” No entanto, eu sei e creio que quando Jesus morreu na cruz, ele fez isso por mim. Mas apesar de crer no Senhor, eu não posso evitar o pecado neste mundo porque sou fraco. E por mais que meus pecados sejam pequenos, sempre que eu peco minha consciência fica pesada. Por isso que sou grato a Jesus por ter me salvado e morrido em meu lugar. Só podemos orar a Deus com gratidão quando cremos que Jesus morreu pelos nossos pecados.
Todos vocês creem em Jesus e oram a Deus, não é? Mas será que é sempre fácil para vocês orar? Às vezes não é fácil fazer isso. Ainda há pecado no seu coração então? Todos têm um desejo pecaminoso no coração, e não conseguimos esquecer nenhum deles; eles simplesmente não desaparecem. Alguns podem até negar isso, mas embora todo ser humano consiga facilmente aliviar a consciência e ocultar seus temores dos outros, ninguém consegue esconder seus pecados de Deus.
Está escrito em Jeremias 17:1: “O pecado de Judá está escrito com um ponteiro de ferro, com ponta de diamante, gravado na tábua do seu coração e nas pontas dos vossos altares.” Deus está dizendo aqui que ele escreve os pecados de todo mundo na tábua do seu coração e no Livro do Juízo. Por isso que muitos ainda têm pecado mesmo depois de crer em Jesus. E não dizemos isso da boca para fora. Mesmo depois de crer em Jesus, um incontável número de cristãos continua sendo pecador. É verdade que pecamos o tempo todo, mas o fato de muitos cristãos ainda terem pecado no coração significa que há algo errado em sua fé. E a razão disso é que eles não conhecem o evangelho da água e do Espírito.
Quem realmente crê em Jesus deve ter paz no coração, como diz o hino, ‘minha paz é como um rio, minha paz é como um rio, minha paz é como um rio em minha alma’. Mas ao invés de ter paz como um rio, muitos cristãos ainda carregam o fardo pesado do pecado. Por isso que Deus expõe o pecado das pessoas, para que eles não fiquem escondidos em seu coração. Quando expõe os pecados de alguém, ele está mostrando claramente que há pecado em seu coração e que eles estão escritos em duas tábuas. Ele está mostrando isso para que a pessoa o busque e reconheça seus pecados diante dele. No fundo, ele quer que a pessoa creia que ele foi batizado e morreu crucificado por ela.
De vez em quando pensamos que pecamos quando fazemos mal a alguém. Mas isso está errado e indica que não sabemos mesmo o que é pecado. Só podemos compreender nossos pecados quando reconhecemos que não vivemos segundo a Bíblia, que é a Palavra de Deus.
Está escrito no texto bíblico deste capítulo: “E quando o pecado que cometeram for conhecido” (Levítico 4:14). Este versículo nos mostra que primeiro temos que saber que pecados cometemos contra Deus, e que só depois de fazermos isso é que podemos receber a remissão de pecados pela fé em Jesus. Quando os ímpios fazem algo errado como brigar com alguém, eles acham que só cometeram um erro, e não que cometeram um pecado. Eles acham que suas falhas são simples ‘erros’, e não ‘pecados’. As pessoas só reconhecem seus pecados quando aprendem a Palavra de Deus e creem em Jesus. A verdade é que muitos só reconhecem mesmo que são pecadores depois que creem no Senhor.
Alguns levam muito tempo para crer em Jesus e reconhecer de coração que são pecadores. Mas depois creem no evangelho com sinceridade e recebem a salvação. Por isso que o apóstolo Paulo demorou tanto tempo para nascer de novo; e com os servos de Deus hoje em dia é a mesma coisa. Embora creiam em Jesus por dez, vinte anos, muitos não nasceram de novo ainda. Em alguns casos, isso não acontece nem mesmo depois que se formam no Seminário ou são ordenados ao pastorado. Contudo, por mais que tenha crido em Jesus por muitos anos, você não precisa se envergonhar se só agora reconheceu seus pecados e recebeu a remissão deles crendo no batismo e no sangue de Jesus. Ao contrário, isso é algo do que você tem que se orgulhar.
Eu mesmo cri em Jesus mas só nasci de novo dez anos depois, perto de completar meus estudos no Seminário. Mesmo assim me sinto muito privilegiado por isso ter acontecido, embora tenha levado algum tempo. Se eu não tivesse nascido de novo, eu me tornaria um impostor que não faria nada além de enganá-los para viver bem. Por acaso eu poderia pregar a Palavra se não nascesse de novo e continuasse sendo pecador? Então eu quero aproveitar a oportunidade para dar-lhes um conselho: não importa quanto tempo vocês têm crido em Jesus, examinem a si mesmos para ver se realmente o conhecem e creem na Palavra de modo correto.
 
 
Recebemos a remissão de pecados pela fé
 
Eu vivo exortando vocês a receber a remissão de pecados porque este é o maior presente que Deus deu ao homem. Antes de vir à Igreja de Deus, vocês não sabiam que Jesus levou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista no rio Jordão. Alguém aqui já sabia disso antes? As igrejas do mundo ensinam que Jesus foi batizado para mostrar sua humildade e que viveria nesta terra como qualquer outro ser humano. Isso, contudo, é ignorar o que diz a Palavra de Deus.
Vamos ler juntos Mateus 3:13-17: “Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”
A palavra ‘então’ no versículo 13 se refere ao fato de Jesus ter completado 30 anos. Após passar algum tempo junto ao mar da Galileia, o Senhor foi ao encontro de João Batista no rio Jordão para ser batizado por ele. E João deve ter ficado muito surpreso com isso, pois disse a Jesus: “Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?” Mas o Senhor lhe disse: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça”. Jesus repreendeu João, e ele então obedeceu e o batizou.
Vocês sabem o significado do batismo de Jesus? Alguns de vocês devem estar pensando que a imersão do Senhor nas águas simboliza sua morte, e sua saída das águas representa sua ressurreição. Mas vocês sabem algo mais sobre o batismo de Jesus? Muitos cristãos creem que, além disso, o batismo representa a transformação numa nova pessoa. Quando fui batizado, eu orei a Deus para tirar todos os meus pecados antes de descer às águas. Mas naquela época eu não sabia o que significava de fato passar meus pecados ao ser batizado.
 
 
A importância da Palavra de Deus
 
O que é mais importante, o que diz o homem ou a Palavra de Deus? Eu quero fazer uma pergunta, mas antes disso, vamos ler Mateus 3:15: “Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu”. Amém!
Jesus não diz claramente aqui: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça?” Por este motivo, é muito importante prestarmos atenção ao que ele diz aqui. O que Jesus quer dizer com “porque assim nos convém cumprir toda a justiça” é que ele precisava ser batizado por João Batista, e este, por sua vez, tinha que batizá-lo para que ambos cumprissem toda a justiça. Deixe-me explicar o que a palavra ‘então’ significa. Este substantivo no original grego é “πασαν δικαιοσυνην” (pasan dik-ah-yos-oo’-nayn) e se refere à maneira em que toda a justiça se cumpriu; ou seja, através do batismo de Jesus. O Senhor veio a este mundo para apagar os pecados de todos os pecadores. Por isso que ao ser batizado por João Batista, Jesus recebeu todos os pecados do mundo que foram passados para ele.
Vamos voltar agora para Levítico 4:3-12, no Antigo Testamento. Havia imposição de mãos ou não quando o povo de Israel passava seus pecados para o novilho? O que está escrito é que sempre havia imposição de mãos. E imposição de mãos, antes de tudo, significa ‘passar adiante’; em segundo lugar, ‘transferir ou plantar’; e por fim, ‘enterrar’. Quando o sumo sacerdote, representando o povo de Israel, confessava seus pecados e impunha as mãos sobre a cabeça do novilho no Dia da Expiação, todos os seus pecados eram passados para ele. Por isso que a imposição de mãos significa ‘sepultamento’.
O batismo no Novo Testamento é feito pela imersão nas águas. E algo muito importante é que o sentido do batismo é o mesmo da imposição de mãos, como eu mencionei antes; ou seja, ‘purificar, enterrar e passar adiante’. Melhor dizendo, a imposição de mãos do Antigo Testamento e o batismo no Novo Testamento têm o mesmo significado. E o papel do novilho sacrificado no Antigo Testamento era o mesmo de Jesus, o Cordeiro de Deus sacrificado no Novo Testamento.
O livro de Levítico explica o sistema sacrificial. ‘Levi’ era na verdade um dos doze filhos de Jacó e seu nome quer dizer ‘unidade’. E isso se refere à união, como a antiga União Soviética, que foi formada pela união de várias nações e etnias. Do mesmo modo, a Bíblia, especificamente o livro de Levítico, explica como o homem pode ser um só com o Deus santo através do sistema sacrificial.
Deus é santo, mas o homem é vil por causa dos seus pecados. Por isso que é imprescindível o homem dar a Deus uma oferta pelos seus pecados. Era necessário uma oferta para apagar os pecados do homem, e esta oferta tinha que ser um animal sem defeito, como um bode ou novilho. E ao fazer com que o sumo sacerdote impusesse as mãos sobre o holocausto e o sacrificasse pelo povo de Israel, Deus assim permitia que eles se tornassem um só com ele. Era através do sistema sacrificial do Tabernáculo que Deus apagava os pecados dos israelitas e os purificava. E ele não apagava apenas seus pecados diários, mas também aqueles que eles cometiam durante o ano todo através da oferta do Dia da Expiação, que era sacrificada no décimo dia do sétimo mês.
Ao lermos Levítico, 16:21-22, vemos como o sumo sacerdote passava os pecados anuais do povo de Israel para um dos bodes impondo as mãos sobre sua cabeça. O primeiro bode era sacrificado no Tabernáculo, seu sangue aspergido sobre o propiciatório, e sua carne queimada a Deus. O outro bode, depois de aceitar todos os pecados do povo através da imposição de mãos, era enviado ao deserto para morrer com estes pecados. Deus fez com que Israel fosse o único povo sem pecado no Antigo Testamento através do sistema sacrificial.
Vamos ler então Levítico 16:21-22: “E Arão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso. Assim aquele bode levará sobre si todas as iniquidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto”. Amém!
Está escrito aqui que Arão impunha as mãos sobre a cabeça de um dos bodes, sobre ele confessava todas as iniquidades e transgressões que o povo de Israel havia cometido, e as transferia para sua cabeça. Arão era o irmão mais velho de Moisés. Ele também era o sumo sacerdote, e por isso confessava todos os pecados dos israelitas impondo as mãos sobre a cabeça do bode enquanto todos observavam. Eu já expliquei para vocês que imposição de mãos significa ‘passar adiante’, não foi? E os pecados dos filhos de Israel eram passados para o bode justamente porque o sumo sacerdote impunha as mãos sobre ele. Era assim que os israelitas recebiam a remissão dos seus pecados no Antigo Testamento através do sacrifício oferecido todo ano no décimo dia do sétimo mês, no Dia da Expiação. Era assim que todos os seus pecados anuais eram remidos.
Depois que o sumo sacerdote impunha as mãos sobre o bode, confessava sobre ele os pecados do povo de Israel e os transferia para este animal, ele era solto no deserto. E todo o povo via o bode indo para o deserto. E ao vê-lo desaparecer no horizonte, eles suspiravam de alívio e alegria. Sabendo que o bode havia levado o fardo dos seus pecados, eles celebravam isso e adoravam a Deus. Não devemos dizer que o fardo do pecado é igual aos outros fardos. Deus é quem determina o peso do pecado, e todos eles, grandes ou pequenos, são todos iguais. Por isso que Deus instituiu a lei para apagar os pecados do homem. ‘Imposição de mãos’ significa ‘purificar, passar adiante e enterrar’. E o que mais importa é o que diz a Bíblia.
Vamos voltar agora para Mateus 3:15. O versículo diz que, ao ser batizado, Jesus levou todos os nossos pecados para que eles fossem purificados. Também está escrito na epístola aos Romanos: “Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé” (Romanos 1:17). A justiça de Deus aqui significa que ele fez o que era mais correto. Como? Passando todos os pecados do homem para seu Filho Jesus através do batismo e fazendo com que ele fosse condenado por eles. A justiça de Deus é justamente isso, ou seja, a coisa certa que Deus fez. Portanto, todos os pecados do nosso coração são purificados quando cremos no batismo de Jesus.
O Senhor cumpriu a justiça de Deus ao ser batizado. Ele apagou todos os nossos pecados. Foi por isso que Jesus disse a João Batista, antes de ser batizado por ele, que seria batizado para cumprir a justiça de Deus: “Porque assim nos convém cumprir toda a justiça”. Você entende que este texto quer dizer? Você crê que quando Jesus foi batizado por João Batista todos os pecados do homem, inclusive os nossos, foram passados para ele? É nisso que eu creio. Eu creio que todos os meus pecados foram passados para Jesus naquele momento, assim como os seus também. Todos eles já foram passados para Jesus há mais de 1.900 anos. Jesus tirou nossos pecados 1.900 atrás e assim nos purificou e salvou. E hoje, depois de tanto tempo, ainda temos ouvido esta verdade. Mas depende exclusivamente de você crer ou não na Palavra da verdade. Mas se crer de coração, você com certeza será salvo.
A justiça de Deus o levou a amar o homem e purificar seus pecados. Em Romanos 10:3, Deus repreende os judeus dizendo: “Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus”. Temos que crer na justiça de Deus, que é este evangelho maravilhoso pelo qual ele tirou todos os nossos pecados ao ser batizado e, por fim, morrendo na cruz por nós. Temos que crer nestas boas novas. Jesus só pôde morrer na cruz e ser sepultado porque antes levou sobre si todos os nossos pecados ao ser batizado no rio Jordão. E o rio Jordão é o rio da morte, que flui até o Mar Morto. Jesus recebeu nossos pecados no rio Jordão e purificou todos eles, a fim de que todos que creem nesta salvação possam ir para o céu. No entanto, todo aquele que não crê no que aconteceu no rio Jordão, ou seja, na verdade de que todos os pecados do homem foram passados para Jesus quando ele foi batizado, irão para o inferno.
Vamos ler agora Hebreus 9:27: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo”. A Bíblia diz que todos serão julgados, e para evitar a condenação, é preciso nascer de novo da água e do Espírito. Ao ser batizado, Jesus tirou todos os pecados do homem, inclusive os meus e os seus. Depois derramou seu sangue na cruz e ali morreu, mas ressuscitou ao terceiro dia. Jesus é o Deus santo, o próprio Deus. E os que creem que ele é o seu Salvador e Deus irão para o céu. Foram estes que nasceram de novo da água e do Espírito.
Você entende que Jesus foi batizado por todos os pecadores? Compreende também que todos os seus pecados foram passados para ele? Você pode passar todos os seus pecados para Jesus agora se crer no evangelho do batismo e da cruz de Jesus. E não sou eu que estou dizendo isso. Muito pelo contrário, eu só estou pregando a Palavra de Deus exatamente com está na Bíblia. Então eu clamo a todos vocês que creiam.
 
 
“Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29)
 
Ainda temos algum pecado no coração? Claro que não. Todos os nossos pecados foram passados para Jesus, não foram? Sim, foi isso mesmo que aconteceu. Mas e os pecados que cometemos hoje em dia e cometeremos no futuro até nosso último dia de vida? Estes pecados foram passados para Jesus também? Sim, foram. Não somos santificados então se crermos nesta verdade? Sim, fomos mesmo santificados. No entanto, somos santificados não porque não pecamos, mas porque cremos nesta verdade. Por isso que nos tornamos santos. Em outras palavras, não temos mais pecado porque Jesus tirou todos eles.
Vamos ler agora João 1:29: “No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” João Batista testifica de Jesus aqui dizendo claramente a todos que ele é o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. E no versículo 36 ele dá o mesmo testemunho: “Viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus!” Jesus veio a esta terra para apagar todos os nossos pecados e levou sobre si todos eles ao ser batizado por João Batista no rio Jordão. Depois pregou o evangelho do reino por três anos.
O Senhor disse que é o caminho, a verdade e a vida, e que ninguém pode vir ao Pai senão por ele. E como vemos no capítulo 6 de João, ele também disse que é o pão da vida que desceu do céu, e que todo aquele que comesse deste pão seria salvo e teria a vida eterna. Jesus disse que era maior do que Moisés, que deu o maná ao povo de Israel, e que salvou todos os pecadores ao levar sobre si seus pecados ao ser batizado e entregando seu corpo na cruz. O Senhor disse que devemos crer no que ele fez por nós para recebermos a remissão de pecados e nos tornarmos justos pela fé.
Jesus tirou todos os pecados do mundo. Ainda há algum pecado em nós então? Claro que não. Por isso que a Bíblia diz que todo aquele que crê em Jesus é salvo, como está escrito: “Debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4:12). E como Jesus tirou todos os nossos pecados ao ser batizado e morreu na cruz por nós, só é salvo quem crê nele. Quantos pecados o Senhor levou sobre si quando tirou os pecados do mundo? Ele tirou todos os pecados que foram cometidos desde o princípio do mundo até aqueles que cometeremos até o fim. Este mundo um dia acabará, mas Jesus já levou todos os pecados que cometemos e cometeremos até este dia chegar. E João Batista deu testemunho que o Senhor levou todos os nossos pecados para sempre quando disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” É mesmo impossível contar quantos pecados Jesus tirou.
O Senhor levou os pecados que o homem comete sua vida inteira, queira ele ter vivido pouco ou muito tempo. E quando aceitamos estas boas novas maravilhosas em nosso coração, nos tornamos filhos do reino dos céus. Vamos ler agora Hebreus 9:11-15: “Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção. Porque, se o sangue dos touros e bodes, e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne, quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo? E por isso é Mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna”.
Você crê nesta passagem da Palavra de Deus? A Bíblia diz aqui que Jesus ofereceu uma oferta de expiação eterna por nós. Isso quer dizer que ele nos salvou de uma forma perfeita e para sempre quando levou sobre si todos os nossos pecados ao ser batizado e derramado seu sangue até morrer na cruz. Vamos ler agora então numa só voz Hebreus 10:9-18: “Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés.
Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. E também o Espírito Santo no-lo testifica, porque depois de haver dito: Esta é a aliança que farei com eles Depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações,E as escreverei em seus entendimentos; acrescenta: E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniquidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado”.
Você crê sem duvidar que Jesus apagou todos os seus pecados ao ser batizado, morrendo na cruz e ressuscitado dos mortos? Há alguma razão para recebermos de Deus a remissão de pecados novamente? É claro que não! Nada mais natural do que servirmos sempre ao Senhor então, pois não precisamos mais pedir a ele que perdoe nossos pecados. Portanto, todos nós que recebemos a remissão de pecados devemos servir a ele apenas. Temos que viver para este evangelho. Quando ouvimos e cremos neste evangelho deixamos de ser pecadores e nos tornamos justos.
De agora em diante, temos que unir nossas forças para pregar estas boas novas maravilhosas do reino dos céus a todos que ainda não conhecem o evangelho. Então eu peço a vocês que preguem esta Palavra abençoada que estou pregando agora a todos que vocês conhecem e ainda não a ouviram. Assim vocês serão valiosos obreiros de Deus e suas testemunhas. Todos nós somos muito gratos a Jesus por ele morrido na cruz por nós e tirado todos os nossos pecados ao ser batizado no rio Jordão. E ele agora está assentado à destra do trono do Pai e vive para sempre. Se você aceitar de coração que Jesus apagou todos os seus pecados, ou seja, aceitar o evangelho da água e do Espírito, ele habitará em seu coração. É justamente assim que recebemos o Espírito Santo (Atos 2:38-39).
Você ainda tem algum pecado? É claro que não. E quem foi que eu disse que habita no coração de quem não tem pecado? O Espírito Santo. Ele habita no coração daqueles que aceitam as maravilhosas boas novas celestiais, as boas novas da salvação, e dize-lhes: “Vocês são meus filhos. Vocês são meus. Vocês são meu povo.” É justamente assim que recebemos a remissão de pecados e o Espírito Santo ao mesmo tempo.
Todo aquele que afirma ter recebido a remissão de pecados sem aceitar a Palavra deste evangelho é um grande mentiroso. Por natureza, jamais poderemos evitar o pecado enquanto estivermos nesta terra. Por sermos justamente assim, deveríamos ter morrido por causa dos nossos pecados. Por isso que sou muito grato a Jesus por ter morrido por nós. É por este motivo que creio nele também. O Senhor nos salvou pela água e pelo Espírito, com seu batismo e seu sangue na cruz. Por isso que eu só creio e confio nele. Como eu sou grato a Deus! E eu espero que você faça o mesmo. Mais uma vez quero ser grato a Deus e glorificá-lo por ter nos salvado de todos os nossos pecados, por ter salvado a todos neste mundo. Aleluia!