خطبات

Assunto 26: LEVÍTICO

[26-13] O Senhor salvou quem não merecia ser salvo (Levítico 13:18-28)

O Senhor salvou quem não merecia ser salvo(Levítico 13:18-28)
“Se também a carne, em cuja pele houver alguma úlcera, sarar, e, em lugar da pústula, vier inchação branca ou mancha lustrosa, tirando a vermelho, mostrar-se-á então ao sacerdote. E o sacerdote examinará, e eis que, se ela parece mais funda do que a pele, e o seu pêlo se tornou branco, o sacerdote o declarará por imundo; é praga da lepra que brotou da pústula. E o sacerdote, vendo-a, e eis que se nela não houver pêlo branco, nem estiver mais funda do que a pele, mas encolhida, então o sacerdote o encerrará por sete dias. Se ela grandemente se estender na pele, o sacerdote o declarará por imundo; praga é. Mas se a mancha parar no seu lugar, não se estendendo, inflamação da pústula é; o sacerdote, pois, o declarará por limpo. Ou, quando na pele da carne houver queimadura de fogo, e no que é sarado da queimadura houver mancha lustrosa, tirando a vermelho ou branco, e o sacerdote vendo-a, e eis que se o pêlo na mancha se tornou branco e ela parece mais funda do que a pele, lepra é, que floresceu pela queimadura; portanto o sacerdote o declarará por imundo; é praga de lepra. Mas, se o sacerdote, vendo-a, e eis que, se na mancha não aparecer pêlo branco, nem estiver mais funda do que a pele, mas recolhida, o sacerdote o encerrará por sete dias. Depois o sacerdote o examinará ao sétimo dia; se grandemente se houver estendido na pele, o sacerdote o declarará por imundo; é praga de lepra. Mas se a mancha parar no seu lugar, e na pele não se estender, mas se recolher, inchação da queimadura é; portanto o sacerdote o declarará por limpo, porque inflamação é da queimadura”.
 
 
Diagnóstico de lepra
 
O texto bíblico deste capítulo se encontra em Levítico capítulo 13 e relata como se diagnosticava a lepra. Diz Levítico 13:18-20: “Se também a carne, em cuja pele houver alguma úlcera, sarar, e, em lugar da pústula, vier inchação branca ou mancha lustrosa, tirando a vermelho, mostrar-se-á então ao sacerdote. E o sacerdote examinará, e eis que, se ela parece mais funda do que a pele, e o seu pêlo se tornou branco, o sacerdote o declarará por imundo; é praga da lepra que brotou da pústula”.
 A maioria de vocês que está aqui ouvindo a Palavra de Deus é da cidade. E como também vivi em muitas cidades, eu não posso dizer que sei muito sobre a vida no campo. Certa vez, quando me formei no ensino médio, eu fui visitar meu irmão no interior. Havia lá muitos pés de caqui e as pessoas da cidade gostavam muito. O texto bíblico deste capítulo me faz lembrar dos caquis. Quando caem das árvores, eles ficam amassados. Com o tempo sua pele começa a sair e eles ficam mais moles ainda. Quando o caqui está bem macio, as pessoas comem a parte de dentro e jogam fora a casca. Às vezes caem tantos caquis das árvores que as pessoas amontoam muito e colocam sal para conversar e comer depois.
A cor de fora do caqui muda com o tempo. Por fim, pequenos pelos brancos como bolas de algodão começam a surgir na casca. Deve ser o mofo que dá quando ele começa a estragar. Hoje vamos estudar na Palavra de Deus como a lepra era diagnosticada.
Uma das tarefas dos sacerdotes no Antigo Testamento era diagnosticar a lepra no povo de Israel. E se alguém de fato fosse diagnosticado, a pessoa tinha que ser levada para fora da cidade, a fim de ficar de quarentena e afastada do povo. Era assim que a lepra era diagnosticada em Israel: quando a pele era queimada do sol e surgia uma mancha, o diagnóstico dependia se o pelo da mancha se tornava branca ou parecia mais profunda do que a pele. Se a mancha não se espalhasse pela pele, a lepra era descartada. Mas se ela se espalhasse e fosse mais profunda do que a pele, havia então suspeita da doença. Se a inchação branca e as manchas lustrosas se espalhassem, a pessoa era declarada leprosa. Em outras palavras, se a pele tivesse úlceras e elas se espalhassem, como um caqui estragado, a pessoa era considerada leprosa e tinha que ficar em quarentena. E os leprosos geralmente eram retirados do acampamento.
Embora a lepra se espalhe por todo o corpo, no início ela só aparece numa parte dele. Dizem até que a lepra pode aparecer como uma calvície. Isso não quer dizer que você tem a doença só porque ficou calvo por causa da herança genética. Há um pastor entre nós hoje que não tem muitos cabelos, mas ele não deve se preocupar com isso. A lepra na cabeça citada na Bíblia não diz respeito às pessoas com pouco ou nenhum cabelo. Então, se você é calvo, o que a Palavra diz aqui não tem nada a ver com você.
A lepra era diagnosticada quando alguém tinha úlceras mais profundas do que a pele e elas se espalhavam por todo o corpo. A Bíblia, contrária ao senso comum, diz que mesmo que a lepra cobrisse o corpo todo da pessoa, ela era considerada pura, embora fosse diagnosticada com a doença.
Quando lemos a Palavra de Deus, nos lembramos como o Senhor veio a esta terra para salvar os pecadores e libertá-los de todos os seus pecados com o evangelho da água e do Espírito. É muito importante nos lembrarmos, porém, que embora o Senhor tenha vindo a esta terra como Salvador, ele só salva aqueles que reconhecem que são pecadores e estão condenados ao inferno. Precisamos entender no texto bíblico deste capítulo, que descreve como a lepra era diagnosticada, que o Senhor está falando sobre os pecados que há no coração do homem. Espiritualmente então, quem são os leprosos? São aqueles que não conhecem o evangelho da água e do Espírito e não receberam a remissão de pecados.
 
 

A lepra é como os pecados do homem

 
O livro de 2 Reis no capítulo 5 fala do General Naamã. Diz o texto que Naamã era comandante do exército da Síria, mas foi acometido desta terrível doença chamada lepra. Apesar de ser comandante de todo o exército da nação e muito respeitado por tudo que havia feito pelo seu país, Naamã não era feliz porque era leproso. Por fora, ele era rico, bem sucedido e poderoso. Como soldado, ele era um grande oficial. Mas como leproso, ele se sentia muito mal não somente por si, mas pela sua família. O general Naamã tinha vergonha da sua lepra e não tinha alegria alguma em sua vida.
Só que a serva da sua esposa, uma jovem judia que era escrava em sua casa, lhe deu uma boa notícia. A jovem, que havia sido levada cativa da terra de Israel, era serva da esposa de Naamã. E quando ela soube que ele estava com lepra, ela disse à sua esposa que se ele fosse a Israel ver o servo de Deus chamado Eliseu, ele ficaria curado da sua doença.
Como todos vocês sabem, a lepra na antiguidade era considerada uma doença incurável. Ela cobria todo o corpo da pessoa contaminada com manchas e deixava vários buracos na pele até apodrecer. A lepra naquela época era considerava uma doença fatal.
Havia outras doenças incuráveis e fatais como a lepra nos dias do Antigo Testamento, mas pelo lado espiritual, que doença tira a vida de todos que são acometidos por ela? É a ‘doença do pecado’. O que mata e destrói a pessoa para sempre? Os pecados do homem. É muito importante entendermos aqui que aquele que tem um coração pecaminoso será condenado por causa dos seus pecados.
É justamente a doença do pecado que destrói a alma. E se há uma doença que mata a todos, é justamente a doença do pecado que aflige a todos nós desde que nascemos neste mundo. Todo ser humano tem pecado desde o nascimento e perecerá para sempre se seus pecados não forem purificados.
Já que todos possuem esta coisa terrível chamada pecado, deveríamos ser condenados por causa disso. Todo ser humano nasce com pecador perante Deus e vive em pecado. Por isso que é imprescindível entendermos que somos pecadores perante Deus. As pessoas precisam entender também que não importa se conhecem a Deus e a sua lei, todos nasceram em pecado e seus pecados os levarão à morte. É como a carne do general Naamã que estava apodrecendo por causa da lepra. Embora fosse comandante do exército da Síria e o maior herói da nação, a lepra estava levando-o a perder tudo. Do mesmo modo, todos acabam perdendo tudo por causa dos seus pecados. O que mata as pessoas são os seus pecados.
 
 

A lepra é como os pecados do homem

 
Os sintomas da lepra demoram a aparecer. Dizem que leva três anos para que a pessoa perceba que tenha a doença, e outros três anos para que as pessoas vejam. Então, por mais que a pessoa que tenha lepra queira esconder sua doença, ele só pode fazer isso por seis ou nove anos. Depois disso, os sintomas começam a se espalhar e não é mais possível escondê-la. Outra característica da lepra é que no início ela aparece numa parte específica do corpo, mas depois de um tempo acaba se espalhando pelo corpo inteiro. E quando isso acontece, a pessoa começa a ficar desfigurada porque perde partes do seu corpo como orelhas, dedos, etc.
Como podemos ver, a lepra é uma das doenças mais temidas porque impõe severos danos ao doente. Às vezes a Bíblia usa a lepra como figura dos pecados do homem. Pelo lado espiritual, ela é como os pecados do coração do homem. A lepra era uma doença comum nos dias do Antigo Testamento e todos que a contraíam acabavam morrendo. Do mesmo modo, todo aquele que tem pecado no coração será destruído e morrerá.
Como descendentes de Adão, todos nós nascemos em pecado. Por isso que o Senhor diz em Marcos 7:21-22 que tudo que sai do coração do homem é o que o contamina: “Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, Os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura”. E não há escapatória para todos que nasceram neste mundo em pecado.
No entanto, vemos que muitos negam esta verdade da Palavra de Deus. De todo modo, Deus disse claramente que já no ventre de nossas mães somos concebidos em pecado. Todos nascem neste mundo então com todos os atributos do pecado. Na verdade, todo mundo nasce com eles no coração, por isso que produzimos frutos ruins a vida inteira. Todos nós nascemos neste mundo com estes atributos do pecado. Todo ser humano então, por natureza, nasceu neste mundo com um coração mau. Todos nós nascemos com uma pré-disposição natural para o pecado. Por isso que cometemos sempre os mesmos pecados enquanto vivemos nesta terra. É por esta razão também que todos pecam até morrer.
Nossos pensamentos são maus, assim como nossos atos. E não fazemos outra coisa senão termos maus pensamentos desde o dia em que nascemos até morrermos. O coração do homem está cheio de desejos maus como fornicação, furto, homicídio, adultério, avareza, maldade, engano, soberba, inveja, dissolução, blasfêmia, loucura. Mas e você? Você também tem estes desejos maus? É claro que tem. E não somente nascemos com tais pensamentos e desejos, mas também agimos de acordo com eles em nossa vida. Alguns de vocês podem até pensar: “Muitas pessoas não fazem o mal; como vocês podem explicar isso?” Mas isso é fácil de explicar. Todos neste mundo nasceram com maldade no coração, mas algumas não agem assim por causa das leis criadas pelo homem. Quando alguém age segundo seus desejos mais e viola a lei, ele é punido por ela; e isso serve para impedi-los de pôr em prática seus desejos maus.
O problema, contudo, é que muitos ainda não entenderam que têm desejos maus no coração. Quando apóstolo Paulo se colocou diante do espelho da lei de Deus e viu a si mesmo, ele lastimou ao ver como seu coração era mau. Muitos acham que são justos porque não sabem qual é a função da lei de Deus. É muito triste ver como as pessoas não entendem que nasceram como uma descendência de malfeitores que pecam desde o dia em que nasceram até a morte.
A maioria das pessoas chega à adolescência e à idade adulta sem conhecer sua natureza pecaminosa. Hoje as crianças estão crescendo tão rápido que antes de começar a estudar já estão pecando. Quando alguém aprende a Palavra de Deus, ele percebe na hora que é pecador. Mas vemos que muitas pessoas não têm este entendimento. Até certo ponto, podemos esconder o que há em nosso coração, mas quando chegamos à puberdade descobrimos que dentro dele há todo tipo de maus pensamentos. O mais importante então é concordarmos com Deus quando ele diz que todos nasceram e vivem com tal maldade como os maus pensamentos, o anseio de matar, o desejo de adulterar, a avareza, o furto, o engano, a soberba, etc. Portanto, pela Palavra de Deus sabemos que temos muito desejo de pecar.
O coração de todos está cheio de desejos impulsivos, mas as pessoas se preocupam tanto com suas ações e fazem tudo escondido porque têm medo de ser punidas pela lei do homem se agirem segundo seus desejos. Por isso que a maioria delas raramente demonstra sua maldade. O problema, porém, é que muitos não sabem que possuem tal maldade. É por isso que continuam pensando que são boas pessoas. Mas a verdade é que eles estão vivendo na escuridão. As pessoas andam muito confusas neste mundo.
As pessoas ficam chocadas quando veem as maldades que elas mesmas cometem porque não sabem que são pecadoras. E o resultado disso é que alguns reprovam a si mesmos e sofrem por todos os pecados que cometem. Mas embora reprovem a si mesmos por pecar, muitos deles ainda não conhecem seu verdadeiro eu. E com o passar do tempo acabam pecando mais ainda e culpando os outros por isso, pois não sabem que pecar faz parte da natureza humana. No fim acabam vivendo sem conhecer a maldade que há em si. Em detrimento às Escrituras, o sistema educacional secular ensina que o homem é bom por natureza e que todos podem levar uma vida digna. E os educadores seculares dizem que o homem só conseguirá ter uma vida moralmente justa se tiver uma educação ética.
Muitos neste mundo se enganam pensando que o homem é bom por natureza, mas a verdade é que todos pecam o tempo todo ao longo de toda a sua vida devido os pensamentos maus que temos. Vemos que muitos são enganados por si mesmos e pelos ensinamentos errados deste mundo. E o resultado disso é que muitos vivem lutando com si mesmos e sofrem muito por causa da sua maldade. No fim, por não saberem resolver o problema do pecado, eles acabam buscando as religiões deste mundo.
As pessoas confiam nas religiões deste mundo e nos seus líderes porque não sabem o que fazer com seus pecados. Ao olharmos para os líderes religiosos, vemos que eles procuram se disciplinar para não cometer nenhum pecado, pois querem ser um deus. É nisso que os budistas acreditam e faz com que usem todos os seus esforços humanos para se tornar divinos.
Mas ninguém pode se tornar um deus. O que o budismo ensina é simplesmente impossível, pois nenhum homem pode vencer a maldade. O budismo também fala de 108 desejos humanos, também conhecidos como corrupção, e ensina que o ser humano enfrente 108 desejos mundanos. E para vencer todos eles, é preciso alcançar o Nirvana. Mas isso é totalmente impossível e não passa de palavras vazias, pois a uma maneira de os budistas escaparem dos 108 desejos mundanos é a morte. Deus, por sua vez, nos ensina que todos os pecados do nosso coração são purificados com o evangelho da água e do Espírito.
Jamais houve alguém nesta terra que tenha vencido seus pecados pelo próprio esforço. Alguns religiosos veneram seus ancestrais, pois dizem que eles os ajudam. Também dizem que se fizerem isso e muitas boas obras, eles irão para o céu. Eles gostam muito de falar do chamado ‘caminho da moral’, e ensinam que devemos levar uma vida moralmente correta. Por causa deste ensinamento, muitos procuram fazer o bem ao próximo, mas isso não adianta nada porque isso só faz com que seu coração fique ainda mais endurecido pelo pecado.
Gênesis capítulo 1 começa com esta frase ao iniciar a descrição da criação de Deus: “No princípio criou Deus o céu e a terra”. Deus também fala conosco e nos explica por que temos pecado e não podemos evitá-lo em nossa vida. Desde o início Deus nos explicou sobre todos os pecados que nascemos neste mundo. Segundo ele, todos nós pecamos porque nascemos com um coração pecaminoso. Assim como a lepra se espalha por todo o corpo, os pecados do homem o dominam ao longo de toda a sua vida. E já que todos nós herdamos dos nossos pais um coração pecaminoso desde que nascemos, o tempo todo não conseguimos deixar de pecar.
 
 
Devemos crer na justiça do Senhor que nos torna sem pecado
 
Jesus disse que veio salvar os pecadores de todos os seus pecados. Ele disse aos discípulos: “Eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”. E também disse que “só quem está doente precisa de médico, que quem é sadio não precisa de médico”. O Senhor também disse que é o nosso Salvador. Todo ser humano que vive neste mundo herda os pecados de seus pais na hora que nasce. Se não fosse assim, não precisaríamos que Jesus Cristo fosse nosso Salvador e que ninguém cresse nele. Melhor dizendo, se não cometêssemos nenhum pecado neste mundo, então não precisaríamos buscar Jesus Cristo e crer nele como nosso Salvador.
Agora, se reconhecermos que nascemos em pecado, seremos levados a buscar Jesus e crer na sua justiça. Caso contrário, se não crermos na justiça de Deus de coração, será inevitável morrermos por causa dos nossos pecados. Quem reconhece seus pecados não tem outra escolha senão buscar a Jesus. A justiça de Deus se aplica a todos, sem exceção, que reconhecem que são pecadores não somente diante da ética e moral humanas, mas também dos mandamentos de Deus.
Por causa da queda dos pais da humanidade, todos nós nascemos pecadores. Por causa de um homem, Adão, todos são pecadores porque herdaram seus pecados. Por isso que, falando espiritualmente, todos nós somos como os leprosos. Em outras palavras, todo mundo é pecador perante Deus.
Jesus Cristo é indispensável então para que a doença de todos os nossos pecados seja curada. Ele é o único que pode salvar seu povo de todos os seus pecados. Todo pecador, sem exceção, precisa de Jesus. Por isso que todos precisam crer no evangelho da água e do Espírito. Se a alma doente das pessoas, que está cheia de pecados, não for curada, elas acabarão morrendo, pois o Senhor disse que “o salário do pecado é a morte”.
Deus nos criou do pó da terra e soprou em nossas narinas o fôlego de vida. Depois o Senhor veio a esta terra em pessoa para nos salvar dos nossos pecados. Então foi batizado por João Batista, derramou seu sangue na cruz, ressuscitou dos mortos, e assim se tornou nosso Salvador de uma vez por todas. Jesus nasceu numa pequena cidade chamada Belém. E quando fez 30 anos, ele remiu todos os nossos pecados; devemos crer nisso. Não podemos deixar de crer no evangelho da água e do Espírito, a verdade da salvação pela qual o Senhor nos livrou de todos os pecados do mundo. É imprescindível entendermos a justiça de Deus e crermos nela. Jesus veio a esta terra como o Salvador do homem. Todos nós éramos pecadores, e foi justamente por isso que Jesus precisou vir nos resgatar. Sendo assim, temos que crer na justiça para sermos salvos.
Deus enviou um servo seu a esta terra antes de Jesus chegar. E este servo foi João Batista, que batizou o Senhor no rio Jordão. João Batista foi o servo de Deus que passou todos os pecados do mundo para Jesus de uma vez por todas ao batizá-lo. Ele vestia pele de camelo e clamava ao povo de Israel no deserto para que se arrependesse. Seu alimento diário era mel, água, frutas e plantas. Ele teve comunhão com Deus no deserto até a hora certa. Chamava os israelitas de ‘raça de víboras’ e clamava para que eles se arrependessem. João pregava para que eles se arrependessem da sua idolatria e dizia: “Saibam que o machado já está posta à raiz da árvore, mas todo aquele que se arrepender não perecerá. Assim como a árvore é cortada e lançada no fogo, todos que não se arrependerem serão destruídos.”
Ao se referir a João Batista, Jesus disse que ele veio ‘no caminho da justiça’. Mas muitos não sabem que João Batista foi o único que o Senhor disse que veio no caminho da justiça. E quando ele batizou Jesus Cristo no rio Jordão, este purificou todos os nossos pecados de uma vez por todas. Ao batizar Jesus, João Batista passou todos os nossos pecados para ele. Melhor dizendo, o fato de João Batista ter batizado Jesus foi o que tornou possível a todos nós crer nesta verdade perfeita. João Batista teve que passar todos os pecados deste mundo para Jesus a fim de que todos que cressem se tornassem filhos de Deus.
No entanto, muitos se recusam a crer nisso. Os fariseus daquela época não criam que João Batista tinha vindo fazer esta obra. E muitos naqueles dias também não sabiam que João Batista era o único que cumpriria toda a justiça com Jesus. Embora João Batista tenha andado no caminho da justiça e batizado Jesus para que ele levasse todos os pecados do homem, ainda assim muito não creram. Quem creu naquela época então? Justamente as prostitutas e publicanos.
Deus enviou João Batista e Jesus Cristo a esta terra para apagar os pecados de todos. Seu propósito era que todos conhecessem a justiça do Senhor e se tornassem seus filhos. Ele enviou João Batista para batizar Jesus com intuito de tornar justos todos que cressem nesta verdade. Mas infelizmente muitos não creram no evangelho da salvação.
Quem neste mundo crê na justiça de Jesus Cristo então? Somente quem não tem justiça própria. Quem crê no batismo que o Senhor recebeu de João Batista? Este batismo significa que Jesus levou todos os nossos pecados. Em outras palavras, só aqueles que reconhecem que são leprosos espirituais é que recebem a salvação crendo no evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Deus.
Os fariseus e saduceus dos dias de Jesus não criam na função de João Batista nem em Jesus Cristo como seu Salvador. Eles achavam que embora fossem pecadores, seus pecados eram bem pequenos. Não é assim que você pensa também? Será que você peca só de vez em quando? Você acha que só cometemos pecados pequenos? Claro que não. A lepra faz com que a pele saudável comece a apodrecer sem dó nem piedade. Com o pecado é a mesma coisa.
Se não cremos na justiça de Jesus Cristo, seremos escravos dos nossos pecados e cometeremos uma transgressão após a outra até sermos destruídos. O ser humano não consegue deixar de pecar o tempo todo, e é por isso que no fim todos serão condenados por causa dos seus pecados. Por isso que muitos vão para o inferno porque pecam em não conhecer a justiça de Jesus Cristo. Assim como a lepra apodrecia todo o corpo, os pecados que todo mundo comete faz seu corpo e sua alma ficar doente e morrer.
Jesus disse que as prostitutas e publicanos é que criam que João Batista tinha vindo no caminho da justiça. Isso significa que somente os quem reconhecem suas falhas é que creem no caminho da justiça. Todos vocês sabem o que as prostitutas fazem, não sabem? E como seu pecado era conhecido de todos, elas deviam saber muito bem que eram pecadoras imundas perante Deus.
João Batista testificou várias vezes de que passou os pecados do mundo para Jesus quando o batizou. Ao batizar o Senhor no rio Jordão, João passou para ele todos os pecados do mundo e assim cumpriu a condição para que Jesus fosse condenado por todos estes pecados. Assim como o povo de Israel passava seus pecados para o holocausto impondo as mãos sobre sua cabeça nos dias no Antigo Testamento, nos dias o Novo Testamento todos os pecados do mundo foram passados para Jesus Cristo de uma vez por todas quando ele foi batizado por João Batista no rio Jordão.
Muitos pecadores como as prostitutas e publicanos creram que Jesus, de quem João dava testemunho, era mesmo o Filho de Deus que tirou os pecados do mundo ao ser batizado. Eles creram em Jesus como seu Salvador e que ele tinha vindo pela água e pelo Espírito. Também criam que seu Salvador havia livrado-os de todos os seus pecados de uma vez por todas. Estas pessoas, cujos pecados eram publicamente conhecidos, foram salvas porque creram na justiça de Deus.
Outro fato importante que você deve entender aqui é que quem não reconhecia os pecados do seu coração e os escondia não podia aceitar a justiça de Deus, por mais que fossem punidos por eles. Cremos que João Batista veio no caminho da justiça e que Jesus faz com que todos que creem no evangelho da água e do Espírito não tenham mais pecados, pois levou todos eles quando foi batizado por João Batista. Só podemos ser salvos dos nossos pecados se crermos na justiça de Deus. Portanto, precisamos entender que João Batista veio no caminho da justiça. E este caminho afirma que não poderemos ser salvos de todos os nossos pecados se não crermos que Jesus levou todos eles e se tornou nosso Salvador.
 
 

Os que foram escolhidos por Deus e os que não foram

 
A Bíblia diz que alguns são escolhidos por Deus e outros não. Jesus explicou isso usando uma parábola. E ela diz assim: muito tempo atrás, um rei fez uma festa de casamento para seu filho e mandou convidar as pessoas do reino. Mas os convidados não aceitaram o convite. Alguns deles disseram que não podiam ir porque tinham que comprar um novilho; outros disseram que não podam ir porque tinham negócios a tratar; outros não aceitaram o convite porque iam se casar; outros ainda disseram que não podiam ir porque já tinham compromisso. Quando os servos do rei voltaram e lhe disseram que ninguém havia aceitado o convite para o casamento do seu filho, ele mandou servos irem pelas ruas e convidar todos que encontrassem.
Seus servos então saíram e trouxeram todos que encontraram, embora não tivessem status social. Depois que estas pessoas chegaram, os portões da cidade foram fechados e a festa começou. Durante a festa de casamento, os convidados se alegravam com música, comida, bebida e dança. Mas ao olhar para um deles, o rei disse que ele não estava usando vestes adequadas para um casamento.
O problema foi que o convidado não poderia ter ido para a festa do rei usando uma roupa comum. Todos os convidados tinham que usar vestes adequadas para uma cerimônia de casamento. Mas havia um homem no casamento que não trocou de roupa e foi à festa de casamento vestido como estava. O rei então lhe perguntou por que ele não estava usando vestes para o casamento, mas o homem não soube o que dizer. Então o rei mandou que seus servos amarrassem seus pés e suas mãos e o botassem para fora.
Depois de contar esta parábola, Jesus disse que muitos são chamados, mas poucos escolhidos. Este mundo está cheio de pessoas que professam crer em Jesus. E embora muitas delas creiam nele hoje em dia e muitos sejam chamados, na verdade poucos são escolhidos. Mas o que significa ser escolhido? A quem Deus escolhe então? A Bíblia diz em Efésios 1:4: “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo”. Mas quem Deus elegeu em Cristo antes da fundação do mundo? Ele elegeu os escribas? Ou foram as prostitutas e publicanos? Quem exatamente Deus elegeu? O Pai elegeu as prostitutas e publicanos em Cristo Jesus. Mas espiritualmente falando, quem foram aqueles que Deus escolheu de fato?
Deus enviou Jesus Cristo a esta terra para salvar os pecadores dos pecados do mundo. E ao fazer com que ele recebesse estes pecados quando foi batizado, ele resolveu todos os problemas que o pecado nos causava. Por isso que o Pai disse que nos elegeu em Cristo Jesus. Mas quem são os eleitos? Quem foi eleito por Cristo antes da fundação do mundo?
Em sua epístola aos Romanos, o apóstolo Paulo fala de Elias. Ele descreve o que aconteceu quando o profeta de Deus lutou sozinho contra os 850 profetas de Baal, e o que ele fez quando soube que Jezabel, mulher do rei Acabe, jurou matá-lo. Jezabel jurou que tiraria sua própria vida se não matasse Elias no dia seguinte. E ninguém menos do que a própria rainha de Israel havia jurado matá-lo.
Embora tenha sido muito corajoso ao enfrentar os 850 profetas de Baal sozinho, o profeta Elias temeu e fugiu com seu servo quando soube que a maligna rainha Jezabel jurou matá-lo. Elias então fugiu para o deserto inóspito, e ao se sentir muito cansado, se deitou debaixo de uma árvore. E a árvore era um zimbro. Exausto, Elias deitou debaixo do zimbro e pediu para si a morte. Ele se entregou a Deus e disse: “Senhor, eu lutei contra os 850 profetas de Baal, mas agora Jezabel quer me matar. Eu estou tão cansado que não quero mais viver. Tire minha vida agora, Senhor.” Mas Deus enviou um anjo para confortar Elias e fortalecê-lo. O anjo então lhe tocou e trouxe água e comida para renovar suas forças. E com suas forças renovadas pelo alimento que o anjo lhe trouxe, Elias se recuperou e pôde seguir adiante.
Depois de comer o alimento e beber a água que o anjo lhe trouxe, Elias renovou suas forças e foi para o monte Horebe, para onde Deus lhe tinha mandado ir. Ao chegar lá, ele entrou numa caverna. Quando estava dentro da caverna, ele ouviu uma voz como de trovão. Mas em meio a esta voz, o profeta Elias não conseguiu ouvir a Palavra de Deus. Então ele ouviu um vento soprando muito forte fora da caverna, mas a voz de Deus não estava ali. Quando tudo ficou calmo e quieto, Elias ouviu uma voz baixa, suave. Deus então falou com ele naquele cicio.
Deus lhe perguntou: “O que você está fazendo se escondendo aqui?” E ele respondeu: “Senhor, todos os seus servos em Israel estão mortos. Eu sou o único que restou. Seus profetas foram mortos pela espada ou estão morrendo de fome. Eu sou o único que restou, e agora eles querem tirar minha vida também.” Deus então foi bem claro com Elias e disse: “Eu preservei sete mil homens que você não conhece, homens que não se dobraram a Baal. Você acha que está sozinho, mas eu preservei sete mil homens.” A Palavra de Deus diz em Romanos 11:5: “Assim, pois, também agora neste tempo ficou um remanescente, segundo a eleição da graça. Mas se é por graça, já não é pelas obras”. Em outras palavras, assim como Deus preservou sete mil homens para ajudar Elias, até hoje ele tem escolhido os seus segundo a eleição da graça.
A palavra graça significa presente de Deus e se refere ao dom da salvação que ele nos deu pela justiça de Jesus Cristo. O Filho de Deus veio a esta terra para nos salvar dos nossos pecados. O Senhor veio em pessoa para curar nossa lepra espiritual. Ele veio para fazer isso e realmente nos curou desta doença.
Somos curados da lepra espiritual quando cremos que o Senhor levou todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista no rio Jordão. Jesus nos curou de uma vez por todas de todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito. Em Jesus Cristo, Deus convidou a muitos através do evangelho da água e do Espírito e escolheu os que creram. Mas quem foi que Deus escolheu especificamente? Ele escolheu os pecadores que não tinham justiça própria e perante ele confessaram: “Senhor, eu estou sofrendo mesmo com a lepra espiritual do pecado. Eu mereço ser condenado e morrer pelos meus pecados. Eu tenho esta doença terrível do pecado. Os pecados que eu cometi e os que tenho dentro de mim estão me matando. E eu mereço ser destruído por causa deles. Eu estou condenado ao inferno.” Portanto, os que reconhecem seus pecados e precisam desesperadamente da justiça de Jesus Cristo é que podem receber a salvação que o Senhor oferece. São estes que o Pai salvou de uma vez por todas através do seu Filho com o evangelho da água e do Espírito.
Amados irmãos, Deus nos escolheu em Cristo Jesus para a salvação porque reconhecemos nossos pecados. Fomos nós que ele escolheu salvar. E ele nos salvou como seus eleitos. Mas é muito importante entendermos aqui que não foi por causa da nossa justiça ou bondade que Deus nos elegeu em seu Filho Jesus Cristo antes da fundação do mundo. Muito pelo contrário, foi porque éramos totalmente desprezíveis e cheios de falhas perante Deus que fomos escolhidos pela fé no evangelho da água e do Espírito. Já que não conseguíamos deixar de pecar um só segundo por causa das nossas falhas e fraquezas, iríamos direto para o inferno se Deus nos deixasse à nossa mercê. Por isso que ele nos escolheu. Se Deus tivesse nos deixado por conta própria, sofrendo com nossa doença mortal do pecado, nossa carne apodreceria, seríamos reduzidos somente a ossos e ossos e acabaríamos perecendo. Foi por ter misericórdia de pessoas como nós que o Senhor veio a esta terra para nos salvar de todos os nossos pecados. Ele veio a este mundo para salvar a todos dos seus pecados.
O Senhor veio a este mundo para salvar pessoas como as prostitutas e publicanos. Embora estas pessoas não quisessem realmente ser o que se tornaram, elas nasceram neste mundo condenadas a morrer por causa dos pecados que herdaram. Todos nós somos assim também, e foi por isso que o Senhor veio a esta terra para nos salvar de todos os nossos pecados. E graças à sua justiça, fomos escolhidos e salvos pela fé.
 
 
A quem Jesus Cristo escolheu?
 
Jesus escolheu os pecadores que estavam condenados ao inferno por causa dos seus pecados. E por causa da sua justiça, Deus escolheu os que reconhecem que são mesmo pecadores, aceitam sua Palavra e a sua justiça, e que admitem que merecem morrer e ser lançados no inferno por causa dos seus pecados. E Deus diz a todo aquele que crê na sua justiça: “Você pertence a mim agora. Não se preocupe mais, pois eu remi todos os seus pecados. Você agora foi curado da sua enfermidade. Levante, pegue sua cama e vá para casa. Não há mais condenação para os que estão em Cristo, pois a lei do Espírito da vida o libertou da lei do pecado e da morte.” O próprio Deus em pessoa nos salvou de todos os nossos pecados em Cristo Jesus. Ele nos livrou de todos os nossos pecados de uma vez.
Amados irmãos, somos leprosos espirituais por natureza. No entanto, o Senhor nos salvou com o evangelho da água e do Espírito. Deus nos escolheu na justiça de Jesus Cristo e nos salvou. E ao fazer isso, ele também nos tornou justos e nos tornou seus filhos por crermos na justiça do seu Filho. Só nos tornamos justos quando cremos na justiça de Deus. Deus nos escolheu não porque não tínhamos pecado. Ao contrário, foi justamente por sermos pecadores que Deus nos escolheu e salvou de todo os nossos pecados graças à justiça de Jesus.
Você crê que Jesus Cristo nos salvou de todos os pecados do mundo através da justiça de Deus? Você crê que foi eleito em Jesus Cristo pela fé na justiça de Deus? Quem então foi escolhido por Deus? Quem foi chamado, mas não escolhido? Quem ainda não recebeu a salvação pela fé? Aqueles que não creem na justiça de Deus não foram escolhidos. Como disse Jesus: “muitos são chamados, mas poucos os escolhidos”. E os escolhidos de fato são poucos, pois muitas pessoas que vivem nesta terra creem em Jesus como seu Salvador, mas não conhecem o evangelho da água e do Espírito. Por isso que muitos ainda não foram escolhidos.
Os que não foram escolhidos são justamente aqueles que conhecem a justiça de Deus, mas não reconhecem que são pecadores condenados ao inferno. Estas pessoas não vão até os sacerdotes para que eles as avaliem segundo a Palavra de Deus. Elas precisam sair das trevas, reconhecer seus pecados e pedir aos sacerdotes para examiná-las espiritualmente a fim de que sejam curadas da lepra espiritual.
O problema, porém, é que muitos não aceitam o diagnóstico dos sacerdotes espirituais. Hoje de manhã eu falei sobre o rico e Lázaro, e como o rico, muitos não levam a sério o diagnóstico espiritual dos sacerdotes de Deus. Eles não aceitam a admoestação dos servos de Deus nem reconhecem sua justiça. E o resultado disso é que eles estão cada vez mais cativos dos seus pecados e sendo consumidos por eles. No fim, todos eles serão destruídos e morrerão.
Todos que não creem na justiça de Deus, e por isso não foram escolhidos, estão enganando a si mesmos. Todo aquele que não reconhece a Palavra de Deus está fazendo papel de tolo. O que devemos mostrar a Deus não é a nossa própria justiça, mas que temos fé nele. Precisamos ver na Palavra de Deus quem somos realmente e reconhecer isso. Se você não conhece a si mesmo, busque a Palavra de Deus e a aceite, pois assim todos os seus pecados serão purificados. Temos que ouvir a Palavra de Deus para ver quem realmente somos e aceitar isso.
Todo aquele que busca a Deus e reconhece seus pecados é salvo, sem exceção. Deus escolheu em sua justiça todos que precisam da graça salvadora de Jesus. A estes ele salvou com sua justiça, purificou todos os seus pecados, fez com que nascessem de novo através do evangelho da água e do Espírito, e os abençoou para que se tornassem seus filhos – tudo isso de uma vez por todas.
A Bíblia diz que a pele do general Naamã foi purificada e ficou como a de um menino depois que ele mergulhou setes vezes no rio Jordão, como disse Eliseu. É assim também que o Senhor transforma o velho homem daqueles que creem no evangelho da água e do Espírito e os torna novas criaturas. Foi com este evangelho que Deus nos salvou e fez nascer de novo. Isso quer dizer que ele escolheu os crentes no evangelho da água e do Espírito em Cristo Jesus. E ao fazer isso, ele nos tornou seus filhos.
Amados irmãos, eu quero que todos vocês que entendam muito bem que foram salvos com o evangelho da água e do Espírito. Foi pela nossa fé que fomos escolhidos. Mas isso não aconteceu porque éramos puros ou perfeitos. Pelo contrário, foi justamente porque éramos cheios de falhas que Deus nos escolheu para purificar todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito. Portanto, devemos ser gratos por isso e pela graça da redenção de Deus também.
A Bíblia diz que os fariseus, saduceus e os soberbos que rejeitaram a justiça de Deus não foram escolhidos por ele. Os que enganam a si mesmos perante Deus, que não reconhecem sua justiça, que não conhecem sua Palavra, que se gabam da sua piedade religiosa e são cheios de hipocrisia, não foram escolhidos por Deus.
Por que Deus escolheu uns e outros não? Os eleitos de Deus são escolhidos na justiça de Jesus Cristo. Ou seja, só podemos ser escolhidos se entendermos a justiça de Deus no evangelho da água e do Espírito, entendê-la por completo, e crer nela. Deus não escolhe algumas pessoas e rejeita outras de qualquer maneira.
Vemos que entre Jacó e Esaú no Antigo Testamento, Deus escolheu o primeiro e rejeitou o segundo. Mas por que ele fez isso? Pelo lado humano, Esaú era quase perfeito, enquanto Jacó era um ladrão fraco e astuto. Mas quem Deus escolheu? Ele escolheu Jacó, um homem vil e cheios de falhas. Mas por que Jacó foi escolhido e não Esaú? Justamente porque Jacó era astuto, um vil mentiroso que precisava desesperadamente da graça de Deus. Deus teve compaixão deste homem miserável chamado Jacó e o salvou por meio da sua justiça. Jacó roubou de seu irmão o direito de progenitura com um prato de lentilhas, enganou seu próprio pai imitando sua voz a fim de se passar por ele, e usurpou as bênçãos que Esaú deveria receber. Deus sabia muito bem que se deixasse Jacó por conta própria, ele com certeza iria para o inferno. Jacó era um homem totalmente desprezível. Por isso que Deus não resiste e acaba salvando pessoas como Jacó; assim é a sua graça e misericórdia. Melhor dizendo, são pessoas como Jacó que o Senhor quer salvar de todos os seus pecados. E é por isso que ele levou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista.
O Senhor levou os pecados de Esaú, não somente os de Jacó. Mas Esaú não foi escolhido porque, ao contrário de seu irmão, ele se achava justo demais. Na verdade, há dois tipos de pessoas nesta terra: as que são como Jacó e as que são como Esaú. Aqueles que, como Jacó, sabem muito bem o quanto são miseráveis podem receber a graça da salvação crendo no evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Jesus. E se andarem no caminho da justiça como fez João Batista e crerem no evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Deus, todos eles poderão ser salvos pela fé, escolhidos pelo Deus justo e se tornar justos também. Os que são como Esaú, por sua vez, se vangloriam das suas próprias forças, da sua própria justiça, da sua própria bondade. Por isso que não podem ser escolhidos por Deus.
Só podemos ser escolhidos por Deus se rejeitarmos nossa própria justiça e crer na dele. E se não reconhecermos os servos de Deus que creem na sua justiça e aqueles que fazem parte do povo de Deus, também não poderemos ser escolhidos. A justiça de Deus nos salvou de todos os pecados do mundo. E eu espero que ninguém aqui fique de fora da eleição de Deus e seja lançado no inferno por se recusar a crer que ele nos salvou de todos os nossos pecados.
Vamos pensar nisso por um momento. Nós somos justos? Será que nos tornamos justos devido os nossos atos de retidão e algo em nós nos fez merecedores de receber isso de Deus? Não, claro que não. O problema, infelizmente, é que há muitos nesta terra que são soberbos. E é justamente pela sua soberba que eles ficam fora da eleição de Deus.
Amados irmãos, eu mesmo cria em Jesus, mas vivi dez anos sem conhecer a justiça de Deus, embora fizesse tudo para amá-lo ao longo destes anos. Mas quando eu conheci a justiça de Jesus Cristo, porém, eu percebi que todos os meus esforços eram inúteis. Então eu percebi que o Senhor salva os que são incapazes. Foi para estas pessoas que Deus deu o evangelho da água e do Espírito, concedendo a elas assim a graça da salvação e vestindo-as com sua justiça eterna.
Fomos escolhidos em Cristo antes da fundação do mundo porque éramos cheios de falhas. Por isso que Deus nos elegeu no evangelho da água e do Espírito. Já que todos nós somos descendentes de Adão, o primeiro homem que pecou, não conseguimos deixar de pecar. Mas fomos salvos de todos os nossos pecados porque cremos no evangelho da água e do Espírito. O Pai escolheu pessoas como nós em Cristo Jesus e nos tornou seus filhos. E é justamente essa a graça que ele nos concedeu e o amor que ele teve por nós. O evangelho da água e do Espírito é a maravilhosa graça da salvação de Deus. Foi pela sua graça e amor que Deus nos deu este evangelho para sermos curados e libertos da lepra dos nossos pecados.
Você e eu fomos salvos de todos os nossos pecados porque cremos no evangelho da água e do Espírito. Todos os outros neste planeta, contudo, ainda têm lepra espiritual. O mundo todo está infectado com a doença do pecado, que está levando muitos a perecer física e espiritualmente. Temos que pregar o evangelho da água e do Espírito a todas estas pessoas. Imagine a luta que elas estão passando em sua vida, sofrendo por pecar o tempo todo e não conseguir evitar isso. Sua impureza miserável deve ser um fardo para elas. Os pecadores sabem que não podem ser aprovados pelo homem nem por Deus, e isso faz com que eles vivam sempre nas trevas por causa dos pecados que cometem aos olhos de todos. O evangelho da água e do Espírito seria um grande conforto para eles então.
Os que conhecem seus pecados e sabem que estão sofrendo por causa deles receberão a bênção de ser escolhidos por Deus se entenderem o evangelho da água e do Espírito, que é o poder de Deus. Eles receberão a bênção de ser escolhidos e salvos quando reconhecerem seus pecados. Por outro lado, os que não admitem que são pecadores, embora tenham nascido em pecado e não consigam evitá-lo ao longo da sua vida, serão rejeitados por Deus se continuarem vivendo sem conhecer o evangelho da água e do Espírito e achando que não têm pecado. Mas até para estas pessoas temos que pregar este evangelho e ensiná-lo para elas.
Eu peço a vocês que reconheçam que são pecadores, mas também saibam que Deus já salvou todo pecador através da sua justiça e do seu amor. Eu peço a vocês que entendam isso e confiem na misericórdia de Deus para receber suas verdadeiras bênçãos. Vocês precisam entender que Deus salva os pecadores e crer nisso. E também que esta salvação foi realizada pela justiça do nosso Senhor Jesus Cristo. Vocês precisam entender que todo ser humano é um leproso espiritual condenado a perecer, reconhecer a justiça de Deus e aceitar a verdadeira salvação que ele oferece. Eu espero que vocês creiam com ação de graças que Deus nos escolheu na justiça de Jesus Cristo para a verdadeira salvação. E também oro pare que a graça e as bênçãos de Deus estejam com todos vocês. Devemos ser sempre gratos a Deus pela fé, pois foi pela sua justiça que fomos escolhidos e nos tornamos seus filhos.