Bài giảng

Assunto 24: Sermões para Aqueles que são Nossos Colaboradores

[24-51] Em quem Deus se agrada? (Gênesis 25:19-34)

(Gênesis 25:19-34)
“E estas são as gerações de Isaque, filho de Abraão: Abraão gerou a Isaque; e era Isaque da idade de quarenta anos, quando tomou por mulher a Rebeca, filha de Betuel, arameu de Padã-Arã, irmã de Labão, arameu. E Isaque orou insistentemente ao Senhor por sua mulher, porquanto era estéril; e o Senhor ouviu as suas orações, e Rebeca sua mulher concebeu. E os filhos lutavam dentro dela; então disse: Se assim é, por que sou eu assim? E foi perguntar ao Senhor. E o Senhor lhe disse:
‘Duas nações há no teu ventre,
E dois povos se dividirão das tuas entranhas,
E um povo será mais forte do que o outro povo,
E o maior servirá ao menor.’
E cumprindo-se os seus dias para dar à luz, eis gêmeos no seu ventre. E saiu o primeiro ruivo e todo como um vestido de pêlo; por isso chamaram o seu nome Esaú. E depois saiu o seu irmão, agarrada sua mão ao calcanhar de Esaú; por isso se chamou o seu nome Jacó. E era Isaque da idade de sessenta anos quando os gerou. E cresceram os meninos, e Esaú foi homem perito na caça, homem do campo; mas Jacó era homem simples, habitando em tendas. E amava Isaque a Esaú, porque a caça era de seu gosto, mas Rebeca amava a Jacó. E Jacó cozera um guisado; e veio Esaú do campo, e estava ele cansado; E disse Esaú a Jacó: Deixa-me, peço-te, comer desse guisado vermelho, porque estou cansado. Por isso se chamou Edom. Então disse Jacó: Vende-me hoje a tua primogenitura. E disse Esaú: Eis que estou a ponto de morrer; para que me servirá a primogenitura? Então disse Jacó: Jura-me hoje. E jurou-lhe e vendeu a sua primogenitura a Jacó. E Jacó deu pão a Esaú e o guisado de lentilhas; e ele comeu, e bebeu, e levantou-se, e saiu. Assim desprezou Esaú a sua primogenitura.”
 
 

Esaú e Jacó

 
O texto bíblico deste capítulo fala dos dois filhos gêmeos de Isaque. Se você entender a vontade de Deus através de Esaú e Jacó, você entenderá 95% da vontade de Deus. Isaque, filho de Abraão, teve gêmeos, Esaú e Jacó. E o Senhor disse quando ainda estavam no ventre de sua mãe Rebeca: “E o Senhor lhe disse: Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão das tuas entranhas, e um povo será mais forte do que o outro povo, e o maior servirá ao menor” (Gênesis 25:23). E o texto continua: “E saiu o primeiro ruivo e todo como um vestido de pêlo; por isso chamaram o seu nome Esaú. E depois saiu o seu irmão, agarrada sua mão ao calcanhar de Esaú; por isso se chamou o seu nome Jacó” (Gênesis 25:25-26).
Deus disse que o maior serviria ao menor. Melhor dizendo, ele nos ensina aqui que todas as pessoas serão separadas em dois grupos, como estes irmãos gêmeos. E o que isso significa? Que há pessoas que receberam a remissão de pecados e outras que não a receberam. Como nos mostra o texto bíblico deste capítulo, Jacó era um homem calado e costumava ficar em casa ajudando sua mãe com os afazeres domésticos. Esaú era justamente o contrário, homem do campo que gostava de caçar.
Ao olharmos para a fé destes dois grupos de pessoas, qual é a correta? É a fé de Jacó. Jacó não saía muito, antes ficava em casa cuidando dos afazeres domésticos. Amados irmãos, o que isso significa? O estilo de vida de Jacó nos mostra que era como se ele seguisse ao Senhor na Igreja de Deus após ter recebido a remissão de pecados e nascido de novo.
E nós também somos assim. O que quer que eu faça, se for segundo a justiça do Senhor, sempre vai me deixar feliz e radiante. Se eu fizer a obra de Deus e não a obra deste mundo, ou seja, se eu fizer a obra que diz respeito à igreja e à salvação de almas, serei muito frutífero, me sentirei muito realizado e em paz, por mais que não obtenha grandes resultados fazendo isso.
Quando Esaú e Jacó ainda estavam no ventre de sua mãe, Deus disse que deles faria duas nações e que o maior serviria ao menor. Isso nos mostra que Jacó, que viveu com Deus, fazia parte do seu povo; Esaú, por sua vez, não fazia parte dele por causa do seu jeito de ser. Vamos analisar isso mais a fundo agora vendo a vida de Jacó, que era calado.
 
 

Como devemos levar nossa vida de fé?

 
Temos que viver pela fé como Jacó, cuidando da nossa casa, limpando o quintal, consertando o muro, fazendo tudo direitinho. Em quem Deus se agrada? Ele se agrada dos que trabalham em casa em silêncio e não vão para o mundo. Fazer trabalhos domésticos e receber bem as visitas pode até parecer algo muito simples para nós, mas o Senhor se agrada de pessoas que fazem isso. E ele se agrada mesmo. Se não formos para o mundo e fizermos algo espetacular, mas ficarmos na Igreja de Deus e fizermos a obra que ela nos propõe, ou seja, pregar o evangelho da água e do Espírito enquanto tivermos nossa vida normal em família, na escola e no trabalho, nos sentiremos alegres em nosso coração e muito abençoados. E assim Deus fará com que produzamos lindos frutos espirituais.
Nós que somos justos enfrentamos muitas dificuldades para levar uma vida de fé depois que recebemos a remissão de pecados. Por isso que alguns desejam servir ao Senhor tendo um grande negócio para ganhar muito dinheiro. A verdade é que as pessoas são muito diferentes. Mas o que será que Deus quer realmente de nós? Ele quer que estejamos juntos daqueles que fazem a boa obra. Fazer a obra na Igreja de Deus pode até não parecer grande coisa, mas o Senhor se agrada com aqueles que fazem isso em silêncio. A vida de fé correta é aquela na qual pregamos o evangelho pela fé. A Bíblia diz: “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (1 Coríntios 10:31). Este versículo diz que temos que fazer tudo para a glória de Deus, seja beber ou comer; ou seja, não devemos fazer nada mais do que a obra de Deus. Então podemos dizer que fazer a obra secular fora da igreja não representa a verdadeira vida de fé. Deus não quer que venhamos a glorificá-lo fazendo muitas obras do mundo. Até porque ele não aceita tal glória.
Que tipo de fé Deus quer de nós e que lhe agrada então? Justamente aquela com a qual fazemos a obra da sua justiça. Em outras palavras, a obra da justiça de Deus é pregar o evangelho da água e do Espírito, crer nele e ser membro da Igreja de Deus depois de receber a remissão de pecados. Tudo que fazemos para pregar o evangelho da água e do Espírito, ou seja, orar e anunciar a Palavra do próprio Deus, é o que mais lhe agrada. Há muitos meios e canais eficazes pelos quais podemos pregar o evangelho de Deus. Dedicamos nossas mãos, nossos pés e nosso corpo ao Senhor para pregarmos a Palavra do evangelho que ele nos confiou usando todos os meios, livros e e-books. E ele se agrada de pessoas como nós que fazemos bem esta obra, independente de qualquer coisa.
Você e eu precisamos levar uma vida de fé. E você tem que entender que quem é honrado pelas igrejas do mundo são os inimigos de Deus. Você sabia que os inimigos de Deus são aqueles que são honrados pelas igrejas do mundo? Se for honrado pelas pessoas deste mundo, você estará fazendo a obra que insulta a Deus. Você acha que quando esses cristãos dão glória a Deus quando são honrados pelas pessoas do mundo, Deus a recebe? Isto é um grande erro. Deus não se agrada disto. Se as pessoas do mundo lhe honrarem, isso só significa que você é um falso profeta. E como disse o Senhor Jesus: “Ai de vós quando todos os homens de vós disserem bem, porque assim faziam seus pais aos falsos profetas” (Lucas 6:26). As pessoas que Deus deseja encontrar são aquelas que anunciam sua Palavra e pregam sobre Jesus Cristo, que é a vida. É isso o que Deus realmente deseja.
Temos que olhar para Jacó e ver como devemos realmente levar uma vida de fé. E o que seria uma verdadeira vida de fé para nós? A verdadeira vida de fé é empenhar todas as nossas forças na pregação do evangelho da justiça de Deus, que é o evangelho da água e do Espírito. Trabalhar dia e noite para anunciar o evangelho da água e do Espírito às pessoas deste mundo é algo digno de bênção. E esta é a vida de fé correta.
Como nós, que somos os verdadeiros cristãos, devemos viver? Devemos viver para compartilhar com todos neste mundo o evangelho que o Senhor nos confiou. Que outra obra poderíamos fazer além desta obra gloriosa? Nenhuma. Nosso Senhor nos disse que Jacó era um homem manso, e não um homem do campo. Ele não sabia caçar, muito menos usar arco e flecha. Por isso que sua mãe lhe disse que quando seu pai pedisse para ele fazer um prato delicioso que gostava muito, ele deveria matar duas cabras do rebanho e levar para ela cozinhar. Depois então Jacó levaria este prato delicioso para seu pai, daria a ele e receberia a bênção através da oração de seu pai. Foi assim que ele recebeu a bênção, mas não pela força física, mas fazendo tudo que sua mãe mandou.
 
 
Deus aborrece quem é como Esaú
 
Jacó era muito diferente de Esaú. Esaú era seu irmão mais velho, um homem do campo. Ele era injusto e só buscava as coisas carnais. Quando seu pai lhe disse para preparar um prato delicioso, ele esperou receber a oração da bênção ao trazer-lhe o fruto da sua caçada, pois era um homem do campo. Ele então ofereceu ao seu pai o prato delicioso que havia preparado, mas ao invés de receber a bênção, ele foi amaldiçoado.
Deus ama pessoas como Jacó e aborrece quem é do campo. Os cristãos podem ser divididos em dois grupos então: as pessoas de fé que fazem a obra de Deus e as pessoas carnais que não a fazem. Há muitos como Jacó que professam crer na justiça de Deus; por outro lado, há muitos que possuem o mesmo espírito de Esaú, mesmo fazendo parte da Igreja de Deus. E são justamente estes que atrapalham a obra de Deus em sua igreja. Mas quem é essa gente? São aqueles que fingem crer na justiça de Deus, que procuram dominar sobre os verdadeiros irmãos e oprimi-los, apesar de não terem nascido de novo e muito menos recebido a remissão de pecados. Eles são caçadores de almas, como Esaú e Satanás. Por isso que são falsos crentes. Essas são as pessoas vis que Deus mais odeia.
Esaú, que vemos no texto bíblico deste capítulo, era um homem do campo, e Deus não se alegrou nele. Jacó, por sua vez, era manso e habitava em tendas. Há pessoas neste mundo que são como Esaú, e outras que são como Jacó. E todos que são como Esaú serão amaldiçoados. Estes só confiam em suas próprias forças. São pessoas carnais como Esaú, ou seja, não aceitam a Palavra de Deus como ela é, creem à sua maneira e levam uma vida vil de fé maquinando seus planos e pondo suas ideias em prática na Igreja de Deus. No fim essas pessoas deixam a igreja e vão viver segundo sua vontade. E embora digam que creem em Jesus como seu Salvador, elas são vis e levam uma vida carnal, segundo seus próprios desejos.
Se quiser seguir a justiça de Deus, você tem que obedecer à sua Palavra. Do mesmo modo, se quiser fazer parte da Igreja de Deus, você tem que nascer de novo e ter um conhecimento profundo do evangelho da água e do Espírito. Depois disso, você tem que pregar este evangelho, que é a justiça do Senhor. Se alguém tentar pregar este evangelho sem nascer de novo, ele sem dúvida alguma será com Esaú. Esaú era alguém que tinha uma fé legalista muito forte. Ele era como um ministro que não conhece o evangelho da água e do Espírito. Pessoas assim são os enganadores espirituais que há na Cristianismo. Eles são como Esaú, que foi amaldiçoado.
Embora Esaú e Jacó tenham nascido e sido criados pelos mesmos pais, porque Jacó foi abençoado e Esaú amaldiçoado? Esaú foi amaldiçoado espiritualmente porque confiava em suas próprias forças. Pelo lado humano, a atitude de Jacó pode ser vista como pior do que a de Esaú, e, além disso, Jacó praticava mais maldades. Só que ele não vivia para seus próprios desejos. Ao contrário, ele era obediente à sua mãe e fazia tudo que ela mandava.
Rebeca, mãe de Jacó, representa a Igreja de Deus. Em outras palavras, Jacó foi obediente à Igreja de Deus ao invés de fazer tudo segundo sua própria vontade. Infelizmente hoje há muitos caçadores de almas malignos procurando a quem possam devorar. E como você acha que estes caçadores se sentem ao caçar outras almas? Eles se agradam de mandá-las para o inferno. Levando-as a crer em Jesus de qualquer jeito, pois ainda não nasceram de novo. Eles certamente se divertem com isso. Se eles deixarem em paz os verdadeiros santos, eles poderão salvar muitas almas pregando o evangelho para elas. No entanto, estes caçadores malignos têm matado aqueles que não deveriam morrer e deixado vivo quem deveria morrer, mentindo para eles (Ezequiel 13:19). Vocês podem imaginar como eles se divertem fazendo esta obra maligna?
Há poucos prazeres na vida, e um deles é comer. Também há os prazeres humanos como caçar e pescar. E os maiores deles são mesmo caçar e pescar. Quando alguém caça com um rifle e atira em algum animal, ele sangra até morrer e as pessoas gostam de ver isso. Quando vemos um animal sangrando até a morte depois que atiramos nele, isso nos causa uma sensação de êxtase, como se tivéssemos conquistado algo.
É isso o que os caçadores sentem em sua alma. Eles se sentem bem indo a todos os lugares para caçar almas que não merecem morrer. Só que Deus abomina a obra que eles fazem. Por outro lado, ele abençoa os que creem e anunciam o evangelho da água e do Espírito. Deus jamais concede suas bênçãos às pessoas do campo. Ao contrário, ele só as concede àqueles que creem no evangelho da água e do Espírito.
 
 
Há muitos caçadores de almas no mundo hoje em dia
 
Há muitos como Esaú ultimamente, ou seja, homens do campo que caçam almas. Por sua vez, o número de pessoas que são como Jacó é muito pequeno. O número de pessoas que são como Esaú, homens do campo, é muito grande, muito mesmo.
Amados irmãos, vocês precisam entender que caçar para o homem é algo que lhe dá muito prazer. Eu acho que as pessoas têm caçado tanto que alguns animais só podem ser encontrados agora nos vídeo games. Por isso que elas estão vindo para a Igreja de Deus, para caçar almas. E quando caçam, logo encontram o que comer. Um simples cervo abatido pode alimentar muitas pessoas. Pessoas afluem para estes lugares onde a caça aos animais é permitida. Em outras palavras, as igrejas que são lideradas por pastores que não nasceram de novo e são como Esaú fazem campanhas de avivamento, mas o verdadeiro intuito de falsos ministérios como estes é caçar almas. E como eles crescem. Mas o que isso significa? A verdade indubitável é que há muitos mentirosos e enganadores neste mundo.
Amados irmãos, vocês têm que entender que os três ministérios destes que ainda não receberam a remissão de pecados demonstram que eles são pastores como Esaú. Temos que vê-los como aqueles que não nasceram de novo. Mas isso é apenas o começo. Eu quero dizer a vocês que aqueles que têm um ministério, mas sem fé no evangelho da água e do Espírito, são terríveis caçadores de almas. Portanto, não devemos ser bons com eles porque ainda não nasceram de novo. Vocês têm que vê-los como caçadores de almas que podem matar sua alma.
Nosso Senhor disse que aqueles que pertencem à família de Esaú são pessoas do campo. Esaú e Jacó, embora fossem irmãos gêmeos, não tinham a mesma fé. Embora fossem irmãos, eles representam duas nações distintas. E a diferença que há na fé de cada um é muito grande. Um deles foi alguém que recebeu uma nova vida por ter recebido de Deus a remissão de pecados, sendo assim abençoado tanto material como espiritualmente. O outro, por sua vez, se levantou contra a obra de Deus e se tornou um caçador de almas, que age com servo do diabo para matar a alma das pessoas. Então, no que diz respeito aos cristãos, precisamos entender que há dois tipos de pessoas nas igrejas. E não podemos olhar para todas elas e pensar: “Aquele ali ainda não nasceu de novo. Coitado dele!” Se olharmos para eles assim, mas não pregarmos o evangelho da água e do Espírito para eles, acabaremos deixando marcas em sua vida. Temos que entender muito bem que tipo de gente são nossos inimigos espirituais, a fim de que não deixemos de pregar o evangelho da água e do Espírito para eles.
Há dois tipos de cristãos nascidos de novo: os que não conhecem Jesus, embora tenha fé nele como seu Salvador, e os que até o conhecem, mas não sabem que ele veio pelo evangelho da água e do Espírito. Temos que considerar a ambos ovelhas perdidas. E os que buscam outras almas, embora eles mesmos não tenham nascido de novo, temos que considerá-los caçadores de almas, como Esaú. Entenda bem, esta é uma verdade contida na Bíblia. Os caçadores de almas estão por aí, trabalhando duro sem entender que estão matando a alma das pessoas. São eles que matam as almas que não deveriam morrer e dividem tudo do que se apossam entre si. Há muitas pessoas assim. Temos que estar atentos a estes que matam a alma das pessoas e roubam seus bens.
 
 

Os justos têm que lutar contra esses caçadores de almas

 
Contra quem eu e você temos que lutar? Justamente contra os caçadores de almas, que são como Esaú. Guerras ainda são travadas nesta terra, e uma delas é entre Esaú e Jacó. E até o último dia deste mundo haverá guerra. Você pode ver que judeus e palestinos continuam lutando e nunca chegaram a um acordo. O povo de Israel e o povo palestino são descendentes de Isaque, mas vivem em luta. Veja o que está acontecendo com os descendentes de Abraão e Isaque, seu filho. Amados irmãos, Isaque e Ismael eram filhos de Abraão, mas não da mesma mãe. Isaque foi gerado por Sara, mulher de Abraão; Ismael foi gerado pela serva de Sara, Hagar. E o que isso significa num sentido espiritual? O fato de cada um ter uma mãe diferente significa que as igrejas que eles fazem parte e ali fazem a obra também são diferentes. Isaque é um filho que nasceu do evangelho da água e do Espírito na Igreja de Deus, mas Ismael é um filho que nasceu da carne, não da justiça de Deus. Por isso que Israel e palestinos continuam com suas armas apontadas um para o outro até hoje. Embora tenham nascido do mesmo pai, eles continuam lutando. E isso acontece porque não possuem a mesma fé.
Quando sairmos para resgatar a alma das pessoas, temos que fazer isso com o evangelho da água e do Espírito, como se estivéssemos travando uma luta espiritual. Temos que lutar com coragem pela fé neste evangelho, sabendo que o inimigo está cativo ao pecado. Não devemos pensar apenas que eles ‘são servos de Deus que ainda não nasceram de novo’. Eles são como Esaú, caçadores de almas. E temos que vencê-los com o evangelho da água e do Espírito. Só então poderemos salvar as ovelhas de Deus de uma vez. Nós podemos ser gentis com eles agindo de bom coração. Precisamos entender que os que ainda não nasceram de novo são ovelhas perdidas que conhecem muito pouco da justiça do Senhor. Mas os que ficam de um lado para o outro querendo fazer a obra precisam entender que são caçadores de almas como Esaú.
 
 

Precisamos compreender bem a fé de Jacó

 
Somos nós que cremos no evangelho da água e do Espírito que possuímos a fé de Jacó. Jacó era um homem caseiro que ajudava sua mãe, ia aonde quer que ela mandasse, aprendia tudo que ela lhe ensinava e colocava em prática. Deste modo, ele cuidava de todos os afazeres domésticos. Mas que tipo de fé devemos ter? Temos que ser como Esaú ou Jacó? Sem dúvida alguma, temos que ser como Jacó.
Mas até nós temos a tendência de ser como Esaú. Então, temos que refletir sobre algo: por que Deus abençoou Jacó e fez sua obra através dele? Deus diz muitas coisas na Bíblia, mas tem algo que ele enfatiza: Jacó fez o que sua mãe mandou. Ao longo da nossa vida de fé sentimos o desejo de fazer muitas coisas. No entanto, não devemos pôr em prática nossos planos carnais perante Deus. Para seguirmos toda a justiça do Senhor, temos que rejeitar nossos pensamentos carnais. Só assim poderemos ver a direção que a Igreja de Deus está tomando e viver pela fé concentrados nisto. Alguém que age assim com certeza leva uma vida de fé como Jacó.
Dentro de cada um de nós há duas naturezas: a de Esaú e a de Jacó. Mas Deus abomina a natureza de Esaú. Ele fez perecer a maioria dos israelitas durante sua peregrinação de 40 anos no deserto e os únicos que sobreviveram foram Josué e Calebe. A Bíblia diz que Deus fez perecer todos os adultos que saíram do Egito e poupou as crianças que nasceram no deserto. Deus fez perecer cada um que deixou o Egito. E até Moisés pereceu pouco antes de o povo cruzar o rio Jordão, fazendo ver que sua vontade é irrevogável. Mas o que tudo isso quer dizer? Que Deus quer destruir nosso ‘eu’ interior e devemos abrir mão dos nossos planos humanos.
 
 

Temos que viver pela fé sabendo o que isso quer dizer realmente

 
Precisamos levar uma vida de fé tendo consciência do que isso significa de fato. Será que nós não oramos ou mentimos como os falsos profetas das igrejas do mundo porque não sabemos fazer isso? Apesar de sabermos fazer isso muito bem, não o fazemos. Você acha que eu não sei que se fizesse orações com imposição de mãos sobre os membros da igreja minha popularidade aumentaria muito? Mas eu não faço isso porque é justamente o que fazem os que são como Esaú; e eu sei que o Senhor não se agrada com isso. Por isso não faço. Temos que fazer a obra que agrada o Senhor. E a obra que ele nos mandou fazer nunca será como esta.
Sim, é isso mesmo. Assim com Jacó só fez o que sua mãe mandou, também só faremos aquilo que o Senhor confiar a nós. Rebeca mandou Jacó fazer uma obra – e é justamente esta obra que devemos fazer, a obra espiritual de anunciar às pessoas o evangelho da água e do Espírito.
Rebeca conversou com Jacó e lhe disse: “Vá até o rebanho e me traga dois bons cabritos para que eu faça um guisado saboroso para seu pai. Envolva seu corpo com sua pele, vista as roupas de seu irmão, pegue o guisado que vou preparar e leve para seu pai.” Pense nisso. Quem pode fazer o prato mais gostoso que os pais gostam? É claro que são as esposas. A esposa vive tanto tempo com seu marido que sabe muito bem qual é seu prato favorito. E por mais que o filho saiba preparar um prato delicioso, com certeza não vai ficar tão bom como se sua mãe fizesse. Jacó então pegou o prato que sua mãe preparou e fez tudo que ela lhe disse. Por isso recebeu todas as bênçãos celestiais e terrenas. Mais tarde seu irmão descobriu o que Jacó tinha feito e quase o matou. Só que nesta ocasião sua mãe também o instruiu: “Vá embora daqui. Vá para a casa de seu tio Labão, meu irmão.” E como fez o que sua mãe lhe disse, Jacó se tornou um homem muito rico e poderoso. Ele recebeu uma bênção muito maior do que a de Esaú, assim como todos os seus descendentes.
Já que estamos levando uma vida de fé, temos que conhecer a verdade contida no texto bíblico deste capítulo. E ele nos diz que devemos levar uma vida de fé como Jacó. É justamente essa fé que Deus quer encontrar em nós. Apesar de parecer que não estamos fazendo a obra de Deus, no fim produziremos grandes frutos da fé e receberemos as suas bênçãos, pois estamos fazendo o que ele ordenou à Igreja de Deus. Aqueles que possuem uma fé espiritual com certeza receberão a bênção do orvalho dos céus e das gorduras desta terra (Gênesis 27:28).
Mas o que acontecerá se tivermos uma fé como Esaú, o homem do campo? No começo conquistaremos muitas coisas neste mundo, mas depois seremos amaldiçoados espiritualmente e não poderemos escapar do inferno. Isaque fez uma oração de maldição sobre seu filho Esaú. Era humanamente impossível um pai fazer isso, mas foi Deus que usou Isaque como instrumento para lançar uma maldição sobre Esaú. E isso nos mostra que quem leva uma vida de fé como Esaú será amaldiçoado por Deus. Deus sempre abençoou ou amaldiçoou seu povo através dos líderes espirituais do passado.
Como então devemos levar uma vida de fé? Exatamente como Jacó. E isso significa levar uma vida de fé tranquila obedecendo à Palavra de Deus em sua igreja. Se você quiser trabalhar à parte da igreja, esse é um tipo de fé que não agrada a Deus, não importa quais sejam os seus planos. Quando alguém se torna um homem do campo, este é o seu fim, espiritualmente falando. Um homem do campo leva uma vida de fé como bem entende. E aquele que faz a obra de Deus à sua maneira na igreja de modo algum é alguém que não possui a verdadeira fé. O que estou dizendo é que se fizermos tudo do nosso jeito para Deus na igreja, nunca seremos pessoas que possuem a verdadeira fé. Isso só acontece quando vivemos pela fé e somos instruídos pelos servos de Deus.
Nosso Deus nos tornou pessoas como Jacó. Mas alguns continuam vivendo entre nós sem entender que já fazem parte do povo de Deus. Muitos até já esqueceram que Deus os livrou do poder das trevas e os conduziu ao reino da sua justiça. Com certeza a maioria dos cristãos desta terra são ‘mortos-vivos’, pois levam uma vida de fé errada como Esaú. Por outro lado, há muitos que vivem alheios a tudo, mesmo conhecendo a verdade, como Jacó.
Eu quero que você saiba que nós que cremos no evangelho da água e do Espírito já somos o povo da fé que pertence à família de Jacó. Além disso, também quero que você saiba que Deus já preparou um caminho perfeito para que possamos viver pela fé. Na verdade, não há outro caminho para nós senão crer no evangelho da água e do Espírito. Nossa vida do passado que era como a de Esaú já acabou. Antes de crermos no evangelho da água e do Espírito, fazíamos planos em nossa vida segundo a nossa vontade, decidindo tudo sozinhos e querendo realizar tudo com nossas próprias forças. Nunca pedíamos ajuda a Deus ou confiávamos nele, nem um pouquinho. No entanto, esta era uma fé que estava nos levando à destruição. Só que Deus nos tornou parte do seu povo. E meu desejo é que todos que creem no evangelho da água e do Espírito creiam nisso também. Jamais se esqueçam disso. Devemos levar uma vida de fé espiritual perante Deus como Jacó.
Mas o que ganharemos se levarmos uma vida de fé correta? Salvaremos muitas almas perdidas, que é o fruto da justiça. Mas se fizermos planos em nossa vida segundo o nosso desejo, isso será um grande erro, como alguém que dá um soco no ar quando está brigando com alguém. Viver de uma maneira carnal para nós é o mesmo que dar socos no ar sem nenhum propósito. Temos que deixar de lado todos os nossos recursos humanos, fazer a obra do Senhor, buscar sua orientação e continuar seguindo a sua justiça. Os que fazem a obra do Senhor assim é que estão levando uma vida de fé correta. Meu desejo é que você entenda que Deus já preparou um caminho para que sigamos sua justiça pela fé.
Não podemos fazer a obra de Deus do nosso jeito. É até natural que tenhamos pensamentos carnais, que podem nos levar a seguir a tendência deste mundo. Mas os justos não podem levar uma vida carnal, mesmo que alguém nos diga para fazer isso. E devemos evitar fazer isso não por medo, mas porque sabemos que é errado. É óbvio então que não devemos fazer isso porque, caso contrário, seremos amaldiçoados por Deus tanto física como espiritualmente. E qual é a razão disso? É que Deus nos escolheu para nos abençoar como faz com Jacó. E como ele nos trouxe para fazer parte do seu povo, sem levar em conta que não havíamos nascido de novo e levávamos uma vida carnal, não devemos fazer isso.
 
 

Temos que ser pessoas de fé que conhecem a justiça de Deus

 
Devemos levar nossa vida de fé conhecendo bem a verdade do evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Deus, e crendo nele. Aqueles que realmente buscam a justiça de Deus em sua igreja jamais devem viver segundo os desejos carnais. E ao invés de fazer o que lhes agrada, eles devem viver pela fé na justiça de Deus. Veja a vida de Noé. Você só será abençoado por Deus se seu coração estiver voltado para sua justiça, como aconteceu com Noé.
Amados irmãos, apesar de querermos fazer a obra do nosso jeito, somos levados a agir como servos e a fazer o que agrada o coração do Senhor. Jamais poderemos fazer a obra de Deus se para isso quisermos usar nossa mente e sabedoria humanas: “É assim que devo agir nesta situação, mas na outra tenho que agir de forma diferente.” Além disso, Deus não aceita obras concebidas pela mente humana. A maneira correta de servir ao Senhor não é usando a própria mente e sabedoria.
Em sua opinião, que tipo de servo pode trazer refrigério ao coração do Senhor? Aquele que faz a obra da justiça que lhe agrada. O que faz logo o que deve ser feito e não fica enrolando. Um servo assim é que realmente traz refrigério ao coração do Senhor. Aqueles que são como Jacó, que vemos no texto bíblico deste capítulo, são pessoas de pureza. Eles não fazem absolutamente nada segundo seus pensamentos. Eles só fazem o que Deus manda. Olhe para toda a vida de Jacó. Ele foi um homem que fez tudo segundo sua mãe mandou. E jamais fez algo segundo a sua própria sabedoria. Jacó pode ter sido até cabeça-dura e resoluto algumas vezes, mas geralmente fazia o que lha mandavam.
Mas como era Esaú? Ele fazia o que sua mãe mandava? Pode até parecer que ele fazia tudo que lhe mandavam, mas se olharmos bem para sua vida, ele fazia tudo do seu jeito, não importa o que fosse. Enfim, ele fazia tudo que lhe agradava. Que tipo de fé deve ser a nossa então? Vamos analisar como está o mundo hoje em dia e meditar sobre isso. Assim veremos que devemos ser mansos perante Deus, como Jacó.
“Será que nasci de novo mesmo crendo no evangelho da água e do Espírito? Se nasci de novo mesmo, será que estou fazendo tudo segundo tenho aprendido na Igreja de Deus?” Temos que ficar atentos a isso o tempo todo. “Será que estou fazendo o que agrada a mim? Será que não estou agindo segundo meus próprios pensamentos e sabedoria?” Eu quero que vocês analisem bem se estão colocando em prática seus próprios projetos, fazendo tudo do seu jeito em sua vida e evitando fazer a obra de Deus. Queridos irmãos, vejam bem se vocês são como Esaú ou Jacó.
De um modo ou de outro, temos que levar uma vida de fé como Jacó. Nosso Senhor abençoou Jacó, não Esaú, que era um homem do campo. Temos que analisar a nós mesmos com muito cuidado para ver que tipo de pessoas somos. Pode ser que vocês estejam fazendo tudo à sua maneira, não é verdade?
Amados irmãos, somos o povo da verdadeira fé. Aqueles que creem na justiça de Deus pela fé recebem as bênçãos do Senhor. Os que de fato seguem a justiça de Deus são mais sábios e mais prudentes, e por isso recebem suas bênçãos. Estes são como Jacó em seu espírito e creem na justiça de Deus de todo o coração.