Sermões

Assunto 24: Sermões para Aqueles que são Nossos Colaboradores

[24-69] (Gênesis 40:1-23) Onde encontramos na Bíblia que os pecadores podem ser salvos dos pecados do mundo?

(Gênesis 40:1-23)
“E aconteceu, depois destas coisas, que pecaram o copeiro do rei do Egito e o padeiro contra o seu senhor, o rei do Egito. E indignou-se Faraó muito contra os seus dois eunucos, contra o copeiro-mor e contra o padeiro-mor. E entregou-os à prisão, na casa do capitão da guarda, na casa do cárcere, no lugar onde José estava preso. E o capitão da guarda pô-los a cargo de José, para que os servisse; e estiveram muitos dias na prisão. E ambos sonharam um sonho, cada um seu sonho na mesma noite; cada um conforme a interpretação do seu sonho, o copeiro e o padeiro do rei do Egito, que estavam presos na casa do cárcere. E veio José a eles pela manhã e olhou para eles, e eis que estavam turbados. Então, perguntou aos eunucos de Faraó, que com ele estavam no cárcere da casa de seu senhor, dizendo: Por que estão, hoje, tristes os vossos semblantes? E eles lhe disseram: Temos sonhado um sonho, e ninguém há que o interprete. E José disse-lhes: Não são de Deus as interpretações? Contai-mo, peço-vos. Então, contou o copeiro-mor o seu sonho a José e disse-lhe: Eis que em meu sonho havia uma vide diante da minha face. E, na vide, três sarmentos, e ela estava como que brotando; a sua flor saía, e os seus cachos amadureciam em uvas. E o copo de Faraó estava na minha mão; e eu tomava as uvas, e as espremia no copo de Faraó, e dava o copo na mão de Faraó. Então, disse-lhe José: Esta é a sua interpretação: os três sarmentos são três dias; dentro ainda de três dias, Faraó levantará a tua cabeça e te restaurará ao teu estado, e darás o copo de Faraó na sua mão, conforme o costume antigo, quando eras seu copeiro. Porém lembra-te de mim, quando te for bem; e rogo-te que uses comigo de compaixão, e que faças menção de mim a Faraó, e faze-me sair desta casa; porque, de fato, fui roubado da terra dos hebreus; e tampouco aqui nada tenho feito, para que me pusessem nesta cova. Vendo, então, o padeiro-mor que tinha interpretado bem, disse a José: Eu também sonhava, e eis que três cestos brancos estavam sobre a minha cabeça; e, no cesto mais alto, havia de todos os manjares de Faraó, obra de padeiro; e as aves os comiam do cesto de sobre a minha cabeça. Então, respondeu José e disse: Esta é a sua interpretação: os três cestos são três dias; dentro ainda de três dias, Faraó levantará a tua cabeça sobre ti e te pendurará num madeiro, e as aves comerão a tua carne de sobre ti. E aconteceu, ao terceiro dia, o dia do nascimento de Faraó, que fez um banquete a todos os seus servos; e levantou a cabeça do copeiro-mor e a cabeça do padeiro-mor, no meio dos seus servos. E fez tornar o copeiro-mor ao seu ofício de copeiro, e este deu o copo na mão de Faraó. Mas ao padeiro-mor enforcou, como José havia interpretado. O copeiro-mor, porém, não se lembrou de José; antes, se esqueceu dele”.
 
 
Hoje eu quero pregar a verdadeira Palavra da salvação para vocês através do relato do padeiro e do copeiro-chefe. A primeira pergunta que eu tenho a fazer então é: de que pecados Deus nos salvou e como ele fez isso? E a segunda pergunta é: quem pode e quem não pode ser salvo por Deus? Hoje eu quero falar com vocês sobre a salvação espiritual.
A Palavra de Deus foi escrita pelos seus servos inspirados pelo Espírito Santo. Por isso, a Palavra é a verdade que nos diz como Deus salvou todos os pecadores dos seus pecados através da justiça de Jesus Cristo. Se olharmos a Palavra através da justiça de Deus e do evangelho da água e do Espírito, veremos que a Bíblia é muito diferente dos diversos romances e livros históricos que há neste mundo. Não podemos então considerar que a Bíblia contém apenas palavras humanas. Ao contrário, temos que crer que a Palavra é Deus falando conosco através dos seus servos como podemos receber a preciosa vida eterna. O evangelho da água e do Espírito, como revelado na Palavra de Deus, é a verdade indubitável que traz salvação e libertação de todos os pecados aos verdadeiros crentes.
Acabamos de ler o texto de Gênesis 40:1-3. Esta passagem nos mostra que o padeiro e o copeiro-chefe do rei do Egito desagradaram seu senhor, e por esta razão foram mandados à prisão na casa do capitão da guarda, onde José estava preso. José estava preso porque havia uma falsa acusação contra ele por tentar violentar a mulher do seu senhor. Os dois oficiais do rei foram presos no mesmo lugar onde estava José. E agora vamos ver o que o Senhor quer nos ensinar neste texto bíblico.
Está escrito: “Pecaram o copeiro do rei do Egito e o padeiro contra o seu senhor, o rei do Egito.” Estes dois oficiais de alto escalão foram presos porque pecaram contra o rei. Na verdade, todo ser humano peca contra Deus, por mais que não deseje fazer isso. Não há ninguém neste mundo que consiga deixar de pecar. Então podemos dizer que, pelo lado espiritual, todos estão cativos na prisão do pecado. Todos neste mundo têm pecado, e é por isso que o sofrimento espiritual daqueles que estão cativos ao pecado é muito grande, como aconteceu com os dois oficiais do rei.
Entretanto, a maioria das pessoas procura ser purificada dos seus pecados se dedicando à sua religião. Só que fazer parte de uma religião deste mundo não fará com que elas sejam purificadas dos seus pecados. Isso porque não podemos ser purificados pela nossa própria vontade ou esforço. Portanto, todos que quiserem ser purificados dos seus pecados precisam conhecer e crer na verdade do evangelho da água e do Espírito, que é a Palavra da remissão de pecados que Deus nos deu. O Senhor disse: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:32).
A verdade é que o copeiro e o padeiro-chefe não foram os únicos que pecaram contra Deus. Todos neste mundo são servos do pecado e fazem isso também. Mas que tipo de pecados cometemos contra Deus então? Podemos ver isso em detalhes na Palavra de Deus.
Por que todos vivem pecando? A verdade é que por mais que tentemos não pecar, não podemos evitar isso em nossa vida. Já que nascemos em pecado, nenhum ser humano, seja quem for, está livre de pecar. Todos nós pecaremos a vida inteira. Há pessoas que odeiam pecar, mas não conseguem deixar de fazer isso. E devido ao peso da culpa, eles sofrem ao longo de toda a sua vida. Eles vivem em agonia e culpam a si mesmos por serem grandes pecadores. Enfim, somos pecadores e não podemos evitar os diversos delitos que cometemos contra Deus.
 
 
Por que pecamos?
 
Temos que meditar bastante sobre a nossa verdadeira natureza para encontramos a resposta para esta pergunta. Por que pecamos contra Deus? Se não entendermos bem a resposta para esta pergunta, teremos muitas lutas e dificuldades em nossa vida, e ela se tornará um caos. Não somos de fato seres que sempre pecaremos contra Deus? Mas por que somos assim? Por que os grandes sábios deste mundo dizem que devemos conhecer a nós mesmos?
Temos que conhecer muito bem a nós mesmos e o que Deus diz sobre a nossa verdadeira natureza. Só assim poderemos reconhecer Jesus Cristo como nosso Salvador que veio pela água e pelo sangue, e crer nele de modo correto. Também precisamos entender como o Senhor nos salvou dos pecados do mundo, como foi que ele tirou nossos pecados exatamente.
Depois disso viveremos como filhos de Deus que creem na sua justiça. Mas se não entendermos bem por que somos pecadores, teremos muitas lutas e nossa vida será um caos. Crer em Jesus como Salvador sem saber que tipo de pecadores somos é o mesmo que tomar um remédio sem saber que doença está nos causando tanto sofrimento. Portanto, se quiser receber de Deus a remissão de pecados, primeiro você precisa entender bem que está sofrendo da doença do pecado. Além disso, você precisa se consultar com um médico que saiba tratar este tipo de doença. Não é assim que devemos fazer? Temos que conhecer bem nossa verdadeira natureza e como vivemos perante Deus. Enfim, todos precisam crer na justiça de Jesus de modo correto e reconhecer que são um grande pecador.
 
 
A situação espiritual de toda a humanidade
 
Podemos entender nossa verdadeira situação espiritual lendo Isaías 59:1-8.
“Eis que a mão do SENHOR não está encolhida,
Para que não possa salvar;
Nem agravado o seu ouvido,
Para não poder ouvir.
Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus;
E os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós,
Para que não vos ouça.
Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue,
E os vossos dedos de iniquidade;
Os vossos lábios falam falsidade,
A vossa língua pronuncia perversidade.
Ninguém há que clame pela justiça,
Nem ninguém que compareça em juízo pela verdade;
Confiam na vaidade, e falam mentiras;
Concebem o mal, e dão à luz a iniquidade.
Chocam ovos de basilisco,
E tecem teias de aranha;
O que comer dos ovos deles, morrerá;
E, quebrando-os, sairá uma víbora.
As suas teias não prestam para vestes
Nem se poderão cobrir com as suas obras;
As suas obras são obras de iniquidade,
E obra de violência há nas suas mãos.
Os seus pés correm para o mal,
E se apressam para derramarem o sangue inocente;
Os seus pensamentos são pensamentos de iniquidade;
Destruição e quebrantamento há nas suas estradas.
Não conhecem o caminho da paz,
Nem há justiça nos seus passos;
Fizeram para si veredas tortuosas;
Todo aquele que anda por elas não tem conhecimento da paz.” (Isaías 59.1-8).
Este texto fala da situação espiritual de todo ser humano. Precisamos entender que Deus quer nos salvar, mas não pode fazer isso porque nossas iniquidades nos afastam dele, não porque suas mãos estão encolhidas ou seus ouvidos tapados para ouvir nossa oração. Na verdade, sempre adoramos ídolos e pecamos com nosso coração, com nossas mãos, com nossos lábios e com nossa língua. Também traçamos planos malignos e vis em nosso coração, e ao colocarmos tudo isso em prática cometemos nossos delitos. Quase todos neste mundo sofrem muito por causa dos outros. E alguns têm a utopia de que esta terra seria um paraíso se não houvesse seres humanos. Todas as criaturas vivem de uma forma linda e natural neste mundo. Mas os seres humanos fazem o mal uns aos outros e se matam porque possuem um coração cheio de maldade e pecado. Por isso que a Bíblia diz:
“Chocam ovos de basilisco, e tecem teias de aranha;
O que comer dos ovos deles, morrerá;
E, quebrando-os, sairá uma víbora” (Isaías 59:5).
Mas será que o ser humano é assim mesmo?
Sim, somos exatamente assim. Sem a justiça de Deus não podemos escapar dos pecados do mundo, não importa quantas boas obras façamos. Por isso que somos criaturas que se apressam para cometer pecado. Os pensamentos do homem são de iniquidade; o homem não conhece o caminho da paz e da justiça; ao contrário, por si mesmo cria caminhos tortuosos. Por isso que sua vida é arruinada, pois embora esteja no caminho que Deus preparou para a salvação de todos os seus pecados, eles não o reconhecem. E a verdade é que há muitas pessoas nesta situação deplorável.
Que tipo de ser é o homem aos olhos de Deus? Ele é bom ou uma ração de malignos? Precisamos entender isso muito bem. Todos ser humano faz o mal por natureza. Esta é a nossa verdadeira natureza desde que nascemos. Na verdade, o homem não carrega o perfume do mal, mas o exala também. Além disso, não somente fazemos o mal por acaso, pois fazemos planos para pecar. E como todo ser humano nasce espiritualmente cego, não conhecemos o caminho da paz e sabemos como receber de Deus a remissão de pecados por causa da nossa cegueira espiritual. As pessoas vivem em meio ao caos e sozinhas não conseguem encontrar o caminho que as leve a receber a remissão de pecados. Também não sabem que estão aviltando a justiça de Deus e rejeitando sua graça. Esta cegueira espiritual atinge todos nesta terra. Por isso que a Bíblia diz que desde o começo nossa vida é sem forma, vazia e em trevas (Gênesis 1:2). Jesus fala sobre esta verdade em Marcos 7:20-23. Ele sabia que toda a humanidade era um poço de iniquidade. Por esta razão que ele diz tudo isso em Isaías 59.
 
 
O Senhor disse: “O que sai do homem, isso contamina o homem”
 
Marcos 7:20-23 diz: “O que sai do homem, isso contamina o homem. Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem.” Nosso Senhor disse que tudo que sai do homem é o que o contamina. O que contamina o homem não são as porcarias que ele come, mas o pecado que há em seu coração. O Senhor disse que todos os pecados que o homem comete vêm da maldade e da imundície que há no seu coração.
Jesus fala sobre isso em Marcos 7:21-23: “Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura.Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem.” Vemos aqui os doze tipos de pecado que há no coração do homem. E já que é assim, que tipo de raça o ser humano é? Somos por natureza uma raça de malignos. Todo ser humano herda de seus pais estes doze tipos de pecado desde que nasce: o adultério, a fornicação, o homicídio, o furto, a avareza, a maldade, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura.
Isso é parecido com o que diz a Palavra no livro de Isaías:
“Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue,
E os vossos dedos de iniquidade;
Os vossos lábios falam falsidade,
A vossa língua pronuncia perversidade.
Ninguém há que clame pela justiça,
Nem ninguém que compareça em juízo pela verdade;
Confiam na vaidade, e falam mentiras;
Concebem o mal, e dão à luz a iniquidade.
Chocam ovos de basilisco,
E tecem teias de aranha;
O que comer dos ovos deles, morrerá;
E, quebrando-os, sairá uma víbora.
As suas teias não prestam para vestes
Nem se poderão cobrir com as suas obras;
As suas obras são obras de iniquidade,
E obra de violência há nas suas mãos” (Isaías 59:3-6).
A Bíblia diz que os pecados que há no coração do homem o levam a matar os outros. Também diz que fazemos o mal as pessoas. Que raça somos então? O que de fato é o ser humano? A Bíblia diz que o homem comete muitos pecados ao longo da sua vida, e que por isso é uma raça de malignos. Por isso que já nascemos com estes desejos vis. E é por este motivo também que por mais que não queiramos pecar, até nossa morte não poderemos evitar isso.
Um famoso poeta lírico coreano chamado Dongju Yun (1917-1945) compôs o seguinte poema chamado “Prólogo”:
“Não me envergonharei
Debaixo do céu
Até eu morrer
Pois até o vento nas folhas
Ferem meu coração”.
Ele queria mesmo evitar o que atribulava sua consciência. E embora não seja comum, há pessoas como este poeta. Mas uma vida é assim um sonho impossível, pois a verdade é que ninguém consegue viver deste jeito. Já que todo ser humano herda de seus pais os doze tipos de pecado desde que nasce, cometemos sempre estes pecados ao longo da vida, a não ser que sejamos purificados de todos eles crendo no evangelho da água e do Espírito do Senhor. Esta é a situação de todo ser humano. Por isso que o homem precisa conhecer bem a si mesmo. Antes de crermos em Jesus, temos que conhecer bem a nós mesmos.
A Bíblia diz que o copeiro e o padeiro-chefe foram presos porque pecaram contra o seu senhor, faraó, o rei do Egito. Como nos tornamos pecadores? Nós nascemos com doze tipos de pecado, e por isso pecamos a vida inteira. A primeira coisa que precisamos entender é que somos seres miseráveis que pecam sempre contra Deus. Temos que entender também que quanto mais tentamos não pecar, não tendo conhecimento do que realmente somos, mais pecados cometemos com o passar do tempo. A Bíblia diz que todos nascem com um coração vil. Também diz que o homem tem maus pensamentos. Vamos dizer que você faz de tudo para não pecar, apesar da maldade que há em seu coração. Vamos supor também que você passa por uma boate que só tem coisas mundanas. Vamos ser sinceros: você não vai sentir o desejo no coração de pelo menos dar uma olhadinha no cartaz da boate? Você pode até tentar virar o rosto quando passar por ali, mas só depois de dar uma olhadinha e dizer: “Oh, meu Deus!” No entanto, por mais que tenha esta expressão de espanto, já que seu coração é vil, você luta contra o desejo de ver as fotos do cartaz. Mas para não dar mau testemunho, você olha ao redor para ver se está sozinho, e se estiver, acaba dando uma olhadinha. O homem faz o mal porque há maldade em seu coração. A Bíblia diz de modo bem claro que temos maus pensamentos, não importa quem somos. E fazemos o mal justamente porque temos maus pensamentos. Só isso já é motivo para estarmos presos ao pecado e sofrermos muito. Enfim, já que temos pecado no coração, somos pecadores perante Deus.
 
 
Nossos pecados ficam gravados em duas tábuas
 
Quando cometemos pecados, eles primeiro ficam gravados na tábua do nosso coração, e depois no Livro do Juízo. Jeremias 17. Diz:
“O pecado de Judá está escrito com um ponteiro de ferro,
Com ponta de diamante,
Gravado na tábua do seu coração
E nas pontas dos vossos altares”.
Sempre que alguém comete algum pecado, Deus o grava na tábua do seu coração e diz: “Você cometeu estes pecados em tal dia.” Somos uma raça imunda de malignos desde que nascemos; e é por isso que há muitos pecados gravados na tábua do nosso coração. Por mais que o homem tenha sido criado conforme a imagem de Deus, ele peca porque seu pecado foi herdado. Além disso, ele peca tanto que acaba esquecendo porque faz isso. Mas isso acontece porque o ser humano é uma raiz de malignos desde que nasce.
Se os cães não forem ensinados, eles comem suas próprias fezes. E eles fazem isso porque acham que elas não são sujas. O homem, do mesmo modo, nasce com tanto pecado que acaba achando que seus desejos pecaminosos são bons; ou no mínimo age por instinto. Ele não vê o pecado como algo sujo. Mas Deus deixa todos eles gravados na tábua do seu coração. Por isso que a Bíblia diz que o pecado de Judá foi gravado com ponteira de ferro e ponta de diamante na tábua do seu coração e nas pontas do altar. Vemos na passagem acima que os pecados são gravados em dois lugares. Primeiro eles são gravados na tábua do coração, e depois no Livro do Juízo de Deus.
 
 
Qual o papel da lei?
 
Deus nos deu a lei. Por não sabermos o que é o pecado, Deus nos deu a lei para que o conhecêssemos. “Não terá outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagens de escultura. Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão. Lembrem do sábado para santificá-lo. Honrem seu pai e sua mãe. Não matarás. Não cometerás adultério. Não furtarás. Não dirás falso testemunho contra o teu semelhante. Não cobiçarás a casa do teu semelhante”. Estes são os Dez Mandamentos. Há um total de 613 estatutos na lei, mas Deus separou dez para representar todos, que são os Dez Mandamentos. Os quatro primeiros se referem ao nosso relacionamento com Deus, e os outros seis são leis que dizem respeito ao relacionamento do homem com seu próximo.
Mas por que Deus nos deu esta lei? Para entendermos que somos pecadores. Quando nos colocamos diante do espelho de cada estatuto da lei e nossa imagem é refletida, vemos que tipos de pecado cometemos. Por isso que em Romanos 3:19-20 está escrito: “Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus. Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.” Ao nos dar a lei, Deus nos levou a reconhecer que somos pecadores e que pecados cometemos. Ele nos disse: “Não matarás” porque podemos matar alguém se for preciso. Nós até matamos em nome de Deus, embora isso não nos isente da culpa. E já que pela lei somos culpados, somos pecadores perante Deus. Por isso que somos cheios de pecados. Precisamos entender a diferença entre os que cometem muitos pecados e os que cometem poucos. Mas quer cometamos muitos ou poucos pecados, para Deus somos todos pecadores, pois para ele pecado é pecado.
 
 
As pessoas não conhecem bem seus pecados
 
Não há razão alguma para debatermos se podemos deixar de pecar ou não. Este é um assunto muito importante, porém triste, pois os que cometem muitos pecados não os reconhecem. O que os presidiários dizem quando visitamos a prisão e conversamos com eles? “Eu não cometi crime algum, mas fui condenado à morte.” Alguns deles dizem: “Eu cometi muitos pecados, e vocês só estão soltos porque têm muita sorte. Eu tive muito azar. Fui preso por cometer um pequeno crime e condenado à morte pelas leis deste mundo. Eu acho que não mereço isso. Como muitos outros, eu não cometi um crime tão hediondo assim que mereça a pena de morte. Por que então recebi esta sentença?” Mas se lhe perguntarmos qual foi o crime que ele realmente cometeu para receber a pena de morte, ele dirá: “Uma pessoa foi até minha casa e nós tivemos uma discussão tão feia que eu joguei gasolina nele e ateei fogo. Só por causa disso que eu fui condenado à morte.” E ele diria ainda: “E vocês? Vocês são inocentes? Será que vocês nunca cometeram um pecado? Vocês nunca tiveram vontade de matar alguém? O que eu fiz foi um acidente, pois não tinha intenção de matar. Vocês não cometem muitos pecados também? Só que vocês são livres e eu estou confinado nesta cela, sem poder ver o sol nascer. O meu destino é este porque não tive muita sorte.”
Por que este criminoso não reconhece seus pecados? Por que ele nunca respeitou a lei, principalmente o estatuto que declara: “Não matarás”. Se nos compararmos uns com os outros, somos todos iguais. Existe alguém especial? É verdade que Confúcio não cometia nenhum pecado e que os grandes sábios e religiosos deste mundo não pecaram também? A verdade é que todos eles pecaram. A única diferença é se eles deixaram transparecer os pecados que cometeram ou não.
A verdade é que todos nós nascemos em pecado e vamos sempre pecar. Por isso que somos criminosos. Diante de Deus, das pessoas e das leis deste mundo, somos todos grandes criminosos. Só que apenas os que foram presos e condenados é que são punidos por seus crimes neste mundo. No entanto, a lei de Deus não julga apenas nossos atos, mas também nossos pensamentos e a intenção do coração. Portanto, já que nascemos em pecado, estamos presos ao pecado, pois eles continuam dentro do nosso coração.
 
 
Só quem reconhece seus pecados é que pode encontrar o caminho para a salvação
 
Deus fala conosco assim: “Estes são os pecados que vocês não devem cometer” gravando cada um deles na tábua da nossa consciência. Ele fez isso para fazer brilhar a luz da lei e da consciência sobre nossos atos e pensamentos. O padrão que nossa consciência usa para julgar o bem e o mal é diferente. Mas até quem não conhece a lei de Deus tem angústia na alma porque sua consciência age como ela. E quem despreza a lei da consciência não conhece sua verdadeira natureza e vive como bem entende. No entanto, aqueles que pelo menos têm consciência da lei temem a Deus e ouvem sua Palavra. Então, tudo que temos a fazer é falar da lei para estas pessoas. E se elas virem seu próprio reflexo na Palavra da lei que diz: “Não terás outros deuses diante de mim”, elas entenderão que possuem muitos deuses. Se o mesmo acontece em relação à Palavra que diz: “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão”, elas verão como têm desprezado o nome de Deus. Há muitos idiotas de plantão que acham que tudo que acontece de bom é por sua causa, mas tudo que acontece de ruim é culpa de Deus.
Você precisa entender bem esta questão e confessar: “Eu sou um pecador perante Deus. Por que será que eu peco tanto assim? Agora eu sei que pecarei até morrer porque nasci em pecado.” Só quando fizer isso é que você poderá buscar Jesus Cristo e pedir sua ajuda. E quando você entender de fato como ele lhe salvou, isso ficará gravado no seu coração e você será salvo pela fé. Quando você entender sua verdadeira natureza e como o Senhor lhe salvou, você será salvo e se tornará filho de Deus, pois crerá nele de todo o coração. Então você poderá fazer a seguinte confissão: “O Senhor veio a este mundo e completou a obra da justiça para me dar a salvação.”
Quando confessamos com sinceridade todos os pecados que cometemos até hoje e os que ainda estão em nosso coração, e cremos no evangelho da água e do Espírito, somos purificados de todos eles, nos tornamos mais alvos que a neve e passamos a fazer parte do povo de Deus. E quando isso acontece, o Espírito Santo passa a habitar em nosso coração e começa nos transformar. Há novidade de vida quando o Espírito Santo passa a habitar em nosso coração. E isso nos faz gostar do que odiávamos antes e vice-versa. Tudo muda em nossa vida por causa da mudança do nosso coração, mas isso não acontece pela nossa própria vontade. Mas quando acontece, nos tornamos povo de Deus e somos ricamente abençoados por ele.
Se você quiser receber a remissão de pecados, a primeira coisa que precisa entender é que você é alguém miserável que nasceu com os doze tipos de pecado descritos em Marcos 7:21-22: “Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura.” Antes de tudo, precisamos entender que não podemos evitar o pecado, pois temos um coração pecaminoso por natureza. É algo até louvável tentar evitar o pecado; e mais louvável ainda admitir que, por mais que você se esforce, não há como evitar o pecado porque você o herdou de seus pais.
 
 
Antes de ser curado, você precisa conhecer a causa da doença do pecado
 
Você precisa saber disso. Seu coração enfermo com o pecado não poderá ser curado se você não conhecer a causa desta enfermidade. Se não souber por que continua pecando, você nunca receberá a remissão de pecados, por mais que esteja buscando o Senhor agora. Você precisa aceitar esta verdade para ter um encontro com o Senhor. Por isso que ele nos disse que “não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes”. Em outras palavras, é Jesus que cura a doença do nosso pecado. Então, primeiro temos que ficar doentes para que Jesus cuide de nós. No entanto, aqueles que acham que não estão doentes com o pecado não o reconhecem e dizem: “Ah, Jesus é cheio de amor. Ele é maravilhoso – mas o honram apenas com seus lábios.”
Precisamos entender que merecemos ir para o inferno por causa dos pecados do nosso coração. A Bíblia diz que “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23), e por isso seremos julgados por Deus e condenados se todos os nossos pecados não forem purificados. A Bíblia diz que se alguém tiver um pecadinho que seja, ele irá para o inferno. Muitos estão condenados ao inferno por causa dos pecados do seu coração, e é ridículo vê-los confessando Jesus como seu Senhor fervorosamente e dizendo: “Ah, como Deus é maravilhoso! Eu te amo. Tu és cheio de graça.” Se você confessar o Senhor Jesus dizendo que crerá nele se ele te abençoar, sua fé não fará com que seus pecados sejam remidos? Claro que não. Primeiro você precisa saber que doença está lhe assolando.
Alguns anos atrás eu fui ao médico porque estava sentindo uma irritação terrível na garganta. E no nosso Hospital Geral você tem que saber muito bem o que está sentindo para ser encaminhado para o setor certo. Eu fiz isso e segui a orientação que o atendente me deu. Depois disso fui atendido por alguém do departamento de medicina da família.
O médico me perguntou: “Por que o Senhor está aqui?”
E eu respondi: “Eu estou com muitas aftas e minha garganta dói muito.”
“Abra bem a boca.”
“Ahhh.”
Então o médico me disse: “Vá para o laboratório e faça um eletrocardiograma.”
Depois de esperar por horas, eu fiz o exame e voltei ao médico. E ele me disse: “Volte sexta-feira que vem e eu lhe darei o resultado do exame.” Eu voltei então e ele me disse para tirar raios-x. Então eu tirei raios-x. Depois disso eu paguei uma taxa e voltei para casa. Na terceira consulta, o médico me disse que eu tinha que fazer outro exame. Eu queria tratar logo daquela dor de garganta, mas ao invés de me curar, aquele médico só ficava me passando exames. Minha garganta continuava doendo e estava ficando sem dinheiro. Então eu fiquei muito chateado com aquele hospital e cheguei à conclusão que eles não estavam preocupados com os pacientes, mas só no lucro. Aí eu fui a outro hospital em Seul e minha garganta melhorou depois que comecei a me tratar com um especialista.
Se quiser ser curado de alguma enfermidade, você tem que saber exatamente o que está sentindo e se consultar com um especialista que diagnosticará qual é o problema. E quando sua enfermidade for diagnosticada corretamente, você também receberá o tratamento correto. Você só ficará curado e voltará a ter saúde e alegria se fizer isso. Do mesmo modo, você não pode ser curado da doença do pecado indo à igreja que você quiser. Você tem que ver também se seu coração enfermo com o pecado foi totalmente curado depois de ser tratado na igreja que você faz parte. Só assim você terá resposta correta para as seguintes perguntas: “Será que esta igreja é o local ideal para eu tratar minha doença do pecado? Será que conheço mesmo a Palavra de Deus?” para ver se o diagnóstico é que você é mesmo um pecador e está condenado a ir para o inferno segundo a lei de Deus. Só depois disso você poderá ter um encontro com Jesus Cristo.
No entanto, se não chegar à conclusão de que é um grande pecador que merece ir para o inferno, você jamais poderá ter um encontro com o Senhor. E se por acaso encontrá-lo, você vai considerá-lo apenas como um professor de ética. Se alguém não reconhece que é um grande pecador, ele não precisa de Jesus. Quem não está indo para o inferno não precisa de um Salvador. Assim como quem não está se afogando não precisa ser resgatado, é necessário ter pelo menos um pecadinho para precisar de um Salvador. O que eu estou dizendo é que seremos destruídos se tivermos o mínino pecado que for. Com certeza pereceremos se tivermos pecado. Sendo assim, temos que entender bem que precisamos de um Salvador. E só podemos ser salvos se entendermos como fomos salvos realmente. Só os doentes precisam de médico.
 
 
A vida de fé que os cristãos estão levando hoje é um verdadeiro caos
 
Muitos cristãos e pessoas religiosas pensam assim: “Se eu for fiel à religião que professo, seja ela qual for, eu só vou pedir a Deus dinheiro vivo, e não cheque. Além disso, vou querer que ele me abençoe e reconheça as boas obras que faço.” Eles barganham com Deus e dizem: “Deus, não se esqueça de mim porque eu me preparei para servi-lo bem.” Por isso que a maioria dos cristãos vive em absoluto caos hoje em dia.
Gênesis 1:2 diz: “E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.” Diz aqui que “a terra era sem forma e vazia”, e isso significa que o caos tomou conta do coração das pessoas. Também diz que o homem pecador procura servir bem a Deus, mas será que eles serão abençoados por ele? Eles terão sorte se não forem destruídos. Mas se continuarem fazendo isso, com certeza serão amaldiçoados. Apesar de muitas pessoas tentarem servir a Jesus e crer nele de coração, no fim acabam cometendo suicídio por causa do sofrimento que o pecado lhes aflige. Muitos cristãos estão sendo enviados para hospitais psiquiátricos hoje em dia. Por quê? Porque apesar de crer em Jesus Cristo e segui-lo de todo o coração, eles não conseguem fazer isso por causa do pecado que há em seu coração. Pior ainda, eles ainda não receberam a remissão de pecados, e este é o motivo do seu sofrimento.
Eu conheci um idoso cristão muito educado, e sua aparência era simplesmente impecável. Fisicamente falando, ninguém podia encontrar um defeito nele. Mas um dia ele foi para o alto de uma montanha, jogou gasolina em seu corpo, ateou fogo e morreu queimado. E ele escreveu em seu testamento: “Eu creio em Jesus, mas não consigo me livrar dos pecados do meu coração. E eles são tão imundos que eu fui obrigado a tomar uma atitude radical para resolver isso. Agora, como meu último ato, eu derramarei gasolina sobre o meu corpo e o queimarei. Eu vou queimar meu corpo por livre e espontânea vontade para purificar todos os pecados do meu coração.”
Ele era um cristão fiel e muito respeitado por todos em sua igreja, mas teve uma morte trágica e ridícula porque não aguentava mais os pecados imundos do seu coração. Mas será que os pecados do nosso coração vão ser purificados se pormos fogo em nosso corpo? Claro que não.
Por que então ele sofreu tanto assim? Antes de tudo, ele não sabia que tipo de pecador era realmente. Melhor dizendo, ele só cria em Jesus buscando seu próprio bem. Muitos cristãos creem em Jesus mas o buscam apenas como aquele que foi pregado na cruz. Jesus é o Deus do amor, o Filho de Deus, o Deus todo-poderoso, e o nosso Salvador. E eles acreditam que ele morreu na cruz em seu lugar para salvá-los dos seus pecados. Por isso que muitos deles vão para a igreja e acham que tiveram um encontro com Jesus, embora seus pecados ainda estejam intactos em seu coração. E eles dizem: “Amado Senhor Jesus, como é bom estar na sua presença! Eu creio muito em ti e o amo tanto.” E assim eles continuam amando Jesus e vendo-o somente como aquele que morreu na cruz. Só que este é um grande erro dos cristãos. Mas eles continuam tentando servi-lo e amá-lo cada vez mais. A verdade é que ninguém pode ser salvo apenas procurando levar uma vida de retidão. Ao contrário, primeiro é preciso reconhecer a necessidade de receber a remissão de pecados do Senhor. Se estas pessoas não foram purificadas dos seus pecados, elas com certeza irão para o inferno.
 
 
A primeira coisa que precisamos conhecer bem é nossa verdadeira natureza
 
Precisamos entender que todos nós nascemos neste mundo como uma raça de malignos e, por esta razão, temos que ser destruídos. O que nos espera é apenas o inferno. Já que somos descendentes de Adão, todos nós somos pecadores. Por isso que Davi confessou no Antigo Testamento: “Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.” (Salmos 51:5). O que ele está dizendo é que seus pais o conceberam em pecado e ele foi formado em iniquidade. Isso quer dizer então que todo ser humano nasce em pecado, e é por isso que peca.
Davi tomou Bate-Seba, mulher de Urias, e com ela cometeu adultério. Um dia ele estava andando na sacada do palácio e viu Bate-Seba nua tomando banho. Eu disse a vocês que há maldade no coração de todo ser humano. E o coração lascivo de Davi lhe disse: “Olha só como ela é bonita! Você gostou de Bate-Seba, não foi? Já que você gostou dela, tome-a então.” Então o desejo de roubar que há no coração disse: “Tome-a, Davi. Você é o rei, ora, e tem poder para fazer isso. Tome-a para si. Tome-a para si.” Mas Davi ficou envergonhado com seus pensamentos, fechou os olhos, balançou a cabeça e disse: “Eu não posso fazer isso. Não posso!” Então o desejo do seu coração lhe disse novamente: “Como assim não pode? Isso é o que você mais deseja. Você a deseja de coração. Então aja segundo o seu desejo.” E Davi disse: “Bom, deixe-me olhar para o seu rosto só mais uma vez.”
Davi então mandou seus guardas buscar Bate-Seba para ele. E quando viu seu rosto de perto, Davi ficou tão caído por ela que o desejo de possuí-la tomou seu coração. E quando os doze tipos de desejo tomaram seu coração, Davi começou a pecar. E para esconder seus pecados, ele chegou a tirar a vida de Urias, o marido de Bate-Seba. Um desejo homicida surgiu no coração de Davi e ele disse: “Você não está com vergonha do seu adultério? Então esconda-o. Você pode fazer isso sem ninguém saber.”
Mas sua consciência lhe disse: “Não faça isso. Você é um servo de Deus. Como você pode fazer algo assim?”
Sua consciência entrou em luta com seu coração iníquo. Só que havia algo mais forte que sua consciência: a natureza pecaminosa que ele havia herdado desde que nasceu. E o que o desejo homicida disse a Davi? “Não há nada demais nisso. Mas você sabe que tem que fazer isso sem ninguém saber, não sabe? Se for descoberto, você perderá seu trono. É isso o que você quer?” Então Davi enviou seu soldado Urias para a frente de batalha e indiretamente acabou assassinando-o. Depois disso ele aliviou a culpa dizendo: “Está tudo bem; afinal de contas, não fui eu que o matei mesmo.”
Mas um dia o profeta Natã o procurou Davi e o repreendeu falando do seu pecado de forma indireta. E ele usou a seguinte parábola para fazer com que Davi reconhecesse seu pecado: “Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre. O rico possuía muitíssimas ovelhas e vacas. Mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma pequena cordeira que comprara e criara; e ela tinha crescido com ele e com seus filhos; do seu bocado comia, e do seu copo bebia, e dormia em seu regaço, e a tinha como filha. E, vindo um viajante ao homem rico, deixou este de tomar das suas ovelhas e das suas vacas para assar para o viajante que viera a ele; e tomou a cordeira do homem pobre, e a preparou para o homem que viera a ele.” (2 Samuel 12:1-4).
Quando o profeta Natã contou esta história, Davi ficou irado e disse: “Vive o Senhor, que digno de morte é o homem que fez isso. E pela cordeira tornará a dar o quadruplicado, porque fez tal coisa, e porque não se compadeceu.” Então Natã disse: “Tu és este homem.” Davi causou tudo isso porque havia um desejo lascivo em seu coração. Ao ver a cena daquela mulher nua tomando banho, o coração adúltero, homicida e enganador de Davi despertou. E para satisfazer seu desejo, ele tomou Bate-Seba e assassinou Urias. E ele fez isso para servir a iniquidade, convidada do seu coração.
Depois disso, Davi reconheceu sua verdadeira natureza diante de Deus e fez a seguinte confissão: “Pequei contra o Senhor. Eu nasci em iniquidade e em pecado fui concebido. A minha natureza descende da linhagem dos malignos.” Vemos aqui como Davi reconheceu sua natureza pecaminosa perante a Palavra de Deus. Por isso que Deus o amava. E ele teve misericórdia de Davi porque ele reconheceu sua verdadeira natureza perante ele, não porque ele tinha uma vida mais justa do que os outros ou não cometia nenhum pecado.
A primeira coisa que você deve fazer para ter um encontro com o Senhor é saber quem realmente é. Se olhar com sinceridade para o seu coração, você verá que há pecados guardados dentro dele, pecados estes que ainda não foram purificados, ou que você ainda não conhece o evangelho da água e do Espírito. Aí então você entenderá que merece ser condenado pelos seus pecados. Não importa se você se converteu há cinquenta, trinta ou três anos. O fato de crer em Jesus por muito não tempo não significa que você conhece a Deus realmente.
 
 
Você precisa nascer de novo agora crendo no evangelho da água e do Espírito
 
Vemos em João capítulo 3 o encontro de Jesus com Nicodemos. Este homem admirava muito o Senhor e queria ser reconhecido por ele, mas não foi isso o que Jesus fez. Ao contrário, vemos em João 3:3-5 Jesus dizendo a ele que é preciso nascer da água e do Espírito para entrar no reino de Deus. Nicodemos era um dos líderes da nação de Israel, um fariseu, líder do judaísmo. Mas como não sabia o que fazer para nascer de novo, procurou Jesus na calada da noite. E o Senhor lhe disse: “Você tem que nascer de novo da água e do Espírito para entrar no reino de Deus e vê-lo.” E Nicodemos perplexo perguntou: “Eu tenho que voltar para o ventre da minha mãe para nascer de novo?” No que Jesus respondeu: “Você é mestre em Israel e não sabe estas coisas?”
Nosso Senhor ensinou a Nicodemos uma grande lição sobre a salvação ao dizer: “E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:14-16).
Mais tarde então Nicodemos entendeu o que Jesus lhe disse, descobriu quem ele realmente era, reconheceu que era um grande pecador acabou crendo nele. Ele descobriu como o Senhor tinha salvado um homem como ele, um homem que estava condenado ao inferno. Nicodemos foi salvo através do evangelho da água e do Espírito. Mais tarde arriscou a vida junto com José de Arimatéia para cuidar do corpo de Jesus (João 19:38-39).
Temos que entender bem que tipo de seres realmente somos. Somos chamados de raça de malignos porque nascemos em pecado e não podemos evitá-lo. E cometemos todo tipo de pecado justamente porque nascemos com um coração pecaminoso. Mas se tivéssemos nascido com um coração puro e com o Espírito Santo habitando dentro dele, só faríamos as boas obras do Espírito.
O livro de Gálatas capítulo 5 fala de dois tipos de desejo, ou seja, os desejos da carne e os desejos do Espírito. E os nascidos de novo possuem ambos os desejos, os desejos da carne e os desejos do Espírito. Mas aqueles que não conhecem o evangelho da água e do Espírito e, por isso, ainda não nasceram de novo só têm desejos da carne, pois não possuem o Espírito Santo. O coração de quem ainda não nasceu de novo é cheio de desejos da carne e eles querem ter fama, manipular as pessoas, ser reconhecidos e parecer muito justos perante as pessoas. Eles procuram esconder quem realmente são em meio às mentiras.
Mas quem somos nós perante Deus? Se não conhecermos bem o evangelho da água e do Espírito e crermos nele, continuaremos sendo pecadores. Só há pecado no coração dos que não creem no evangelho da água e do Espírito. Se alguém, por mais importante e honrado que seja, não conseguir ver os pecados que há no seu coração através da Palavra de Deus, isso significa que ele jamais encontrará o caminho da salvação. Ele é como os animais que perecem (Salmos 49:2). Podemos até dizer que alguém assim não é humano. É claro que pessoas assim são seres humanos, e eu só estou dizendo que seres humanos que não reconhecem Deus são como os animais que simplesmente morrem.
Portanto, temos que ser sinceros e reconhecer quem realmente somos. Caso contrário, por mais que tenhamos crido no Senhor Jesus fervorosamente por muitos anos, não poderemos ter um encontro com aquele que veio a esta terra pela verdade da água e do Espírito.
 
 
Não devemos crer no Senhor Jesus de uma maneira religiosa
 
Muitos cristãos dizem: “Jesus, eu te amo!” mas fazem isso de qualquer jeito. Muitos cristãos pecadores adoram Jesus com instrumentos, ajuntando muitos envelopes de oferta e jurando fidelidade a ele ao longo da vida. Mas todo o seu esforço é em vão, pois ainda não receberam no coração a remissão de pecados. Por isso que quase todos que creem em Jesus por muito tempo são pecadores. Eles estão cativos a uma fé religiosa que nunca lhes trará a salvação.
Eu era como eles, e depois de crer em Jesus por dez anos, eu já estava firmado nesta fé religiosa. Vocês que creem no evangelho da água e do Espírito são muito abençoados. E a verdade é que foi um milagre vocês terem conhecido este verdadeiro evangelho.
Muitos cristãos pecadores querem levar uma vida de retidão, conhecer bem a Palavra de Deus e obedecê-la, mas mesmo assim não conseguem viver sem pecar. Um crime é algo que jamais devemos cometer, é claro, mas nosso coração às vezes deseja fazer isso. Por mais que os religiosos se esforcem para não pecar contra Deus, eles não conseguem. O que eles precisam entender então é que seu coração é que tem que mudar. Por isso que Jesus disse que todos precisam nascer de novo. O que ele está dizendo é que precisamos nascer duas vezes. Você tem que nascer de novo crendo no evangelho da água e do Espírito, pois quando isso acontecer, sua vida vai mudar.
Amados irmãos, olhem para mim. Por mais que cometesse muitos pecados no passado, eu não sabia que era um grande pecador. Eu arrumava desculpa para tudo e pensava assim: “Isso não é culpa minha. Foi a situação que me levou a ser assim, e é por isso que eu peco. Eu só estava passando pelo cinema, mas meus amigos me chamaram para entrar. Aí eu não pude resistir.” Eu passava por um cinema quando estudava teologia e pensava: “As fotos do cartaz são tão vulgares. Não, eu não posso olhar para estas fotos. Elas são muito vulgares. O que eu estou fazendo? Eu não consigo controlar meus olhos. Bem, se não tem jeito, eu vou dar só uma olhadinha nas fotos do cartaz então.” Eu passava por lá e olhava para o cartaz para ver quem era o ator principal. Eu via o título, as fotos, e logo já sabia qual era o enredo do filme. Veja bem, eu não estou dizendo que ver o cartaz de um filme é um grande pecado, mas o problema é que meu coração estava mais interessado no filme do que em Jesus. Há outras coisas que cativam o coração das pessoas além dos filmes. E isso acaba levando-as a cair. Em outras palavras, elas acabam dando lugar aos seus próprios desejos.
Quando chega o outono, as folhas de ginkgo ficam amarelas e começam a cair. Elas caem uma a uma e as ruas ficam cobertas com elas. E este processo não para ao longo do outono. E por mais que as ruas sejam varridas todos os dias, elas não ficam limpas. Mas quando chega o inverno, todas as folhas de ginkgo caem e só ficam os galhos nas árvores.
O que eu quero dizer com isso é que se você não crer no evangelho da água e do Espírito, todos os pecados do seu coração não serão retirados e você continuará pecando. Mas se você tiver um encontro com Jesus e começar a servir a este evangelho, sua vida nunca mais será assim. Quando Jesus for o seu Senhor, não haverá mais um pecado sequer em seu coração. Todos eles serão tirados. Mas isso não significa que você não vai mais pecar. Você naturalmente ainda vai pecar, mesmo tendo nascido de novo no evangelho da água e do Espírito. O que estou dizendo é que o Espírito Santo habitará em você e seu coração será renovado se você nascer de novo. Seu coração mudará quando você encontrar a justiça do Senhor. E depois disso, você decidirá o que quer fazer ou não.
Até agora, eu usei a prisão do copeiro e do padeiro-chefe para mostrar como o homem é pecador e por que ele peca. Na verdade, eu queria falar sobre outro assunto dentro deste texto bíblico, mas teria problema se fizesse isso agora. Por isso que hoje eu mantive meu sermão num só tema.
O médico tem que chegar a um diagnóstico preciso e prescrever a medicação correta para que o paciente confie nele, seja tratado e totalmente curado. O paciente só ficará curado se fizer o que o médico mandar. No entanto, se o médico fizer um diagnóstico preciso e passar a medicação correta mas o paciente não confiar nele, ele não fará nada do que lhe foi prescrito. Ele pode até colocar o remédio na boca, mas depois vai cuspi-lo na lata de lixo. E quando isso acontece, o paciente não é curado. Pregar o evangelho de pessoa em pessoa não é algo fácil. Você não pode imaginar então como é bom fazer isso através do nosso ministério de literatura. Nós preferimos o ministério de literatura porque este método raramente fere o orgulho dos nossos leitores, o que acontece quando fazemos da outra forma. Tudo que os leitores têm a fazer é ler nossos livros e analisar se nossos ensinamentos estão certos ou não. E todos que tiverem a mente aberta serão salvos quando lerem nossos livros com interesse. A Bíblia diz: “Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim” (Atos 17:11). Interesse e atenção são indispensáveis para uma boa leitura.
  
 
O evangelho da água e do Espírito cumpriu o plano da salvação na vida daqueles que estavam condenados ao inferno
 
Qual o destino de todo ser humano? Todos nós estávamos condenados ao inferno. Já que nascemos neste mundo em pecado, estávamos condenados ao inferno por causa deles. E é justamente sobre isso que eu falo neste sermão. Seja quem for, você não poderá evitar o juízo de Deus se ainda tiver pecado. E quando um pecador recebe o justo juízo, ele é lançado no lago de fogo que nunca se apaga. E ninguém pode tirar ou adicionar nada a esta verdade. Se você é alguém que reconhece a Palavra de Deus e o que há em sua consciência, se você é alguém que reconhece a vontade de Deus, sua Palavra e sua lei, e crê que ele existe por toda a eternidade, embora não possa vê-lo com seus olhos, a primeira coisa que você tem que fazer agora então é reconhecer que é um pecador condenado ao inferno e crer no Senhor.
Deus não preparou o plano da salvação para você, que recebeu o diagnóstico que irá para o inferno por causa dos seus pecados? Deus preparou este plano porque nos ama. E o plano da salvação de Deus não ficou apenas no papel, pois ele o executou. No próximo sermão eu vou falar especificamente como Deus preparou o plano da salvação.
Eu estou dizendo isso porque tive um encontro com o Senhor e o evangelho da água e do Espírito antes de vocês, não porque sou melhor que vocês. Eu sou um ser humano igual a vocês, mas por sua graça o Senhor teve um encontro comigo primeiro. Então meus pecados foram totalmente purificados pela Palavra. E o inacreditável é que meus pecados foram remidos de uma vez por todas quando eu conheci a Palavra da verdade, não porque eu falava em línguas, orava no monte ou fazia orações de arrependimento. Quando ouvi esta Palavra do evangelho, eu cria nela e todos os meus pecados sumiram. Foi aí então que eu recebi a salvação. E apesar de ainda ser falho, eu tenho estado diante de vocês pregando a Palavra até hoje.
Eu sou grato a Deus, e meu desejo ao concluir este sermão é que todos vocês conheçam a verdade que livra da condenação de Deus aqueles que têm pecado no coração. Precisamos conhecer muito bem o evangelho da água e do Espírito depois de reconhecermos nossa natureza pecaminosa. E se fizerem isso, todos os seus pecados com certeza serão purificados de uma vez por todas.