Predigten

Assunto 8: O Espírito Santo

[8-9] O evangelho do Seu Batismo que nos limpou (Efésios 2:14-22)

O evangelho do Seu Batismo que nos limpou
( Efésios 2:14-22 )
“Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,
e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.
E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto; porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito. Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem-ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito”. 
 
 

A criança adotada em razão da pobreza


O que separou o homem de Deus?
O seu pecado o separou.

Já se passou meio século desde o fim da guerra da Coreia, mas muitas feridas foram deixadas entre o povo Coreano. Como consequência dessa guerra, muitas crianças jovens foram adotadas em países estrangeiros. Apesar das forças das Nações Unidas terem vindo à Coreia e ajudado muito naquele período, muitas crianças foram deixadas sem pais depois que os soldados deixaram o país.
Muitos soldados das Nações Unidas, que tinham esposas e filhos aqui, deixaram suas famílias para trás quando retornaram para casa. Muitas dessas crianças foram abandonadas novamente em orfanatos por suas mães e enviadas para adoção em países estrangeiros. Foi realmente muita sorte essas crianças terem encontrado pais adotivos e crescerem muito bem.
Essas crianças adotadas perceberam que pareciam ser diferentes de seus pais e de seus vizinhos, na medida em que se desenvolviam, e aprenderam que eram adotadas em um país distante da Coreia. “Por que meus pais me abandonaram? Eles me mandaram embora para longe porque me odiavam?”. Com suas mentes jovens, essas crianças simplesmente não conseguiam entender o que havia acontecido.
Sua curiosidade e ódio por seus pais verdadeiros começaram a crescer junto com um desejo de conhecê-los. “Como são meus pais? Como puderam me abandonar? Eles fizeram isso porque me odiavam? Não, provavelmente devia haver um motivo”. Essas crianças provavelmente tinham muitos entendimentos errados e algumas vezes sentiam até mesmo ódio extremo. Outras vezes resolviam não pensar mais sobre isso. E, antes que atentassem, o tempo passou e as crianças cresceram e se tornaram adultos. Casaram-se, tiveram filhos e formaram suas próprias famílias.
Eu me interessei por essas crianças por meio de um programa de uma rede de TV local. Neste programa, um repórter entrevistava uma mulher que tinha sido adotada e que agora vivia na Alemanha. Esta mulher tinha os seus vinte anos, naquele tempo, e estava estudando teologia. Inicialmente, a mulher tentava evitar o repórter porque não queria que ninguém soubesse que ela era adotada. O repórter a persuadiu a entender que, dando a entrevista, ela ajudaria a diminuir a corrente de adoções para países estrangeiros. E a mulher concordou.
Uma das perguntas do repórter foi: “O que você diria se você pudesse encontrar seus pais verdadeiros? Do que você tem mais curiosidade?”. A mulher respondeu: “Eu simplesmente não posso entender porque eles me colocaram para adoção. Eu gostaria de perguntar se eles me odiavam”. A mãe verdadeira viu a entrevista da mulher na TV, entrou em contato com a rede de televisão, e disse que queria encontrar sua filha. E foi assim que as duas se encontraram.
A mãe foi bem cedo para o aeroporto e esperou pela chegada de sua filha. Quando a jovem mulher apareceu, sua mãe só conseguia permanecer parada e chorando.
As duas nunca tinham se encontrado face a face. A primeira vez que a mãe viu sua filha crescida foi quando ela apareceu na TV. Apesar de falarem línguas diferentes, elas podiam falar com seus corações e por meio de olhares emocionados que trocavam. Elas tocaram uma na face da outra, enquanto a mãe implorava por perdão pelo que havia feito. Tudo o que ela podia fazer era chorar e repetir que estava muito arrependida.
A mãe levou sua filha para casa e elas comeram juntas. É claro que a filha só falava alemão e a mãe só coreano, então elas não podiam se comunicar verbalmente. Mas algo como o fato de serem mãe e filha permitiu que elas se entendessem. Elas tinham muitas conversas com poucas palavras, se expressavam por meio de gestos, tocando uma na face da outra e falando com seus olhos e corações.
Quando voltou para a Alemanha, a filha sabia que sua mãe a amava. O mesmo repórter que tinham conduzido à entrevista anterior falou com ela uma vez mais, antes de sua chegada. “Não foi necessário perguntar por qual razão minha mãe havia me colocado para adoção, ela é pobre até hoje. As pessoas ricas naquele país são tão abastadas que dirigem carros importados, mas minha mãe ainda está vivendo na pobreza”. Ela continuou a dizer: “Apesar de eu não ter perguntado para minha mãe aquela pergunta e não receber uma resposta dela, eu pude ver que ela me enviou para me salvar da pobreza. É por isso que eu não senti a necessidade de fazer aquela pergunta, e porque todas as dúvidas e ódio se foram”.
 


As pessoas se separam de Deus em razão dos pecados em seus corações

 
Por que nós nos separamos de Deus, e por que não podemos andar ao lado Dele? A mulher que foi colocada para adoção aprendeu que sua mãe verdadeira a enviou para salvá-la da pobreza. É a mesma verdade de Deus? Deus nos criou à Sua própria imagem. O que pode ter nos separado Dele? A resposta é que Satanás tentou o homem a cometer pecados e o pecado separou o homem de Deus.
Originalmente, Deus criou o homem à Sua própria imagem e amou a Sua criação. Os homens foram feitos como o alvo do amor de Deus e possuíam mais nobreza do que qualquer outra criatura. Contudo, um anjo caído chamado Satanás trabalhou para separar o homem de Deus. Ele tentou o homem para não crer na Palavra de Deus e o fez comer da fruta da árvore do conhecimento do bem e do mal.
O homem foi, portanto, separado de Deus devido ao seu pecado. Foi desobediente a Deus. O homem não comeu a fruta da árvore da vida, que dá vida eterna, que Deus permitiu, mas, em vez disso, comeu a fruta proibida, que o fez conhecer o bem e o mal. O resultado disso é que o homem foi separado de Deus.
Antes alvo do amor de Deus, o homem desobedeceu e se separou Dele. Devido ao pecado que veio habitar em seu coração, o homem foi separado de Deus. Depois disso, o homem viveu separado de Deus por muito tempo e reclamava: “Por que Deus nos abandonou depois de nos ter criado? Por que Deus nos permitiu cometer pecados? Por que Ele nos destinou ao inferno depois de nos ter feito fracos? Seria melhor se Ele não nos tivesse feito”. Nós vivíamos com muitas perguntas, bem como curiosidades, dúvidas e ódios antes de sermos nascidos de novo.
Quando eu vi a mulher adotada no programa de TV, percebi que o relacionamento entre o homem e Deus é o mesmo que da mulher com sua mãe verdadeira. Nenhuma tribulação, desentendimento, maldição ou pecado separa o homem de Deus, sob nenhuma circunstância. Eu também pude entender que apesar do relacionamento entre Deus e o homem ser baseado no amor, ainda era possível ocorrer mal entendidos.
Assim como a mãe não enviou sua filha por ódio, Deus se separou do homem também não em razão do ódio, mas por causa do pecado. Não há razão para Deus odiar o homem e não há razão para o homem odiar a Deus. Nós nos amamos. A razão pela qual o homem permanece separado de Deus é que ele se tornou um pecador, depois de sucumbir aos truques de Satanás.
 

Deus nos abraçou através de Jesus

“Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade,
aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz”. (Efésios 2:13-15). O Senhor Jesus foi batizado por João Batista e levou todos os pecados do mundo, a fim de abolir a Lei dos mandamentos. Ele, então, derramou o Seu sangue na Cruz para salvar os homens de seus pecados e permitir que ele fosse abraçado por Deus. E Ele agora abraça aqueles que vão sendo limpos por Jesus.
Você já imaginou o mundo sem água? Há não muito tempo passado, fui a um encontro bíblico na cidade de Inchon, um dos maiores portos da Coreia, onde os canos de água não funcionavam por alguns dias, e eu pensei: “As pessoas não vivem sem água”.
Se Deus fizesse este mundo ficar sem água por um mês, seria impossível viver nas cidades em razão do mal cheiro, da sujeira e da sede generalizada. Nós devemos entender o valor da água que Deus nos deu. Assim como a água é uma necessidade absoluta para os humanos, o batismo que Jesus recebeu de João no Rio Jordão é igualmente indispensável.
Se Jesus não tivesse vindo a este mundo para ser batizado por João, como os crentes poderiam receber a remissão dos pecados? Assim como as pessoas não podem viver sem água, todos neste mundo teriam morrido por seus pecados se João não tivesse batizado a Jesus.
Contudo, como o batismo de Jesus levou todos os nossos pecados, agora podemos sentir confiança no conhecimento de que nossos corações foram limpos e que fomos abençoados com a salvação. O batismo de Jesus é crucial para a nossa fé. Além disso, Seu batismo é absolutamente necessário para nós recebermos a habitação do Espírito Santo.
Pedro, um dos discípulos de Jesus, disse: “a qual, figurando o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo”. (1 Pedro 3:21). A afirmação de Pedro diz que Jesus foi batizado por João Batista e derramou o Seu sangue para nos salvar de nossos pecados. O batismo de Jesus, que lavou todos os pecados do mundo, é o verdadeiro evangelho.
Agora, vamos ver uma passagem sobre a pia de bronze: “Disse mais o Senhor a Moisés: Farás também uma bacia de bronze com o seu suporte de bronze, para lavar. Pô-la-ás entre a tenda da congregação e o altar e deitarás água nela. Nela, Arão e seus filhos lavarão as mãos e os pés. Quando entrarem na tenda da congregação, lavar-se-ão com água, para que não morram; ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao Senhor. Lavarão, pois, as mãos e os pés, para que não morram; e isto lhes será por estatuto perpétuo, a ele e à sua posteridade, através de suas gerações”. (Êxodo 30:17-21).
No tabernáculo, havia uma pia de bronze, que foi colocada entre a tenda da revelação e o altar, e nela continha água para lavar. Se esta pia não estivesse no tabernáculo, os sacerdotes estariam muito sujos para oferecer os sacrifícios.
Muito sangue e sujeira manchariam os sacerdotes que ofereciam os muitos sacrifícios diários pelo povo, impondo as mãos sobre eles e depois os matando. Se não houvesse a pia no tabernáculo, os sacerdotes ficariam muito sujos.
Esta é a razão pela qual Deus preparou a pia para eles, assim podiam se aproximar de Deus com as mãos limpas. Os pecadores passavam os seus pecados pela imposição de mãos na cabeça da oferta pelo pecado e então os sacerdotes os sacrificavam para Deus. Deus preparou a pia de bronze para que os sacerdotes pudessem entrar no santo lugar e para que pudessem se lavar com água, com medo de morrer. Mesmo um sacerdote não podia entrar no santo lugar enquanto estivesse manchado com o sangue de um animal. É por isso que eles lavavam toda a sujeira com a água da pia, a fim de se aproximarem de Deus após oferecerem sacrifícios pelo povo.
 


O Batismo de Jesus lavou todos os pecados do mundo


Por meio do batismo de Jesus por João, no Rio Jordão, todos os pecados do mundo foram transferidos para Jesus e Sua imersão total na água simbolizava Sua morte, e a saída da água representava Sua ressurreição. Em outras palavras, Jesus foi batizado por João para levar todos os pecados do mundo, pagar o salário do pecado e morrer na Cruz. Sua morte foi para pagar o preço por nossos pecados e Sua ressurreição nos deu a vida eterna.
Se nós não acreditássemos que Jesus levou os nossos pecados por meio do Seu batismo, nossos corações estariam cheios de pecados. Neste caso, como poderíamos nos aproximar de Deus? O evangelho da remissão dos pecados não é uma doutrina de alguma denominação, mas é a verdade de Deus.
Nós não podemos guiar nossa fé sem o conhecimento perfeito, em outras palavras, não podemos superar o mundo se realmente não nos importarmos com o batismo de Jesus por João. Assim, como todas as coisas vivas precisam de água, a fim de manter suas vidas, nós precisamos da remissão dos pecados e da água do batismo de Jesus, para vivermos pela fé e entrarmos no Reino do Céu. Jesus teve que ser batizado, morrer na Cruz e ressuscitar para nos salvar de nossos pecados. Este é o evangelho da água e do Espírito que nós devemos crer com todo o nosso coração.
Apesar de Jesus ter sido crucificado para morrer na Cruz, Ele não fez nada para merecer tal sofrimento. Ele veio a este mundo para lavar os nossos pecados, foi batizado com 30 anos e tornou-se O nosso Salvador por meio de Sua morte na Cruz aos 33 anos. Deus quis fazer da humanidade Seu povo, não importando quão frágil e pecadora ela seja. Foi por isso que Jesus foi batizado. Deus nos deu a remissão dos pecados e o dom do Espírito Santo ao mesmo tempo.
“A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus”. (João 3:3-5). Você tem que reconhecer e crer que Jesus foi batizado, a fim de lavar todos os nossos pecados. Mesmo que alguém seja um cristão nascido de novo, se não meditar sobre a verdade de que Jesus Cristo levou todos os pecados do mundo por meio de Seu batismo, seu coração logo se tornará sujo. Por sermos seres com corpos carnais, estamos sujeitos a nos tornarmos imundos com o pecado, mesmo em nossa vida diária. É por isso que sempre devemos viver pela fé, meditando no batismo de Jesus, Seu sangue na Cruz e Sua ressurreição. Esta fé nos manterá até o dia em que entrarmos no Reino do Céu.
Jesus não tinha outra escolha além de ser batizado e morrer por nossos pecados, então nós devemos crer que, fazendo isso, Ele nos trouxe a salvação. Não há nada mais que possamos fazer além de crer neste belo evangelho, a fim de que sejamos libertos de todos os pecados do mundo.
Damos graças ao Senhor Jesus, que nos deu o evangelho da água e do Espírito. O grande presente que Deus nos deu foi enviar o Seu único Filho para nos salvar de todos os nossos pecados, por meio de Seu batismo e sangue.
A razão pela qual não podíamos nos aproximar de Deus e éramos forçados a viver separados Dele, era que tínhamos pecados em nossos corações. Jesus foi batizado por João, para levar todos os pecados do mundo, e morreu na Cruz, a fim de derrubar o muro que separava Deus e o homem. O relacionamento entre Deus e o homem foi restaurado pelo Seu batismo e sangue. Nós agradecemos a Ele por este presente. O amor dos pais pelos seus filhos é grande, mas não é comparável ao grande amor de Deus, pelo qual Jesus salvou os pecadores.
O batismo de Jesus e o Seu sangue estão correlacionados e são importantíssimos. Se não houvesse água neste mundo, alguma coisa sobreviveria? Sem o batismo de Jesus, não haveria ninguém sem pecados no coração. Se Ele não tivesse sido batizado e morrido na Cruz, ninguém teria recebido a remissão dos pecados. Felizmente Jesus foi batizado e fez o sacrifício final por nós. Apesar de sermos tão deficientes e falíveis, podemos receber o Espírito Santo crendo no Seu batismo e sangue na Cruz.
As pessoas que creem no batismo de Jesus Cristo e Sua morte na Cruz, podem se aproximar de Deus, orar e louvá-Lo. Agora podemos louvar ao Senhor Jesus e adorá-Lo porque nos tornamos Seus filhos. Esta é a Graça e a bênção de Deus. O evangelho do batismo de Jesus e do Seu sangue na Cruz é realmente maravilhoso. Todos nós podemos receber a salvação e a habitação do Espírito Santo crendo neste belo evangelho da água e do Espírito.