Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 12-8] (Lucas 12:49-53) Vamos Travar a Guerra Espiritual

(Luca 12:49-53)
“Vim lançar fogo na terra e que mais quero, se já está aceso? Importa, porém, que eu seja batizado com um certo batismo, e como me angustio até que venha a cumprir-se! Cuidais vós que vim trazer paz à terra? Não, vos digo, mas, antes, dissensão. Porque, daqui em diante, estarão cinco divididos numa casa: três contra dois, e dois contra três. O pai estará dividido contra o filho, e o filho, contra o pai, a mãe, contra a filha, e a filha, contra a mãe, a sogra, contra sua nora, e a nora, contra sua sogra”.
 
 
Travar a Guerra Espiritual?
 
O Senhor disse que veio a este mundo trazer dissensão entre as pessoas. Ele disse que veio a esse mundo para trazer divisão entre aqueles que receberam a remissão de pecados e os que ainda não a receberam, além de separar os que retornaram à Sua presença daqueles que são inimigos da sua Palavra. E é isso mesmo. Nosso Deus veio para nós a fim de declararmos guerra contra o mal.
Satanás enganou Adão e Eva e tirou sua alegria e autoridade. O ser humano perdeu tudo para Satanás por causa disso. Ele perdeu a dignidade humana, e não apenas a liberdade e a autoridade. No entanto, nosso Senhor disse que veio a este mundo para suscitar guerra no coração dos que se afastaram de Deus. Devemos conhecer bem o coração do Senhor que veio trazer a guerra. Ele disse: “Cuidais vós que vim trazer paz à terra? Não, vos digo, mas, antes, dissensão”. O Senhor também disse que lançaria fogo na terra, e não paz. Isso significa que ele veio anunciar e começar uma guerra.
Depois que cremos em Jesus e nascemos de novo, o que nós pensamos sobre viver neste mundo? Às vezes andamos sobre as folhas no chão e pensamos: “A graça do Senhor é maior do que a quantidade das folhas”. Contudo, o Senhor não veio para trazer essa paz ao mundo. Pelo contrário, ele veio para começar uma guerra espiritual, e não para trazer paz. Isso mesmo. Nosso Senhor veio a esse mundo para cumprir um propósito totalmente diferente do que pensamos. Normalmente pensamos no Senhor como o Deus do amor, o Deus da paz. Mas não é bem assim. É algo muito diferente disso. O coração e a intenção de Jesus são diferentes do jeito que pensamos.
Nosso Senhor deseja que estejamos engajados na guerra espiritual. Para fazer isso, Deus primeiro divide aqueles que receberam a remissão de pecados dos que não a receberam, depois ele também separa os que irão receber a remissão de pecados em sua presença. Deus junta seu povo assim e mantém os inimigos do evangelho afastados. E ele também incita uma acirrada guerra espiritual entre esses dois tipos de pessoas.
Qual nossa posição no meio de tudo isso então? Queremos ter guerra ou paz neste mundo? É claro que queremos paz. É por isso que muitas igrejas têm nomes como Igreja da Paz ou Comunidade da Paz, etc. Há muitas igrejas chamadas ‘Igreja da Paz’ onde quer que vamos. Isso mostra que as pessoas desejam ter paz e harmonia e preferem ter um bom relacionamento ao invés de brigar entre si.
Porém, nosso Senhor não quer isso. O Senhor veio a este mundo para trazer guerra, e não para dar paz. E é isso mesmo. Deus quer tomar de volta aqueles que Satanás levou. Deus quer trazer de volta essas almas e levá-las ao céu para viverem felizes com ele eternamente. Ele não deixará seu povo sozinho neste mundo pecador. Não se esqueça disso. Nosso Senhor veio a este mundo para lutar contra Satanás e trará sobre ele o derradeiro castigo no fim dos tempos.
É claro que o Senhor não veio a este mundo só para guerrear contra o homem. Ele veio para salvar seu povo de todos os pecados. E ele deseja separar seu povo dos pecados do mundo e fazer com que os nascidos de novo lutem contra o mundo. No entanto, não era isso realmente que esperávamos, não é mesmo? Antes de nascermos de novo, nós só queríamos viver em paz com as outras religiões, e o que já estava bom era o bastante, certo? É por isso que estamos revendo essa Palavra hoje tendo o desejo de conhecer e aceitar a vontade do Senhor de forma correta.
Ele nos disse: “Eu vim para lançar fogo na terra. Você acha que vim para trazer paz à terra? Digo-vos que não, pois trago divisão”. Devemos conhecer bem a vontade de Deus e nos engajarmos na guerra espiritual sem vacilar. Devemos continuar pregando o evangelho, ajudar outras pessoas a receber a remissão de pecados e alimentá-las espiritualmente. Devemos continuar a obra de pregar o evangelho para aqueles que ainda não conhecem a verdade.
Está escrito no texto bíblico deste capitulo: “Porque, daqui em diante, estarão cinco divididos numa casa: três contra dois, e dois contra três. O pai estará dividido contra o filho, e o filho, contra o pai, a mãe, contra a filha, e a filha, contra a mãe, a sogra, contra sua nora, e a nora, contra sua sogra”. Nessa Palavra vemos que o membro de uma família tem que lutar contra os outros. Nós também devemos continuar travando uma guerra espiritual com nossos familiares como diz a Palavra. Talvez haja alguém aqui entre nós que esteja pensando: “O que acontecerá depois que eu receber a remissão de pecados? Minha família será destruída depois de eu receber a remissão de pecados ao invés de existir paz entre nós? Há alguém aqui hoje que está enfrentando essa situação? Saibam que isso é algo natural. Depois de se tornar filho de Deus após receber a remissão de pecados, você passa a ter um coração, um propósito e um modo de pensar diferente, embora continue sendo membro da mesma família. Mas agora você tem o Espírito Santo em seu coração, e as brigas serão inevitáveis porque agora você é diferente deles.
Então devemos travar uma guerra espiritual. Devemos lutar e vencer se quisermos desfrutar da verdadeira paz. Devemos vencer a guerra espiritual, mas só acabará quando nossos familiares se converterem, receberem a remissão de pecados e se tornarem filhos de Deus. Depois disso, devemos declarar guerra contra outra pessoa e vencer. Essa é a guerra espiritual da qual Deus falou. Então devemos continuar a travar essa guerra espiritual.
Por que razão Jesus nos deu a remissão de pecados e depois nos deixou neste mundo? Ele fez isso para nos fazer travar a guerra espiritual. Portanto, devemos nos engajar nessa guerra. Devemos ter um bom relacionamento com nossos familiares, humanamente falando, mas também lutar a fim de pregar o evangelho para eles e convencê-los da necessidade de receber a remissão de pecados. Os membros de nossa família que ainda não receberam a remissão de pecados são contra nós até mesmo no que diz respeito a virmos para a igreja. Por causa disso, precisamos lutar corajosamente contra eles porque só assim eles receberão a remissão de pecados.
 
 
Nosso Senhor Veio a Esse Mundo para Guerrear, e é Por Isso que Ele Quer que Lutemos Também
 
Nós não queremos ter paz com todos. É claro que não temos que brigar por causa de coisas fúteis. Porém, o que está bem claro para nós? É que a guerra espiritual obviamente deve continuar. Devemos travar uma guerra espiritual contra aqueles que não nasceram de novo e fazê-los receber a remissão de pecados. No entanto, se eles continuarem a rejeitar a remissão de pecados até o fim, devemos lutar contra eles para que não interfiram em nossa vida espiritual. Isso significa que devemos dizer claramente: “Já que você faz o que quer, me deixe então fazer o que eu quiser”.
Você quer ter um bom relacionamento com sua sogra que não recebeu a remissão dos pecados? Você quer ter um bom relacionamento com seu marido que não nasceu de novo, mesmo que você tenha recebido a remissão de pecados? Não é a vontade de Deus que essas duas pessoas tenham um bom relacionamento? Então você tem que falar do evangelho para seu marido e convencê-lo que ele precisa receber a remissão de pecados. É com isso que Deus se agrada, e é isso que ele deseja de nós.
No passado em Seul havia um chefe de manutenção de um grande complexo de apartamentos chamado Apartamentos Hanbo. Sua esposa foi salva, embora ele não. A irmã vivia em paz com o marido e não contendia com ele. Aos domingos ela ia com seus filhos onde quer que seu marido quisesse e passava o dia todo com sua família. Ela não vinha à igreja, mas se esforçava para manter um bom relacionamento com seu marido. Um dia ela pensou: “Se eu continuar agindo assim meu marido irá para Igreja de Deus comigo quando eu pedir”. Ela vivia em harmonia com seu marido por causa disso. As pessoas na igreja costumavam dizer para ela: “Irmã, você não deve ser assim. Ao invés de passar o domingo com sua família, você deve vir à igreja; faça isso em outro dia. Por favor, sempre que tiver culto venha à igreja”. Mas essa irmã não deu ouvidos ao conselho. Ela dizia: “Estou fazendo isso para salvar meu marido, então não me fale essas coisas”, e fazia tudo que podia para manter a harmonia entre ela e seu marido. Essa irmã não deu ouvidos ao conselho dado na Igreja e continuou seguindo seu próprio caminho.
No entanto, quais foram as consequências? Um dia a irmã chamou o pastor da igreja. Ela disse: “Estou arrasada”. O pastor perguntou: “O que houve?” No domingo ela voltou para casa com seu marido e filhos. Depois de uma boa noite de sono, ela preparou o café da manhã bem cedo e foi acordar seu marido. Mas só que ele já estava morto. Ele morreu de ataque cardíaco. Seu marido se chamava Wonsoo Lee. Ele era homônimo de um ‘inimigo’ na Coreia. Como seu nome sugeria, ele realmente se tornou um inimigo daquela irmã e ela provavelmente pensou: “Ele poderia pelo menos ter recebido a remissão de pecados, já que ia morrer logo”.
Embora seus filhos ainda não tivessem recebido a remissão de pecados, a família decidiu fazer o funeral segundo o ritual da igreja. Então as pessoas da igreja se reuniram ao redor do corpo e louvaram: “♩Nos encontraremos cruzando o rio Jordão.♬” Esse é o hino que as pessoas devem cantar em um funeral, independentemente se recebeu ou não a remissão dos pecados. Contudo, quando os santos cantaram “♬No doce porvir, ♪nos encontraremos em suas belas margens,” ela não pôde dizer nada e somente balançou a cabeça. Ela não pode encontrar com seu marido mesmo que ela vá para lá, pois ele morreu sem receber a remissão de pecados. Todos os santos da igreja de Deus foram e cuidaram de todos os procedimentos do funeral e do culto. Porém, ela não tinha nada a dizer. O que ela diria? Ele era o chefe da manutenção de um grande complexo de apartamentos, mas era um inimigo de Deus e também de sua esposa, pois morreu sem receber a remissão de pecados, apesar de sua esposa ter vivido em paz com ele a fim de trazê-lo para a Igreja de Deus.
Qual foi o problema daquela irmã? Foi que ela não lutou quando tinha que lutar. A esposa deve ajudar seu marido a receber a remissão de pecados se ela realmente o ama. Mesmo se abrir mão de tudo o mais e fazer o bem ao seu marido, ela deve pelo menos ter certeza que ele recebeu a remissão de pecados. E mais, deve fazer com que os filhos venham para a igreja também, tenham uma vida de fé e recebam a remissão de pecados. Os mesmo vale para sua sogra, seu sogro, ou qualquer outro parente seu. Você não deve ceder a tudo que eles querem, mas deve testemunhar esse evangelho e se assegurar que eles receberam a remissão de pecados.
O que devemos fazer é travar a guerra espiritual. Nós devemos continuamente travar essa guerra até o dia em que o Senhor voltar. Nós teremos muito do que nos arrepender e lamentar se não lutarmos agora. E nós sempre viveremos com remorso pensando: “Eu deveria ter lutado! Eu devia ter falado com ele naquela época!” Portanto, devemos escolher muito bem entre ter paz e travar uma guerra quando nos encontrarmos alguém.
É claro que não precisamos lutar com aqueles que são teimosos em receber o evangelho. Contudo, devemos pregar o evangelho pelo menos uma vez àquele com quem ainda não falamos. Devemos testemunhar do evangelho quando tivermos oportunidade, porque não sabemos se as pessoas irão recebê-lo ou não. Do contrário, certamente iremos lamentar se não o fizermos, e pensaremos: “Por que eu não falei com ele? Agora vai ser difícil vê-lo de novo. Por que eu não falei com ele aquela hora, independente se ele fosse aceitar ou não ou que eu iria dizer?” Às vezes desagradamos as pessoas porque jogamos o evangelho goela abaixo sem antes preparar o coração delas. No entanto, precisamos testemunhar o evangelho da maneira que pudermos. Isso significa que devemos continuar travando uma guerra espiritual contra aqueles que ainda não receberam a remissão de pecados.
 
 
No Fundo, Nós Queremos Ter Paz Com os Outros?
 
No fundo, o coração do homem deseja ter paz com os outros. O coração das pessoas deseja a paz. Quando vemos alguém que não age como ser humano, alguém que parece querer nos prejudicar, nós pensamos: “Eu nunca mais serei prejudicado por ele. Então preciso apenas manter um bom relacionamento com ele”. No entanto, você e eu devemos travar uma guerra espiritual contra essa pessoa se realmente a amamos. Devemos testemunhar o evangelho do Senhor para aqueles que ainda não receberam a remissão de pecados.
O apóstolo Paulo disse: “Pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo”. Ele nos disse para pregar o evangelho a tempo ou fora de tempo. Nos arrependeremos se perdermos a oportunidade depois que o tempo passar. A Palavra de hoje diz que os membros de uma família lutarão uns com os outros. Isso significa que dois ficarão contra três, e três ficarão contra dois, que a sogra ficará contra a nora, o filho, contra o pai e a mãe, contra a filha.
Por que brigamos? Fazemos isso porque gostamos? Não, não é isso. O único motivo de fazermos guerra é o evangelho. Nós lutamos para ajudar aqueles que são escravos do diabo e não receberam a remissão de pecados a recebê-la, assim como a verdadeira paz.
Devemos entender bem a vontade de Deus que travemos uma guerra através do texto bíblico deste capítulo. E devemos continuar a fazer essas obras como pregar o evangelho para as pessoas, ajudá-las a receber a remissão dos pecados e guiá-las segundo a vontade de Deus. Nós já recebemos a remissão de pecados. Assim como disse o Senhor, nós devemos pregar o evangelho no mundo todo. Devemos travar uma luta espiritual. Por quanto tempo devemos lutar essa guerra? Devemos continuar lutando essa guerra espiritual até as nações se tornarem discípulas de Jesus Cristo, até as nações receberem o batismo no nome do Pai, Filho e Espírito Santo, e até o dia que o Senhor voltar. Deus não se agrada quando nós simplesmente ficamos de braços cruzados e não nos alistamos na guerra espiritual. A obra da qual Deus se agrada é aquela que envolve a guerra espiritual. Ele só se agrada quando lutamos guerras espirituais, e ele nos dá forças somente quando lutamos; ele trabalha conosco, nos ajuda e só nos abençoa quando lutamos. Portanto, você e eu temos que lutar.
Na verdade, aqueles que não nasceram de novo sutilmente mostram seu descontentamento e se viram contra os nascidos de novo. Devemos lutar contra aqueles que ainda não nasceram de novo. Devemos ajudá-los a receber a remissão dos pecados. Devemos lutar a guerra espiritual. Não devemos viver em harmonia com aqueles que não nasceram de novo. Lembre-se disso: aquele que nasceu de novo não deve ter paz com aquele que não nasceu de novo.
Devemos lutar contra muitas pessoas. Quantas pessoas há em nossa vizinhança que ainda não receberam a remissão de pecados? Talvez, humanamente falando, elas de fato queiram a paz. No entanto, devemos lutar contra elas e dizer-lhes: “Você tem pecado? Você crê em Jesus? Você realmente nasceu de novo? Você conhece o evangelho da água e do Espírito? O que é o evangelho da água e do Espírito? Me dê um testemunho de seu novo nascimento já que você diz que nasceu de novo. O que a Bíblia diz sobre isso?” Devemos lutar contra as pessoas, despertá-las e fazê-las receber a remissão de pecados.
É claro que você e eu devemos lutar contra todas as pessoas do mundo. E isso não é a nossa vontade, mas é a vontade do Deus Todo-Poderoso. A luta da qual estamos falando não é aquela de sair batendo em todo mundo como as pessoas do mundo fazem. A guerra espiritual é testemunhar “como Jesus Cristo nos ama tanto e como ele apagou todos os nossos pecados”. Devemos travar a guerra de salvar almas. Devemos pregar o evangelho.
O quanto você tem lutado então? Nesse momento você está travando uma guerra ou está apenas vivendo em paz e harmonia com os membros de sua família que não receberam a remissão de pecados, achando que está tudo muito bem assim?
Só porque queremos a paz pode simplesmente existir? Não, não é assim que acontece. Você nunca terá paz assim. Mesmo que pareça que haja paz, mais lutas carnais acontecerão. Portanto, ao invés de lutar fisicamente, se aliste na guerra espiritual e pregue o evangelho. Prepare o coração de alguém e plante o evangelho nesse coração. Diga-lhe detalhadamente a Palavra como você ouviu. Diga-lhe como está seu coração e como Jesus o salvou. Diga-lhe o que é a lei, o pecado e o juízo. Todas as pessoas do mundo devem receber de Deus a remissão de pecados. Além disso, devemos saber que a guerra espiritual contra os pecadores é o único modo de alcançarmos a paz e a harmonia com eles, e também o único modo de fazê-los receber a remissão de pecados.
Até que ponto você e eu temos lutado essa guerra? Até onde compreendemos que essa luta é da vontade de Deus? Você já pensou dessa forma: ‘Deus quer que tenhamos paz com todos. Então é melhor termos um relacionamento amigável com quem não nasceu de novo’. Não devemos ser orgulhosos nem presunçosos perto daqueles que nasceram de novo, nem diante dos que não nasceram de novo. Devemos ser corajosos quando testemunharmos o evangelho para as pessoas que não nasceram de novo. Devemos preparar o coração delas, pregar o evangelho para que elas entendam que somos mais espirituais que elas e recebamos o evangelho da verdade.
Devemos lutar. Se não vivermos como nascidos de novo, de quem as pessoas ouvirão falar do evangelho? O único modo de elas ouvirem o evangelho é através de nós. Elas só podem ouvir o evangelho e receber a remissão de pecados através dos justos. Pense nisso. Como elas ouvirão o evangelho se você fechar a boca e não lutar a guerra espiritual? Através de quem elas ouvirão a verdade que Jesus apagou todos os seus pecados?
É por isso que devemos lutar a guerra espiritual. Devemos lutar essa guerra se realmente as amamos. Se não encontrarmos ninguém próximo a nós, devemos sair e procurar aqueles que não nasceram de novo e lutar essa guerra. Vivemos nesse mundo como aqueles que não nasceram de novo. Contudo, não devemos ser como eles.
A Palavra de Deus diz que o povo de Israel jamais poderia viver junto aos gentios. Mesmo se um judeu se relacionasse com alguma mulher negra e uma criança nascesse, os judeus consideravam essa criança judia se o DNA dela fosse judeu. Independe da sua cor, eles o consideravam seu irmão e o tratavam como se fosse um judeu, com os mesmos privilégios do povo escolhido. E essa posição dos judeus como povo escolhido é algo realmente fantástico. Eles tinham plena consciência de que eram o povo escolhido e diziam: “Eu faço parte do povo de Deus. Eu sou filho de Deus. Vocês são filhos do diabo”. Eles tinham muita fé em Deus.
Conosco acontece o mesmo. Espiritualmente nós também somos o verdadeiro povo de Israel. No entanto, devemos nos portar devidamente diante daqueles que não nasceram de novo. Não devemos nos sentir inferiorizados diante daquele que não nasceu de novo, não importa o quanto ele seja importante. Pelo contrário, devemos falar claramente aquilo que queremos falar para ele. Nós que nascemos de novo não podemos ser iguais a esses pecadores. Devemos ter a consciência do povo escolhido que diz: “Eu sou de Deus”. Devemos ter uma fé clara.
Vocês fazem parte do povo de Deus ou não? Todos vocês são povo de Deus. E vocês devem travar a guerra espiritual se realmente fazem parte do povo de Deus que recebeu a remissão de pecados. Essa é a nítida vontade de Deus para nós. Vocês podem até pensar: “Vamos apenas viver em paz. Que guerra devemos a cada dia? Porque precisamos lutar contra aqueles que só estão vivendo sua vidas sem nos incomodar? Eu sou Hitler para guerrear?” Esse modo de pensar está errado. Nós não lutamos a guerra espiritual com armas. Eu estou sempre em guerra, embora pareça que estou apenas sentado aqui assim.
Na verdade, aqueles que nasceram de novo estão sempre em guerra espiritual. Às vezes você pensa em ficar contra Deus, e pensamentos vãos surgem em sua mente. Nessas horas você deve lutar a guerra espiritual, declarando: “Jesus Cristo me protege. Eu faço parte do seu povo”. Se você não fizer isso, esses pensamentos continuarão a atacá-lo. Então só temos nossa fé para lutar e vencer o mal. Todos esses pensamentos sombrios e preocupações desaparecem quando temos a fé certa em Deus. No entanto, algum mal sempre nos ataca quando não temos fé. Ele ataca cada um de vocês. Essa é a guerra espiritual invisível. É assim que continuamos lutando a guerra espiritual que não vemos e a que vemos também.
Pense nisso. Como são miseráveis aqueles que ainda não receberam a remissão de pecados. Porém, devemos pregar o evangelho para todos eles. Devemos pôr anúncios, publicar e distribuir jornais evangélicos, promover encontros de avivamento, convidar pregadores, dar apoio aos cultos e participar deles também, e assim derrotar o diabo. Essa é a guerra espiritual que podemos ver com nossos olhos. Devemos continuar a lutar a guerra espiritual. A guerra espiritual é uma tarefa que nós que nascemos de novo devemos fazer.
Quando falhamos nisso, em pouco tempo nos tornamos escravos do diabo. Satanás toma aqueles que não foram fiéis em cumprir sua tarefa e os oprime. Ele os mata quando eles agem assim. Você precisa fazer sua escolha, se tornar um servo de Deus ou servo de Satanás. Não há meio termo. Precisamos fazer nossa escolha. Se não quisermos ser guiados por Deus, então seremos guiados pelo diabo. E se não quisermos ser guiados pelo diabo, então devemos ser guiados por Deus, desfrutar da paz e receber suas bênçãos.
Eu vou dizer mais uma vez: devemos continuar cumprindo nossa tarefa original como aqueles que nasceram de novo. Se deixarmos essa tarefa de lado, logo começaremos a passar por lutas. Então, lute contra Satanás. Salve as almas. Testemunhe o evangelho para elas. Jesus deseja que lutemos essa guerra. Nós agora estamos lutando várias guerras segundo a vontade de Deus. Faremos a obra de Deus até cairmos de tanta exaustão. Não importa com quem falaremos, onde falaremos, e de que maneira falaremos, seja ao telefone ou pessoalmente pregando o evangelho, seja recebendo notícias dos missionários de outros países, seja orando pelas almas ou expulsando Satanás do seu coração, temos que continuar travando essa guerra espiritual.
A nossa própria vida já não é uma guerra espiritual? Você está errado se pensa em dar um tempo de sua guerra espiritual. Até o dia de estarmos diante de Deus, é nossa tarefa lutar essa guerra. Devemos entender que essa tarefa é o nosso chamado. Devemos saber que somos os guerreiros de Cristo. E se somos guerreiros, devemos sempre lutar e vencer a batalha. Quero que você saiba que é seu destino viver em guerra.
Você fica pensando: “Eu não gosto de guerra porque sou um pacifista”? Quem não é pacifista? Porém, qual é a nossa realidade? Mesmo que a paz não venha, ela virá depois da guerra espiritual; a paz nunca virá se não entrarmos em guerra. Nós estamos aqui neste mundo para lutar a guerra espiritual. Existimos para lutar a guerra espiritual. Há alguém aqui que ainda não gosta de lutar a guerra espiritual? Eu quero que você hoje saiba o profundo significado e os benefícios dessa guerra.
Nós nos sentimos bem quando vencemos essa batalha. Você não sente o mesmo? Eu me sinto ótimo quando venço uma batalha. Como nossa vida seria chata se não lutássemos a cada dia e não houvesse nada para ganhar ou perder. Ache e lute com alguém que você possa tirar deste mundo chato e vença-o. Você se sentirá muito bem mesmo. Vamos viver a cada dia sentindo esse prazer.
É difícil pregar o evangelho para algumas pessoas? Então procure alguém mais fácil para pregar e dar testemunho do evangelho para ele. Faça isso e lembre-se de toda Palavra que ouviu na igreja quando o evangelho foi pregado. Eu quero que você analise a Palavra de Deus com alguém que não seja tão difícil, tanto carnal como espiritualmente. Entre os alunos de nossa escola missionária há alguns irmãos que acharam pesado o fardo de pregar o evangelho porque lutaram contra adultos no começo. Então eles pregaram o evangelho para os alunos do primário. E após se sentirem mais confiantes, eles puderam pregar o evangelho também para os adultos.
Que tipo de guerreiros seremos se não soubermos como lutar? Você conhece a ave que não sabe voar? Um avestruz pode correr 80 km por hora, mas não pode voar. Eles perderam a habilidade de voar porque não usaram suas asas por muito tempo. Nossa fé é assim também. Perderemos nossa fé se não a usarmos em toda guerra espiritual. Nós somos os guerreiros de Cristo. O Senhor nos disse para lutarmos a guerra. Na verdade, eu gosto de lutar essa guerra. E para mim é particularmente mais divertido lutar contra os estrangeiros.
Devemos conhecer bem a vontade de Deus. Nosso Senhor quer que lutemos a guerra espiritual. Algum dia venceremos essa guerra se crermos em Deus e conhecermos sua vontade. Nós lutamos, testemunhamos o evangelho e salvamos almas. Embora queiramos paz, eu quero que você viva com um novo coração que crê que é correto lutar na guerra espiritual, já que agora entendemos o desejo do coração do Senhor.