Sermões

Assunto 21: O Evangelho segundo MARCOS

[Capítulo 12-1] (Marcos 12:18-27) Jesus Ressurreto é o Deus de Todos que Receberam a Remissão de Pecados

(Marcos 12:18-27)
“Então os saduceus, que dizem que não há ressurreição, aproximaram-se dele, e perguntaram-lhe, dizendo: ‘Mestre, Moisés nos escreveu que, se morresse o irmão de alguém, e deixasse a mulher e não deixasse filhos, seu irmão tomasse a mulher dele, e suscitasse descendência a seu irmão. Ora, havia sete irmãos, e o primeiro tomou a mulher, e morreu sem deixar descendência; E o segundo também a tomou e morreu, e nem este deixou descendência; e o terceiro da mesma maneira. E tomaram-na os sete, sem, contudo, terem deixado descendência. Finalmente, depois de todos, morreu também a mulher. Na ressurreição, pois, quando ressuscitarem, de qual destes será a mulher? porque os sete a tiveram por mulher.’ E Jesus, respondendo, disse-lhes: ‘Porventura não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus? Porquanto, quando ressuscitarem dentre os mortos, nem casarão, nem se darão em casamento, mas serão como os anjos que estão nos céus. E, acerca dos mortos que houverem de ressuscitar, não tendes lido no livro de Moisés como Deus lhe falou na sarça, dizendo: ‘Eu sou o Deus de Abraão, e o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó’? Ora, Deus não é de mortos, mas sim, é Deus de vivos. Por isso vós errais muito’”.
 
 
Que Deus é o Nosso Senhor?
 
Sejam todos bem-vindos! Hoje é domingo de Páscoa. E nós celebramos neste dia a ressurreição de Jesus.
Por crermos na justiça de Jesus, nós não temos dúvida alguma da sua ressurreição. Nosso Senhor ressuscitou mesmo dos mortos. No entanto, tem gente que duvida da ressurreição de Jesus, dizendo em sua mente carnal que não entendem como pode alguém que morreu voltar à vida. Outros até que creem na ressurreição de Jesus, mas não creem que haverá a ressurreição dos santos.
Hoje, no domingo de Páscoa, alguns se alegram e outros se entristecem. Isso porque aqueles que receberam a remissão de pecados aceitando o Senhor pela fé ressuscitarão e viverão com ele para sempre quando ele voltar a essa terra, enquanto que os pecadores só tomarão parte da segunda ressurreição e serão lançados no terrível fogo do inferno por toda eternidade.
Não somos nós apenas que estamos celebrando nessa manhã a ressurreição de Jesus, pois eu tenho certeza que este é um dia especial para as igrejas do mundo também. Mas embora inúmeras igrejas ao redor do mundo celebrem a Páscoa, eu tenho certeza que muitos pastores dirão somente algumas palavras sobre a ressurreição de Jesus e pregarão mais sobre um tema social. Há muitos ativistas sociais nas igrejas cristãs da Coreia. Muitos deles estão engajados em uma ou outra campanha social, que vai de aquecer a economia a enviar alimentos para a Coreia do Norte, onde muitas pessoas estão morrendo de fome.
Só que, na verdade, essas campanhas sociais não tem nada a ver com a fé na ressurreição de Jesus. O domingo de Páscoa é uma oportunidade que temos de meditar sobre a nossa fé. Nós temos que examinar a nós mesmos com todo o cuidado para ver que tipo de fé temos e se nossa relação com Deus está correta ou não.
Nosso Senhor diz no texto bíblico deste capítulo: “Ora, Deus não é de mortos, mas sim, é Deus de vivos” (Marcos 12:17). E também diz: “Eu sou o Deus de Abraão, e o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó” (Marcos 12:26). O que o Senhor quis dizer exatamente quando falou que Deus não é Deus de mortos, mas Deus de vivos? O Senhor disse claramente aqui que ele é Deus de vivos; mas quem são os vivos?
Para Deus, “os vivos” são os que receberam a remissão de pecados crendo na justiça do Senhor e, por isso, tomarão parte na sua primeira ressurreição. O Senhor cumpriu o evangelho da salvação com a água e seu sangue, e todos que creem neste evangelho foram libertos de todos os seus pecados e trazidos de volta à vida. E era nestes que o Senhor estava pensando quando falou dos “vivos”. Em outras palavras, o Senhor é o Deus dos que receberam a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito. E assim como Deus é o Deus de Abraão e do Deus de Isaque, ele agora é o Deus de todos que receberam a remissão de pecados crendo na sua justiça. Em suma, nosso Senhor é o Deus daqueles que herdaram essa verdadeira fé.
Deus é mesmo o Deus de todos que creem no evangelho da água e do Espírito. Nosso Senhor é o Deus de todos que receberam a remissão de pecados pela fé no evangelho da água e do Espírito. Ele não é Deus de mortos. Ele é o único Deus dos vivos. Nós recebemos a remissão de pecados e somos feitos filhos de Deus crendo no evangelho da justiça; e Deus é o Deus de todos que creem neste verdadeiro evangelho.
Jesus Cristo é mesmo nosso Deus e Salvador, e nós fomos libertos de todos os nossos pecados e trazidos de volta à vida crendo nele. Jesus Cristo é o Deus vivo e eterno. E já que ele é este Deus, todo aquele que crê no evangelho da água e do Espírito pode ser salvo de um modo perfeito. E todos que forem salvos pela fé serão sempre filhos de Deus.
Já que Deus é o Deus de todos que creem no evangelho da água e do Espírito, ele sempre se revela a nós e nos guia pela sua Palavra. E já que nos lembramos neste domingo de Páscoa que Deus é Deus de vivos, temos que examinar a nós mesmos para ver se este Deus está mesmo vivo em nosso coração. Em outras palavras, devemos ter no coração a fé que crê que Jesus Cristo ressuscitou dos mortos, ascendeu aos céus e agora vive como o Deus vivo e eterno. Eu tenho certeza que a nossa vida espiritual será uma bênção se nós hoje, no domingo de Páscoa, confirmarmos nossa fé nisso.
Amados irmãos, nós recebemos a remissão de pecados de uma vez por todas crendo na justiça do Senhor. Nossa alma que estava morta foi trazida de volta à vida. O Deus que cremos não é um deus morto, mas o Deus vivo e eterno. Por essa razão, nosso Deus sempre será o Deus dos que receberam a remissão de pecados, alcançaram a salvação e foram trazidos de volta à vida pelo evangelho da água e do Espírito. O Senhor é o Deus de todo aquele que crê no seu batismo e no seu sangue.
Nosso Senhor começou sua vida pública na terra aos 30 anos. Para salvar toda a humanidade, que estava condenada a morrer por causa dos seus pecados, ele realizou a obra da salvação que livrou todos os condenados da morte certa. Como o Senhor fez isso? Ao completar 30 anos, nosso Senhor foi ao encontro de João Batista, o representante da humanidade. Deus prometeu no Antigo Testamento, no livro de Malaquias, que enviaria Elias; e a Bíblia diz que a profecia sobre aquele que viria no espírito e virtude de Elias dizia respeito a João Batista (Malaquias 4:5; Lucas 1:17). Jesus então foi batizado por João Batista no rio Jordão para tirar todos os pecados do homem. Jesus foi batizado segundo a vontade de Deus. Na verdade, foi em obediência à vontade de Deus que Jesus veio a essa terra como o Salvador do homem, foi batizado por João Batista e morreu na cruz. Foi segundo o plano de Deus para salvar o homem que seu Filho foi batizado por João Batista e morreu crucificado; Cristo realizou a obra da salvação em obediência à vontade do Pai.
 
 
“Derribai este Templo, e em Três Dias o Levantarei” (João 2:19)
 
Muitas pessoas nos dias de Jesus não entenderam o que ele disse porque eram espiritualmente ignorantes. Por exemplo, quando ele disse ao povo de Israel que destruiria o templo de Jerusalém e o levantaria em três dias, eles ficaram indignados ao ouvir isso porque pensavam que Jesus estava louco e faria isso literalmente. Afinal de contas, o templo levou mais de 40 anos para ser construído. Mas quando Jesus citou o templo, ele na verdade estava falando do seu próprio corpo. Era isso o que ele estava dizendo: “Quando vocês matarem meu corpo, eu o ressuscitarei dos mortos”. Ao falar da destruição e reconstrução do templo, Jesus estava falando da sua morte e ressurreição.
Jesus foi batizado por João Batista para cumprir a justiça de Deus. E ele levou todos os nossos pecados sobre si quando morreu crucificado. Ao ser batizado no rio Jordão, Jesus tirou os pecados da humanidade de uma vez por todas; e ao morrer na cruz e ressuscitar dos mortos, ele salvou a nós e a todos que creem nessa verdade dos seus pecados de uma vez por todas.
Todos nascem com uma natureza carnal. É por isso que todos sofrem. O coração de alguém sofre realmente quando ele pensa nos seus pecados e na morte certa. E é justamente por causa disso que todos vivem tristes, pois todos nascem neste mundo com uma carne fraca e pecaminosa. Não podemos nos livrar da nossa carne, pois somos apenas humanos. O homem se preocupa tanto com sua sobrevivência porque não pode se livrar do pecado; e é por causa do pecado também que ele não consegue satisfazer seu corpo e seu coração a vida inteira.
Por essa razão, é impossível nos livrarmos totalmente do pecado enquanto vivemos neste mundo. Enquanto o homem tiver um corpo carnal, ele sempre será fraco e cheios de falhas, e pecará para o resto de sua vida. Essa é a grande tragédia da humanidade. E foi por causa disso que nosso Senhor veio a este mundo, para livrar de todos os seus pecados seres miseráveis como nós. Através do batismo que recebeu no rio Jordão, o Senhor levou os pecados que já cometemos e que cometeremos neste mundo até o dia da nossa morte. Ele foi condenado pelos nossos pecados em nosso lugar derramando seu sangue até morrer na cruz. Mas depois ressuscitou dos mortos. Jesus foi batizado por João Batista para tirar nossos pecados de uma vez por todas. O próprio fato de o Senhor, que não tinha pecado algum, ter sido batizado por João Batista para apagar todos os pecados deste mundo é a prova de que ele recebeu todos eles de uma vez por todas. Ao ser batizado por João Batista, Jesus em pessoa recebeu todos os nossos pecados sobre seu corpo e purificou todos eles.
O que purifica todos os pecados deste mundo? A água espiritual. O fogo não pode limpar a sujeira do esgoto por mais forte e ardente que seja. Ele pode até queimar alguma sujeira, mas não pode limpá-la totalmente sem destruir pelo menos parte do esgoto. Do mesmo modo, a água espiritual do Senhor para purificar os pecados imundos do homem. O Senhor Jesus foi batizado justamente por isso, para tirar os pecados de todos que creem nele e purificá-los. Foi por isso também que ele morreu crucificado e ressuscitou ao terceiro dia.
Do mesmo modo, o evangelho da água e do Espírito é imprescindível para purificar todos os pecados imundos do homem. Jesus foi batizado justamente por causa disso, para tirar todos os pecados dos que creem em Jesus e purificá-los. Por isso que ele morreu crucificado e ressuscitou ao terceiro dia.
 
 
Por Que Jesus Ressuscitou dos Mortos?
 
Por que Jesus ressuscitou dos mortos? Por que ele foi batizado por João Batista? Por que ele teve que morrer na cruz? E por que Jesus teve que nascer nessa terra? Embora sejam muitas as perguntas, só há uma resposta. O Senhor fez tudo isso para salvar nossa alma, porque estávamos condenados a morrer por causa dos nossos pecados. Ele teve que vir a essa terra para salvar a nós, que estávamos destinados a morrer por causa dos nossos pecados. Por isso ele foi batizado por João Batista, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos.
Jesus levou todos os nossos pecados com seu batismo. E como resultado, sua morte se tornou nossa morte, assim como sua ressurreição, a nossa ressurreição. Mas por quê? Porque Jesus veio a essa terra nos salvar dos pecados do mundo e da morte certa. Foi para nos livrar de todos os nossos pecados e da morte que Jesus veio a essa terra; e foi justamente por isso que ele foi batizado por João Batista, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos ao terceiro dia. A encarnação do Senhor, seus 33 anos de vida nessa terra, seu batismo e sua crucificação foi para nos livrar dos pecados do mundo. E ele ressuscitou dos mortos para garantir a nossa salvação. Nosso Senhor ressuscitou dos mortos para nos trazer de volta à vida também. Foi para nos salvar da morte e nos dar uma nova vida que o Senhor ressuscitou. O alvo do ministério da salvação do Senhor nessa terra era livrar nossa alma que estava condenada a perecer por causa dos nossos pecados. Mas se Jesus tivesse concluído seu ministério apenas com seu batismo e sua morte na cruz, nossa vida também teria acabado com sua morte. Se Jesus não tivesse ressuscitado dos mortos, não haveria nenhuma esperança para nós. Só que ele ressuscitou mesmo dos mortos, e através da sua ressurreição ele trouxe a verdadeira salvação a todos nós que cremos no evangelho da água e do Espírito, nos deu uma nova vida e salvou nossa alma para sempre.
Jesus prometeu que ressuscitaria quando disse: “Derribai este templo, e em três dias o levantarei” (João 2:19). A morte de Jesus e sua ressurreição nos trouxeram de volta à vida. E foi justamente por isso que ele foi batizado por João Batista e morreu crucificado. Foram os judeus e principais sacerdotes que entregaram Jesus para os soldados romanos. Os soldados pregaram então seus pés e suas mãos com cravos enormes, o que rompeu suas artérias e o fez derramar todo o sangue do seu coração até morrer.
Ao pressentir sua morte, Jesus clamou em alta voz: “Eloí, Eloí, lamá sabactáni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Marcos 15:34). A dor que Jesus sentiu foi indescritível. Do meio dia às três da tarde, toda a terra ficou em trevas. Isso significa que Deus virou as costas para seu Filho e disse: “Sua morte é para o bem de todos neste mundo, porque você levou todos os seus pecados quando foi batizado por João Batista. É você que deve morrer agora. Apesar de ser meu Filho, você tem que morrer porque recebeu todos os pecados do mundo sobre seu corpo ao ser batizado. Eu não posso te ajudar então”. Quando Deus virou o rosto para seu Filho, houve trevas por três horas sobre o Calvário, o local onde Jesus foi executado e que também se chamava Lugar de Caveira.
Antes de dar seu último suspiro na cruz, Jesus clamou: “Está consumado!” (João 19:30; Marcos 15:37), e então morreu. Ele morreu numa sexta-feira, por volta das três da tarde. Naquela noite começaria o sábado em Israel. O sábado ia do pôr do sol de sexta-feira ao pôr do sol de sábado. E já que os judeus davam muita importância à observância do sábado, ele não poderia ser santificado se o corpo de Jesus ficasse na cruz. Segundo o judaísmo, o povo de Israel não podia fazer nada no sábado nem violá-lo de maneira alguma. Então, foi preciso tirar o corpo de Jesus da cruz o mais rápido possível, antes que o sábado começasse.
Jesus foi tirado da cruz e sepultado numa tumba. Seu corpo foi sepultado antes do pôr do sol de sexta-feira, e ele ressuscitou na manhã de domingo. Jesus ressuscitou dentre os mortos em três dias, como havia prometido.
Maria Madalena foi a primeira testemunha da ressurreição do Senhor. Quando ela chegou à sepultura de Jesus era tão cedo que ainda estava escuro. Mesmo assim ela viu que a pedra que tapava a tumba havia sido retirada e ela estava aberta. Ela ficou tão surpresa que não sabia o que fazer, mas foi corajosa e olhou dentro do túmulo. Dentro dele, Maria viu que o tecido que cobriu o corpo de Jesus estava dobrado onde ele havia sido colocado. Ela também viu dois anjos de branco onde estava o corpo de Jesus, um de cada lado. Eles então lhe perguntaram: “Mulher, por que choras?” Maria então começou a chorar mais ainda e disse: “Levaram o corpo do meu Senhor e eu não sei onde o puseram”.
Mas quando ela disse isso, ela se voltou e viu Jesus ali, embora não tenha reconhecido que era ele. Jesus lhe disse então: “Mulher, por que choras? A quem tu procuras?” Maria então, achando que era o jardineiro, lhe disse: “Senhor, se tu o levaste, diga-me onde o puseste que eu irei buscá-lo”. E Jesus lhe disse: “Maria!” No que ela respondeu: “Raboni!” (Que quer dizer: Mestre). Jesus lhe disse então: “Não me toques agora, pois ainda não fui para o meu Pai. Vá aos meus irmãos e diga a eles: “Eu vou para o Pai vosso Pai, vou para Deus vosso Deus” (João 20:14-17).
Ao ouvir isso, Maria deixou a tumba abalada e com medo. Ela foi até os discípulos e disse a eles que tinha visto o Senhor e tudo que ele lhe havia dito. Ela disse a eles: “Aconteceu algo extraordinário! Jesus ressuscitou dos mortos. Eu acabei de chegar da tumba e o vi com meus próprios olhos; ele está vivo! E ele disse que iria para o Pai”. Ao ouvir isso, Pedro correu para a tumba, pois queria ver com seus próprios olhos. Quando ele chegou à tumba e entrou, ele viu o tecido que havia sido posto sobre o corpo de Jesus todo enrolado e colocado à parte, como Maria havia dito.
Todos os discípulos de Jesus creram na sua ressurreição, exceto Tomé. Tomé disse a eles: “Eu não creio que Jesus ressuscitou dos mortos. Eu não vi o Senhor ressuscitado; então, parem de dizer bobagens. Eu só vou crer se vê-lo com meus próprios olhos”.
E quando os discípulos estavam trancados numa casa com medo, Jesus apareceu entre eles e disse: “Vocês ainda não têm fé?”
O Senhor então parou em frente a Tomé e disse: “Tomé, você disse que não acreditaria se não me visse. Bom, eis me aqui. Seu Senhor está aqui. Olha para os cravos em minhas mãos. E se você ainda assim duvida, veja onde fui estocado e ponha a mão aqui do lado”. E só depois de pôr a mão do lado de Jesus foi que Tomé finalmente creu que o Senhor havia ressuscitado dos mortos.
Nosso Senhor lhe disse então: “Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram” (João 20:29).
Jesus ressuscitou dos mortos. Ele voltou à vida. E ao ressuscitar dos mortos, ele se tornou não apenas o Salvador dos seus discípulos, mas o seu e o meu também. Ao ressuscitar dos mortos, nosso Senhor deu testemunho da ressurreição aos seus discípulos. Ao vir a este mundo como nosso Salvador para salvar a humanidade, o próprio Deus tirou todos os nossos pecados ao ser batizado, morreu crucificado levando todos estes pecados e ressuscitou dos mortos. E ao fazer isso, Deus se tornou o Deus dos vivos – ou seja, de todos que creem no Deus vivo e na sua Palavra. Nossa alma estava morta por causa dos nossos pecados, mas Jesus Cristo nos trouxe de volta à vida. Jesus é o Deus de todos que possuem essa fé viva nele como seu Salvador e na obra da salvação que ele realizou. Ele é o Senhor dos que creem em Deus e na sua Palavra.
Nosso Senhor não apenas apagou todos os nossos pecados quando veio a essa terra, mas também ressuscitou dos mortos. E como Jesus está vivo agora, ele é o Deus eterno de todos que creem na sua justiça. O Senhor já salvou a todos nós quando foi batizado, sofreu a dor da crucificação e ressuscitou dentre os mortos. Ele suportou o ódio da humanidade durante seus 33 anos de vida nessa terra; ele sofreu assim por mim e por você, pelo bem de todo ser humano neste mundo. E já que o Senhor é o Deus da ressurreição, ele jamais dorme. Ele foi batizado por João Batista e morreu crucificado para apagar nossos pecados; mas sua morte foi apenas momentânea. Foi para apagar os seus e os meus pecados que o Senhor foi batizado.
 
  
O Senhor Ressuscitou dos Mortos
 
Já que Jesus ressuscitou dos mortos, ele está assentado agora à direita do trono de Deus. E como Criador e Juiz de toda a raça humana, ele julgará todos os ímpios no último dia. Mas a todos os crentes ele dará uma nova dia e a glória eterna. Já que o Senhor está vivo, ele faz com que todos que ouvem e creem na Palavra do evangelho sejam salvos; e a todos que recebem a remissão de pecados pela fé, ele faz com que o Espírito Santo habite em seu coração e lhes dá a redenção. Ao ser batizado por João Batista e morrer na cruz, o Senhor selou a salvação de todos que receberam a remissão de pecados e creem na obra da salvação, e diz a eles: “Vocês são meus filhos. Por mais que vocês sejam cheios de falhas, por mais que sua carne seja fraca, e por mais que vocês tenham pecado em sua carne, ainda assim vocês são meus filhos”. Ele selou nosso coração com o Espírito Santo de Deus. Foi assim que nosso Senhor se tornou o Deus dos vivos. Ele é o Deus de todos que foram salvos do pecado através do evangelho da água e do Espírito.
Nosso Senhor ressuscitou dos mortos. E assim, ele trouxe de volta à vida todos que foram salvos do pecado e lhes deu a vida eterna. Quando veio a essa terra, foi batizado, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos, nosso Senhor fez de nós, que cremos na justiça de Deus, seus filhos. Jesus é o Deus vivo que deu uma nova vida a todos os crentes, tornou possível a eles receber a remissão de pecados e fez deles um povo justo. Ele é o Deus de todos que creem na sua justiça, isto é, no evangelho da água e do Espírito.
Quem é Jesus para nós? Ele é o Salvador de todos que creem na justiça de Deus. Jesus é o Deus dos pecadores ou o Deus dos justos? O Senhor disse: “Eu não sou Deus de mortos, mas de vivos. Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó”.
Abraão era pecador? Isaque era pecador? Jacó era pecador? Pedro era pecador? O apóstolo Paulo era pecador? Embora seu velho homem tenha sido pecador antes, eles se tornaram justos crendo em Jesus Cristo como seu Salvador. Jesus se tornou seu Salvador e os fez justos; foi por isso que eles pregaram Jesus e sua salvação no mundo inteiro. Portanto, Jesus não é Deus de mortos nem de ninguém que ainda não recebeu a remissão dos seus pecados, somente dos vivos que a receberam.
Amados irmãos, Jesus é o Deus daqueles que receberam a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito. Crer na justiça de Deus ou não só depende de vocês. Então, eu peço a vocês que parem por um momento e meditem bem nisso. Perguntem a si mesmos se seus pecados foram passados de fato a Jesus quando ele foi batizado. Embora todos os seus pecados tenham de fato sido passados para Jesus, eles só podem sumir se vocês crerem na justiça de Deus de coração. Aí então é que seu coração começa a ter a verdadeira fé e vocês recebem a salvação.
Apesar de haver muitas pessoas neste mundo que dizem crer em Jesus, muito poucos de fato receberam a remissão de pecados e nasceram de novo pela fé. Só que Deus não é o Deus de ninguém que não nasceu de novo. Ao contrário, ele é o Deus dos nascidos de novo que creem no evangelho da água e do Espírito. Jesus não é outro senão o nosso Salvador, pois cremos neste verdadeiro evangelho. Ao ser batizado, ele tirou todos os nossos pecados e os purificou; ele foi condenado pelos nossos pecados em nosso lugar, ressuscitou dos mortos e remiu todos eles com o evangelho da água e do Espírito. Deste modo, ele se tornou o Deus de todos nós que cremos de todo o coração nessa verdade. Jesus é o Deus de todos os santos que nasceram de novo e que creem no evangelho da água e do Espírito.
Se você quer que todos os seus pecados sejam remidos, você então tem que crer tanto no batismo de Jesus como no seu sangue na cruz de todo o seu coração. Só assim seus pecados serão apagados e você poderá receber de Deus uma nova vida. E quando você for liberto de todos os seus pecados, sua alma será trazida de volta à vida, assim como Jesus ressuscitou dos mortos. E ele também será o seu Deus. Este Deus será o seu Deus para sempre, pois ele é o Deus vivo e eterno. Ele também te ajudará de todas as formas.
Jesus sempre será o Deus dos vivos. Ele é o Deus dos que creem na sua obra da salvação. Jesus concedeu a remissão de pecados a todos nós. Ele apagou todos os pecados do homem quando veio a essa terra, foi batizado, morreu na cruz por nós e ressuscitou dos mortos. E este Jesus é o Deus de todos que creem nele de coração. Portanto, todos nós temos que crer de todo o coração no evangelho da água e do Espírito que Jesus nos deu.
Ninguém pode evitar o pecado ao longo de toda a sua vida. É por isso que o verdadeiro evangelho da água e do Espírito é a grande verdade da salvação. E nós podemos nos tornar justos simplesmente crendo nessa verdade. Com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para receber a salvação. Nós só podemos nos tornar justos crendo de coração, não fazendo boas obras. Como eu disse antes em meu sermão, já que a alegria e a tristeza dependem da nossa fé, os que creem no evangelho da água e do Espírito terão um destino diferente dos ímpios, pois os primeiros se alegrarão, e os últimos não terão nada mais do que tristeza.
  
 
Todo Aquele que Buscar o Evangelho da Água e do Espírito Será Salvo
 
Enquanto Moisés guiava o povo no Antigo Testamento, eles reclamaram da falta de comida e o acusaram de levá-los para morrer de fome no deserto. E como Moisés ficou muito magoado com tudo aquilo, Deus enviou serpentes ardentes ao acampamento dos israelitas para castigá-los. Serpentes ardentes apareceram de todos os lados e infestaram o acampamento, picando os israelitas indiscriminadamente. E todos que eram picados morriam por causa do veneno.
Mas Moisés orou a Deus para perdoar os pecados do povo de Israel, que havia falado contra ele. Deus ouviu a oração de Moisés então e disse: “Coloque uma serpente de bronze numa haste e mande o povo de Israel olhar para ela. Diga-lhes que todo aquele que olhar para a serpente será curado e salvo do veneno das serpentes ardentes e receberá uma nova vida”. Moisés então fez a serpente de bronze, como Deus havia dito, a pregou numa haste e a levantou no deserto. Então, ele disse ao povo de Israel: “Todos que foram picados pelas serpentes ardentes têm que olhar para a serpente de bronze. Todos que fizerem isso serão curados e salvos”.
O povo de Israel estava sofrendo em todos os lugares por causa das picadas das serpentes ardentes. Então, eles ouviram seu líder Moisés dizendo que deveriam olhar para a serpente de bronze. Moisés disse que se eles olhassem para a serpente de bronze, todos eles seriam curados do veneno das serpentes ardentes. Todos que foram picados por aquelas serpentes estavam indefesos, e cada um reagiu de um modo diferente ao ouvir o que Moisés disse.
Alguns disseram: “Minha perna está toda inchada por causa da mordida e eu estou morrendo de dor; como é que eu posso ser salvo olhando para essa estúpida serpente de bronze? Eu devo estar tendo alucinações por ouvir tanta bobagem!” Os que foram teimosos e até o fim não olharam para a serpente de bronze disseram: “Não há mais esperança para mim! Eu não vou deixar me enganar por palavras tolas e olhar para essa serpente de bronze. Eu prefiro morrer a ser enganado por esse tipo de tolice”.
Outros, ao contrário, se apegaram à chance de ser salvos. Embora suas pernas estivessem inchadas por causa do veneno e parecia não haver mais esperança para eles, eles olharam para a serpente, se apegaram à promessa de Moisés e disseram: “O que eu tenho a perder? Mesmo que Moisés esteja mentindo, eu vou olhar logo para a serpente”. Mas na hora que eles olharam para a serpente de bronze, eles sentiram algo estranho. Suas pernas estavam tão inchadas que as vestes nem cabiam mais direito, mas de repente todo o inchaço sumiu e elas voltaram ao normal. Então, os que creram em Moisés e olharam para a serpente de bronze gritaram: “Isso é fabuloso! Tudo que eu fiz foi olhar para a serpente de bronze que Moisés falou e agora eu estou totalmente curado. É um milagre!”
Eles pediram para que todos olhassem para a serpente de bronze e disseram então: “Não morram em vão! Olham para a serpente de bronze na haste!”
Alguns disseram então: “Nada vai me fazer olhar para essa serpente de bronze. Eu não creio nesse absurdo que Moisés está dizendo!”
“Olhem para nós! Nós olhamos para a serpente de bronze e agora estamos totalmente curados. Pelo amor de Deus, é só olhar para ela!” Embora todo o inchaço de suas pernas tenham sumido, alguns israelitas se recusaram a olhar para a serpente de bronze e disseram: “Eu prefiro morrer a olhar para a serpente de bronze. Meu pescoço está tão inchado que nem consigo mexê-lo. Além disso, eu não acredito no que Moisés disse”.
O pescoço de alguns israelitas de fato inchou tanto que doía muito virar a cabeça. Mas aqueles que foram curados do veneno disseram a eles: “É só olhar para a serpente de bronze, mesmo que isso quebre seu pescoço!” Mas apesar do seu pedido, alguns foram tão teimosos que simplesmente fecharam seus ouvidos; então, eles foram forçados a olhar para a serpente de bronze e a manter seus olhos abertos. E no momento em que olharam para ela, todos eles foram curados do veneno.
Você certamente sabe que a serpente de bronze se refere ao nosso Salvador Jesus Cristo, que veio pela água e pelo sangue para salvar a todos nós do veneno do pecado. Este é o poder do evangelho da água e do Espírito. Satanás colocou o pecado no homem e nos faz pecar desde o nosso nascimento até do dia da nossa morte. Mas nosso Senhor levou todos estes pecados ao ser batizado no rio Jordão e foi condenado à morte na cruz por nós. Foi para purificar nossos pecados que ele foi batizado; foi para derrotar Satanás que ele foi crucificado; e foi para se tornar o Deus vivo de todos os crentes e salvá-los que ele ressuscitou.
Então, se todos olharem para encarnação de Jesus nessa terra, para o seu batismo que levou todos os nossos pecados e crer nele de todo o seu coração, eles serão salvos de todos os seus pecados, assim como os israelitas foram salvos do veneno das serpentes ardentes quando olharam para a serpente de bronze na haste. E eles também se tornarão filhos de Deus. A salvação só pode ser alcançada crendo em Jesus de coração, não pelas obras. Só pela fé é que podemos receber uma nova vida de Deus e estar vivos e santificados diante dele. Afinal, a Bíblia não nos mostra que o povo de Israel foi salvo das serpentes ardentes no deserto quando olhou para a serpente de bronze?
Todos nós já fomos picados por Satanás e seu veneno se espalhou por todo o nosso corpo. E já que a epidemia do pecado foi passada de geração em geração, a alma de todos deveria perecer por causa do pecado. No entanto, nosso Senhor veio a essa terra para remover este veneno, o aceitou ao ser batizado por João Batista, e fez com que seu próprio corpo fosse crucificado, derrotando assim Satanás totalmente.
Mas Deus trouxe seu Filho de volta à vida. A Bíblia diz que Jesus tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores (Isaías 53:5). Cristo foi ferido pelos nossos pecados, mas pelas suas pisaduras fomos sarados. Nosso corpo e o nosso coração estavam cheio do veneno que Satanás injetou em nós. Todavia, quando Jesus veio a essa terra, ele levou sobre seu corpo todo o veneno que Satanás injetou em nós, apagou todos eles, entregou seu corpo e morreu na cruz levando todos eles. Ele morreu levando nossos pecados para apagá-los.
Está escrito na Bíblia que “o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei” (1 Coríntios 15:56). Nós cremos que Jesus levou sobre si todos os nossos pecados ao ser batizado e morreu na cruz para pagar o salário de todos eles. E como cremos de todo o nosso coração que Jesus foi crucificado pelos nossos pecados, nós não temos e jamais teremos pecado em nosso coração.
Nós também cremos que Jesus ressuscitou dos mortos para trazer os crentes de volta à vida. E esta é justamente a fé na ressurreição. É a fé dos vivos e ressurretos. Jesus é o Deus de todos que foram salvos crendo nele de todo o coração. Por isso que ele disse que “Deus não é de mortos, mas sim, é Deus de vivos”. E Jesus é o mesmo o Deus dos vivos. Em outras palavras, ele é o Deus de todos que creem nele como o Deus da salvação, o Deus vivo que veio a essa terra e apagou todos os seus pecados com a água e seu sangue. E como Cristo é o Deus vivo de todos os crentes, ele sempre ajuda seu povo. E agora, Jesus estava assentado à direita do trono de Deus.
Ao longo da nossa vida, às vezes pensamos que Deus está morto ou dormindo. Apesar de termos sido salvos e recebido a vida eterna, tem vezes que nos sentimos sozinhos neste mundo, como se Deus tivesse nos salvado e depois abandonado. Mas isso não é verdade. Deus não é Deus de mortos, mas de vivos. E para ele, nós não estamos mortos, mas somos o povo salvo do Deus vivo. Além disso, Deus não tosqueneja nem dorme, pois somos como a menina dos seus olhos (Salmos 17:8; 121:4). Portanto, Deus ouve todas as orações do seu povo e os ajuda. Já que cremos que Deus está vivo, nós estamos vivos também.
O Senhor é o Deus de todos que receberam a remissão de pecados. Ele não é Deus de mortos, mas o Deus dos vivos. Todos que não foram remidos dos seus pecados estão mortos. Apesar de muitos cristãos crerem que Jesus veio como seu Salvador e adorarem dizendo aleluia, muitos deles estão mortos porque não conhecem o verdadeiro evangelho e não receberam a remissão dos seus pecados. Por isso, Deus não é o seu Deus. Consequentemente, sua fé e sua adoração são em vão.
Por outro lado, os que receberam a remissão de pecados têm Jesus como seu Deus, pois creem de todo o coração no evangelho do batismo do Senhor e na cruz. Para Deus, todos que receberam a remissão de pecados e, por essa razão, tem Jesus como seu Salvador no coração, são pessoas que creem na justiça de Deus. Estes são o próprio povo de Deus, os vivos e justos. E já que este Deus que os salvou dos seus pecados está vivo agora, ele ouve suas orações e responde todas elas com certeza.
O que devemos guardar no coração na Páscoa é que Deus não é Deus de mortos, mas de vivos. Jamais devemos esquecer essa verdade. O Senhor não é outro senão o Deus de todos que receberam a remissão de pecados. Ele é o seu Deus e o meu Deus, não o Deus dos pecadores. Ele é o Deus dos salvos. Ele é o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó, o nosso Deus.
Meus amados irmãos, a verdadeira fé é aquela que crê no evangelho da água e do Espírito. E todos nós temos que viver por esta fé viva. Mas e vocês? Vocês já receberam a remissão de pecados no coração? Se vocês já receberam a remissão de pecados crendo de todo o coração no batismo de Jesus e no seu sangue na cruz, eu peço a vocês que confessem essa fé com os seus lábios. Vocês devem entender que não são mais pecadores, mas justos. E então? Vocês são pecadores ou justos? Se vocês creem realmente no evangelho da água e do Espírito, com toda certeza vocês são justos.
É por causa da nossa fé que Deus é nosso Salvador. E este Deus é o Deus vivo. Portanto, na Páscoa, todos nós devemos confirmar nossa fé e pôr toda a nossa confiança no Deus vivo, crendo de todo o coração que ele é o nosso Deus, confiando nele, não importa o que aconteça, buscando sua ajuda e vivendo com uma fé inabalável até que ele volte.
Meus amados irmãos, não importa que dificuldades vocês enfrentem, tudo que vocês precisam para vencê-las é crer de todo o coração. Creiam de todo o seu coração que Deus não é Deus de mortos, mas de vivos. Ele é de fato o nosso Deus. Os pecadores, por sua vez, não têm nada a ver com a ressurreição de Jesus, e não teriam mesmo que ele ressuscitasse mil vezes. Na verdade, os ímpios de forma alguma têm algo a ver com Jesus. Assim como o fato de alguém ter um milhão ou bilhões de dólares em sua conta corrente não ter a mínima importância para nós, estes pecadores não dão a mínima importância para a justiça de Jesus. Isso porque eles não creem no evangelho da água e do Espírito de coração, embora todos precisem receber a remissão de pecados crendo no batismo de Jesus e no seu sangue na cruz. Portanto, o nascimento de Jesus, seu batismo, sua morte na cruz, sua ressurreição e sua ascensão para sentar à direta do trono de Deus não têm nada a ver com eles.
Na verdade, tudo isso só é importante para os santos que nasceram de novo. Jesus ressuscitou para que ressuscitássemos. Ele foi moído pelos nossos pecados. Ele foi batizado para tirar os nossos pecados. E ele agora está assentado à direita do trono de Deus em toda a sua glória para nos mostrar que os crentes se tornaram filhos de Deus e também serão glorificados um dia. Crer em tudo isso é ter a verdadeira fé.
Deus nos deu a verdadeira salvação pelo evangelho da água e do Espírito. Então, eu peço que vocês que tenham essa fé genuína. Vocês pereceriam se não tivessem esse verdadeiro evangelho e essa verdadeira fé. E pereceriam sem a Igreja de Deus também. Embora tenham recebido a remissão de pecados, se vocês pararem de ouvir a Palavra de Deus por um mês, vocês começarão a perecer tanto em seu corpo como em sua alma.
Nossa vida de fé não se restringe apenas em vir ao culto e ouvir a Palavra de Deus. A adoração não é só isso. No Antigo Testamento, quando o povo de Israel estava no deserto, nosso Senhor enviou o maná do céu como provisão diária para eles. E assim como Deus enviou o maná, ele também nos traz o pão da vida sempre que nos reunimos, seja no domingo ou qualquer outro dia.
A hora do culto e a hora do alimento espiritual. Por isso, nós precisamos mudar nosso conceito de adoração. Antes de nascermos de novo, pensávamos que nós é que oferecíamos adoração a Deus. Mas adoração não é apenas oferecer algo a Deus. Também não é somente pedir a Deus que aceite a nossa adoração, o nosso louvor e a nossa gratidão. Agora que nós recebemos a remissão de pecados, temos que mudar nossa maneira de pensar sobre adoração e entender que, ao invés de oferecermos algo a Deus, temos na verdade que receber suas bênçãos diárias.
Está escrito na oração do Senhor:
“Pai nosso, que estás nos céus,
Santificado seja o teu nome;
Venha o teu reino;
Seja feita a tua vontade,
Assim na terra, como no céu.
Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano” (Lucas 11:2-3).
Todos os dias Deus provê as necessidades do seu povo. E sempre que nos reunimos, ele nos dá o pão diário para o nosso corpo e nossa alma, e recebemos dele tudo que precisamos para viver nessa terra diariamente. É Deus que provê todas as nossas necessidades.
Então, temos que mudar nossa maneira de adorar a Deus também. Tudo em nossa vida mudou depois que recebemos a remissão de pecados, como diz a Bíblia: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Coríntios 5:17). Agora tudo mudou, nossa fé na igreja, nossa alma, nosso dia a dia.
A Bíblia diz que os justos viverão pela fé. Por isso, temos que viver pela fé, ouvindo a Palavra de Deus com atenção e vencendo pela fé as terríveis dificuldades que enfrentamos no mundo. Já que Deus é o Deus dos salvos, todos nós podemos viver pela fé. Eu peço a vocês então que deem valor à Igreja de Deus, pois se vocês a deixarem em momentos de dificuldades e dor, as consequências serão desastrosas.
Vocês acham que sua vida diz respeito a vocês, embora devam à igreja? Não é bem assim. Ao invés de dar somente, há muito para se receber na Igreja de Deus, tanto física como espiritualmente. Não são vocês que estão servindo ao Senhor apenas, mas ele é que na verdade está os servindo. Agora que recebemos a remissão de pecados, muitas coisas precisam ser mudadas, inclusive a maneira que servimos e adoramos. Acima de tudo, eu aconselho você a viver pela fé na Palavra de Deus.
No passado, eu pensava que estava ajudando a Deus. Mas eu acabei entendendo que não era eu ou os outros irmãos que estavam servindo ao senhor, mas ele é que estava nos servindo. É por isso que a Igreja de Deus é indispensável. Todos que receberam a remissão de pecados têm que levar uma vida de fé na Igreja de um jeito ou de outro. Nós não temos outra escolha. E eu não estou dizendo isso aqui para ter mais membros na igreja. Ao contrário, isso é uma exigência indispensável para que nossas necessidades sejam supridas: se quisermos manter nossa saúde espiritual, temos que fazer parte da Igreja de Deus.
Todos que receberam a remissão de pecados não podem ter comunhão com os pecadores. Se os justos fizerem parte de uma igreja onde só houver pecadores, eles serão envenenados. Quanto mais se adora numa igreja falsa, mas veneno se ingere; o que no fim acaba levando à morte espiritual. Mas se você, por outro lado, for para a igreja dos remidos e ouvir a Palavra de Deus, seu coração será avivado. E quando seu coração for restaurado, tudo que você fizer prosperará. E com seus olhos espirituais abertos, você verá tudo nitidamente. Mas se seu coração se desviar, você perderá tudo isso.
Hoje é Páscoa, e a tradição cristã aqui na Coreia é comer ovos cozidos neste dia. Eu tenho certeza que muitos ovos cozidos já foram preparados para nós hoje, e vamos comê-los depois que o culto acabar. Alguns irmãos gostam de comer dois ou mais, e eu mesmo gosto de comer assim. É claro que se me derem mais eu vou comer. Mas se não houver muitos ovos, eu como apenas metade de um. Eu não sei quando e onde essa tradição cristã começou. Mas eu acho que os ovos decorados e cozidos dizem respeito à ressurreição de Jesus, pois uma nova vida começa quando o ovo eclode.
Nesta Páscoa, todos nós temos que buscar verdadeiro pão da vida para saciar nossa alma e nosso coração. Sendo assim, temos que confiar no Deus vivo que habita em nosso coração, renovar nossas forças nele e viver sendo fiéis para o resto de nossa vida.