Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 14-2] (Lucas 14:25-33) Podemos Ser Discípulos do Senhor Somente Negando a Nós Mesmos?

(Lucas 14:25-33)
“Grandes multidões o acompanhavam, e ele, voltando-se, lhes disse: Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo. Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pôde acabar. Ou qual é o rei que, indo para combater outro rei, não se assenta primeiro para calcular se com dez mil homens poderá enfrentar o que vem contra ele com vinte mil? Caso contrário, estando o outro ainda longe, envia-lhe uma embaixada, pedindo condições de paz. Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo.”
 
 
Quem é Discípulo do Senhor?
 
Amados irmãos, se quisermos ser discípulos do Senhor, temos que saber três coisas primeiro. Nosso Senhor disse: “Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:26). E temos que fazer o mesmo para sermos discípulos do Senhor. Nosso Senhor nos disse bem claro o que devemos fazer se quisermos segui-lo.
Amados irmãos, vocês querem ser discípulos do Senhor? É fácil ser salvo de todos os seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito, mas não é fácil ser discípulo do Senhor. E o Senhor fala aqui de três coisas necessárias para sermos seus discípulos.
Primeiro, para sermos discípulos do Senhor, temos que aborrecer pai e mãe, mulher e filhos, e irmãos e irmãs, e ainda nossa própria vida. E o que isso significa? Que aborrecer nosso pai e mãe, mulher e filhos, irmãos e irmãs, e nossa própria vida não significa cair na armadilha no niilismo, odiar tanto a sociedade e o homem a ponto de matá-lo. Significa que se nosso relacionamento com pai e mãe, mulher e filhos, irmãos e irmãs e nossa própria vida nos impede de seguir o Senhor, temos que cortar estas relações e as coisas do mundo. Esta é a primeira coisa que temos que fazer para sermos discípulos do Senhor.
Quando decidimos seguir o Senhor depois de nascermos de novo recebendo a remissão de pecados pela Palavra de Deus, a primeira pedra de tropeço é nossa própria família, ainda mais nossos pais. Por exemplo, se quisermos fazer a vontade de Deus, vamos nos sentir como se estivéssemos desagradando nossos pais; se quisermos fazer a vontade dos nossos pais, vamos nos sentir como se estivéssemos pecando contra Deus. Este é o primeiro problema que teremos. Em outras palavras, este é o primeiro problema que enfrentamos quando queremos de fato seguir o Senhor e ser seus discípulos.
Mas isso não quer dizer que temos que nos desfazer de todos os relacionamentos que temos neste mundo. Nós só temos que deixar aquilo que nos impede de fazer a vontade de Deus. Nunca se esqueçam que só poderemos seguir o Senhor quando aborrecermos nossa vida.
 
 
Já que É Assim, Não É Fácil Ser Discípulo do Senhor, Não É?
 
Estes são os primeiros problemas que temos quando decidimos seguir o Senhor depois que temos um encontro com ele. Eu passei dez anos achando que era um verdadeiro cristão antes de ter um encontro com o Senhor. Mas o primeiro problema que eu tive depois que encontrei o Senhor foi que meus pais, meus irmãos e minhas irmãs carnais se tornaram uma pedra de tropeço para mim. Minha mãe adotiva tinha um trabalho de oração numa grande igreja naquela época e deixava o trabalho comigo. Ela me disse: “Meu filho, você estudou tanto; por que você está agindo assim agora? Você tem que me ouvir e me obedecer. Me ajude na igreja como você tem feito até hoje. Você tem que ir embora e fundar uma nova denominação só porque Deus te disse para fazer isso? Você tem mesmo que sair para pregar o evangelho como se fosse o único que pudesse fazer isso? Se você fizer isso pode até agradar a Deus, mas vai me deixar triste. Os irmãos da nossa denominação não vão entender bem isso que você está fazendo.” Mas eu deixei tudo e fiz a vontade do Senhor. Quando Deus nos chama para segui-lo e decidimos fazer isso, só seremos seus discípulos se aborrecermos tudo que é contra a sua vontade.
Segundo, para sermos discípulos do Senhor, já que ele mesmo disse que “qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:27), temos que tomar nossa cruz e segui-lo. Só então poderemos ser discípulos do Senhor. É claro que é melhor seguir o Senhor em paz do que em dificuldade. No entanto, todos nós temos que levar nossa própria cruz quando seguimos o Senhor. Todos nós temos problemas, mas só quando levarmos nossa cruz e o seguirmos é que poderemos ser seus discípulos. Portanto, ser discípulo do Senhor pode ser fácil e difícil ao mesmo tempo. Por fim, só quem segue o Senhor mesmo em meio às lutas é que pode ser seu discípulo.
 
 
O Que Precisamos para Sermos Discípulos do Senhor?
 
“Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:33). Há um ditado que diz: “Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.” Você não se sente assim quando Senhor diz: “Se você não renunciar tudo que tem não pode ser meu discípulo?” O que significa renunciar “a tudo quanto tem?” O Senhor antes contou uma parábola sobre os construtores de uma torre para explicar isso. E o que ele nos diz nesta parábola é que se fomos construir uma torre, temos que “parar primeiro para calcular o custo” antes de pormos o alicerce e começarmos a construí-la de fato. As pessoas não vão zombar de nós se não calcularmos o custo antes, começarmos a construir a torre e não terminá-la por falta de dinheiro? Elas zombarão de nós assim: “Esses caras começaram a construir uma torre sem se preparar antes e agora não conseguem terminá-la.”
O Senhor também usou outra parábola para nos explicar isso, a parábola de um rei que se prepara para a guerra. Um rei ia para a guerra contra outro rei. Mas antes disso, ele primeiro contou quantos soldados ele e o outro rei tinham. E caso seu exército não tivesse chance alguma de vencer, ele enviaria uma delegação ao outro rei e pediria condições de paz, enquanto ele ainda estivesse longe. O Senhor diz então: “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:33).
O que significa então “a tudo quanto tem”? O Senhor não está falando de coisas materiais aqui. Na verdade, ele provê tudo em nossa vida. O que ele está dizendo é que, como terceira condição para ser discípulo de Jesus, ninguém pode segui-lo se não deixar tudo que possui; ou seja, sua soberba e sua própria justiça. Amados irmãos, todos nós temos nosso ego, mesmo quando nascemos de novo, e por isso gostamos de ser enaltecidos. Esta é a razão pela qual também não queremos deixar nossa própria justiça. Nós gostamos de manter isso. Só que ninguém pode seguir o Senhor se não deixar tudo isso, não pode ser discípulo do Senhor assim. Amados irmãos, eu vou dizer novamente: se não rejeitarmos a nós mesmos e deixarmos nossa soberba pelo Senhor, não poderemos ser seus discípulos. Um servo soberbo, um discípulo que segue o Senhor, mas que tem suas próprias opiniões, e aquele que não renuncia a tudo que tem, mesmo quando colocam uma espada em sua garganta não pode ser discípulo do Senhor. E por mais que nossa personalidade seja assim, a terceira ordem do Senhor é que deixemos tudo isso. A luta é muito grande quando queremos ser discípulos do Senhor depois que somos salvos. Mas será que devemos insistir em manter nossa própria justiça, a confiança que temos em nós mesmos e nossa soberba depois que recebemos a remissão de pecados? Ou devemos nos render a ele, como está escrito: “Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil? De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores e pede condições de paz. Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:31-33). “Meu Senhor, eu não sou ninguém nem me apego à minha própria justiça. Eu digo que sou alguém, mas eu não passo de um trapo velho diante de ti. Eu não tenho porque me exaltar. O que é grande em mim não é nada comparado a ti, meu Senhor. Só tu és sublime e apenas a tua Palavra, a tua salvação e a tua justiça são justas.” Assim, somente os que deixam seu respeito próprio e sua justiça é que podem ser discípulos de Jesus.
Amados irmãos, o que vocês sentem quando veem os irmãos que nasceram de novo sendo treinados para ser obreiros de Deus? É muito difícil sermos discípulos do Senhor quando ainda há em nós muito da nossa própria justiça. Vocês estão entendendo o que eu estou dizendo? Por outro lado, é fácil alguém que é humilde ser um discípulo. Por quê? Porque quem não tem do que se exaltar e não é soberbo diz: “Sim, Senhor”, quando seguem o Senhor e ele manda que eles façam alguma coisa. Portanto, a única coisa que eles dizem é: “Sim, Senhor.”
Mas um servo que ainda conserva muito da sua própria justiça age de uma forma diferente. Quando lhe diz para fazer alguma coisa, ele pergunta: “Por que, Senhor?” E se o Senhor lhe diz para fazer outra coisa, ele responde de novo: Por que, Senhor? Por quê? O quê? Para quê? Como? Ele discute com o Senhor sobre tudo e não o obedece. Se a Palavra de Deus é a verdade e ele nos diz para fazer algo, temos que ser obedientes como bons servos e dizer: “Apesar de não entender o que tu queres, sua Palavra é a verdade. Sim, Senhor, sua Palavra está certa. Sim, eu vou seguir a ti.” Mas o servo do Senhor que tem muito do que se exaltar insiste na sua própria vontade, não obedece ao Senhor e diz: “Por que o Senhor nos disse isso? Se eu fosse ele não teria dito isso. Eu teria dito outra coisa.”
O terceiro desafio é muito mais difícil do que o primeiro e o segundo. Quem está bem preparado para o primeiro consegue seguir o Senhor mesmo em meio às lutas, levando sua cruz como o segundo desafio. Mas quem está cheio da sua própria justiça acabará desistindo de seguir o Senhor no terceiro desafio.
Amados irmãos, se vocês quiserem ser servos do Senhor, seus discípulos, vocês precisam passar nesses três desafios. O primeiro é, quando nossa família for uma pedra de tropeço para que façamos a vontade do Senhor, temos que aborrecê-los, por mais que sejam pais e mães, irmãos e irmãos, filhos, esposas ou maridos. Nós temos que aborrecer tudo que nos impede de seguir o Senhor. Segundo, por mais que tenhamos problemas quando seguimos o Senhor, temos que suportar todos eles. Terceiro, temos que deixar nossa própria justiça.
Não há ninguém neste mundo que não tenha nada do que se orgulhar. Todos nós temos muitas, e não poucas, coisas que nos deixam soberbos. Deve haver pelo menos doze coisas no nosso coração que nos deixa soberbos. “Eu sou muito bom no que faço. Eu sou honesto. Eu sou educado. Eu nunca minto. Eu raramente peco. Eu enfrento tudo com coragem, seja o que for. E mesmo que alguém coloque uma faca no meu pescoço, eu nunca peco contra o Senhor.” Amados irmãos, será que o Senhor se agrada de alguém assim? Na verdade, ele não gosta de gente assim. E ele certamente diria: “Sim, você é o tal. Você pode até ser senhor de si mesmo. Você então não precisa ser meu discípulo. Saia daqui. Eu não quero você comigo.”
 
 
Quando Dois Se Encontram, Um Tem que Ser o Mestre
 
Quando dois se encontram, um tem que ser o mestre e o outro, o discípulo. Nós mesmos temos que ser discípulos. Mas se quisermos ser discípulos do Senhor, segui-lo e estar ao seu lado mas com soberba no coração, nós seremos um problema para ele. Também vai ser difícil ele nos usar como seus servos para fazermos sua obra. O Senhor nos diria: “Você é tão soberbo que eu não posso ser seu Mestre. Eu tenho como ser seu Mestre. Mas pelo jeito eu é que tenho que ser seu discípulo. Será que você pode me ensinar alguma coisa? Você tem que aprender, aprender comigo. Aí eu serei seu discípulo e você poderá me ensinar. Então eu vou te seguir. Se sua palavra for verdade, eu vou te seguir.” Só que o Senhor não pode ser nosso discípulo, pois nossas palavras não são a verdade. É por isso que ele nos diz: “Pare de me seguir. Siga o seu caminho, e eu seguirei o meu.” Há muitos entre os nascidos de novo que pensam que são espertos e têm muito do que se exaltar. Só que estes não podem servir ao Senhor. Eles não podem ser seus discípulos.
Amados irmãos, eu também tenho muitas coisas que me fazem ser soberbos. Em minha opinião, eu sou muito bom em certas coisas. Eu creio que vocês são assim também. E para vocês, todos nós somos maravilhosos. Se formos ver, queremos sempre estar acima dos outros, mas o que o Senhor nos diz é algo totalmente oposto: “Você quer renunciar a tudo que te faz sentir soberbo e ser meu discípulo? Você quer ser o Mestre, já que você se acha tão bom assim? Será que temos que tomar caminhos diferentes? Escolhe o seu então.” É isso o que o Senhor está dizendo: “Você pode continuar sendo soberbo por se achar tão maravilhoso assim. Mas já que ambos somos mestres, não podemos ter mais nenhum tipo de relacionamento então. Melhor cada um seguir o seu caminho.”
O Senhor está cansado dessa gente. Então, é assim que temos que pensar: “Eu devo me apegar à minha própria justiça e deixá-la?” É claro que não é fácil deixarmos nossa própria justiça. Mas o que o Senhor quer é que tenhamos uma vida de disciplina e nos diz: “Deixe sua própria justiça. Tire toda esta soberba do coração. Rejeite sua própria justiça e confie na minha, seja obediente à minha Palavra e siga somente a mim.” Amados irmãos, vocês entendem agora qual é a vontade do Senhor? É isso que agrada a ele.
Todas as pessoas, homens e mulheres, respeitam a si mesmos. E o homem se exalta, mesmo tendo pouco do que se orgulhar. No entanto, o Senhor quer que deixemos tudo isso. Ele não quer nos ver diante dele nos exaltando da nossa própria justiça. Ao contrário, ele quer que confessemos nossas falhas a ele e aos nossos irmãos, ele quer que reconheçamos: “Eu sou muito falho. Eu preciso tanto de ti, meu Deus. Mesmo assim eu quero ser um discípulo de Jesus Cristo e seguir a Deus por toda a minha vida.”
Só que vai ser ruim se Deus me disser que não pode me usar porque eu sou muito soberbo. E não somente eu, mas todos nós temos que deixar nossa própria justiça. Eu creio que se ainda há em nós muito com que nos exaltarmos, se ainda estamos cheios da nossa própria justiça, e o Senhor disser que não pode nos usar, temos que deixar tudo que nos impede de ser seus discípulos. O que o Senhor quer de nós é que deixemos nossa própria justiça, a coisas que nos fazem soberbos, aquilo que pensamos que é correto, verdadeiro e bom em nós.
 
 
Não é Verdade que Não Podemos Ser Discípulos do Senhor porque Somos Falhos
 
Na verdade, não podemos ser discípulos do Senhor porque somos muito soberbos. Nós não podemos seguir a ele porque achamos que somos grande coisa, que sabemos tudo, que somos muito espertos, teimosos e daí por diante. Se nós não achássemos que somos tão brilhantes e demorássemos tanto a aprender, o Senhor certamente nos faria seus discípulos. Só que ele não faz isso porque achamos que somos grande coisa. Nós temos que dizer a Deus: “Meu Deus, eu não tenho nada o que me exaltar!” Deus quer saber se podemos vencer com dez mil soldados um inimigo que vem contra nós como com vinte mil soldados. Se percebermos que não podemos vencer, temos que enviar uma delegação e pedir termos de paz o quanto antes.
Nós temos que pensar mais no Senhor. Temos que ver bem se somos justos ou não, quem somos e como somos pequenos. Amados irmãos, vocês têm certeza de que poderão ser perfeitos a vida toda? Vocês podem guardar sempre o que é bom dentro de vocês até o fim? Se vocês não podem fazer isso, vocês têm que se render ao Senhor logo e confessar a ele: “Oh, Senhor, eu não sou justo. Só tu és verdadeiro e somente a tua Palavra é a verdade. Tu estás certo, Senhor. Eu creio em ti.” Vocês têm que se render ao Senhor e seguir somente a ele. Após meditarmos bem, temos que nos render ao Senhor e dizer a ele: “Embora tenha vivido pela tua Palavra até hoje, Senhor, não há nada demais em mim; eu não sou justo e não tenho do que me exaltar.” Se quisermos ser discípulos do Senhor, temos que nos render perante ele sempre. Vocês estão entendendo?
Amados irmãos, eu quero compartilhar com vocês algo sobre mim. Na verdade, eu não tenho nada do que me exaltar. A única coisa que me dá orgulho é que o Senhor habita em mim; eu só me tornei justo quando ele me concedeu a sua justiça; eu só fui salvo quando ele me deu a salvação; e eu só me tornei seu servo quando ele fez de mim seu servo. Eu posso garantir a vocês, diante de Deus, que sou seu servo não porque há algo de bom em mim, que eu tenho este ministério porque sou justo e tenho talentos em várias áreas.
Amados irmãos, na verdade eu não sou justo. Eu não sou justo mesmo. E eu não estou dizendo isso por dizer. Eu quero dizer que não há nada demais em mim mesmo. E às vezes eu fico feliz por ser assim. Eu estou sendo honesto com vocês sobre minhas falhas, mas eu me sinto bem quando revelo tudo que sou, pois não sou hipócrita e engano ninguém. Eu me sinto muito bem no Senhor.
Eu agora sou assim, mas antes ainda conservava muito da minha própria justiça. Por mais que alguém colocasse uma faca no meu pescoço, eu jamais concordaria com alguém que não cresse. Se algo estava certo para mim, eu defenderia isso com todas as minhas forças até o fim. Eu era mesmo muito teimoso. Como se diz na Coreia: “Os Chois são tão teimosos que não nasce grama onde eles sentam.” Eu pensava que só os Chois fossem teimosos, mas me disseram que os Kangs também são. Mas os Jongs, de onde é minha família, também são teimosos. Eu nunca conheci alguém mais teimoso do que um Jong. Essas pessoas são aquelas que sempre tomam a frente. São eles que sempre estão à frente ou sacrificam sua vida pela sua própria justiça. Mas eu quero dizer que os Ahns também são teimosos. O irmão Hong Gyu Ahn me disse uma vez que os Ahns são muito teimosos também. Eu achava que somente os Chois, Kangs e Changs era clãs teimosos, mas eu descobri que os Ahns também são muito teimosos. Mas será que os Lees são teimosos? Sim, eles são. Os Lees são teimosos ou não? E os Parks, eles são teimosos? Na verdade, todos eles são teimosos. Eu achava que somente os Chois eram teimosos, mas todas as pessoas são teimosas.
Amados irmãos, temos que deixar nossa teimosia e nos sujeitar a Deus. Temos que jogar fora tudo aquilo que nos leva a pensar que somos alguma coisa. Temos que nos livrar da nossa própria justiça, da nossa própria honestidade, das nossas próprias obras e etc. Só assim poderemos fazer a vontade do Senhor e ser seus servos. Temos que deixar tudo aquilo que nos faz soberbos perante Deus. Alguns jamais abrem mão das suas próprias virtudes. Amados irmãos, se nossas próprias virtudes vão de encontro às virtudes de Deus, nós somos seus inimigos então. Isso é um vício terrível, um grande pecado. Nossas virtudes nos levam a cometer alta traição contra Deus.
Eu disse a vocês que temos que pensar em três coisas se quisermos ser discípulos do Senhor. Por mais que todos neste mundo sejam contra nós, que nossa família tente fazer com que mudemos de ideia, se eles não quiserem aceitar a vontade de Deus, temos que aborrecê-los muito. Foi por isso que o Senhor disse: “Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições, e, no século futuro, a vida eterna” (Marcos 10:29-30).
Segundo, sejam quais forem os problemas que tivermos, temos que continuar seguindo o Senhor e levando nossa cruz. Terceiro, temos que deixar nossa própria justiça. Temos que rejeitar nossa própria justiça em Jesus Cristo. Mas isso não quer dizer que temos que desistir de tudo em nossa vida; só daquilo que nos faz soberbos. Há muitas coisas em nós que nos deixam soberbos, não é verdade? E isso está em você também? Eu fico imaginando o quanto disso há em você. Mas você sabe que sua soberba e sua própria justiça é algo que te coloca contra Deus, não sabe? Soberba e justiça própria é algo que nos leva a estar contra Deus.
Foi por isso que os fariseus não creram em Jesus. Os fariseus eram aqueles que seguiam a lei à risca. O que quer que a Palavra de Deus dissesse, eles faziam de tudo para obedecê-la. Mas por que então foram eles a quem Jesus mais aborreceu? Por que então Jesus chamou os escribas e fariseus de ‘raça de víboras’? Por serem muito soberbos e cheios da sua própria justiça, eles não aceitaram a salvação de Jesus e diziam: “Nós somos justos e vivemos segundo a Palavra de Deus. Os outros podem até não fazer isso, mas mesmo que ponham uma faca na nossa garganta, nós vamos viver segundo a Palavra de Deus.”
Nós só poderemos ser salvos de todos os nossos pecados quando deixarmos nossa própria justiça. Então, devemos deixar nossa própria justiça para sermos salvos. E essa é a parte mais difícil. Satanás nos tenta para mantermos nossa própria justiça e nos diz assim: “Você é mesmo justo.” Mas o Senhor nos diz: “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:33). Meus amados irmãos, quem não renuncia a tudo que tem não pode ser discípulo do Senhor. Vocês creem assim também?
Nós temos vivido pela graça do Senhor até hoje. Amados irmãos, nossa própria justiça vale alguma coisa? Façam um cálculo. Vocês acham que podem preservar sua própria justiça, que é pequena como uma ervilha, sua vida toda? Claro que não. Se vocês acham que podem preservá-la, se exaltem com isso por toda a sua vida então. Mas se vocês reconhecem que não podem preservá-la, se rendam ao Senhor e digam: “Senhor, eu sou muito falho. Eu não tenho nada com que me exaltar.”
Desistam de tudo que vocês acham que têm direito. Reconheçam diante de Deus que vocês são apenas seres humanos cheios de falhas. Vocês têm que confessar: “Meu Senhor, embora seja cheio de falhas, eu creio na tua Palavra e vou te seguir. Talvez eu não consiga te seguir o tempo todo, mas eu creio que seguir a ti é o certo a fazer. Eu vou te seguir. Embora não haja nenhuma justiça em mim, eu te seguirei até o fim. Embora eu seja cheio de falhas, não tenha nada do que me exaltar e seja imperfeito segundo a sua Palavra, eu vou segui-lo mesmo assim.” Somente alguém assim pode ser discípulo do Senhor e ser muito usado por ele, pois através dele ele recebe toda a glória.
Creiam nisso! Vocês têm que se lembrar dessa três coisas se quiserem ser discípulos do Senhor.