Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 15-2] (Lucas 15:1-32) O Senhor que Quer Nos Mostrar Seu Amor e Misericórdia

(Lucas 15:1-32)
“E chegavam-se a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: ‘Este recebe pecadores e come com eles.’ E ele lhes propôs esta parábola, dizendo: ‘Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e não vai após a perdida até que venha a achá-la? E, achando-a, a põe sobre seus ombros, cheio de júbilo; e, chegando à sua casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: ‘Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.’ Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E, achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: ‘Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.’ Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.’ E disse: ‘Um certo homem tinha dois filhos.’ E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte da fazenda que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua e ali desperdiçou a sua fazenda, vivendo dissolutamente. E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti. Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus trabalhadores. E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão, e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço, e o beijou. E o filho lhe disse: ‘Pai, pequei contra o céu e perante ti e já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: ‘Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão e sandálias nos pés, e trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos e alegremo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu; tinha-se perdido e foi achado. E começaram a alegrar-se.’’ E o seu filho mais velho estava no campo; e, quando veio e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças. E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. E ele lhe disse: ‘Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo.’ Mas ele se indignou e não queria entrar. E, saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: ‘Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos. Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou a tua fazenda com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado.’ E ele lhe disse: ‘Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas. Mas era justo alegrarmo-nos e regozijarmo-nos, porque este teu irmão estava morto e reviveu; tinha-se perdido e foi achado.’”
 
 
Como vão vocês, amados irmãos?
Nosso Deus procura por pecadores pobres de corpo e de espírito. Jesus disse certa vez: “Quando deres um jantar ou uma ceia, não chames os teus amigos, nem os teus irmãos, nem os teus parentes, nem vizinhos ricos, para que não suceda que também eles te tornem a convidar, e te seja isso recompensado. Mas, quando fizeres convite, chama os pobres, aleijados, mancos e cegos e serás bem-aventurado; porque eles não têm com que to recompensar; mas recompensado serás na ressurreição dos justos” (Lucas 14:12-14). Por que o Senhor disse isso? Porque se convidarmos os ricos e dermos um banquete para eles, eles vão querer nos recompensar, mas não receberemos nada de Deus. Podemos ver no texto bíblico deste capítulo que o Senhor ama e salva mais aqueles que são falhos e fracos do que os que são ricos e se acham importantes.
 
 
Jesus Veio para Salvar Aqueles que Reconhecem que São Pecadores
 
No texto bíblico acima, que está em Lucas 15, Jesus convida publicanos e pecadores para comer com ele. Jesus estava na casa de um fariseu, mas foram pecadores como os publicanos que ele convidou para comer com ele. E o que isso significa, amados irmãos? Jesus convidou pessoas que eram consideradas pecadoras como os publicanos e as tratou bem. Jesus Cristo, o Filho de Deus que veio a essa terra num corpo carnal, comeu com pecadores e publicanos e pregou a Palavra de Deus para eles. Mas os escribas e fariseus não gostaram do que ele fez e o perseguiram por causa disso. Só que Jesus sabia da dureza do seu coração e pregou a Palavra da verdade para eles usando esta parábola.
A primeira parábola de Jesus foi sobre a ovelha perdida.
O Senhor disse: “Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e não vai após a perdida até que venha a achá-la? E, achando-a, a põe sobre seus ombros, cheio de júbilo; e, chegando à sua casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (Lucas 15:4-7). Esta parábola da ovelha perdida é sobre a providência da salvação de Deus. Nosso Senhor falou em parábolas dizendo: “Alguém tinha noventa e nove ovelhas e perdeu uma. Ele então deixou as noventa e nove no deserto e saiu à procura da ovelha perdida.”
Que tipo de pessoa é a ovelha perdida descrita aqui? A ovelha perdida na verdade são os pecadores; os que buscam receber de Deus a remissão de pecados em seu coração; os que reconhecem que são pecadores; os que sabem que vão para o inferno; e os que realmente admitem que estão perdidos diante de Deus. O pastor procurando as ovelhas representa Deus procurando os perdidos. Amados irmãos, há muitas pessoas neste mundo realmente–cerca de sete bilhões de pessoas. Mas os que estão perdidos para Deus não passam de cem ou dez mil.
Nem todos são ovelhas que se perderam de casa. A maioria das pessoas vive bem sem nenhum problema embora não conheçam a Deus. Mas quem são as outras pessoas? São as almas que lutam para resolver o problema do pecado em seu coração. Há almas que desejam fervorosamente encontrar a Deus porque se perderam de casa e não sabem para onde ir. Estes não sabem no que crer ou como devem crer em Deus. Deus disse que procura por estas almas e quer vesti-las com a graça da sua salvação.
Nosso Senhor disse uma frase que demonstra que ele não está interessado nos que não se preocupam com sua alma e com o problema do pecado. E o que o Senhor que veio a essa terra nos salvar disse? Ele disse: “Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores, ao arrependimento” (Lucas 5:32). Isso é verdade. O Senhor não veio para os que fingem ser justos. Ele veio a essa terra para os que se sentem culpados por causa dos pecados que cometeram, do seu coração mau e dos pecados que cometem hoje. Em outras palavras, ele veio para os que têm a consciência pesada diante de Deus por causa dos pecados do seu coração.
Mas como as pessoas são realmente? De cem delas, noventa e nove não têm a consciência pesada. Elas vivem sem nenhuma culpa na consciência. Os que não sentem a consciência pesada e acham que não têm nenhum problema, os que não se sentem culpados e creem somente no seu próprio coração não podem ser ovelhas perdidas. É claro que Deus quer vestir a todos com a salvação da remissão de pecados. Mas como ele quer achar os pecadores e torná-los justos, ele nos diz através da sua Palavra aqui que somente uma dentre cem pessoas é que será realmente salva.
Eu estou certo que a primeira parábola do Senhor aqui é para todos neste mundo. Todos neste mundo precisam entender que somente um entre cem é que estará entre os salvos. Nós lemos no Antigo Testamento: “Convertei-vos, ó filhos rebeldes, diz o SENHOR; porque eu vos desposarei e vos tomarei, a um de uma cidade e a dois de uma geração; e vos levarei a Sião” (Jeremias 3:14). Muitas pessoas vivem neste mundo, mas poucas tiveram de fato um encontro com o Senhor. Por essa razão, tantos são os que vão para o inferno que nem podemos contá-los.
Se um pastor que cria ovelhas deixar seu rebanho no deserto para procurar uma que se perdeu, o que acontecerá com o rebanho que ficou? Todas elas serão devoradas pelos lobos ou morrerão de fome. Melhor dizendo, isso quer dizer que muitos que não receberam a salvação do Senhor estão seguindo por um largo caminho de destruição. E é isso mesmo que está acontecendo. Muitos estão seguindo por um caminho onde serão destruídos por Deus por causa dos seus pecados e do preço que terão que pagar por ele depois que sua vida nessa terra acabar.
Há muitos que estão perdidos aos olhos de Deus e serão destruídos. É muito difícil encontrar dentre todos que nasceram nessa terra alguém que recebeu a remissão de pecados em seu coração.
 
 
Todos Estes São os Perdidos
 
Na segunda parábola o Senhor fala da dracma perdida. Ele diz: “Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E, achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende” (Lucas 15.8-10). Se alegrar por encontrar uma ovelha perdida entre cem e uma moeda perdida entre dez significa encontrar pessoas, pecadores que estavam perdidos.
Quando Deus encontra um pecador, ele faz com que ele se arrependa, receba a remissão de pecados, faz dele um justo, quando o veste com a remissão de pecados, ele se regozija com seus servos. Os servos de Deus também dão uma festa, convidam seus vizinhos e se alegram com eles ao encontrarem uma alma perdida. Todas as três parábolas do texto bíblico deste capítulo são sobre Deus salvando os pecadores. Deus, por meio dos seus servos, procura entre todos neste mundo os que de fato são pecadores que estão perdidos; os que reconhecem que não podem evitar o inferno, que não podem ser salvos e, por isso, chegam à beira do suicídio; os que não têm nenhuma vontade de viver porque serão destruídos; e os que não têm esperança senão em Deus.
Na verdade, nós que somos povo de Deus temos que achar os que estão perdidos em meio a todos que vivem nessa terra. Temos que encontrar e vestir com a salvação de Deus os que não têm esperança senão em Deus, cujo coração está ferido e quebrantado; os que sofrem devido os pecados que cometeram; os que sofrem só de pensar que não podem escapar do inferno; os que não têm justiça própria; e os que anseiam pela salvação de Deus. Temos que pregar o evangelho de forma correta para os que realmente são pecadores diante de Deus e precisam de Jesus. O Senhor não veio para os que pensam assim: “Eu não preciso de Jesus. Eu posso viver muito bem sem ele. Eu não me sinto mal ou preocupado com o pecado mesmo sem Jesus. Eu estou bem.”
São outros os que o Senhor procura. Deus está procurando por aqueles nessa terra que não se sentem realizados mesmo quando bebem, cantam e dançam. Ele está procurando pelos que querem realmente encontrá-lo, pois não têm mais prazer na filosofia e na religião; aqueles que querem encontrar a verdade, ser libertos e desfrutar de tudo isso; almas que querem se sentir realizadas com a verdade, não com outras coisas deste mundo. E o Senhor disse aos seus servos para encontrar estas almas.
E é isso mesmo. O Senhor não nos disse para pregar o evangelho para os ricos ou poderosos. Ele disse que devemos encontrar os pobres e miseráveis que estão procurando física e espiritualmente a graça de Deus. É para estes que devemos pregar o evangelho. O texto bíblico deste capítulo nos diz que devemos vestir estas pessoas perdidas com a graça da salvação pregando o evangelho para elas.
 
 
O Coração de Deus
 
Vamos ler a agora a terceira parábola que o Senhor contou. “Um certo homem tinha dois filhos. E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte da fazenda que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua e ali desperdiçou a sua fazenda, vivendo dissolutamente. E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti. Já não sou digno de ser chamado teu filho” (Lucas 15:11-19).
Eu separei esse texto para explicá-lo à parte para que vocês o entendam bem. Um homem tinha dois filhos, e o filho mais novo lhe pediu sua parte na herança, partiu, desperdiçou tudo e ficou sem nenhum centavo. Por isso, ele passou a viver muito mal. Tanto que ele quis comer escondido as bolotas dos porcos, mas nem isso conseguiu. Ele então pensou: “Quantos dos trabalhadores do meu pai têm pão para se saciar”, e decidiu voltar para a casa de seu pai. Assim que ele voltou, seu pai saiu correndo ao seu encontro descalço, beijo seu filho no rosto, pôs um anel em seu dedo, o vestiu com uma bela roupa, calçou seus pés com as melhores sandálias, preparou um bezerro cevado e celebrou sua volta com todos os seus vizinhos.
Mas o filho mais velho não gostou da festa que fizeram para o seu irmão. Ele então reclamou com seu pai: “Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos. Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou a tua fazenda com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado” (Lucas 15:29-30). No que seu pai lhe disse: “Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas. Mas era justo alegrarmo-nos e regozijarmo-nos, porque este teu irmão estava morto e reviveu; tinha-se perdido e foi achado” (Lucas 15:31-32).
Amados irmãos, esta terceira parábola do Senhor foi contada para os santos e servos de Deus da igreja. Como somos realmente? Os servos de Deus e seu povo que receberam a remissão de pecados primeiro reclamam do Senhor por ele não reconhecer a obra que eles fazem na igreja com tanta dificuldade. Eles dizem que ele lhes diz sempre o que fazer, mas que ele só trata bem aqueles que vivem dissolutamente neste mundo e depois vem para a igreja para ouviu o evangelho, receber a remissão de pecados e fazer parte dela. É natural então que eles tenham em seu coração ciúmes dos novos convertidos. Eles não pensam duas vezes ao reclamar de Deus e dizem: “Eu tenho me sacrificado e servido muito bem a Deus desde que recebi a remissão de pecados nesta igreja. Mas como estas pessoas dissolutas podem receber a remissão de pecados? Por mais que sejam salvas, elas têm um longo caminho a seguir antes de serem como eu. Mas toda a atenção na igreja é dada a estas pessoas e todos só estão interessados nelas.”
Mas esta visão do filho mais velho do texto bíblico deste capítulo está errada. O Senhor hoje está falando conosco que recebemos a remissão de pecados e nos tornamos seus servos primeiro. Ele está dizendo: “Vocês trabalham realmente duro, mas vejam como algo natural celebrar e se alegrar pela volta do seu irmão mais novo.” E é isso mesmo. Não temos que ficar com ciúme de nada. Nós temos que nos alegrar com Deus. Em outras palavras, temos que entender o que há no profundo do coração de Deus. Mas como é o coração de Deus? Ele se alegra e festeja quando um pecador perdido volta para ele e é salvo. O amor de Deus Pai é para trazer os miseráveis e os mortos de volta à vida. Então, já que nós que somos servos de Deus recebemos a remissão de pecados, devemos ter o mesmo coração que Deus.
O filho mais novo do texto bíblico foi aquele que voltou para o colo de Deus. Ele quis comer lavagem de porcos, mas nem isso pôde comer e pensou: “Eu estou morrendo de fome aqui. Seria melhor se eu voltasse para a casa do meu pai e fosse um dos seus trabalhadores. Eu sou seu filho, mas vou trabalhar como um de seus trabalhadores.” Aí então ele voltou para a casa de seu pai.
 
 
As Doutrinas das Religiões do Mundo São Como as Bolotas dos Porcos
 
Na verdade, todos neste mundo são filhos de Deus, criados conforme a sua imagem. Para ser sincero, todos neste mundo são as almas preciosas que precisam ser filhos de Deus e seu povo em Jesus Cristo. Mas estas almas preciosas desejam o mundo, as coisas materiais, prazeres e luxúria, e também a religião. O filho mais novo do texto bíblico deste capítulo queria comer as bolotas dos porcos, mas nem isso conseguiu, assim como todos buscam as religiões em vão. As religiões geralmente dizem às pessoas o que fazer, só requerem seu sacrifício, mas não podem trazer a verdadeira satisfação ao seu coração. É claro que nosso Deus também faz seu povo trabalhar, mas qual a diferença entre ele e as religiões do mundo? É que a graça da remissão de pecados dada por ele traz a verdadeira satisfação à nossa alma. As pessoas não conseguem esta verdadeira satisfação nas religiões do mundo e estão morrendo espiritualmente, pois só podem senti-la em sua alma voltando para Jesus Cristo.
Pense nisso por um momento. Alguém pode ter a verdadeira satisfação nas religiões do mundo? Não, não pode. Nenhuma religião pode dar a verdadeira satisfação à alma do homem. Você não era uma alma perdida? Nós não éramos almas perdidas? Nós éramos uma alma perdida entre cem, uma dracma perdida entre dez, e um filho perdido entre dois. Todos nós não éramos isso?
Todos nós sofríamos com o problema do pecado. E apesar de termos pecado no coração, as religiões do mundo não puderam resolver este problema. Nós realmente não podíamos viver sem Deus, não é verdade? Vocês e eu éramos uma ovelha perdida. Amados irmãos, temos que reconhecer que éramos ovelhas perdidas perante Deus. Temos que reconhecer que éramos esse tipo de gente por natureza. Isso não diz respeito a outras pessoas, mas a nós. Nós estávamos perdidos. E estar perdido significa estar morto. Nós que estávamos perdidos iríamos morrer e ser destruídos se não fosse Deus.
O que aconteceu com a ovelha que deixou um rebanho de cem no texto bíblico deste capítulo? Ela ficou numa situação difícil. Ela provavelmente iria tentar comer o pasto na beira de um precipício, cairia e morreria ou iria para o campo aberto e seria devorada pelos lobos. E isso aponta para nós, que também iríamos sofrer esta morte terrível neste mundo maligno. A dracma perdida e o filho mais novo que saiu de casa se referem a mim e a vocês. Nós tínhamos que morrer e ser condenados ao inferno. Mas o que aconteceu conosco? Nosso Senhor nos encontrou. Ele nos encontrou e nos salvou de uma vez.
Vocês creem que o Senhor nos encontrou e remiu todos os nossos pecados com a água e o sangue? Pense nisso por um momento. Que esperança nos restaria se nosso Senhor não tivesse levado todos os nossos pecados pelo seu batismo e sido condenado na cruz por nós, ou se Deus não tivesse enviado seu Filho Jesus Cristo a este mundo para fazer a obra da justiça por nós? Nenhuma esperança. Não teríamos como evitar a nossa destruição. Temos que guardar isso no coração então. Por mais maravilhosos que sejamos, por mais inteligentes e sábios que sejamos, e não importa o quanto sejamos bons, todos nós estávamos entre as ovelhas perdidas. Temos que guardar isso no coração.
 
 
A vida
 
Amados irmãos, nós não pudemos evitar o choro quando nascemos e nem quando morremos. E embora cada um de nós viva de uma maneira diferente, o fim da nossa vida certamente será o mesmo: eterna destruição. Nosso destino desde que nascemos era o fogo do inferno. Mas o Senhor salvou a nós que estamos condenados a este destino terrível. Ele nos salvou de uma vez com a graça da remissão de pecados. E precisamos muito entender esta graça do nosso Senhor. Qual o tamanho da graça de Deus? Pense nisso por um momento. Se não fosse a graça de Deus, como poderíamos ter paz em nosso coração? Como poderíamos ter alegria em nossa vida? Se não fosse o Senhor, como poderíamos sorrir? Nós seríamos miseráveis sem o Senhor. Nós não creríamos em ninguém, enganaríamos uns aos outros, e também magoaríamos uns aos outros. Nós até que poderíamos tentar viver bem, mas acabaríamos tendo uma vida miserável sendo enganados pelos outros de todas as maneiras.
Vamos conseguir viver bem se tentarmos? Alguma coisa dá certo em nossa vida só porque fazemos tudo para conseguir? Satanás é aquele que diz: “Você vai conseguir se tentar.” E muitos antes de nós tentaram viver assim, crendo no que ele disse. Mas será que eles viveram felizes até morrer? Pegue um microfone e faça uma entrevista com quem já morreu.
Vá até uma sepultura e diga: “Me desculpe, eu sei que você está dormindo. Eu sou um repórter da rede de TV Hefzibá. Eu só quero lhe perguntar uma coisa. Você procurou viver bem nessa terra ou não?”
“Sim, procurei.”
“Então você creu na filosofia que tudo daria certo de você tentasse?”
“Sim, cri.”
“Então você tentou porque achou que tudo daria certo, não importa o que fosse?”
“Sim, eu cri nisso e me esforcei minha vida inteira.”
“Mas tudo saiu do jeito que você creu?”
“Não, não saiu.”
“Quantas coisas deram certo para você?”
“Na verdade nada deu certo.”
“Ok, obrigado.”
Se você for a outras sepulturas, você vai ouvir outros dizerem: “Eu aprendi neste mundo que tudo daria certo se eu me esforçasse para conseguir e procurasse viver bem, Mas isso não aconteceu.” Mesmo que você vá a outras sepulturas e faça a mesma pergunta, você ouvirá que todos morreram em agonia e nunca conseguiram tudo que queriam em sua vida. E é isso mesmo. Ninguém neste mundo consegue tudo que deseja. Eu creio que alguém seria feliz se conseguisse pelo menos dez por cento do que deseja e se esforçou para alcançar. Todos ficariam felizes se conseguissem dez por cento do que desejam. Muitos se esforçam bastante durante toda a sua vida, mas o poder do homem não é nada. As coisas não dão certo só porque tentamos.
 
 
Nós temos que Encontrar Jesus, que é o Rei da Justiça
 
Amados irmãos, aqueles que estão perdidos perante Deus precisam encontrá-lo. Aí então ele os abençoará, os guiará por um caminho abençoado, os vestirá com as melhores vestes, e porá um anel valioso em seu dedo. O pai do texto bíblico deste capítulo pôs um anel no dedo do seu filho quando ele voltou, e isso aponta para a mudança do seu status social. Vestir as melhores vestes significa se tornar justo, e calçar as melhores sandálias significa calçar as sandálias do evangelho. É assim que o Senhor nos torna filhos de Deus, nos dá todas as bênçãos do Pai e nos permite desfrutar de todas elas. No entanto, jamais podemos conseguir estas bênçãos tentando. Não é assim que as recebemos.
Se as pessoas quiserem ter uma vida abençoada, elas primeiro precisam encontrar o Bom Pastor. Elas precisam encontrar Jesus. Precisam receber a remissão de pecados em seu coração tendo um encontro com Jesus. Precisam receber a remissão de todos os seus pecados por meio de Jesus Cristo, o Filho de Deus. Jesus é o nosso Salvador. Ele tirou todos os nossos pecados, nos salvou de todos eles, nos vestiu totalmente com a graça da salvação ao levar todos os nossos pecados sobre seu corpo ao ser batizado e condenado por nós na cruz. Só quem tem o Pastor e recebe o Senhor no seu coração pode gozar da verdadeira paz. Quando o Bom Pastor guia a verdes pastos e às águas tranquilas as ovelhas que o encontraram, elas são saciadas, podem descansar em paz e se sentem protegidas pela primeira vez.
Amados irmãos, vocês e eu encontramos o Senhor, que é o perfeito Pastor. Vocês não se sentem imensamente gratos por tê-lo encontrado? Se vocês não souberem como ser gratos por terem encontrado o Senhor, isso será um grande problema. Alguém assim é como o filho mais velho do texto bíblico deste capítulo. Ele está na mesma situação do filho mais velho que reclamou. Mas nós não somos o filho mais velho. Nós somos como o segundo filho, que estava perdido mas foi encontrado. É maravilhoso para nós crer que Jesus tirou nossos pecados quando foi batizado e que ele derramou seu sangue ao ser condenado na cruz por nós. Eu espero que vocês valorizem esta fé. Isso é algo fabuloso. Onde podemos ir e ouvir esta Palavra da verdade? Não podemos ouvi-la em nenhuma denominação deste mundo.
Vamos pensar por um momento no tabernáculo, que é uma figura de Jesus. Havia uma cortina na entrada do tabernáculo feita de tecido azul, púrpura e carmesim de linho fino retorcido. A trinta metros a oeste dela (cem pés) havia outra cortina na entrada do Santuário. E esta também era feita de tecido azul, púrpura e carmesim de linho fino retorcido. O véu na entrada do Santíssimo Lugar e os véus que cobriam o Santuário também eram feitos de tecido azul, púrpura e carmesim de linho fino retorcido. E o que significa o tecido azul, púrpura e carmesim? Significa o evangelho da água e do Espírito em que cremos. Não podemos ser salvos crendo em Jesus de qualquer maneira. Para ser bem específico, temos que crer neste evangelho que o Senhor nos deu.
Qual a primeira coisa que temos que crer quando cremos em Jesus? Temos que crer que ele recebeu todos os nossos pecados ao ser batizado no rio Jordão. Esta é primeira coisa que temos que crer. A segunda coisa é que Jesus derramou seu sangue na cruz e foi condenado por nós. Todos os irmãos que receberam a remissão de pecados pela fé têm que levar uma nova vida agora na casa de Deus, fazer sua obra enquanto estão aqui e crer que tudo que é de Deus agora é seu também. Deus supre todas as nossas necessidades.
Nós recebemos a remissão de pecados. Isso pode até parecer pouca coisa para vocês, mas não é bem assim. Esperem o tempo passar e então perguntem a si mesmos se isso é mesmo algo pequeno. Se vocês voltarem para o mundo depois de ter recebido a remissão de pecados, vocês não serão nada. Aí é que vocês não serão nada mesmo. E vocês serão mais miseráveis do que eram antes. Todas as enfermidades que vocês tiveram antes voltarão e todo o seu sofrimento também. Vocês terão mais problemas do que antes e isso vai os atormentar. Sendo assim, eu espero que vocês não façam nenhuma bobagem, amados irmãos.
Acima de tudo, precisamos entender que o Senhor encontrou pecadores fracos e os salvou. Também temos que entender que nós, que nos tornamos servos do Senhor antes dos outros quando recebemos a remissão de pecados, precisamos encontrar pessoalmente estas almas perdidas e trazê-la de volta para Deus. Há muitas almas de Deus perdidas neste mundo. E muitos vivem sem saber que são almas perdidas.
Todos neste mundo são almas perdidas. E todos eles são pecadores. Todos eles precisam receber a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito. Só que os que já receberam a remissão de pecados são de fato muito poucos. Jesus veio para os que reconhecem que não podem evitar o inferno e que não têm mais esperança no coração; e ele de fato remiu todos os pecados destas pessoas. Ele os salvou de uma vez. Nosso Senhor nunca veio para encontrar quem diz assim: “Eu estou bem sem Jesus. Eu não preciso dele.” Ele veio para estes, mas os deixou decepcionados.
Não tratem bem as pessoas que vivem bem neste mundo e têm muito dinheiro. Estes irão para um lugar muito quente depois de viverem muito bem sem Jesus. Mas ainda há muitos nessa terra que ainda não se sentem satisfeitos embora tenham bens, fama, poder, e até uma religião. Há muitos que realmente querem ter um encontro com o verdadeiro Deus e receber a remissão dos seus pecados. Isso quer dizer que há muitas almas de Deus perdidas. E são estes que precisamos encontrar. Temos que encontrá-los e pregar o evangelho do Senhor para eles.
Nós podemos classificar em dois grupos os que visitam a igreja pela primeira vez. Um deles são aqueles que não estão perdidos. Estes não creem em nós, não importa o que digamos. Eles não são ovelhas perdidas de Deus. E já que não estão perdidos, eles não podem ser salvos também.
E qual é o outro grupo? São aqueles que vêm à igreja e reconhecem que estão perdidos. Eles dizem: “Eu tenho pecado e é muito difícil para mim viver neste mundo. Eu não sei nada e as coisas são difíceis para mim. Seria maravilhoso se alguém me salvasse.” E quando explicamos para eles sua natureza pecaminosa baseados na Palavra de Deus, eles dizem: “É verdade. Eu sou alguém assim.” Se pregarmos para aqueles que reconhecem na Palavra do evangelho que foram salvos por Jesus pela água e pelo sangue, eles na hora crerão em Jesus e serão seu povo. É assim que acontece realmente. Os que reconhecem sua natureza pecaminosa se tornam justos perante Deus e seus filhos, e também podem viver para sempre no seu reino.
Onde quer que vamos, sempre haverá dois tipo de pessoas. Os que estão perdidos e os que não estão. Também há dois tipos de pessoas que visitam a igreja e dois tipos de pessoas neste mundo. A que grupo você e eu que recebemos a remissão de pecados pertencíamos então? Nós éramos os perdidos. Nós estávamos dentre os perdidos.
Os que não receberam a remissão de pecados, embora tenhamos pregado o evangelho do Senhor para eles, não são os perdidos. Nós temos que trabalhar duro então para preparar o seu coração até que eles entendam que estão perdidos. Temos que preparar seu coração duro e esperar que eles entendam que estão perdidos. E temos que encontrar sempre estas pessoas. Vocês creem que nós, que recebemos a remissão de pecados, estávamos perdidos? Vocês creem que fomos encontrados por Deus quando fomos salvos? Só quem crê nisso é que pode receber a verdadeira graça da salvação de Deus.
Eu sou grato ao Senhor que nos salvou. Nós temos que ser fiéis servos de Deus que são sempre gratos pela graça do Senhor e que procuram os fracos e perdidos.