Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 19-7] (Lucas 19:11-27) O Servo que Devolveu o Talento ao Senhor Não o Serviu como Seu Rei

(Lucas 19:11-27)
“E, ouvindo eles essas coisas, ele prosseguiu e contou uma parábola, porquanto estava perto de Jerusalém, e cuidavam que logo se havia de manifestar o Reino de Deus. Disse, pois: Certo homem nobre partiu para uma terra remota, a fim de tomar para si um reino e voltar depois. E, chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas e disse-lhes: Negociai até que eu venha. Mas os seus concidadãos aborreciam-no e mandaram após ele embaixadores, dizendo: Não queremos que este reine sobre nós. E aconteceu que, voltando ele, depois de ter tomado o reino, disse que lhe chamassem aqueles servos a quem tinha dado o dinheiro, para saber o que cada um tinha ganhado, negociando. E veio o primeiro dizendo: Senhor, a tua mina rendeu dez minas. E ele lhe disse: Bem está, servo bom, porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás a autoridade. E veio o segundo, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu cinco minas. E a este disse também: Sê tu também sobre cinco cidades. E veio outro, dizendo: Senhor, aqui está a tua mina, que guardei num lenço, porque tive medo de ti, que és homem rigoroso, que tomas o que não puseste e segas o que não semeaste. Porém ele lhe disse: Mau servo, pela tua boca te julgarei; sabias que eu sou homem rigoroso, que tomo o que não pus e sego o que não semeei. Por que não puseste, pois, o meu dinheiro no banco, para que eu, vindo, o exigisse com os juros? E disse aos que estavam com ele: Tirai-lhe a mina e dai-a ao que tem dez minas. E disseram-lhe eles: Senhor, ele tem dez minas. Pois eu vos digo que a qualquer que tiver ser-lhe-á dado, mas ao que não tiver até o que tem lhe será tirado. E, quanto àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui e matai-os diante de mim.”
 
 
Quem São Estes Hoje em Dia?
 
Baseados no que lemos hoje, meditaremos sobre o justo juízo do nosso Senhor. Eu vou começar com uma oração cheia de esperança para que no fim todos nós recebamos as recompensas que o Senhor prometeu.
Ultimamente eu ando ocupado terminando meus livros. Eu creio que isso também é servir ao justo evangelho do Senhor. Uma vez que começamos algo, é melhor terminar o mais rápido que pudermos; mas às vezes não conseguimos fazer isso. Nós também vamos publicar as edições de nosso terceiro livro em alemão e o primeiro comentário do livro de Romanos. Também iremos publicar um comentário sobre o credo dos apóstolos intitulado “Os Princípios Elementares de Cristo.” Eu creio que estes livros irão ajudar várias pessoas no mundo a servir ao evangelho assim que forem lançados em diversas línguas em todo o mundo.
No texto bíblico deste capítulo, Jesus conta aos seus discípulos uma parábola. Eis aqui alguns versículos: “Certo homem nobre partiu para uma terra remota, a fim de tomar para si um reino e voltar depois. E, chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas e disse-lhes: ‘Negociai até que eu venha’” (Lucas 19:12-13). Um dos versículos diz: “Não queremos que este reine sobre nós” (Lucas 19:14). Esta parábola que o Senhor contou era para ser dada a nós, isto é, dar a Igreja de Deus uma preciosa lição.
Como está escrito, um homem nobre deu uma mina para cada um de seus servos e os mandou investi-las para lucrar com elas, pois iria para uma terra remota e voltaria. Dentre eles, um servo ganhou dez minas e o outro ganhou cinco minas. Mas um dos servos não negociou sua mina, mas guardou o dinheiro no seu lenço. Quando ele devolveu o dinheiro ao seu senhor, ele disse: “Eu o considero um homem mau. Por isso eu o temo. Você toma de onde não colocou e colhe onde não plantou. Eu escondi seu dinheiro no meu lenço. Tome o que você me deu e não diga nada.”
Q que atitude o senhor tomou então? Ele elogiou o servo que ganhou dez minas e lhe deu as dez como recompensa; ele elogiou o servo que ganhou cinco minas dizendo que ele foi fiel e lhe recompensou com cinco cidades. Mas ao servo que guardou o dinheiro em seu lenço e lho devolveu, ele disse: “Tirai-lhe a mina e dai-a ao que tem dez minas.”
O homem que devolveu só uma mina era o servo que não queria que o senhor fosse seu rei. O que podemos entender nesta passagem? Podemos ver que há pessoas que creem em Jesus Cristo, mas não querem que ele seja seu Rei. Eles agem da mesma forma que o servo que voltou só com uma mina, e por isso serão punidas de acordo.
Mas e àqueles que confiam em Jesus e o seguem como seu Rei? Esses negociam fielmente e dão muito lucro; por isso recebem muito louvor e bênçãos.
 
  
O que as Pessoas Pensam de Jesus Quando Não Conhecem Sua Justiça?
 
O servo infiel que voltou só com uma mina não considerava Jesus como seu Rei ou como seu Deus. Em outras religiões como o confucionismo, o hinduísmo e o budismo, o homem é o rei. Melhor dizendo, o homem é considerado deus. Por exemplo, quem é o deus do hinduísmo? Eles creem que morrer totalmente para si mesmo pode levá-los a despertar. Eles passam a crer que há um deus dentro deles. É assim que eles alcançam a iluminação suprema ou nirvana. Este é o mais alto estágio em que eles se esvaziam totalmente de si mesmos ficando sem nenhum ego. Segundo eles, quando passam a não sentir nenhuma emoção humana e sensações como fome ou sede, e quando não pensam em mais nada, eles alcançam a condição de deus. Eles dizem que estes em condição de deus reencarnarão numa família rica e se tornarão homens virtuosos que farão muitas boas obras para os outros. Eles creem que o ser humano pode se tornar deus se conseguir morrer para seus próprios pensamentos e opiniões.
Enquanto a ênfase do hinduísmo está no mundo que virá, o confucionismo enfatiza o mundo atual. O confucionismo é uma religião que busca o bem estar do homem na vida presente; não ficar doente, fazer coisas boas, educar bem as crianças, etc, é sua principal preocupação. O budismo é parecido com o hinduísmo, e eles dizem que os que alcançam a iluminação máxima reencarnam e se tornam boas pessoas. Segundo eles, eles podem reencarnar no outro mundo como uma pessoa boa e alcançar o estágio de deus fazendo boas obras pelos outros enquanto pagam pelo mau que fizeram no passado.
O ponto em comum entre todas estas religiões é a “ideologia do homem como centro de tudo.” Nelas o homem é o rei. O homem é deus. E ele é o centro de tudo.
Mas o Cristianismo é diferente. Nós temos o Criador, que criou tudo, inclusive você e eu. Nós cremos que somos suas criaturas e que ele veio a este mundo por nós, foi batizado e morreu na cruz para salvar todo ser humano. Nossa doutrina é que Deus nos libertou do pecado, da morte, da destruição, da maldição, do diabo e nos adotou como seus filhos. Aquele que crê em Jesus crê nisso.
No entanto, ainda há muitos cristãos que são como o servo infiel que voltou apenas como uma mina. Embora eles saibam que Jesus é seu Deus e Rei, eles não querem servi-lo como seu tal. Como eles veem Jesus em relação a si mesmos? Eles acham que são reis no trono do seu coração e que Jesus aparece como Rei somente quando precisam da sua ajuda. Infelizmente, há pessoas assim em nossa igreja. Até entre os que nasceram de novo pelo evangelho da água e do Espírito há os que pensam assim.
Já que nascemos de novo pelo evangelho da água e do Espírito, também recebemos a remissão de pecados e o Espírito Santo como presente; e os que recebem o Espírito Santo depois de receber a remissão de pecados se tornam filhos do Deus Todo-Poderoso. No entanto, alguns santos não querem que Jesus reine sobre eles. Isso não é um problema? Mas até eles não podem negar o fato de que ele também é seu Rei. O Senhor é o Rei de toda A humanidade, embora muitos não reconheçam isso.
 
 
Precisamos Ver Quem Serve a Jesus e ao Seu Reino e Quem não Serve
 
Quem são aqueles entre os cristãos que não servem a Jesus como seu Rei? Eles têm um alto conceito de Jesus, mas não conseguem largar seu ego. Apesar de dizerem que creem na Palavra de Deus e que fazem a sua vontade, eles têm a tendência de se livrar daquilo que os desafia e os atrapalha de alcançar seus objetivos, já que são reis de si mesmos. Estas pessoas não conseguem controlar sua vontade por meio da Palavra de Deus.
As pessoas nascem com ego. O ego tem dois lados e o interno se chama autoestima. Aqueles que são iguais ao servo mau tem uma autoestima lá em cima perante Deus. Por isso, mesmo depois de receber a remissão de pecados, eles não conseguem se submeter ao Rei, pois não aprenderam a doutrinar a si mesmos. Eles não conseguem obedecer ao Senhor. É por isso que eles ficam ressentidos e chateados quando ele os manda fazer algo.
Aqueles que não conseguem dominar suas vontades e pensamentos, como uma vara que se quebra ao vento, são todos assim. Tudo porque eles não têm Jesus Cristo no trono do seu coração. Pense nisso. Se eles servem a Jesus como seu Rei, por que têm que ser tão teimosos perante ele? Até uma palavra que sai da boca do Rei resolve todos os seus problemas. A justiça própria pode ser anulada perante o Rei. Eu quero que vocês passem por isso. Eu realmente espero que isso aconteça com vocês.
Como vivemos pela fé, às vezes nos sentimos assim: “Isso está ferindo minha autoestima e é humilhante. Esta não é uma vida decente para se viver. Eu não consigo viver mais uma vida de fé assim, pois não consigo viver como deveria mesmo tendo recebido a remissão de pecados.” E por que isso acontece? Porque não reconhecemos Jesus Cristo como nosso Rei. Nós ainda não saímos do trono do nosso coração.
Jesus Cristo era o nosso Rei mesmo antes de nascermos. Agora temos que descer do trono do nosso coração e dar este lugar para Jesus. É nosso trabalho reconhecê-lo como nosso Senhor, dizendo: “Tu és o meu Senhor, meu Cristo e o Filho do Deus vivo. Tu és é o Criador que me criou, o Salvador que me salvou dos pecados e o Senhor que tem poder sobre minha vida e minha morte.” Mas alguns ainda pensam que são reis de si mesmos, como os adeptos das outras religiões do mundo. Já que elas são o rei de si mesmas, não reconhecem o verdadeiro Rei Jesus Cristo.
Estas pessoas não são diferentes do servo infiel do texto bíblico deste capítulo, que voltou só com uma mina. Então que tipo de pessoas nós crentes em Jesus temos que ser? Devemos ser como aqueles que creem de todo coração em Jesus como seu Rei. Precisamos submeter nossas vontades e opiniões, nosso ego, pensamentos e tudo mais para que o nosso Rei se agrade da nossa submissão. Às vezes podemos até cair e ser teimosos por causa da nossa fraqueza, porém precisamos nos esforçar para sermos pessoas humildes que abrem mão de seu orgulho perante nosso Rei. Quando nos tornamos essas pessoas, podemos servir nosso Rei com sinceridade, o que nos leva até as bênçãos e nos possibilita ser fiéis em nossa vida como obreiros da justiça de Deus.
Já que Deus nos confia sua obra, a obra da sua igreja, podemos considerá-la nosso trabalho. Quando pensamos “Já que esta obra é do nosso Rei, ela é minha obra também”, podemos trabalhar bastante como se fosse nossa própria obra. E mesmo que haja perdas, podemos trabalhar com mais dedicação ainda e fidelidade porque o resultado será tanto nosso como do Rei.
O que acontece então quando não recebemos Jesus como nosso Rei? Não existem pessoas mal educadas que urinam na rua e cospem no chão? Aquele que não serve a Jesus como Rei é insolente como elas. Elas estão se rebelando contra Jesus. Elas desafiam o Senhor pensando: “Eu estou mesmo em apuros, mas que conversa fiada toda é esta? Você só me deu a salvação e agora está pedindo que eu entregue minha vida a você? Isso é muito triste. Isso é lamentável. Eu deveria ir até você em busca da salvação logo após minha morte.” Queridos irmãos, se você é um servo fiel, você dirá: “Sua Alteza, sua graça é imensa”, independente do que diga o Rei.
Os reis do mundo que ficam fracos e entendem a atitude dos seus súditos quando eles se rebelam contra eles geralmente desistem do trono. Porém Jesus é mesmo o Rei Todo-Poderoso. Ele é o Deus criador que criou todo o universo.
No entanto, Jesus não reina sobre nós por força. Ele criou o universo, nos salvou de todos os pecados e nos fez seu povo. Mas se o enfrentarmos, apesar da graça que redime nossos pecados e que nos adota como filhos de Deus, ele dirá: “Eu os salvei, e por isso quero que vocês vivam em prol das outras pessoas. Se vocês são gratos pela sua salvação, compartilhe-a com todos.” O que acontecerá se continuarmos desafiando-o? Embora Jesus tenha o poder de nos punir na mesma hora, ele adia ao máximo seu juízo. Então ele pedirá a uma outra pessoa: “Eu quero que algo seja feito. Você pode fazer isso por mim?” Se a pessoa for um servo fiel, ele aceitará a tarefa alegremente, dizendo: “Obrigado por confiar esta obra a uma pessoa tão imperfeita.” Então Jesus lhe dará mais obras para fazer e o abençoará ainda mais.
Ele também dá outra chance aos que foram desobedientes, perguntando: “Me desculpe, pois da última vez eu não pude dar uma tarefa para você. Mas você gostaria de fazer minha obra agora se eu te desse outra chance?” Se ele não aceitá-la, Jesus nunca mais o visitará. Quando Jesus tenta dar a eles algumas tarefas, eles ficam irritados e resistentes como se Jesus fosse pedir deles mais do que pudessem fazer ou como se ele fosse se intrometer em sua obra, apesar de já terem recebido muito de dele. Mas Jesus não os puniria de forma direta. Ele colocaria os desobedientes sob as ordens dos seus servos, pensando: “Ele também é cidadão do meu Reino, mas ainda tem uma autoestima muito alta. Então é melhor para ele ser liderado por meus servos.” Ele diria aos seus servos: “Discipulem-no. Se vocês o deixarem como está agora, ele provavelmente se levantará contra mim e se autodestruirá, não é mesmo?”
Aqueles que não reconhecem Jesus como seu Rei e os que não abriram mão do seu ego estão destinados a desafiar Jesus no final. Portanto, eles precisam ser aconselhados ou treinados para deixar seu ego e teimosia por si mesmos ou com a ajuda de outros. Desafiar seu próprio Rei apesar de estar debaixo de seu reinado é como ser um traidor. É como um convite de maldição e morte. Desafiar Jesus uma ou duas vezes pode ser até aceitável, mas se você continuar fazendo isso por anos, você certamente será acusado de rebelião. Desafiar a autoridade do Rei sempre traz juízo.
O mesmo acontece em nosso relacionamento com Deus. Já que recebemos o evangelho, devemos reconhecer que “a Palavra de Deus é a verdade absoluta.” E depois de aceitarmos o evangelho, precisamos ser pessoas que abrem mão de seu ego e autoestima, se esta for a vontade de Deus. Na verdade, dói quando tentamos dominar nossa vontade. Mas não importa o quanto doa para dominarmos nossa vontade, precisamos fazê-lo o quanto antes, a fim de sermos pessoas que possuem a verdadeira fé.
Amados irmãos, vocês conhecem seu ego? Conseguem dominá-lo? Se não conseguem, vocês estão a ponto de ser servos fiéis que possuem o verdadeiro entendimento. Não adianta nada sentar debaixo de uma árvore de tília e cantar sem parar: “Eu sinceramente creio em Amitaba.” Fazer orações silenciosas em frente a uma parede por dez anos não vai te fazer nenhum bem. Só se abrirmos mão do nosso ego e da nossa vontade perante a Palavra de Deus é que poderemos viver com santos de Cristo. Alguém assim é realmente grande e maduro.
Não poderemos ser pessoas de caráter se não dominarmos nossa vontade. Aqueles que não são maduros não se deixam levar pela opinião dos outros. Se olharmos para os políticos, eles estão brigando o tempo todo; e isso acontece porque eles não deixaram seu ego. Eles deviam dominar sua vontade pelo bem do nosso país, mas na verdade não fazem isso. São poucos os que realmente conseguem fazer isso.
Mas quem são estes que deixam seu ego de lado? São os cristãos nascidos de novo que podem fazer isso. Eles controlam a si mesmos, dominam suas vontades, e ainda ajudam seus subordinados a fazer o mesmo e crer na mesma coisa. E eles fazem isso não com legalismo, mas pela Palavra de Deus. Nós cristãos nascidos de novo não temos outra escolha a não ser dominar a nós mesmos. Disse o Senhor: “Quem quiser me seguir, negue a si mesmo.”
Há muitas bifurcações quando pegamos a estrada. Mas não podemos pegar qualquer caminho, mesmo que ele nos leve ao mesmo lugar. Vamos dizer que o Senhor nos disse para escolher o caminho oposto ao que queremos. Mesmo que o caminho pareça inútil e sem importância em nossa caminhada, precisamos deixar nossa opinião de lado se assim o Senhor disser para fazermos. Somente os que negam a si mesmos assim é que são pessoas de caráter, os verdadeiros servos de Jesus Cristo, os genuínos servos de Deus e pessoas fiéis que procuram fazer sua vontade. Nossa vida de fé também tem muitas bifurcações. Mesmo após escolhermos um caminho ao invés de outro por obediência à vontade de Deus, pode haver mais bifurcações à frente. Então devemos escolher o caminho que o Senhor nos disse para seguir, deixando de lado nossos próprios pensamentos e opiniões. Devemos obedecer à Palavra de Deus. Aquele que assim age é de falto alguém maduro. Ele é um homem de virtude. Como diz o ditado, nem todo homem forte e rude pode ser um general, mas somente os que negam a si mesmos.
Aqueles que deixaram o Senhor depois de segui-lo por um tempo são os que não conseguem negar a si mesmos. E é isso que eles dizem a ele: “Tu és um homem severo, alguém muito irracional. Como podes me pedir algo que ainda não me deste?” Mas, sinceramente, o Senhor nos deu alguma coisa? Não é verdade que o Senhor não nos deu nada? O Senhor não deu nada aos seus filhos? Não, isso não é verdade. O Senhor nos deu o sol, o ar, a luz e tudo aquilo que nos garante viver com conforto. Ele nos deu coisas que podemos comer, beber e tudo que precisamos até morrermos. Tudo o que temos vem do Senhor.
O que não temos do Senhor? Nada. Ele remiu todos os nossos pecados. Ele veio a essa terra, foi batizado por nós, levou nossos pecados, foi condenado por eles e nos salvou por completo. Ele nos fez plenos e sem pecado. E você ainda continua dizendo que não recebemos nada dele? Que boa razão teríamos para não subjugar nossa vontade, já que recebemos tudo do Senhor? Que boa razão teríamos para nos rebelar contra o Deus Todo-Poderoso?
Algumas pessoas olham para algo pequeno mas o veem como um todo; por isso, tomam uma decisão final baseadas em seu ego. Elas se sentem bem com sua vida e dizem: “Eu estou bem sabendo o que sei do mundo, ganhando muito dinheiro e desfrutando minha vida como estou agora.”
Mas está escrito: “O temor do SENHOR é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino” (Provérbios 1:7). Seremos sábios se não dominarmos nossas vontades perante o Deus que nos criou, nos salvou de todos os pecados e é aquele que provê todo alimento que comeremos até morrer? Pelo menos devemos admitir nossa fraqueza e buscar a vontade de Deus, fazendo o que lhe agrada.
Infelizmente as pessoas têm a tendência de seguir em frente. Elas tendem a ir adiante quando fazem algo sem nem mesmo olhar melhor em volta. Você deve ter se deparado com essa teimosia ao arriscar tudo que tinha como se fosse um jogo. As pessoas apostam sua vida por uma chance, persistindo em seus próprios pensamentos. Elas fazem isso apesar de saber que irão fracassar cedo ou tarde. Não devemos fazer isso perante Deus. Deus tem nos mostrado sua misericórdia e nos remido de todos os nossos erros e falhas. Ele não levou nossos pecados pessoais e foi condenado por eles em nosso lugar? Então pelo menos temos que servi-lo e reconhecê-lo como nosso Rei.
Muitos hoje em dia se preocupam com sua autoestima e dizem: “Minha vida pertence a mim!” É como uma criança que não larga a comida mesmo que alguém lhe ofereça uma comida melhor. Alguns até tentam manter sua autoestima lá no alto até seu último suspiro. Eles pensam que são melhores que os outros mesmo quando estão prestes a morrer. Mesmo quando não têm comida, eles põem água da torneira na panela e fingem que estão cozinhando alguma coisa para os outros pensarem que eles têm comida. As mulheres põem uma boa maquiagem no rosto para que não pareçam tão pálidas de fome. Contudo, devemos ser honestos perante Deus. O que ele pode fazer como Rei? Tudo.
O servo infiel, que voltou com a mesma mina que recebeu, disse ao seu senhor: “Você é um homem severo. Você quer receber sem dar nada antes.” Então o Senhor disse: “Tragam o homem aqui e o açoitem diante de mim.” O que isso mostra? Isso mostra que se alguém tentar manter seu ego a todo custo até o fim nos levará à morte, não importa se nasceu de novo ou não. Ele ficará privado do paraíso, da remissão de pecados e de tudo o mais.
Para o que devemos viver? Independente do que fizermos, devemos escolher viver para o nosso Rei. Nós somos seu povo. Os católicos são diferentes de nós. Eles vivem para a hierarquia da sua igreja. Eles ouvem o Papa e o obedecem, não importa o que ele diga. Eles arriscariam sua vida se o Papa lhes dissesse para não oferecer nenhum sacrifício por seus ancestrais mortos. Mas agora eles oferecem sacrifícios aos seus ancestrais porque sua igreja lhes permite fazer isso, indo contra a Palavra do Rei Jesus.
Mas nós cristãos devemos viver apenas para Jesus Cristo. Quando seu reino nessa terra estiver completo, nós reinaremos com ele como reis e desfrutaremos da vida eterna com ele. Existem muitos que tem andado por aí sem saber a verdade, mesmo dentro da Igreja de Deus. Eu estou certo que eles ainda não largaram seu ego porque até hoje ninguém lhes disse para fazê-lo. Agora todos nós sabemos a verdade. Então devemos pelo menos dominar as vontades do nosso coração, embora não consigamos fazer isso totalmente.
Eu consigo olhar em volta e dizer quem ainda não deixou de lado seu ego. Mas eu finjo não saber nada, pois isso precisa estar bem fixado no coração da pessoa pela Palavra de Deus. É nosso trabalho deixar nosso ego diante da Palavra de Deus. Ninguém pode fazer isso além de nós. Isso deve ser feito por nós. Se quisermos seguir o Senhor, não há como fazer exceção.
Todos nós servimos a Jesus como nosso Rei. Jesus não é bom o bastante para ser o nosso Rei? Sim, ele realmente é. Eu espero que vocês não vivam como o servo infiel que voltou só com uma mina que recebeu do seu senhor antes dele partir. Se vocês não conseguem ser como aquele que trouxe as cinco minas, tentem pelo menos ser como aquele que voltou com duas minas. Todos nós poderemos fazer isso se deixarmos de lado o nosso ego.
Agora eu quero que vocês pensem em si mesmos e deixem de lado o seu ego.
Pelo menos uma vez na vida vocês precisam deixar de lado o seu ego. Eu espero que vocês consigam isso com uma fé que declara: “Eu não sou nada diante de ti, Jesus. Tu és é meu Salvador, meu Rei e meu Deus. Não há ninguém como tu. Só tu és meu Deus, meu Senhor que me abençoa e que merece meu serviço. Eu te seguirei vivo ou morto.” Então Jesus os abençoará dizendo: “Já que vocês foram bons e fiéis no pouco, eu os te porei sobre dez cidades.”
Sinceramente eu oro para que todos nós sejamos como o servo fiel que trouxe de volta dez minas ao seu senhor, e para que o Senhor nos dar esta fé.