Проповіді

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 20] Você Tem Esperança no Reino Milenial? (Lucas 20:27-38)

Você Tem Esperança no Reino Milenial?(Lucas 20:27-38)
“E, chegando-se alguns dos saduceus, que dizem não haver ressurreição, perguntaram-lhe, dizendo: Mestre, Moisés nos deixou escrito que, se o irmão de alguém falecer, tendo mulher e não deixar filhos, o irmão dele tome a mulher e suscite posteridade a seu irmão. Houve, pois, sete irmãos, e o primeiro tomou mulher e morreu sem filhos; e o segundo e o terceiro também a tomaram, e, igualmente, os sete. Todos eles morreram e não deixaram filhos. E, por último, depois de todos, morreu também a mulher. Portanto, na ressurreição, de qual deles será a mulher, pois que os sete por mulher a tiveram? E, respondendo Jesus, disse-lhes: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento, mas os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro e a ressurreição dos mortos nem hão de casar, nem ser dados em casamento; porque já não podem mais morrer, pois são iguais aos anjos e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição. E que os mortos hão de ressuscitar também o mostrou Moisés junto da sarça, quando chama ao Senhor Deus de Abraão, e Deus de Isaque, e Deus de Jacó. Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos, porque para ele vivem todos”.
 
 

Que Tipo de Esperança Nós Temos? A Verdadeira Esperança dos Justos?

 
Muitos neste mundo hoje vivem sem esperança. Mas eu quero falar através da Palavra de Deus que isso não acontece conosco. Assim como as flores brotam no campo depois que a tempestade passa, eu creio que o Reino Milenial do nosso Senhor começará logo após este mundo ser destruído. É por isso que eu sempre tenho fé e vivo esperando o reino dos céus. É claro que por algum tempo eu preguei assim: “A volta de Jesus e o arrebatamento logo acontecerão. Por isso temos que nascer de novo e receber a remissão de pecados”. Eu só pregava o evangelho assim porque tinha muitos fardos em meu coração. E eu tinha estes muitos fardos em meu coração porque o mundo estava cada vez mais sombrio. O mundo ficará num estado de quietude antes da tormenta. Nós estamos vivendo em meio à calmaria, a paz que vem depois da tempestade.
Algumas pessoas neste mundo, cientistas, filósofos, religiosos e políticos sabem que o futuro do mundo é sombrio. Por isso que eles estão impacientes e temerosos de viver aqui. Há decepção e impaciência no coração das pessoas porque não há nenhuma esperança neste mundo.
Por que razão os países poderosos estão impondo uma política proibitiva às nações mais fracas para que elas não produzam a bomba atômica? Eles estão preocupados que os países mais fracos comecem uma guerra nuclear se tiverem armas atômicas quando terremotos começarem a acontecer e a fome e a desnutrição assolarem estes países. Eles estão buscando o diálogo, fazendo acordos e implementando sansões econômicas numa tentativa de impedir a devastadora guerra nuclear, pois eles sabem que obviamente toda a humanidade seria destruída se houvesse uma guerra nuclear.
A situação econômica vai ficar ainda pior no futuro. E o futuro no campo da religião também será obscuro. A era das trevas espirituais de fato virão a este mundo. Os historiadores dizem que a Idade das Trevas durou mil anos na Idade Média. Na verdade, durante a Idade Média muitos foram assassinados sob falsas acusações de heresia e bruxaria. E envoltos a estes eventos nefastos sempre estavam os líderes religiosos.
Também podemos chamar esta era que vivemos agora de era das trevas como na Idade Média. Só que nossa esperança é certa. O futuro do mundo pode até parecer sombrio, mas nunca seremos destruídos se descobrirmos a luz brilhante que existe depois das trevas. A razão disso é que sabemos que o Senhor primeiro trará os justos de volta à vida e lhes dará o paraíso do Reino Milenial quando este mundo acabar. E isso mesmo. O Senhor voltará a este mundo, ressuscitará os justos e os fará viver mil anos quando a roda do tempo deste mundo parar. Por isso, temos que manter a esperança que depositamos no nosso Senhor. Mas se não compreendermos isso, não restará mais nenhuma esperança para nós.
Muitos cristãos falam do Reino Milenial citado na Bíblia, mas poucos na verdade se importam com ele. Eles só pensam assim: “Eu não acho que o Reino Milenial será nessa terra. Seria possível um Reino deste na terra, já que o mundo será destruído se houver uma guerra nuclear?” Não há esperança alguma para quem não crê no Reino Milenial. Mas embora seja difícil entender isso com nossa mente humana, saberemos que isso é possível se crermos no Deus que criou todo o universo só com sua Palavra e no seu poder. Por mais que este mundo seja contaminado e devastado, nosso Senhor fará tudo novo quando voltar. “Que o mundo todo seja purificado e bom de se viver!” Quando o Senhor disser isso, o mundo será um paraíso num piscar de olhos. Creia nisso então! Você e eu com toda certeza vivermos com o Senhor neste mundo por mil anos.
 
 

O Fim do Mundo Certamente Virá

 
E um paraíso de cem anos na terra virá depois do fim do mundo. O que acontecerá então quando vier o fim do mundo? Primeiro, os justos que receberam a remissão de pecados e estão dormindo no túmulo voltarão à vida. Além disso, se ainda estivermos vivos, nós seremos transformados de repente e arrebatados para a presença do Senhor, que virá nos céus. Aí então nos uniremos ao Senhor quando ele voltar e vivermos com aqueles que não receberam a marca e os que sofreram o martírio pela fé. É a Bíblia que nos diz isso. Nosso Senhor nos ensinou a orar assim: “Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu” (Mateus 6:10). Quando vemos a oração do Senhor, entendemos que devemos receber a remissão de pecados para que possamos viver no reino dos céus.
No entanto, é difícil viver com esta esperança por mais que creiamos fielmente na vinda do reino de Deus, pois ainda pertencemos a este mundo. Isso quer dizer que é difícil para nós ter esperança no paraíso quando olhamos para este mundo que está quase chegando ao fim. Por isso, temos que nos apegar à Palavra de Deus, ainda nestes dias. Temos que entender que ela é mais importante do que tudo que pensamos ou da situação do mundo. Deus prometeu que ressuscitaria os justos, recriaria o Jardim do Éden que existia no início do mundo, e faria os justos viver felizes como reis por mil anos. Esta é a promessa que o Deus Todo-Poderoso fez a nós.
Deus prometeu: “Eu vou apagar todos os seus pecados. eu farei uma virgem dar a luz a um filho. Eu os enviarei o Messias”. E ele realmente o enviou a este mundo segundo a sua promessa. O Senhor veio a este mundo então e apagou todos os nossos pecados. Deus também prometeu nos ressuscitar e nos fazer felizes como reis neste mundo por mil anos. Temos que aceitar a Palavra e crer nela, já que o Senhor Deus nos prometeu isso.
A Palavra que eu tenho para compartilhar com vocês hoje é sobre a ressurreição dos santos e o Reino Milenial que nosso Senhor prometeu. Vamos ler a Palavra primeiro. A Palavra que lemos no evangelho de Lucas capítulo 20, dos versículos 27 a 38, diz que os saduceus, que afirmavam que não havia algo como a ressurreição, foram até Jesus e perguntaram: “Mestre, Moisés nos deixou escrito que, se o irmão de alguém falecer, tendo mulher e não deixar filhos, o irmão dele tome a mulher e suscite posteridade a seu irmão. Houve, pois, sete irmãos, e o primeiro tomou mulher e morreu sem filhos; e o segundo e o terceiro também a tomaram, e, igualmente, os sete. Todos eles morreram e não deixaram filhos. E, por último, depois de todos, morreu também a mulher. Portanto, na ressurreição, de qual deles será a mulher, pois que os sete por mulher a tiveram?”
Para compreendermos bem a Palavra aqui, primeiro temos que entender a tradição do povo israelita naquela época. O costume deles naquela época era que quando o filho mais velho morria sem ter gerado um filho, seu irmão tinha que se casar com a viúva e com ela gerar filhos. O costume era ter filhos para suceder o irmão falecido. Além disso, os saduceus, que fizeram a pergunta acima a Jesus, eram políticos naquela época. Mas apesar de crer em Deus, eles não criam na ressurreição. Eles diziam que o homem não poderia ressuscitar e que tudo acabava quando alguém morria. Foi por isso que eles perguntaram: “Jesus, tu dizes que há ressurreição e que trarás de volta os mortos. Mas se um homem morreu e todos os seus seis irmãos morreram também sem gerar um filho na viúva, ela será esposa de quem quando houver a ressurreição?”
Vamos organizar a história primeiro. O irmãos mais velho era casado mas morreu sem ter um filho. A viúva então casou com os seis irmãos, pois nenhum deles lhe gerou um filho. De quem então ela será esposa na ressurreição? Foi esta pergunta que os saduceus fizeram a Jesus. E era uma pergunta difícil. Era uma pergunta difícil porque eles queriam constranger Jesus, pois não criam na ressurreição. No entanto, Jesus respondeu à pergunta com a pura Palavra da verdade. Vamos ler a Palavra juntos agora. O Senhor disse: “Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento, mas os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro e a ressurreição dos mortos nem hão de casar, nem ser dados em casamento; porque já não podem mais morrer, pois são iguais aos anjos e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição”.
O que significa a ressurreição aqui? Significa “ser trazido de volta à vida”. Ressurreição é alguém que morreu voltar à vida. E quando alguém ressuscita, sua natureza é igual a dos anjos, dos filhos de Deus. Isso quer dizer que não existe algo miserável com a morte nem relacionamentos humanos como o casamento depois dela. Significa também que quem ressuscita tem sua alegria renovada como filho de Deus, uma alegria diferente da que temos aqui. O Senhor disse àqueles que achavam que não havia ressurreição: “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó. Deus não é Deus de mortos, mas de vivos”.
 
 

Nosso Corpo Será Trazido de Volta à Vida

 
O que quer dizer o texto: “Deus não é Deus de mortos, mas de vivos?” Se nosso corpo não volta à vida depois da morte, nosso Deus então seria Deus de mortos. Mas ele disse que não é Deus de mortos, mas de vivos. Por isso, somos os ressuscitados que foram trazidos de volta à vida na presença de Deus. Para o nosso Deus, que é Deus de vivos, todos nós que nascemos de novo somos pessoas que voltaram à vida. E qual a razão disso? Deus disse que não há morte perante ele porque ele é a essência da vida, que dá uma nova vida a todos.
Por isso que Deus descreve a morte física do homem como dormir. As Escrituras geralmente não usam a palavra ‘morte’. Ela diz apenas que ‘alguém está dormindo’. Até no Novo Testamento Deus diz que é Deus de vivos. Vamos tirar um tempo para ver isso agora? Enquanto Moisés andava no deserto, ele viu uma sarça ardente. Mas era algo estranho porque a planta não se consumia. Ela continuava do mesmo jeito apesar de estar pegando fogo. Moisés ficou maravilhado com aquela visão e se aproximou para ver mais de perto. Então ele ouviu a voz de Deus: “Tire a sandália dos teus pés porque o lugar que estás é terra santa. Eu sou do Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó”. O próprio Deus apareceu no meio da sarça ardente.
Deus diz aqui que é Deus de vivos. Mas Abraão, Isaque e Jacó que ele mencionou estão mortos. Mesmo assim, ele disse: “Eu sou do Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó. Eu sempre serei Deus de vivos”. O que significa realmente esta Palavra então? Quem pensa que está morto na verdade não está, pois para Deus eles estão apenas dormindo. É isso o que a Palavra de Deus quer dizer: “Eu sou o seu Deus e o Deus dos que estão vivos. Aqueles que morreram neste mundo estão dormindo. Portanto, eu sempre serei Deus de vivos”.
Jesus respondeu assim a pergunta dos saduceus que não criam na ressurreição: “Deus não é Deus de mortos, mas de vivos”. O que Deus tem que fazer conosco então para ser Deus de vivos? Ele tem que nos trazer de volta à vida. É isso mesmo. Deus só pode ser Deus de vivos se ressuscitar nosso corpo e o corpo dos que viveram e morreram antes de nós.
Você crê que nosso Deus trará de volta à vida os justos que nasceram de novo e estão no seu túmulo agora? Você crê que quando o Senhor voltar a este mundo, quando acontecer o arrebatamento, ele ressuscitará os que estão no túmulo, os chamará antes de nós e os encontrará nas nuvens primeiro? O apóstolo Paulo diz no capítulo 4 da primeira epístola aos Tessalonicenses: “Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor” (1 Tessalonicenses 4:15-17). Deus disse que ressuscitará e arrebatará primeiro os que estão mortos, e que também transformado o corpo dos que estão vivos e os levará para junto de si. Isso quer dizer que nosso Senhor nos tornará seres eternos quando trouxer os santos que morreram de volta à vida. Você crê na razão da ressurreição? É isso mesmo. Nós temos que crer na ressurreição de Jesus.
A vida de Jesus é a nossa vida, e a ressurreição de Jesus é a nossa ressurreição. A morte de Jesus é a nossa morte, e o batismo de Jesus é o nosso batismo. O castigo que Jesus recebeu na cruz era o nosso castigo, e a ressurreição de Jesus três dias depois de morrer também é a nossa ressurreição. Você crê nisso? A ressurreição de Jesus foi a nossa ressurreição. Primeiro vamos ver se cremos mesmo na ressurreição de Jesus, e depois falaremos da razão da ressurreição segundo as Escrituras.
Você crê na ressurreição? Certamente há ressurreição. Se eu ainda estiver vivo quando o fim do mundo chegar, eu creio que Deus me arrebatará e me levará ao céu num carro de fogo como fez com Elias, não deixando provar da morte, e também como Enoque, que andou com ele e foi arrebatado para o céu. Eu creio que Deus me transformará e me dará um corpo santo como o de Elias e Enoque, ou seja, um corpo santificado que transcende o tempo e o espaço, que pode ir a qualquer lugar, não fica doente, que não tem limites, e me levará ao reino dos céus com os justos que nasceram de novo.
Nosso Senhor virá quando o fim do mundo chegar. A segunda vinda de Cristo com certeza vai acontecer. E podemos crer nisso porque nosso Senhor ressuscitou depois de morrer na cruz. Isso significa que você e eu também voltaremos à vida, já que o Senhor ressuscitou nos ressuscitará. Nós não ficaremos mortos para sempre porque Jesus ressuscitou dos mortos. Você crê nisso?
Vamos ler a Palavra no capítulo 15 da primeira carta aos Coríntios para entender melhor a ressurreição. Está escrito: “Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, então, Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé; e somos tidos por falsas testemunhas de Deus, porque temos asseverado contra Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual ele não ressuscitou, se é certo que os mortos não ressuscitam. Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados. E ainda mais: os que dormiram em Cristo pereceram. Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens. Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem” (1 Coríntios 15:12-20). Como diz a Palavra aqui, Jesus Cristo ressuscitou dos mortos. Ele ressuscitou dos mortos e se tornou as primícias dos que dormem.
 
 

Jesus Cristo Recebeu os Pecados do Mundo no Lugar onde Foi Batizado, Morreu na Cruz e Ressuscitou dos Mortos

 
Foi assim que Jesus ressuscitou. E ao ressuscitar depois de morrer fisicamente, ele se tornou as primícias de todos que serão ressuscitados. Enoque e Elias não ressuscitaram dos mortos no Antigo Testamento. Eles foram arrebatados. Deus os levou para o seu reino de um modo perfeito, sem que eles passassem pela morte. Mas ele fez seu filho passar pela morte neste mundo. Isso quer dizer que nosso Senhor é as primícias dos que ressuscitaram depois de passar pela morte física. Jesus ressuscitou dos mortos. Você crê nisso? Se tivermos fé nisso, você e eu ressuscitaremos como Jesus ressuscitou. Você crê nisso também? Nós seremos trazidos de volta à vida como Jesus.
Vamos ler então outra passagem que fala da ressurreição e se encontra na primeira epístola aos Coríntios capítulo 15, dos versículos 20 a 25. Está escrito: “Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda. E, então, virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder. Porque convém que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos pés.” Amém. Nosso Senhor define a ordem da ressurreição no versículo 23: “Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda. E, então, virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder”.
Quem então é as primícias da ressurreição? Como diz a letra de um hino: “♫Ele ressuscitou! ♪ Ele ressuscitou! ♪ Aleluia! ♫Cristo ressuscitou!” Jesus Cristo é as primícias da ressurreição, pois sofreu a morte física e ressuscitou dos mortos pela primeira vez.
Está escrito que depois ressuscitarão os que estiverem nele na segunda vinda, na vinda de Cristo. “Sua vinda” aqui quer dizer que Deus voltará a este mundo novamente. Além disso, nosso Senhor com certeza nos arrebatará quando voltar; isto é, haverá pessoas de Deus quando ele voltar a este mundo, os que serão arrebatados, os próprios justos. Embora o texto acima não traga a palavra ‘justos’, sabemos que o versículo 24 se refere a eles.
Deus disse que Jesus é as primícias da ressurreição. E quando estas primícias voltar, ele nos arrebatará. “Os que são de Cristo” aqui se refere àqueles que nasceram de novo. “E, então, virá o fim” significa que Deus ressuscitará aqueles que serão julgados depois do arrebatamento dos nascidos de novo. O livro de Apocalipse, no Novo Testamento, também fala sobre isso. Isso significa que haverá um espaço de tempo entre a ressurreição dos justos e a dos ímpios. Está escrito que Jesus Cristo ressuscitará os justos quando ele voltar, e que ele trará os ímpios de volta à vida ao final do Reino Milenial.
Vamos ler o texto que confirma isso e está no livro de Apocalipse capítulo 20, dos versículos 4 a 6: “Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dos decapitados por causa do testemunho de Jesus, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adoraram a besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos. Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição. Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos”. Amém.
É isso mesmo. A ordem da ressurreição é a seguinte: primeiro Jesus Cristo; segundo os que são dele quando ele vier; e terceiro os ímpios que serão condenados. De quanto será o espaço de tempo entre a ressurreição dos justos e a dos ímpios então? Exatamente mil anos. A passagem acima diz: “E viveram e reinaram com Cristo durante mil anos. Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos”.
Há um texto bem parecido no evangelho de João. Vamos ler a Palavra em João capítulo 5, dos versículo 24 a 29. “Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida. Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem viverão. Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo. E lhe deu autoridade para julgar, porque é o Filho do Homem. Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo”.
Esse texto deixa claro que haverá dois tipos diferentes de ressurreição. “Os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo” (João 5:29). A Palavra aqui também quer dizer que aqueles que fizeram boas obras, ou seja, os justos, felicidade e graça eternas através da ressurreição. Por outro lado, os que fizeram o mal, ou seja, os ímpios, não ressuscitarão até que os justos reinem com reis por mil anos. O livro de Apocalipse mostra isso claramente ao nos dizer: “Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dos decapitados por causa do testemunho de Jesus, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adoraram a besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos. Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição” (Apocalipse 20:4-5).
Tanto os justos como os ímpios ressuscitarão, mas haverá um claro espaço de tempo entre os dois, e as consequências da ressurreição também serão muito diferentes. Os justos ressuscitarão mil anos antes dos ímpios. Além disso, a morte não terá mais poder sobre os justos, eles serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e receberão a bênção de reinar como reis com Jesus por mil anos.
Você tem o testemunho de Jesus? Você tem fé no coração que Jesus é mesmo o seu Salvador? Eu estou certo que você tem. Você e eu temos esta fé. No entanto, os que não conhecem o evangelho do Senhor não têm esse testemunho no coração, pois não conhecem a Palavra de Deus e a verdade. Isso quer dizer que eles não têm no testemunho de Jesus (1 João 5:10). Podemos fazer uma distinção bem clara aqui. Os que têm o testemunho de Jesus, os que não receberam a marca da besta durante a Tribulação, e os que serão martirizados ao longo dela e ressuscitarão mil anos antes dos ímpios. Estes reinarão neste mundo com Cristo por mil anos.
Os que têm o testemunho de Cristo viverão neste mundo como reis por mil anos. O resto da pessoas que não têm o testemunho de Jesus Cristo, por outro lado, não ressuscitarão antes que acabe o Reino Milenial. Os ímpios que não nasceram de novo não podem ressuscitar para participar do milênio. Está escrito: “Os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo” (João 5:29). Vemos aqui que há duas ressurreições, mas as consequências de ambas serão bem diferentes. Nós ressuscitaremos para reinar como reis por mil anos. Nós estamos sofrendo agora esperando este dia.
Por que este mundo precisa de um Reino Milenial? Por que nosso Senhor instaurará um Reino Milenial neste mundo? Para recompensar a nós que sofremos depois que recebemos a remissão de pecados e nascemos de novo. Deus dirá aos seus filhos que sofreram: “Vocês sofreram muito neste mundo. Agora venham viver comigo”. Deus recompensará a todos nós. Ele não esquecerá de ninguém.
Mas que tipo de paraíso seria este se Deus fizesse acepção de pessoas? O paraíso celestial não tem classe de pessoas. Deus disse que dará a todos a mesma recompensa pelo trabalho duro que fizemos por ele e enxugará nossas lágrimas. Isso significa que ele ressuscitará os justos que estão dormindo e dará a eles a recompensa por seu trabalho duro fazendo tudo novo neste mundo por mil anos. Isso significa que ele irá recompensá-los. Você está entendendo?
Depois que a recompensa de mil anos passar, Deus ressuscitará os ímpios. Ele os ressuscitará e então os fará passar pelo julgamento do Trono Branco. Aí ele enviará ao seu reino eterno os justos cujo nome está escrito no Livro da Vida, e lançara no fogo do inferno os pecadores cujo nome não está escrito nele. E este juízo de Deus será eterno. Assim como Jesus Cristo vive eternamente, seu juízo também será eterno.
O Senhor nos diz: “O homem tem que nascer duas vezes. Ele tem que nascer de novo. Ele tem que crer em mim duas vezes; uma vez como pecadores, e outra vez como santos nascidos de novo. Ele tem que receber uma nova vida, a vida eterna, ao receber a remissão de pecados”. É isso o que Jesus está nos dizendo. Ele está dizendo isso duas vezes a nós, seres humanos. Portanto, você e eu temos que nascer duas vezes. Os justos que nasceram de novo ressuscitarão mil anos antes dos ímpios que não nasceram de novo. E nós, os justos, viveremos como reis no novo mundo por mil anos depois de ressuscitar. Eu quero que você entenda bem isso. A ressurreição dos justos ocorrerá quando este mundo sombrio acabar. Você está entendendo?
O Senhor diz claramente no texto bíblico deste capítulo que haverá um espaço de tempo entre a ressurreição dos justos e a dos ímpios. O apóstolo Paulo também diz na sua primeira epístola aos Coríntios capítulo 15: “Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda. E, então, virá o fim”.
Você e eu com toda certeza precisamos de um paraíso celestial. Mas o que aconteceria se não houvesse tal paraíso neste mundo? Todos ficariam em dúvida: “O que acontecerá se não houver paraíso? Por que então eu deveria crer em Cristo e sofrer tanto? Por que as pessoas sofreriam tanto depois de crer em Jesus? Por que elas seriam perseguidas depois de crer nele?” Você e eu não somos tolos. Se não houvesse um paraíso celestial neste mundo, ou se todos fossem para o céu crendo em Jesus ou não, que necessidade haveria de crermos em Jesus, fazermos parte da sua Igreja ou até mesmo sofrer por ele? Mas isso não é verdade. A verdade é que só iremos para o céu se conhecermos a justiça de Jesus e crermos nela. Você crê nisso?
Quem não crê nisso não pode aceitar o evangelho da água e do Espírito ou dar testemunho dele. Por que sofreríamos tanto se não houvesse um paraíso? É claro que fazemos tudo isso porque é o certo a fazer, mas por que razão faríamos isso? No entanto, eu sou muito feliz agora por ser alguém que prega o evangelho da água e do Espírito. Eu sou feliz apesar do desprezo, da rejeição e da perseguição das pessoas do mundo, pois creio que receberei minha recompensa quando o Senhor voltar. Eu espero a recompensa de ser ressuscitado e ir para o céu.
 
 

Nosso Senhor Certamente Nos Recompensará

 
O Senhor disse claramente: “Eu lhe darei autoridade para reinar sobre dez cidades”. E também disse: “Eu farei você reinar no paraíso na terra como um rei por mil anos”. Haverá muitas pessoas neste mundo quando o Senhor voltar. E todas serão seu povo. É claro que não estaremos magoadas com elas. E não nos sentiremos assim porque o Senhor prenderá o diabo nesta época. Mas algo que está bem claro que as pessoas que tiverem seu corpo transformado viverão com as que possuem um corpo terreno. Deus disse que lançará o diabo no profundo abismo por mil anos porque ele é a causa do pecado. Mas nós viveremos neste mundo por mil anos.
Nós que nascemos de novo tomaremos parte na primeira ressurreição. Quando participará da primeira ressurreição além de nós? O Senhor diz claramente que nós é que somos os abençoados que participarão da primeira ressurreição. Deus disse que ressuscitará os que têm o testemunho de Jesus Cristo na segunda ressurreição com aqueles que foram martirizados por ele e não receberam a marca. E os ímpios eles ressuscitará por último. Isso nos mostra claramente que Deus separou a ressurreição dos justos e a dos ímpios.
Nosso Senhor disse que cumprirá tudo que disse. E já que ele disse isso pessoalmente, a ressurreição dos justos com toda certeza acontecerá mil anos antes da ressurreição dos ímpios. Além disso, o propósito das duas ressurreições é diferente. Os justos ressuscitarão para herdar o céu que Deus lhes prometeu, enquanto que os ímpios ressuscitarão para receber de Deus a condenação. Você entende bem a diferença? Você crê nesta Palavra?
Amados irmãos, nós vamos mesmo ressuscitar. E é como esta esperança que devemos viver. Embora este mundo vá ser destruído, nós somos pessoas que jamais serão destruídas. Por mais que este mundo acabe, nós nunca pereceremos. Quando o tempo deste mundo terminar, o Senhor virá a ele e governará como o seu Rei. Ele governará como Rei junto com aqueles que fazem parte do seu povo. Por outro lado, aqueles que não pertencem a ele ressuscitarão depois do Reino Milenial e serão lançados no fogo eterno do inferno. O diabo estará lá com todos que o adoraram e o seguiram. Mas aqueles que creem no Senhor Jesus e o seguem estarão com ele no Reino Milenial e também irão com ele para o reino de Deus. Esta é a verdade sobre o Reino Milenial. Você está entendendo?
Este mundo é mesmo oprimido. E ele seria mais oprimido ainda se Jesus Cristo não tivesse ressuscitado dos mortos. Mas eles com toda certeza ressuscitou. É por isso que o Senhor ressuscitado nos trará de volta à vida também. Nós seríamos as pessoas mais miseráveis deste mundo se não ressuscitássemos. Não seria realmente terrível se não fôssemos ressuscitar? Se fosse assim, eu não teria esperança alguma no Senhor. Se não houvesse o Reino Milenial, se não houvesse um paraíso neste mundo, eu não teria coragem mesmo se cresse em Jesus e não veria necessidade algum de pregar o evangelho da água e do Espírito novamente. Por que eu pregaria o evangelho se fosse assim? Todos nós pararíamos de pregar o evangelho se não houvesse um paraíso para nós nessa terra.
Mas temos esperando porque o Reino Milenial espera por nós. E por isso temos que pregar o evangelho a todos. Temos que pregar assim: “Vocês com toda certeza ressuscitarão se crer em Jesus corretamente. Vocês com toda certeza voltarão à vida. Se vocês crerem em Jesus e receberem a remissão de pecados, vocês com toda certeza tomarão parte na ressurreição dos justos, mesmo se já tiverem morrido. Deste modo, vocês receberão uma nova vida, reinarão neste mundo com reis, irão para o reino dos céus e viverão lá para sempre. Mas se vocês não crerem em Jesus Cristo, vocês ressuscitarão mas serão lançados no inferno”. Nós temos que pregar a verdade sobre a ressurreição para todas as pessoas. O que eu estou dizendo é que precisamos pregar que há ressurreição.
Qual é de fato a coisa mais importante no Cristianismo? A primeira é a remissão de pecados e a segunda é a ressurreição que trará os mortos de volta à vida. A marca do Cristianismo é marca da ressurreição. A marca do Cristianismo é que o corpo e o coração onde não mais houver vida ressuscitarão. E esta é a maneira pela qual devemos seguir o Senhor. Esta é a maneira de se crer em Deus.
Nós temos pregado o evangelho do Senhor até hoje. E como devemos pregar exatamente evangelho estes dias? Temos que pregar o caminho para a ressurreição. Temos que pregar assim: “Mesmo que este mundo acabe, nós ressuscitaremos. Nós que recebemos a remissão de pecados viveremos no Reino Milenial depois de ressuscitarmos”. Nosso Senhor falou sobre o caminho da ressurreição várias vezes. E todos os discípulos também pregaram sobre isso. Melhor dizendo, eles pregaram que Jesus ressuscitou dos mortos. Eles pregaram o caminho da ressurreição pela fé. Não devemos então pregar o caminho da ressurreição estes dias também? Temos que pregar o caminho da ressurreição, a verdade de que todos ressuscitarão.
Qual é o maior desejo de todos que vivem neste mundo? É viver para sempre, ou seja, ressuscitar dos mortos. A maior dúvida de toda a humanidade é: “Há como evitar a morte?” Só que não há como evitar a morte. Só tem um jeito: crer em Jesus Cristo, o caminho da ressurreição. É isso mesmo. Se crermos em Jesus Cristo, nós seremos ressuscitados mil anos antes dos ímpios, teremos uma vida maravilhosa e feliz, viveremos no céu eterno e desfrutaremos da vida eterna para sempre. Este é o caminho da ressurreição. Por isso, todos nós temos que pregar este caminho da ressurreição a todos neste mundo. Nós temos que pregar o caminho da ressurreição. Temos que pregar este caminho, nada mais. Temos que pregá-lo junto com o evangelho. Assim temos que levar as pessoas a ter esperança na ressurreição.
Por mais que a política, a economia e as religiões deste mundo estejam indo de mal a pior, nosso coração nunca deve perder a esperança. Temos que crer que nosso Senhor nos ressuscitará quando este mundo sombrio chegar ao fim. Além disso, temos que crer que o Senhor renovará o universo e nos fará viver num paraíso onde até as serpentes venenosas não nos picarão, mesmo que coloquemos a mão na sua toca. Eu quero que você creia sempre nisso.
Depois que ressuscitarmos e vivermos no paraíso nessa terra, nós encontraremos Abraão e o ladrão que morreu ao lado direito de Jesus Cristo na cruz, a quem ele prometeu que estaria consigo no paraíso. Você está entendendo? O paraíso na terra é um pouco diferente do reino dos céus. O paraíso na terra é o Reino Milenial que o Senhor nos prometeu. Nós encontraremos o apóstolo Paulo e João. Nós os encontraremos e receberemos a recompensa que o Senhor nos dará por mil anos, reinaremos com ele como reis e vivermos em paz sem o diabo. É assim que viveremos com nosso Senhor Jesus Cristo.
É por isso que precisamos ter esta esperança. Mas isso não significa que nossa vida vai acabar só porque o mundo chegará ao fim. O que eu quero dizer é que isso não será o fim para o nosso corpo e a nossa alma. Jesus Cristo virá a este mundo novamente quando ele acabar. E nós reinaremos como reis e desfrutaremos da vida eterna por mil anos graças ao Rei dos reis, Jesus Cristo. Portanto, temos que ser os justos que pregam o evangelho do Senhor, que o servem e o seguem cheios de esperança.
Eu creio sinceramente na providência da ressurreição e louvo ao Senhor. Eu sou muito grato ao Senhor que deu esta esperança a nós, os justos. Os que receberam de fato a remissão de pecados seriam as pessoas mais miseráveis deste mundo se o Senhor não cumprisse a promessa da ressurreição e não tivesse deixando registrado no livro de Apocalipse a promessa do Reino Milenial. Se fosse assim, aqueles que receberam a remissão de pecados teriam que suportar tudo neste mundo com uma remota esperança no reino dos céus.
Mas nosso Senhor voltará a este mundo e renovará tudo no universo. Além disso, ele reinará no Rei no paraíso nessa terra que ele recriará, assim como dará poder a nós que cremos nele. E sou grato ao Senhor por nos permitir viver no paraíso neste mundo.