Sermões

Assunto 13: O Evangelho Segundo MATEUS

[Capítulo 25-4] (Mateus 25:14-30) Faça a Obra do Senhor

(Mateus 25:14-30)
“Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e entregou-lhes os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade. Então partiu. Tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles e ganhou outros cinco talentos. Do mesmo modo, o que recebera dois ganhou também outros dois. Mas o que recebera um foi, cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor. Muito tempo depois veio o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles. Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, confiaste-me cinco talentos. Olha, aqui estão outros cinco talentos que ganhei com eles. O seu senhor lhe disse: Bem está servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei. Entra no gozo do teu senhor. Chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: ‘Senhor, entregaste-me dois talentos; olha, com eles ganhei outros dois.’ Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei. Entra no gozo do teu senhor. Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: ‘Senhor, eu sabia que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste e, atemorizado, escondi na terra o teu talento. Aqui tens o que é teu. Respondeu-lhe, porém, o seu senhor: Mau e negligente servo, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros, e quando eu viesse, receberia com os juros o que é meu. Tirai-lhe o talento, e dai-o ao que tem dez. Pois a qualquer que tiver, será dado, e terá em abundância. Ao que não tiver, até o que tem lhe será tirado. Lançai para fora o servo inútil, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes.”
 
 
Hoje novamente o Senhor nos ensina algumas lições importantes através da parábola dos talentos. Nós temos tido muitos ensinamentos sobre essa passagem e ela já nos é familiar. Então nós vemos um senhor que foi para outro país, e confiou seus bens nas mãos de seus leais servos. O servo a quem muito foi confiado, muito obteve e os devolveu ao senhor, e aquele a quem pouco foi confiado, pouco obteve e também o devolveu ao senhor. Mas a quem foi dado menos não usou o que lhe foi dado. Ao invés disso, o enterrou. Quando o senhor voltou, ele devolveu ao senhor exatamente o que lhe foi dado. Então ele foi repreendido por seu senhor e lhe foi tirado até o que já tinha. No final ele foi lançado fora da presença do seu senhor e de seu reino, por isso foi amaldiçoado a ir para um lugar onde há choro e ranger de dentes.
Nós conhecemos bem essa passagem. O senhor disse: “Um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e entregou-lhes os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade. Então partiu.” Antes do homem partir, ele deu certas tarefas para os servos realizarem. A palavra talento realmente significa ‘capacidade.’ Mas nessa parábola, ela significa a quantidade de ouro e prata. No tempo de Jesus, um talento era igual a 6.000 denários, e um denário equivalia a um dia de trabalho. Então, um talento era uma grande quantia de dinheiro.
Assim, vemos através dessa parábola Deus dando vários talentos e responsabilidades aos Seus servos. A alguns Ele deu muito trabalho, e a outros Ele deu pouco para fazer. Precisamos entender que Deus nos deu trabalho a fazer. Ele nos salvou através do evangelho da água e do Espírito e deu a cada um de nós um trabalho de acordo com os nossos talentos, os quais Ele mesmo nos concedeu. Primeiro de tudo, Ele deu a cada um de nós o talento e a habilidade para fazer Sua obra de uma maneira ou de outra. O Senhor nos deu certas tarefas para realizar, e então voltou para o céu. Antes de ir, Ele disse que voltaria e recompensaria Seus servos pelo seu trabalho, e que a eles também seria dado o Reino Milenial e o Reino dos Céus. Deus nos deu trabalhos para fazer com os vários talentos e habilidades necessários para realizá-los. A alguns Ele deu muito trabalho para fazer, e a outros Ele deu menos trabalho.
O servo que recebeu cinco talentos e o que recebeu dois talentos, ambos fizeram o melhor para cumprir com suas responsabilidades e fazer seu senhor feliz. Mas o que recebeu um talento não foi fiel em realizar sua tarefa. Ele recebeu um talento e devolveu exatamente o mesmo talento ao seu senhor, e ainda foi repreendido por ele. O que de fato o servo estava dizendo era: “Eu sei que você é um mau senhor, que ceifa onde não semeou, por isso eu não fiz nada com o talento que me deu. Então eu o enterrei da maneira como me foi dado, e agora estou devolvendo-o para você.” Como resultado de sua desobediência, esse servo foi lançado fora do Reino de Deus, e chorou e rangeu os dentes nas trevas exteriores. Certamente você conhece essa passagem muito bem. O ponto principal no qual estou me atendo é na parte em que Deus confiou Sua obra aos Seus servos.
Deus deu talentos a cada um de nós que recebemos a remissão de pecados para fazer a Sua obra. Alguns são mais talentosos em uma área, e outros são mais talentosos em outra área. Sem exceção, a todos os que receberam a remissão de pecados foi dada a capacidade e o talento para fazer a Sua obra. Com isso, Deus confiou Sua obra a nós que recebemos a remissão de pecados. Ele deu a alguns santos, grandes responsabilidades, e a outros, responsabilidades menores, tudo de acordo com seus talentos individuais. Mas nós vemos que o que recebeu um talento não mexeu sequer um dedo para fazer o trabalho. Essa pessoa pode até ter recebido o evangelho, mas não teve o discernimento de que Deus lhe deu um talento, e que também lhe deu trabalho para fazer com esse talento. Ele somente ouviu e creu no evangelho, mas ignorou todo o mandamento de Deus.
Contudo, o que recebeu cinco talentos foi, conseguiu outros cinco talentos e os devolveu ao seu senhor. O que recebeu dois talentos também conseguiu mais dois talentos e devolveu os quatro ao seu senhor. Mas o que recebeu um talento simplesmente o pegou e o devolveu para o seu senhor, dizendo: “Eu sabia que eras um homem duro, que não nos deu muito e ainda nos tirou o que tínhamos. Pensando assim, eu escondi o que você me deu e o trouxe de volta da maneira como recebi. Você não nos deu nada além de trabalho para fazer. Então aqui está o talento que você me confiou.”
Como viveremos após recebermos a remissão de pecados? O que o Senhor diz àqueles que receberam a remissão de pecados? O que essa passagem diz àqueles que receberam a remissão de pecados? Nós não podemos fazer a obra de Deus após termos recebido a remissão de pecados? Como podemos não fazer a obra de Deus, se cada um de nós recebeu um talento? Alguns receberam o talento de trabalhar com computadores, alguns receberam muita força e o talento para usá-la, e outros ainda receberam o talento de trabalhar com as mãos, com os pés, ou outros talentos para servir ao Senhor de diversas formas. Deus deu a cada um de nós certos trabalhos para fazer, para que possamos servi-Lo em uma área específica. Então, como podemos pensar que não tem problema alguém ter recebido a remissão de pecados, e ainda se recusar em fazer a obra de Deus?
Isso é o que iremos analisar cuidadosamente hoje. O Senhor disse que é um grande erro e uma atitude ruim pensar que não há nada de errado alguém ter recebido a remissão de pecados e ainda se recusar a fazer a obra de Deus. Aqueles que receberam a remissão de pecados não têm outra alternativa a não ser fazer a obra de Deus. Os que não fazem a obra de Deus são maus. Como Deus considera essas pessoas? Ele as considera iguais aos que não receberam a remissão de pecados. Na verdade, os que receberam a remissão de pecados, mas se recusam fazer a obra de Deus, já estão mortos.
Deus confiou Sua obra a nós, após nos fazer entender e crer no evangelho da água e do Espírito. Então, como podemos não fazer a obra do Senhor? Deus considera os que não se dedicam fielmente a fazer a obra que Ele lhes confiou, como servos maus e preguiçosos. Nós devemos fazer a obra de Deus. Isso é algo que não devemos negligenciar. Como Deus trata os que se recusam a fazer Sua obra? Ele os trata como pessoas más. Essas pessoas dão um fruto mau e acabam sendo amaldiçoadas por Deus.
O que acontecerá se você receber a remissão de pecados e não fizer a obra de Deus, dizendo: “Eu recebi realmente a remissão de pecados, mas o que acontecerá se eu não fizer Sua obra?” Sem dúvida nenhuma, você tentará realizar os desejos da sua carne, acumular riquezas, orar com ‘imposição de mãos’ sobre a cabeça das pessoas e se gabar disso. Depois disso, você tentará acumular muito dinheiro para comprar uma enorme casa e um carro luxuoso para viver em abastança. Você não faria isso? É claro que sim. O que Deus pensará se você não fizer a obra a qual Ele lhe confiou, sendo você alguém que conhece bem o evangelho e crê nEle? Sem dúvida nenhuma, a bíblia diz que Ele o considerará como alguém traiçoeiro e mau dentre todos os que são maus, e como alguém pior do que os que não receberam a remissão de pecados.
O Senhor disse: “Mas o que não a soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será castigado. A qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou muito mais se lhe pedirá” (Lucas 12:48). O que acontecerá se formos negligentes com a obra de Deus, e não servirmos o evangelho após termos recebido a salvação? Para Deus, seremos como um espinho em Seus olhos, como um filhote de serpente. Seremos como os que matam as almas das pessoas do mundo, ao invés de salvá-las como Ele ordenou. “Eles serão lançados no inferno. Eles já foram salvos? Que salvação? Tudo está anulado!” Isso é o que Deus fará quando olhar os que não servem o evangelho.
Mesmo na organização desse mundo, nas casas, há pais e filhos, na companhia, há presidente e empregados. E numa companhia existem departamentos, cada um com seu líder e uma equipe cuidando de sua respectiva tarefa. Se alguém não cumprir com sua tarefa, como ele ficará aos olhos do presidente da companhia? O presidente olhará para essa pessoa com muito desdém. Como o presidente se sentirá com um empregado que vive descontente, criticando tudo, não tendo consideração pela empresa, fazendo greves, e pedindo por aumento o tempo todo? Um emprego assim será visto como um inimigo e logo será demitido.
Após recebermos a remissão de pecados, devemos lembrar que se não fizermos a obra de Deus, isso não afetará somente a obra, mas impedirá que outros recebam a salvação, devido à nossa desobediência. Outros podem receber a remissão de pecados se nós que já a recebemos, nos dedicarmos a pregar o evangelho àqueles que buscam a Palavra de Deus, a fim de receberem essa remissão. O Senhor está dizendo que Ele nos cobrará pelo pecado de não pregarmos esse evangelho, e a conseqüência pela negligência dessa obra, é o impedimento das pessoas em receber a verdadeira salvação. Em Ezequiel podemos ver que o Senhor cobrará da mão do atalaia se ele, negligenciando seu trabalho, deixar que a nação seja tomada (Ezequiel 33:6).
Após ter recebido a remissão de pecados, certa vez eu me vi em um tempo difícil, e até pensei: “Eu devo deixar de lado meu trabalho pela paz da minha casa. Devo calar minha boca pelo bem dos que me cercam. Eles ficarão melhor se eu desistir de servir o evangelho.” O que teria acontecido se eu tivesse sucumbido a essa situação e calado meus lábios? Primeiro, minha família não teria ouvido esse evangelho. Segundo, os que me cercam não teriam ouvido o evangelho. Terceiro, os que estão no mundo não teriam ouvido o evangelho.
Eu lutei com essa questão, pensando: “Devo me calar e ficar na denominação pelo meu próprio conforto, ou devo servir o evangelho e fazer a obra de Deus, mesmo que isso signifique passar por muitas dificuldades, sofrer perseguição e ser posto para fora da denominação?” Após muito meditar e ponderar, eu decidi ficar do lado do Senhor, fazendo essas declarações: ‘Eu servirei o evangelho. Eu farei a obra de Deus. Não se encontra nenhum outro evangelho verdadeiro no mundo. Como eu posso me calar quando esse evangelho não existe no mundo inteiro? Eu conheço esse evangelho e recebi a remissão dos meus pecados. Mas há muitas pessoas que não conhecem e não crêem nele. Como elas ouvirão o evangelho se eu não o pregar?’
Então, depois disso eu tomei a decisão final. Pensando comigo mesmo, eu decidi resolutamente: ‘Eu devo fazer a obra de Deus. Eu farei a obra de Deus de pregar o evangelho por todo o mundo. Creio que é isso o que eu tenho que fazer mesmo que seja muito difícil.’ Mesmo tendo muita dificuldade no começo, eu pensava que isso não era nada comparado ao que Moisés enfrentou. Eu pensava: ‘Moisés deixou o seu palácio no Egito com toda sua riqueza, e caminhou pelo deserto de Midiã por quarenta longos anos, cuidando de ovelhas e seguindo o Senhor. O que é que eu estou fazendo comparado a isso? Além disso, um nascido de novo deve trabalhar para uma grande e justa causa nesse mundo, ao invés de viver por uma ganância egoísta.’ Após ter me decidido seguir o Senhor a qualquer preço, eu senti paz em meu coração. Foi difícil mas não me importei com isso, pois aquela era a decisão certa a se tomar.
Assim eu comecei a crer e a servir o evangelho da água e do Espírito e fazer a obra de Deus. Como resultado do meu comprometimento, Deus me deu muito trabalho para fazer, e me disse para pregar esse evangelho a todo o mundo. Ele também me disse: “As pessoas do mundo não conhecem o evangelho da verdade. Mesmo os teólogos e pastores, assim como todos os cristãos no mundo não conhecem isso.” Munido desse precioso evangelho e das instruções de Deus, decidi que deveria confrontar todos os teólogos e denominações do mundo. Através disso eu vim a compreender a vontade de Deus, e decidi segui-Lo. Algumas dessas pessoas me disseram: “Você é o Lutero? Você se acha tão grande que pode se importar com as pessoas do mundo todo? Vá tomar conta da sua vida.” Bem, eu não sou Martinho Lutero.
Martinho Lutero foi um reformador religioso. Naquele tempo, os nobres da Alemanha pagavam muitos impostos para o Papa, incluindo os reis da Europa. Essas severas leis religiosas da Igreja Católica Romana vigoravam na maioria dos países ocidentais, e a violação das mesmas não era tolerada. Assim, o poder do Papa chegou ao auge. A Igreja Anglicana foi estabelecida na Europa, porque o Papa não aprovou o segundo casamento do Rei Henry, o oitavo da Inglaterra. Você sabia que Martinho Lutero era um padre católico? Havia uma cidade de governo independente dentro de Roma chamada de Vaticano, e o Papa reinava absoluto nessa cidade. Eles precisavam de uma grande soma de dinheiro para construir a Catedral de São Pedro ali. Então para conseguir fundos, o Papa Léo, o décimo, ordenou que seus homens vendessem indulgências. Eles vendiam indulgências à força, dizendo: “A indulgência que você comprou irá livrar seus pais do inferno e os colocará no purgatório. E dando dinheiro para essa causa, ela os tirará do purgatório e os colocará no céu.” Assim, essas pessoas ingênuas pagaram muito dinheiro pelas indulgências.
Martinho Lutero viu tudo, e achou que isso estava muito errado. Então ele publicou as 95 teses que acusavam os erros da Igreja Católica daquela época. Isso causou um problema sério e eles o chamaram de traidor. O Papa quis matá-lo por causa disso. Mas os nobres alemães que queriam acabar com a opressão do Papa romano protegeram Martinho Lutero. A história nos diz que Martinho Lutero ficou em um quarto isolado traduzindo as Escrituras. E ele também escreveu cartas de confrontação para a corte papal no Vaticano. Conseqüentemente, isso veio a se tornar a Reforma Religiosa do século 16. Calvino da França entrou em cena depois disso e depois que John Knox se levantou na Escócia, assim como muitos outros que levaram a reforma religiosa para a Europa. Contudo, a reforma religiosa não tem nada a ver com a verdade do evangelho da água e do Espírito. Esses chamados reformadores religiosos não pregaram o verdadeiro evangelho da água e do Espírito.
Eu creio que Deus deu talentos e habilidades a todos os que receberam a remissão de pecados, e que Ele confiou aos tais a Sua obra. Também podemos ver isso na passagem bíblica de hoje. Esse mundo não poderia receber a salvação se todos os nascidos de novo recebessem sua salvação e esquecessem a obra de Deus. Por isso estou lembrando a vocês que “Os que não fazem a obra de Deus após terem recebido a remissão de pecados são maus.” Eles são as pessoas mais traiçoeiras e malignas dentre todas. Alguns falam sobre isso, dizendo: “Apesar disso, eles não receberam a remissão de pecados? Se é assim, por que Deus os lançaria no inferno?” Na passagem bíblica de hoje, o Senhor diz que lançará essas pessoas preguiçosas fora de Seu Reino.
Vamos ler juntos em Mateus 25:24-25, para que você não pense que o que eu estou dizendo saiu da minha cabeça. Está escrito: “Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: ‘Senhor, eu sabia que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste e, atemorizado, escondi na terra o teu talento. Aqui tens o que é teu.’”
O que precisamos entender aqui, é que Deus deu a esse servo um trabalho específico para fazer. Mas ele não usou o talento e fez sua própria vontade. Ele pensou: “O que Ele me deu? Ele não me deu nada. Ele só pediu para eu trabalhar para Ele. Ele é o tipo de pessoa que tira de um lugar o que Ele não plantou, e colhe o que não semeou. Ele não me dá nada, mas sempre me pede para fazer coisas.” Ele pensava isso do seu senhor. Por causa dessa terrível atitude contra seu senhor, ele se recusou a fazer a obra que Deus lhe confiou, mesmo tendo ouvido o evangelho e recebido a salvação. O que quer que tenha feito, ele fez por si próprio, e nunca levantou um dedo ou fez alguma obra para Deus até o dia da sua morte.
Depois seu senhor voltou quando ele não estava esperando. Quando chegou a hora da prestação de contas, esse servo expressou seu descontentamento contra seu senhor, dizendo: “Eu sabia que você voltaria, porque disse que o faria. Você é realmente um homem duro, pois pediu para trabalharmos para você em troca de nada.” Podemos entender com isso que o Senhor deu talentos e bênçãos a alguém que recebeu a remissão de pecados, e confiou a ele a Sua obra. Mas o servo pensou que o talento era seu, e fez Sua própria obra ao invés da obra de Deus. Então, como o Senhor tratará uma pessoa assim? Somente o castigo o aguarda, mesmo ele tendo aceitado a verdadeira mensagem.
Está escrito nos versículos 26-30: “Respondeu-lhe, porém, o seu senhor: ‘Mau e negligente servo, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros, e quando eu viesse, receberia com os juros o que é meu. Tirai-lhe o talento, e dai-o ao que tem dez. Pois a qualquer que tiver, será dado, e terá em abundância. Ao que não tiver, até o que tem lhe será tirado. Lançai para fora o servo inútil, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes.’”
Quando Deus confia Sua obra a alguém que, por algum motivo não pode realizá-la, ele deve passá-la para outra pessoa e se liberar da responsabilidade. Mas se ele não se importa com isso ou até deixa outra pessoa fazer a obra que lhe foi confiada, ele está impedindo que a obra seja feita ao enterrá-la. Então, apesar de ter ouvido e crido no evangelho, o que acontecerá a ele por causa desse pecado? Está escrito: “Lançai para fora o servo inútil, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes.” Onde são as ‘trevas?’ Não é o inferno? Deus é duro e severo com esses preguiçosos problemáticos. Ele os imputa mais mal do que àqueles que não nasceram de novo porque estes não conhecem esse precioso evangelho. Uma pessoa que ainda não recebeu a remissão de pecados tem uma chance de ser salva, mas uma pessoa que crê e, voltando atrás, se torna um pecador, não há como se arrepender novamente.
Aqui, um talento, dois talentos e cinco talentos, indicam a quantidade de obra que cada servo tinha que fazer. Independente de quanta foi confiada a eles, o que acontece com os que não cumprem com suas responsabilidades e deixam a igreja? Ao fazer isso, eles matam milhares de pessoas. Essa é a conseqüência dos que não poderão evitar a ira de Deus. Como podemos pensar tal coisa, quando temos uma boa consciência?
O Senhor deixou seu trono no céu e veio a este mundo miserável na forma de Sua própria criação, o homem. Ele viveu por 33 anos para levar os nossos pecados. E para levar os nossos pecados, Ele recebeu Seu batismo, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos. Como podemos não ser testemunhas de tal salvação e viver somente para nós mesmos, se Ele teve que passar por essa humilhação por 33 longos anos para purificar nossos pecados e nos garantir essa salvação? Esses 33 anos nos quais Deus esteve nesse mundo que Ele mesmo criou, foi um longo período. Durante o tempo que esteve nessa terra, o Senhor fez tudo o que devia pelo nosso bem. Ele orou no Getsêmani: “Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.” Então, o Senhor foi à cruz após levar os pecados do mundo.
O Senhor sabia que tudo aconteceria como estava escrito, e Ele não se defendeu na corte de Pilatos. Ele poderia ter evitado a pena de morte e escapado de uma prisão injusta, se tivesse se defendido. O governador Pilatos O libertaria se Ele simplesmente dissesse: “Eu não sou o Deus dos quais os judeus estão falando, e também nunca disso isso.” Pilatos diria: “Só me confirme isso; que Você não é o Rei dos judeus. E eu O deixarei ir. Eu tenho poder para libertá-Lo. E me parece que Você não é má pessoa. Só confirme isso e eu O deixarei ir.” Pilatos realmente queria deixar Jesus ir, mas o Senhor não disse nada. Por que Jesus ficou calado, sem dizer uma palavra? Ele sabia que tinha de ser pregado na cruz e derramar Seu sangue, porque já tinha recebido o batismo e levado todos os pecados do homem sobre Si mesmo. Foi por isso que Ele não disse nada.
Por quem você acha que Ele fez isso? Jesus fez isso para cumprir a obra de Deus Pai, e completar a obra de salvar-nos de todos os nossos pecados. O Senhor nem se defendeu. Ao invés disso, Ele recebeu a punição para salvar a você e a mim do pecado. Em Seu último suspiro na cruz, Ele clamou: “Está consumado”, e morreu. Depois disso Ele ressuscitou dos mortos no terceiro dia, e foi assunto aos Céus. Então, Ele se tornou o Salvador eterno para todos nós. O livro de Hebreus diz que “Ele foi obediente e fiel à vontade do Pai apesar de ser o verdadeiro Filho de Deus.”
Éramos verdadeiramente filhos de Deus? Não, é claro que não. Éramos meras criaturas pecadoras. Por criaturas como nós, Deus Pai enviou Seu único Filho ao mundo, e através dEle apagou todos os nossos pecados pela água e pelo sangue, e nos deu Sua perfeita salvação. Então, nós agora podemos receber a salvação através do evangelho da água e do Espírito que Ele nos deu, e assim nos tornar filhos de Deus. Deus deu aos Seus filhos a obra de pregar o evangelho para as pessoas desse mundo. Se nós que somos filhos de Deus, nos recusarmos a fazer a obra que Ele nos confiou, então me diga quem fará essa preciosa obra? Que tipo de pessoa nos tornaremos se não fizermos essa obra? Nos tornaremos pessoas ingratas que não são dignas de entrar em Seu Reino.
Eu também sou um ser humano, e milhares de pensamentos passam pela minha cabeça. Mas eu creio totalmente nEle e confesso: “Não importa por qual dificuldade ou sofrimento eu esteja passando, e nem importa se estou fazendo um bom trabalho ou não. O que importa é se eu estou ou não fazendo o meu melhor. Estou certo que o Senhor não se importará com meus defeitos, se eu fizer o melhor para Sua obra. O que importa é se eu dou ou não o melhor de mim.” Muitos pensamentos passam freqüentemente pela minha cabeça. Mas eu sempre penso na obra que Deus confiou a mim, e faço o melhor nesta obra, porque esse é o modo de servir o evangelho, e também o único meio de eu viver. Isso se aplica a todos nós que recebemos a remissão de pecados.
Na Igreja de Deus, aquele a quem foi confiada a Sua obra dá o seu melhor para realizá-la. Todos, desde as crianças da escola dominical até os adultos, e desde o ministério até os amados santos, somos povo e servos de Deus, e cada um de nós tem sua respectiva obra para fazer. Estaremos em pecado diante de Deus se não fizermos a obra que Ele nos confiou. Se alguém se recusar a fazer a obra de Deus, nada podemos fazer com essa pessoa, mas ela deve entender bem as conseqüências de suas ações.
Os que se comportarem dessa maneira serão separados da congregação, e os que forem separados serão os que buscam satisfazer sua própria vontade. Os que não fazem a obra de Deus após receberem a remissão de pecados são maus. E isso não é tudo. Essas pessoas irão para o inferno. Você acha que está bem só por ter recebido a remissão de pecados? Quem pode ser pior do que os que não fazem a obra de Deus após terem recebido a remissão de pecados? Quem pode ser pior do que os que não fazem a obra de Deus mesmo sabendo o que fazer, e o que se espera deles?
Nós somos imperfeitos e fracos de várias maneiras. Mesmo tendo muitos defeitos, nós nunca devemos nos negar em fazer a obra com o talento que Deus nos deu. Que tipo de pessoa é aquela que não faz a obra de Deus, mesmo conhecendo e crendo no evangelho? Esses são piores do que os pecadores. Eles serão destruídos e irão para o inferno. Eu entendo que às vezes, um nascido de novo pode ficar desanimado por causa de sua própria imperfeição, mesmo após ter recebido a remissão de pecados, e também ficar cansado na obra de Deus. Contudo, eu não entendo como alguém sai mal da igreja, dizendo: “Eu não vou mais fazer a obra de Deus. Ao invés disso vou me concentrar em fazer minha própria obra.” Alguns dizem que eles receberam a salvação apesar de não servirem ao evangelho. Mas isso é uma mentira, coisa da cabeça deles. Deus nos diz várias vezes nos quatro evangelhos, que os que não servem o evangelho serão lançados nas densas trevas, e que ali haverá choro e ranger de dentes.
O que “ranger de dentes” realmente significa? Significa que alguém é ultrajado sem motivo? O servo infiel pensou que seria o único a ser recompensado, mas ao invés disso ele foi punido e lançado no inferno. Então vemos essa atitude como um ato de crueldade. Todavia, o castigo de Deus nunca é injusto. Ele é certo e justo. Como é grande o pecado de não fazer a obra de Deus após ter recebido a remissão de pecados. Se esses pecados não fossem tão grandes, muitos de nós poderia ter deixado de fazer a obra de Deus há anos atrás, antes de ela ter terminado. Mas os que receberam a remissão de pecados devem continuar fazendo a obra de Deus até o fim.
Devemos ser fiéis a obra de Deus desde o momento que recebemos a remissão de pecados, até o fim de nossa vida. Se fizermos a obra de Deus ou não, devemos fazer tudo para a glória de Deus, seja descansar, comer, beber ou o que quer que seja. Pense consigo mesmo se o que recebeu a remissão de pecados deve viver para a glória de Deus. E ao fazer isso, discirna se é certo ou errado segundo a Sua Palavra.
Talento nessa parábola implica numa certa quantia de ouro ou prata. Esse é o jeito de avaliar o talento dado por Deus e a quantidade de obra que Ele confiou a nós. Está escrito que Deus confiou Sua preciosa obra aos Seus servos. Então me diga quem são Seus servos? Eles são os que receberam a remissão de pecados. Temos de nos lembrar que Deus jamais usará como Seus servos, os pecadores que ainda não receberam a remissão de pecados.
Você e eu devemos ser muito cautelosos. Não devemos depender do nosso próprio conhecimento, pensando que somos muito espertos. Os que se gabam diante de Deus e pensam que são mais inteligentes que Ele, confiam mais em seu próprio julgamento do que na Sua Palavra. Essas pessoas não se aconselham com os servos de Deus e não aceitam sua opinião. Por isso seguem seu próprio julgamento e pensamentos errados. Quando os servos de Deus tentam ajudar essas pessoas que se julgam muito justas a fazer a obra de Deus, elas não ouvem seus conselhos. Elas seguem somente o que acham que é certo. Então, até Deus abrirá mão do desejo de usá-las e confiará a obra a outros.
Na passagem bíblica de hoje, o senhor pegou de volta o talento do servo infiel e o deu ao servo fiel que tinha cinco talentos. A única coisa que Deus pode dar a alguém que não faz a Sua obra é repreensão. Mas Deus dá honra e bênção àqueles que são fiéis na tarefa que lhes foi confiada. É penoso ou gratificante fazer a obra de Deus? É muito gratificante e agradável fazer a obra de Deus, mesmo ficando cansado às vezes com tanta obra para fazer. Quando alguém que recebeu a remissão de pecados não tem nenhuma obra para fazer, sua vida se torna chata e eventualmente, corrompida. Quanto mais obra de Deus uma pessoa faz, mais alegre e exultante ela se torna.
Quando não há nenhuma obra para fazer, não passa pela sua cabeça uns pensamentos tolos, o impulsionando a fazer coisas que são totalmente contrárias a vontade de Deus, alimentando sua própria ganância? Quando não há obra alguma para se fazer, somos inclinados a buscar nossa própria vontade, e geralmente a fazer coisas que são contrárias a Deus. Você sabe qual é a conseqüência para aqueles que não fazem nada na Igreja de Deus? É a sua total destruição. E com relação àqueles que os ajudam? Eles também enfrentarão a destruição. Por isso é que devemos parar de ajudar as pessoas que saíram da Igreja de Deus, fazendo sua própria obra. Somos todos humanos e podemos ter misericórdia delas, pensando que isso é compreensível. Mas a maldição de Deus virá sobre nós se ficarmos do lado delas.
Por isso é que nunca devemos ajudar as pessoas que Deus odeia. Deus odeia Seu inimigo, e Ele odeia ainda mais os que ajudam o Seu inimigo. Então devemos pensar se Deus gostará ou não, antes de nós os ajudarmos. Senão poderemos ter problemas com Deus. Se nos associarmos com alguém que está amaldiçoado, então seremos amaldiçoados também. Não importa o quanto essa pessoa tenha ouvido e crido no evangelho, não devemos ter amizade com ela, principalmente se ela só estiver interessada em fazer sua própria obra, e se recusar a fazer a obra de Deus. Devemos fazer separação entre essa pessoa e nós. Devemos acabar com a amizade compreendendo bem isso, declarando: “Eu só estou fazendo isso porque sou imperfeito, mas eu estou na igreja e faço a obra de Deus. Mas você decidiu não fazer a obra de Deus. Por isso não devemos mais ter amizade.”
Algumas pessoas consideram esses infiéis que se recusam a fazer a obra de Deus como pessoas sábias e corajosas. Esse é o pensamento tolo de uma pessoa ignorante que é baseado em sua própria maneira de pensar. Deus abomina e odeia ainda mais os que não fazem a Sua obra. Pelo contrário, Deus ama mais os que fazem Sua obra, apesar de suas muitas falhas. Você sabe por que Deus me ama? Ele me ama porque eu faço Sua obra apesar de minhas inúmeras imperfeições. Você sabe por que Deus te ama? Deus não te ama só porque você recebeu a remissão dos seus pecados. Deus te ama porque você está fazendo a Sua obra ao invés de buscar sua vontade própria.
Deus ama igualmente todos os que se tornaram Seus filhos, por terem recebido a remissão de pecados. Deus ama igualmente todos os Seus filhos porque cada um deles é muito precioso para Ele. Deus realmente ama quem voluntariamente faz a Sua obra. Os que são fiéis na obra que lhes foi confiada, quer façam muito ou pouco, irão colher abundantes frutos espirituais. Tudo parece ser fácil para os que não fazem a obra de Deus, mas eles receberão dEle repreensão e maldição porque são como cisco em Seu olho. No final, nada dará certo para eles.
É difícil fazer a obra de Deus? Se pensarmos nisso por um minuto, trabalhar para esse mundo é ainda mais difícil do que fazer a obra de Deus. Temos que trabalhar mais do que isso para ganharmos 3.000 dólares por mês no mundo. Podemos fazer a obra de Deus juntos. Mas no mundo temos que fazer nosso trabalho sozinhos. É uma grande bênção estarmos fazendo a obra de Deus juntos em Sua igreja, porque podemos nos dedicar a uma justa causa, tendo também nossas necessidades diárias supridas.
Viver nesse mundo sem fazer a obra de Deus é ter uma vida amaldiçoada. Então não há motivo para invejarmos outro tipo de vida, não importa o quanto pareça bem sucedida. De repente, as pessoas podem perder tudo o que tem, terminando com uma doença terminal que consumirá dez vezes mais de tudo aquilo que ganhou em uma vida inteira. Infelizmente assim é a vida. Pense na grande bênção que Deus deu aos que vivem como nós. Deus tem abençoado Sua igreja em nossos dias. Após termos nascido de novo da água e do Espírito, Ele nos abençoou porque estamos unidos fazendo a obra em Sua igreja. Como está escrito na Palavra de Deus, não é porque nós somos grandes que Ele nos abençoa. Deus está feliz em abençoar Sua igreja porque nós, que nos tornamos filhos de Deus pela fé, estamos vivendo uma vida que agrada a Ele.
Aqueles que não fazem a obra de Deus após terem recebido a remissão de pecados são uma exceção. Deus lida separadamente com essas pessoas, porque na verdade, elas estão matando outras pessoas. Devemos prestar muita atenção nisso. Não devemos nos abalar apesar de o diabo não nos deixar em paz e tentar colocar seus pensamentos e desejos carnais em nós, tentando até colocar dúvidas em nossa mente. Você e eu somos justos. Nós somos os justos que fazem a obra de Deus. Você e eu recebemos a remissão de pecados e nos tornamos povo de Deus. E nós entraremos no glorioso Reino de Deus e desfrutaremos da vida eterna após fazermos fielmente a Sua obra nesse mundo.
Por isso está escrito em Romanos 8:18, que as aflições deste tempo presente não se podem comparar com a glória que desfrutaremos no futuro. Passaremos por um pequeno período de aflição nesse mundo enquanto fazemos a obra de Deus, porque somos os filhos que desfrutarão de Sua glória e que viverão naquele maravilhoso lugar para todo o sempre. Apesar de os nascidos de novo passarem por sofrimento, a vida de um justo é um grande privilégio, porque Deus entregou Sua obra somente aos que receberam a remissão de pecados. É muito recompensador fazer a obra de Deus, porque Deus não entrega a Sua obra a qualquer um. Eu estou somente enfatizando algo que todos vocês já sabem muito bem.
Há pouco tempo atrás, um pastor de nossa Missão me disse que iria terminar com seu ministério, procurar um emprego secular e vir à igreja só como membro. É uma ilusão pensar que uma pessoa que tem servido ao Senhor integralmente pode simplesmente parar, ter um emprego secular, ir à igreja e fazer a obra de Deus em seu tempo livre. É mais difícil ter um emprego secular, vir à igreja e servir o Senhor, do que dedicar-se integralmente a obra de Deus. Na verdade, quando um pastor diz que quer terminar com seu ministério e se tornar um membro comum, é porque ele não quer mesmo fazer a obra de Deus. Esse tipo de pessoa geralmente mantém essa situação por algum tempo, mas depois desaparece totalmente da igreja. Então um dia, ela se revela como inimiga do evangelho, causando dolo à igreja.
Alguns até dizem: “Eu vou fazer a obra fora da Igreja de Deus.” Mas como alguém pode fazer a obra de Deus fora da Casa de Deus? E outros falam que vão ajudar a obra de Deus de evangelizar o mundo ficando ricos e mandando o dinheiro para a igreja, mesmo já tendo deixado a igreja. A Igreja de Deus não precisa dessa doação. Deus não usa esse tipo de dinheiro. Deus providencia o dinheiro a qualquer hora quando Ele mesmo abençoa.
Você e eu temos responsabilidade com Ele como Seus filhos. É uma linda responsabilidade, pois estamos trabalhando em um lugar que foi confiado a nós. Mas podem surgir alguns pensamentos carnais de vez em quando. Há momentos que desejamos viver para nós mesmos. Nessa hora, devemos firmar nosso pensamento, dizendo: “No nome de Jesus, eu te ordeno Satanás, fique longe de mim!” Deus nos deu a salvação. E Ele quer usar nossas mãos, pés, boca e tudo o mais para a Sua obra. Se quisermos fazer a obra de Deus, precisamos usar tudo o que Ele nos deu para cumprir Sua vontade. Não pense que tudo pode se resolver com dinheiro.
Eu sinto pena desses pastores que pensam em desistir da obra de Deus e deixar a igreja. A eles eu advirto para não largarem o ministério que a Igreja de Deus os confiou. Eu admoesto os que já largaram seu ministério e voltaram a trabalhar no mundo, pois não demora, vão parar totalmente de vir à igreja, mesmo que digam que, como membros, vão servir materialmente o evangelho. Se viermos à Igreja de Deus, devemos fazer Sua obra. Os que vêem à igreja somente para o culto e vão embora logo após seu término, em breve estarão saindo dela.
Então você deve pensar no que Deus quer que você faça, e começar logo a fazê-lo, quer alguém peça para fazer ou não. Eu não estou te repreendendo. Eu só estou te lembrando que aqueles que se recusam a fazer a obra de Deus e ficam acomodados no banco, serão punidos por Ele e considerados pecadores. Quem receberá a salvação, se nenhum de nós fizer a obra de Deus? Se os que devem fazer a obra de Deus não a fizerem, outros não poderão receber a salvação. E os mesmos serão punidos como pecadores, pois impediram e interferiram com a obra de Deus.
A oração do Senhor diz: “Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome, venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.” Sendo assim, como essa é a vontade de Deus, o Reino dos Céus também deve vir a esse mundo. Reino de Deus significa a Igreja de Deus e vir o Teu Reino, significa testemunhar o evangelho a todo o mundo para que muitas almas possam receber a remissão de pecados. Na Igreja de Deus, todos os crentes devem ficar unidos louvando-O enquanto adoram, e também tendo comunhão uns com os outros. Então Deus abençoaria os que não fazem essa obra?
Esse mundo é o reino do diabo, assim não é possível estabelecer o Reino de Deus formando alianças com ele. Os que trabalham só para si mesmos ficam iguais a um libertino que não trabalha quando sua barriga está cheia. Nós podemos trabalhar mais se o fizermos para ajudar outras pessoas. Não poderíamos fazer muito se trabalhássemos só para nós mesmos. Aqueles que trabalham só para si mesmos ganhariam muito mais dinheiro se fossem trabalhar para servir a Deus, mas fariam muita coisa se fossem viver só para si próprios? Se as pessoas fossem viver só para si mesmas, elas trabalhariam para suprir somente as suas próprias necessidades.
Estamos fazendo uma obra justa, e ela é recompensadora, e porque ela é recompensadora, continuaremos a fazê-la com zelo. Isso não significa muito para os que vivem só para si mesmos. Essas pessoas são inúteis, independente de quanto dinheiro elas tenham. Quando eu estava na cidade de Socko, na província de Gangwon na Coréia, uma vez eu tive uma conversa com uma pessoa rica que possuía um grande teatro naquela cidade. Apesar de ter milhões de dólares, ele disse que tinha comprado macarrão instantâneo com o dinheiro que tinha ganhado com a coleta de material reciclado tirado das ruas, levou para casa com os rabanetes que vinham junto com o macarrão e os comeu bebendo alguma bebida.
Ele disse que tinha feito fortuna dessa maneira. Eu gostaria de ter perguntado a ele: “Eu ouvi que você tem muito dinheiro, não tem? Por que você não me dá um bilhão de won (isso equivale a um milhão de dólares) para eu usar para uma boa causa? Que bem faz em ter tanto dinheiro? Só tem sentido se você o usar para uma justa causa. Eu usarei para uma justa causa em seu nome.” Se as pessoas vivem para si mesmas e não ajudam outras, elas não passam de seres mesquinhos dignos de pena. É claro que também nos orgulhamos de muitas coisas, mas os nascidos de novo vivem por uma causa justa. Devemos viver para a obra de Deus até o fim de nossa vida, porque Deus a confiou a nós.
Deve se considerar bem antes de se tomar a decisão de não fazer a obra de Deus. A proteção de Deus e todas as bênçãos logo acabarão se pararmos de fazer a Sua obra. Só haverá maldição se continuarmos não fazendo a obra do Senhor, mesmo se já tivermos recebido a remissão de pecados. E se os filhos de Deus se associarem com os que não são filhos de Deus, unindo-se a eles, só isso será um curto caminho em direção à destruição. Toda a bênção sobre a vida de uma pessoa cessará se ela se casar com alguém que não nasceu de novo, e não recebeu a orientação da igreja. Isso fará com que ela pare de ouvir a Palavra de Deus e sirva a Ele. Se por acaso você começar a ir numa igreja do mundo um lugar onde Deus não está, e se afastar dos justos, você pode até limpar a igreja, comprar um aparelho musical, e colocar uma cortina de ouro nessa igreja, isso não significa que você está servindo a Deus.
Como temos que ser após termos recebido a remissão de pecados? Devemos nos tornar pessoas que são fiéis a obra de Deus ou alguém que não dá a mínima importância para ela? A decisão é sua. O que nós podemos fazer se você quiser sair da igreja? Novamente eu pergunto: Há algo especial no mundo lá fora para você deixar a igreja? Vou lhe dizer algo com toda a certeza: Você está prejudicando e fazendo mal a si mesmo se fizer isso. Você acha que perdeu ou fez muitos sacrifícios por estar na igreja? Você não se sacrificará ainda mais se for viver para si mesmo?
Eu gostaria de lhe dizer isso: ‘Não tente se ligar com a Igreja de Deus se você não está fazendo a Sua obra depois ter recebido a remissão de pecados.’ Deus é o Senhor da Igreja, então Ele tira quem Ele quer. Você provavelmente já viu isso acontecer. Vamos supor que um homem saiu da igreja. Apesar de ninguém ter dito nada para ele, ele deixa a igreja por sua própria vontade porque não crê no evangelho. Mas na verdade é Deus que o tira da igreja. Deus disse que se o ramo ligado a árvore não dá fruto, ele é arrancado dela.
Apesar de suas falhas, você deve crer no evangelho da água e do Espírito. E você deve continuar fazendo a obra de Deus mesmo não tendo sido incumbido de muito trabalho. Nós nos encontraremos com o Senhor após fazermos a Sua obra. Você acha que podemos ajudar uma pessoa a ter sucesso nesse mundo dando-lhe dinheiro? Você precisa entender e guardar seu coração, porque o nascido de novo também pode ser tirado da igreja se tiver amizade com alguém que não faz a obra de Deus. Deus sabe de tudo. A pessoa que recebeu um talento, como descrito em Mateus 25:14-30, era alguém que tinha recebido a remissão de pecados mas não fazia a obra de Deus. Essa pessoa era um traidor. Ele era muito mau. A passagem bíblica de hoje descreve esse servo mau sem distinção de sexo, e assim não podemos saber se era homem ou mulher. Mas a verdade é que Deus considera maus os que receberam um talento, mas se recusaram a fazer a obra de Deus.
Até o dia de hoje você e eu temos servido fielmente ao evangelho. Contudo, saber e entender o que a Palavra de Deus nos diz é a coisa mais importante. Se temos alguma fraqueza, devemos admiti-la para Deus, ter compreensão e aceitar o que Deus diz. Você precisa compreender: “Eu devo crer no evangelho da água e do Espírito mesmo tendo essas fraquezas. Eu não consigo evitar de ser assim por causa dos meus defeitos. Mas eu acho que não deveria fazer essas coisas pois isso deixará Deus triste.” E por favor, não se juntem com aqueles que receberam a remissão de pecados mas não fazem a obra de Deus. Ao se juntar com essas pessoas você estará chamando a maldição de Deus para si. Eu sei mesmo quem você é? Não, isso é impossível. Mas Deus conhece você de cima a baixo e Ele mesmo tirará os ramos estragados. E se isso não for o suficiente, Ele porá nessas pessoas doenças incuráveis e as exporá diante de todo mundo. Nós temos falhas mas somos pessoas muito abençoadas, que fazem a obra de Deus e que receberam a remissão de pecados. Eu creio nisso. Você também crê nisso?

Se você e eu permanecermos fiéis até o fim, como aqueles que ficaram responsáveis pela obra de Deus, eu espero que recebamos as bênçãos da fé, e nos tornemos como os que têm a sua fé aumentada a cada dia, crescente como o sol que nasce. Eu espero que Deus derrame Suas abundantes bênçãos sobre mim e você que somos fiéis em servir ao evangelho. Amém.