Sermões

Assunto 15: A Epístola do Apóstolo Paulo aos GÁLATAS

[Capítulo 3-3] (Gálatas 3:1-29) Agora Não Temos Mais que Viver Debaixo da Maldição da Lei

(Gálatas 3:1-29)
“Ó insensatos gálatas! quem vos fascinou a vós, ante cujos olhos foi representado Jesus Cristo como crucificado? Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei, ou pela pregação da fé? Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne? Será em vão que tenhais padecido tanto? Se é que isso também foi em vão. Aquele que vos dá o Espírito, e que opera milagres entre vós, fá-lo pelas obras da lei, ou pela pregação da fé? Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça, sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Em ti serão benditas todas as nações. De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão. Todos aqueles que são das obras da lei estão debaixo da maldição, pois está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. É evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Ora, a lei não é da fé, mas: O que fizer estas coisas, por elas viverá. Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós, pois está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro. Ele nos resgatou para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebêssemos a promessa do Espírito. Irmãos, falo como homem. Se o testamento de um homem for confirmado, ninguém o anula nem lhe acrescenta alguma coisa. Ora, as promessas foram feitas a Abraão e a seu descendente. A Escritura não diz: E a seus descendentes, como falando de muitos, mas como de um só: E a teu descendente, que é Cristo. Mas digo isto: Que tendo sido o testamento anteriormente confirmado por Deus, a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois, não o invalida, de forma que venha a abolir a promessa. Pois se a herança provém da lei, já não decorre da promessa; mas Deus pela promessa a deu gratuitamente a Abraão. Logo, qual a razão de ser da lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita. E foi ordenada por intermédio de anjos, pela mão de um mediador. Ora, o mediador não representa um só; mas Deus é um. Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De modo nenhum. Pois se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos que crêem. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que a fé veio, já não estamos debaixo de aio. Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus, pois todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo. Desta forma não há judeu nem grego, não há servo nem livre, não há macho nem fêmea, pois todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendentes de Abraão, e herdeiros conforme a promessa.”
 
 
O livro de Gálatas foi escrito como um alerta quanto aos falsos ensinamentos dos da circuncisão. Entre os santos das igrejas da Galácia, havia algumas pessoas que estavam defendendo a circuncisão. Essas pessoas diziam que para fazer parte do povo de Deus, os santos tinham que ser circuncidados depois de aceitarem Jesus, mas essa crença estava totalmente errada. Isso é muito parecido com esse engano que está sendo muito divulgado pelos cristãos de hoje que são as orações de arrependimento. Essa doutrina criada pelo homem tem feito muitos cristãos pecadores se desviar por tentarem purificar seus pecados com seu próprio esforço depois de se converterem. No livro de Gálatas, nós podemos ver como essa fé legalista está completamente errada diante de Deus.
 
 
Entre os Crentes da Galácia, Havia Aqueles que Defendiam a Circuncisão
 
Está escrito em Gálatas 3:1-5: “Ó insensatos gálatas! quem vos fascinou a vós, ante cujos olhos foi representado Jesus Cristo como crucificado? Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei, ou pela pregação da fé? Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne? Será em vão que tenhais padecido tanto? Se é que isso também foi em vão. Aquele que vos dá o Espírito, e que opera milagres entre vós, fá-lo pelas obras da lei, ou pela pregação da fé?” Deste modo, com o coração frustrado, o apóstolo Paulo falou contra aqueles que diziam que os crentes seriam povo de Deus só se fossem circuncidados. O apóstolo Paulo foi bem específico na sua pergunta: “recebestes o Espírito pelas obras da lei, ou pela pregação da fé? Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?” A razão pela qual Paulo disse isso foi porque os que defendiam a circuncisão estavam blasfemando contra o verdadeiro evangelho da água e do Espírito.
A fé de Paulo era aquela que cria no evangelho da água e do Espírito. Quando Jesus veio a essa terra, Ele foi batizado por João Batista e levou sobre Si todos os nossos pecados de uma vez por todas através do Seu batismo. Ele então morreu crucificado, ressuscitou dos mortos, e assim nos salvou, nós que cremos no evangelho da água e do Espírito perfeitamente e de uma vez por todas.
Os gálatas, contudo, eram mesmo tolos, porque estavam ensinando para eles que eles tinham que ser circuncidados para fazer parte do povo de Deus. Muitos membros das igrejas da Galácia criam inocentemente na circuncisão. Então o apóstolo continuou reprovando seu erro, para fazê-los voltar atrás. Mas apesar disso, muitos nas igrejas da Galácia ainda acreditavam que fariam parte do povo de Deus por completo tivessem seus corpos circuncidados.
Nós podemos ser filhos de Deus recebendo a circuncisão e crendo nela? Não, nós só nos tornamos filhos de Deus quando cremos em Jesus Cristo como o nosso Salvador que realmente veio pelo evangelho da água e do Espírito. Mesmo assim, até hoje, há muitos que afirmam que seus pecados podem ser purificados ao fazer orações de arrependimento, que é a mesma coisa que a circuncisão.
A maioria dos cristãos hoje crê e afirma que pode purificar seus pecados com suas orações de arrependimento. Essa é a prova de que essa fé legalista é muito divulgada pelos cristãos modernos também. Aqueles que hoje defendem essa fé legalista dentro do Cristianismo estão se afastando de Deus e voltando a ser servos de Satanás. Por isso, precisamos entender aqui como a doutrina das orações de arrependimento é uma doutrina do Cristianismo totalmente errada.
 
 
O Erro de Afirmar que os Pecados Podem Ser Purificados com Orações de Arrependimento
 
A crença de que alguém hoje em dia pode ser purificado dos seus pecados pelas orações de arrependimento é a mesma fé daqueles na Igreja Primitiva que diziam que para fazer parte do povo de Deus era necessário ser circuncidado. Assim como os da circuncisão nos dias do apóstolo Paulo levaram muitos cristãos à destruição propagando seus ensinamentos enganosos, os falsos pastores de hoje estão mandando muitos cristãos para o inferno por ensinarem essa doutrina enganosa das orações de arrependimento. E como resultado, quase todos os cristãos hoje acreditam que, já que eles crêem em Jesus como seu Salvador, seus pecados pessoais podem ser purificados com suas orações de arrependimento. No entanto, nós temos que entender muito bem aqui que só porque eles fazem orações de arrependimento ao Senhor, isso não significa que seus pecados são apagados sempre que eles oram. Esses ensinamentos estão baseados em doutrinas feitas por homens, e por isso não passam de falsidade que se opõe completamente à Palavra de Deus.
Atualmente, sempre que os cristãos cometem pecado neste mundo depois de aceitarem a Jesus, eles fazem suas orações de arrependimento assim: “Por favor Senhor, me perdoe. Se Tu perdoares meus pecados só dessa vez, eu não vou cometê-los nunca mais.” Eles pensam que seus pecados foram purificados então apenas com essas palavras de arrependimento. E já que eles não têm o evangelho da água e do Espírito, eles acham que não há outro jeito a não ser este para resolver o problema dos seus pecados. Eles acreditam que são remidos orando a Deus para que seus pecados sejam perdoados. Porém, até sua própria consciência reconhece que seus pecados não podem sumir só com as poucas palavras feitas nas orações de arrependimento.
Os que ainda confiam nas suas orações de arrependimento tentando purificar seus pecados têm que entender bem isso, voltar atrás, e crer no evangelho da água e do Espírito. Se os pecados da humanidade podem realmente ser tirados somente fazendo orações de arrependimento ao Senhor, então não teria porque o Senhor vir a essa terra e ser batizado por João para livrar os pecadores das suas iniqüidades, nem morrer na Cruz. Por que Jesus foi batizado por João? Ele foi batizado por João para aceitar nossos pecados sobre Seu corpo de uma vez por todas. Foi Jesus que nos livrou do pecado ao levar sobre Si os pecados do mundo através do Seu batismo e derramando Seu sangue na Cruz; de forma alguma são as nossas orações de arrependimento que purificam nossos pecados. A diferença entre esses dois tipos de fé é gigantesca.
Quase todos os cristãos no mundo todo acreditam, todavia, que atualmente seus pecados são purificados com suas orações de arrependimento, e por isso não é nenhum exagero dizer que sua vida de fé começa com as orações de arrependimento e terminam com as orações de arrependimento. Eles têm certeza de que primeiro foram salvos crendo apenas no sangue de Jesus, e crêem também que os pecados cometidos depois disso são purificados com suas orações de arrependimento. Como eles são dignos de pena! Cada um deles está enganando a si próprio. Eles trocaram a verdadeira fé no evangelho da água e do Espírito pela sua fé legalista baseada na ética e na moral. E a não ser que eles rejeitem esse tipo de fé, eles nunca poderão ser purificados dos seus pecados.
Se o pecado é apagado com orações de arrependimento, isso significa então que nossa salvação não depende de Jesus, mas do nosso próprio trabalho e esforço, e isso, ao contrário, significa que as obras de Jesus não tem nada haver com a salvação. Nós não podemos crer dessa maneira. Por outro lado, os que defendem as orações de arrependimento e a circuncisão não entendem que estão tornando inúteis o batismo de Jesus Cristo e Seu precioso sangue na Cruz, e por isso eles precisam rejeitar essa fé enganosa.
Mas se por outro lado eles continuarem a levar uma vida de fé confiando nas suas orações de arrependimento, eles para sempre serão pecadores. E por quê? Porque mesmo que Jesus tenha apagado todos os nossos pecados e nos salvado ao ser batizado por João Batista no rio Jordão, eles não crêem nesse evangelho da água e do Espírito como a Verdade da salvação.
Os cristãos de hoje não conhecem Jesus e crêem Nele de forma errada confiando nas suas orações de arrependimento para resolver o problema dos seus pecados? Os que crêem e defendem as orações de arrependimento acham que Jesus não conseguiu apagar todos os nossos pecados de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito. E apesar disso, o que prevalece ainda hoje é a fé de que alguém pode purificar seus pecados com orações de arrependimento, já que aqueles que sabem que essa é uma doutrina cristã enganosa são muito poucos. Já que os que crêem nas orações de arrependimento têm uma fé infundada, eles não têm nenhuma idéia de que sua fé está errada e nem entendem que, por propagarem essa fé enganosa, eles estão fazendo com que as pessoas não consigam ainda mais ser purificadas dos seus pecados e sejam destruídas para sempre no inferno.
Tendo apagado nossos pecados de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito, nosso Senhor agora está assentado à destra do Trono de Deus Pai. O Senhor veio a essa terra para livrar os pecadores do pecado; Ele foi batizado por João Batista, morreu na Cruz, ressuscitou dos mortos, e assim apagou nossos pecados de uma vez por todas; e Ele subiu ao Reino dos Céus e prometeu que voltaria. Por que alguém então não acreditaria nessa Palavra da Verdade? Nós temos que crer no evangelho da água e do Espírito. A Palavra do evangelho da água e do Espírito que Deus nos deu é o caminho para a verdadeira salvação.
Nosso Senhor veio a essa terra a mais de 2000 anos atrás, levou sobre Si nossos pecados ao batizado por João de uma vez por todas aos 30 anos de idade, foi levado à Cruz e morreu crucificado, ressuscitou dos mortos, e desta maneira apagou nossos pecados de uma vez por todas. Ao nos salvar, nós que cremos no evangelho da água e do Espírito, de todos os nossos pecados, nosso Senhor se tornou nosso verdadeiro Salvador. Por isso, nosso Senhor é o nosso Verdadeiro Salvador que nos salvou perfeitamente de todos os nossos pecados, e Ele é o verdadeiro Juiz que julgará a todos com justiça.
Sendo assim, a Verdade da grande salvação em que temos que crer é o evangelho da água e do Espírito. Por outro lado, a doutrina das orações de arrependimento em que muitos cristãos crêem agora não passa de uma falsidade vinda do conceito criado pelo homem chamado de “princípio da casualidade.”
Para os cristãos de hoje que dizem que são remidos dos seus pecados fazendo orações de arrependimento, a remissão de pecados não é recebida agora, no presente, mas com o passar do tempo. Por isso que essa fé está errada. Nosso Senhor apaga mesmo nossos pecados com o passar do tempo? Não, não é isso que acontece realmente. O Senhor já apagou todos os pecados do mundo com seus atos de justiça no passado, e dessa forma nós recebemos a remissão de pecados crendo nesta Verdade. Nossos pecados não são apagados aos poucos todos os dias fazendo orações de arrependimento, mas o Senhor apagou todos eles de uma vez por todas com Seu batismo e Seu sangue na Cruz, e por isso todo aquele que crê nessa Verdade recebe a eterna remissão de pecados de uma vez por todas.
Portanto, temos que entender que, para aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito, a benção da remissão de pecados já foi cumprida no presente. Já que fomos remidos de todos os nossos pecados crendo no evangelho da água e do Espírito, nunca mais teremos pecados para serem perdoados. Para aqueles que nasceram de novo por crer no evangelho da água e do Espírito, os dias de engano e falsidade, quando eles tentavam remir seus pecados com orações de arrependimento, já acabaram. Agora, todos devem purificar seus pecados e receber a vida eterna crendo no evangelho da água e do Espírito dado a toda a humanidade pelo Senhor.
Os cristãos que, presos a falsas doutrinas, não puderam nascer de novo, crêem nessa falsidade chamada santificação contínua: salvação pela justificação, santificação, e glorificação. Em outras palavras, eles foram ensinados e crêem dessa forma: “Embora tenhamos sido salvos de todos os nossos pecados do passado por cremos no preciso sangue da Cruz, já que nós cometemos pecados no presente, nossa salvação é alcançada aos poucos fazendo orações de arrependimento todos os dias, e quando então andamos por um caminho de santificação, somos completamente santificados na nossa morte e alcançamos nossa gloriosa e derradeira salvação.”
Então, quando perguntamos a eles: “Vocês foram salvos dos seus pecados por completo?” Eles nos dão uma resposta sem sentido, dizendo: “Sim! Eu fui salvo do pecado, eu estou sendo salvo, e ainda serei salvo.” Isso faz algum sentido? Se alguém que está se afogando disser: “Eu fui resgatado, eu estou sendo resgatado, e ainda serei resgatado,” esse homem então ainda está se afogando.
Uma mentira precisa de outras dez mentiras para esconder seu engano. As falsas doutrinas são a mesma coisa. Foi porque o Cristianismo concordou com uma falsidade que agora muitas outras vieram junto com ela. É por isso que a doutrina cristã da salvação se tornou algo tão complexo com diferentes tipos de salvação. Por usarem conceitos tais como o da “salvação pela justificação,” “salvação pela santificação,” e “salvação pela glorificação,” os falsos mestres explicam a salvação como se ela fosse alcançada por etapas. Na verdade, eles nem dão uma definição concreta para o termo salvação. Eles só a consideram como uma benção de Deus. Mas o conceito salvação se refere à remissão de pecados. Melhor dizendo, salvação é uma palavra abreviada que quer dizer “salvação pela remissão de pecados” (Lucas 1:77).
Nós recebemos a remissão de pecados de uma vez por todas crendo no evangelho da água e do Espírito? Ou temos que recebê-la atualmente fazendo orações de arrependimento dia após dia? É claro que nós devemos receber a remissão dos nossos pecados através da nossa fé no evangelho da água e do Espírito. Apesar disso, se os cristãos continuarem insistindo que eles são salvos de todos os seus pecados do passado crendo em Jesus como seu Salvador, e também através das orações de arrependimento, e que continuarão sendo salvos no futuro, então o que eles têm é uma fé doutrinária, não a fé que crê no evangelho da água e do Espírito, que é a grande Verdade. Os que acreditam que podem ter seus pecados purificados com suas orações de arrependimento não têm a verdadeira fé, e por isso não têm como deixar de continuar a viver como pecadores.
Vamos presumir aqui que alguém me deu um presente de aniversário. E se eu dissesse a ele, ainda segurando o presente que ele me deu em minhas mãos: “eu vou ganhar um presente de aniversário seu,” essa pessoa ia pensar que eu fiquei maluco. A mesma coisa se refere à salvação. Nossa salvação foi de uma vez por todas realizada pela fé, porque ela veio do evangelho da água e do Espírito. Nós recebemos a remissão dos nossos pecados de uma vez por todas por crermos no evangelho da água e do Espírito dado por Jesus Cristo; e essa remissão nunca pode ser recebida aos poucos com orações de arrependimento.
Assim sendo, as pessoas têm que entender que é um erro crer que seus pecados podem ser purificados fazendo orações de arrependimento. É por crermos no evangelho da água e do Espírito que fomos salvos de todos os nossos pecados de uma vez por todas e recebemos a vida eterna. Você deve entender que essa é a fé correta. A fé no evangelho da água e do Espírito fez com que muitos cristãos tivessem certeza da salvação. Nós temos que entender que não é bíblico crer que nossos pecados são purificados crendo em Jesus como nosso Salvador e depois fazer orações de arrependimento, e que esse tipo de fé não passa de uma doutrina legalista inventada pela própria lógica humana.
Existe uma diferença gigantesca entre a fé no evangelho da água e do Espírito e a fé de que alguém pode purificar seus pecados com as orações de arrependimento. Se alguém crê no evangelho da água e do Espírito, ele receberá a eterna remissão de pecados e se tornará um justo sem pecado. Mas se ele tentar purificar seus pecados com as orações de arrependimento, ele nunca receberá então a remissão dos seus pecados e acabará tendo uma fé legalista. Enquanto que o primeiro tipo de fé nos leva a alcançar a vida eterna nos Céus e a servir ao Senhor por causa da Sua graça, o segundo só nos faz desperdiçar nossa vida lutando para recebermos a remissão dos nossos pecados, para nos fim sermos condenados ao inferno.
Você deve ver mais uma vez então se sua fé está colocada no evangelho da água e do Espírito, ou nas suas orações de arrependimento tentando purificar seu pecados por si mesmo. E se você de fato está se apegando a uma fé errada em que a remissão de pecados se recebe com orações de arrependimento, eu te aconselho então a se desfazer dessa fé e crer no evangelho da água e do Espírito.
Nós temos que compreender que o evangelho da água e do Espírito é a grande Verdade da salvação e crer nele. Para salvar os pecadores do pecado, Jesus veio a essa terra, levou sobre Si todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista, morreu na Cruz, ressuscitou dos mortos, e dessa forma apagou todos os nossos pecados. Assim como o Senhor falou na hora da Sua morte: “Está consumado!”, Ele realmente completou tudo para que não faltasse nada a Ele para salvar aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito. Porque esses crentes no evangelho da água e do Espírito são o povo de Deus é que o Senhor voltará a essa terra para levá-los com Ele.
É uma crença errada pensar que nós somos remidos dos nossos pecados pelas orações de arrependimento ao invés de crermos na salvação que o Senhor nos deu, e é por causa desse tipo de fé que nós nunca poderemos entrar no Reino do Senhor. Temos que crer no evangelho da água e do Espírito e gravá-lo em nosso coração. Temos que entender que já que os cristãos de hoje crêem que seus pecados são purificados com suas orações de arrependimento, sua fé está totalmente errada. Crer no evangelho da água e do Espírito é o mesmo que ter a fé de Abraão.
 
 
Como é que Nós Podemos Ser Abençoados Como Abraão?
 
No capítulo três de Gálatas, o apóstolo Paulo explica o que é a verdadeira fé usando como exemplo a fé de Abraão: “Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne? Será em vão que tenhais padecido tanto? Se é que isso também foi em vão. Aquele que vos dá o Espírito, e que opera milagres entre vós, fá-lo pelas obras da lei, ou pela pregação da fé? Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça, sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Em ti serão benditas todas as nações. De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão” (Gálatas 3:6-9).
Paulo está explicando aqui que Abraão foi aprovado por Deus e se tornou a pai da verdadeira fé exatamente porque ele creu na Palavra que Deus havia dito a ele. Por isso, aqueles que têm a mesma fé de Abraão são imputados como justos por Deus assim como Abraão.
Você quer se tornar um descendente de Abraão ao colocar sua fé no evangelho da água e do Espírito? Então creia no evangelho da água e do Espírito de todo o seu coração, assim como Abraão creu no que Deus disse a ele. Por crermos no Filho de Deus, nosso Salvador, que nos salvou dos nossos pecados, e pela nossa fé na Palavra do evangelho da água e do Espírito dada por Deus, nós podemos viver para sempre. Eu desejo que todos vocês também tenham a mesma fé de Abraão. Assim como Abraão se tornou filho de Deus através da sua fé na Palavra de Deus, eu realmente desejo que vocês imitem essa fé. Então, assim como Abraão recebeu toda sorte de bênçãos por crer na Palavra de Deus, vocês também receberão essas mesmas bênçãos.
Vocês também têm que receber de Deus a remissão de pecados colocando sua fé no evangelho da água e do Espírito. Melhor dizendo, vocês têm que crer que nosso Senhor veio a essa terra, foi batizado por João Batista para receber os pecados do mundo, morreu na Cruz, ressuscitou do mortos, e assim nos salvou do pecado. Nós nos tornamos povo de Deus no exato momento em que cremos no evangelho da água e do Espírito dado a nós, e também nos tornamos descendentes espirituais de Abraão. Assim como Abraão foi aprovado por Deus como um homem justo por crer na Sua Palavra, é através da nossa fé no evangelho da água e do Espírito que nos tornamos povo de Deus. Deus disse que a fé de Abraão é a mesma dos que agora crêem no evangelho da água e do Espírito.
Nós temos que entender que o evangelho da água e do Espírito é a Verdade. Então, quando as pessoas no mundo todo passarem a crer no evangelho da Palavra da Verdade de Deus, elas serão aprovadas por Ele como Abraão. Isso porque Deus já determinou que aqueles que tiverem essa fé se tornarão justos por meio dessa fé, e serão salvos de todos os seus pecados. Nós temos que nos lembrar do que está escrito na Bíblia: “tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Em ti serão benditas todas as nações” (Gálatas 3:8).
 
 
Que tipo de Fé Tinha Abraão?
 
Na época do Antigo Testamento, Abraão e seu sobrinho deixaram sua terra, seus familiares, e a casa de seus pais em Ur dos Caldeus e foram para uma terra que Deus lhes mostraria. Logo depois de entrarem na terra prometida, seus rebanhos cresceram muito, o que na época era um sinal de riqueza. Mas depois os servos de Abraão e do seu sobrinho começaram a brigar por causa da terra. Isso mostrou a Abraão que ele tinha que se separar espiritualmente do seu sobrinho Ló.
Então Abraão disse ao seu sobrinho: “Nós temos que nos separar. Se você for para a direita, eu vou para a esquerda; se você for para a esquerda, eu então irei para a direita. Você pode escolher primeiro. Você já não me respeita mais como seu tio, e agora que está prosperando, eu sei que você deseja mesmo partir. Escolha então. Para onde você que ir? Vá para onde você quiser.”
Ló então escolheu a terra fértil de Zoar e deixou Abraão. “Disse o Senhor a Abrão, depois que Ló se apartou dele: Levanta agora os teus olhos, e olha desde o lugar onde estás, para o norte, para o sul, para o oriente e para o ocidente. Toda esta terra que vês, hei de dar a ti, e à tua descendência, para sempre” (Gênesis 13:14-15). O que Deus disse aqui é a aliança que há na Palavra do evangelho, que Abraão seria abençoado através de Jesus Cristo.
Por crer na Palavra de Deus, a fé de Abraão foi aprovada, e ele se tornou o pai da fé de todo aquele que crê agora no evangelho da água e do Espírito. Quando Deus disse a Abraão: “Toda essa terra que tu vês agora será dada a ti e aos teus descendentes para sempre,” Ele quis dizer que as pessoas entrariam na Canaã celestial através de Jesus Cristo. Jesus nasceu nessa terra para livrar os pecadores do pecado, foi batizado por João Batista, morreu na Cruz, ressuscitou dentre os mortos, e assim se tornou o Salvador dos pecadores. Foi por isso que Deus disse que Ele daria o Céu àqueles que cressem em Jesus Cristo como seu Salvador que veio pelo evangelho da água e do Espírito.
O apóstolo Paulo sabia que essa era a Verdade que deveria ser pregada aos gentios para levar a salvação até eles. Deus Pai profetizou que Jesus nasceria com descendente de Abraão, e disse que assim como a fé de Abraão foi aprovada por Ele, aqueles que cressem em Jesus como seu Salvador que veio pelo evangelho da água e do Espírito teriam sua fé aprovada por Ele. Foi por isso que o apóstolo Paulo disse: “De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão” (Gálatas 3:9).
Então, crendo na Palavra de Deus, isto é, no evangelho da água e do Espírito, os gentios da mesma forma podem receber as mesmas bênçãos que Abraão recebeu. Tanto a Palavra de Deus que Abraão recebeu, como o evangelho da água e do Espírito, que é a Palavra de salvação que nós recebemos, levam salvação ao que crê, e é por isso que, no que se refere à fé que nos salva, não há diferença alguma entre elas. É por isso que os crentes no evangelho da água e do Espírito vão receber as bênçãos que Abraão recebeu, assim como vão receber os mesmos dons e os mesmos galardões.
 
 
Assim Como Antes, Ainda Há descrentes Hoje em Dia
 
A razão pela qual Paulo mencionou especificamente a fé de Abraão foi porque os cristãos judeus continuavam atraídos pelo seu próprio entendimento, crendo que se tornariam filhos de Deus e descendentes de Abraão se fossem circuncidados. Por isso, a fim de explicar a verdadeira fé que salva do pecado, a primeira coisa que Paulo destacou foi que sua fé estava errada. Por isso que o apóstolo Paulo falou de novo sobre a verdadeira natureza da fé de Abraão.
Para que tenhamos a fé de Abraão hoje em dia também, temos que crer de coração no evangelho da água e do Espírito que Deus concedeu a todos nós. Se alguém crê no evangelho da água e do Espírito, seus pecados desaparecerão do seu coração e ele será filho de Deus. Você se tornou filho de Deus sendo circuncidado? Não, só se você crer no evangelho da água e do Espírito é que você será filho de Deus.
Entretanto, são muito poucos aqueles que crêem que o evangelho da água e do Espírito de fato é a grande Verdade da salvação. A fé dos cristãos se desviou assim hoje justo porque as pessoas crêem de uma maneira carnal na Palavra de Deus e literalmente.
Durante a Reforma na França, havia um homem chamado João Calvino, que pouco mais tarde se tornou um dos maiores teólogos protestantes. A confusão de Calvino começou quando ele escreveu uma carta para o seu amigo Nicholas Cop, reitor da Universidade de Paris, propondo reformas na igreja. Isso levou a igreja Católica a acusá-lo de heresia, e ele teve que sair da França como um fugitivo. Durante a fuga, ele escreveu um livro chamado As Institutas da Religião Cristã, que foi revisada muitas vezes mais tarde. A visão de Calvino descrita neste livro é chamada de “Os Cinco Pontos do Calvinismo.”
Os chamados “Cinco Pontos do Calvinismo” são os seguintes: Depravação Total (também conhecida como Inabilidade Total e Pecado Original); Eleição Incondicional; Expiação Limitada (também conhecida como Expiação Pessoal); Graça Irresistível; e Perseverança dos Santos (também conhecida como Uma Vez Salvo, Salvo Para Sempre). A doutrina da “Eleição Incondicional” afirma que algumas pessoas são predestinadas a ir para o Céu e outras a ir para o inferno.
Muitos criticaram as idéias de Calvino por elas serem intolerantes demais. Entretanto, suas idéias foram consolidadas como uma escola teológica, apesar do fato de serem doutrinas enganosas, e aqueles que foram influenciados por essa escola não puderam entender que o evangelho da água e do Espírito era a Verdade mesmo quando a ouviram. Mais tarde, baseados nos argumentos de Calvino, os cristãos passaram a crer que, no que se refere aos pecados cometidos depois de aceitar Jesus, eles tinham que ser purificados com orações de arrependimento.
A Bíblia diz que Deus apagou nossos pecados de uma vez por todas. Contudo, Calvino afirmava que mesmo antes das pessoas nascerem, algumas delas já estavam predestinadas para serem salvas enquanto que outras estavam predestinadas para serem rejeitadas. Essa é uma doutrina criada pelo homem e uma falsidade que vai de encontro com o que o homem pensa instintivamente.
A verdadeira predestinação de Deus é a seguinte: Deus Pai nos predestinou no Céu em Jesus Cristo, e no evangelho da água e do Espírito; Ele predestinou os crentes desse evangelho para ser libertos de todos os seus pecados do mundo e se tornar Seu povo. Temos que nos lembrar que a verdadeira salvação é obtida crendo no evangelho da água e do Espírito. A Bíblia diz que os crentes no evangelho da água e do Espírito nasceram de novo livres do pecado e receberam a vida eterna (João 3:5).
Todos são pecadores neste mundo desde o seu nascimento, destinados a pecar a vida inteira e incapazes de evitar o castigo do inferno por causa desses pecados. Todavia, Jesus aceitou pessoas assim como nós como povo de Deus – isto é, aqueles que crêem que Cristo nos livrou dos pecados do mundo através do evangelho da água e do Espírito. Nós temos que crer em Jesus Cristo como nosso Salvador no evangelho da Verdade.
No entanto, o Senhor está dizendo que aqueles que não crerem no evangelho da água e do Espírito serão lançados no inferno merecidamente. Qual, então, é o verdadeiro evangelho, e como é a verdadeira fé? O verdadeiro evangelho e a Palavra infalível da salvação nada mais é do que o evangelho da água e do Espírito.
 
 
Quem está Debaixo da Maldição de Deus?
 
Vamos voltar para Gálatas 3:10-14. “Todos aqueles que são das obras da lei estão debaixo da maldição, pois está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. É evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Ora, a lei não é da fé, mas: O que fizer estas coisas, por elas viverá. Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós, pois está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro. Ele nos resgatou para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebêssemos a promessa do Espírito.”
A passagem acima diz que todos aqueles que são das obras da lei estão debaixo da maldição. O apóstolo Paulo disse: “Pois está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las” (Gálatas 3:10). Da mesma forma, o apóstolo Tiago diz também: “Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, torna-se culpado de todos” (Tiago 2:10).
Deus deixou bem claro aqui que aqueles que são das obras da lei estão debaixo de maldição. A lei não traz salvação nenhuma para quem a guarda. Afinal de contas, quem poderia guardar a lei perfeitamente, já que existe não menos de 613 estatutos da Lei de Deus descritos no Antigo Testamento?
A função da Lei era apontar nossos pecados e nos fazer entendê-los, e dessa forma nos levar ao evangelho da água e do Espírito. Isso porque a Lei é o decreto de Deus dado a todos. Os promotores investigam e acusam criminalmente alguém que seja suspeito. O seu trabalho é acusar criminalmente os que são suspeitos de serem criminosos. E o trabalho dos advogados de defesa é defender o suspeito no julgamento. Basicamente, a Lei é para nós como se fosse um promotor, enquanto que Jesus é o nosso advogado de defesa. Vamos analisar aqui então mais detalhadamente a relação entre as obras de Jesus e o papel da Lei.
Aqueles que crêem nas obras da Lei tentam se tornar descendentes de Abraão sendo circuncidados, mas a Bíblia diz claramente que essas pessoas estão debaixo da maldição de Deus. Não há ninguém que possa se tornar um justo guardando a Lei. Está escrito: “Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” (Gálatas 3:12). Não há ninguém neste mundo que possa praticar a Lei de Deus com perfeição.
Sendo assim, Jesus Cristo mesmo veio a essa terra, levou sobre Si nossos pecados ao ser batizado, morreu crucificado a fim de ser amaldiçoado, e ressuscitou dos mortos, salvando assim os que Nele crêem. Foi Jesus que aceitou os pecados de todo mundo sendo batizado por João Batista, e suportou todas as maldições do homem ao ser crucificado derramando Seu sangue até a morte. Foi por isso que o apóstolo Paulo disse: “Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” (Gálatas 3:13; Deuteronômio 21:23).
Na época de Jesus, a nação de Israel estava sob o domínio do Império Romano, e a lei de Roma condenava a ser pregado no madeiro os criminosos que cometiam os piores crimes. Em outras palavras, a execução pela crucificação era reservada para os criminosos mais terríveis e hediondos.
Por que, então, Jesus foi pendurado no madeiro? Porque Ele havia aceitado todos os nossos pecados de uma só vez ao ser batizado por João Batista. Jesus Cristo só pôde ter uma morte amaldiçoada na Cruz porque Ele antes levou sobre Si os nossos pecados ao ser batizado por João. Você e eu tínhamos tantos pecados que Jesus teve que pagar o preço desses pecados sendo crucificado e suportando todas as nossas maldições.
Jesus foi crucificado num madeiro porque levou sobre Si os pecados do mundo através do Seu batismo. A crucificação de Jesus foi uma conseqüência Dele ter levado sobre Si todos os nossos pecados pelo Seu batismo sendo amaldiçoado por causa deles. Isso significa que assim como diz a Bíblia que “Ele nos resgatou para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebêssemos a promessa do Espírito” (Gálatas 3:14), Jesus realmente nos salvou de modo perfeito com o evangelho da água e do Espírito.
Foi assim que as mesmas bênçãos concedidas a Abraão agora são concedidas a nós também, nós que cremos no que Jesus Cristo fez por nós. Assim como Abraão foi abençoado por Deus e se tornou o pai da fé, todo aquele que crê no evangelho da água e do Espírito pode receber essas bênçãos e ser filho de Deus.
Deus permitiu que recebêssemos a promessa do Espírito Santo pela fé em Jesus Cristo (Gálatas 3:14). Se alguém receber a remissão dos seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito, Ele receberá de Deus o dom do Espírito Santo. Por isso o Espírito Santo habita no coração daqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito.
Se nós temos o Espírito Santo em nosso coração, isso então significa que nós temos a vida eterna através do Espírito Santo. Foi por isso que Deus disse: “O justo viverá da fé.” Já que Deus concedeu o dom do Espírito Santo àqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito, você e eu agora podemos viver para sempre pela nossa fé na Palavra de Deus. Portanto, se alguém de fato recebeu a remissão dos seus pecados no seu coração crendo no evangelho da água e do Espírito, não será difícil para ele viver pela fé.
 
 
Os Crentes no Evangelho da Água e do Espírito podem Ser Libertos de Todas as Maldições Crendo Nessa Verdade
 
É muito difícil receber a remissão de pecados através do evangelho da água e do Espírito? Não há nada mais fácil do que isso.
“Irmãos, falo como homem. Se o testamento de um homem for confirmado, ninguém o anula nem lhe acrescenta alguma coisa. Ora, as promessas foram feitas a Abraão e a seu descendente. A Escritura não diz: E a seus descendentes, como falando de muitos, mas como de um só: E a teu descendente, que é Cristo. Mas digo isto: Que tendo sido o testamento anteriormente confirmado por Deus, a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois, não o invalida, de forma que venha a abolir a promessa. Pois se a herança provém da lei, já não decorre da promessa; mas Deus pela promessa a deu gratuitamente a Abraão. Logo, qual a razão de ser da lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita. E foi ordenada por intermédio de anjos, pela mão de um mediador. Ora, o mediador não representa um só; mas Deus é um. Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De modo nenhum. Pois se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos que crêem. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que a fé veio, já não estamos debaixo de aio” (Gálatas 3:15-25).
O apóstolo Paulo diz aqui que usaria um exemplo do dia a dia para explicar o que ele queria. Ele deixa claro que quando um homem faz uma promessa a outro, uma vez que essa promessa é feita, ninguém pode anulá-la ou modificá-la.
Vamos ver mais uma vez a promessa que Deus fez a Abraão. Como surgiram alguns conflitos entre Abraão e seu sobrinho por causa da terra, Abraão pediu a Ló que escolhesse para onde ir e partisse, então Ló escolheu a terra de Zoar e partiu. Deus então chamou a Abraão para uma montanha bem alta e o fez olhar para a terra lá embaixo. E Deus prometeu a Abraão: “Toda esta terra que vês, hei de dar a ti, e à tua descendência, para sempre.”
Essa é a promessa de Deus de que Jesus Cristo nasceria de Abraão. Em outras palavras, Deus estava dizendo que enviaria Jesus Cristo para nascer como descendente de Abraão, e àqueles que cressem em Jesus Cristo, Ele daria as mesmas bênçãos que deu a Abraão. E enviando realmente Jesus Cristo a essa terra, Deus concedeu totalmente as bênçãos que permitem aos crentes entrar no Céu assim como havia prometido. Agora, nós somos aqueles que receberam bênçãos como as de Abraão, tudo isso por crermos em Jesus Cristo. Assim como Deus deu a terra de Canaã a Abraão, Ele nos deu de presente a promessa do Seu Reino, justamente porque nós cremos na Sua Palavra.
No entanto, depois de 430 anos que Ele tinha dado Sua Palavra a Abraão, Deus deu a Lei ao povo de Israel. Essa Lei também foi dada a nós. Mas mesmo através dessa Lei, nós nunca poderíamos ser libertos de todos os nossos pecados, e por isso nós continuamos debaixo de maldição.
Mas essa Lei não podia anular a promessa de Deus. Em outras palavras, Deus deu a Lei ao povo de Israel depois de 430 anos que Ele havia prometido abençoá-los, e essa Lei não podia anular a promessa e as bênçãos que Deus deu a Abraão. Essa é uma promessa importante e uma Verdade indispensável tanto para o povo de Israel quanto para nós. Nós somos salvos pela nossa fé no evangelho da água e do Espírito, pela fé autêntica, e pela Verdade da remissão de pecados, e isso é importante demais. Portanto, é muito fácil alcançar a salvação no evangelho da água e do Espírito pela remissão de pecados.
Vamos ler Gálatas 3:18-20: “Pois se a herança provém da lei, já não decorre da promessa; mas Deus pela promessa a deu gratuitamente a Abraão. Logo, qual a razão de ser da lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita. E foi ordenada por intermédio de anjos, pela mão de um mediador. Ora, o mediador não representa um só; mas Deus é um.”
O apóstolo Paulo usou aqui o modo condicional “se.” Paulo diz aqui que se dependesse da Lei para sermos filhos de Deus e herdarmos o Seu Reino, isso já não viria mais da promessa. Em outras palavras, se é guardando a Lei fielmente que nós nos tornamos justos e herdamos o Reino de Deus, isso então acontece devido aos nossos próprios atos, não à benção que Deus prometeu a Abraão dizendo: “Toda esta terra que vês, hei de dar a ti, e à tua descendência.”
Nós recebemos a remissão dos nossos pecados também pela fé na Palavra de Deus. É crendo no evangelho da água e do Espírito que recebemos a remissão dos nossos pecados, e também pela nossa fé na Palavra de Deus – isto é, por crermos em Jesus Cristo e na Palavra que Ele nos prometeu – é que vamos para o Céu depois de recebermos a remissão de pecados.
Já que o apóstolo Paulo era um homem que tinha pleno conhecimento do Antigo Testamento, ele ligou Jesus Cristo ao Antigo Testamento. Ele disse: “Qual a razão de ser da lei? Foi acrescentada por causa das transgressões” (Gálatas 3:19). Isso quer dizer que Deus nos deu a Lei porque nós éramos pecadores. Em outras palavras, pelo fato dos descendentes de Abraão não estarem cientes dos seus pecados, a Lei lhes foi dada para que eles entendessem e soubessem dos seus pecados; não para que eles pudessem ser salvos guardando-a. Sendo assim, a Lei foi eficaz até a vinda da Semente da promessa. Quem, então, é a Semente da promessa a quem Lei de Deus se refere? Nenhum outro a não ser Jesus Cristo.
Deus deu a Lei ao homem porque ele não entendia seus próprios pecados mesmo cometendo-os sempre. Qual era a situação do homem 430 anos após Deus ter dado a Abraão a promessa da salvação pela fé? As pessoas não conheciam bem a Deus, e nem conheciam o pecado, porque não havia nenhuma Lei. Foi por isso que Deus apareceu a Moisés e disse: “Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito. Primeiro, não terás outros deuses diante de mim. Segundo, não farás para ti imagem de escultura, não te encurvarás a elas nem as servirás; eu sou o Senhor teu Deus”; deste modo, Deus deu a Lei ao povo de Israel para que eles soubessem quem Ele era.
Resumindo, a razão pela qual Deus deu a Lei foi para que, através da Lei, nós pudéssemos entender que somos grandes pecadores e olhássemos para Jesus e o encontrássemos. Foi por isso que Deus nos sujeitou debaixo da Lei até a vinda de Jesus Cristo. E quando chegou a hora, Jesus Cristo veio a essa terra por nossa causa, foi batizado por João Batista, morreu na Cruz, ressuscitou do mortos, e assim nos salvou de todos os pecados do mundo.
Portanto, se alguém tentar ser uma pessoa justa parente Deus guardando a Lei, sendo circuncidado, ou vivendo com dignidade, sua fé então é aquela que está nas obras, isto é, uma fé legalista. Essa fé legalista para Deus é um grande erro. Ela representa uma tentativa inútil de alcançar a salvação por si mesmo, um sinal de que o ser humano pretende por si mesmo e, de forma errada, alcançar a salvação levando uma vida fiel e justa de piedade.
Por outro lado, o apóstolo Paulo disse: “Nunca poderemos ser salvos pelas nossas próprias obras, porque não temos como evitar de pecar até a nossa morte. Contudo, o Mediador já está aqui. Ele é um com Deus. Nosso Mediador é Jesus que, mesmo sendo o próprio Deus, veio a essa terra no corpo de um homem e se tornou nosso Salvador. Esse Mediador não defende apenas uma das partes. Ele fez mediação entre nós e Deus Pai. Ele trabalha para os dois lados e por esse motivo se tornou nosso Mediador.” Esse Mediador, Jesus Cristo, levou sobre Si nossos pecados de uma vez por todas, morreu na Cruz, fez de nós povo de Deus, e cumpriu toda a justiça de Deus e Seu amor.
A Bíblia continua dizendo o seguinte: “Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De modo nenhum. Pois se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos que crêem. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados” (Gálatas 3:21-24).
Portanto, a afirmação atual de que a remissão de pecados pode ser alcançada fazendo orações de arrependimento, e a afirmação da época da Igreja Primitiva de que os crentes se tornariam descendentes de Abraão e seu povo só se fossem circuncidados, não passam de uma fé enganosa. A idéia de que os cristãos de hoje só fazem parte do povo de Deus se forem santificados está errada, assim como é errado afirmar que eles podem purificar seus pecados e se tornar povo de Deus se eles fizerem suas orações de arrependimento com todo o fervor. Só porque alguém faz orações de arrependimento com fervor isso de forma alguma significa que Deus o tornará justo.
Todo aquele que crê em Jesus Cristo como o seu Salvador que veio pelo evangelho da água e do Espírito pode receber a remissão dos seus pecados e se tornar filho de Deus. Não passa de uma mentira dizer que, ao fazer orações de arrependimento, as pessoas podem ser purificadas dos seus pecados, encontrar a Deus, e receber Seu poder. Mais trágico ainda é que muitas pessoas ainda têm esse tipo de fé enganosa, tentando receber a salvação confiando nas suas orações de arrependimento e nas suas obras da Lei. Corta meu coração ver como os cristãos no mundo todo têm uma fé tão errada, e como o número dessas pessoas de fé, que dizem que são purificadas dos seus pecados fazendo suas orações de arrependimento, hoje em dia cresce tanto no Cristianismo.
Veja o que diz o apóstolo Paulo: “Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne? Será em vão que tenhais padecido tanto?” (Gálatas 3:3). Dessa forma, Paulo está mostrando o erro inegável de dizer que alguém é purificado dos seus pecados por meios carnais. Em outras palavras, Paulo está perguntando porque tentaríamos ser purificados dos nossos pecados através das nossas orações de arrependimento, já que o Filho de Deus nitidamente já nos salvou de todos os nossos pecados ao vir a essa terra, levando sobre Si nossos pecados, morrendo na Cruz, e ressuscitando dos mortos. Já que podemos entender muito bem que esse Jesus Cristo foi batizado por João Batista e morreu na Cruz, por que nós traríamos um outro evangelho para tentar purificar nossos pecados através das nossas orações de arrependimento?
Quando o apóstolo Paulo escreve aos santos das igrejas da Galácia aqui, não havia se passado muito tempo que Jesus tinha vindo a essa terra, sido batizado, morrido na Cruz, ressuscitado dos mortos, e subido aos Céus. Mas apesar disso, os santos da Galácia já tinham rejeitado sua fé e estavam procurando uma outra fé, enganados pelas astúcias de Satanás. E o pior é que eles nem sabiam como sua fé estava errada.
 
 
Os Crentes do Evangelho da Água e do Espírito Podem Cometer o Mesmo Erro Hoje em Dia Se Não Tomarem Cuidado
 
Até mesmo aqueles que receberam a remissão dos seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito podem pensar assim: “Embora eu tenha recebido a remissão dos meus pecados, já que eu ainda peco, eu ainda tenho que fazer minhas orações de arrependimento. Só assim, eu acho, meus pecados poderão ser perdoados.” Se alguém que recebeu a remissão dos seus pecados pecar novamente, ele pode se sentir culpado perante Deus achando que deve fazer algo para compensar seu erro, e é por isso que pode ser que ele pense assim.
Entretanto, em casos assim, temos que reconhecer perante Deus que pecamos e crer no evangelho da água e do Espírito, ao invés de buscarmos refúgio nas orações de arrependimento; só porque alguém faz orações de arrependimento, isso de forma alguma significa que seus pecados são apagados. Todos os santos no mundo inteiro têm que entender bem isso, e aqueles no mundo todo que se consideram bons cristãos, mas que até agora não conhecem o evangelho da água e do Espírito, também têm que compreender que a doutrina das orações de arrependimento está errada.
Por que o apóstolo Paulo repreendeu os da circuncisão e os acusou tão duramente no livro de Gálatas? Porque devido sua má influência, eles fizeram com que muitos cristãos nas igrejas da Galácia, que não conheciam corretamente o evangelho da água e do Espírito, voltassem atrás. Agora, todo cristão, ministros e oficiais da igreja e leigos, têm que entender como os teólogos vêm ensinando-lhes de forma errada esse tempo todo. Pelo fato de muitas coisas erradas terem sido ensinadas a eles, é impossível pregar o evangelho da água e do Espírito atualmente sem o fundamento da Palavra da Verdade que é tão clara. Isso porque até mesmo quando o evangelho da água e do Espírito é explicado a eles junto com a Palavra, eles não querem ouvi-la e se opõem a ela frontalmente.
Uma pessoa tem que ter a prova definitiva da Palavra de Deus para que seus pecados sejam purificados, e para ter isso, ela tem que ter a salvação que vem pela água e pelo Espírito. Se alguém não tem a certeza da sua salvação que é alcançada crendo no evangelho da água e do Espírito, ele então não pode dar testemunho da verdadeira salvação.
Muitos crentes da Galácia já não tinham mais essa certeza. Foi por isso que no livro de Gálatas o apóstolo Paulo disse: “Como é falsa a fé daqueles que defendem a circuncisão! Vocês querem praticar a Lei? Vocês querem ser justificados pela Lei de Deus? Então vocês serão obrigados a praticar a Lei totalmente. Vocês querem ser perfeitos pelas obras da Lei, mas perguntem a si mesmos se vocês podem realmente guardá-la toda. Vocês não são incapazes de fazer isso? Então por que vocês estão tentando alcançar a salvação guardando a Lei pelas suas próprias obras? Nossa verdadeira salvação não é obtida pelas nossas obras, mas pela nossa fé no evangelho da água e do Espírito. A fé em que Jesus veio a essa terra e apagou nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito é a própria fé que nos traz a verdadeira salvação.”
Nossa salvação não se encontra nos nossos atos, mas depende da nossa fé, isto é, se cremos ou não no evangelho da água e do Espírito. E por todo esse tempo todo, temos pensado erradamente que seremos abençoados por Deus se nós fizermos boas obras e amaldiçoados se não as fizermos. Isso tudo não passa de uma fé legalista, e não a fé que crê no evangelho da água e do Espírito. É pela fé que nos tornamos justos, e os que encontraram Jesus Cristo na Verdade do evangelho da água e do Espírito, e O aceitaram em seu coração, são aqueles que receberam a benção da salvação. Se algumas pessoas estão tentando se tornar justas de outra forma, fazendo orações de arrependimento, isso significa então que elas caíram por causa da sua fé enganosa. Essas pessoas têm que se arrepender o mais rápido possível, voltar atrás, e crer em Jesus Cristo de maneira correta.
 
 
Quando a Fé no Evangelho da Água e do Espírito Vem até Nós, Podemos Ser Libertos de Toda a Maldição da Lei
 
“Mas, depois que a fé veio, já não estamos debaixo de aio. Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus, pois todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo. Desta forma não há judeu nem grego, não há servo nem livre, não há macho nem fêmea, pois todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendentes de Abraão, e herdeiros conforme a promessa” (Gálatas 3:25-29).
O apóstolo Paulo diz aqui: “Mas, depois que a fé veio, já não estamos debaixo de aio.” O aio aqui se refere à Lei. Ao apontar nossos pecados, a Lei nos leva a entender que somos pecadores e por isso estamos condenados ao inferno. É por isso que se diz que a Lei nos conduz ao Salvador.
Agora, uma vez que encontramos Jesus no evangelho da água e do Espírito, nós não estamos mais debaixo da Lei. E por causa dessa fé, não estamos mais debaixo de maldição. E até se por acaso pecarmos novamente, a coisa certa é admitir nossos erros com toda franqueza perante Deus e seguir em frente, tendo a certeza de que já fomos redimidos de todos os nossos pecados. Portanto, mesmo que sejamos incapazes, tudo que nós temos a fazer daqui para frente é viver pela fé. Jesus já levou todas as nossas maldições pendurado no madeiro.
Ao aceitar nossos pecados através do Seu batismo e sendo crucificado, Jesus já levou todas as nossas maldições de uma vez por todas. Agora, não somente não tememos mais nossas maldições, como também não nos preocupamos com mais nada absolutamente. Tudo que temos que fazer é apenas reconhecer nossas fraquezas como elas são e seguir em frente pela fé. Foi isso que Deus nos disse para fazermos.
Está escrito: “Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus, pois todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo” (Gálatas 3:26-27). O apóstolo Paulo diz aqui que, por crermos em Jesus Cristo, o Filho de Deus, como nosso Salvador, todos nós já nos tornamos filhos de Deus. O fato de termos nos tornado filhos de Deus significa que nos tornamos justos também.
Com que tipo de fé nos tornamos justos? Como Gálatas 3:27 diz: “Pois todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo,” então nos tornamos justos crendo que Jesus veio a essa terra no corpo de um homem, e que Ele aceitou todos os pecados do homem, os seus e os meus, ao ser batizado por João Batista, o representante da humanidade. Todos os pecados do mundo foram passados a Jesus Cristo quando João Batista impôs suas mãos sobre Sua cabeça. Foi porque Jesus aceitou todos os pecados do homem sendo batizado que Ele pôde ser crucificado sendo amaldiçoado em nosso lugar. E ao ressuscitar dos mortos, Ele se tornou nosso Salvador.
Foi por isso que o apóstolo Paulo disse: “Pois todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo” (Gálatas 3:27). O fato de termos sido “batizados em Cristo” significa que nós cremos no seguinte: que Jesus levou sobre Si nossos pecados quando foi batizado; que por causa disso Ele teve que morrer na Cruz; que Ele ressuscitou dos mortos para nos mostrar que Ele é o próprio Deus que nos deu uma nova vida; e que por causa disso tudo, Ele se tornou nosso Salvador. Por esse motivo, foi para apagar todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito que Jesus nasceu nessa terra.
Em Gálatas 3:27 então, o apóstolo Paulo confessou sua fé quando disse: “Pois todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo.” A fé de Paulo era a fé no evangelho da água e do Espírito. Se alguém não crer no batismo de Jesus e no Seu sangue na Cruz, essa pessoa será lançada no inferno. Foi porque Jesus levou sobre Si os pecados do homem de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista que Ele pôde morrer na Cruz e suportar nossas maldições, ressuscitar ao terceiro dia, se tornar nosso Messias e nosso verdadeiro Salvador.
Não há mais o que discutir aqui, mas deixe-me concluir mais uma vez me referindo ao pensamento do apóstolo Paulo. Ele disse em Gálatas 3:28 que “desta forma não há judeu nem grego, não há servo nem livre, não há macho nem fêmea, pois todos vós sois um em Cristo Jesus.”
Isso significa que todos nós somos um em Cristo. Em Jesus Cristo, nós podemos receber essa mesma remissão de pecados. Todos nós somos um, já que é crendo no evangelho da água e do Espírito que recebemos a remissão dos nossos pecados, e nos tornamos Seus obreiros. Nós podemos ser um no momento em que nos tornamos filhos de Deus.
Paulo continua dizendo: “E, se sois de Cristo, então sois descendentes de Abraão, e herdeiros conforme a promessa” (Gálatas 3:29). Nesta passagem, Paulo está dizendo o seguinte: “Não é sendo circuncidados que vocês se tornam descendentes de Abraão, mas é crendo em Jesus Cristo como o Seu Salvador que veio pelo evangelho da água e do Espírito que vocês são um com Cristo e pertencem a Ele. Somente se vocês aceitarem Jesus Cristo é que vocês se tornarão descendentes de Abraão pela fé. Se vocês têm mesmo essa fé, vocês então são herdeiros do Reino de Deus segundo a Sua promessa.” Essa é a Verdade.
Os teólogos sempre resumem a fé de Paulo à “justificação pela fé.” Isso está correto. Mas o problema, contudo, é que eles dizem isso sem entender realmente no que Paulo cria para ser justificado pela fé. É por isso que, sendo ignorantes em relação ao evangelho da água e do Espírito, eles não têm como falar de salvação a não ser como sendo algo que é alcançado crendo no sangue da Cruz apenas, e como resultado, eles têm afirmado que todos têm que alcançar a santificação para serem salvos. E as pessoas acabam se desviando porque ficam ouvindo esses que falam de uma fé enganosa. E mesmo que Deus nos tenha permitido alcançar a salvação quando colocamos nossa fé no evangelho da água e do Espírito dado por Ele, eles acabam acrescentando suas doutrinas baseadas nas suas próprias obras, destruindo assim, a salvação advinda da graça de Deus.
Como então nós devemos crer que pertencemos a Jesus Cristo? Nós temos que crer que Jesus apagou todos os nossos pecados sem ter que nos consultar antes. Nossa verdadeira salvação é alcançada crendo que Jesus mesmo foi batizado por João Batista; que foi Jesus que levou os pecados do mundo até a Cruz para ser crucificado; que foi Jesus que sofreu e morreu na Cruz sendo amaldiçoado; que foi Jesus que ressuscitou dos mortos; e que foi Jesus que se tornou nosso Salvador. Ele nos amou tanto que nos salvou por livre e espontânea vontade. Essa obra não pertence a ninguém mais a não ser ao próprio Deus. E agora, o que todos nós temos que fazer é crer nesse evangelho da água e do Espírito. Assim nos seremos salvos pela fé.
O que recebemos quando cremos no evangelho da água e do Espírito dado por Deus? Nós recebemos o dom do Espírito de Deus. E já que o Espírito Santo entrou em nosso coração como o dom de Deus para nós, Ele agora trabalha através de nós. Existe algo de nós mesmo que podemos acrescentar para recebermos a salvação de Deus? Não, não há absolutamente nada.
Existe alguém que contribuiu de alguma forma, o mínimo que fosse, para que nossa salvação fosse realizada pelo Filho de Deus quando Ele veio a essa terra? Eu ouvi algumas pessoas exaltando Simão Cirineu, chegando a ponto de dizer que ele fez parte da obra de salvação do Senhor pelo fato deste homem ter carregado a Cruz de Jesus no Seu lugar (Marcos 15:21). No entanto, mesmo que esse Simão não tivesse levado a Cruz de Jesus, isso não significa que a obra de salvação seria imperfeita. Naqueles dias, Cirene era uma cidade muito próspera na Líbia, e Simão provavelmente era um judeu helenizado que tinha ido a Jerusalém para a festa anual da Páscoa. Todavia, só porque esse homem prestou uma ajuda a Jesus, ele entrou no Céu por causa disso? Não, a questão aqui não é essa.
Meus amados irmãos, só quando cremos no evangelho da água e do Espírito é que nós podemos receber as bênçãos prometidas por Deus. É pela fé no evangelho da água e do Espírito que somos salvos, é pela fé que entramos no Céu, e é por essa mesma fé que nos tornamos justos.
Muitos cristãos dizem: “Nós temos que receber a remissão de pecados fazendo orações de arrependimento.” Mas sempre que ouvirmos alguém dizer isso, existe uma coisa que nunca podemos esquecer: isso pode parecer muito digno à princípio, mas a verdade é que não passa de uma fraude. Essas palavras pertencem às pessoas mais vis. Talvez haja pessoas perto de vocês também dizendo: “Como é que vocês não fazem suas orações de arrependimento? Todo aquele que não faz orações de arrependimento está errado.” Eles condenam severamente todos que mostram que essas orações de arrependimento não são necessárias para a salvação.
Mas essas pessoas na verdade estão cometendo um grande mal contra Deus ao dizer que seus pecados só serão apagados se elas fizerem orações de arrependimento. Isso é o mesmo que tornar vã a morte de Cristo. Como é que podemos fazer isso e ainda sim esperarmos ser salvos?
 
 
Como Nascidos de Novo, o que Temos que Fazer Quando Cometemos Algum Pecado?
 
Levando em isso consideração, que tipo de oração nós, os nascidos de novo, temos que fazer quando pecamos? Temos que fazer a oração de confissão a Deus, dizendo: “Senhor, eu cometi tais e tais pecados. Me desculpe. Mas eu creio que Tu já apagaste esses pecados também com o evangelho da água e do Espírito.” Nós temos que reconhecer nossos pecados assim, e a partir do evangelho, confirmar mais uma vez que o Senhor já os apagou a todos.
E temos também que deixar nossas transgressões. E visto que Jesus já nos salvou ao levar sobre Si todos os nossos pecados com Seu batismo, suportando toda a maldição na Cruz, e ressuscitando dos mortos, não há mais nada que possa nos amaldiçoar, e portanto tudo que temos a fazer é voltar atrás dos nossos erros.
Nós temos que confessar nossas falhas a Deus sempre que as cometermos. Confirmando através da nossa fé que o Senhor apagou todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito, tudo que temos a fazer é somente a vontade do Senhor que se tornou nosso perfeito Salvador, e nunca mais termos nenhum sentimento de culpa.
Até eu me sinto triste às vezes. Isso porque muitas pessoas neste mundo acham que a remissão de pecados é alcançada ao se fazer orações de arrependimento. Mas sem dúvida alguma, está muito claro que ninguém pode receber a remissão dos seus pecados a não ser que creia no evangelho da água e do Espírito. As orações de arrependimento brotam naturalmente no coração daqueles que não crêem no evangelho da água e do Espírito. Já é um hábito seu dizer: “Senhor, por favor, me perdoe. Por favor, purifique esse pecado também.”
Se alguém não for batizado em Cristo ele não poderá se revestir Dele. Você percebe agora o que está errado? Enquanto que todo aquele que crê no evangelho da água e do Espírito é revestido de Cristo e se torna filho de Deus e povo Seu, todas essas bênçãos estão fora do alcance daqueles que não crêem nesse evangelho. Somente quando você preenche seu coração com a Verdade é que você pode crer no evangelho da água e do Espírito e receber a remissão dos seus pecados, o maior tesouro do mundo.
Por outro lado, se alguém não crê no evangelho da água e do Espírito, e ao invés disso crê que pode receber a remissão dos seus pecados fazendo orações de arrependimento, ele para sempre então será um pecador que estará esperando pelo dia da sua destruição. Isso porque sua fé torna vão o batismo de Jesus e Sua morte.
Você quer tornar inútil o amor de Jesus Cristo que há na água e no Espírito? Algumas pessoas podem pensar: “Apesar da sua fé estar errada, eles não estão tão errados assim.” No entanto, crer na doutrina das orações de arrependimento é o mesmo que cometer um pecado monstruoso que destrói toda a Palavra de Deus. Você não pode esquecer isso.
E agora, como crentes no evangelho da água e do Espírito, nós temos que pregar esse genuíno evangelho no mundo inteiro até o fim. Sendo fortalecidos na nossa fé, nós temos que salvar dessa fé enganosa, que é a doutrina do arrependimento, todos os cristãos pecadores e sem esperança através do evangelho da água e do Espírito.
Eu sou grato ao Senhor por nos confiar essa tarefa. Temos que cumprir aquilo que foi confiado a nós crendo no evangelho da água e do Espírito.