Sermões

Assunto 18: GÊNESIS

[Capítulo 4-6] (Gênesis 4:1-5) Vamos Viver como Pastores de Ovelhas

(Gênesis 4:1-5)
“Conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e teve a Caim, e disse: Alcancei do Senhor um homem. Tornou a dar à luz, e teve a Abel, seu irmão. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra. Ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta, mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante”.
 
 
Após ter sido expulso do Jardim do Éden, Adão deitou-se com sua esposa e ela gerou um filho. Está escrito: “Conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e teve a Caim, e disse: Alcancei do Senhor um homem. Tornou a dar à luz, e teve a Abel, seu irmão. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra”. O que Eva disse depois de dar à luz a Caim? Ela disse: “Alcancei do Senhor um varão”. Eva ficou muito feliz com o nascimento de Caim e ao ver que o bebê era saudável. O nome Caim significa “adquirido, possessão”.
Eva então concebeu de novo e deu à luz a Abel, irmão de Caim. Abel significa “vaidade, névoa, transitório”. O segundo filho de Adão e Eva pareceu bem fraco para seus pais. Eles até pensaram que ele não seria um homem forte quando crescesse, que sua vida seria passageira e acabaria em pouco tempo. Por isso eles o chamaram de “Abel”, pois pensaram que ele seria vazio e transitório como a neblina da manhã, e não se tornaria um homem.
Quando os dois meninos cresceram, cada um teve uma profissão: Caim se tornou um lavrador da terra e Abel se tornou um pastor. Depois de passado algum tempo, estes dois homens trouxeram ofertas a Deus. Abel ofereceu o primogênito de suas ovelhas e sua gordura, enquanto que Caim ofereceu o fruto da terra. Mas Deus só aceitou a oferta de Abel e rejeitou a de Caim. Este é o ponto principal do texto bíblico deste capítulo.
Através dele, Deus está nos dizendo que todos estão incluídos num desses dois tipos de trabalho. Melhor dizendo, todo ser humano está dividido em dois grupos de pessoas: os que fazem a obra espiritual e os que fazem a obra carnal.
Abel cuidava do rebanho, ou seja, fazia a obra espiritual. Caim, por outro lado, cultivava a terra, o que se refere à obra carnal. Todos podem escolher como profissão cultivar a terra ou cuidar do rebanho. Contudo, a mensagem espiritual do texto deste capítulo é que há dois tipos de obra: a obra de Deus e a obra do homem, isto é, a obra celestial e a obra deste mundo.
Jesus certa vez repreendeu Pedro dizendo a ele: “Não compreendes as coisas que são de Deus, e, sim, as que são dos homens” (Mateus 16:23). E o apóstolo Paulo também disse: “Persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo” (Gálatas 1:10). O que esses textos bíblicos querem nos dizer? Que há dois tipos de vida diante de nós que devemos escolher.
Todos neste mundo estão destinados a viver fazendo uma destas duas obras. E estas obras não são outras a não ser a obra de Deus e a obra do diabo, ou seja, apascentar o rebanho ou cultivar a terra. Abel era um pastor de ovelhas. Um pastor faz a obra de Deus. Ele faz a obra espiritual. Aqueles que pregam o evangelho levam outras almas a receber a remissão de pecados através da Palavra da Verdade e consideram esta a obra mais valiosa que guia os santos e os alimenta – estes trabalham para cuidar do rebanho.
Caim, ao contrário, cultivava a terra, isto é, ele era alguém que fazia a obra de Satanás. Todo aquele que não faz a obra de Deus está inevitavelmente destinado a fazer a obra de Satanás. Você acha que a obra do diabo é fazer apenas com que todos matem uns aos outros e vivam cometendo todo tipo de pecado sexual? Viver para seus desejos carnais é o mesmo que fazer a obra do diabo. Por quê? Porque é justamente isso que ele quer, pois as pessoas vão se corromper se viverem para realizar seus desejos carnais. Foi por isso que Jesus disse: “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna” (João 6:27).
Isso quer dizer então que todos que pastoreiam e fazem a obra como missionários estão fazendo a obra de Deus? Não, não é bem assim. Afinal de contas, o que os escribas e fariseus faziam nos dias de Jesus? Eles não mataram crucificado o próprio Deus que havia vinda a essa terra dizendo que estavam servindo a Deus? Por que os principais sacerdotes e os líderes religiosos decidiram matar Jesus depois que Ele expulsou os vendedores e os cambistas do Templo? Eles diziam que serviam a Deus, mas na verdade só estavam interessados em fazer uso do Templo para ter mais riqueza e poder. Até hoje, inúmeros pastores e missionários afirmam que estão fazendo a obra de Deus, mas muitos deles na verdade estão fazendo uma obra secular. Em outras palavras, a ganância escondida dentro deles os leva a desejar ter o maior número de pessoas em suas igrejas a qualquer custo, a fim de explorá-las para construírem um templo extravagante, para terem uma vida de regalias neste mundo e desfrutar de mais fama e poder.
Há dois tipos de ocupações disponíveis neste mundo para você e para mim, e destas duas, temos que escolher cuidar do rebanho. Aqueles que receberam a remissão dos seus pecados devem pensar na obra de Deus e fazê-la. Se não pensarmos na obra de Deus e só nos preocuparmos com a obra secular, nós faremos parte do grupo de Caim que só quer cultivar a terra. Enquanto que os que cultivam a terra se orgulham do fruto do seu trabalho e de viverem dela, os pastores de ovelha trabalham para dar a vida. Alguém pode ir contra essa verdade e dizer que Caim também trabalhava para dar vida ao plantar sementes, mas, espiritualmente falando, a vida da carne está no sangue (Levítico 17:11). Então, um pastor de ovelhas, animais que têm sangue, representa alguém que faz a obra espiritual de salvar vidas.
Apesar de nossa existência nessa terra ser temporária e passar muito rápido, ainda assim temos que pensar na obra de Deus que traz a vida eterna e fazê-la. Acima de tudo, temos que pregar o evangelho, que é a obra de Deus, e nos esforçarmos para proclamá-lo. Todos que não nasceram de novo ainda são totalmente lavradores da terra. Por mais que queiram, eles não conseguem fazer a obra do Espírito, pois eles mesmos não têm vida. Aquele que nasceu de novo, por outro lado, pode cultivar a terra e cuidar das ovelhas. Aqueles que não se decidiram por Deus, mesmo que tenham nascido de novo, tendem a retornar para sua vida antiga e só vivem para si mesmos. Em outras palavras, eles vão voltar a ser lavradores de novo.
E nós também, se fizermos uma separação na vida que estamos tendo agora, depois de termos recebido a remissão de pecados, seremos divididos em dois grupos: os pastores que cuidam das ovelhas ou os lavradores que cultivam a terra. Os que cuidam das ovelhas se importam com a obra de Deus e a fazem, enquanto que os que cultivam a terra só vivem para si mesmos. Todos nós estamos divididos em dois grupos de pessoas. A questão então é como os nascidos de novo devem viver. Como devem viver aqueles que receberam a remissão de pecados? Nós temos que viver para uma causa que valha a pena. Só porque a bíblia diz que Abel era pastor de ovelhas e Caim lavrador da terra, você não deve pensar assim: “Ah, ela só está falando de dois tipos diferentes de trabalho. A oferta que Abel e Caim ofereceram a Deus foi determinada pelo tipo de trabalho que eles escolheram. Abel, um pastor de ovelhas, sacrificou uma delas e ofereceu a Deus, enquanto que Caim, um lavrador, ofereceu frutos da terra como tomates, abóboras e milho a Deus. Em outras palavras, cada um ofereceu a Deus o que tinha segundo o fruto do seu trabalho”.
O mesmo princípio de aplica a nós. Aqueles que realmente pensam na obra de Deus e a fazem depois de receberem a remissão dos seus pecados podem oferecer frutos espirituais a Deus; por outro lado, aqueles que não fazem a obra de Deus só podem oferecer a Ele o fruto da terra. Já que todos recebemos a remissão de pecados, agora temos que decidir se vamos viver com pastores, como Abel, ou como lavradores, como Caim. Melhor dizendo, temos que decidir se vamos dar valor à obra de Deus e fazê-la, ou se vamos continuar apegados às coisas passageiras dessa terra e viver para aquilo que perece. Todo aquele que recebeu a remissão de pecados tem que estar bem seguro quanto a isso, de como ele vai viver e, de um modo ou de outro, ele tem que escolher que tipo de vida vai levar. Você também tem que decidir como vai viver.
Eu não posso dizer: “Eu vou ter uma vida perfeita”. No entanto, eu estou convencido disso: “Apesar de ser imperfeito, eu vou viver como um pastor, como Abel. A coisa mais certa a fazer é viver como um pastor de ovelhas perante Deus. E é isso que é bom para mim, assim como é bom para todo mundo”. E se isso é verdade para mim, então é verdade para você também. Você não pode dizer com toda certeza que vai ter uma vida justa ou que viveu assim até hoje. Mas você pode tomar uma decisão no seu coração e dizer: “Eu vou viver como um pastor de ovelhas também. Ao invés de viver como um lavrador da terra, como Caim, eu vou viver como um pastor de ovelhas. Viver como Abel não é a melhor decisão que eu posso tomar em meu coração? Devemos viver como pastores de ovelhas ou como lavradores da terra? Se levarmos isso a sério diante de Deus e tomarmos uma firme decisão em nosso coração, então escolheremos viver como pastores de ovelhas.
Todavia, mesmo quando tomamos essa decisão, nós não conseguimos fazer totalmente a obra do Espírito. Mas a decisão que tomamos pelo menos é muito clara, tanto psicológica como espiritualmente, e, pelo fato de nossa escolha ser boa e certa perante Deus, nós dizemos: “Eu vou viver como um pastor de ovelhas”. Amados irmãos, como vocês devem viver? Vocês devem viver como pastores de ovelhas ou como lavradores da terra? Como é que vocês querem viver? Eu tenho certeza que todos vocês querem viver como pastores. Esta é a vida correta, abençoada. É nisso que eu creio. Apesar de lavrarmos a terra de vez em quando, devemos tomar a decisão em nosso coração de vivermos como pastores de ovelhas.
Existem dois tipos de pessoas neste mundo: aquelas que cuidam do rebanho e as que cultivam a terra – as primeiras fazem a obra de Deus, enquanto que as últimas fazem a obra de Satanás. Muitos são os que lavram a terra como Caim, mas poucos os que cuidam do rebanho. Quantos são aqueles que apascentam nessa terra? Muito poucos. Em outras palavras, os que fazem a obra de Deus são muito raros.
A bíblia nos mostra que Abel era pastor de ovelhas e que Deus aceitou sua oferta quando ele lhe ofereceu o primogênito do rebanho e sua gordura; um mistério maravilhoso sobre as bênçãos de Deus está oculto nessa Palavra. Isso significa que Deus aceita com prazer aqueles que fazem a obra espiritual. Nós temos que ser pastores de ovelhas para Deus realmente. Nós temos ser pecuaristas. Isso porque nossos pais da fé, de Abraão aos seus descendentes, como Isaque e Jacó, criavam gado. Eles não viviam num só lugar, mas se mudavam sempre à procura de pastagens e água para alimentar o rebanho. Em outras palavras, eles viviam como estrangeiros e peregrinos nessa terra e se dedicavam a gerar vida (Hebreus 11:9, 13).
Esse trabalho de cuidar do rebanho é algo absolutamente justo para Deus, justo e bom. Ele é mil vezes melhor do que cultivar a terra. O lavrador da terra tem que fertilizá-la todos os dias e só come o que ela produz. Por outro lado, um pastor de ovelhas apascenta o rebanho, o alimenta e cuida dele. E ele sempre vê uma nova vida nascendo diante dos seus olhos. Em outras palavras, o trabalho de cuidar do rebanho é o mesmo que a obra de salvar almas. Espiritualmente falando, este trabalho em si já é muito abençoado. É algo muito diferente de cuidar da terra. Isso porque ele diz respeito à vida.
Como é lindo um cordeirinho quando nasce! Quando eu era jovem e morava na ilha de Gadeok, eu sempre via ovelhas e cabras dando à luz. Os filhotes destes animais podem ficar de pé logo depois que nascem e já saem correndo depois de dar seus primeiros passos. Eles já ficam em pé e saem saltando logo após nascerem. Eles são maravilhosos, amáveis, lindos. Todos os filhotes, sejam de cachorros ou gatos, são bonitinhos assim. Uma nova vida é um mistério lindo e maravilhoso.
Já que você e eu recebemos a remissão de pecados, temos que começar a cuidar do rebanho. Nosso trabalho tem que ser cuidar do rebanho. Não há outra coisa para fazermos depois de recebermos a remissão de pecados. A agricultura não é algo que gera vidas. Para que serve o fruto da terra? No máximo para sustentar o lavrador e sua família. Os lavradores comem o fruto da terra, mas tudo se acaba quando eles vão ao banheiro. Não dura nada então. Porém, cuidar do rebanho é um trabalho feito para gerar novas vidas, alimentá-las e fazer com que elas se multipliquem. Um pastor faz com que seu rebanho procrie, cuida dele, faz com que ele cresça saudável e com que ele se multiplique. Essa é a obra que temos que fazer.
É por isso que, apesar de ser imperfeito perante Deus, eu ainda assim estou determinado a cuidar do rebanho para o resto da minha vida. Então, eu oro assim: “Senhor, apesar de eu ser imperfeito, eu quero cuidar do rebanho. Eu tenho que pregar o evangelho para muitas pessoas no meu país e fora dele, até os confins da terra. Eu quero levar os irmãos da nossa Escola de Missões a fazer a obra como pastores de ovelhas. Por favor, me ajude e permita que eu viva sendo um pastor de ovelhas para o resto de minha vida, como Abel”.
O meu mais sincero desejo é que todos vocês trabalhem como pastores de ovelhas, já que vocês receberam a remissão de pecados. Ao invés de viverem para cuidar da terra e para si mesmos, eu quero que vocês façam a obra nem que seja para salvar uma alma, para gerar uma nova vida, para alimentá-la e salvá-la, a fim de que ela também possa cuidar do rebanho. Se vocês já receberam a remissão de pecados e estão pregando o evangelho, todos vocês são pastores de ovelhas então. Viver para o evangelho, dar ofertas para financiá-lo, dedicar a ele nosso tempo, esforço e oração – tudo isso é cuidar do rebanho. Tudo que temos a fazer é tomar a decisão de fazermos isso. Se decidirmos viver pela fé e como pastores, nós então poderemos ter uma vida que vale a pena, pois Deus nos dará graça, poder e bênçãos especiais. Por outro lado, cuidar da terra requer muito esforço próprio. E mesmo que alguém trabalhe duro, ele tem que fazer tudo sozinho e só produzirá algo que vai se acabar depois que ele comer.
Como os lavradores da terra têm que trabalhar duro! Os pastores de ovelhas também têm que trabalhar duro, mas seu trabalho gera vida. Não é pela sua dedicação, mas pela vida que Deus lhes deu, que eles se casam com Jesus Cristo e geram filhos espirituais. Isso é algo que acontece espontaneamente. Não é algo que conseguimos com nosso próprio esforço, pois a obra de cuidar do rebanho é realizada pela força e pela graça dadas por Deus. Sendo assim, se fizermos essa obra pela fé, nós geraremos muitos filhos espirituais.
Deus nos deu este evangelho, e por isso nós o pregamos. As pessoas não recebem a remissão de pecados quando nós pregamos para elas? O evangelho que nós estamos pregando é muito poderoso. E as pessoas recebem a remissão de pecados ao ouvirem esta Palavra do evangelho porque cremos no que pregamos. É por isso que quando reunimos os que ainda não receberam a remissão de pecados e pregamos para eles, alguns acabam recebendo a remissão de pecados. Assim, a obra que gera uma nova vida se revela diante de nossos olhos. Quando fazemos este pedido aos que ouvem o verdadeiro evangelho: “Por favor, levantem a mão aqueles que receberam a remissão de pecados ao ouvir o evangelho da água e do Espírito”, nós podemos ver claramente algumas mãos sendo levantadas. E quando pedimos a eles para dar seu testemunho de salvação, eles dizem de modo bem claro: “Eu tinha muitos pecados antes, mas agora que eu ouvi o evangelho da água e do Espírito e cri nele, todos estes pecados sumiram e eu me tornei um justo sem pecado”.
Ao invés de nos esforçarmos para cuidar da terra e viver do seu fruto, como Caim, nós trabalhamos para anunciar o que Deus nos deu. Nós pregamos a Palavra da Verdade, geramos filhos espirituais, os protegemos, os levamos para a Igreja e ensinamos a Palavra para eles a fim de que eles também gerem mais filhos espirituais. Um pastor é alguém que apascenta e cuida do rebanho. Ele trabalha para garantir que o rebanho dê novas crias, o alimenta e o protege para que ele continue gerando também quando crescer. A vida do justo também tem que ser assim, sempre gerando vida. Mateus capítulo 1 começa com a genealogia, mostrando quem gerou quem. Por isso, todas as pessoas mostradas nesta passagem são nossos pais da fé que cuidaram do rebanho.
Você e eu também temos que fazer essa obra. Todos nós que estamos em comunhão temos que fazer essa obra, sem exceção. Enquanto durar nossa vida, temos que dedicar nosso coração a fazer essa obra. Agora que recebemos a remissão de pecados, o que devemos fazer? Temos que cuidar do rebanho. Não devemos cultivar a terra como Caim.
“Irmã Reva Choi, você não vai voltar para a Rússia depois que acabar seu treinamento aqui? O que você deve fazer depois que voltar para Rússia? Você tem que cuidar do rebanho. Você deve ter comunhão com os servos de Deus e cuidar do rebanho. Se você tiver comunhão com o povo de Deus, pregar a Palavra com eles, dar testemunho dela, separar um tempo para adorar, proteger o rebanho do mentirosos que são como lobos e ensiná-lo – é exatamente isso que significa cuidar das ovelhas. Irmã Choi, sua vida espiritual deve ser assim. Esta deve ser a razão da sua existência. Nós existimos para cuidar das ovelha”.
A passagem bíblica deste capítulo diz assim: “Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra”. Também está escrito que Abel trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e sua gordura como oferta a Deus. Ao sacrificar sua oferta, Abel não apenas imolou o cordeiro e o colocou sobre a pedra. Pelo contrário, ele o abriu ao meio, tirou o melhor de suas entranhas como o fígado e os rins, os colocou sobre o altar e jogou fora as partes impuras. Ele então cortou sua carne em pedaços, pôs sobre o altar a gordura que tinha tirado junto com sua carne e os ofereceu a Deus queimando-os ali.
O que isso significa? Significa que Abel ofereceu seu sacrifício a Deus segundo a lei da salvação, pela qual Ele o havia salvado, crendo no evangelho que ele havia ouvido de seus pais. Quando uma oferta queimada é oferecida, é preciso impor as mãos sobre a cabeça do animal antes de sacrificá-lo. Este é um processo indispensável para passar todos os pecados para o animal. Ele tem que ser imolado, seu sangue derramado, cortado em pedaços, e sua gordura e suas entranhas devem ser colocadas no altar do sacrifício para serem oferecidas como cheiro suave a Deus. Abel ofereceu este mesmo sacrifício de oferta queimada trazendo os primogênitos do seu rebanho e sua gordura.
O que a “gordura” significa aqui? Ela representa Deus, o Espírito Santo. Melhor dizendo, Abel cria naquilo que Deus havia dito. Era assim que Abel O adorava. E já que ele adorou Deus assim, Ele o aceitou. Os pais de Abel, Adão e Eva, tinham o evangelho das vestes de peles. E para preparar as vestes de peles, um cordeiro teve que ser sacrificado. Este evangelho das vestes de peles se refere à imposição de mãos que passava os pecados para o animal do sacrifício e derramava seu sangue. Foi por ter essa fé que Abel sacrificou sua oferta a Deus assim.
Alguém pode não concordar com minha interpretação e dizer: “Onde nós podemos encontrar a ‘imposição de mãos’ no relato das vestes de peles em Gênesis capítulo três?” Mas você tem que entender que a bíblia não nos mostra toda a verdade passo a passo. Por exemplo, Gênesis 3:15 diz assim: “E porei inimizade entre ti e a mulher,
E entre a tua descendência e o seu descendente;
Este te ferirá a cabeça,
E tu lhe ferirás o calcanhar”. Este versículo nos revela claramente que Jesus Cristo é o nosso Salvador, apesar de não encontrarmos nada sobre o batismo ou a imposição de mãos nele. A bíblia é a Palavra da revelação, mas nós só podemos interpretá-la pela inspiração do Espírito Santo (João 16:13).
No livro de Levítico, podemos ver que quando o povo de Israel oferecia sacrifício a Deus como oferta de expiação, ele tinha que oferecer sua gordura juntamente com sua carne após impor suas mãos sobre a cabeça do animal. Eles recebiam a remissão de pecados quando sacrificavam assim. Quando nós cremos no evangelho da água e do sangue que Jesus nos deu, todos os pecados do nosso coração são tirados e apagados. Nós então nos tornamos sem pecado. E quando temos este tipo de fé que nos torna sem pecado, Deus nos dá o dom do Espírito Santo.
Receber o Espírito Santo não é algo que acontece quando queremos. Você acha que alguém sente o corpo queimando ou fica muito emocionado quando recebe o Espírito Santo? Se isso acontecer, isso significa que ele está recebendo um espírito maligno. Deus, o Espírito Santo, é tranqüilo e puro como uma pomba. Portanto, ele só entra no coração de quem recebeu a remissão de pecados.
Esta é a adoração que devemos prestar a Deus: “Senhor, obrigado por me salvar assim. Obrigado por apagar todos os meus pecados com Sua água e Seu sangue”. Somente quando adorarmos a Deus pela fé deste jeito é que Ele aceitará nossa adoração. Caim, por outro lado, trouxe a Deus como oferta o fruto da terra, mas Ele não a aceitou. Por que Deus não teve prazer na oferta de Caim e a rejeitou? Porque Caim vivia para si mesmo, e não para fazer a vontade de Deus. Foi por isso que ele ofereceu a Ele o que era bom aos seus olhos, segundo o seu entendimento carnal. Caim era um lavrador da terra, alguém que só se preocupava com assuntos terrenos. Era assim que Caim vivia perante Deus, cultivando a terra, mas, apesar disso, espiritualmente falando, ele deveria ser um pastor de ovelhas também e ter trazido uma oferta de fé, mas ele não fez isso. E foi por isso que Deus se recusou a aceitar sua oferta.
Deus diz que “não devemos ser como Caim (1 João 3:12). Caim ofertou o fruto da terra. Ele era agricultor. Isso quer dizer que, no que se refere à fé, ele ofereceu o fruto da terra a Deus – ou seja, sua oferta de fé foi segundo seu entendimento. Melhor dizendo, ele cria em Deus à Sua maneira, segundo sua vontade. Foi assim que ele adorou a Deus e até inventou doutrinas ao fazer isso. Mas Deus aceitou sua oferta? Não, Ele não aceitou.
A própria profissão de Caim não era correta. Depois de receber a remissão de pecados, que tipo de profissão devemos ter neste mundo? Nosso trabalho de ser cuidar das ovelhas. Em outras palavras, nosso trabalho deve ser gerar filhos espirituais. A bíblia diz: “Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Coríntios 10:31), sendo assim, cuidar das ovelhas nada mais é do que gerar filhos espirituais pregando o evangelho, guiá-los e nutri-los. Já que estamos pregando o evangelho pessoalmente, temos que deixar de lado todos os assuntos deste mundo e nos dedicar totalmente à obra de Deus. Mas, por outro lado, se não estivermos engajados de modo integral na obra de pregação do evangelho, tudo que temos a fazer então é nos dedicarmos ao nosso trabalho secular e apoiar o ministério do evangelho com orações, serviços e doações. Se nós trabalharmos em prol do evangelho junto com a Igreja assim, todos nós poderemos cuidar do rebanho também.
Através da passagem bíblica deste capítulo, Deus nos diz que devemos nos dedicar para cuidar do rebanho. Todos nós devemos viver como bons pastores realmente.