Bài giảng

Assunto 18: GÊNESIS

[Capítulo 4-11] A Fé que Deus Aceita com Alegria (Gênesis 4:3-7)

A Fé que Deus Aceita com Alegria(Gênesis 4:3-7)
“E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o seu semblante. E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti? E, se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e para ti será o seu desejo, e sobre ele dominarás.’”
 
 

Os Dois Tipos de Sacrifício

 
Como o fim do mundo se aproxima, abençoados são os que seguem o Senhor e estão nele. O texto bíblico deste capítulos nos fala sobre o tipo de fé que devemos ter quando formos para Deus e também servi-lo.
Está escrito: “E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura” (Gênesis 4:3-4). Vemos que Caim e Abel ofereceram dois tipos de sacrifício ao Senhor, mas o problema era que eles eram bem diferentes um do outro. Está escrito que Caim ofereceu o fruto da terra como sacrifício ao Senhor, enquanto que Abel ofereceu dos primogênitos de suas ovelhas e sua gordura. Um ofereceu o fruto da terra, enquanto que o outro ofereceu um cordeiro.
O que você acha que é o fruto da terra? Caim ofereceu a Deus coisas que geralmente comemos, tais como trigo, arroz, feijão, batatas, melões, morangos e todo tipo de coisas assim. Mas Abel sacrificou dos primogênitos sem defeito de suas ovelhas e ofereceu sua carne e sua gordura. A verdade é que havia uma grande diferença entre estes dois sacrifícios. Isso não quer dizer que existe diferença quanto a quantidade de sacrifícios oferecidos pelos crentes hoje, mas sim que entre os crentes há os que creem em Deus da forma certa, enquanto que outros o servem com uma fé errada. Aqueles que conhecem e creem em Deus da forma certa oferecem dos primogênitos de suas ovelhas como sacrifício a Deus, mas os que nada sabem dele, e por isso têm uma fé errada nele, ofereceram-lhe o fruto da terra como sacrifício. Melhor dizendo, esta passagem bíblica nos mostra que há um pequeno número de pessoas que creem em Deus espiritualmente, enquanto que a maioria crê nele de forma carnal.
Como podemos dizer se cremos em Deus da forma certa ou não? Se olharmos o livro de Gênesis capítulo 4:4, leremos: “E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta”. Deus aceitou o sacrifício de Abel, mas não aceitou Caim e seu sacrifício. Assim como Caim e Abel, há cristãos neste mundo que oferecem sacrifício da terra com sua própria força, enquanto que outros oferecem um cordeiro para Deus. Isto significa que há dois tipos de fé no Cristianismo de hoje. Portanto, fica claro que os que trazem sacrifícios como o de Abel são aceitos por Deus, e os que trazem sacrifícios como o de Caim de fato são amaldiçoados. Então surge uma pergunta: por que Deus aceitou o sacrifício de Abel e não aceitou o de Caim?
 
 

A Oferta de Sacrifício Ilícita e a Correta

 
Caim cultivou a terra com dedicação e ofereceu o fruto dela como sacrifício. Mas Abel ofereceu dos primogênitos de suas ovelhas. Ao oferecer dos primogênitos de suas ovelhas, Abel foi diante de Deus crendo em nosso Salvador Jesus Cristo que nos salvou de todos os nossos pecados. No entanto, Caim ofereceu algo proveniente de sua própria força, ou seja, seu próprio esforço, fervor, sinceridade e mérito ao invés de entregar a si mesmo simplesmente crendo em Jesus. Caim foi adiante e levou sua oferta que foi preparada do seu próprio jeito e pensamento. Então, por que Deus não aceitou a sua oferta? Deus não quis aceitá-la porque Caim usou da sinceridade conforme seu próprio jeito de pensar, ao invés de sacrificar um cordeiro.
Como o povo sabia se Deus havia aceito ou não os seus sacrifícios no tempo do Antigo Testamento? Deus mandava fogo do céu e consumia estas ofertas. Era exatamente assim que Deus fazia para mostrar as pessoas se tinha aceito suas ofertas ou não. Tanto Caim como Abel construíram altares. Abel sacrificou o cordeiro e o colocou em cima do altar junto com sua gordura, enquanto que Caim pôs o fruto da terra no altar. Então, quando Deus olhou para as ofertas, ele aceitou o sacrifício de Abel, mandou fogo e o consumiu, enquanto que o fruto da terra oferecido por Caim permaneceu intocado. Este foi o sinal de Deus.
Nós cremos em Jesus como nosso Salvador e nos apresentamos diante de Deus. Jesus é Deus. Jesus era Deus mas, ao mesmo tempo, ele também era Filho de Deus. Assim como o descendente do ser humano é um humano, o filho unigênito de Deus, Jesus, era mesmo Deus. Quando Deus criou Adão e Eva, ele disse: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gênesis 1:26). Como podemos ver claramente aqui, Deus usa a Palavra ‘façamos’, assim como no início do livro de Gênesis quando Deus criou os céus e a terra com sua ‘Palavra’. E isso nos diz que Deus Pai, o Filho e o Espírito Santo participaram juntamente da criação, como vemos aqui: “E o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” (Gênesis 1:2).
Se foi isso mesmo que aconteceu, então quem criou todas as coisas no universo? Está escrito: “No princípio, criou Deus os céus e a terra” (Gênesis 1:1). Então, quem é este Deus, o criador dos céus e a terra? Ele é o nosso Salvador Jesus Cristo que veio em forma humana como está escrito “No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus…E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (João 1:1, 14). Este Jesus é o próprio Filho de Deus, o Salvador que nos salvou do pecado. A Palavra ‘Jesus’ significa aquele que “salva o seu povo dos seus pecados” (Mateus 1:21). Jesus Cristo é o verdadeiro Deus que salvou todos do pecado ao vir a esta terra em forma humana.
Nós cremos em Deus Pai, Filho e Espírito Santo como um só Deus, a Trindade. Portanto, nos referimos a todos eles como ‘Deus’. Jesus é o nosso Salvador e nosso Senhor; e o Pai de Jesus é o nosso Pai, e o Espírito Santo também é Deus.
Aqueles que creem em Deus vão até ele levando três tipos de oferta. Porém o mais importante que devemos saber é que tipo de oferta é esta. Quando os santos nascidos de novo (como Abel) vão diante de Deus, eles levam consigo a fé que crê que Jesus Cristo é seu perfeito Salvador. Mas os cristãos de outra categoria (como Caim) trouxeram com eles seus próprios esforços, seus bens materiais, seus méritos e sinceridade diante de Deus sem crer que Jesus Cristo é seu perfeito Salvador. Eles são muito tolos. Portanto, é importante sabermos primeiro que tipo de fé Deus vai aceitar antes de levarmos nossa oferta de sacrifício a ele. Devemos necessariamente levar um sacrifício de fé. O sacrifício que Deus aceita é a fé que crê que Jesus é o nosso perfeito Salvador. Deus só se alegra quando alguém vai até ele com uma fé assim.
A maioria dos cristãos está propensa a ir diante de Deus pensando assim: “Já que eu tenho sido uma boa testemunha de Jesus, sendo dedicado na obra da igreja, ofertado bastante dinheiro e servido bem ao pastor, naturalmente Deus aceitará minha adoração. Deus se alegrará quando ouvir minhas orações, meus louvores de adoração e minha gratidão a ele”, mas como eles estão errados! Temos que saber que Deus não aceitará estes sacrifícios, inclusive estes adoradores. Ele rejeita este tipo de pessoa, inclusive seus sacrifícios. Deus procura os verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade (João 4:23).
Deus aceita o sacrifício que vem pela fé. Você sabe que tipo de fé Deus requer de nós? Deus aceita alegremente como seus filhos os que creem totalmente nele e no fato de ele ser o Criador e o Salvador que nos salvou de todos os pecados. Deus aceita os sacrifícios dos que creem em seu Filho e o aceitam como seu Salvador. Melhor dizendo, Deus aceita os que creem que seu filho, Jesus Cristo, nos salvou de forma perfeita de todos os nossos pecados: Ele aceita aqueles que creem que o seu Filho Jesus os salvou de todos os seus pecados livrando-os do juízo ao vir a esta terra, levando todos os seus pecados e sendo condenado em seu lugar, embora não tenham mérito algum e não tivessem outra escolha senão morrer devido aos seus pecados. Deus aceita esta adoração de fé feita a ele.
 
 

A Fé Errada

 
Nós precisamos saber que Deus não aceita a fé e a adoração dos que vão diante dele para o adorar dizendo: “Amado Deus, eu fiz isso e aquilo por ti. Senhor, por ti eu me esforcei tanto, consegui realizar muitas coisas, fui sincero e ofereci sacrifício a ti. Senhor, eu continuarei fazendo todas estas coisas até eu morrer”. Deus não aceita a adoração e a fé dos que oferecem sua sinceridade humana, porque se ele recebesse esta adoração, seu coração se tornaria pesado e ele ficaria em débito com tais pessoas. Ao invés de ser um Deus que concede graça, ele seria um Deus que receberia favores do homem.
Deus não quer ser devedor a ninguém. E se isso acontecesse, ele diria: “Ei, já que você se esforçou tanto assim, eu não tenho que fazer algo por você?” E ele ficaria sobrecarregado. Então, Deus adoeceria facilmente com esta fé. Deus quer que o louvemos com fé e com verdadeira gratidão por ele ter nos amado tanto. Para apagar todos os pecados do homem, ele enviou Jesus para ser o Salvador da humanidade. Deus aceita a adoração de fé daqueles que vão até ele com gratidão e alegria, que o adoram e o servem.
Deus não tem falta de nada. Ele existe por si mesmo, sem nenhuma ajuda de quem quer que seja. Ele não deseja receber bem algum das pessoas, não importa quem seja, nem mesmo um pouquinho. Deus não quer ser devedor a ninguém. Deus é Todo-Poderoso. Vamos supor que uma das criações de Deus vá até ele e diga: “Eu trabalhei tanto por ti, por favor, aceite este presente. Eu farei isso por você todos os dias”. Adorar assim seria apenas um peso e uma angústia para Deus. E isso só mostraria desprezo por ele. Seria como se um mendigo fosse ao depósito de lixo e trouxesse uma remessa de coisas inúteis todos os dias a um rei que não tivesse falta de coisa alguma. Embora pudesse parecer bom aos seus olhos, para o rei estas coisas não passariam de lixo fedorento. A justiça do homem é assim. Embora ela pareça pura aos olhos humanos, na verdade é um “trapo da imundícia” (Isaías 64:6).
Com qual tipo de fé Deus mais se alegra? Deus se alegra com os que vão até ele com fé, isto é, crendo que ele os salvou do pecado de forma perfeita e o adoram e o louvam. Adoração como esta é o que mais agrada a Deus. Que tipo de adoração Deus aceita? Deus aceita a adoração de fé daqueles que creem que ele mesmo veio a esta terra em forma humana, levou todos os nossos pecados ao receber o batismo no rio Jordão, foi condenado em nosso lugar, ressuscitou para nos salvar e agora está assentado à direita do Pai.
 
 

Os Dois Tipos de Fé

 
As pessoas deste mundo estão divididas em dois tipos de fé. Uma é igual à fé de Caim, e a outra é igual à fé de Abel. Aqueles que são iguais a Abel creem totalmente na justa obra que Jesus fez. Por outro lado, os que são como Caim são do budismo, do islamismo, do hinduísmo, do confucionismo e se achegam a ele com suas boas obras e sua própria sinceridade. Entre este grupo estão aqueles que acham que o Cristianismo é uma mera religião.
Deus não aceita a adoração daqueles que são como Caim. Embora eles ofereçam seus sacrifícios a Deus com muita sinceridade e carinho, ele não os aceita. Agora você já deve saber por que Deus não os aceita, não é? A fé que Deus aceita com alegria é aquela que crê na justa obra que foi feita por ele. Mas nós seres humanos não passamos de um poço de pecados. Se estes que são iguais a Caim se esforçassem para se livrar da maldade e dos desejos carnais sem mentir, sem comer demais e mortificando sua própria carne, Deus se agradaria com isso? Deus não aceitaria sua adoração.
Deus é misericordioso. Quando as pessoas seguem por este caminho de autopenitência, dizendo: “Querido Deus, por favor, me aceite”, Deus sente pena e se preocupa, e lhes diz: “Por favor, não aja assim. Meu coração está ferido, então, por favor, não faça isso”. Todas as religiões incentivam a fazer a autopenitência, mas Deus nunca se alegra delas.
Muitos cristãos se vangloriam de seus feitos da seguinte forma: “Quando eu estava construindo esta igreja, eu doei cem mil dólares”; “eu passei 40 dias em oração e jejum para receber a remissão de pecados”; “eu passei a noite toda orando e também a manhã para purificar meus pecados”; “eu sacrifiquei tudo que tinha e segui o Senhor para pregar o evangelho”. Contudo, amados irmãos, lembrem-se que Deus nunca aceita o fruto da terra. Ele não aceita a adoração de alguém que vai com sua própria justiça, que ora muito, que faz muito a obra missionária, que oferta muito dinheiro, além de fazer sacrifícios e trabalhar muito.
No entanto, o problema que enfrentamos é que existem muitas pessoas iguais a Caim nesta terra. Quantos você acha que eles são? O número é incontável. São praticamente a maioria. Sem contar os de outras religiões, muitos cristãos adoram a Deus com o fruto da terra, se vangloriando de sua própria justiça, dizendo: “Querido Deus, já que passei por muitas lutas por você, por favor, aceite-me”. Mas um verdadeiro adorador é aquele que leva dos primogênitos de suas ovelhas sem intenção oculta, sem nenhum esforço ou mérito e o oferece a Deus pela fé, independente de não ter feito nada por Deus. É só assim que Deus aceita a adoração. O primogênito das ovelhas diz respeito a Jesus Cristo. Deus aceita a adoração daquele que diz: “Jesus, tu és meu Salvador. Eu não tenho nada de mim mesmo. Jesus Cristo, tu me salvaste de forma perfeita através do evangelho da água e do Espírito. Pai amado, estou aqui diante de ti com minha fé em Jesus, por favor, aceite-me”.
 
 
Uma Fé Equivocada
 
Para as pessoas cuja fé é como a de Caim, ofertar o fruto da terra sempre é bem difícil. Levar uma vida de fé assim com o próprio esforço é muito difícil e pesado. Você acha que alguém conseguiria levar uma vida de fé assim até morrer? Isso é impossível. Como seria trabalhoso e difícil adorar tendo que lavrar os campos no verão e no inverno e levar todos os dias o fruto da terra! E você acha que alguém com uma vida tão dura assim mostraria alguma gratidão? Não, jamais!
Quando a pessoa começa a crer em Jesus adorando como Caim, primeiro ela vai querer parecer aceitável. Isso acontece porque quando estas pessoas começam a crer em Jesus sem terem realmente nascido de novo, elas creem que Deus irá aceitá-las somente quando levarem o fruto da terra, que seria algo que saísse de dentro de si, como a sinceridade, o esforço, o sacrifício, as boas obras e o mérito próprio. Embora tenham aceitado Jesus como seu Salvador, infelizmente seu coração ainda está cheio de pecado porque elas não nasceram de novo e têm uma compreensão errada de que devem ofertar muita coisa, fazer muita obra missionária, muitas orações e muito trabalho voluntário. À primeira vista, fazer estas coisas parece muito bom e lindo. Então, elas ficam empolgadas e se esforçam mais ainda.
Embora no começo elas façam isso com boa vontade e empolgação, conforme vão levando uma vida de fé desta maneira, chega uma hora em que elas ficam totalmente cansadas ou esgotadas. Elas se sentem obrigadas a levar algo de si próprio para Deus, mas com o tempo não tem mais o que levar. Todo aquele com bom senso verá que essa interminável oferta do fruto da terra é loucura. Não é mesmo muito difícil continuar com isso? No final, estes cristãos iguais a Caim vão choramingando para Deus dizendo: “Querido Deus, eu tentei viver segundo a sua vontade, mas não consegui. Oh Senhor, eu peço o seu perdão”.
Amados irmãos, basicamente as pessoas são boas ou más? Elas são más. A Bíblia diz que as pessoas são uma “semente de malignos” (Isaías 1:4). Nela está escrito que todo tipo de imundícia e maus pensamentos vêm do coração do homem. Jesus disse: “Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem” (Marcos 7:21-23). Aqui o Senhor nos diz claramente que somos incapazes de fazer o bem porque existe todo este mal em nosso coração.
E quando as pessoas tentam ser boas, elas acabam sendo hipócritas. Como elas não possuem nenhuma bondade dentro de si, elas acabam oferecendo sua falsidade, dizendo: “Querido Deus, eu cri em Jesus e vivi da forma que agrada aos seus olhos. Então, por favor, aceite-me”. Uma hipocrisia assim pode durar muito tempo? Não, pois logo ela acaba sendo revelada. Quando Adão e Eva pecaram e tentaram cobrir sua vergonha com vestes feitas de folha de figueira, rapidamente estas folhas molharam e caíram. Vestes feitas de hipocrisia logo ficam inutilizáveis. Por um ou dois anos após começar a crer em Jesus, a pessoa faz tudo certo, deixa seu modo antigo de vida, não bebe, não fuma, faz boas obras, guarda o dia do Senhor, comparece aos cultos de oração e faz oração de arrependimento, mas logo fica cansada e não consegue fazer mais nada direto. Amados irmãos, vocês conseguiriam fazer tudo isso até o fim? Vocês realmente conseguiriam ofertar direito com um coração grato? Vocês verdadeiramente fariam tudo certinho o tempo todo para Deus? Talvez vocês conseguissem por alguns dias, mas depois não conseguiriam fazer mais isso.
Vocês realmente conseguiriam fazer orações todos os dias da sua vida com o coração alegre? Nas igrejas da Coreia, os pastores costumam acordar às quatro da manhã para começar o culto de oração matinal. Até os pastores ficam extremamente cansados, pois aos olhos curiosos dos membros da igreja, eles nunca podem deixar de ir a estes cultos de oração matinal. Por isso muitos pastores dizem: “Seria muito mais fácil ser pastor se não fosse por estes cultos de oração matinal. Quem inventou esta coisa chamada culto de oração matinal e me faz passar por este terrível sofrimento?” Não é verdade que o coração do homem é mesmo assim? Se alguém for levar uma vida de fé ofertando coisas da carne, pelos primeiros anos ele pode até ir bem, mas depois acaba não tendo nada mais a oferecer. Se ele for adorar como fez Caim, não haverá mais nada a oferecer a Deus depois. A única coisa que resta para alguém assim oferecer são seus pecados. “Querido Senhor, aceite-me, por favor, pois sou pecador. Perdoe os meus pecados”. No começo ele vai até ofertar o fruto da terra, mas depois acabará ofertando apenas seu pecado. Para ser bem sincero, o fruto da terra é o pecado. “Amado Deus, aceite este pecado e purifique-o também”. A verdade é que os que são como Caim só ofertam o seu pecado todos os dias.
Por acaso Deus gosta de purificar pecado por pecado todos os dias? Não! Deus purificou todos os nossos pecados de uma só vez. Deus despreza os adoradores que são como Caim. Mas infelizmente neste mundo existem muitos adoradores iguais a Caim; na verdade, eles são maioria. O número deles é infinito. O fato é que todos que não são cristãos são adoradores iguais a Caim, e a trágica verdade é que mesmo entre os cristãos, mais de 99% são adoradores iguais a Caim. Sua fé também não era assim no passado? Você também não adorava a Deus como Caim?
Aqueles que receberam a remissão de pecados ofertam com ação de graças a Deus mesmo sendo falhos, porque o Senhor verdadeiramente apagou os seus pecados. Então, eles vêm até esta igreja para ouvir mais da sua Palavra e o adoram com gratidão por confiar totalmente nele. Por outro lado, os que são iguais a Caim oferecem a Deus muitas coisas carnais. Primeiro, eles trazem seus próprios esforços e mérito, mas o que irão oferecer quando estas coisas acabarem? Eles ofertarão seus pecados. Para que os cristãos pecadores que ainda não receberam a remissão de pecados vão até Deus? Eles vão até ele para oferecer seus pecados. E o que acontece quando eles fazem isso? Deus não os aceita e eles continuam sendo pecadores que vão para o inferno, apesar de terem fé em Jesus.
Deus nos salvou primeiro. Se formos até Deus crendo em sua salvação e tendo esse tipo de fé, ele a aceitará, apagará todos os nossos pecados, nos dará o Espírito Santo como um dom e nos adotará como seus filhos. É assim que funciona esta fé. Foi Deus quem nos salvou primeiro. Para apagar todos os nossos pecados, Deus veio a esta terra em forma humana. Ao receber o batismo no rio Jordão, ele levou sobre si todos os nossos pecados. Para nos livrar do juízo, Jesus derramou seu precioso sangue na cruz e agora está assentado no trono à destra do Pai, pois ressuscitou dos mortos e nos trouxe e nos trouxe de volta à vida. Deus nos salvou primeiro. Nós cremos de coração que ele nos salvou. Esta é a essência e a maneira de estabelecer a fé correta.
Quem veio primeiro, nossa fé ou a salvação de Deus? Primeiro veio a salvação de Deus; depois recebemos a salvação por crermos que Deus nos salvou. Esta é a fé que Abel tinha. Mas ao invés de crer nisto, muitos creem cegamente em Deus como Caim: “Querido Deus, eu creio em ti somente. Eu creio que tu criaste os céus e a terra. Eu creio que de alguma forma o Senhor me salvou”. Mas embora digam que creem assim, sem saber exatamente como Jesus apagou todos os seus pecados, de que lado eles estão? Eles estão do lado de Caim. Os descendentes de Caim são pecadores, embora creiam em Jesus. E Deus simplesmente não aceita sua adoração.
A adoração que o Senhor se alegra é a fé que crê totalmente no Cordeiro de Deus. Deus aceita a adoração dos que trazem dos primogênitos das ovelhas e sua gordura. Deus só aceita estes sacrifícios. “Embora eu seja falho, todos os meus pecados. Obrigado, Senhor”. Se a pessoa levar uma fé como esta e oferecê-la a Deus como o primogênito das ovelhas, Deus aceitará esta fé.
Porém, se ao invés dos primogênitos das ovelhas, ela levar o fruto da terra como feijão, milho, arroz, batata, inhame, maçãs, laranjas, etc., e pedir a Deus que o aceite, ele nunca o aceitará. A pessoa deve buscar a Deus crendo somente na Palavra, mas se levar também seus próprios pensamentos ou sua própria justiça e tentar adorá-lo desta forma, então sairá da sua presença com maldição ao invés de bênção.
Se lermos o capítulo 40 do livro de Gênesis, acharemos uma história sobre o copeiro-mor e o padeiro-mor, ambos servos de Faraó, o rei do Egito. O copeiro-mor teve um sonho no qual ele espremia uvas de três sarmentos de uma vinha e dava o suco sem mistura para Faraó. Assim, ele reassumiu seu antigo posto como copeiro dele. Já o padeiro-mor no sonho tinha sobre sua cabeça três cestos brancos e no cesto mais alto havia de todos os manjares de Faraó. Por causa disso, ele foi amaldiçoado e morreu. A perfeita e pura fé que é aceitável a Deus é aquela que crê somente na obra que ele fez por nós através de Jesus, o Cordeiro de Deus. Não devemos acrescentar nada mais a isso.
Caim procurou ofertar a Deus todos os dias tentando fazer algo novo. Mas este tipo de vida de fé é cansativa demais. Podemos ofertar algo novo a cada dia até ficarmos velhos e morrer? Não conseguiremos fazer isso. De que Deus se agrada? Deus se agrada do sacrifício dos primogênitos das ovelhas. Ele ama apenas seu único Filho. Ele ama a nossa fé quando cremos em Jesus. Deus se agrada dos que creem que Jesus é seu Salvador e que ele enviou seu único Filho a esta terra, que ele levou os pecados do mundo ao ser batizado, foi condenado por nós na cruz, depois ressuscitou para nos dar vida. Hoje em dia encontramos muitos adoradores iguais a Caim. No final, Deus os deixará e eles ficarão desapontados.
 
 
A Oferta de Sacrifício dos Justos
 
A que grupo você pertence? Você e eu já não recebemos a remissão de pecados? Embora sejamos falhos, nós certamente estamos sem pecado. E por causa disto nos tornamos aqueles que adoram como Abel. Verdadeiramente eu dou graças a Deus por ter me tornado um dos que adoram como Abel. Aqueles que adoram com os primogênitos das ovelhas são aqueles que são aprovados por Deus. Está escrito claramente que quando Abel ofereceu dos primogênitos de suas ovelhas e sua gordura, Deus os aceitou. Se você ofertar um cordeiro, eu oro para que você não misture nenhum fruto da terra com sua oferta. Se você fizer isto, certamente Deus não irá aceitar.
Há muitos cristãos que ainda adoram com o fruto da terra. Aqueles que adoram como Caim tentam receber a remissão de cada um dos seus pecados todos os dias ao invés de recebê-la de uma vez por todas. Eles creem que se pecarem, eles podem receber a remissão dos pecados fazendo orações de arrependimento, dizendo: “Querido Deus, me perdoe, por favor. Eu pequei. Por favor, purifique-me deste pecado com o santo sangue de Jesus”. Mas os pecados do seu coração irão realmente desaparecer? Os pecados só somem quando cremos que Deus apagou todos os pecados do mundo de uma vez por todas. Se estivermos devendo, formos até nosso credor e dizer: “Eu sou miserável, por favor, diminua minha dívida. Por favor, apague-a totalmente”, ele fará isso? Temos que saber que a dívida só desaparece quando a pagamos totalmente, não é mesmo?
Que tipo de pessoa Deus procura? Ele procura por aquele que tem fé como a de Abel. Deus não aceita e nem tolera a adoração de pessoas como Caim. Pelo contrário, Deus nos diz para irmos até ele com uma fé igual à de Abel. A adoração da qual Deus se alegra é a fé daqueles que recebem a sua salvação e dos que mandam a glória toda de volta para ele. E isso só é possível através da oferta dos primogênitos das ovelhas e sua gordura. Foi por isso que Deus aceitou com alegria a oferta dos primogênitos das ovelhas de Abel. Por outro lado, Deus nos diz que lança fora os sacrifícios de pessoas como Caim. Ele nos diz para não irmos até ele com um tipo de fé igual à de Caim.
Deus aceita dos primogênitos das ovelhas e sua gordura. Então devemos, em nossa adoração, oferecer a Deus dos primogênitos das ovelhas e sua gordura. Foi nesta ordem que Deus nos salvou: Deus planejou nos salvar de forma completa. Jesus o único Filho de Deus cumpriu os planos dele ao vir a essa terra. O Espírito Santo registrou na Bíblia tudo o que o Pai e o Filho fizeram pela nossa salvação. O Espírito Santo fez os servos de Deus registrar a Palavra e ele mesmo selou todos que creem nesta verdade.
Como está escrito: “E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura” (Gênesis 4:4), somente quando cremos na Palavra da salvação de Deus que está registrada é que recebemos esta salvação; e é somente assim que Deus aceita nossa adoração e recebe a glória. Temos que levar uma vida de fé baseados na Palavra de Deus. Devemos levar uma vida de fé como a de Abel. Abel não fez tanta coisa assim. Você já viu um pastor? Ele leva seu rebanho a um pasto, e tudo que ele faz é chamar as ovelhas, comer a comida que leva quando sente fome, e de vez em quando olhar para ver se o rebanho está a salvo. Se estiver tudo bem, ele tira até uma soneca, e isso é tudo o que ele faz. De vez em quando aparece um lobo ou outro animal selvagem, e ele os afugenta batendo neles com sua vara. E quando a noite chega, ele guia o rebanho para o curral. Este é o seu trabalho, e depois disso ele faz o que quiser.
Mas quando chega o tempo de oferecer adoração a Deus, ele pega um dos primogênitos de suas ovelhas e o oferece como sacrifício. Ver um cordeirinho dá tanta pena. Então ele diz para ele: “Meu jovem cordeiro, você é muito fofo, mas meu pai também ofereceu um sacrifício assim. Então, querido cordeiro, você deve morrer em meu lugar”. Então, ele oferece o primogênito de suas ovelhas como sacrifício a Deus tirando-lhe a vida. Como deveria ser difícil fazer isto. Para o pastor levar um pequeno cordeiro dos primogênitos das ovelhas e oferecê-lo a Deus assim, você acha que ele fazia algum esforço com isso? Você acha que ele se esvaía em suor? Ele não fazia esforço algum. Se ele fosse matar uma ovelha adulta, poderia até ser difícil, mas como pegava um pequeno cordeiro, ele não precisava usar nem a sua força. Se ele fosse cortar sua garganta, o sangue correria livremente e ele iria morrer em um instante. Então, o que ele tinha que fazer era cortar seu estômago, tirar seus intestinos, separar a gordura dele, do fígado e dos rins e colocá-los no altar junto com o cordeiro. Então descia fogo do céu e consumia tudo aquilo.
Caim, por outro lado, levou o fruto do seu cultivo com muito gemido e esforço colocando-os como uma pilha sobre o altar como se fosse uma montanha, mas não desceu fogo do céu e consumiu sua oferta.
Isso mostra que Deus aceitou a adoração de Abel. E quando formos oferecer nossa adoração a Deus, devemos crer na sua Palavra e oferecer nossa pura adoração. Só quando crermos na Palavra de Deus e o adorarmos assim é que ele nos aceitará. Não importa se as mãos de Abel estavam manchadas com as entranhas do cordeiro, se seu corpo estava coberto de sujeira ou se sua aparência estava péssima. Só porque Deus viu dos primogênitos de suas ovelhas e a gordura oferecidos como sacrifício, ele aceitou Abel. Foi por isso que Abel se tornou o pai da fé.
Na verdade, nosso pai na fé é Adão. Quem é o próximo em sua linhagem? É Abel, e com certeza não foi Caim. Até hoje Deus aceita os que vão até ele com uma fé igual à de Abel. Ele aceita os que se aproximam dele com uma fé assim. Deus aceita a adoração, o louvor e o serviço dos que vão até ele crendo de todo o coração que Jesus, o primogênito das ovelhas, é seu Salvador perfeito.
 
 

Deus Não Aceita a Oferta de Sacrifício de um Pecador

 
Nós precisamos saber que Deus não aceita a adoração de pessoas como Caim. Em um tempo como este, em que o Cristianismo se corrompeu, a adoração feita por cristãos parece um guisado. É uma adoração que é oferecida com todo tipo de coisas reunidas preparada à base de emoções. A adoração que é feita no Cristianismo hoje é como uma mistura de cordeiro junto com outras coisas como à de Caim, ou seja, o fruto da terra e tudo fervido com um fogo emocional. Mas Deus não aceita este tipo de adoração.
Que tipo de fé devemos ter? Devemos ter e guardar a fé igual à de Abel. O que eu estou tentando dizer é que não devemos misturar nossa fé pura com as coisas da terra. E não importa o que os outros digam a respeito, devemos guardar em nosso coração a verdade que Deus aceitou o sacrifício de Abel. As pessoas tendem a pensar que Deus aceita o tipo de sacrifício feito por Caim cumprindo as formalidades que parecem boas enquanto adoram como Caim, mas elas estão redondamente erradas. Deus não aceita este tipo de sacrifício, mesmo se empilhassem o fruto da terra tão alto quanto uma montanha e dissessem: “Deus, por favor, aceite isso”
Só há uma coisa que Deus deseja. E o que o Pai deseja é que simplesmente tenhamos fé na obra que seu Filho fez depois de ter vindo a este mundo para nos salvar. Mesmo que seja pequena como uma semente de mostarda, ele se alegra com este tipo de fé. O que Deus Pai deseja e espera de nós é que tenhamos fé em seu Filho e nada mais. Foi assim no passado e o é até hoje; isso não mudou. Devemos guardar esta fé.
“Mas para Caim e para a sua oferta não atentou” (Gênesis 4:5). Deus não aceitou Caim e nem a sua oferta. Não importa se a pessoa pule e caia, se agite e role, seja fútil e diga: “Querido Deus, por favor, aceite isso”, Deus não aceitará as ofertas iguais às de Caim. Quando Elias enfrentou 850 profetas pagãos de deuses estranhos que chamavam por eles no alto do Monte Carmelo o dia todo, nenhum fogo veio do céu e consumiu aquelas ofertas. Os cristãos de hoje são iguais a eles. Devemos lembrar que Deus não aceita ofertas iguais às de Caim, mesmo que milhares de pessoas se reúnam em uma grande igreja para adorar com uma variedade de flores valendo centenas de dólares usadas para decorar o púlpito, com um órgão de duzentos mil dólares para acompanhar os cânticos de adoração, um coral cantando separado em quatro vozes, e ofertas se acumulando como uma montanha a cada culto. Até hoje, mesmo que um pecador faça várias obras com sinceridade e oferte muito, Deus não o aceitará e seu sacrifício também, pois são sacrifícios iguais aos de Caim.
 
 
Uma Fé Confusa
 
Assim como Deus dividiu as águas abaixo das águas que estavam acima do firmamento no segundo dia da criação, nós devemos separar a fé errada da fé certa. Devemos ser capazes de separar nossa fé pura de uma fé confusa. E precisamos examinar a nós mesmos para ver se estamos ofertando o tipo da adoração de Caim ou de Abel, e ter isso bem definido em nosso coração. Devemos verificar que tipo de fé estamos ofertando e com que tipo de fé estamos buscando a Deus até este momento. Precisamos ter uma fé definida, a fé pura que crê na Palavra como ela é.
Os últimos dias em que estamos vivendo é um período dominado pelo sincretismo. Todas as religiões estão misturadas e se tornaram uma, com o único pensamento de evitar a dispersão, como aconteceu com os que construíram a torre de Babel. O Cristianismo tem buscado uma coexistência pacífica com as outras religiões, e o número de líderes cristãos que apoiam o pluralismo religioso está crescendo a cada dia. Mas o sincretismo religioso certamente acabará. Se lermos o livro de Apocalipse, veremos: “E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu! Caiu a grande Babilônia e se tornou morada de demônios, e abrigo de todo espírito imundo, e refúgio de toda ave imunda e aborrecível!” (Apocalipse 18:2). O sincretismo que busca unir várias religiões e que serve a toda sorte de espíritos acabará sem dúvida.
Com relação a nossa fé em Jesus, se fôssemos crer numa religiosa mistura da moda, certamente seriamos condenados por de Deus. Os cristãos de hoje que não nasceram de novo pegando isso e aquilo do mundo e misturando com sua fé. Na verdade, eles estão se opondo a Deus com sua grande influência e feitos criando um único poder. Durante estes últimos dias, nós como santos justos devemos tomar cuidado com este ‘sincretismo’, que tenta fazer com que misturemos algo a nossa fé pura. Se fôssemos adicionar algo ao sacrifício de Abel, ao primogênito das ovelhas e sua gordura, seríamos certamente destruídos. Se nossa fé fosse misturada como a de Caim, isso nos levaria à ruína. Nós que estamos vivendo estes últimos dias nunca devemos ter uma fé confusa.
Hoje em dia Satanás está levando ao sincretismo pessoas de várias religiões, e até mesmo os cristãos. E o resultado disso são as religiões unidas como uma só. Cada uma delas se unem para formar uma, e agora isso está sendo bem aceito por todos. Mas Deus nos diz: “Há dois tipos de fé, e não uma”. Isso significa que existe a fé igual à de Abel, e um outro tipo de fé que é igual à de Caim. Mas a fé de Abel, que confiou somente nos primogênitos das ovelhas, é a fé verdadeira.
A fé não é uma apenas, mas duas. Existe a fé correta e a fé incorreta. E já que começamos com a fé correta, devemos proteger nossa própria fé, guardá-la até o fim e pregá-la com dedicação, para que quando o Senhor voltar estejamos diante dele.