Sermões

Assunto 16: O Evangelho Segundo JOÃO

[Capítulo 9-5] (João 9:8-41) Quem Crê na Divindade de Jesus Precisa Crer Também no Evangelho para Receber a Salvação

(João 9:8-41)
“Então, os vizinhos e aqueles que dantes tinham visto que era cego diziam: Não é este aquele que estava assentado e mendigava? Uns diziam: É este. E outros: Parece-se com ele. Ele dizia: Sou eu. Diziam-lhe, pois: Como se te abriram os olhos? Ele respondeu e disse-lhes: O homem chamado Jesus fez lodo, e untou-me os olhos, e disse-me: Vai ao tanque de Siloé e lava-te. Então, fui, e lavei-me, e vi. Disseram-lhe, pois: Onde está ele? Respondeu: Não sei. Levaram, pois, aos fariseus o que dantes era cego. E era sábado quando Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos. Tornaram, pois, também os fariseus a perguntar-lhe como vira, e ele lhes disse: Pôs-me lodo sobre os olhos, lavei-me e vejo. Então, alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus, pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles. Tornaram, pois, a dizer ao cego: Tu que dizes daquele que te abriu os olhos? E ele respondeu: Que é profeta. Os judeus, porém, não creram que ele tivesse sido cego e que agora visse, enquanto não chamaram os pais do que agora via. E perguntaram-lhes, dizendo: É este o vosso filho, que vós dizeis ter nascido cego? Como, pois, vê agora? Seus pais responderam e disseram-lhes: Sabemos que este é nosso filho e que nasceu cego, mas como agora vê não sabemos; ou quem lhe tenha aberto os olhos não sabemos; tem idade; perguntai-lho a ele mesmo, e ele falará por si mesmo. Seus pais disseram isso, porque temiam os judeus, porquanto já os judeus tinham resolvido que, se alguém confessasse ser ele o Cristo, fosse expulso da sinagoga. Por isso, é que seus pais disseram: Tem idade; perguntai-lho a ele mesmo. Chamaram, pois, pela segunda vez o homem que tinha sido cego e disseram-lhe: Dá glória a Deus; nós sabemos que esse homem é pecador. Respondeu ele, pois, e disse: Se é pecador, não sei; uma coisa sei, e é que, havendo eu sido cego, agora vejo. E tornaram a dizer-lhe: Que te fez ele? Como te abriu os olhos? Respondeu-lhes: Já vo-lo disse e não ouvistes; para que o quereis tornar a ouvir? Quereis vós, porventura, fazer-vos também seus discípulos? Então, o injuriaram e disseram: Discípulo dele sejas tu; nós, porém, somos discípulos de Moisés. Nós bem sabemos que Deus falou a Moisés, mas este não sabemos de onde é. O homem respondeu e disse-lhes: Nisto, pois, está a maravilha: que vós não saibais de onde ele é e me abrisse os olhos. Ora, nós sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a Deus e faz a sua vontade, a esse ouve. Desde o princípio do mundo, nunca se ouviu que alguém abrisse os olhos a um cego de nascença. Se este não fosse de Deus, nada poderia fazer. Responderam eles e disseram-lhe: Tu és nascido todo em pecados e nos ensinas a nós? E expulsaram-no. Jesus ouviu que o tinham expulsado e, encontrando-o, disse-lhe: Crês tu no Filho de Deus? Ele respondeu e disse: Quem é ele, Senhor, para que nele creia? E Jesus lhe disse: Tu já o tens visto, e é aquele que fala contigo. Ele disse: Creio, Senhor. E o adorou. E disse-lhe Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam e os que vêem sejam cegos. Aqueles dos fariseus que estavam com ele, ouvindo isso, disseram-lhe: Também nós somos cegos? Disse-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas como agora dizeis: Vemos, por isso, o vosso pecado permanence”.
 
 
Todos nós trabalhamos muito duro e damos nosso melhor para apoiar o ministério do evangelho. E eu oro muito para que nossos irmãos que apóiam este ministério do evangelho sempre prosperem bastante. E conforme continuarmos nosso trabalho com todo o zelo, eu estou certo que o Senhor abençoará nosso ministério, embora eu sempre ore por muito mais bênçãos. Nós sempre nos preparamos muito bem, pois o sucesso da obra de Deus depende de como a planejamos. Nosso maior desejo é suprir a necessidade das pessoas, para depois fazê-las se sentir felizes e amadas por Deus. É por isso que nos dedicamos ao ministério do evangelho.
Nós cremos que a obra de Deus nunca vai parar, mas sabemos também que temos que nos preparar, pedir a ajuda de Deus, enfrentar nossos desafios e bater à porta para que ele nos ajude. Por isso, eu creio que o Senhor mais cedo ou mais tarde irá completar toda a obra que ele nos confiou. A Bíblia diz que “a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem”. Então, eu estou certo de que se crermos a obra do Senhor será bem sucedida. Se fizermos a obra pela fé, tudo sairá bem, mas se não tivermos fé, acabaremos desistindo da obra no meio do caminho. Mas eu creio que a obra do Senhor com certeza será bem sucedida.
Não importa o que aconteça, nós jamais perderemos a esperança. E o evangelho deve ser pregado com esperança também. Quer preguemos o evangelho em todo o mundo ou trabalhemos para levantar recursos, nós fazemos tudo cheios de esperança. Todos devem ter um sonho. Alguém só pode se preparar para o futuro quando tem um sonho. Todos que não têm sonhos são pessoas vazias. Nós agora estamos em abril e logo vai chegar o acampamento de treinamento de discípulos de verão; depois dele teremos o acampamento de treinamento de inverno e o fim de ano estará às portas. Então, se alguém não fizer seu planejamento anual, acabará perdendo tempo e não construirá nada. É por isso que todos nós temos que enfrentar nossos desafios com esperança e fé.
Eu estou certo de que se continuarmos fazendo o que está ao nosso alcance e pedirmos a ajuda de Deus, ele nos abençoará e nos fará prosperar. Cedo ou tarde, nós alcançaremos o mundo inteiro com o evangelho da água e do Espírito e faremos com que todos o conheçam. Nosso sonho é que todos os seis bilhões de pessoas neste planeta conheçam o evangelho da água e do Espírito. E se nos dedicarmos e pedirmos a ajuda de Deus, eu estou certo de que este sonho logo se tornará realidade. Eu só vivo pensando em como podemos pregar o evangelho da água e do Espírito no mundo inteiro. Mas para que preguemos o evangelho de modo eficaz, também temos que prosperar em nossos negócios. Mas se não tivermos este cuidado, será mais difícil pregar o evangelho. É por isso que eu acredito que, no trabalho que estamos fazendo, todo cuidado é pouco.
Quando o profeta Neemias estava reconstruindo a cidade de Jerusalém, havia muitos ao redor que queriam impedir a obra. Ele então orou a Deus e este o orientou a montar guarda com homens armados em todos os locais onde havia construção, e fazer com que cada trabalhador carregasse uma lança e uma espada. Foi assim que Deus ajudou o povo de Israel a reconstruir Jerusalém. É justamente assim que Deus faz com que sua obra seja realizada. Não há nada errado em os servos de Deus trabalharem duro para ganhar dinheiro para apoiar o ministério do evangelho. Ao contrário, ficar só orando é que está errado. Ao invés de irmos direto para o campo missionário de uma maneira precipitada e insensata, pensando que Deus cuidará de nós, é muito melhor fazer primeiro o que está ao nosso alcance. Todos os nossos pais da fé eram agricultores e criavam gado enquanto seguiam o Senhor.
É algo totalmente bíblico e muito normal servirmos ao evangelho da água e do Espírito e trabalharmos em nosso negócio ao mesmo tempo. Isso é muito melhor do que acontece em algumas igrejas, onde pastores e evangelistas não fazem nada além de pregar algumas vezes por semana, visitar seus membros em casa e receber suas ofertas. E mesmo que eles se matassem de tanto trabalhar por cem anos, tudo que eles conseguiriam não seria nada além do que construir o templo de sua igreja.
Eu ouvi dizer que alguns evangélicos zombam da nossa estratégia missionária. Mas se os servos de Deus ficassem à toa e não trabalhassem, procurando evangelizar só com o recurso das ofertas, nada seria realizado então. Eu poderia pedir a vocês que continuassem dando ofertas, mas assim seria praticamente impossível continuar publicando nossos livros e distribuindo-os em todo o mundo. Se quisermos prosperar e ajudar os outros, temos que trabalhar. Vocês já leram na Bíblia como o apóstolo Paulo servia ao evangelho? Ele também tinha uma ocupação para ganhar dinheiro e sustentar seu ministério: ele era fazedor de tendas (Atos 18:3). Nós temos que trabalhar pela fé. Vamos nos preparar para trabalhar pela fé então, e assim veremos como Deus nos abençoará neste verão.
 
 
Por Que o Cego Não Podia Ser Curado no Sábado?
 
Nós acabamos de ler o texto bíblico deste capítulo em João 9:8-41. Foi num sábado que o cego foi curado. E o problema foi justamente este. O povo pegou o cego e o levou até os fariseus, que lhe perguntaram: “Como foi que seus olhos foram curados?” E o cego disse: “Jesus passou lodo nos meus olhos e mandou com que eu os lavasse no tanque de Siloé. Eu então fiz o que ele disse e meus olhos foram curados”. Ficou claro para os fariseus então que Jesus era um pecador, pois ele curou um enfermo no sábado. Eles então acusaram Jesus e o consideraram um herege, afirmando que era impossível um pecador realizar milagres.
João 9:35 diz assim: “Jesus ouviu que o tinham expulsado e, encontrando-o, disse-lhe: Crês tu no Filho de Deus?” O Filho de Deus aqui é o próprio Jesus. O homem perguntou então quem era o Filho de Deus, e quando o Senhor disse que era ele, o homem passou a crer nele. Quando cremos em Jesus e no evangelho da água e do Espírito, nós recebemos a remissão de pecados e nossos olhos espirituais são abertos. E para vivermos pela fé, temos que estar preparados para responder as seguintes perguntas: “Você crê no Filho de homem? Você crê no Filho de Deus? Você crê em Jesus Cristo, o Filho de Deus, como seu Salvador?”
Jesus é o Filho de Deus. E isso é algo muito importante. Para Deus Pai, Jesus é seu Filho, para nós, Jesus também é Deus. É por isso que quando Jesus perguntou ao homem se ele cria que ele era o Filho de Deus, ele disse que sim e pela sua fé foi espiritualmente salvo. Todo aquele que crê no Filho de Deus pode ser salvo, ao contrário de todo aquele que não crê. A questão principal da pergunta – “Você crê no Filho de Deus?” – é se cremos não somente que Jesus é Filho de Deus, mas também que ele é Deus. Melhor dizendo, a questão é se cremos que Jesus é o próprio Deus que curou os enfermos, realizou milagres e remiu o pecado das pessoas. Jesus é o Filho de Deus, o verdadeiro Deus e nosso Salvador, e nossa fé só se torna pura e perfeita se cremos nisso.
Se você crer em Jesus e reconhecer apenas que ele é o Filho unigênito de Deus, ao invés de crer que ele também é o próprio Deus que criou o universo, sua fé não passará de uma religião criada por você mesmo. Quando um ser humano dá a luz, ele gera outro ser humano. Do mesmo modo, Deus Pai gerou seu Filho Jesus Cristo. Então, assim como Deus Pai é divino, Seu Filho também é. E este Filho unigênito de Deus criou o universo e tudo que nele há, inclusive eu e você. É muito importante sabermos disso.
A questão principal levantada no evangelho de João é esta: “Você crê no Filho do homem?” Você crê que Jesus é o Filho de Deus Pai, e que ele também é o próprio Deus e nosso Salvador?” O tema principal do evangelho de João é que Jesus é o próprio Deus que criou o universo. Em outras palavras, foi Jesus quem criou os céus e a terra, e a nós também, como está escrito: “No princípio criou Deus os céus e a terra. E disse Deus: Haja luz. E houve luz”. Jesus Cristo é o Criador que fez você e a mim, e ele é o Salvador que nos salvou do pecado. Jesus Cristo é o Salvador que nos libertou do pecado para nos tornar filhos de Deus. E ele também é o nosso Juiz. É imprescindível conhecermos bem este Jesus e crermos nele da maneira correta.
Já que o cego foi curado no sábado, o povo o levou até os fariseus. Estes então acusaram Jesus de ser pecador, dizendo: “Já que ele curou o cego no sábado, ele deve ser um pecador”. Eles também disseram que sabiam que Deus tinha enviado Moisés, mas que não sabiam quem era Jesus. Para ser bem sincero, eles não criam em Jesus. E por não crerem que Jesus era o Criador da humanidade e seu Salvador, além do próprio Deus, eles condenaram o que Jesus fez e se levantaram contra ele.
Há muitas pessoas que também agem como os fariseus hoje em dia. Até mesmo entre os cristãos, há muitos que não entendem que Jesus é o Criador e o próprio Deus. Pouco tempo atrás celebramos o domingo de Páscoa. Uma igreja da nossa cidade colocou um cartaz dizendo: “Alegrem-se! Vamos dançar de alegria!” Mas será que os membros desta igreja creem realmente que Jesus ressuscitou? A triste realidade é que a maioria dos cristãos não crê que Jesus ressuscitou literalmente. Embora muitos cristãos afirmem crer que Jesus Cristo ressuscitou, eles dizem isso de uma forma figurada e não creem que ele de fato ressuscitou dos mortos. E por não crerem que Jesus é o próprio Deus, sua fé não é tão firme no que se refere ao fato de Jesus ter ressuscitado literalmente.
A bíblia diz que “todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez”. Ela também diz que “no princípio criou Deus os céus e a terra. E disse Deus: Haja luz. E houve luz”. Quem disse estas coisas não foi outro senão Jesus Cristo, Aquele que nos salvou. É pela Palavra de Deus que podemos conhecer a Jesus, e é crendo nesta Palavra que entendemos e cremos que ele é realmente nosso Deus, nosso Criador e nosso Salvador. Ninguém conhece a Jesus e crê nele através dos seus instintos humanos. Todo aquele que crê em Jesus, mas não pela Palavra de Deus, na verdade não crê nele como o próprio Deus. Isso é algo muito importante.
Embora muitas pessoas professem crer em Jesus hoje em dia, há muitos cristãos que não creem que ele é realmente Deus. Alguns grupos religiosos não creem que Jesus é o próprio Deus e o Criador. Eles dizem que só Jeová é Deus, e que Jesus é simplesmente uma de suas criaturas, assim como eu e você e todos os anjos. É por pensarem assim que, quando dizemos a eles que Jesus salvou toda a humanidade com o evangelho da água e do Espírito, eles dizem que isso não tem importância alguma para eles.
Se Jesus não fosse Deus, nós não poderíamos ser salvos do pecado. Ele nos criou, assim como todo o universo e tudo que nele há. E quando caímos em pecado e Satanás ia nos destruir, ele veio em carne para salvar suas criaturas do pecado. Jesus, o Deus encarnado, recebeu nossos pecados em seu corpo ao ser batizado, foi crucificado, morreu derramando seu sangue, ressuscitou dos mortos e assim nos salvou. Nós só recebemos a salvação porque Jesus, nosso Criador, veio a essa terra, levou em seu corpo nossos pecados, foi condenado por nós, e assim nos salvou de todos os nossos pecados. Nós só fomos salvos porque ele é Deus; se ele fosse apenas uma criatura e não Deus, ele jamais poderia ter nos salvado. É por isso que a fé na divindade de Jesus é algo imprescindível para nós. Jesus tinha que ser o próprio Deus e nosso Criador para se tornar nosso Salvador. Só assim ele poderia nos salvar do pecado e fazer com que nossa salvação fosse perfeita.
Todo aquele que nasce de um ser humano também é um ser humano; nenhum ser humano pode gerar um cão. Algumas pessoas até agem como cães, mas nenhuma delas pode gerar um cão. Então, já que Jesus Cristo é o Filho unigênito de Deus, ele também é divino. Nós temos que crer sem duvidar que já que o Pai de Jesus é divino, ele também é.
 
 
É uma Tolice Cremos em Jesus Segundo Nossos Pensamentos Carnais
 
Em sua mente carnal, algumas pessoas pensam que já que Jesus tem um Pai, ele deve ter uma mãe também. Por exemplo, os católicos acham que já que Jesus é o Filho de Deus, ele então deve ter uma esposa; é por isso que eles chamam Maria de Rainha do Céu. E como eles pensam que Maria é mãe de Jesus, eles oram assim: “Salve Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa!” Que absurdo isso! Jesus é o Filho de Deus e o nosso Criador. E já que ele é o nosso Criador, ele também é o Criador do universo e de tudo que nele há. É por isso que ele é Deus. Se alguém diz que é divino sem ter criado o universo e tudo que nele há, ele é uma fraude. É por isso que a religião é muito diferente da fé.
Não há gênero no reino dos céus, e é por isso que lá não há diferença entre homem e mulher. Alguém por curiosidade perguntou a Jesus certa vez sobre a primeira ressurreição: “Senhor, nós estamos curiosos sobre a primeira ressurreição. Na tradição judaica, se o filho mais velho morrer e deixar viúva sua esposa, o irmão abaixo dele tem que tomá-la por esposa. Mas se este morrer também, o irmão abaixo dele tem que tomar a viúva como esposa. Vamos dizer que este morra também e que o irmão abaixo dele tome a viúva como esposa. Se houver oito irmãos na família e todos eles morrerem, a mulher acabará vivendo com os oito irmãos antes de morrer. Então, de quem esta mulher será esposa quando vier a primeira ressurreição no último dia? Jesus então lhes disse: “Vocês estão enganados. Todo justo passará pela primeira ressurreição quando o Reino vier, mas neste Reino não haverá homem ou mulher, pois todos serão como os anjos, que não têm gênero”.
Os fariseus expulsaram Jesus porque ele curou o cego. Ele então foi procurá-lo e lhe disse quando o encontrou: “Crês tu no Filho de Deus? No que o homem respondeu: Quem é ele, Senhor, para que nele creia?” Todos nós temos que crer que Jesus é o próprio Deus, além do Criador e nosso Salvador. E também temos que ter uma vida de fé crendo que ele apagou todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito.
Os fariseus perseguiram Jesus e se levantaram contra ele justamente porque não reconheceram quem ele era. Eles nunca teriam feito isso se reconhecessem quem ele era. Hoje em dia não é diferente, pois todos creriam em Jesus se entendessem quem ele realmente é. Quando dizemos àqueles que creem que Jesus é o próprio Deus que ele apagou todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito, eles recebem a remissão de pecados crendo nessa verdade. A fé mais importante é aquela que crê que Jesus é Deus, nosso Criador e Salvador. É nessa fé concreta na divindade de Jesus que toda fé começa.
Sem crer assim, a fé não é nada. Se Jesus não fosse divino, o fato de ele ter nos salvado com o evangelho da água e do Espírito não passaria de uma ideia hipotética e uma total ilusão. E mesmo que algum líder religioso morresse em nosso lugar levando nossos pecados, isso seria totalmente inútil. Este líder não passa de um pecador diante de Deus como outro qualquer, e nenhum pecador pode salvar outro pecador.
Jesus Cristo, por outro lado, é justo e santo. Ele não é um pecador. Ele se tornou homem por algum tempo só para nos salvar do pecado. Foi para nos salvar que ele se tornou homem temporariamente e recebeu em seu corpo nossos pecados. Não foi no seu coração que Jesus recebeu nossos pecados, mas em seu corpo. E já que ele levou nossos pecados em seu corpo ao ser batizado, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos, ele se tornou nosso Salvador de uma forma completa e perfeita. Se nossos pecados tivessem sido passados ao coração de Jesus, ele também teria pecado no coração, e assim nossa salvação jamais poderia ser perfeita. Nenhum pecador pode salvar outro pecador. E como os pecadores com toda certeza seriam condenados, Deus condenou Jesus ao crucificar seu corpo. Ele fez com que Jesus morresse para depois ressuscitá-lo. Deste modo, ele passou nossos pecados para o corpo de Jesus, não para sua alma.
Já que vivemos pela fé, a primeira coisa que temos que crer é que Jesus é o nosso Deus. Esta fé de que Jesus é o nosso Criador e Salvador é algo imprescindível para nós. Está escrito no evangelho de João: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1:1). Quando lemos: “No princípio era o Verbo”, isso significa que quando o universo foi criado, foi o Verbo de Deus que disse: “Haja luz”. E quando lemos: “O Verbo era Deus”, o Verbo aqui se refere a Jesus Cristo. E já que foi Jesus, nosso Deus e Criador, que disse esta Palavra, isso significa que ele existia antes do princípio. Também está escrito que “o Verbo era Deus”. Melhor dizendo, foi com a Palavra que Jesus criou o universo, e é com esta Palavra que ele opera.
João 1:2-3 diz: “Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez”. O pronome “ele” aqui diz respeito a Jesus Cristo. ‘Ele’ se refere justamente a Jesus Cristo. Foi a Palavra de Jesus em Gênesis capítulo 1 que criou o universo. Também se referindo a Jesus, o evangelho de João continua dizendo: “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele, estava a vida e a vida era a luz dos homens” (João 1:3-4); “estava no mundo, e o mundo foi feito por ele e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome (João 1:10-12); e, “e o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (João 1:14).
A Bíblia deixa bem claro que a Palavra que criou o universo veio a nós encarnado como homem, cheio de graça e verdade. Em suma, Cristo é de fato o próprio Deus; ele cumpriu tudo segundo sua Palavra; ele nos trouxe a verdadeira salvação; ele é o verdadeiro Criador do universo; e ele é o Salvador que livrou seu povo de todos os seus pecados.
O evangelho de João foi escrito pelo apóstolo João. E ele nos diz nitidamente que foi Jesus quem criou o mundo. E ele não apenas criou este mundo, mas também veio a essa terra para nos salvar do pecado; e ele realmente nos salvou segundo a sua vontade. Foi Jesus quem deu vida ao universo e a tudo que nele há; e também foi Jesus que, embora estivéssemos condenados ao inferno por causa dos nossos pecados, nos deu uma nova vida. Nós que cremos que Jesus é o nosso Criador e Salvador também podemos crer que ele nos salvou do pecado por meio do evangelho da água e do Espírito. Mas aqueles que não creem nisso não são crentes verdadeiros, por mais que tenham fé. Nós cremos que Jesus é o próprio Deus e no evangelho da água e do Espírito que nos foi dado por ele.

Eu creio que vocês também creem nisso. Eu sou muito grato a Deus.