Sermões

Assunto 16: O Evangelho Segundo JOÃO

[Capítulo 18-4] (João 18:28-40) Medite na Verdade de Deus

(João 18:28-40)
“Depois, levaram Jesus da casa de Caifás para a audiência. E era pela manhã cedo. E não entraram na audiência, para não se contaminarem e poderem comer a Páscoa. Então, Pilatos saiu e disse-lhes: Que acusação trazeis contra este homem? Responderam e disseram-lhe: Se este não fosse malfeitor, não to entregaríamos. Disse-lhes, pois, Pilatos: Levai-o vós e julgai-o segundo a vossa lei. Disseram-lhe, então, os judeus: A nós não nos é lícito matar pessoa alguma. (Para que se cumprisse a palavra que Jesus tinha dito, significando de que morte havia de morrer.) Tornou, pois, a entrar Pilatos na audiência, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és o rei dos judeus? Respondeu-lhe Jesus: Tu dizes isso de ti mesmo ou disseram-to outros de mim? Pilatos respondeu: Porventura, sou eu judeu? A tua nação e os principais dos sacerdotes entregaram-te a mim. Que fizeste? Respondeu Jesus: O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas, agora, o meu Reino não é daqui. Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? E, dizendo isso, voltou até os judeus e disse-lhes: Não acho nele crime algum. Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém por ocasião da Páscoa. Quereis, pois, que vos solte o rei dos judeus? Então, todos voltaram a gritar, dizendo: Este não, mas Barrabás! E Barrabás era um salteador”.
 
 
Nossa vida neste mundo é não é nada fácil. Enfrentamos muitos problemas, dificuldades, lutas, e isso acaba dificultando nossa vida ainda mais. Mas quando adoramos o Senhor, nós confiamos tudo isso a ele. O mundo lá fora é muito duro. E como dificuldades e problemas sempre acontecem, estamos sempre tensos e preocupados. O homem é como uma árvore ao vento. Assim como uma árvore vai de um lado para o outro segundo a direção do vento, todos também são levados de um lado para o outro dependendo do momento e da situação que estão vivendo. O homem é influenciado por tudo que acontece neste mundo.
Por exemplo, quando um empresário está preocupado com seu negócio, é difícil para ele não pensar nisso quando está no culto. O mesmo acontece com todos nós. Guardar a fé não é algo fácil. Todavia, temos que acalmar nosso coração e deixar nossas preocupações de lado. Somente quando descansamos e temos paz no coração é que conseguimos realmente adorar o Senhor.
Eu sei muito bem que, assim como acontece comigo, quando algo sério te preocupa, isso não sai da sua cabeça. E já que vivemos numa sociedade complexa, que muda o tempo todo, nossa mente é sempre tomada por situações difíceis. Mas nós é que talvez estejamos complicando as coisas, quando elas, na verdade, não são tão complicadas assim. Afinal de contas, se nossas necessidades básicas como vestimenta, alimentação e moradia forem resolvidas, o resto dos problemas não são tão grandes assim. Muitas vezes nós, seres humanos, complicamos as coisas para resolver o problema das necessidades básicas, quando isso poderia ser resolvido de uma forma muito rápida e simples.
O que eu estou preocupado mesmo é com a dificuldade que eu e você ultimamente estamos tendo para defender nossa fé. Mas mesmo assim, devemos levar nossa vida de fé sem vacilar, acalmar nosso coração e nos render ao Senhor, além de sempre ouvir atentamente a verdade da água e do Espírito.
 
 
Os Eventos que Aconteceram Há 2000 Anos
 
O texto bíblico deste capítulo descrevem os eventos que aconteceram 2000 anos atrás. Depois de ser preso, Jesus foi levado a Caifás, o sumo sacerdote daquela época, e interrogado por ele por causa dos seus pecados. Mas como sabemos muito bem, Jesus não tinha pecado. Mas mesmo assim, os judeus o odiavam.
Há um velho ditado na Coreia que diz: “Balance bem uma pessoa e dela vai sair poeira”. Como diz o ditado, você e eu somos feitos do pó. Mas Jesus não tinha pó algum, por mais que fosse balançado. Ele era completamente puro. Foi por isso que Caifás, depois de interrogá-lo, o entregou a Pilatos, que era o governador romano. Os judeus até que tentaram imputar algum pecado a Jesus e julgá-lo segundo a lei de Deus, mas eles não encontraram nenhuma falha nele.
Só havia uma forma de encontrar uma falha em Jesus que o levasse a ser condenado à morte: aplicar-lhe a lei romana. Se a lei romana fosse aplicada a Jesus, seria quase que impossível não culpá-lo por violá-la. Naquela época, muita gente estava seguindo Jesus como Rei dos judeus. E eles criam mesmo que Jesus os livraria da opressão do Império Romano. Eles criam nisso porque Jesus realizou muitos milagres, e até alimentou mais de cinco mil pessoas no deserto com cinco pães e dois peixes, consagrando-os a Deus.
Segundo a lei romana, era um crime os judeus adorarem Jesus como seu rei. Afinal, como poderia um país ter dois governantes? O Império Romano era o único governante do mundo conhecido da época, e já que Israel era uma província romana, coroar outro rei era um ato de traição. Melhor dizendo, Jesus foi acusado pelo crime de alta traição. Subjugado pela lei romana, Jesus foi condenado à crucificação; uma pena que era reservada aos piores criminosos. Era isso que Caifás, o sumo sacerdote na época, tinha em mente. E foi por isso também que ele astutamente levou Jesus à corte do governador romano.
A passagem que lemos neste capítulo descreve a cena do último julgamento de Jesus, ocorrido dois mil anos atrás. E ao lermos a palavra da verdade que nos mostra vários eventos do passado, nos sentimos mais próximos de Deus. Embora nossa mente tenha sido confundida com muitos pensamentos até hoje, nosso coração pode agora voltar para Deus, ser governado por ele e encontrar novas forças pela verdadeira Palavra da água e do Espírito. Nosso coração está cheio dessa verdade. Através do texto bíblico deste capítulo, você e eu podemos testemunhar os eventos do passado, e através da Palavra de Deus, podemos ter temor a ele.
 
 
Pilatos Interrogou Jesus
 
Quando Jesus chegou ao Pretório, Pilatos foi interrogá-lo, mas antes perguntou aos judeus: “Que acusação trazeis contra este homem?” E os judeus disseram: “Se ele não fosse um malfeitor, o entregaríamos a ti? Este homem é um malfeitor”. Pilatos disse então: “Isso me parece uma questão religiosa; então, vocês mesmos deveriam julgá-lo. Olho para ele agora e não vejo nenhum malfeitor. Levem-no vocês então e julguem-no. Por que vocês o trouxeram para mim sem nenhuma razão?” Os judeus disseram então: “Nós não temos autoridade para condená-lo à morte”. Isso mostra que eles já estavam dispostos a matar Jesus. Uma das punições da lei romana era a crucificação, um método extremamente cruel de execução, reservado apenas para os criminosos mais vis. E já que a lei judaica não aplicava esse tipo de execução, a lei romana foi aplicada e Jesus foi crucificado, para que a Palavra de Deus fosse cumprida.
Os judeus queriam matar Jesus porque eles estavam entranhados até os ossos com o legalismo radical judaico. Já que a lei exigia que eles guardassem o sábado como dia santo, eles faziam tudo para guardar esse dia. Coincidentemente, Jesus foi julgado numa sexta-feira, segundo o nosso calendário. E o sábado começa justamente quando o sol se põe na sexta-feira. E, segundo a lei, os judeus não podem fazer nenhum trabalho no sábado. Foi por isso que eles queriam que Pilatos executasse Jesus antes da chegada do sábado, a fim de que eles não tivessem que fazer nenhum trabalho para matá-lo. Os judeus também eram proibidos de entrar na casa dos gentios; e foi por isso que eles não entraram na casa de Pilatos e ficaram gritando do lado de fora, exigindo que ele crucificasse Jesus. Hoje podemos imaginar essa cena e vê-los clamando em frente ao palácio do governador.
De volta ao palácio, Pilatos continuou interrogando Jesus. Ele chamou o Senhor e perguntou: “Tu és o Rei dos judeus?” É provável que alguém tenha dito: “Este homem se diz Rei dos judeus, e muitos outros também o chamam de Rei dos judeus”. Na verdade, foi isso o que Caifás, o sumo sacerdote, havia dito aos judeus antes: “Ora, Caifás era quem tinha aconselhado aos judeus que convinha que um homem morresse pelo povo” (João 18:14). De quem você acha que Caifás estava falando quando disse isso? Ele estava se referindo ao próprio Senhor Jesus. Em outras palavras, Caífas pensou que garantiria a paz ao povo judeu entregando Jesus aos romanos para que eles o matassem. E isso por um lado era verdade se considerarmos o lado político.
Muitos israelitas naquela época estavam seguindo Jesus como Rei dos judeus. Só que se o Rei dos judeus tivesse surgido de fato, o povo de Israel teria sido totalmente destruído pelo exército romano. O fato de uma província levantar seu próprio rei era uma atitude clara de rebelião. Se os judeus fizessem isso, eles seriam punidos por sedição. Foi por isso que o sumo sacerdote Caifás disse que era necessário sacrificar um homem para salvar todo o povo judeu.
Os promotores sempre fazem perguntas capciosas quando interrogam os réus. Eles têm uma maneira de fazer perguntas que levam o réu a dar uma reposta errada. E quando ele cai nessa armadilha, não há como escapar dela. Foi isso que Pilatos fez quando interrogou Jesus e perguntou: “Tu és o Rei dos judeus?” Pilatos fez essa pergunta para pegar Jesus, já que ele estava tentando acusá-lo de alta traição. Mas Jesus lhe disse: “Tu estás dizendo isso de ti mesmo ou ouviu de alguém? É isso o que os outros dizem a meu respeito?” Pilatos continuou interrogando Jesus e perguntou: “Os principais sacerdotes e seu próprio povo te entregaram a mim. O que tu fizestes? “Jesus então respondeu: “O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas, agora, o meu Reino não é daqui”. Jesus respondeu a pergunta de Pilatos dizendo que seu reino não era dessa terra. Ele então lhe perguntou novamente: “Tu és rei?”
 
 
Jesus Respondeu: “Meu Reino Não É Deste Mundo”.
 
Nosso Senhor e seu acusador Pilatos estavam falando de reinos totalmente diferentes. Pilatos estava interrogando Jesus da maneira formal. Ele seguiu o procedimento padrão e tentou induzir Jesus a admitir que era o Rei dos judeus. Pilatos queria que Jesus admitisse sua traição para sentenciá-lo à morte bem rápido; foi por isso que ele fez essas três perguntas curtas. Mas Jesus lhe disse: “Meu reino não é deste mundo”.
Então, Pilatos lhe perguntou novamente: “Quer dizer que tu és rei?” E Jesus respondeu: “Tu tens razão em dizer que eu sou rei”. Segundo a lei do homem, isso era o mesmo que admitir sua sedição. Assim, Pilatos teve toda base jurídica para sentenciar Jesus à crucificação. Mas tem algo importante que podemos destacar aqui. O que Jesus admitiu dizia respeito a um reino totalmente diferente e não tinha nada a ver com o ato de traição que as pessoas da época pensavam. O Senhor disse: “Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz”.
E já que Pilatos continuou perguntando: “Tu és o rei dos judeus?” Jesus respondeu: “Tu tens razão. Como tu dissestes, eu sou rei, mas meu reino não é deste mundo. E foi para isso que eu nasci, para salvar a todos neste mundo. Eu vim não somente pelo povo judeu ou por Israel, mas por todos neste mundo. Eu nasci nessa terra para dar testemunho da verdade e salvar a todos”. Ele também disse que todos que eram da verdade ouviriam sua voz. Mas como Pilatos não conseguia entender a resposta de Jesus, ele perguntou várias vezes o que era a verdade.
O interesse das pessoas do mundo é muito diferente do seu e do meu. Enquanto os nascidos de novo se interessam pelas coisas espirituais, as pessoas do mundo só se interessam pelas coisas carnais. Essas pessoas carnais só se interessam pelas coisas deste mundo atual; elas não se interessam pelos eventos bíblicos do passado que nos trazem ensinamentos bíblicos importantes. O interesse das pessoas está cada vez mais longe das coisas espirituais, pois elas só se importam com o que podem ver, com as coisas materiais.
Nós podemos ver isso no diálogo entre Pilatos e Jesus descrito aqui. Pilatos fez perguntas práticas, mas Jesus falou de coisas espirituais. Jesus era mesmo o Rei dos judeus. Eu quero dizer que ele era o Rei espiritual dos judeus. Os judeus eram descendentes de Abraão. Deus chamou Abraão e escolheu seus descendentes como seu povo. E Deus sabia que Jesus era o Mestre do povo judeu. Em outras palavras, Deus e Jesus são os Reis espirituais dos judeus.
 
 
Pilatos Não Encontrou Crime Algum em Jesus
 
Jesus é o Rei dos perdidos deste mundo, seu líder e seu guia. Ele veio para dar testemunho a eles do que é a verdade. E nosso Senhor deu mesmo testemunho da verdade. Mas o que é a verdade? A verdade é que Deus amou o mundo de tal maneira que enviou seu Filho unigênito a essa terra, passou todos os pecados do mundo para ele, o entregou para que ele fosse crucificado e o ressuscitou dos mortos. Melhor dizendo, a verdade é que Jesus Cristo apagou todos os nossos pecados e nos salvou. Jesus veio a essa terra para fazer essa obra, para dar testemunho dela.
Então, mesmo sendo julgado na corte de Pilatos, Jesus deu testemunho do reino dos céus e da verdade: “Eu sou o Rei dos judeus. Eu vim para salvar os perdidos, para dar testemunho da verdade”. O Senhor nasceu nessa terra através do corpo da virgem Maria, recebeu os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista, foi condenado à morte, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos; tudo isso para nos salvar. Essa é a verdade. Nós temos que crer nessa verdade de Deus. O Senhor veio a essa terra para cumprir a justiça de Deus, que salva a todos que creem nela, e para dar testemunho dessa verdade.
Pilatos perguntou: “Que é a verdade?” Ele simplesmente não entendia o que era a verdade. As pessoas hoje em dia não a conhecem também. Elas continuam em dúvida e perguntando: “O que é a verdade?” Na entrada principal da Universidade Nacional de Seul, há uma faixa como um lema excelente que diz: “Um lugar onde se busca a verdade”. Mas o que é a verdade? É simples. A verdade é que Jesus Cristo veio a essa terra e nos salvou com o evangelho da água e do Espírito. E assim como Pilatos queria conhecer a verdade, muitos ainda não a conhecem.
Mesmo depois de interrogar Jesus, Pilatos não achou nele crime algum. Ele então voltou ao Pretório e disse aos judeus que queriam matá-lo: “Não acho crime algum neste homem”. Mas é costume seu soltar um criminoso na Páscoa, essa festa tão importante para vocês. Eu devo então soltar este homem ou o famoso bandido chamado Barrabás?” Se Pilatos seguisse sua intuição e soltasse Jesus, isso causaria muitos problemas. Foi por isso que ele fez essa pergunta, procurando encontrar um meio termo para satisfazer a vontade do povo judeu e também libertar Jesus, que era inocente. Só que os judeus clamaram: “Este homem não, mas Barrabás!” Barrabás era um criminoso desprezível.
  
 
Os Condenados à Morte Podem Encontrar a Vida em Jesus
 
Quando Pilatos perguntou aos judeus quem eles queriam que fosse libertado, eles disseram que queriam que Barrabás, um criminoso violento, fosse solto no lugar de Jesus. A vida de Barrabás foi poupada por causa de Jesus. Barrabás, um ladrão condenado à morte, teve a chance de viver de novo por causa de Jesus, a grande verdade. A vontade de Deus era que Jesus morresse segundo o clamor dos judeus. Três anos antes de ser levado à corte de Pilatos, Jesus tinha aceitado todos os pecados do homem ao ser batizado. Por isso, ele tinha que se submeter à pena da crucificação para pagar o salário por todos estes pecados. Isso se cumpriu para cumprir a verdade, foi um modo de dar testemunho da verdade. Foi por isso que Jesus aceitou essa punição. Através desse julgamento injusto na corte de Pilatos, Jesus se assegurou de que a verdade fosse testificada.
O fato de Jesus ter salvado o ladrão Barrabás e morrido em seu lugar demonstra a verdade de que ele salvou todos os pecadores sendo condenado pelos pecados do mundo e do ser humano. Jesus nos salvou levando os pecados do homem ao ser batizado, morrendo na cruz e ressuscitando dos mortos – essa é a verdade da salvação. E é essa verdade que nosso Senhor quer nos mostrar através do que aconteceu com Barrabás.
O que estamos ouvindo agora é uma verdade antiga, algo com mais de 2000 anos. Como vivemos no século 21, nós enfrentamos vários problemas neste mundo, e, por isso, temos que voltar nosso coração para a verdade imutável de Deus. Nós temos que sujeitar nosso coração, crer nessa verdade e sempre dar glória a Deus. Em suma, temos que ser gratos a Deus do fundo do nosso coração por ele ter nos salvado, e também viver pela fé e pregar o evangelho da verdade em todo o mundo.
Você e eu vivemos numa época muito complicada. Como é que todos vivem hoje em dia? Nós vivemos preocupados. Os alunos vivem ocupados com seus estudos e os empresários, com seus negócios. E a vida deles é bem diferente. Mas há uma verdade imutável. E essa verdade é que Jesus Cristo nos salvou. E é justamente por causa dessa verdade que nosso Senhor em breve voltará. Nosso coração deve estar sempre no evangelho da água e do Espírito para que possamos viver em paz e pela fé. É assim que podemos levar uma verdadeira vida de fé.
Fé é buscar sempre o Deus que nos salvou. Religião, por outro lado, é criar um deus na sua própria mente e confiar nele. A verdadeira fé é crer no Senhor que nos salvou, meditar no imutável evangelho da água e do Espírito e crer sempre nessa verdade. Por mais que nossa vida seja agitada, nós podemos sempre meditar neste evangelho da verdade que o Senhor nos deu e crer nele. A verdadeira vida de fé é justamente isso.
Nós agora estamos meditando na Palavra e eu estou explicando como o Senhor veio a essa terra muito tempo atrás e nos salvou, embora fôssemos como Barrabás. Nós estamos ouvindo mais uma vez agora a verdade do evangelho da água e do Espírito que testifica de Jesus Cristo, que entregou seu próprio corpo por nós. Devemos guardar essa verdade e jamais nos esquecer dela, louvar e adorar o Senhor sempre temendo a ele, buscar a ajuda do Rei dos reis, crendo que a receberemos em nossa vida, e dar testemunho de Jesus Cristo em todo o mundo, a fim de que um dia possamos encontrar o Senhor e vê-lo face a face.
Amados irmãos, quando seu coração ficar turbado, vocês devem buscar o Senhor dessa verdade imutável. Aí então, essa verdade inundará seu coração e ele se encherá de paz. Vocês hoje ouviram mais uma vez como o Senhor deu testemunho da verdade nessa terra e como ele nos salvou. Vocês não estão felizes de ouvir isso novamente? Seu coração não está mais em paz agora? Ou ele ainda continua turbado?
Será que, ao invés de estar sentindo paz, seu coração está mais turbado ainda? Por que razão vocês acham que eu estou perguntando a mesma coisa várias vezes, já que vocês sabem a resposta? Eu estou repetindo isso porque a tendência do nosso coração é buscar as coisas do mundo. Portanto, do que mais poderíamos falar senão do Senhor? A única coisa que vale a pena pregar é sobre o que o Senhor fez por nós.
Eu quero perguntar algo a vocês. O que satisfaz sua alma? A Palavra da verdade é que deve satisfazer nossa alma. A quem pertence todas as coisas neste mundo? Já que tudo é criação do Senhor, todas as coisas pertencem a ele. E isso inclui você e eu. Em quem vivemos? Nós vivemos no Senhor. Por mais que este mundo seja difícil e esteja mudando radicalmente, o principal é que tudo está escrito na Palavra do Senhor. E isso é mesmo verdade.
 
 
A Melhor Maneira de Viver é Pensar Sempre em Jesus
 
O meu mais profundo desejo é que o evangelho da água e do Espírito seja pregado nos quatro cantos deste mundo o mais rápido possível, a fim de que Jesus possa voltar logo. Tudo que não diz respeito a pensar em Jesus e fazer sua obra é chato e cansativo. Eu amo o Senhor acima de tudo, e quando faço sua obra é que fico mais feliz. Vocês se sentem assim também? Amados irmãos, quando seu coração estiver turbado, tentem fazer a obra do Senhor. Aí então, vocês sentirão o gozo de ter a plenitude do Espírito em seu coração. Vocês só terão dor de cabeça se ficar pensando nas coisas deste mundo; mas se vocês pensaram nas coisas espirituais, seu coração se encherá de gozo.
Eu desejo mesmo que o evangelho da água e do Espírito em breve seja pregado em todo o mundo, a fim de que Jesus possa voltar o quanto antes. Vocês também desejam isso? Já que este mundo não vai durar para sempre, nós temos que fazer tudo que podemos enquanto há tempo, a fim de que possamos cumprir nossa missão antes de Jesus voltar.
O que as pessoas que buscam a fé no mundo inteiro estão procurando agora? Nada mais do que o Espírito Santo. Tudo que elas querem é que o Espírito Santo habite em seu coração. Essa é a era do Espírito Santo, na qual todos que crerem em Jesus o receberão, como está escrito: “Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:
E nos últimos dias acontecerá, diz Deus,
Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne;
E os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão,
Os vossos jovens terão visões,
E os vossos velhos terão sonhos” (Joel Atos 2:16-17). Todos neste mundo desejam o Espírito Santo. Os vários livros escritos sobre o Espírito Santo mostram como as pessoas estão interessadas nele.
Hoje estamos distribuindo nossos livros em várias línguas no mundo todo. E embora as respostas que estamos recebendo de nossos leitores sejam bem variadas, muitos deles concordam que estes livros contém a verdade que explica os mais básicos elementos da fé para os cristãos que ainda não nasceram de novo. No meu último livro, eu dou mais ênfase à plenitude do Espírito Santo na vida daqueles que o desejam em sua vida. Eu enfatizo neste livro que todos podem ser cheios do Espírito Santo, mas que primeiro eles precisam crer no evangelho da água e do Espírito. Por isso, depois que leem este livro, muitos dos nossos leitores meditam mais no evangelho da água e do Espírito. Logo receberemos deles boas notícias de que não apenas eles, mas muitas almas que eles conhecem receberam a verdadeira remissão de pecados e o Espírito Santo por crerem nessa verdade.
Nós temos que continuar dando testemunho da verdade até a volta do Senhor. E todos os dias temos que renovar nossas forças nessa verdade, ou seja, no fato de o Senhor ter apagado os pecados de todos neste mundo ao ser batizado e morrido na cruz; e que ele assim livrou da condenação os que creem nele.
Eu quero falar sobre essa questão com todos vocês hoje. Nós temos que defender o evangelho da água e do Espírito até o fim, temer o Senhor enquanto vivermos nessa terra, pregar o evangelho e ter paz em nosso coração pela fé.
 
 
Temos que Pregar o Evangelho da Água e do Espírito com Toda Dedicação
 
Por mais que fiquemos cansados de pregar o evangelho, não devemos nos preocupar com isso. Nós temos a verdade que traz paz ao nosso coração. E saber o que o Senhor fez nessa terra é o que traz paz ao nosso coração. Em quem você e eu encontramos riquezas? No Senhor. Quem nos fortalece para vivermos neste mundo? Jesus. Na verdade, nós temos tudo no Senhor. Toda a criação pertence ao Senhor, assim como todas as bênçãos e riquezas. As melhores coisas mais maravilhosas vêm do alto. Melhor dizendo, o Senhor nos dá tudo que há de melhor neste mundo. Tudo que é ruim, por outro lado, vem de Satanás.
Eu quero me empenhar muito mais este ano para pregar o evangelho da água e do Espírito no mundo todo, a fim de que possamos continuar fazendo a obra do Senhor. Nosso coração deve estar sempre firme no Senhor. Se seu coração estiver preocupado com as coisas deste mundo, sujeite-o ao Senhor da verdade. O meu desejo é que o nosso coração seja guiado pela verdade. Mas para que isso aconteça, temos que ler a Palavra de Deus e ouvi-la, fazer a sua obra e buscá-lo sempre. Os apóstolos nos exortaram para que buscássemos sempre a Jesus, que fez tudo perfeito. E já que eles estavam certos, você e eu devemos mesmo buscar a Jesus Cristo.
Eu sou muito grato ao Senhor. Nós nos rendemos diante dele e o agradecemos por testificar da verdade e nos dar a verdade da salvação. Todos nós somos como Barrabás, mas para nos libertar do pecado e nos livrar da condenação, Jesus foi batizado e morreu crucificado em nosso lugar. Foi assim que ele salvou a todos nós.
Novamente eu digo que sou muito grato ao Senhor.

Aleluia!