শিক্ষা

Assunto 18: GÊNESIS

[Capítulo 12-4] Aqueles que Permanecem Firmes na Fé (Gênesis 12:10-20)

Aqueles que Permanecem Firmes na Fé(Gênesis 12:10-20)
“E havia fome naquela terra; e desceu Abrão ao Egito, para peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra. E aconteceu que, chegando ele para entrar no Egito, disse a Sarai, sua mulher: Ora, bem sei que és mulher formosa à vista; E será que, quando os egípcios te virem, dirão: Esta é sua mulher. E matar-me-ão a mim, e a ti te guardarão em vida. Dize, peço-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma por amor de ti. E aconteceu que, entrando Abrão no Egito, viram os egípcios a mulher, que era mui formosa. E viram-na os príncipes de Faraó, e gabaram-na diante de Faraó; e foi a mulher tomada para a casa de Faraó. E fez bem a Abrão por amor dela; e ele teve ovelhas, vacas, jumentos, servos e servas, jumentas e camelos. Feriu, porém, o SENHOR a Faraó e a sua casa, com grandes pragas, por causa de Sarai, mulher de Abrão. Então chamou Faraó a Abrão, e disse: Que é isto que me fizeste? Por que não me disseste que ela era tua mulher? Por que disseste: É minha irmã? Por isso a tomei por minha mulher; agora, pois, eis aqui tua mulher; toma-a e vai-te. E Faraó deu ordens aos seus homens a respeito dele; e acompanharam-no, a ele, e a sua mulher, e a tudo o que tinha.”
 
 
As pessoas lembram dos pais da fé do Antigo Testamento como Abraão e Moisés, e dos apóstolos de Jesus do Novo Testamento que eram inteiramente justos e sem nenhum defeito. Elas acham que estes homens de fé eram muito especiais, ao contrário das pessoas comuns, e por isso acham algo natural não conseguir levar uma vida de fé da mesma maneira que eles. Quando lemos a biografia de alguém famoso, vemos que ela contém muitos elogios, fala de como ele ou ela era excepcional, das contribuições que fez, mas nada se comenta sobre suas fraquezas humanas. Por exemplo, eu li a biografia do almirante Yi Sunshin, que num ato patriótico livrou a Coreia de uma invasão japonesa em 1592. Está escrito na sua biografia: “Desde sua infância o almirante Yi demonstrava que seria alguém importante. Ele era habilidoso com a espada, um filho obediente aos seus pais e fiel ao seu país. Mais tarde, quando se tornou um grande almirante, ele livrou a Coreia das mãos dos invasores japoneses. Desde a sua infância ele tinha todos os traços de um grande homem.” Aqui diz que o almirante Yi se destacou desde a sua infância e beirava à perfeição. E todas as outras biografias são iguais.
A Bíblia, por outro lado, não diz que os homens de fé eram perfeitos. Às vezes ela até mostra sua fragilidade humana e suas fraquezas. A Bíblia diz que Abraão era um fiel seguidor da Palavra de Deus, obedecia a ele pela fé, mesmo quando o que Deus lhe dizia ia além da sua compreensão humana. E nós consideramos Abraão um homem de muita fé justamente porque ele cria assim na Palavra de Deus. Deus também amou Abraão por causa disso. E como ele amou tanto a Deus e o seguiu, Deus lhe deu bênçãos especiais, como está escrito:
“E abençoarei os que te abençoarem,
E amaldiçoarei os que te amaldiçoarem;
E em ti serão benditas todas as famílias da terra.”
Humanamente falando, Abraão tinha falhas e não era diferente de ninguém. E a Bíblia fala de suas falhas. Como vimos no texto bíblico deste capítulo, Abraão deixou sua família e a casa de seu pai em Harã e foi para Canaã, como Deus mandou, mas quando terrível fome o assolou, ele foi para o Egito. Em outras palavras, ao agir por impulso e sem consultar a Deus, Abraão deixou a terra onde deveria ter ficado, a terra para onde Deus o enviou.
E o que Abraão fez para salvar sua vida depois que chegou ao Egito e se sentiu ameaçado pelos egípcios? Ele os enganou dizendo que sua esposa era sua irmã e deixou que faraó a levasse. Podemos ver aqui como a Bíblia expõe as fraquezas carnais de Abraão. Mas isso não é para repreender Abraão ou culpá-lo, mas para nos ensinar uma lição através das suas falhas.
Como sabemos muito bem, Sara, esposa de Abraão, era uma mulher muito bonita. Ela era tão bonita que hoje em dia poderia até participar de um concurso de beleza. Abraão levou sua esposa, seu sobrinho Ló e todos os seus servos para a terra de Canaã. Quando ela foi assolada pela fome, ele acabou indo para o Egito para escapar dela. Mas Abraão logo percebeu que os egípcios não tiravam os olhos de sua mulher. Os homens olhavam para ela o tempo todo. Ninguém estava interessado em Abraão ou Ló, na esposa de Ló ou em alguma serva, pois só tinham olhos para a esposa de Abraão. Ela era tão bonita que até os soldados não paravam de olhar para ela, e a notícia da sua beleza se espalhou pelo Egito. Toda a nação foi tomada pela notícia de que uma mulher lindíssima havia chegado ao seu país.
As notícias chegaram então ao palácio real, e ao ouvi-las, isso aguçou a curiosidade de faraó. Seus súditos lhe disseram: “Vossa majestade, uma mulher chegou ao nosso país, e dizem que ela é tão bonita que todos estão maravilhados. Tu não querem conhecê-la?” O rei então lhes disse para verificar se isso era verdade. Ele disse: “É mesmo? Um mulher bonita assim chegou ao nosso país? Vão e vejam se isso é mesmo verdade.” E depois de terem visto que Sara era realmente muito bonita, os servos do rei voltaram e lhe disseram: “O que dizem é verdade, senhor. Não há mulher mais bonita que ela em nossa nação.”
O que você acha que o rei fez quando soube disso? Nos tempos antigos, se a esposa de alguém fosse bonita, era algo comum matar seu marido para tê-la. E Abraão sentiu que poderia ser assassinado por causa da sua esposa. Ele pensou então: “Eu não deixar que isso aconteca. Eu não vou morrer assim. Eu posso perder minha esposa, mas não minha vida.” Então ele disse à sua esposa, Sara: “Ora, bem sei que és mulher formosa à vista; E será que, quando os egípcios te virem, dirão: Esta é sua mulher. E matar-me-ão a mim, e a ti te guardarão em vida. Dize, peço-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma por amor de ti.”
Suas palavras demonstravam carinho mas também medo: “Eu vou morrer se você disser que sou seu marido. Olhe para estes homens. Ele já estão me olhando como se quisessem me matar. Ao invés de dizer que sou seu marido, me chame de irmão.” Sara, esposa de Abraão, era uma mulher muito obediente. Então ela fez o que ele pediu. Uma esposa obediente é o que todo marido deseja, ainda mais quando ela é linda. E sara, mulher de Abraão, era uma mulher assim.
Faraó então mandou seus homens buscar Sara. E ao ver Abraão junto a ela, eles perguntaram: “Quem é este homem?” E ela, obedecendo ao seu marido, disse: “Ele é meu irmão.” Então, já que uma mulher tão bonita não era casada, o rei quis tomá-la para si. Ele a convidou para ir ao seu palácio junto com Abraão. Se nada tivesse acontecido, Sara teria se casado com faraó. Só que Sara estaria pecando contra sua vontade caso se casasse com faraó, pois já era casada. Por outro lado, se Abraão tivesse evitado e dito: “Ela na verdade é minha esposa”, ambos naturalmente seriam mortos por enganar o rei. Se isso acontece, a promessa de que Deus faria de Abraão uma grande nação e uma fonte de bênçãos não se cumpriria.
Ao ver tudo isso, Deus pessoalmente resolveu o problema. Ele enviou pragas terríveis à casa de faraó. E através destas pragas, faraó soube que Sara era mulher de Abraão, mandou chamá-lo e lhe disse: “Por que você fez isso comigo? Eu poderia ter pecado contra você. Por que você disse que sua esposa era sua irmã? Pegue sua esposa e vá embora.” Ele então despediu Abraão do seu palácio com muitos presentes. Deus enviou suas pragas terríveis sobre faraó porque ele quis ter a mulher de Abraão. E por mais que fosse idólatra, ele sabia que o Deus que protegia Abraão era muito poderoso. Por isso que ao invés de castigar Abraão e sua esposa por terem-no enganado, ele apenas os mandou embora na mesma hora. E temendo sofrer com outras pragas, ele não mandou embora de mãos vazias, mas deu a eles muitos presentes. Na verdade, Abraão vendeu sua esposa, mas com isso acabou ganhando uma grande fortuna.
Hoje que quero falar sobre as fraquezas de Abraão. E que eu quero dizer na minha mensagem é que as fraquezas de Abraão não são diferentes das que temos hoje. Eu quero explicar como Deus ama pessoas tão frágeis como Abraão e como nós, e como ele nos abençoa e nos salva.
Abraão não era diferente de ninguém. E quando esteve diante de um grande perigo, ele chegou a ponto de aceitar ser traído pela sua esposa para preservar sua vida. E nós também podemos agir assim. Por acaso somos diferentes de Abraão? Alguém neste mundo é mais corajoso que ele? Será somos tão corajosos para enfrentar a morte? Será que estamos dispostos a abrir mão da nossa vida para protegem quem amamos? Qual seria nossa postura numa terra estranha quando nossa vida estivesse em perigo?
O texto bíblico deste capítulo revela nossas fraquezas. Ele nos mostra, em outras palavras, que todos nós somos fracos como Abraão. Todos fingem ser honestos e corretos para mostrar como são justos, mas quando estão em perigo e veem que não têm como escapar, nós agimos como Abraão. É algo da natureza do homem. Embora o ser humano queira viver sem culpa alguma debaixo do céu, quando ele enfrenta situações adversas em sua vida, toda a sua fragilidade é exposta, como aconteceu com Abraão. Todo ser humano é assim. E somente Deus, nenhum outro, pode resolver este problema da fragilidade humana. Deus nos ensina algo sobre a fragilidade humana através deste homem chamado Abraão, o pai da fé.
Algumas pessoas gostam de fazer sua própria justiça. Alguns cristãos ficam se vangloriando por não perder nenhum culto à noite, enquanto outros se orgulham de ter nascido num lar cristão. Todos eles dizem isso, de uma forma ou de outra. Eles se orgulham de ter levado uma vida de retidão até hoje, de ter crido no Senhor incondicionalmente, de ter sido tão fiéis que até deixaram seu trabalho e tudo neste mundo por ele. E elas acham que são justos só porque se sacrificaram assim.
No entanto, todo ser humano tem um lado fraco, e por causa desta fraqueza, ninguém pode evitar o pecado. Então ninguém tem do que se exaltar perante Deus. Aos olhos de Deus, não há uma só pessoa que tenha algo para se vangloriar. Só quem tem do que se vangloriar é aquele que crê na Palavra de Deus; caso contrário, ninguém é justo o bastante para se vangloriar perante Deus. Portanto, todos que dizem ser justos não passam de pessoas arrogantes.
Amados irmãos, será que existe alguém mais forte que Abraão? Todos nós somos fracos, pois somos seres humanos. Quando nos sentimos ameaçados como Abraão, todos nós trememos e pecamos. Mas é claro que ninguém deve trair a esposa para salvar a própria pele; nenhuma situação justifica essa atitude. Antes de criticar Abraão por ter traído sua esposa, devemos entender que todos nós somos como ele.
O que todo ser humano é para Deus? Somos uma semente de malignos e de iniquidade. Todos nós somos fracos e muito pecadores. Portanto, não há justiça alguma em nós com que possamos nos exaltar. Apesar de estarmos levando uma vida de fé, ainda somos seres humanos. Não somos falhos por causa disso então? É claro que somos. Então não podemos culpar ninguém por nossas falhas e dizer a Deus: “Senhor, me perdoe. Eu tenho tentado levar uma vida de retidão, mas fulano me fez pecar. E eu caí por causa dele.” Todo ser humano nasceu com suas fraquezas, com Abraão. Por isso que todos são pecam e são imperfeitos perante Deus. Ninguém pode colocar a culpa no outro para se desculpar.
O que Deus decidiu fazer então? Ele decidiu salvar a todos do pecado, todos que creem nele e possuem a mesma fé que Abraão. Não foi nossa perfeição humana que levou Deus a nos abençoar, mas a fé que temos nele. Sendo assim, você e eu jamais devemos buscar a salvação por meios humanos e nossos méritos. Deus só nos aceita como seus filhos por causa da nossa fé na sua Palavra, e não é nossa perfeição humana que o leva a nos abençoar. E ele só nos torna justos quando vê nossa fé. Nós cremos que Jesus Cristo apagou todos os nossos pecados e salvou pela agua e pelo Espírito. E Deus nos deu o Espírito Santo justamente porque ele fez isso. O Espírito Santo habita em nós que cremos nesta verdade, nos leva a estar diante dele sem pecado, e faz com que sejamos aprovados por ele como seus obreiros. Nós não estamos na presença de Deus agora porque fizemos algo para merecer isso. E isso diz respeito a todos os cristãos neste mundo que realmente creem em Deus. Nós hoje só estamos na presença de Deus porque nosso Senhor levou todos os pecados do homem quando foi batizado, foi condenado em nosso lugar na cruz carregando todos estes pecados, e assim nos salvou. E cremos mesmo que ele fez tudo isso. Em outras palavras, nós não temos pecado e somos justos para Deus porque cremos em tudo que o Senhor fez por nós quando esteve nessa terra. E só Deus poderia ter feito isso.
Por acaso todas as nossas fraquezas desaparecem quando recebemos a remissão de pecados? Claro que não. A partir daí é que conhecemos ainda mais nossas fraquezas. Mas apesar disso, estamos firmes como justos que somos na presença de Deus, pois cremos no evangelho da água e do Espírito que o Senhor completou nessa terra, o verdadeiro evangelho pelo qual Deus nos salvou. É assim que podemos nos tornar justos.
Deus fez com que Abraão fosse o pai da fé. E foi ele quem nos tornou justos e sem pecado. Ele fez de nós pessoas de fé. Mas muitos cristãos acham que não têm pecado e são perfeitos em seus atos porque creem em Jesus, fazem muitas orações de arrependimento para se santificar, vão sempre aos cultos e fazem de tudo para levar uma vida santa. Mas quem pode viver assim na presença de Deus? Ninguém.
E embora isso seja verdade, muitos cristãos não pensam assim, e por isso acham que podem ser justos através dos seus próprios atos e pensam: “Eu vou me tornar um bom cristão na hora certa.” Eles sonham que um dia serão perfeitos cristãos. E por mais que não consigam ser 100 por centro, eles creem que serão pelo menos 80 ou 90 por cento. Eles pensam assim: “Eu tinha 5 pontos quando me converti a Jesus, mas depois de um tempo eu cheguei a 6. Agora que eu passei de ano, logo minha nota como cristão vai ser 7, e depois 8. E quando morrer, eu vou tirar 10, serei aprovado por Deus e irei para o céu.” Por isso que alguns cristãos dizem que sua nota é 7, enquanto outros dizem que é 8, alguns ainda acham que é 3, e outros dizem que é 9. Mas isso não vale nada. A verdadeira fé não tem nada a ver com isso.
Quando olhamos para todos os aspectos da vida humana, vemos que é impossível estarmos na presença de Deus sem nenhuma culpa. Só pela fé em Jesus Cristo é que podemos estar com toda confiança na presença de Deus. Deus enviou Jesus Cristo para apagar todos os nossos pecados e nos livrar deles justamente porque somos fracos. Mas embora todos nós sejamos fracos como Abraão, o Senhor tirou todos os nossos pecados quando veio a essa terra e foi batizado no rio Jordão. Portanto, todos os nossos pecados foram passados para Jesus Cristo, pois ele levou todos eles à cruz e foi condenado à morte por nós. Mas ao ressuscitar dos mortos, ele nos salvou.
Todos os nossos pecados foram passados para Jesus Cristo. E como ele aceitou todos os nossos pecados ao ser batizado no rio Jordão e foi condenado na cruz por nós de uma vez por todas, nós agora podemos estar na presença de Deus como seu povo santo, seus santos, seus servos, seus obreiros, pois cremos nele de coração, que ele hoje está vivo. Nós não estamos na presença de Deus agora por causa dos nossos méritos, mas porque cremos na Palavra de Deus. E alcançamos isso pela fé, não pelas obras. Nós não temos mais pecado porque o Senhor levou todos os nossos pecados ao ser batizado. Será que nossos atos e orações de arrependimento nos dariam a garantia de que poderíamos estar na presença do Senhor sendo 100 por cento justos o tempo todo? Não, isso é impossível.
Veja Abraão. Embora ela seja chamado de pai da fé, ele agiu vergonhosamente e traiu sua esposa quando sua vida estava em risco. Mas apesar disso, Deus o aprovou como o pai da fé. E por que ele fez isso? Porque Abraão creu 100 por cento em tudo que Deus lhe disse.
E quanto a nós? Quando abrimos a Bíblia e ouvimos uma pregação, nós não nos recusamos a crer nela quando não a entendemos? Embora a Bíblia diga: “Eu lhe guiarei. Você tem que viver pela fé. Deus já te abençoou. Você alcançará suas bênçãos se tiver fé e esperar”, nós não cremos nisso. Ao invés de crer na Bíblia, nós tentamos fazer algo por nós mesmos. Mas é isso diz respeito à religião, não à fé. E se alguém confiar na religião, ele nunca poderá estar sem pecado na presença de Deus. Por mais que alguém seja santo, por mais que ele peça perdão pelos seus pecados, por mais que tente fazer boas obras, por mais que seja assíduo aos cultos, por mais que não tenha perdido nenhum em toda a sua vida, por mais que tenha nascido num lar cristão, e por mais que tenha praticado o asceticismo em sua tentativa inútil de se santificar, tudo isso seria impossível.
O que devemos fazer então? Crer que podemos estar na presença de Deus sem pecado agora porque todos os nossos pecados foram passados para Jesus Cristo quando ele veio a essa terra. Vocês não concordam comigo, amados irmãos? Nós não somos diferentes de Abraão. Somos pessoas de carne e osso como ele. E assim como Abraão foi aprovado por Deus como o pai da fé, ele também nos tornou justos. E assim como Deus escolheu Abraão para ser seu servo, ele também nos levantou como servos.
A Bíblia diz: “Na verdade que não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque” (Eclesiastes 7:20). Todos são imperfeitos. No entanto, como o Senhor levou todos os pecados que cometemos nossa vida inteira de uma vez por todas ao ser batizado, e com isso remiu todos eles de uma vez por todas, nós agora podemos ser justos na sua presença, apesar de sermos imperfeitos. Há cerca de 2000 anos, Jesus levou sobre si todos os pecados do mundo ao ser batizado; foi assim que todos os nossos pecados foram passados para ele. E somos salvos e nos tornamos perfeitos aos olhos de Deus quando cremos neste evangelho pelo qual o Senhor nos salvou. Nós não temos mais pecados perante Deus por causa da nossa fé. De fato não temos mais nenhum pecado.
Nós temos algum pecado, amados irmãos? Não, claro que não! E agora que não temos mais nenhum pecado, podemos servir ao Senhor, adorá-lo e pregar o evangelho. Mas pregar o evangelho ainda com pecado é o mesmo que praticar uma religião herética; a fé não é isso. Nós fomos salvos e nos tornamos sem pecado perante Deus porque o Senhor teve misericórdia de nós, e em sua misericórdia apagou todos os nossos pecados e nos livrou da condenação. Nós agora servimos ao Senhor pela fé, apesar das nossas fraquezas, porque ele nos salvou. Por isso que tudo no Cristianismo tem a ver com a fé. E por causa disso também que Abraão pôde se tornar o pai da fé, embora tivesse suas fraquezas.
E isso se aplica a nós também. Então eu peço a você que não se preocupe com suas fraquezas. Apesar de errarmos perante Deus, temos que reconhecer nossos erros e passa-los para Jesus Cristo pela fé sempre que eles se revelarem. Nós temos que entender de uma vez por todas que Jesus Cristo de fato levou todos os nossos pecados, confirmar esta fé, e aceitar que não há mais pecado em nosso coração. E a partir do momento que entendermos que não temos mais pecado, nós seremos instrumentos poderosos usados por Deus com a coragem de um leão para salvar almas do pecado. Mas como alguém pode fazer a obra de Deus se ainda está cativo ao pecado?
Apesar de muitos cristãos hoje afirmarem que levam uma vida de fé, na verdade, e infelizmente, eles só estão levando uma vida religiosa. E o que acontece então quando, depois de ter feito 100 coisas certas, eles fazem algo errado? Eles se tornam pecadores novamente. Isso não passa de religião.
Mas o que a verdadeira fé diz sobre isso? A Bíblia diz que Abraão se tornou justos aos olhos de Deus porque creu na sua Palavra. Deus lhe disse: “Eu abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem.” E como tudo no Cristianismo tem a ver com a fé, nós somos salvos crendo em tudo que Jesus fez por nós quando veio a essa terra.
Ao longo da nossa vida de fé, temos que lidar com nossas fraquezas e falhas pela fé, pois todos estes problemas podem ser resolvidos assim. Mas se tentarmos resolver tudo por nós mesmos, nada dará certo. E por mais que tomemos uma firme decisão e digamos: “Eu juro que serei muito melhor a partir de agora”, é impossível manter esta decisão, e no fim o que nos restará será somente o desespero. A fé em Deus não é isso. Isso não passa de uma vida religiosa.
Só pode ser vir bem ao Senhor os que entendem bem suas fraquezas. Estes se apegam a Deus porque sabem que são falhos e não podem fazer nada por si mesmos. No que diz respeito aos nascidos de novo, os que acham que são perfeitos não podem seguir o Senhor fielmente, e no fim acabam deixando o Senhor. Eles julgam os outros e exigem que eles sigam seu exemplo, pois pensam assim: “Eu sou um bom cristão; como pode então um cristão agir de outra maneira?” Ao invés de seguir o Senhor, eles exigem que o Senhor os siga. Como é a vida cristã que você deseja levar então? Você viverá pela fé ou levará apenas uma vida religiosa? É pela fé que estamos pregando o evangelho em outros países. Por isso temos que orar a Deus para que possamos levar uma vida de fé correta. Se pregarmos o evangelho de Deus debaixo de oração, muitas pessoas serão salvas no mundo inteiro e terão a mesma fé de Abraão.
Hoje mesmo recebemos pedidos de livros da Alemanha, Suécia, França e Rússia. Muitos nestes países têm se tornado justos pela fé, assim como aconteceu conosco. É pela fé no evangelho da água e do Espírito que Jesus Cristo nos deu que todos podem ser purificados por Deus. Estes irmãos se tornaram novas criaturas e agora podem fazer a obra de Deus. Será que podemos viver pela fé perante Deus e mantê-la só porque resolvemos fazer isso? Ou é crendo em Jesus Cristo que podemos ficar firmes no Senhor e professar: “Jesus Cristo tirou todos os meus pecados ao ser batizado, e foi condenado na cruz por mim levando os pecados do mundo. E ao ressuscitar dos mortos, ele se tornou meu eterno Salvador.”
Amados irmãos, nós não somos purificados por Deus quando nossos atos são perfeitos. Isso acontece na mesma hora quando cremos na Palavra de Deus. A fé é o que nos torna íntegros perante Deus e os homens e nos leva a fazer a obra de Deus. Esta é a mesma fé que teve Abraão, a fé que crê no que Deus disse. Os que creem na Palavra de Deus conseguem ficar firmes na sua presença, mas os que procuram se aproximar de Deus através das suas próprias obras, e não crendo na sua Palavra, ficarão exaustos tentando ser tão dedicados que no fim desistirão e nunca mais se levantarão. Há um limite para todo esforço humanos que fazemos para ser santos, pois ainda temos uma natureza humana. Sendo assim, todo aquele que tentar se aproximar de Deus através do seu esforço humano certamente não conseguirá.
Nosso Senhor levou todos os nossos pecados ao ser batizado. Jesus foi batizado por João Batista no rio Jordão após dizer: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” E ele diz em Mateus 11:12: “E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele.” No entanto, o sentido de violência aqui é que alguém vai para o céu tomando-o à força literalmente. A violência é algo ilegal. O princípio é que só entra no céu aqueles que não têm pecado. E Jesus nos tornou totalmente sem pecado e justos quando aceitou todos os nossos pecados ao ser batizado e morreu por nós. Nós não fizemos nada; o Senhor cuidou de tudo para nós. E o resultado disso é que agora temos o direito de entrar no céu, embora não tenhamos feito nada para isso.
Por isso nos apoderamos do céu pela força. Isso quer dizer que o céu se rende àqueles que creem que Jesus recebeu todos os seus pecados através de João Batista. São estes que entram no céu pela fé. Como podemos entrar no reino dos céus? Nós o tomamos pela força, ou seja, pela fé. Aqueles que creem na Palavra de Deus, na Palavra da água e do Espírito de Jesus tomam o reino de Deus pela força e se apoderam dele.
Quando uma nação entre em guerra contra outra, ela tem que estar totalmente preparada para conquistar e vencer. O Japão invadiu a Coreia e a dominou por 35 anos (1910-1945), mas não conseguiu manter seu domínio. Os japoneses forçaram os coreanos a mudar seus nomes para nomes em japonês, a aprender a língua japonesa e a adorar os deuses japonês, porém não conseguira nos subjugar totalmente. Se o inimigo japonês fosse tão poderoso, os coreanos teriam se tornado seus escravos e aceitado tudo que nos foi imposto.
Se quisermos entrar no céu, precisamos ter poder suficiente para isso. E nós recebemos este poder para tomar o céu pela força pela fé em Jesus Cristo. Se quisermos entrar no céu, temos que tomá-lo pela força – ou seja, pela fé. Por isso que João Batista passou todos os pecados do mundo para Jesus ao batizá-lo. E Jesus disse: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu” (Mateus 3:15).
No Antigo Testamento, o sumo sacerdote passava todos os pecados do povo de Israel para o bode emissário impondo as mãos sobre sua cabeça. Do mesmo modo, João Batista, o representante da humanidade, passou todos os pecados do mundo para Jesus ao batizá-lo. E isso aconteceu quando ambos tinham 30 anos de idade. Naqueles dias, João Batista batizava no rio Jordão, e Jesus foi até ele. E quando Jesus disse a João Batista: “Me batize”, ele respondeu dizendo que ele é quem deveria ser batizado por ele. Mas Jesus lhe disse: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Assim como os pecados anuais dos israelitas eram passados para o bode emissário de uma vez por todas pela imposição de mãos do sumo sacerdote, eu também receberei os pecados do homem através de você, seu representante.” A palavra “porque” em grego é “οϋτως” (hoo’-tos) em grego, e significa “somente por este método.” Em outras palavras, Jesus está dizendo: “O certo é que você passa para mim todos os pecados me batizando, pois só assim eu poderei apagar os pecados de todo mundo e cumprir toda a justiça. O certo é que eu apague os pecados de todo mundo através do batismo.”
Jesus então foi batizado por João Batista, e é por isso que desde os dias de João o Batista se faz violência ao reino dos céus. Assim como o mais forte vence a guerra subjugando o mais fraco, só podemos entrar no céu com a poderosa arma que é nossa fé inabalável no batismo de Jesus. Quando Jesus veio a essa terra, ele recebeu todos os pecados do homem ao ser batizado, levou todos eles à cruz, morreu por nós, e assim apagou todos os nossos pecados. E assim como o mais forte prevalece sobre o mais fraco pelo seu poder, é crendo nesta verdade sem duvidar que podemos entrar no céu. A fé é o poder que temos para entrar no céu e conquistá-lo, o que nos leva a tomar posse dele e dizer: “Jesus Cristo me deu o céu pelo seu batismo e sua morte na cruz!”
A fé é isso mesmo. Quando temos fé na Palavra de Deus, nosso coração se torna puro e sem pecado, podemos tomar posse do reino que Deus nos deu, e também pregar este verdadeiro evangelho a todos. Quando temos fé, nós não temos culpa alguma perante Deus ou os homens. Mas quando não temos fé, por outro lado, nos sentimos tão inúteis e envergonhados que dá vontade de enfiar a cabeça num buraco. Se não tivermos a verdadeira fé, ao invés de sermos honrados o céu, nós acabaremos sendo muito envergonhados.
Como você e eu devemos levar uma vida cristã então? Temos que vivê-la pela fé, crendo na Palavra de Deus. Nós só podemos levar uma vida de fé correta crendo na Palavra de Deus, tanto no Antigo como no Novo Testamento. Todos os justos são cheios de falhas, assim como os servos de Deus são imperfeitos também. Mas apesar disso, nós não temos culpa perante Deus e sempre poderemos ser usados como instrumentos da sua justiça, pois cremos na Palavra de Deus e dele recebemos o Espírito Santo. Vocês creem nisso, amados irmãos? A Bíblia diz que “o justo viverá da fé” (Romanos 1:17). Abraão foi muito abençoado por Deus, apesar de ter traído sua esposa. Mas não podemos entender isso muito bem quando pensamos nisso pelo lado humano. Apesar das suas falhas, Abraão foi abençoado por Deus porque tinha fé. Vocês e eu também não merecemos receber as bênçãos de Deus. Mas por que podemos servir a ele agora então? Por causa da nossa fé.
Esta é a fé que todos nós devemos ter: antes de tudo, precisamos ter fé que o Senhor nos salvou pela água e pelo espírito; em segundo lugar, precisamos crer que o Senhor tirou todas as nossas culpas e foi condenado pelos nossos pecados por nós; em terceiro lugar, precisamos ter fé que não qualquer pecado ou transgressão não têm mais nada a ver conosco; e em quarto lugar, precisamos crer que agora somos justos perante Deus e aprovados para fazer sua boa obra. Nós somos salvos e santificados por Deus quando temos fé que o céu pertence a nós e ele apagou todos os nossos pecados – e não tornamos apenas seus filhos com isso, mas também recebemos suas bênçãos físicas e espirituais para sermos usados como instrumentos de sua justiça. Portanto, é pela fé que podemos levar uma vida cristã.
Precisamos ter a verdadeira fé enquanto estivermos vivos. Nosso Senhor salvou pessoas imperfeitas como eu e você. Ele nos salvou apesar das nossas falhas, e nos tornou filhos de Deus e seus obreiros. E quando cremos nesta verdade é que somos salvos e usados como instrumentos da sua justiça. Jamais devemos nos esquecer desta graça inesgotável de Deus. Jamais devemos nos esquecer da graça pela qual Deus nos salvou. Em tempos de lutas ou tribulações, quer tenhamos a ajuda de alguém ou estejamos sozinhos, devemos sempre nos lembrar do Senhor em tudo que diz respeito à nossa vida. Temos que crer nele e pensar nas suas bênçãos, nunca nos esquecendo que ele nos aceitou como parte do seu povo e nos tornou justos através do evangelho da água e do Espírito. Além disso, temos que ser gratos a ele e glorificá-lo. É assim que devemos levar nossa vida cristã pela fé. Nós só pudemos ser salvos porque Jesus apagou todos os nossos pecados. E eu sou muito grato ao Senhor por esta verdade. Assim como Deus abençoou Abraão, apesar das suas falhas, ele também nos abençoa e trabalha através de nós, apesar de também sermos falhos. E todos nós temos que ser muito gratos a Deus por isso.
Isso significa então que somos falhos o tempo todo? Não, não é isso. Embora sejamos muito falhos em nossa vida, nosso Senhor já cuidou de tudo isso. Nós podemos levar uma vida de retidão e sem pecado como justos crendo que o Senhor já tirou todos os nossos pecados e nos livrou da condenação. Foi esta a benção que o Senhor nos deu. Portanto, temos que ser gratos a ele por tornar possível termos uma vida abençoada. Jamais devemos nos exaltar por mérito próprio, e sim glorificar a Deus pela fé, servia ele pela fé, e segui-lo pela fé. Também temos que reconhecer que somos falhos e imperfeitos. Além disso, temos que admitir que a salvação do Senhor é perfeita e ser gratos a ele por ela. Devemos estar diante dele pela fé, tomar posse do céu pela fé, ser salvos e nos tornar seus obreiros pela fé, e compartilhar estas bênçãos com os outros pela fé também.
Mas e você? Você crê mesmo nisso tudo? Você se sente mesmo agradecido? O que o fez perfeito? Sua fé ou seus atos? É pela fé que nos tornamos perfeitos. Existe alguém perfeito em tudo que faz? Não, ninguém. Todos que acham que são perfeitos são espiritualmente cegos. Aqueles que dizem: “Eu só cometi poucos erros em toda a minha vida. Eu sou uma boa pessoa”, são espiritualmente cegos. Eles não são diferentes daqueles que não conseguem ver nada, até mesmo quando estão em frente ao espelho. O Senhor os imperfeitos. Se você acha que existe pelo menos uma coisinha boa em você, você precisa abrir seus olhos espirituais para ver seu verdadeiro eu. Se fizer isso, você chegará a inevitável conclusão de que você precisa crer no Senhor para ser salvo.
O desejo do nosso Deus é que o evangelho seja pregado em todo o mundo. E a Palavra diz: “Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.” (1 Timóteo 2:3-4). Há uma grande obra à nossa frente esperando por nós, pois precisamos pregar o verdadeiro evangelho em todo o mundo para saciar o desejo que Deus tem de salvar a todos. E graças a ele, a obra que estamos fazendo tem sido muito produtiva e alcançado resultados exponenciais. Nós temos ouvido de muitos pastores cristãos que eles nasceram de novo realmente quando ouviram o evangelho que temos pregado; algo que nunca tinham ouvido antes. Por enquanto, a maioria que tem recebido a remissão de pecados são pastores e missionários, mas num futuro próximo, muitos leigos também a receberão.
Os cristãos na Coreia são muito religiosos. Só que os cristãos de outros países não respeitam muito a fé dos cristãos coreanos. Tudo porque os cristãos coreanos creem em qualquer coisa. E tudo isso não passa de superstição, e não fé. A verdadeira fé está centrada na Palavra de Deus. Clamar bem alto, gritar, fazer barulhos estranhos e dar lugar à emoção não é fé. Os cultos destes cristãos já são uma loucura por si só, mas eles fazem ainda pior na tentativa de receber o Espírito Santo, invocando bem alto o nome de Jesus e pulando de um lado para o outro. Isso não é fé.
Amados irmãos, vocês precisam conhecer a Palavra de Deus, tomar posse do céu e pregá-la crendo nela, ser salvos e estar na presença de Deus pela fé, e ser instrumentos da justiça do Senhor. Esta é a fé que Deus quer que tenhamos. Todo poder e todas as bênçãos só podem ser recebidos debaixo do céu pela fé também. E aqueles que já receberam a remissão de pecados possuem este poder e estas bênçãos. E foi justamente isso que aconteceu conosco. Por isso que eu sou muito grato a Deus por nos dar estas bênçãos. Aleluia!