उपदेश

Assunto 11: O Tabernáculo

[11-2] Nosso Senhor que Sofreu por Nós (Isaías 52:13-53:9)

Nosso Senhor que Sofreu por Nós

( Isaías 52:13-53:9 )
“Eis que o meu Servo procederá com prudência; será exaltado e elevado e será mui sublime. Como pasmaram muitos à vista dele (pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua aparência, mais do que a dos outros filhos dos homens), assim causará admiração às nações, e os reis fecharão a sua boca por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que não ouviram entenderão. Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor? Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido. Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca”. 

 


O Evangelho está sendo Pregado Agora ao Redor do Mundo Inteiro


Esta era está realmente caminhando para o fim. Da política à economia, tudo está caminhando para o fim. Em particular, o vento da guerra está se aproximando, pois as superpotências ainda tentam estender sua influência sobre o resto do mundo. Mais perto de minha casa, a Coreia do Norte anunciou recentemente que estava desenvolvendo armas nucleares, causando uma grande comoção em toda a comunidade internacional. Em um mundo tão cheio de crises, só posso esperar que todos os envolvidos nessas disputas consigam resolver todos os seus problemas com sabedoria, não com insensatez, e chegar a um acordo para que todos possam prosperar juntos.
Devemos orar todos os dias, para que Deus nos dê mais tempo e ainda nos permita pregar o evangelho cada vez mais. Não é porque tenho medo de morrer. É porque ainda existem países onde o verdadeiro evangelho ainda não foi pregado, e também existem países onde o genuíno evangelho está prestes a florescer. Meu desejo é continuar pregando ainda mais o evangelho original, porque ele está brotando e florescendo, e o evangelho ainda precisa ser pregado cada vez mais. 
Claro, Deus faz todas as coisas cooperarem para o bem, mas o que me preocupa é que os seres humanos possam ser tão tolos. De fato, existem pessoas que ameaçam a vida dos outros, mesmo que não tenham ideia de quando e como enfrentarão sua própria morte; alguns deles chegam a querer massacrar a todos. 
Eu acredito que Deus certamente governa os corações de todos os líderes do mundo. E também acredito que Ele nos dará paz. 
Nesta era, o povo de Israel ainda está esperando pelo Messias prometido a eles. Eles devem perceber que seu Messias não é outro senão Jesus. Eles devem reconhecer Jesus como o Messias por quem estão esperando e crer Nele como tal. Em um futuro não muito distante, o evangelho que agrada ao nosso Senhor Jesus entrará rapidamente em Israel, assim como em outros países onde a porta do evangelho ainda não foi aberta. De fato, o evangelho está sendo tão bem pregado pelo mundo inteiro que está florescendo plenamente nesta era do fim dos tempos. 
Foi-me dito que um Seminário Teológico em Bangladesh tornou nossas publicações em inglês uma leitura obrigatória para que seus alunos obtenham seus diplomas. Tendo se encontrado pela primeira vez com o Evangelho da água e do Espírito, os estudantes, neste Seminário, vão agora receber a remissão dos seus pecados; mas, antes disso, eles não tinham a oportunidade de se maravilharem. 
Assim, em primeiro lugar, espero que todos os teólogos do mundo recebam a remissão de pecados conhecendo e crendo no Evangelho da água e do Espírito. E aqueles de nós que receberam a remissão de pecados antes deles devem orar sem parar para que isso aconteça. Não apenas devemos orar, mas também devemos viver nossas vidas pela fé. 

 


O Messias veio a esta Terra cerca de 700 anos depois da Profecia de Isaías


Isaías foi um profeta que viveu cerca de 700 anos antes do nascimento de Jesus Cristo nesta Terra. Embora ele tenha realmente precedido a vinda de Jesus Cristo em 700 anos, por saber muitas coisas sobre o Messias, Isaías profetizou tudo sobre como o Messias viria e como Ele faria Sua obra de salvação, como se ele tivesse visto o Messias com seus próprios olhos. De Isaías 52:13 e ao longo dos capítulos 53 e 54, Isaías continuamente profetizou, em detalhes, como o Messias salvaria a humanidade do pecado. É simplesmente maravilhoso que ele tenha profetizado com tanta precisão que Jesus Cristo realmente viria a esta Terra, levaria todos os pecados com Seu batismo, derramaria Seu sangue na Cruz e assim traria salvação a todos. E depois de 700 anos desde a profecia de Isaías, Jesus Cristo de fato veio a esta Terra e cumpriu todas as Suas obras exatamente como profetizado por Isaías. 
Isaías profetizou que o Messias viria a esta Terra e agiria com sabedoria. Conforme profetizado em Isaías 52:13: “Eis que o meu Servo procederá com prudência; será exaltado e elevado e será mui sublime”. Porque Jesus Cristo veio a esta Terra na carne de um homem e realmente levou sobre Si todos os pecados do mundo com Seu batismo, Ele pôde entregar Sua vida na Cruz, e assim ser julgado por todos os pecados de toda a humanidade. Assim como Isaías havia profetizado, tudo foi de fato tratado com prudência. Por Jesus Cristo, todos os pecados da humanidade realmente desapareceram, tratados com prudência, e Seu nome de fato se tornou exaltado, elevado e mui sublime, tudo segundo o que havia sido profetizado antes. O que Isaías havia profetizado sobre Jesus Cristo realmente se tornou realidade. 
No entanto, quando nosso Senhor Jesus veio a esta Terra, o povo de Israel não O reconheceu adequadamente. Mesmo que nosso Senhor Jesus tenha vindo a esta Terra e levado os pecados do mundo, incluindo os dos israelitas, morrido na Cruz e ressuscitado dos mortos, o povo de Israel nem mesmo creu no batismo do Messias, nem em Seu sangue. De fato, os israelitas não reconheceram que este Messias já havia nascido em sua nação, e que com Seu batismo e Cruz Ele cuidou não apenas dos pecados dos israelitas, mas também dos pecados de toda a humanidade. Eles não perceberam que este Jesus Cristo era de fato o Filho de Deus, o verdadeiro Messias do povo de Israel. Os israelitas devem agora compreender corretamente que Jesus é de fato o Messias por quem eles têm esperado todos esses anos.

 


O Sofrimento de Jesus fez Desaparecer os Pecados do Mundo


Quando Jesus veio a esta Terra, Ele sofreu afronta extremamente além de qualquer descrição. Como mostrado em Isaías 53, o Messias, realmente, parecia ser um homem de dores. Levando todos os nossos pecados, Ele foi enormemente afligido, tanto que a Bíblia nos diz que nossos rostos escondemos Dele.
Mas poucos realmente reconheceram Jesus como o Messias. Por ser muito afligido pelas pessoas de sua época, muitos falharam em reconhecer e crer em Jesus Cristo, o Messias, como o Salvador. Nosso Senhor Jesus realmente veio a esta Terra em obediência à vontade do Pai de cumprir Sua obra de salvar a humanidade dos pecados do mundo, e para fazer esta obra, Ele foi de fato muito oprimido. Não foi suficiente para Ele vir a este mundo de Sua própria criação na carne de um homem, que Ele mesmo havia criado à Sua imagem, mas Ele foi desprezado, rejeitado, ferido e oprimido, tanto que as Escrituras nos dizem que escondemos nossos rostos Dele, pois era demais para suportar. Longe de ser reverenciado como o Messias nesta Terra, Ele foi maltratado e oprimido como se fosse louco, cuja humildade não poderia nem começar a ser descrita com palavras. Como viramos o rosto ao ver alguém profundamente humilhado e envergonhado, o Messias foi oprimido diante de Suas próprias criaturas, tanto que os israelitas da época esconderam Dele o rosto. 
Quando Jesus veio a esta Terra, como era Sua aparência? Quando o Messias veio a esta Terra, Ele era como uma delicada planta enraizada em terra seca. Em outras palavras, não havia muito para se falar de Sua aparência externa. De fato, mesmo quando comparamos nosso Senhor Jesus a nós mesmos, não havia nada que fosse desejável neste Messias. A aparência externa de nosso Messias era de tal modo que não havia nada que nos agradasse.
Quando o Messias veio a esta Terra, de fato não havia beleza em Sua aparência para que pudéssemos desejá-Lo ou reverenciá-Lo. Mas independentemente dessa aparência, como nosso Messias, Ele agiu com prudência, recebeu a imposição de mãos de João Batista para levar todos os nossos pecados sobre Seu corpo conforme o sistema de sacrifício, foi crucificado e derramou Seu sangue, ressuscitou dos mortos e assim nos salvou de todos os nossos pecados. Porque este Messias levou todos os nossos pecados sobre Si mesmo sendo batizado por João Batista, Ele pôde ser crucificado e derramar Seu sangue por nós. 
Como Isaías 53:3 diz: “Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso”. Porque nosso Messias teve que vir a esta Terra e fazer todos os pecados do mundo desaparecerem recebendo a imposição de mãos e derramando Seu sangue, Ele teve que ser realmente oprimido dessa maneira pelo povo de Israel e pelos soldados romanos.

 


A Opressão do Messias foi Profetizada Cerca de 700 Anos Antes


Que o Messias teria de vir a esta Terra, ser batizado por João, derramar Seu sangue na Cruz e ressuscitar dos mortos já havia sido profetizado pelo profeta Isaías cerca de 700 anos antes do nascimento de Cristo. Como o profeta Isaías havia profetizado sobre a vinda do Messias, Jesus Cristo realmente veio a esta Terra exatamente como profetizado. Isto é, o Messias Jesus nasceu de uma virgem em uma manjedoura humilde, levou os pecados do mundo com Seu batismo recebido de João Batista, foi para a Cruz, onde Ele derramou Seu sangue e morreu por nossa salvação, e em três dias ressuscitou dos mortos. 
Assim como as mãos eram impostas sobre a cabeça da oferta de sacrifício e seu sangue era derramado no Dia da Expiação (Levítico 16), quando os pecados de um ano inteiro eram expiados, Jesus realmente levou todos os nossos pecados com Seu batismo recebido de João e derramou Seu sangue e morreu na Cruz, tudo conforme a verdadeira Palavra da profecia. Após levar todos os pecados do mundo com Seu batismo, Jesus enfrentou três anos de sofrimento durante Sua vida pública. A razão de Jesus, o Messias, ser crucificado é porque, com Seu batismo recebido de João Batista, todos os pecados do mundo foram passados para Ele, e é também por isso que Ele foi desprezado, perseguido e oprimido por todos. 
Na verdade, as pessoas não apenas negavam que Jesus era o Messias, mas também alguns judeus e romanos odiavam e perseguiam Jesus além de qualquer descrição. Ele foi odiado e rejeitado por eles ao extremo. 
Jesus de fato levou todos os pecados da humanidade de uma só vez ao receber Seu batismo de João Batista no Rio Jordão, e então Ele derramou Seu sangue na Cruz. O Messias foi batizado por João e derramou Seu sangue na Cruz para cumprir a vontade de Seu Pai. Ele foi cuspido e despido na Cruz. Todas as pessoas ao redor naquela época ridicularizavam Jesus, zombando dele: “Salva-te a ti mesmo, se és Filho de Deus, e desce da Cruz!”.
Quando Jesus começou Sua vida pública com Seu batismo, Ele teve que passar por muitos sofrimentos trazidos pela humanidade. Embora Jesus Cristo tivesse realmente levado os pecados do mundo com Seu batismo pelo bem da humanidade, as pessoas daqueles dias, incapazes de entender isso, odiavam Jesus, que veio como seu próprio Messias, e o perseguiram continuamente trazendo grandes sofrimentos a Ele, como também o denunciaram e insultaram. Na verdade, Jesus, o Messias, foi tão odiado que as Escrituras nos dizem que Ele foi tratado como um verme enquanto esteve nesta Terra. 
Na verdade, você não tem ideia do quanto os fariseus odiavam Jesus. Esses fariseus não podiam deixar sossegado o Messias, que parecia ameaçar sua liderança e popularidade. Então eles odiavam o Messias, sempre tentando encontrar falhas Nele, e não hesitavam em lançar todos os tipos de ataques pessoais contra Ele toda vez que seus intentos malignos falhavam. O Messias foi submetido a todo tipo de insultos e denúncias cheios de ódio e maldade. Assim, Isaías havia profetizado exatamente como o Messias seria oprimido. Podemos, portanto, confirmar, a partir das profecias detalhadas do profeta Isaías feitas cerca de 700 anos antes da vinda do Messias, exatamente que tipo de tratamento Jesus receberia neste mundo. 

 


Acaso o Povo creu em Jesus Cristo, o Messias, que veio pela Água e Sangue? 


No entanto, independentemente dessa opressão, Jesus, o Messias, silenciosamente fez e completou Suas obras. Agora o povo de Israel e todos em todo o mundo devem saber e crer que este Messias é Jesus Cristo. Para fazer os pecados dos israelitas e de todos em todo o mundo desaparecer, o Messias recebeu Seu batismo na forma de imposição de mãos, foi realmente crucificado e, assim, sofreu todas as Suas opressões ao extremo - e por fazer isso, Ele salvou perfeitamente os crentes em Seus Ministérios de todos os seus pecados, e aprovou a fé desses crentes como um todo. Apesar do fato de que o Messias veio a este mundo em Sua forma humilde, e apesar do fato de que Ele foi batizado, morreu na Cruz e ressuscitou dos mortos para fazer todos os pecados de todos desaparecerem, entre aqueles que creram Nele eram contados somente alguns. Para vivermos, devemos crer que Jesus realmente é nosso verdadeiro Salvador e Messias, que Ele é o Messias não apenas para os israelitas, mas também para toda a humanidade. 
Embora Jesus tenha realmente levado nossos próprios pecados com Seu batismo e assumido nossas próprias dores, nossas próprias enfermidades e nossas próprias maldições, algumas pessoas podem pensar: “Que pecado Ele cometeu para enfrentar tanta opressão?”. Mas Jesus é, de fato, o Filho de Deus sem pecado. Ao levar todos os nossos pecados, o Messias vicariamente sofreu, em nosso lugar, todas as maldições, dores e opressões de nossos pecados. Através de todas as opressões que Jesus enfrentou ao longo de Seus 33 anos de vida desde que veio a esta Terra, Ele nos salvou de todos os nossos pecados. 
Sendo assim, ouvindo a Palavra de Deus pregada através do profeta Isaías, as pessoas da época creram em Jesus Cristo, o Messias, que veio pela água e pelo Espírito? Quem creu neste Evangelho da água e do Espírito que estamos pregando agora? Mesmo agora, há muitas pessoas que não têm interesse no Evangelho da água e do Espírito, embora afirmem crer em Jesus. 
Aqui, na passagem principal, o Profeta Isaías profetiza que o Filho de Deus viria a esta Terra, atuaria com sabedoria, tomaria todos os nossos pecados, seria julgado por eles, e, assim, nos salvaria. Mas não muitos aceitam a verdade que Ele realizou. Porém, eu estou seguro de que, doravante, todas as pessoas de todas as nações reconhecerão Jesus Cristo como o Messias e O exaltarão muito. Você percebe que Jesus, o Messias, foi oprimido devido aos pecados do povo de Israel, pelos meus e seus pecados, e devido aos pecados da humanidade inteira? O Profeta Isaías queria que você soubesse e cresse nisso, e profetizou assim, desse modo, o Ministério do Messias. 

 


O Messias era como Raiz de uma Terra Seca


Foi assim como o Profeta Isaías predisse da vinda de Jesus Cristo, o Messias, que quando Ele viesse a esta Terra, seria de uma forma desprezível. Isaías disse do Messias: “Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse”. (Isaías 53:2). Quando Jesus Cristo veio a esta Terra na semelhança de homem, Ele era um homem em quem as pessoas veriam, de fato, qualquer coisa desejável. Ele não era um homem musculoso, alto e bem construído, como Arnold Schwarzenegger ou Sylvester Stallone. Na realidade, Ele era tão pequeno que se nós O olhássemos atualmente, sentiríamos, na verdade, pena, enquanto compadecendo e simpatizando por Dele. Apesar disso, Sua Palavra era como uma espada afiada de dois gumes. 
Jesus, o Messias, não só era alguém de aspecto pobre em Sua aparência, mas Ele também era materialmente pobre. José, Seu pai carnal, era somente um mero carpinteiro. Uma família cujas necessidades eram providas por um carpinteiro, então, como hoje, não estaria economicamente muito bem, e longe de viver em abundância. Só com muito trabalho duro podiam os carpinteiros sobreviver. 
Quando veio a esta Terra, o Messias, não frequentou uma escola. E os Fariseus, tentaram zombar Dele por isto, mas eles não puderam fazer assim, já que isso só revelava que Jesus Cristo, o Messias, realmente, era o Filho de Deus. Jesus jamais colocou um pé na Escola de Gamaliel, a escola judaica mais conceituada da época, onde um dos maiores estudiosos da Lei, Gamaliel, lecionava. Nesta escola, estudantes poderiam aprender dos grandes professores da Lei, não só eram formados no conhecimento deste mundo, mas também na própria Lei. Jesus não foi formado em tal escola, e não há nenhum registro de que Ele frequentou outra escola. E, apesar disso, não havia nada sobre a Lei do Antigo Testamento que o Messias não soubesse, e onde o Antigo Testamento ensinava sobre o Messias, Ele tinha mais conhecimento e mais fé que qualquer outro. Não havia nada que Ele dissesse que fosse ilógico ou que se afastasse da Lei de Deus. 

 


Por que o Messias teve que ser tão Oprimido, Humilhado e Desprezado? 


Para realmente se tornar o verdadeiro Messias para o povo de Israel e salvá-los de todos os seus pecados e torná-los o povo de Deus, nosso Messias veio a esta Terra e voluntariamente abraçou todos os Seus sofrimentos, insultos, escárnios e desprezos. O sofrimento e o desprezo que o Messias realmente passou por causa do povo de Israel foram extremamente sacrificantes e opressivos. A opressão que o Messias sofreu por nossa causa foi um sofrimento tão grande que teríamos escondido Dele nosso rosto. Porque Jesus era o Messias que nos salvaria de nossos pecados e julgamento, Ele realmente nos libertou de nossos pecados, oprimido e desprezado além de qualquer descrição diante de todos os tipos de pessoas. Jesus foi assim oprimido neste mundo. 
       Porque Jesus, o Messias, foi tão grandemente oprimido e desprezado, as pessoas daqueles dias não podiam suportar vê-Lo. Nunca devemos esquecer que, embora Jesus tenha vindo como seu e meu Messias, de fato, como o Messias de toda a humanidade, para cumprir e completar o papel e as obras de um Messias, Ele foi grandemente oprimido e, assim, nos libertou dos nossos pecados e da condenação do pecado. 
Até mesmo quando o Messias foi crucificado, as pessoas não pararam de zombar dele: “Por que você não desce daí? Se você é realmente o Filho de Deus, então desça da Cruz. Como você pode ser o Filho de Deus? Se você realmente é o Filho de Deus, então desça e salve o ladrão pendurado ao seu lado; melhor ainda, desça e salve-Se!”. Eles continuaram ridicularizando-O: “Ah, sim, por que você não transforma esta pedra em pão? Se você é o Filho de Deus, dê-nos a prova! Mostre-nos a prova para podermos acreditar. Se você não pode nem fazer isso, que tipo de Messias você é? Que patético!".
Assim o Messias foi insultado pelas pessoas, o denunciaram e ridicularizaram sem parar. Eles o desnudaram, esbofetearam Seu rosto e cuspiram Nele. Jesus Cristo sofreu a maior zombaria, humilhação e insultos, como nunca visto, nem visto novamente. Ele também foi condenado com o castigo da crucificação, um castigo reservado para o pior tipo de criminosos na época. Nosso Messias foi açoitado pelos soldados, Seus pés e mãos foram pregados na Cruz, e derramou todo o sangue que Ele tinha em Seu corpo. 
Jesus realmente suportou todo esse desprezo, dor e opressão, para poder cumprir Seu Ministério como o Messias, por nossa própria causa. Ao ser crucificado, Ele levou todos os nossos pecados, todas as nossas maldições, todas as nossas enfermidades e todo o nosso castigo pelo pecado. Ele recebeu em nosso lugar todas as opressões que você e eu deveríamos suportar, e por nossa própria causa Ele deu Sua própria vida. Este Messias se tornou o Salvador para aqueles que, como nós, creem que Jesus realmente é o nosso Salvador. Ele voluntariamente se tornou nosso Messias. Ele veio a esta Terra consoante a vontade de Seu Pai, e levou nossos pecados e o castigo do pecado na Cruz por nossa causa, e ressuscitou da morte - tudo para nos salvar! 
Meus irmãos e irmãs, vocês pensam que foi fácil para Jesus passar por todo esse sofrimento e humilhação diante de tantos estranhos? Se estivéssemos em Seu lugar, se fôssemos nós a enfrentar tanto desprezo, sendo despidos, insultados, torturados e crucificados, não apenas diante de nossa própria família, ou maridos, ou esposas, ou mesmo de nossos entes queridos, mas diante de nossos próprios inimigos, teríamos enlouquecido antes de morrer! Jesus Cristo foi crucificado, para que todos pudessem ver Sua humilhação, não em algum canto obscuro, mas no alto, para que todos pudessem apontar o dedo e cuspir Nele. 
Sofrimento, tristeza e tribulações ainda maiores vieram a Cristo antes de Sua crucificação. Antes de pregar Jesus na Cruz, as pessoas se certificaram de que Ele passaria por todo tipo de sofrimento. Ele foi levado perante a multidão e julgado na presença deles, foi cuspido, e seu rosto foi até mesmo esbofeteado por um servo do Sumo Sacerdote. Ele foi cuspido! As pessoas batiam em Seu rosto, o chicoteavam e o apedrejavam! Jesus, o Messias, passou por toda essa opressão por nada menos que nosso próprio bem! 
A Escritura nos diz que Ele foi assim oprimido por nossa causa, dizendo: “Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades”. (Isaías 53:5). O Messias passou por tais sofrimentos para poder libertar todas as pessoas, incluindo os israelitas, de seus pecados e da condenação de seus pecados. Este Messias cuidou dos pecados do mundo e do castigo do pecado ao receber o batismo de João, e completou Seu Ministério como o Messias sendo oprimido por Seu próprio povo, os soldados romanos e o povo de muitas outras nações. 
Deus profetizou que o Messias salvaria essas mesmas pessoas que se levantaram contra Ele de todos os seus pecados - na verdade, de todos os pecados cometidos por toda a humanidade - e assim como havia sido profetizado, Jesus Cristo realmente veio a esta Terra como este Messias, e verdadeiramente passou por toda opressão, e salvou você e eu de nossos pecados e da condenação de nossos pecados derramando Seu precioso sangue. 
O fato de sermos salvos do pecado e da condenação do pecado por crer no Messias não veio sem o pagamento do preço do sacrifício. Foi por Jesus Cristo vir a esta Terra e enfrentar toda opressão que podemos agora nos tornar sem pecado, e é porque este Messias foi julgado por todos os nossos pecados que podemos, apenas crendo com nossos corações, receber o dom de salvação e a remissão de pecados, tornando-nos filhos de Deus. É devido ao nosso Messias que nos tornamos pessoas tão felizes. 
Devemos agradecer ao Messias por nos dar essa felicidade e por nos conceder Suas bênçãos. A salvação que o Messias nos deu veio a nós somente através da nossa fé, pois embora não tenhamos dado a Ele nenhuma oferta nossa, Ele mesmo deu Sua oferta inestimável diante de Deus Pai. Devemos crer que o próprio Deus realmente nos salvou ao sofrer toda essa opressão, e devemos agradecê-Lo por isso. 

 


Ouve, ó Israel, volta-te e creia em Jesus Cristo


O povo de Israel deve se arrepender agora e crer em Jesus, o Messias, como seu Salvador. Mesmo até este momento, os israelitas ainda não reconhecem que seu Messias já veio. Assim como tudo foi profetizado pelo profeta Isaías que o Messias, o Servo de Deus, viria a esta Terra, e assim como esta Palavra de profecia nos predisse que este Messias, vindo a esta Terra, salvaria a todos nós tomando sobre Si todos os pecados da humanidade com Seu batismo e sendo crucificado na Cruz, Jesus Cristo realmente cumpriu todas as Suas obras de salvação. O povo de Israel deve agora voltar atrás, reconhecer e crer nesta verdade. Eles devem admitir o pecado que seu próprio povo cometeu ao crucificar Jesus. E eles devem reconhecer seu verdadeiro eu, como sendo simplesmente uma massa de pecado desde seu nascimento, e crendo neste Messias agora eles devem ser salvos de todos os seus pecados e da condenação do pecado. 
Agora não há outro Messias. Porque Jesus Cristo já veio como o Messias, não há outro Messias. Como poderia realmente haver outro Messias? Como poderia haver outro Salvador? Quando o povo de Israel passar por mais dificuldades no futuro, eles esperarão que algum tipo de herói de ação de Hollywood, como o Super-Homem, surja e se torne seu Messias? 
A partir de agora, os israelitas devem reconhecer Jesus Cristo como seu Messias. Eles devem crer que Jesus Cristo é de fato seu verdadeiro Messias. O Messias deles já veio a esta Terra há 2.000 anos, e para levar seus pecados e torná-los os verdadeiros filhos de Abraão, Ele foi batizado, assim como eles tiveram que ser circuncidados, e crucificado, tudo para eles receberem a circuncisão espiritual. O Messias se tornou o verdadeiro Salvador do povo de Israel levando seus pecados com Seu batismo por João, carregando a Cruz e derramando Seu sangue, sendo oprimido, e ressuscitando dos mortos. 
Os israelitas devem se arrepender para crer no Messias. Eles devem agora crer em Jesus Cristo como seu Messias. Tudo o que resta a ser cumprido agora é que o povo de Israel creia em Jesus Cristo como o Salvador. Eles devem perceber que o Messias profetizado por Isaías é este mesmo Jesus Cristo. Eles devem saber e crer que este profetizado não é outro senão o próprio Jesus. As profecias do Antigo Testamento foram todas cumpridas por meio de Jesus Cristo, sem deixar de fora nem a menor letra, nem o menor traço. Na passagem principal, também é dito que muitas nações seriam aspergidas.
Isaías 52:14-15 afirma: “Como pasmaram muitos à vista dele (pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua aparência, mais do que a dos outros filhos dos homens), assim causará admiração às nações, e os reis fecharão a sua boca por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que não ouviram entenderão”.
Ao vir a esta Terra, Jesus Cristo enfrentou sofrimentos muito maiores do que qualquer criminoso deste mundo condenado à morte. Ele se sacrificou assumindo mais dor e opressão do que qualquer criminoso deste mundo, tudo para tornar toda a humanidade Seu próprio povo. Ele salvou Seu povo que receberia a remissão de pecados crendo Nele. Foi assim que Ele os salvou. 
Pessoas ouvirão às boas novas de salvação que não ouviram e nem viram antes. Todos os que nem sequer ainda escutaram que o Messias é Jesus Cristo, de fato, escutarão e crerão Nele verdadeiramente.

 


Jesus é O Messias, que uma vez Veio e Virá Novamente


Hoje, estamos nos aproximando do fim dos tempos. Será uma era de morte e tribulações. Aqueles que creem no Messias, no entanto, na verdade, não têm medo da morte. Pelo contrário, eles estão esperando ainda mais pela felicidade do Céu e sua ressurreição que se seguirá à sua morte. O fato de as trevas descerem sobre o mundo não significa que nós, os justos, também estejamos em trevas. Quando este evangelho estiver definitivamente pregado, o Messias de fato retornará.
Jesus Cristo, nosso Messias, veio a este mundo como o Cordeiro de Deus, como a oferta de sacrifício, e teve Seu corpo batizado por João, e o entregou na Cruz. Como uma ovelha diante de seus tosquiadores, Jesus, o Messias, silenciosamente levou nossos pecados, enfrentou grandes sofrimentos ao levar nosso próprio julgamento do pecado na Cruz, ressuscitou dos mortos em três dias e assim se tornou o Salvador perfeito para todos os que creem. 
Apenas alguns sabiam que o Messias era Jesus Cristo na época. Havia alguns que sabiam que Jesus Cristo se tornou nosso Messias ao nascer silenciosamente neste mundo há cerca de 2.000 anos, testificando o evangelho do Reino por três anos após Seu batismo, morrendo na Cruz e ressuscitando dos mortos. Os poucos que esperavam e creram em Deus testificaram que nosso Senhor Jesus é o verdadeiro Messias que silenciosamente cumpriu todas as Suas obras. 
Esses servos de Deus pregaram a notícia por todo o mundo que o Messias nos salvou de nossos pecados vindo a esta Terra e sendo oprimido. O próprio Deus, na verdade, está pregando o Evangelho da água e do Espírito, permitindo que as técnicas de impressão avancem, movendo a história do mundo e tornando as nações que pregam este evangelho fortes e ricas. 
“Jesus é o Messias. Jesus é o Messias. Jesus é o Messias! Se você crê em Jesus como seu Messias, você será salvo. Jesus é o Filho de Deus. Jesus é o Criador que fez todo o Universo. Ele é Deus. Ele é o Messias, nosso Salvador”. Os servos de Deus continuarão pregando ao povo que Jesus é o Messias, e também sobre Seu batismo, Sua morte na Cruz e Sua ressurreição. 
Poucos jovens israelenses eram sabedores que há 2.000 anos, um jovem chamado Jesus veio a esta Terra, e que quando Ele completou 30 anos, Ele levou os pecados da humanidade ao ser batizado por João. Naquela época, apenas os próprios discípulos de Jesus sabiam que Ele era o Messias, e esse conhecimento foi compartilhado com apenas um punhado de pessoas que realmente temiam a Deus - o resto permaneceu alheio a essa verdade. Ao todo, havia apenas cerca de 500 santos (1 Coríntios 15:6) na nação de Israel que sabiam que o Messias carregou os pecados do mundo para a Cruz, que Ele morreu nela, e que Ele ressuscitou dos mortos. Todos os outros não tinham ideia. 
No quinquagésimo dia desde a morte de Jesus Cristo e Sua ressurreição, o Espírito Santo realmente desceu sobre Seus discípulos. Quando os discípulos de Cristo estavam orando no cenáculo, o Espírito Santo de fato desceu sobre eles, fazendo-os falar em línguas e testificar que o Messias é Jesus Cristo. Então, Seus discípulos, não temendo a morte, ousadamente testificaram: “Jesus é o Messias. O Messias é nosso Salvador. O Jesus ressuscitado é o nosso Messias”. Muitas pessoas, portanto, passaram a crer neste momento. 
Através de Jesus, o Messias, Deus realmente salvou você e eu de todos os nossos pecados e da condenação do pecado. Porque Ele sofreu uma opressão tão grande para nos salvar de nossos pecados e julgamento, nós absolutamente devemos crer Nele; todos os que não creem devem se arrepender, dar meia-volta e crer também; e todos nós devemos pregar esta verdade com fé. 
O povo de Israel, de fato, agora está com medo diante de uma situação extremamente tensa. Eles devem, portanto, ouvir esta Palavra do Tabernáculo que Deus realmente lhes falou. Nós também estamos agora entrando no fim dos tempos. O Evangelho da água e do Espírito manifestado no sistema de sacrifício do Tabernáculo certamente chegará ao povo de Israel. Eles também passarão a crer que Jesus Cristo é realmente o Messias de quem Deus lhes havia falado. 
Deus já havia falado ao povo de Israel sobre o sistema de sacrifício, e eles creram. Na verdade, eles ainda desejam dar ofertas a Deus conforme o sistema sacrificial do Tabernáculo. Entre os israelitas, ainda existem alguns fundamentalistas que vivem no deserto. Mesmo agora, essas pessoas vivem no deserto dando ofertas dessa maneira. Eles estão, em outras palavras, dando o tipo de ofertas que antes eram oferecidas no Tabernáculo. Talvez eles sejam descendentes de Aarão. Para manter as tradições de suas famílias, eles estão vivendo no deserto em vez de nas cidades. Embora sejam israelitas, vivem como uma tribo isolada, separados das pessoas comuns. Para essas pessoas também, devemos de fato pregar a Palavra do Tabernáculo que o Messias já veio até nós e nos salvou de acordo com nossa fé. 
Devemos agradecer a Jesus por vir a esta Terra, por ser oprimido e julgado em nosso lugar, tudo para salvar você e eu, como nosso Salvador, de nossos pecados e da condenação do pecado. 

 


“O amor é forte como a morte, e duro como a sepultura, o ciúme”.


Nós fomos salvos, na realidade, de todos os nossos pecados e do juízo dos pecados, e isso não foi alcançado por acidente, como se chegasse uma entrega acidental de correio. Nossa salvação não é nenhum tipo de corrente de cartas que nos diz que temos que as remeter a mais de 20 pessoas ou senão seríamos sentenciados. Nem é a nossa salvação pela remissão de pecados como um desses muitos folhetos que anunciam duas pizzas pelo preço de uma, onde simplesmente nós possamos fazer uma ligação e encher o nosso estômago até nos contentarmos em nossos corações. 
Na realidade, nossa salvação veio porque Deus enviou o Seu Filho a nós, passando todos os nossos pecados para Ele, e O fazendo sofrer e ser oprimido por todos esses nossos pecados. É por isso que você e eu devemos crer de todo coração Nele e Lhe dar Graças. Sabendo como a nossa salvação veio, como pode alguns de nós jogá-la fora como se fosse um par de sapatos usados, ou colocá-la à parte como se fosse alguma ferramenta quebrada e inútil, ou ignorá-la como se pertencesse à outra pessoa? 
Existe alguém entre vocês que, apesar de frequentar a Igreja de Deus, ainda não recebeu a remissão de pecados? Existe alguém que ainda não creu no Evangelho da água e do Espírito? Se realmente existem tais pessoas, todas elas devem se arrepender e crer no Messias antes que seja tarde demais. Se você está perdido e não tem certeza de qual caminho seguir, apenas creia na Palavra da Verdade com todo o seu coração. Aqueles que não creem estão rejeitando o amor do Filho de Deus, o amor com o qual Ele os salvou ao passar por todos esses sofrimentos por nada menos que seu próprio bem.
Aqueles que subestimam o valor de Seu amor e o rejeitam serão perseguidos por maldições. A Escritura nos diz: “O amor é forte como a morte, e duro como a sepultura, o ciúme”. (Cânticos 8:6). O amor de Deus é tão forte e grande que também traz o mais cruel castigo para as pessoas que o rejeitam até o fim. Em outras palavras, nos diz que se alguém de fato morrer permanecendo pecador, realmente sofrerá a dor impiedosa do inferno como a sepultura. O ciúme é tão duro quanto a sepultura. Quando o Messias te amou tanto, quando Ele foi batizado, derramou Seu próprio sangue, e sofreu todo tipo de opressão, tudo só para te salvar, se você não acreditar neste amor e o rejeitar, você certamente sofrerá uma dor cruel. Isso não é outra coisa senão o inferno. 
Deus assim disse: “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo”. (Hebreus 9:27). Quando morremos, nossa carne pode acabar, mas diante de Deus, não é o nosso fim. Para pisotear cruelmente aqueles que rejeitam o amor de Deus, Deus os fez viver para sempre e nunca morrer, e de fato lhes trará sofrimentos impiedosos. Ele irá, em outras palavras, realmente lançá-los no fogo que queima para sempre, e fazê-los sofrer toda a sua dor incessante, infinitamente e para todo o sempre. Este sofrimento cruel não é outro senão o ódio cruel de Deus. Você acha que Deus nunca conseguiria fazer uma coisa dessas? Não se esqueça que nada é impossível para Deus! 
O grande e imenso amor de Deus por nós, sofrendo por nós, nos salvou de todas as nossas maldições, de todos os nossos pecados, e de toda a nossa condenação. O que pode resolver todos os seus problemas é o amor do Messias. Certamente, não há nada que seja maior que o amor do Messias. Sem fé neste Messias, o amor de Deus não pode ser nosso. Este amor só nos é dado por este Deus, que se tornou o nosso Messias, e foi o Seu Pai que O enviou a nós. O Deus Trino Todo-Poderoso nos amou dessa maneira, e nos salvou, assim, de nossos pecados e da condenação. É por isso que nós temos que crer no Messias e Lhe dar Graças. E ainda devemos Lhe dar Glórias, e tudo porque nós devemos estar sempre satisfeitos com a nossa fé neste Messias. 
Quanta gratidão há pelo fato de o Messias nos ter dado o Evangelho da água e do Espírito? Se alguém não sabe quão inestimável é este amor, que nunca pode ser trocado por qualquer outra coisa neste mundo, ele, seguramente, é uma das pessoas mais ignorantes e estúpidas. Quantos sofrimentos tão terríveis e aflições nosso Senhor Jesus passou por nós? Devido a isso é que nós estamos tão gratos por Seu amor. Entretanto, mesmo com as nossas insuficiências, ainda dedicamos todas às nossas forças restantes à propagação deste amor para esses que permanecem na ignorância. 
Para fazer tais obras de Deus, também devemos enfrentar dificuldades e sofrimentos. Não podemos procurar prosperar apenas para nós mesmos. Se de fato fomos salvos ao receber Seu amor de sacrifício e somos revestidos dele, também devemos compartilhar esse amor com os outros. Assim como Jesus Cristo enfrentou todos os Seus sofrimentos para fazer nossos pecados desaparecerem, não com o amor da carne, mas com Seu verdadeiro amor, também devemos fazer Suas obras com fé, abraçando voluntariamente dificuldades, opressão, ódio, sofrimento e desprezo, se isso significa que outros também receberão a remissão de seus pecados. Devemos sofrer esse ódio em nome do amor. Se você e eu realmente recebemos a remissão de pecados, então eu acredito que esse amor é realmente encontrado em nossos corações. 
Os nascidos de novo, que realmente sabem quem eram antes e quão grande e forte é o amor pela salvação de Jesus, dão frutos. Os salvos são as árvores que dão os frutos da salvação, “porque pelo fruto se conhece a árvore”. (Mateus 12:33). Antes de ser salvo, você estava completamente imerso em seus pecados, portanto, não podia nem reclamar se fosse realmente lançado no inferno. No entanto, você creu que Deus se tornou seu Salvador vindo a esta Terra na carne de um homem sendo oprimido por sua causa, e que ao sofrer por você Ele o salvou de seus pecados e julgamento. Crendo assim, você foi salvo. Se você realmente recebeu esse amor, então você e eu certamente devemos ter corações que desejam viver para os outros. 
Se alguém não tem esse coração, então não recebeu a remissão de pecados. Para ser exato, essa pessoa está apenas fingindo ter recebido a remissão de pecados. 
Assim como Cristo enfrentou todos os Seus sofrimentos e nos salvou de todos os nossos pecados e julgamentos porque Ele nos amou, se de fato fomos salvos crendo neste amor, então este amor também é encontrado em nossos próprios corações. Por quê? Porque Cristo agora vive em nossos corações. Assim como Ele foi oprimido por nossa causa e nos amou, também devemos desejar viver para os outros e enfrentar dificuldades por causa deles. Porque aqueles que receberam a remissão de pecados não têm mais nenhum pecado em seus corações, nossos corações foram todos transformados, tornando-se como o coração de Jesus Cristo. 
Agradeço a Jesus Cristo por vir a esta Terra, por ser batizado e derramar Seu sangue na Cruz, por aceitar todos os Seus sofrimentos por nossa causa e por assim se tornar nosso Messias que nos libertou de todos os nossos pecados.