خطبات

Assunto 26: LEVÍTICO

[26-8] Esta é a remissão de pecados que o Senhor cumpriu por nós (Levítico 4:27-35)

Esta é a remissão de pecados que o Senhor cumpriu por nós(Levítico 4:27-35)
“E, se qualquer pessoa do povo da terra pecar por ignorância, fazendo contra algum dos mandamentos do Senhor, aquilo que não se deve fazer, e assim for culpada; Ou se o pecado que cometeu lhe for notificado, então trará pela sua oferta uma cabra sem defeito, pelo seu pecado que cometeu, e porá a sua mão sobre a cabeça da oferta da expiação do pecado, e a degolará no lugar do holocausto. Depois o sacerdote com o seu dedo tomará do seu sangue, e o porá sobre as pontas do altar do holocausto; e todo o restante do seu sangue derramará à base do altar; E tirará toda a gordura, como se tira a gordura do sacrifício pacífico; e o sacerdote a queimará sobre o altar, por cheiro suave ao Senhor; e o sacerdote fará expiação por ela, e ser-lhe-á perdoado o pecado. Mas, se pela sua oferta trouxer uma cordeira para expiação do pecado, sem defeito trará. E porá a sua mão sobre a cabeça da oferta da expiação do pecado, e a degolará por oferta pelo pecado, no lugar onde se degola o holocausto. Depois o sacerdote com o seu dedo tomará do sangue da expiação do pecado, e o porá sobre as pontas do altar do holocausto; então todo o restante do seu sangue derramará na base do altar. E tirará toda a sua gordura, como se tira a gordura do cordeiro do sacrifício pacífico; e o sacerdote a queimará sobre o altar, em cima das ofertas queimadas do Senhor; assim o sacerdote por ele fará expiação dos seus pecados que cometeu, e ele será perdoado”.
 
 
O Senhor nos abençoou para que pudéssemos pregar o evangelho da água e do Espírito, e sou muito grato quando penso neste evangelho que ele nos deu. Embora eu ande muito ocupado com o trabalho e as coisas do dia a dia, ainda assim sou grato ao Senhor por tudo que tenho e por ele estar vivo em meu coração. Jesus nos leva a pregar o evangelho da água e do Espírito sem depender de ninguém. Ele e sua justiça são tudo para mim. E estou certo que você crê assim também. O Senhor é o nosso Salvador, aquele que apagou todos os nossos pecados, além de ser também nosso Juiz e Criador. E cremos que ele, ao entregar sua vida, nos deu uma nova vida. Jesus nos deu tudo que é bom. De tudo que temos, não há nada que conseguimos por nós mesmos. O Senhor nos deu tudo. Quando pensamos na salvação de Deus, vemos que não há nada que não venha dele.
Tudo que temos, desde a salvação até a nova vida que hoje desfrutamos até o reino dos céus que virá, Deus nos deu graças à justiça do Senhor. Sabemos muito bem que foi Jesus que nos deu a salvação e tudo que hoje possuímos. Até este momento estamos vivos graças à justiça do Senhor. Mas se ele não tivesse nos dado uma nova vida pela água e pelo Espírito, não poderíamos viver para sempre. Melhor dizendo, não teríamos recebido a vida eterna se o Senhor não tivesse nos salvado. Você também pensa assim? Quanto mais eu penso nisso, mais eu vejo que nada vem de nós. Não podemos fazer nada por nós mesmos. Foi o Senhor que nos deu tudo. Afinal de contas, poderíamos conseguir algo pelo nosso próprio esforço? Por mais que tentássemos, faríamos com que nossos pecados fossem apagados? Tudo acontece segundo a permissão de Deus e pela água e pelo Espírito. É o Senhor que realiza todas as coisas pelo seu poder, nunca pelas nossas forças.
 
 

Todos nós recebemos mesmo a remissão de pecados?

 
O texto bíblico deste capítulo descreve como os pecados das pessoas comuns eram apagados. Ele explica como elas recebiam a remissão de pecados. Mas o Senhor deixa bem claro neste texto que os pecadores só poderiam receber a remissão de pecados se oferecessem um holocausto como Deus mandou. Está escrito em Levítico 4:27-29: “E, se qualquer pessoa do povo da terra pecar por ignorância, fazendo contra algum dos mandamentos do Senhor, aquilo que não se deve fazer, e assim for culpada; ou se o pecado que cometeu lhe for notificado, então trará pela sua oferta uma cabra sem defeito, pelo seu pecado que cometeu, e porá a sua mão sobre a cabeça da oferta da expiação do pecado, e a degolará no lugar do holocausto”.
O texto acima explica que tipo de oferta deveria ser oferecida e de que maneira isso deveria ser feito pelas pessoas comuns que pecavam contra Deus. O povo de Israel violava os mandamentos de Deus constantemente por não fazer o que ele havia mandado. E a primeira coisa que as pessoas comuns tinham que fazer quando pecavam era reconhecer seu pecado e oferecer um holocausto. Quando estas pessoas entendiam que haviam pecado contra Deus por ter quebrado seus mandamentos e feito o que ele não mandou, elas tinham que oferecer um sacrifício de fé a Deus para remir seus pecados, conforme ele estabeleceu no sistema sacrificial e como está escrito: “Ou se o pecado que cometeu lhe for notificado, então trará pela sua oferta uma cabra sem defeito, pelo seu pecado que cometeu, e porá a sua mão sobre a cabeça da oferta da expiação do pecado, e a degolará no lugar do holocausto” (Levítico 4:28-29).
A ‘oferta pelo pecado’ era entregue quando o pecador impunha as mãos sobre a cabeça do holocausto e passava todos os seus pecados para ele. Em outras palavras, os pecados dos israelitas ficavam em seu coração quando eles pecavam. Mas eles podiam purificá-los passando para o holocausto, como Deus havia determinado. As pessoas comuns não tinham como purificar seus pecados por elas mesmas, e para fazer isso ofereciam uma cabra sem defeito impondo as mãos sobre sua cabeça, derramavam seu sangue e a ofereciam como sacrifício. Elas não tinham que fazer nada de mais para ser remidas dos seus pecados. Tudo que tinham a fazer era reconhecê-los e oferecer um sacrifício a Deus segundo o sistema sacrificial da justiça. A cabra sacrificada levava então os pecados das pessoas comuns de uma vez por todas pela imposição de mãos, era condenada em seu lugar, e assim seus pecados eram purificados. Eu quero dizer novamente que as pessoas comuns em Israel não tinham como purificar seus pecados por si mesmas. Isso só acontecia quando elas ofereciam uma cabra como sacrifício e ela levava seus pecados em seu lugar.
Isso quer dizer que só o Senhor pode salvar o homem. Está escrito acima que as pessoas comuns de Israel tinham que oferecer um holocausto a Deus quando reconheciam seus pecados. E somente cabras podiam ser usadas como oferta queimada ou pelo pecado. Este sacrifício oferecido aqui aponta para Jesus Cristo no Novo Testamento; ou seja, ele explica como o Senhor recebeu todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista, derramou seu sangue sendo o próprio holocausto, e assim nos salvou. Em outras palavras, Jesus só pôde derramar seu sangue na cruz porque levou todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado antes por João Batista. O Senhor recebeu sobre si todos os nossos pecados, e como a cabra mencionada no Antigo Testamento, ele veio a nós, levou sobre si todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista, derramou seu sangue, e assim nos salvou. O próprio Senhor recebeu todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista e foi condenado na cruz por eles em nosso lugar.
Então, é pela fé que somos salvos de todos os nossos pecados. E isso significa também que só podemos receber a salvação se crermos na justiça do Senhor. O homem não pode apagar nem um pecado sequer com seu próprio esforço, com orações de arrependimento ou buscando a santificação. Melhor dizendo, Deus deixa bem claro que não podemos ser salvos através de orações de arrependimento. Todos nós já nascemos em pecado porque somos descendentes de Adão. E foi Deus que nos criou a todos. Sendo assim, o homem só pode ser purificado por Deus dos seus pecados de uma maneira. Eles precisam se confessar a ele assim: “Senhor, eu pequei contra ti. Eu sou um pecador por natureza. A verdade é que eu nunca consegui viver segundo a tua Palavra.” Todos precisam crer no evangelho da água e do Espírito. Só assim podemos receber a remissão de pecados. Não há outra maneira. Tudo que temos a fazer então é crer no evangelho da água e do Espírito, com o qual o Senhor apagou todos os nossos pecados. Melhor dizendo, o Senhor levou todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista, derramou seu sangue na cruz, e assim salvou a todos que creem nisso.
Jesus nos livrou de todos os pecados do mundo através do evangelho da água e do Espírito; esta é a verdade. Conhecer este evangelho e crer nele é o que nos leva então a ser salvos de todos os pecados do mundo. O que temos que fazer então é reconhecer nossos pecados sempre que os cometermos e confessá-los ao Senhor. Já que ele nos salvou com o evangelho da água e do Espírito, o que mais poderíamos fazer senão crer? Somos pecadores e pecamos o tempo todo porque nascemos debaixo da lei. Mas o Senhor amou pessoas como nós e nos salvou com o evangelho da água e do Espírito. O Senhor foi batizado por João Batista quando veio a esta terra e assim apagou nossos pecados de uma vez por todas. E ao morrer na cruz derramando seu sangue, ele foi condenado pelos nossos pecados em nosso lugar.
A Bíblia diz que as pessoas comuns de Israel tinham que oferecer uma cabra sem defeito para remissão de pecados. Só que pelo lado espiritual, todo ser humano tem defeito. Só há um em todo o universo que não tem defeito algum: Jesus Cristo, que criou os céus e a terra e nos salvou de todos os nossos pecados de uma vez por todas. Todos além dele têm defeitos. Nosso Senhor jamais cometeu pecado enquanto esteve nesta terra. Ele nunca pecou, nem uma vez sequer. Certa passagem diz que quando alguns tentaram lançá-lo de um penhasco, Jesus passou no meio deles sem ser tocado e seguiu seu caminho.
Jesus Cristo não tinha nenhum defeito ou fraqueza. O Senhor imaculado veio a esta terra e apagou todos os pecados do homem. Ele levou todos os pecados do mundo de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista e cumpriu seu sacerdócio como último Sumo Sacerdote do Antigo Testamento. Depois então foi crucificado levando os pecados do mundo e ressuscitou dos mortos. O Senhor se entregou como oferta pelos nossos pecados e foi batizado para nos purificar. Em outras palavras, ele recebeu todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista. Não fazemos outra coisa senão pecar desde que nascemos, mas o Senhor já preparou uma forma de purificar todos os pecados do mundo, a fim de que sejamos salvos deles. Vamos ler agora Levítico 4:28-29: “Ou se o pecado que cometeu lhe for notificado, então trará pela sua oferta uma cabra sem defeito, pelo seu pecado que cometeu, e porá a sua mão sobre a cabeça da oferta da expiação do pecado, e a degolará no lugar do holocausto”.
Quando o povo de Israel pecava e reconhecia seu pecado, eles levavam um animal ao altar de ofertas queimadas e passavam seus pecados para ele impondo as mãos sobre sua cabeça. E esta imposição de mãos foi o método que Deus criou para remir todos os pecados do mundo. Podemos dizer então que a vontade de Deus foi cumprida pelo método da imposição de mãos para nos salvar do pecado. O Senhor criou uma forma de nos salvar e foi assim mesmo que ele nos salvou. E como foi o próprio Deus que determinou que nossa salvação seria assim, ele fez tudo como planejou. O próprio Deus veio a nós, criou uma forma de nos salvar e remiu os pecados do homem.
Deus disse que as pessoas comuns de Israel tinham que oferecer uma cabra sem defeito e impor as mãos sobre sua cabeça. Então, quando o povo de Israel impunha as mãos sobre a cabeça deste animal, seus pecados eram passados para ele.
 
 

Vamos ver agora como os sacrifícios eram oferecidos no Dia da Expiação

 
Vamos ler agora Levítico 16:2: “E Arão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso”. Como está escrito aqui, o sumo sacerdote Arão tinha que impor as mãos sobre a cabeça de um bode, sobre ele confessar todos os pecados e iniquidades do povo de Israel, e enviá-lo ao deserto pela mão de um homem designado para isso. Isso significa então que o sumo sacerdote de fato passava todos os pecados e iniquidades dos filhos de Israel para o bode emissário impondo as mãos sobre sua cabeça. ‘Imposição de mãos’ quer dizer ‘passar, transferir ou enterrar’.
O Dia da Expiação no Antigo Testamento representava que o próprio Senhor havia preparado um método, uma forma de apagar todos os nossos pecados. E quando chegou a hora, ele veio em pessoa a esta terra e recebeu todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista, o representante de toda a humanidade. Melhor dizendo, o Senhor mesmo preparou uma forma de apagar nossos pecados e disse que nos tornaria justos fazendo isso de uma vez por todas. Eu quero dizer novamente que não há nada que o homem possa fazer por si mesmo para apagar seus pecados.
Está escrito: “E porá a sua mão sobre a cabeça da oferta da expiação do pecado, e a degolará no lugar do holocausto. Depois o sacerdote com o seu dedo tomará do seu sangue, e o porá sobre as pontas do altar do holocausto; e todo o restante do seu sangue derramará à base do altar” (Levítico 4:29-30). Deus diz aqui que a oferta da expiação tinha que ser degolada no lugar do holocausto. Quando alguém passava pelo portão do Tabernáculo, a primeira coisa que ele encontrava era o altar do holocausto. Era ali que os animais que eram oferecidos a Deus eram queimados. Era ali também onde os pecados eram passados para o holocausto, o lugar do juízo. Quando um sacrifício comum era oferecido, o pecador tinha que passar seus pecados para o holocausto impondo as mãos sobre sua cabeça, degolá-lo para derramar seu sangue, e entregar este sangue ao sacerdote. Este, por sua vez, passava o sangue no altar de ofertas queimadas e derramava o restante no chão.
Depois o animal sacrificado era cortado em pedaços e queimado no altar do holocausto. E este era o sentido da oferta queimada para o pecador: ao invés de morrer por ser pecador, este animal receberá meus pecados e morrerá por mim diante de Deus. O que aconteceria se fôssemos julgados? O que aconteceria aos pecadores se eles fossem julgados por seus pecados? Do que adiantaria nascer nesta terra se todos os pecadores no fim fossem condenados por seus pecados? Por que também precisaríamos do universo e tudo que nele há? Sem a nossa existência, o universo e tudo que nele há não teriam sentido algum. É por causa da nossa existência que tudo no universo precisa existir; e Deus precisa disso também.
Quem então tirou nossos pecados nos dias do Novo Testamento e foi condenado por eles em nosso lugar? Foi o Senhor que fez tudo isso. Assim como uma cabra sem defeito recebia os pecados do povo e morria no altar do holocausto, Jesus tirou todos os pecados do mundo de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista. E como Deus disse que o salário do pecado é a morte, ele levou todos os nossos pecados ao ser batizado. E nós tivemos alguma participação nisso tudo? Não, foi o Senhor que fez tudo sozinho para apagar nossos pecados. Nunca fizemos nada. Por isso que é pela graça e dom de Deus que recebemos a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito.
 
 

Só podemos ser salvos dos nossos pecados se crermos no evangelho da água e do Espírito

 
Não fizemos outra coisa além de pecar debaixo da lei de Deus desde que nascemos. Foi Deus que fez tudo para remir nossos pecados. Foi o Senhor que nos fez nascer nesta terra como seres muito fracos. Por que então ele levou todos os nossos pecados quando foi batizado? Para que nos tornássemos seus filhos e vivêssemos para sempre na glória do reino dos céus, no seu reino glorioso. E não fizemos nada para termos tudo isso. Foi o Senhor que fez tudo. Jesus levou todos os nossos pecados e foi condenado por eles na cruz para nos livrar da condenação. A cabra sem defeito aqui se refere justamente a Jesus Cristo. O que fizemos então? Absolutamente nada!
Até os 44 anos eu tentei conquistar algo neste mundo, mas não havia nada que eu pudesse fazer com minhas próprias forças. Mas o Senhor me deu a salvação através do evangelho da água e do Espírito e me salvou de todos os meus pecados. Ele permitiu que eu nascesse como um ser humano fraco, e como já sabia que eu iria pecar, o Senhor imaculado veio a este mundo para apagar todos os meus pecados. Jesus levou todos os meus pecados ao ser batizado por João Batista e foi condenado na cruz por mim. Eu não fiz nada para receber a salvação.
Do mesmo modo, não há nada que o homem possa fazer para receber a remissão de pecados. O que precisamos entender aqui é que somos salvos crendo no evangelho da água e do Espírito e iremos para o céu, mas isso não tem nada a ver com nosso esforço. O Senhor sozinho nos deu a salvação, permitiu que nascêssemos nesta terra, levou todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista e foi condenado por estes pecados na cruz. A única coisa que devemos fazer então é confessar com nossos lábios que Jesus é o Senhor da vida, que ele nos ama e nos deu a vida eterna. Não há outra coisa a fazer senão sermos gratos a ele. No passado, porém, pessoas faziam de tudo para receber a remissão dos seus pecados.
Durante a Idade Média, a Igreja Católica vendia indulgências e dizia que isso remia os pecados das pessoas. Eles diziam que a alma que estava no inferno ia para o céu na hora que alguém comprava a indulgência. Até hoje algumas pessoas são tolas e tentam receber a remissão de pecados pelas suas próprias forças através de orações de arrependimento, pois não conhecem o evangelho da água e do Espírito. Mas será mesmo que é possível receber a remissão de pecados fazendo orações de arrependimento ou jejuando? Claro que não. Todas as doações e ofertas que os cristãos fazem na igreja são para aumentar o templo ou construir templos suntuosos. Há templos suntuosos no mundo inteiro.
Isso tudo acontecia no passado e está acontecendo hoje também. Se fosse possível receber a purificação de pecados e entrar no reino dos céus dando ofertas, seria preciso crer no evangelho da água e do Espírito então? Como eu disse antes, por nós mesmos não podemos fazer nada para sermos salvos. A única coisa que podemos fazer é crer no evangelho da água e do Espírito. Nós nascemos neste mundo por causa do nosso esforço? Não. Na verdade, todos nós nascemos segundo o plano do Senhor. E a vontade de Deus se cumpre em nós quando recebemos a remissão de pecados no coração crendo na justiça do Senhor.
Vamos ler agora Levítico 4:31: “E o sacerdote fará expiação por ela, e ser-lhe-á perdoado o pecado”. O sacerdote tinha que fazer tudo conforme Deus mandou para purificar os pecados do povo. E o Senhor é o nosso Sacerdote espiritual. Por isso que o chamamos de Sumo Sacerdote celestial. E este Sumo Sacerdote Espiritual salvou seu povo dos seus pecados ao oferecer seu próprio corpo a Deus.
Está escrito: “E tirará toda a sua gordura, como se tira a gordura do cordeiro do sacrifício pacífico; e o sacerdote a queimará sobre o altar, em cima das ofertas queimadas do Senhor; assim o sacerdote por ele fará expiação dos seus pecados que cometeu, e ele será perdoado” (Levítico 4:35). As pessoas comuns só recebiam a remissão de pecados quando o sacerdote passava o sangue da oferta de sacrifício nas pontas do altar de ofertas queimadas, tirava sua gordura e a queimava no altar em favor do povo. O sumo sacerdote terreno era uma figura de Jesus Cristo, que é o Senhor e o próprio Deus. Como Sacerdote, o Senhor recebeu todos os nossos pecados ao ser batizado e morrer na cruz.
Alguém consegue deixar de pecar se determinar isso na sua vida e se preparar muito bem? Claro que não. Resolver não pecar em si é uma atitude muito nobre, só que Deus nos criou como simples seres humanos que não podem evitar o pecado por mais que queiram fazer isso. A verdade é que Deus criou o homem como um ser imperfeito. Para quê? Para que só pudéssemos ser salvos pela fé no evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Jesus Cristo. Deus nos criou como seres imperfeitos para tornar justos os pecadores, fazer com que fôssemos um povo santo, e vivêssemos para sempre com ele no reino dos céus.
Efésios 1:4 diz: “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor”. Isso quer dizer que Deus fez com que nascêssemos como seres fracos porque já havia planejado a vinda de Jesus Cristo a este mundo para apagar todos os nossos pecados e nos tornar pessoas perfeitas. Por isso que Deus fez que nascêssemos como seres imperfeitos. Temos algo a reclamar de Deus então? Claro que não. Todo aquele que fica se perguntando: “Por que Deus o fez como um ser tão miserável” – na verdade está desafiando o Criador. Eles devem ficam pensando também: “Por que meus pais me deram à luz? Já que fizeram isso, agora eles têm que me tratar muito bem e deixar uma grande herança para mim.” Podemos até dizer isso para nossos pais terrenos, mas será que podemos dizer isso ao Deus que nos criou? Será que podemos dizer a ele: “Por que tu me criaste tão fraco? Tu deverias ter me criado forte para que eu não cometesse mais nenhum pecado se decidisse não mais pecar.”
No entanto, só podemos nos tornar preciosos filhos de Deus pela fé no evangelho da água e do Espírito justamente porque ele criou o ser humano imperfeito. Os anjos jamais poderão ser filhos de Deus. E foi o Criador que quis assim. Pode um copo dizer que ao invés de ser um copo agora quer ser um prato? Não, pois os copos são feitos segundo a vontade do seu criador. Se ele decidir fazer um copo de barro para beber água, o copo não pode reclamar. O mesmo princípio se aplica ao propósito pelo qual Deus nos criou.
Ao levar sobre si nossos pecados e ser condenado por eles, o próprio Deus apagou todos eles de uma vez por todas. O próprio Deus nos salvou de todos os nossos pecados ao levá-lo sobre si e ser condenado por eles de uma vez por todas. E como ele determinou que só receberia a remissão de pecados quem cresse no evangelho da água e do Espírito, como podemos negar isso? Devemos reclamar porque Deus só permite que entremos no seu reino se tivermos fé na sua justiça? Pelo contrário, temos que ser gratos a ele e crer no evangelho da água e do Espírito.
Algum tempo atrás, eu tive a oportunidade de visitar a Universidade de Gangwon e ver uma exposição de arte. A irmã Heo me convidou para a exibição, pois foi organizada por um amigo dela. Então eu vi ali um quadro cujo título era “Tudo isso já foi predestinado antes?” O quadro retratava o céu de um lado e o inferno do outro. Algumas pessoas acham que já está determinado quem vai para o céu e para o inferno, e acham isso algo irracional. Mas o que eu quero dizer aqui é que Deus não criou o homem para mandá-lo para o inferno.
Como vemos no texto bíblico deste capítulo, tudo que as pessoas comuns tinham que fazer quando queriam receber a remissão de pecados era reconhecê-los, depois passá-los para uma cabra sem defeito pela imposição de mãos, degolá-la e dar seu sangue ao sacerdote. A cabra então recebia todos os seus pecados e derramava seu sangue por elas; seu gordura era queimada no altar de ofertas queimadas e o resto enterrado fora do arraial. Tudo isso era feito com a cabra em favor das pessoas comuns, pois elas mesmas não podiam fazer nada. Tudo que elas tinham a fazer era crer na Palavra de Deus e obedecê-la.
Há pouco eu falei sobre o que vi escrito num quadro. Eu escrevi algo ao lado dele, mas não me lembro bem o que foi. Acho que escrevi algo assim: “Deus não ama algumas pessoas e odeia outras. Muito menos criou algumas para entrar no céu e outras para mandar para o inferno. Todo aquele que crê na sua justiça se torna um justo, pois o inferno foi feito justamente para aqueles que desafiam esta justiça. Para mim, Deus não criou o inferno apenas para algumas pessoas em particular.
Mas para quem ele criou o inferno então? Ao lermos o livro de Apocalipse, vemos que o diabo é que será lançado no abismo. Como você sabe, ele é um anjo que caiu da graça. E ele caiu porque desafiou a justiça de Deus e tentou ser maior do que ele. Os anjos estão bem abaixo de Deus, pois foram criados por ele com muita honra. Apesar disso, um deles desafiou a Deus e tentou ser maior do que ele. Foi aí que Deus criou o inferno e disse a Satanás: “Você será exaltado acima dos céus? Na verdade você será lançado no Hades.”
Como os anjos que são seres espirituais, Deus criou o homem como um ser muito glorioso também. E ele nos deu uma personalidade e o livre arbítrio. Palavras não podem descrever como sou grato por ele ter criado seres tão preciosos e usá-los na sua valiosa obra. Como pode alguém desafiar a justiça de Deus então? Como pode uma simples criatura desafiar Deus, o Criador? Por mais que o homem seja capaz de realizar grandes feitos, que grandiosidade há nele? A ciência da computação está tão avançada que hoje já existe inteligência artificial. Já vemos até computadores controlando o homem em filmes de ficção científica. No entanto, por mais que a ciência da computação esteja avançada e a capacidade dos computadores tenha aumentado sobremaneira, ele sempre será um computador, mas nunca o criador. Melhor dizendo, o computador nunca será melhor que o ser humano. Por mais capaz que seja um computador, ele é um filho gerado pelo homem, algo criado por ele, que não existe por si mesmo. Quem fez o homem então? Foi Deus. Foi o Senhor que nos fez, que nos criou e cumpre em nós todas as coisas.
Podemos ser salvos apenas nos ajoelhando e fazendo orações de arrependimento? Alguns se iludem por achar que podem receber a remissão de pecados se forem para a igreja, se ajoelharem e clamarem a Deus em lágrimas: “Senhor, eu pequei. Por isso te peço que me perdoe.”
Mas se fosse assim, por que uma cabra sem defeito tinha que morrer, como lemos no texto bíblico deste capítulo? Se Deus perdoasse nossos pecados assim, uma cabra sem defeito não precisaria morrer pelo pecador então. Sempre que as pessoas comuns pecavam, elas tinham que dizer a Deus: “Senhor, me perdoe porque eu pequei. Me perdoe.” Se pudéssemos receber perdão implorando assim, por que uma cabra sem defeito tinha que morrer derramando seu sangue e ser queimada no altar do holocausto? E por que o sacerdote tinha que trabalhar tanto para cumprir suas funções? O que eu quero enfatizar aqui é que não podemos receber a remissão de pecados apenas por palavras. Só porque dizemos a Deus que perdoe nossos pecados e os afaste de nós, isso não significa que ele fará vista grossa quando pecarmos. Deus é o Deus da verdade, e por isso não pode tolerar o pecado. Há duas coisas que o Deus onisciente e onipotente não pode fazer: uma é mentir, e a outra é deixar o pecador sem castigo. Ele fez seu próprio Filho tirar os pecados do mundo e morrer na cruz. Embora seja o Deus de amor, ele não tolera o pecado. Isso porque ele é um Deus santo. Foi por esta razão também que o Senhor levou sobre si todos os nossos pecados, foi condenado por nós, ressuscitou dos mortos e nos deu a remissão de pecados. E é pela fé neste evangelho que somos salvos.
Muitos cristãos fazem orações de arrependimento em vão, mas dizem que receberam ‘o dom do arrependimento’. Mas o que é este dom do arrependimento exatamente? É uma grande bobagem. Você precisa estar atento a estas mentiras. Você pode até pensar pela razão e se perguntar: “Que pecado eu cometi contra Deus?”
Quando alguém oferecia uma oferta pelo pecado, um animal tinha que ser sacrificado, seus rins removidos, e junto com eles sua gordura era queimada no altar do holocausto. E o que isso significa? A função principal dos rins é filtrar toda a sujeira do sangue. Temos que ver no que erramos com Deus, reconhecer nossos pecados e filtrá-los como fazem os rins. Também temos que admitir que não podemos escapar da condenação pelos nossos pecados, mas que o Senhor foi condenado por eles em nosso lugar. Só assim poderemos receber a remissão de pecados.
É muito importante entendermos que as pessoas comuns de Israel recebiam a remissão de pecados quando uma cabra sem defeito era sacrificada em seu lugar. Também temos que entender muito bem que elas não poderiam receber a remissão de pecados se apenas se ajoelhassem e clamassem. O chamado ‘dom do arrependimento’ e o ‘dom das lágrimas’ não passam de histórias inventadas dentro de um Cristianismo corrompido. É de cortar o coração ver algumas pessoas que dizem ter recebido o dom das lágrimas; só que elas não têm motivo algum para chorar. Na verdade, elas só estão colocando para fora sua frustração perante o Senhor por algum infortúnio que tiveram neste mundo.
Ninguém, entretanto, pode receber a remissão de pecados indo à igreja e se derramando em lágrimas. O Senhor não perdoa seus pecados só porque você está chorando. Você pode chorar sem parar que ele não vai fazer isso. Só podemos receber do Senhor a remissão de pecados quando o salário por eles é pago com a morte. Sangue tem que ser derramado. Mas seria em vão se morrêssemos para conseguir isso. Deus preparou uma oferta de sacrifício, e só recebemos a remissão de pecados quando, pela imposição de mãos, passamos todos eles pela fé para o holocausto. O holocausto era condenado então pelos nossos pecados e resolvia tudo para nós. E é crendo nesta verdade que recebemos a salvação. Mas infelizmente o Cristianismo se distanciou tanto da verdade hoje em dia que virou uma superstição.
Muitos pastores atualmente consideram seu ministério apenas uma ocupação ou profissão. Por exemplo, quando um pastor que não nasceu de novo faz uma pregação, é como um barbeiro fazendo seu trabalho. O barbeiro vive de cortar cabelo, e o pastor vive por mentir. Os dois são iguais. Todo pastor que não nasceu de novo é igual um vendedor.
 
 
Quando o Senhor levou os pecados do mundo?
 
Vamos ler agora Mateus 3:13-17 : “Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. A Palavra ‘então’ no início do texto se refere a quando Jesus fez 30 anos. Nos dias do Antigo Testamento, nenhum sacerdote podia assumir o ministério antes dos 30 anos. Jesus disse a João Batista para batizá-lo e João lhe disse: “Como um homem miserável como eu pode batizá-lo? Eu é que deveria ser batizado por ti.” Mas Jesus foi firme com ele e disse: “Deixa por agora”; ou seja, me batize. E João assim permitiu.
Jesus disse: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça”, e a frase “toda a justiça” no texto original, ou seja, no grego é “δικαιοσυνην (dik-ah-yos-oo’-nayn)”. Seu significado é ‘o mais adequado, o mais correto, o mais justo’. Em outras palavras, o mais correto era João batizar Jesus. Mas por que o Senhor fez questão de ser batizado só por João Batista? Porque João era o representante de toda a humanidade.
Ao lermos Mateus 11:11-13, vemos Jesus dizendo: “Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João o Batista; mas aquele que é o menor no reino dos céus é maior do que ele. E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele. Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João”. Então, Jesus mesmo deixou bem claro que o representante de toda a humanidade não é outro senão João Batista. Antes de enviar Jesus como havia prometido, Deus enviou o representante da humanidade, que cumpriria a função nesta terra de último sumo sacerdote do Antigo Testamento. E este homem era João Batista. E ao ser batizado por ele foi que Jesus levou sobre si todos os nossos pecados. O Senhor disse a João: “É assim que nos convém cumprir toda a justiça. O certo é que você me batize, que eu seja batizado por você para tirar os pecados de todo mundo e expiá-los.”
Deus criou um método para que as pessoas comuns do Antigo Testamento recebessem a remissão de pecados: eles deveriam impor as mãos sobre uma cabra sem defeito e assim passar seus pecados para ela. E foi do mesmo modo que no Novo Testamento Jesus levou os pecados de todos ao ser batizado por João Batista. Foi assim que ele fez expiação por nos, tirou todos os nossos pecados e foi condenado por eles em nosso lugar. É isso o que significa a expiação de pecados e a maneira que Deus nos tornou sem pecado. Melhor dizendo, Jesus recebeu todos os pecados do homem ao ser batizado no rio Jordão. O rio Jordão bate na cintura, e foi justamente aí que Jesus foi imerso quando foi batizado.
Jesus disse a João Batista quando o procurou: “Você tem que me batizar.” No que ele disse a Jesus: “Eu sou o representante da humanidade, mas tu não és o representante do reino dos céus? Como posso batizá-lo então?” Mas o Senhor disse: “Deixa por agora, pois assim você passará todos os pecados. Este é o modo mais apropriado de apagar os pecados do mundo. Eu não prometi isso no Novo Testamento? Então tem que ser feito deste jeito.” Então João Batista impôs as mãos sobre a cabeça de Jesus, como todos os sumos sacerdotes faziam no passado. Esta foi a maneira mais correta pela qual o Senhor poderia receber nossos pecados.
Por mais que tentássemos, não conseguiríamos nos livrar dos nossos pecados. Por isso que o Senhor veio a esta terra e recebeu todos eles sobre si para apagá-los da maneira mais correta. Depois então, ele morreu crucificado. Ele só foi à cruz três anos após ter recebido nossos pecados. Um dia após Jesus ter recebido todos os nossos pecados ao ser batizado, João o viu e testificou sobre ele dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” Após receber os pecados do mundo, o Senhor os levou à cruz. Ele levou todos os nossos pecados à cruz após ter levado-os sobre si.
Assim como uma cabra sem defeito recebia os pecados das pessoas comuns de Israel e morria em seu lugar derramando seu sangue, Jesus também recebeu nossos pecados, levou-os à cruz e foi condenado por nós. Por isso que ele diz em João 19:30: “Está consumado!” Após dizer isso, Jesus faleceu e o véu do Templo foi rasgado de cima abaixo. Isso significa que ele realizou a remissão de pecados por completo; algo que não podia ser conseguido nem com clamor ou arrependimento. Foi isso o que Jesus fez quando veio a esta terra, foi batizado por João Batista e morreu na cruz. O Senhor salvou todos que creram de coração que foi assim que ele apagou todos os pecados do mundo e fez deles seus filhos.
Tudo isso foi feito pelo Senhor; nós não fizemos nada. É absolutamente impossível um pecador se livrar da condenação. E isso não pode ser alcançado com clamor ou arrependimento também, como diz o hino: “Chorar não nos liberta. Lágrimas não nos tornam justos ou nos fazem entrar no céu. Nenhum esforço nosso ou virtude pode nos salvar”.
Mas e você? Você também crê que por si mesmo não pode fazer nada para ser salvo? O que o homem fez para merecer a salvação? Podemos realmente deixar de pecar se nos esforçarmos bastante? Não, isso é impossível. Mas não estou dizendo aqui que devemos nos sentir livres do pecado. Ao contrário, o que quero dizer é que não podemos esquecer que foi o Senhor que tirou todos os pecados do mundo. Ele levou sobre si todos os pecados do mundo da maneira mais correta, sendo batizado. Jesus aceitou todos os pecados do mundo justamente porque, até a morte, não teríamos como evitar o pecado. Ele fez isso para nos tornar plenos, a fim de que recebêssemos a remissão de todos os nossos pecados pela fé.
Eu quero enfatizar bem aqui que não há nada que podemos fazer para merecer isso. Não recebemos a remissão de pecados por algo que fazemos, mas porque o Senhor fez por nós. Também é ele que nos torna justos, nos faz nascer de novo, nos dá a vida eterna e nos abençoa para entrarmos no céu. O fato de estarmos vivos respirando é porque o Senhor nos dá o oxigênio. Nada vem de nós então. Deus nos exorta a pregar seu evangelho e seu amor. Ele nos confiou a tarefa de fazer com que todos recebam a remissão de pecados; por isso que nos mandou pregar o evangelho.
O Senhor mesmo nos salvou e deixará entrar no céu todos que foram abençoados por ele e se tornaram justos. Jesus fez tudo isso. E é pela sua graça que somos salvos, abençoados, nos tornamos obreiros de Deus e vamos para seu reino eterno. Tudo isso é dom de Deus, e não algo que recebemos como recompensa pelo nosso esforço. Tudo vem da graça de Deus. Ele nos vestiu com seu infinito amor e sua graça. E vivemos na sua presença por causa do seu amor. Eu sou muito grato ao Senhor e o adoro por tudo que fez por nós.