คำสอน

Assunto 24: Sermões para Aqueles que são Nossos Colaboradores

[24-66] Temos que viver neste mundo pela fé (Gênesis 34:1-17)

(Gênesis 34:1-17)
“E saiu Diná, filha de Leia, que esta dera a Jacó, a ver as filhas da terra. E Siquém, filho de Hamor, heveu, príncipe daquela terra, viu-a, e tomou-a, e deitou-se com ela, e humilhou-a. E apegou-se a sua alma com Diná, filha de Jacó, e amou a moça, e falou afetuosamente à moça. Falou também Siquém a Hamor, seu pai, dizendo: Toma-me esta por mulher. Quando Jacó ouviu que fora contaminada Diná, sua filha, estavam os seus filhos no campo com o gado; e calou-se Jacó até que viessem. E saiu Hamor, pai de Siquém, a Jacó, para falar com ele. E vieram os filhos de Jacó do campo; e, ouvindo isso, entristeceram-se os varões e iraram-se muito, pois aquele fizera doidice em Israel, deitando-se com a filha de Jacó, o que não se devia fazer assim. Então, falou Hamor com eles, dizendo: A alma de Siquém, meu filho, está namorada da vossa filha; dai-lha, peço-vos, por mulher. Aparentai-vos conosco, dai-nos as vossas filhas e tomai as nossas filhas para vós; e habitareis conosco; e a terra estará diante da vossa face; habitai, e negociai nela, e tomai possessão nela. E disse Siquém ao pai dela e aos irmãos dela: Ache eu graça a vossos olhos e darei o que me disserdes. Aumentai muito sobre mim o dote e a dádiva, e darei o que me disserdes; dai-me somente a moça por mulher. Então, responderam os filhos de Jacó a Siquém e a Hamor, seu pai, enganosamente, e falaram, porquanto havia contaminado a Diná, sua irmã. E disseram-lhes: Não podemos fazer isso, que déssemos a nossa irmã a um varão não circuncidado; porque isso seria uma vergonha para nós. Nisso, porém, consentiremos a vós: se fordes como nós, que se circuncide todo macho entre vós; então, dar-vos-emos as nossas filhas, e tomaremos nós as vossas filhas, e habitaremos convosco, e seremos um só povo. Mas, se não nos ouvirdes e não vos circuncidardes, tomaremos a nossa filha e ir-nos-emos”.
 
 
O marco da fé
 
Hoje temos levado uma vida espiritual porque fomos salvos do pecado crendo no evangelho da água e do Espírito que o Senhor nos deu. A partir de agora então, devemos amar mais a Deus do que o mundo. Eu tenho exortado vocês a não amar o mundo, mas sei que para alguns de vocês isso talvez não seja tão fácil. De uma forma ou de outra, todos são teimosos, e é aí que está o problema. Talvez vocês estejam teimando em viver segundo seus próprios desejos.
Eu quero deixar algo bem claro aqui: se os crentes no evangelho da água e do Espírito amarem mais o mundo do que a Deus, seu coração e seu corpo serão corrompidos, e no fim acabarão sofrendo muito. Todos que foram salvos do pecado crendo na justiça de Jesus estão bem cientes da salvação que receberam. Eles não podem deixar de crer de coração na justiça do Senhor. Depois que somos salvos, nossa fé não pode se tornar uma prática religiosa apenas. Melhor dizendo, se vocês receberam mesmo a remissão de pecados em seu coração crendo na justiça do Senhor, de agora em diante vocês devem amar mais a Deus do que o mundo. Isso deve estar bem claro para vocês.
Na verdade, nossa fé tem que ser bem clara na nossa vida cristã. Até hoje quando andamos nos campos podemos ver sinais de marcação, como blocos de concreto, que indicam uma linha divisória – isso é um marco. Em outras palavras, o marco é o que determina os limites de uma propriedade.
Os crentes no evangelho da água e do Espírito, do mesmo modo, devem traçar uma linha divisória em seu coração respondendo a seguinte pergunta: “Eu faço parte do povo de Deus ou das pessoas deste mundo?” A Bíblia faz referência a isso citando a circuncisão, que é chamada de circuncisão espiritual, e dizendo que os nascidos de novo são os santos que foram circuncidados no coração.
 
 
Diná saiu para conhecer o mundo
 
A personagem principal do texto bíblico deste capítulo é Diná, filha de Leia e Jacó. Havia pouco tempo que seu pai havia deixado seu tio e se estabelecido nas terras de Hamor, príncipe dos heveus. Jacó vivia em paz naquela época, pois havia construído uma casa para sua família e currais para o seu rebanho. Mas apesar de ter muitos filhos, ele só tinha uma filha, Diná.
Como seu pai havia deixado a casa de seus parentes e construído uma casa nova em terra estranha, Diná ficou curiosa para conhecer as pessoas ali e conhecer sua cultura. Ela queria conhecer os costumes do povo vizinho, como eles pareciam e qual era sua religião. Então ela saiu e foi passear em terra estrangeira. Mas Siquém, filho do chefe da tribo, se apaixonou por ela assim que a viu. Diná ficou maravilhada com o mundo lá fora quando o conheceu, mas acabou sendo levada por Siquém e violentada por ele. Algo importante a frisar aqui é que Siquém amava Diná, e ela mesma também gostava dele.
Os dois então resolveram se casar, mas para isso precisaram da permissão da família de ambos. Pelo lado do noivo, Siquém já estava preparado para casar, pois era rico e poderia dar o dote exigido pela família de Diná. Até hoje em dia no Oriente Médio o noivo tem que dar um dote para se casar com sua noiva. Neste ponto, os jovens na Coreia têm muita sorte. Se morassem no Oriente Médio, eles só poderiam se casar se fossem ricos. No caso de Siquém, ele já tinha tudo que precisava para se casar.
Mas e a família de Diná, ou seja, a família de Jacó? Já que criam no Senhor Deus, eles não podiam se casar com gentios. Na verdade, eles eram uma família santa que cria em Jeová e Diná era a única filha que tinham. Então, nenhum interesse ou vantagem material era suficiente para que um gentio se casasse com um membro da família de Jacó. Isso porque eles não tinham fé em Jeová como seu Deus.
Jacó irou-se ao saber que sua filha havia sido violentada, mas como habitava em terra estranha, nada pôde fazer a respeito. Então esperou que seus filhos voltassem de apascentar seus rebanhos. Quando eles voltaram à noite, Jacó reuniu toda a família e disse: “Sua irmã Diná foi conhecer a terra estrangeira e isso aconteceu. O que devemos fazer?” Quando os irmãos de Diná ouviram isso, eles iraram-se tanto que queriam exterminar toda a tribo de Siquém. Então impuseram uma condição à tribo de Siquém e exigiram que todos fossem circuncidados para que ele pudesse se casar com sua irmã. Eles disseram: “Como somos o povo de Deus, ninguém da nossa tribo pode se casar com um gentio. Mas se você for circuncidado, daremos nossa irmã a você.”
Quando um homem era circuncidado naqueles dias, a dor era tão grande que ele precisava ficar parado por três dias sem poder se mover direito. Hoje o procedimento não causa tanta dor por causa do avanço na medicina. Mas antigamente o procedimento era muito doloroso porque o prepúcio era cortado com uma faca afiada feita de pedra. Era algo comum então o circuncidado ter uma infecção ao terceiro dia e sentir tanta dor a ponto de não poder se mexer.
Os filhos de Jacó mentiram para Siquém e seu pai Hamor, príncipe dos heveus, dizendo que todo homem da tribo tinha que ser circuncidado para se casar com as moças da sua família. Então eles aceitaram a proposta e foram circuncidados. Mas três dias depois que todos foram circuncidados e estarem com muita dor, os filhos de Jacó pegaram suas espadas e mataram todo homem da tribo que não conseguia se levantar. Foi assim que os filhos de Jacó mataram todos os homens heveus, inclusive Siquém.
Jacó só tinha doze filhos naquela época. E mesmo se contássemos os servos, este número não aumentaria muito. E como tinha deixado seu tio há pouco tempo, ele também não tinha muitos netos. A situação de Jacó ficou tão difícil que sua família seria exterminada se seus inimigos se levantassem para atacá-los.
 
 
Os filhos de Deus não podem se casar com gentios
 
Amados irmãos, isso não é apenas uma história. Deus nos ensina através deste relato uma verdade espiritual sobre a fé. E que verdade é esta? O próprio estatuto de que os filhos de Deus jamais devem se casar com gentios. E se alguém desobedecer à vontade de Deus e fizer isso, ele estará traindo a própria justiça de Deus.
Enquanto os espíritos malignos operam na vida daqueles que ainda não nasceram de novo, o Espírito Santo trabalha na vida dos nascidos de novo. E é o Espírito Santo que fortalece os crentes no evangelho da água e do Espírito, faz com que eles orem a Deus e também lhes dá coragem espiritual. Por isso que o Espírito Santo que habita naqueles que creem no evangelho da água e do Espírito e nasceram de novo é completamente diferente dos espíritos malignos que habitam naqueles que não nasceram. Portanto, até os fiéis terão muitos problemas se casarem com quem tem um outro espírito. Pior ainda, eles se sentirão tão cansados que não conseguirão travar batalhas espirituais em sua vida. Embora os crentes no evangelho da água e do Espírito não odeiem os ímpios, eles nos odeiam muito. A Bíblia diz que o ladrão vem para roubar, matar e destruir (João 10:10). E como este ladrão, o desejo dos que ainda não nasceram de novo é matar os que nasceram. Vocês precisam entender isso muito bem. Por isso que quem nasceu de novo crendo no evangelho da água e do Espírito jamais pode viver em paz com os que não nasceram.
Todos precisam ser circuncidados no coração e viver como um santo circuncidado espiritualmente. E ser circuncidado espiritualmente no coração significa que todos os pecados do coração foram purificados pelo evangelho da água e do Espírito. “Será que eu pertenço mesmo ao povo de Deus que crê no evangelho da água e do Espírito? Ou eu não faço parte do povo de Deus nem das pessoas deste mundo, mas estou preso no meio?” Deus nos diz que devemos traçar uma linha divisória em nosso coração sobre este assunto. Em outras palavras, ele está nos dizendo que devemos crer no evangelho da água e do Espírito de coração.
O que acontecerá se vivermos como as pessoas do mundo apesar de termos recebido a remissão de pecados e nascido de novo no evangelho da água e do Espírito? Melhor dizendo, o que acontecerá se pensarmos assim? “Qual a diferença entre nós e os cristãos que confessam Jesus e têm certeza da sua salvação?” Aquele que pensa assim ainda não traçou a linha divisória da salvação em seu coração. Deus não tolera uma fé impura como esta e muito menos se agrada dela. Para ser sincero, estas pessoas não foram salvas apesar de confessar com seus próprios lábios que creem no evangelho da água e do Espírito. O que Deus está nos dizendo aqui é que devemos crer no evangelho da água e do Espírito de coração e ter uma fé inabalável em nossa vida.
 
 

Sua fé tem que ser clara o bastante para que você saiba se pertence ao povo de Deus ou ao povo do diabo

 
“Você faz parte do povo de Deus ou do povo do diabo? Você é apenas um religioso que crê em Jesus como uma questão de justiça moral mas não tem nada a ver com os nascidos de novo?” É sobre isso que Deus quer que tracemos uma linha divisória bem clara para demarcarmos nossa fé.
Quando o povo de Israel estava prestes a entrar na terra de Canaã sob a liderança de Josué – ou seja, antes de destruir Jericó e entrar em definitivo na terra prometida – o rio Jordão era o marco da sua fronteira. E quando os israelitas cruzaram o rio Jordão, era época da colheita de trigo, e isso significa que eles estavam no auge da estação chuvosa. Nesta época o rio Jordão transbordava e era impossível atravessá-lo. Deus então disse a Josué: “Faça com que os sacerdotes levem a arca do Senhor Deus e entrem no rio Jordão antes de todo o povo. Então o rio não mais fluirá. E quando isso acontecer, como foi com o Mar Vermelho, faça o povo de Israel passar.” Este foi um evento histórico que ficou gravado no coração de todo israelita.
Amados irmãos, nossa vida de fé deve ser como este evento no rio Jordão. Assim como Deus dividiu suas águas, temos que traçar uma linha bem clara em nosso coração. “Nós somos filhos de Deus e seu povo.” Devemos ter esta fé o tempo todo. Mas é claro que não há problema algum se negociarmos com alguém deste mundo que ainda não nasceu de novo. Mas é impossível fazer a obra de Deus com esta gente, pois isso deixa os nascidos de novo esgotados. Por isso que Deus nos disse que não devemos nos envolver com os idólatras. E já que ele nos disse isso, por que iríamos nos unir àqueles que não nasceram de novo e trabalhar com esta gente?
O que Deus nos diz hoje é que devemos ter uma fé inabalável e crer na sua justiça de todo o coração. A fé que temos na justiça de Deus deve estar bem clara em nosso coração. “Eu faço parte do povo de Deus. E apesar de estar aqui com você, eu não faço parte desta tribo. Minha raiz é totalmente diferente da sua.” Esta é a fé que devemos ter.
Amados irmãos, o povo de Israel, os filhos de Deus, não podem se casar com os de outras tribos. Aquele que nasceu de novo espiritualmente não pode se casar e viver com alguém que ainda não nasceu. A fé que temos na justiça de Deus é muito diferente da fé comum das pessoas deste mundo. A fé com que cremos em Deus é verdadeira, pois nos leva a crer na sua justiça. A Palavra de Deus nos aconselha a não casar com quem ainda não nasceu de novo; e isso deve estar bem claro para nós e gravado no fundo do nosso coração. Se os nascidos de novo tentarem se adaptar e viver com alguém que ainda não nasceu de novo, no fim eles não conseguirão mais viver com esta pessoa ou ter comunhão com ela. E não haverá nenhuma comunhão entre eles porque seu coração estará turbado. E por mais que os nascidos de novo façam concessões para manter um bom relacionamento, quando eles ouvirem o que dizem os que não nasceram de novo, eles acharão tão ridículo e absurdo que será impossível continuar com eles.
 
 

Os que creem no evangelho da água e do Espírito fazem parte do povo de Deus

 
Nós que cremos no evangelho da água e do Espírito podemos discutir entre nós para ver quem é melhor ou pior, mas todos nós somos muito melhores do que os que ainda não nasceram de novo. Os judeus, o povo de Israel, consideram os gentios como cães. E também não é soberba da nossa parte considerar os que ainda não nasceram de novo – ou seja, os que ainda não fazem parte do povo de Deus – como pecadores. A Palavra pecador se refere àquele que ainda não foi salvo dos seus pecados. Sendo assim, todos neste mundo que ainda não nasceram de novo são de fato pecadores.
“Eu nasci de novo, faço parte do povo de Deus e sou muito diferente dos pecadores deste mundo.” Devemos ter convicção da nossa fé e crer no evangelho da água e do Espírito do fundo do coração sem duvidar. Ao invés de ficar apenas cogitando, devemos traçar uma linha divisória no nosso coração e crer que fazemos parte do povo de Deus e somos seus filhos. Por mais que nós que fazemos parte da Igreja de Deus pareçamos fracos e falhos, podemos ver que até mesmo as pessoas mais inteligentes deste mundo não podem prevalecer sobre o mais fraco entre nós. As pessoas deste mundo não têm como ser comparadas ao povo de Deus, assim como um cão não pode ser comparado a um leão, por mais que seja.
Deus nos salvou do mundo com o evangelho da água e do Espírito e agora nos diz: “Vocês agora são meus santos e meu povo. Vocês são meus filhos e eu, seu pai.” Por esta razão que somos ricamente abençoados. E é esta fé inabalável que deve haver em seu coração. Meu mais sincero desejo é que todos os santos creiam nisso em sua vida de fé. Não pensem que o evangelho da água e do Espírito é apenas um assunto intelectual. Eu peço a vocês que creiam neste evangelho de coração, pois com esta fé jamais serão tentados pelo mundo e cederão a ele. Se nós que nascemos de novo cedermos ao mundo, tanto nosso coração como nosso corpo com toda a certeza serão corrompidos.
Naturalmente é impossível não vivermos neste mundo. No entanto, apesar de fazermos parte de um mundo pecador, devemos estar nele apenas para pregar o evangelho da água e do Espírito. Em outras palavras, é pelo bem deste evangelho que devemos viver neste mundo.
 
 
O que causa ter curiosidade pelo mundo
 
Amados irmãos, Diná, filha de Jacó, ficou tão encantada com este mundo que saiu para conhecê-lo. A princípio ela nem ligava para isso, e se soubesse o que iria acontecer – ou seja, se soubesse que iria sofrer tanto por não poder se casar e ainda trazer tanta dor aos seus parentes e à sua família – ela nunca teria ido para o mundo.
Mas o que levou Diná a se aventurar pelo mundo? Foi a fascinação que ela tinha por ele. “As pessoas do mundo são diferentes do meu pai, da minha mãe e dos meus irmãos. Os homens aqui não falam como meus irmãos. A aparência deles também é outra.” Foi assim que Diná ficou fascinada com o mundo e as pessoas. E ao ver o mundo por esta ótica, ela se sentiu atraída e foi tentada por ele. No fim acabou aprisionada por ele e, por mais que quisesse se libertar dele, não conseguia. Mas o que aconteceu com Diná? Ao ir para o mundo, ela cometeu um grande erro e trouxe muito sofrimento ao seu pai e a toda a sua família, pois eles correram o risco de ser exterminados. Se não fosse a proteção de Deus, toda a casa de Jacó teria sido aniquilada. No entanto, como Deus decidiu multiplicar o povo de Israel através de Jacó, sua família foi protegida por ele. Caso contrário, todos teriam sido destruídos facilmente.
Na verdade, Diná não errou somente com sua família, mas com Deus também. E isso significa que apesar de entendermos uns aos outros na igreja de Deus, embora seja fraco, o povo de Deus acabará sendo corrompido se viver com os pecadores, e não num ambiente de fé. Por causa deste incidente envolvendo Diná, filha de Jacó, os filhos de Israel ficaram em alerta máximo.
 
 

Nenhum justo deve sair para passear no mundo

 
Por que o texto bíblico deste capítulo foi escrito desta maneira e o que ele nos ensina? O povo de Deus nascido de novo também tem desejos neste mundo, naturalmente. E este desejo é bem pequeno no início. Mas se ele crescer com o tempo, isso os levará a desejar o mundo. Então eles serão corrompidos por ele e acabarão perdendo tudo que possuem. Veja na Palavra aqui o que aconteceu. Diná, filha de Jacó, não perdeu mundo ao ir para o mundo? Por isso que os santos devem viver num ambiente de Deus e jamais ir passear no mundo para conhecê-lo, como fez Diná. Se isso acontecer, acabaremos tendo muitas perdas em nossa vida, e muitas delas podem ser irreversíveis. Esta é a verdade que Deus está nos ensinando aqui.
Como Satanás tenta os nascidos de novo? Ele procura iludi-los com o mundo. Primeiro ele oferece fama, depois aos poucos vai oferecendo prazer. A princípio parece não ter problema algum ceder um pouco às tentações de Satanás. Mas no fim sofreremos muito e teremos perdas irreversíveis por causa disso. É isso o que a Palavra está nos ensinando aqui.
Amados irmãos, para ser sincero, eu também fui dar uma espiadinha no mundo como Diná depois que tive um encontro com o Senhor. Eu quis conhecer o mundo. Só que pensei nas consequências do meu ato e cheguei à seguinte conclusão: “Eu fui salvo e agora quero dar uma voltinha no mundo. Assim eu vou acabar corrompendo meu corpo e coração, e ninguém na minha família será salvo. Nem mesmo meus próprios filhos serão salvos.” Eu percebi que se fosse para o mundo em busca de fama e fortuna, muitos que seriam salvos através de mim se perderiam. A verdade é que assim como havia muitas coisas para Diná ver nas ruas dos heveus, os salvos não conseguem controlar o desejo de conhecer as coisas deste mundo.
Vocês sabem o que minha mãe, que dirigia um grande grupo de oração, me disse quando eu tive um encontro com o Senhor? Ela disse que me daria um carro. Também me disse: “Se você quiser estudar fora do país, eu vou pagar seus estudos. Eu darei o que você quiser se você ficar aqui comigo. Se você precisar de dinheiro, eu darei a você todos os meus bens.” Esta foi a forma que ela usou para me tentar. Mas eu usei a Palavra de Deus para falar com minha mãe. Então ela me disse: “Isso no que você acredita está totalmente errado. Mas ainda assim eu quero que você trabalhe comigo na nossa denominação.” Mas eu disse a ela que não podia ficar com quem não havia nascido de novo. Eu deixei bem claro para ela que não podia ficar só porque tinha feito seminário ali, e que eu iria fundar minha própria igreja. Ela não resistiu então e me ameaçou. Ela disse que não me daria mais nenhum dinheiro se eu rejeitasse o que ela estava me oferecendo. Me disse também que eu poderia ir embora se quisesse, mas que não me daria mais nenhum dinheiro.
Muitos amigos naquela época me visitaram para me convencer a não fazer aquilo. Eles me disseram que eu tinha que voltar a razão e me deram alguns conselhos como este: “Não há nada errado com o que você diz e crê agora. Mas como as pessoas neste mundo receberão esta Palavra tão clara e crerão nela sem duvidar? Apesar de não estar errado, você é tão direto que ninguém vai querer ficar na sua igreja. E os pastores da sua igreja também ficarão ofendidos. Volte atrás então, pois isso vai ser o melhor para você.”
Então eu disse aos meus amigos: “Eu agradeço seu conselho, mas não se preocupem comigo. Eu vou continuar servindo a Deus e não vou para o mundo. Então não se preocupem. Venham me visitar quando eu fundar minha igreja.” Mas eles me disseram: “Você não pode fazer isso com você mesmo.” E eu disse: “Não digam isso.” Foi assim que meus amigos me tentaram também.
No entanto, se eu tivesse ouvido seu conselho, meu coração se corromperia como Diná, que foi desonrada ao ser violentada. E minha fé também seria corrompida para o resto da minha vida. Mas depois de algum tempo, eu agradeci a Deus. Eu mantive minha fé na Palavra do Senhor, ele fez sua obra, todos os membros da minha família foram salvos, e o que parecia impossível se tornou possível.
 
 

Se os justos seguirem o mundo, eles perderão tudo física e espiritualmente

 
Eu quero exortá-los porque vocês nasceram de novo no evangelho da água e do Espírito. Mas não estou dizendo isso porque vocês amam o mundo. No entanto, o que acontecerá se vocês amarem o mundo e o segui-lo? Vocês sofrerão muito e seu corpo e coração irão perecer. É isso o que vai acontecer se vocês seguirem o mundo. Por isso que estou dizendo isso agora.
Alguns de vocês devem estar pensando: “Alguém só pode dizer algo assim no final da vida. E já que não é o caso dele, como ele pode dizer isso sobre o mundo então?” Só que se Deus me permitisse viver até os oitenta anos nesta terra e eu imaginasse como seria com esta idade, eu sei muito bem como seria minha vida. E ela seria exatamente no futuro como é agora. Os que creem no evangelho da água e do Espírito saberão como será seu futuro se aprenderem a Palavra de Deus e confiarem nela. Eles saberão tudo que vai acontecer sem ter que ir para o mundo e viver nele. Mas o que acontecerá se seguirmos o mundo? Perdemos tudo de material e espiritual que possuímos. Diná perdeu sua pureza virginal e espiritual, e não lhe restou nada.
É isso o que Deus está nos dizendo, que somos a noiva de Cristo. E é assim que Satanás nos tenta. Ele nos tenta aos poucos e no fim acaba nos devorando. Esta é a estratégia de Satanás. Por isso que Deus usou o exemplo de Diná para nos ensinar uma importante lição e não cairmos nas armadilhas do diabo.
Os nascidos de novo devem viver no ambiente propício para eles. E por mais que sua situação seja difícil, eles precisam crer em Deus de coração e viver pela fé. Você não terá a verdadeira fé se não crer de coração. E esta verdadeira fé só dá frutos quando cremos em Deus e o obedecemos em tudo com sinceridade de coração. Se tratarmos Deus como uma doutrina ou lidarmos com ele apenas na esfera intelectual, e não crermos nele de coração, viveremos de qualquer jeito e cedo ou tarde acabaremos perdendo tudo.
 
 
Quatro tipos de campos
 
O Senhor disse que há quatro tipos de campos. O primeiro fica à beira do caminho, o segundo é cheio de pedras, o terceiro tem espinhos e o quarto é um bom campo. O Semeador lançou as sementes à beira do caminho, mas os pássaros vieram e as comeram. Se você conhecer a Palavra de Deus apenas, mas não crer nela de coração, Satanás virá e devorará a sua fé. Melhor dizendo, apesar de conhecer a verdade quando ouve a Palavra a primeira vez, com o passar do tempo ela desaparece do seu coração. Então não lhe resta mais nada porque o diabo devora toda a sua fé.
O segundo campo de que a Bíblia fala é o pedregoso. Há terra num campo pedregoso, mas o problema são as muitas pedras que há no solo. E como o solo então é limitado, as sementes não criam raízes e as que germinam acabam morrendo por falta de água.
O terceiro campo é com espinhos. A princípio até que as sementes crescem bem nele, mas a sombra dos espinhos impede que a luz do sol as alcance e no fim elas acabam morrendo.
O quarto campo é bom. As sementes ali plantadas dão muitos frutos, sessenta, cem vezes mais. Este é o campo que crê na Palavra de Deus de coração. Ele representa o coração de quem crê na Palavra de Deus de todo o coração.
Todos nós caímos num destes quatro campos. E a maioria dos irmãos vive no terceiro campo, o campo com espinhos. No entanto, por mais que você esteja no campo com espinhos, somente ore a Deus e não se preocupe. Seja sincero e converse com seus líderes espirituais sobre seus problemas. Peça orientação a eles. Se envolva com a igreja. Se você não tem certeza do que deveria fazer devido à situação que está passando, busque se aconselhar com seus pastores. Amados irmãos, embora nossos pastores não sejam peritos neste campo, eles têm uma sabedoria fabulosa sobre as coisas de Deus, algo que vocês não possuem. Em outras palavras, eles são servos de Deus que sabem como conseguir tudo que vocês precisam. Por isso, se vocês confiarem nestes servos de Deus e se aconselharem com eles, seus problemas serão resolvidos na mesma hora. Agora, se vocês continuarem vivendo isolados, cheios de ansiedade e pensando: “Como eu devo viver? O que devo fazer em minha vida?” sua fé acabará perecendo. Ela vai morrer sem dar nenhum fruto porque você será sufocado pelos espinhos. Vocês estão entendendo?
Aqueles que estão no campo pedregoso, o segundo campo, até que creem em Deus, mas com o coração dividido. Melhor dizendo, eles só creem em Deus quando está tudo bem.
Amados irmãos, examinem a si mesmos agora para ver se o campo do seu coração está à beira do caminho, é pedregoso, tem espinhos ou é um bom campo. Os nascidos de novo não podem ser campos à beira do caminho ou pedregosos. Muito menos um campo com espinhos que não crê de coração. Mas é claro que mesmo que um nascido de novo seja como um campo com espinhos, ele de certa forma crê na Palavra da verdade. Afinal de contas, a semente foi plantada nele. Só que alguém assim não aceita a verdadeira Palavra de Deus em seu coração e não crê totalmente nela.
O campo bom, por sua vez, é aquele que crê em toda a Palavra de Deus de coração. Os que pertencem a este campo creem em tudo que ela diz, mesmo quando não entendem por completo. O Cristo ressurreto disse a Pedro certa vez: “Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis” (João 21:6). Embora isso não fizesse sentido algum na mente de Pedro, ele obedeceu e disse: “Eu farei como tu disseste.” Então lançou a rede segundo a palavra do Senhor e pegou 153 peixes. Os que creem na Palavra de Deus de todo o coração, mesmo quando não a entendem por completo em sua mente, são aqueles que têm um bom campo. Quando cremos assim é que a obra de Deus se realiza e tudo se cumpre.
Eu posso ver tudo que está se passando na vida dos nossos irmãos quando olho para eles. E nenhum deles está livre de algum problema. Alguns irmãos confiam em minhas palavras, as seguem e sempre buscam meu conselho. Outros, por sua vez, não confiam em mim nem se aconselham comigo. Eles querem fazer tudo segundo sua própria sabedoria e do seu jeito; eles não querem ser liderados pelos servos de Deus. E para falar a verdade, para mim é mais fácil se eles não quiserem me seguir mesmo, já que não posso exortá-los ou me responsabilizar por seus atos. No entanto, se alguém busca meu conselho, eu peço a ele para fazer algumas coisas. Só que como a responsabilidade sobre o que ele vai fazer acaba sendo minha, eu também tenho trabalho. Se alguém busca minha ajuda e eu o aconselho apenas com palavras, isso para mim não é aconselhamento. Por isso que eu me responsabilizo por ele até o fim. Meu conselho tem que gerar bons resultados; se isso não acontece, acaba sendo uma grande dor de cabeça para mim.
 
  
Temos que ser um campo bom que crê de coração na Palavra de Deus
 
Vocês não têm que crer em mim, mas na Palavra de Deus. Geralmente quando converso com os irmãos, eu não chamo um a um e faço isso em segredo. Eu converso com todos com a Bíblia aberta. E eu faço a mesma coisa quando prego. Meus sermões são uma conversa entre mim e vocês, pois sou apenas um mensageiro que confia na vontade de Deus.
Há pessoas que creem na Palavra que eu prego e outras não. Algumas estão passando por problemas e me pedem ajuda, outras não. Sempre que um irmão me pede ajuda, eu procuro aconselhá-lo da melhor forma possível. E se ele não entender ou gostar, isso para mim não importa. Já que procuro o bem de todos eles, eu procuro ser sempre imparcial. Hoje se os irmãos creem na Palavra de Deus que eu prego de todo o coração e segui-la assim também como um campo bom, tudo acontecerá em sua vida segundo a sua fé. No entanto, se eles forem como um campo pedregoso e com espinhos e permitirem que suas ansiedades e preocupações os levem a não crer totalmente, ou então se eles crerem apenas no que entendem e mais se adéquam ao que desejam e rejeitam o resto, tudo acontecerá em sua vida segundo a maneira que creem.
Amados irmãos, a coisa mais sábia a fazer é crer em Deus de todo o coração. Só podemos viver na dimensão da fé pela fé. A verdadeira vida cristã é composta por um coração sincero e fé. Muitos ouvem a Palavra de Deus, e alguns dizem amém a ela e a aceitam no momento em que a recebem. São estes que vivem todos os dias pela fé. Mas e aqueles que desprezam a Palavra quando a ouvem e só aceitam o que querem? Estes são campos pedregosos. Isso quer dizer que seu coração não é puro e está repleto com seus próprios pensamentos, assim como o campo pedregoso tem pouca terra e muitas pedras. Essa gente descarta tudo que não gosta e diz: “Eu não concordo com isso. Para mim a outra maneira é que está certa.” Um campo assim não possui terra o suficiente. Ele contém um terço de terra e dois terços de pedras. É possível plantar alguma coisa num campo como este? Claro que não! Melhor dizendo, a fé não pode crescer ali. Apesar de todos ouvirem a mesma Palavra, somente quem crê nela sem questionar é que pode receber as abundantes bênçãos de Deus como um campo bom. Embora a Palavra de bênção esteja sendo proclamada hoje em dia, apenas quem aceitá-la realmente é que receberá estas bênçãos. Os que não aceitarem esta Palavra, por outro lado, não receberão nada. Grande é a diferença entre os que aceitam toda a Palavra e os que não a aceitam assim. E esta diferença é vista nas bênçãos concedidas por Deus.
Temos que viver pela fé crendo no evangelho da água e do Espírito de coração. Quando aceitamos este evangelho de coração, o diabo procura abalar nossa fé. E quando conseguimos acalmar nosso coração, ele tenta destruir nossa fé, pois odeia quando cremos na Palavra de Deus de coração. Por isso que precisamos nos apegar a esta Palavra agora, para que Satanás não a roube do nosso coração. É isso que devemos fazer para que nosso coração continue sendo um campo bom. Se não fizermos isso, ele pode ser arruinado e se tornar um campo à beira do caminho.
Os servos de Deus procuram pregar a Palavra de um modo bem claro em nossos cultos de avivamento. E algumas pessoas recebem a remissão de pecados na hora dizendo amém e aleluia. Outros, porém, demoram mais um pouco. E mesmo depois que ouvem a Palavra nos cultos de avivamento e a explicamos em detalhes para cada um deles, eles dizem: “Eu reconheço pela Palavra que sou pecador, mas ainda não posso crer nisso.” Por mais que preguemos a Palavra nos mínimos detalhas, ainda há pessoas que não creem nela. E o que acontece com essa gente quando eles voltam para casa não crendo no evangelho totalmente? Toda a Palavra que ouviram no culto de avivamento se perde, pois Satanás vem e a devora. E como o diabo rouba todas as sementes do seu coração que está à beira do caminho, eles acabam perdendo sua fé e o solo do seu coração fica mais endurecido ainda. Quanto mais alguém fica perambulando por este mundo, e quando mais histórias e experiências ele tiver, mais endurecido ficará o solo do seu coração.
Para os cristãos que não aceitam o evangelho da água e do Espírito de todo o coração, quanto mais eles crerem em Jesus, mais endurecido será o solo do seu coração. A verdade é que quando olhamos para os cristãos que creem em Jesus por muito tempo mas não no evangelho da água e do Espírito, vemos que seu coração é muito duro. Com o passar do tempo, eles se tornam líderes na igreja, diáconos, presbíteros e pastores. Mas quando perguntamos a eles: “Vocês creem em Deus fielmente? Na sua opinião, como alguém pode receber o Espírito Santo?” E eles respondem: “O cristão recebe o Espírito Santo orando no monte e jejuando.”
Então perguntamos: “Será que é possível receber o Espírito Santo assim? Vocês ainda têm pecado no coração, não têm?”
E eles respondem: “Por que não teríamos pecado? Todos têm pecado. Mas apesar de termos pecado, mesmo assim iremos para o céu porque cremos em Jesus.”
Então fazemos outra pergunta: “Vocês são pecadores?”
E eles respondem: “Claro que somos, pois temos muitos pecados.”
E então perguntamos de novo: “Quem é que vai para o céu, os pecadores ou quem não tem pecado?”
E eles dizem: “Quem não tem pecado é que vai para o céu.”
E por fim perguntamos: “Vocês entrarão no céu então com seus pecados?”
E eles respondem: “É claro que sim.”
Só que isso não faz sentido algum e mostra que estas pessoas não têm a mínima ideia de como entrar no céu. Isso só mostra o quanto a fé do seu coração está endurecida. Pior ainda é que seu coração gera ervas daninhas plantadas pelos ensinamentos ortodoxos de Satanás. E há mesmo muitas ervas daninhas à beira do caminho. Quanto maior a estrada, maior é a quantidade de ervas daninhas à beira do caminho. A razão disso é que as ervas daninhas crescem mais quando são pisadas. Assim é o coração dos que não nasceram de novo, endurecido e cheio de ervas daninhas.
Nós não somos campos à beira do caminho. Que tipo de campo é alguém que acabou de receber a remissão de pecados? A princípio seu coração é como o segundo campo, ou seja, o campo pedregoso. Mas até que é possível ser um bom campo desde o início, embora isso seja muito raro.
Quem ouve o evangelho da água e do Espírito a princípio não o aceita totalmente. Isso porque eles ouvem os pregadores levando em consideração o conhecimento inútil que acumularam até então. Mas sua atitude deveria ser diferente quando ouvem a Palavra de Deus pela primeira vez. Eles dizem amém na hora se o que ouvem está de acordo com a Palavra de Deus e pensam: “O que este pastor está dizendo não está muito de acordo com o que eu penso, mas reconheço que ele está certo. Tudo bem, é assim que vou crer a partir de agora então.” Ele então rejeita sua opinião e crê em toda a Palavra de Deus. E aí então ele se torna um bom campo.
No entanto, as pessoas que têm um encontro com Deus, por mais que não estivessem procurando-o, geralmente começam sua vida de fé como o segundo campo, ou seja, o campo pedregoso. Apesar de crer em Deus, eles fazem isso pela metade; alguns nem isso. Há muitas pessoas assim realmente. E quando percebem que sua fé não é completa e retiram as pedras, seu coração passa a ser um campo com espinhos. À sua frente só há trevas; ao seu lado, muros; adiante deles, um penhasco; o que os leva a orar ao Senhor. Só que eles adéquam a Palavra à sua forma de pensar, e é assim que vivem. Este é o campo com espinhos.
Amados irmãos, será que vamos conseguir alguma coisa só porque queremos? Não podemos fazer nada com nosso próprio esforço. Depois que nascemos de novo, tudo depende totalmente de Deus – viveremos se ele guardar nossa vida, e morreremos só quando ele quiser. Nós agora pertencemos a Deus; somos deles.
A vida de fé se resume a crer de coração. Há muitos lugares onde não estivemos e experiências que não tivemos no reino da fé. E para fazermos parte dele temos que seguir toda a Palavra de Deus, como fez Abraão quando não sabia para onde ia. Tudo que precisamos fazer é crer na Palavra de Deus de coração.
Nós é que somos abençoados quando cremos na Palavra ou outra pessoa? Por mais que creiamos cem por centro no reino da fé agora, com o tempo é difícil crer em até trinta por cento. Mas o que acontece quando cremos trinta por cento na Palavra e perdermos os outros setenta por cento? A incredulidade vence nossa fé e todo tipo de dúvida surge em nosso coração. E conforme esta incredulidade aumenta, começamos a duvidar da nossa salvação e acabamos pensando assim: “Isso vai acontecer mesmo? Eu sei que a Palavra é verdadeira, mas será que ela vai passar e não se cumprir? Como devo viver de agora em diante? Eu estou totalmente perdido, sem expectativa alguma e não encontro uma saída. Acho melhor desistir da minha fé.”
 
 
Ao invés de perdermos a fé por desejarmos este mundo, temos que cumprir a obra da fé para o resto da vida
 
Amados irmãos, a fé na Palavra exige cem por cento de nós. E por mais que nossa fé seja totalmente sólida, ela ainda pode ser corrompida pelos pensamentos carnais, pelo diabo, pelas preocupações deste mundo e pelos problemas. E quando isso acontece, ela fica menor que um grão de mostarda. E por mais que creiamos na Palavra de Deus de todo o coração, nossa fé continua fraca e acabamos indo para o mundo, como Diná. E o que acontece então? Uma tragédia em nossa vida.
Eu sempre tento não me distrair durante a viagem quando vou a algum lugar. Um dia, quando voltava para casa, eu passei no supermercado e levei duas horas para chegar em casa. Se ficarmos indo de um lugar para outro neste mundo, levaremos duas horas para chegar num lugar onde normalmente iríamos em vinte e cinco minutos. Em outras palavras, se ficarmos de um lado para o outro neste mundo, não poderemos levar uma vida de fé. Quando começamos a olhar para o mundo e não damos muito importância à fé, nossa fé deixará de crescer e acabaremos não recebendo as bênçãos que Deus tem para nós.
Se Diná tivesse morrido, tudo acabaria ali; só que ela não morreu. De que tribo era Diná? Ela era hebreia, palavra que representa alguém que cruzou o rio. O chefe da tribo dos hebreus era seu pai, mas sua tribo em si não tinha muitos membros. Se algo desse errado, toda a tribo poderia ser morta pelos heveus por causa de Diná.
O que temos a aprender com o texto bíblico deste capítulo é que não devemos sair para passear no mundo. Precisamos entender que a única coisa que devemos fazer no mundo é pregar o evangelho. Como então permitimos que o mundo nos engane e acabamos seguindo-o? A verdade é que começamos a segui-lo passo a passo. Depois que damos um passo, em pouco tempo os passos aumentam. E a partir do momento em que damos muitos passos, começamos a segui-lo sem parar. E quando isso acontece, estamos mais próximos da igreja ou do mundo? Neste caso, a Igreja de Deus estará cada vez mais distante de nós e o mundo, muito mais próximo. E isso trará grandes perdas, pois aqueles que seriam salvos por nós serão destruídos.
Amados irmãos, devemos levar uma vida de fé com sinceridade de coração. O Senhor nos diz no texto bíblico deste capítulo que somente os que eram circuncidados podiam se casar com as mulheres do seu povo. O que nosso Deus está nos dizendo aqui é que devemos traçar uma linha de fé bem clara em nosso coração. Quem somos realmente? Somos o povo de Deus, obviamente. E como tais, não precisamos ir para o mundo e nos tornar escravos dele. O povo de Deus deve se sentir atraído pela beleza das pessoas do mundo e desejá-las? Claro que não! Saibam que as coisas que esperam por nós no reino de Deus são infinitamente mais bonitas do que as coisas deste mundo.
Por que temos que viver neste mundo? Por que temos que sair para trabalhar aqui? Nós vivemos neste mundo para pregar o evangelho do Senhor. E este deve ser o propósito da nossa vida neste mundo. Temos que dedicar o resto da nossa vida à pregação do evangelho.
As pessoas deste mundo não podem ser comparadas conosco. Se vocês me compararem com algum pastor famoso deste mundo, eu vou ficar chateado. Embora eu não seja tão importante, espiritualmente falando sou servo de Deus e faço parte do seu povo. Como homem de Deus, eu não posso ser comparado a ninguém que não nasceu de novo. E eu vou ficar muito chateado se alguém me comparar com estas pessoas. Ninguém pode ser comparado com os nascidos de novo. Eu não troco vocês por ninguém, por mais inteligente e poderoso que ele seja. Vocês receberam a remissão de pecados e fazem parte do povo de Deus porque creem no evangelho da água e do Espírito. Por isso que vocês não podem ser comparados ou trocados por ninguém mais. Nunca se esqueçam disso. As bênçãos de Deus foram dadas a nós, seu povo nascido de novo.
Nós vemos muita gente neste mundo que ainda não nasceu de novo. E quando orarmos por eles, tudo que devemos pedir a Deus é que elas venham a nascer de novo. Pelos nossos irmãos devemos orar para que eles sejam abençoados. Mas quando vemos alguém com o coração que ainda afronta Deus, não temos desejo algum de pedir a ele que o abençoe. E por mais que queiramos orar para que ele seja abençoado, não conseguimos fazer isso, a não ser que Deus permita.
Amados irmãos, já que cremos no evangelho da água e do Espírito, não há dúvida alguma de que somos o povo de Deus. Nós somos os justos. E como obreiros de Deus, temos que dedicar o resto da vida para pregar evangelho da água e do Espírito. Jamais devemos ter outro propósito na vida além deste. Temos que viver juntos pela fé, traçar uma linha bem definida dela, e viver para sempre debaixo das bênçãos de Deus.