Sermons

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 2-5] O Nascimento do Nosso Senhor (Lucas 2-1-20)

O Nascimento do Nosso Senhor(Lucas 2-1-20)
“E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse (Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria). E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi), A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz. E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem. Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
‘Glória a Deus nas alturas,
Paz na terra, boa vontade para com os homens.’
E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: ‘Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.’ E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura. E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita; E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam. Mas Maria guardava todas estas coisas, conferindo-as em seu coração. E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito”.
 
 

Jesus Nasce no Coração Daqueles que Creem na Palavra de Deus

 
Ao lermos a genealogia de Jesus Cristo, vemos que entre seus antepassados encontram-se uma prostituta gentia chamada Raabe e uma moabiata chamada Rute. A palavra gentio quer dizer pecador. Mas essas mulheres gentias foram vestidas com a graça de Deus pela fé. Elas creram na Palavra de Deus e nos seus servos. Enfim, a genealogia de Jesus mostra os herdeiros da fé.
Maria também era uma mulher de fé. Tanto que um anjo lhe disse que ela conceberia e daria à luz um filho, e que seu nome seria Jesus. Maria disse ao anjo então: “Como se fará isto, visto que não conheço homem algum?”
Naqueles dias, se uma mulher solteira engravidasse, ela tinha que morrer apedrejada como castigo pela fornicação. O homem que havia se deitado com ela também tinha que ser apedrejado. Apesar disso, Maria aceitou em seu coração o que o anjo disse. Então, quando ia para Belém junto com José para se alistar no senso, Jesus já havia sido concebido em seu ventre. Mas como chegou a hora de dar à luz, ela o teve em Belém.
Havia pastores no campo ali perto cuidando do rebanho, e quando um anjo lhes contou as boas novas do nascimento de Jesus, eles foram procurá-lo e adorá-lo. Está escrito em Mateus 2:4-5 que o rei Herodes perguntou aos escribas e fariseus onde Jesus iria nascer. Eles então disseram a ele que Jesus nasceria em Belém da Judeia. Amados irmãos, vocês só podem ser abençoados quando colocar em prática sua fé. Como diz Tiago 2:17, a fé sem obras é morta, e se vocês não puserem em prática sua fé, vocês não conseguirão defendê-la nem viver por ela. Embora soubessem que Jesus nasceria em Belém da Judeia, estes escribas e fariseus não foram lá para adorá-lo. Isso nos mostra que eles não eram filhos da fé.
Amados irmãos, a mente de Deus é diferente da nossa. Na nossa mente humana, é fácil achar que Jesus nasceria como um príncipe num palácio ou na riqueza, numa família aristocrática. Mas Jesus, o próprio Deus, nasceu num sujo estábulo onde os animais ficavam e foi posto numa manjedoura, um tabuleiro usado para alimentar os animais. Ali, na cidade de Belém, Jesus não teve nem um quarto na hospedaria para nascer, mas um estábulo de animais, e foi posto numa manjedoura. Então, contrário a todas as expectativas humanas, Deus fez com que Jesus fosse posto numa manjedoura num estábulo sujo.
Está escrito em Isaías 55:8-9, “‘Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos,’ diz o SENHOR. ‘Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos’”. Como diz esse texto, foi ideia de Deus pôr Jesus numa manjedoura usada para alimentar os animais. Em nossa mente podemos até achar que seria algo mais honroso e respeitável se Jesus tivesse nascido como um príncipe numa família aristocrática, mas os pensamentos de Deus são diferentes dos nossos.
Está escrito: “Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens”. O coração daqueles que receberam a remissão de pecados se enche de alegria e tem paz. Romanos 4:8 diz, “Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa o pecado”. Quem, então, é esse povo abençoado? São os que aceitam a justiça de Deus e, portanto, o Senhor não lhe imputa mais pecado, por mais que pequem.
Os pastores foram a Belém, como lhes disse o anjo, e encontraram o menino Jesus. Os principais sacerdotes, escribas e fariseus, ao contrário, não procuraram o menino Jesus mesmo sabendo que ele nasceria em Belém. Isso significa que embora eles soubessem do nascimento do Salvador, eles não aceitaram isso como parte da sua fé. Os pastores foram rápido para Belém e encontraram José, Maria e Jesus numa manjedoura. Eles então disseram e eles o que o anjo lhes havia dito e todos que ouviram aquilo se maravilharam com o que o anjo tinha dito, embora Maria tenha guardado tudo no coração.
Está escrito: “E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito”. Isso significa que a glória de Deus vem sobre os que aceitam a sua Palavra, como está escrito em Isaías 60:1, “Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR vai nascendo sobre ti”. Isso quer dizer que somos luz. E já que somos luz, isso também significa que nós temos que brilhar na vida daqueles que ainda estão em trevas. Se nossa luz não brilhar, todos irão perecer. Em outras palavras, nós que recebemos a remissão de pecados de Jesus temos que pregar este evangelho da remissão de pecados para todo mundo.
Algum tempo atrás, eu li no jornal que uma senhora havia doado as economias de toda a sua vida, cerca de três milhões de dólares, a fim de ser usadas para uma boa causa no mundo. Embora isso seja uma boa ação aos olhos humanos, para Deus não é uma boa ação. Essa senhora deve ter ficado feliz com seu ato. Mas se vermos pelo ângulo que Deus vê, de fato ela não fez uma boa ação. Não há nenhuma boa ação neste mundo, pois ele está totalmente destituído de qualquer bondade.
 
 

O Senhor Nasceu Nessa Terra Como o Salvador

 
O Senhor veio a essa terra exatamente como prometeu o Antigo Testamento. Deus diz em Isaías 62:6-7: “O Jerusalém, sobre os teus muros pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; ó vós, os que fazeis lembrar ao SENHOR, não haja descanso em vós, nem deis a ele descanso, até que confirme, e até que ponha a Jerusalém por louvor na terra”. Isso significa que aqueles que são filhos da luz devem brilhar incessantemente.
Sempre que eu encontro alguém, eu prego o evangelho sem cessar para ele. “Vós, os que fazeis lembrar do Senhor” aqui se refere justamente aos servos de Deus. Deus fez com que eles montassem guarda dia e noite. Eu estou dando o meu melhor também para pregar sempre o evangelho. É pelos lábios dos servos de Deus que receberam a remissão de pecados que o evangelho da verdade é anunciado e proclama que Jesus Cristo levou sobre si todos os nossos pecados ao ser batizado, apagou todos eles ao derramar seu sangue na cruz, e nos deu a vida eterna ao ressuscitar dos mortos. A Bíblia diz também que não devemos dar descanso ao Senhor até que ele ponha a Jerusalém por louvor na terra (Isaías 62:7). Esse texto mostra que devemos orar a Deus sem cessar para que ele nunca deixe de trabalhar pela salvação dos perdidos.
Amados irmãos, o Salvador nasceu nessa terra. “Feliz Natal!” Feliz Natal! Digam comigo: Feliz Natal!
Amados irmãos, nossa salvação vem totalmente de Deus, não pelos nossos esforços. Romanos 4:5 diz que “àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça”.
Nós somos divinos? Não, não somos. Nós não somos salvos por fazermos boas obras ou por sermos divinos, e sim pela fé, somente pela fé. A Bíblia diz que “o justo viverá da fé” (Romanos 1:17). É pela fé que entramos no reino eterno de glória. É pela fé que recebemos a vida eterna. Não é porque fazemos algo à nossa maneira ou pelos nossos próprios méritos que somos salvos e nos tornamos justos. Já que Efésios 2:8 diz, “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus”, nossa salvação é mesmo um dom de Deus. Dom é algo que é dado de graça. Uma recompensa, ao contrário, é algo que recebemos por fazermos algo bom; não é um dom então. É pela fé que somos salvos. É pela que fé que recebemos a vida eterna.
Receber a vida eterna pela fé é muito simples e fácil. Está escrito: “E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:14-15). Quando os israelitas foram picados no deserto pelas serpentes na sua jornada rumo à terra de Canaã, todos que olharam para a serpente de bronze na haste foram curados, só de olharem para ela pela fé (Números 21:9). Foi muito fácil.
O que aconteceu então? Hoje, há muitas pessoas que, depois de receber a remissão de pecados e nascer de novo ao ouvir o evangelho da água e do Espírito, voltam para o mundo. Elas não levam isso a sério e se deixam levar novamente pela sua própria vontade, pelos seus desejos e pelas coisas do mundo. Por isso que quando olhamos para os cartões de Natal que falam do nascimento de Jesus, vemos que muitos deles retratam a manjedoura de uma maneira artística e romântica, mostrando o menino Jesus com roupinhas luxuosas de seda, como se fosse da aristocracia, cheio de anjinhos ao seu redor.
O nascimento de Jesus, entretanto, não foi algo luxuoso como um conto de fadas. Ele parece tão fantástico e a salvação, algo muito fácil porque as pessoas vêem isso à sua maneira. Na verdade, o Senhor nasceu numa manjedoura, não num palácio, pois era humilde. Ele também levou sobre si todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista e nos tornou justos. Tudo isso é real, e também é uma verdade inegável que Jesus Cristo morreu crucificado para ser condenado pelos pecados do homem, ressuscitou ao terceiro dia e nos deu a vida eterna.
Vamos ler agora Filipenses 2:8, que diz que Jesus, “achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz”. Embora o Senhor tenha pedido ao Pai para afastar dele o cálice da aflição, mas foi submisso a Ele, fez sua vontade e, ao ser crucificado, derramou água e sangue (João 19:34). Foi assim que ele nos salvou de todos os nossos pecados e da morte eterna.
No entanto, os que rejeitam essa salvação e não dão valor a ela cantam músicas de Natal para celebrar o nascimento de Cristo sem entender seu verdadeiro significado. Sempre que chega o Natal, todos os grupos religiosos e as pessoas deste mundo de repente ficam interessados em fazer caridade e criam todo tipo de campanha para ajudar os pobres. Isso nos mostra que até o Cristianismo se tornou uma religião de méritos que busca a salvação por seu próprio esforço. Os cristãos dizem: “Eu posso ser salvo apenas fazendo boas obras. Então, tudo que eu preciso fazer é boas obras, o máximo que eu puder”. Mas são eles que pensam assim, pois Deus pensa de um modo muito diferente.
Vamos ler Tito 3:3-7 agora: “Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens, não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna”.
Amados irmãos, a Bíblia deixa claro aqui que nós somos salvos pela fé, não pelas nossas obras, boas obras, ou por causa da nossa capacidade. Em Efésios 2:8 também diz: “que pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus”. Sendo assim, nossa salvação é um dom que o Senhor nos deu gratuitamente.
Deixe-me fazer uma analogia para explicar isso melhor. Vamos dizer que nevou a noite inteira, mas seu filho limpou a entrada da garagem para você. Como recompensa então, você dá para ele um relógio. Mas este relógio é uma compensação pelo que seu filho fez e não um presente. Em outras palavras, a salvação é recebida de graça. Mas apesar disso, nós pensamos assim: “Mas eu pelo menos fiz algo bom”. Só que esse tipo de pensamento que temos é coisa do diabo.
A Bíblia diz que não havia lugar para Jesus nascer quando ele veio a essa terra. Isso mostra que o coração das pessoas está cheio de coisas do mundo, com virtudes e vícios do mundo. Na parábola do semeador, o Senhor diz que algumas caíram à beira do caminho e os pássaros vieram e as comeram, pois a estrada era dura demais até com os que viajavam por ela. Em outras palavras, não havia uma boa terra onde as sementes pudessem ser plantadas. Por isso que os pássaros vieram e as comeram bem rápido.
Mas por que isso aconteceu? Porque a semente não pode se enraizar no solo. Do mesmo modo, se um coração está muito envolvido com as coisas do mundo, ele não poderá aceitar o evangelho da remissão de pecados. Pessoas com esse tipo de coração não recebem o evangelho da água e do Espírito. Mas o Senhor também disse que algumas sementes caíram num solo fértil e produziram sessenta, cem vezes mais.
 
 

Qual é a Verdadeira Fé?

 
Mateus 2:11 diz assim: “E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra”. Está escrito aqui que os sábios que vieram do Oriente “prostrando-se, o adoraram”. Isso nos mostra claramente que eles se prostraram não para adorar Maria e José, mas o menino Jesus. E foi para ele que eles abriram seus tesouros e deram ouro, incenso e mirra.
O ouro aqui diz respeito a um rei, mostrando que Jesus é o Rei dos reis. Ao lermos Êxodo 25:6, vamos que o incenso era usado quando sacrifícios eram oferecidos no tabernáculo de Deus, como diz o versículo: “Azeite para a luz, especiarias para o óleo da unção, e especiarias para o incenso”. Quando o incenso era queimado e subia aos céus, Deus o aceitava como cheiro suave. Em outras palavras, isso significa que Deus se agrada em ouvir nossas orações.
A mirra, por sua vez, era usada para preparar o corpo de um morto. Ela simboliza a verdade imutável. Amados irmãos, Jesus Cristo foi batizado para levar todos os pecados do mundo, e, por causa destes pecados, derramou seu sangue na cruz e nela morreu para nos salvar a todos. Isso, segundo 1 Coríntios 1:23, é escândalo para os judeus e loucura para os gregos. Mas por que isso é escândalo para os judeus? Porque eles eram cheios de si e achavam que eram os justos herdeiros de Abraão. Eles não podiam aceitar o fato de Jesus, um homem que era tão simples em sua aparência, pregasse o evangelho para eles dizendo que tinha o poder de remir pecados e que, por causa dele, todos seriam purificados. Para os judeus que eram soberbos e cheios da sua própria justiça, o evangelho de Jesus da remissão de pecados era simplesmente um escândalo. E isso também era loucura para os gregos. Muitas pessoas riem de mim quando eu abro a boca para pregar o evangelho de Deus. Mas elas fazem isso porque não entendem a Palavra de Deus. Nos dias de Jesus, as pessoas achavam que não podia vir nada de bom de Nazaré.
Apesar disso, Deus começou sua grande obra da salvação através de uma pessoa comum. Jesus diz em João 6:38: “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou”. E foi justamente por ter vindo a essa terra encarnado como um homem antes de morrer crucificado que Jesus disse ao Pai: “Afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres” (Marcos 14:36). Melhor dizendo, o Senhor padeceu e sentiu muita dor como qualquer ser humano justamente porque veio num corpo carnal. Você pode imaginar então como foi terrível a dor da crucificação. Foi por isso que ele pediu ao Pai para afastar dele aquele cálice. Mesmo assim, ele foi obediente até o fim e cumpriu a vontade do Pai dizendo: “Não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres”.
Também está escrito em Filipenses 2:8, “E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz”. Apesar de ser o próprio Deus, nosso Senhor veio encarnado como um homem e sentiu a dor da morte. Apesar disso, ele disse ao Pai para fazer a sua vontade, e não a dele. E foi isso mesmo que ele fez até morrer na cruz, mas depois ressuscitou dos mortos e cumpriu assim toda a vontade do Pai.
A revelação de Deus foi cumprida. A divina encarnação significa que o Senhor mesmo apareceu como um homem e obedeceu à vontade do Pai a ponto de morrer crucificado. Jesus Cristo é o Deus encarnado. E o Deus encarando obedeceu à vontade do Pai a ponto de morrer na cruz. Só que quando nós olhamos para a divina encarnação por um ângulo humano, vemos que o que ele passou foi uma grande humilhação. O próprio Deus veio num corpo carnal e como um homem, e isso significa que ele se humilhou mais do que todos nós. Então, ao ser batizado, o Senhor recebeu todos os pecados do mundo em seu próprio corpo, morreu na cruz, e assim apagou todos os nossos pecados. Foi assim que a glória celestial veio até a terra. Portanto, o propósito para o qual Jesus nasceu nessa terra foi resolver o problema dos nossos pecados e da nossa condenação.
Vamos ler Isaías 53:2-6 agora:
“Porque foi subindo como renovo perante ele,
E como raiz de uma terra seca;
Não tinha beleza nem formosura
E, olhando nós para ele,
Não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.
Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens,
Homem de dores, e experimentado nos trabalhos;
E, como um de quem os homens escondiam o rosto,
Era desprezado, e não fizemos dele caso algum.
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades,
E as nossas dores levou sobre si;
E nós o reputávamos por aflito,
Ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões,
E moído por causa das nossas iniquidades;
O castigo que nos traz a paz estava sobre ele,
E pelas suas pisaduras fomos sarados.
Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas;
Cada um se desviava pelo seu caminho;
Mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos”.
Amados irmãos, a dor e o castigo aqui eram nossos. Mas pelo nosso bem, o próprio Deus levou toda a dor e o castigo ao morrer em nosso lugar. Em Romanos 5:7-8 diz assim: “Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores”.
Meus amados irmãos, todos nós éramos como ovelhas e tínhamos nos desviado do caminho. As ovelhas são míopes. E por causa da sua miopia, elas não conseguem ver mais nada do que aquilo que está à sua frente. Quando elas caminham então, eles seguem o pasto que está diante delas, que às vezes as leva diretamente para a morte num abismo. Do mesmo modo, o ser humano também só segue o que os seus olhos podem ver neste mundo. No entanto, todas as coisas que vemos neste mundo é corruptível. Então, se as seguirmos certamente pereceremos. Isso faz parte da nossa natureza humana.
A Palavra de Deus diz: “Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas” (2 Coríntios 4:18). Por isso que Deus colocou no coração dos que morreram há muito tempo e no coração dos que estão vivos hoje, assim como no coração dos cristãos e dos ímpios, o desejo da vida eterna. Todos neste mundo já pensaram assim pelo menos uma vez na vida: “De onde eu vim, para onde eu vou?” Em outras palavras, o coração do homem se preocupa com as coisas eternas.
Jesus Cristo inaugurou o caminho para o céu ao rasgar o véu que nos separava de Deus. As Escrituras dizem assim: “Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne” (Hebreus 10:19-20). Agora podemos entrar no reino da vida eterna graças à salvação expiatória de Jesus Cristo. E permaneceremos com ele para sempre também. Vocês creem nisso?
Vamos ler Mateus 27:51 agora: “E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras”. Amados irmãos, o véu do templo foi mesmo rasgado de cima abaixo. Isso significa que nós agora podemos nos achegar com toda a confiança ao trono da graça de Deus, como está escrito em Hebreus 4:16, “Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno”.
Este mistério foi revelado quando Jesus morreu na cruz e disse: “Está consumado!” (João 19:30). Naquela hora, o véu do templo se rasgou em dois, de alto abaixo. Nos dias do Antigo Testamento, somente o sumo sacerdote podia passar do véu uma vez por ano com campainhas de ouro atadas às suas vestes, para lá dentro oferecer sacrifício a fim de que o povo recebesse a remissão de pecados. Mas quando Jesus morreu, o véu do tempo foi rasgado em dois. Isso significa que a nossa salvação se cumpriu totalmente.
Amados irmãos, neste Natal, vamos procurar entender por que o Senhor veio a essa terra num corpo carnal e como um homem simples, por que Jesus nasceu numa manjedoura, e aceitar sua graça em nosso coração. Jesus é o nosso verdadeiro Salvador. Vamos confessar então que ele é realmente o nosso Salvador.
E finalmente, para concluir meu sermão, vamos ler juntos o texto de Lucas 2:29-32:
“Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo,
Segundo a tua palavra;
Pois já os meus olhos viram a tua salvação,
A qual tu preparaste perante a face de todos os povos;
Luz para iluminar as nações,
E para glória de teu povo Israel”. Amém!