Проповеди

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 4-2] Você Sabe que Jesus é Deus e Crê Nisso? (Lucas 4:16-30)

Você Sabe que Jesus é Deus e Crê Nisso?(Lucas 4:16-30)
“E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler. E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito: ‘O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, a pregar liberdade aos cativos, e restauração da vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor.’ E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele. Então começou a dizer-lhes: ‘Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos.’ E todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca; e diziam: ‘Não é este o filho de José?’ E ele lhes disse: ‘Sem dúvida me direis este provérbio: ‘Médico, cura-te a ti mesmo; faze também aqui na tua pátria tudo que ouvimos ter sido feito em Cafarnaum.’’ E disse: ‘Em verdade vos digo que nenhum profeta é bem recebido na sua pátria. Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome; e a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Sarepta de Sidom, a uma mulher viúva. E muitos leprosos havia em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro.’ E todos, na sinagoga, ouvindo estas coisas, se encheram de ira. E, levantando-se, o expulsaram da cidade, e o levaram até ao cume do monte em que a cidade deles estava edificada, para dali o precipitarem. Ele, porém, passando pelo meio deles, retirou-se”.
 
 

Você Está Dizendo que Jesus é Deus?

 
Quando nosso Senhor foi tentado por Satanás após jejuar 40 dias, ele o venceu pela fé na Palavra de Deus. No texto bíblico que lemos acima, o Senhor foi a uma cidade chamada Nazaré, onde ele havia nascido e crescido. Ele foi à sinagoga num sábado e se levantou para ler as Escrituras, como costume na época, e foi lhe dado o livro do profeta Isaías. Ele abriu o capítulo onde estava escrito no versículo 18: “O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, a pregar liberdade aos cativos, e restauração da vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor”.
O texto das Escrituras que Jesus leu se encontra no livro de Isaías, e depois que o leu ele disse: “Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos”. O que ele estava dizendo é que aquela palavra profética do Antigo Testamento falava sobre ele e que ela foi cumprida na vida de todos neste mundo quando ele veio a essa terra.
 
 
Vamos Analisar o Conteúdo da Palavra do Senhor
 
Vamos ler a Palavra no evangelho de Lucas capítulo 4, versículo 18.
“O Espírito do Senhor é sobre mim,
Pois que me ungiu para evangelizar os pobres.
Enviou-me a curar os quebrantados do coração,
A pregar liberdade aos cativos,
E restauração da vista aos cegos,
A pôr em liberdade os oprimidos,
A anunciar o ano aceitável do Senhor”.
A Palavra lida pelo Senhor aqui fala dele mesmo. E ele disse que veio a este mundo para fazer essa obra – salvar os cegos que viviam oprimidos pelo pecado, abrir seus olhos e libertá-los pelo seu poder. A Palavra que o Senhor diz aqui fala de coisas espirituais.
O Senhor disse que libertaria os oprimidos e restauraria a vista aos cegos. Isso quer dizer que ele nos deu a verdadeira liberdade pelo evangelho da água e do Espírito quando éramos prisioneiros de Satanás por causa dos nossos pecados. E ele também disse que restauraria a vista aos cegos. Isso quer dizer que ele nos faria ver Deus perfeitamente abrindo nossos olhos espirituais através da purificação dos pecados do nosso coração. Mas qual é a Palavra que o Senhor de fato quer nos dizer nesse texto? Que ele é o Filho de Deus que veio a este mundo para nos dar a luz da salvação.
O Senhor fez brilhar a luz da salvação sobre todos os homens como ele disse. Mas como é que muitos interpretam essa Palavra? Muitos no campo da teologia, principalmente os teólogos da teologia da libertação no Cristianismo, interpretam esse texto de modo errado e afirmam: “A primeira obra que os cristãos devem fazer é libertar os oprimidos se quiserem ter um ministério correto e cumprir a vontade de Jesus. Por essa razão, temos que libertar muitos trabalhadores que são oprimidos com uma jornada pesada de trabalho e baixos salários”. Então, por entenderem errado esse texto bíblico, muitos cristãos fazem um trabalho de libertação junto aos sindicatos de várias empresas, mas isso é em vão.
Mas o trabalho que o Senhor quer que façamos realmente é o de libertar as pessoas do pecado. O Senhor disse que os pobres sempre estariam entre nós (Marcos 14:7). Isso significa que sempre haverá pessoas oprimidas e opressoras. É claro que seria melhor se esse tipo de coisa não acontecesse, mas isso vai acontecer sempre porque este mundo não é perfeito.
Na verdade, é algo bom libertar as pessoas oprimidas e rejeitadas pela sociedade. Mas o ministério do Senhor ao vir a essa terra foi o de libertar nosso coração e nossa alma do poder de Satanás e de todos os pecados do mundo. O Senhor veio a este mundo para fazer a obra de libertar as pessoas da opressão do diabo e dar a elas a salvação e a liberdade espiritual. Ele veio para anunciar o evangelho da água e do Espírito Santo neste mundo. O Senhor mesmo fez essa obra e nos levou a pregar este evangelho da verdade.
Quem trabalha junto aos sindicatos das empresas não são pessoas que querem trabalhar pela justiça do Senhor. É claro que a libertação de todo tipo de opressão e a igualdade dos direitos humanos são valores universais a todos neste mundo. No entanto, o que as pessoas precisam é ser libertas, pois são prisioneiras do pecado. Só assim elas poderão ter um encontro com o Senhor e entrar pela porta da salvação recebendo a remissão de pecados. É isso que significa ter a verdadeira fé e receber a salvação. A única maneira de os pecadores receberem a salvação é crendo no evangelho da água e do Espírito. Essa é a verdadeira vontade de Deus para os que são oprimidos pelo pecado, que sofrem como escravos de Satanás, que eles sejam salvos crendo na justiça do Senhor. É disso que o Senhor está falando no texto bíblico deste capítulo e o significado da frase: “Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos”.
Todos na sinagoga ouviram a Palavra de Jesus e acharam muito bom o que ele leu, porque falava da graça que Deus iria derramar sobre eles. Só que tinha um problema: aos seus olhos, Jesus era apenas o filho de José. Como você sabe muito bem, Jesus nasceu em Belém mas cresceu na cidade de Nazaré. Foi por isso que as pessoas que o conheciam muito bem pensaram: “Espere um pouco. Este não é o filho de José?”
O Senhor então disse a eles: “Sem dúvida me direis este provérbio: ‘Médico, cura-te a ti mesmo; faze também aqui na tua pátria tudo que ouvimos ter sido feito em Cafarnaum’”. O que significa isso? O que as pessoas queriam dizer a Jesus era isso: “Você não é filho de José? Eu conheço seus irmãos e você não é isso que está pensando, está bem?” Naquela ocasião, as pessoas não creram que Jesus era o Filho de Deus e o Salvador da humanidade. Mas o Senhor conhecia seu coração. Era isso o que elas estavam pensando: “Dizem que você curou enfermos em Cafarnaum. Bom, vá em frente e faça a mesma coisa aqui agora. Faça isso aqui em Nazaré, onde você cresceu. Assim nós acreditaremos em você”. Mas o Senhor já conhecia seu coração antes mesmo que eles dissessem essas palavras.
Muitos naquela época não creram em Jesus Cristo como seu Salvador, embora ele tenha vindo a este mundo para salvar todos que viviam oprimidos pelo pecado e eram escravos dele. Mas ele de fato salvou a todos do pecado com o evangelho da água e do Espírito. Apesar de muitos afirmarem que criam em Jesus, eles não criam nele como seu perfeito Salvador. Todos na cidade de Nazaré, onde Jesus tinha crescido, não criam nele assim. Mesmo Jesus tendo feito obras maravilhosas e milagres na sua cidade, e por mais que as palavras que ele disse tenham sido verdadeiras, as pessoas não creram nele.
Foi por isso então que ele disse: “Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome; e a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Sarepta de Sidom, a uma mulher viúva. E muitos leprosos havia em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro” (Lucas 4:25-27).
Você sabe o que esse texto quer dizer? Quer dizer que muitos no Antigo e no Novo Testamento não criam na justiça do Senhor. Embora Jesus tenha vindo pelo evangelho da água e do Espírito para eles, embora ele fosse o Filho de Deus, aquele que criou todo o universo e o Salvador, e embora ele tenha livrado a todos da opressão e da escravidão do pecado, eles não creram nele como seu Salvador. Eles de fato não creram nele como seu Salvador. É disso que Jesus está falando nesse texto. O Senhor veio a este mundo, salvou todos que eram escravos do pecado e abriu os olhos dos que estavam espiritualmente cegos. Entretanto, só havia um número pequeno de pessoas que de fato cria que ele veio a este mundo para nos salvar e fez isso realmente.
No Antigo Testamento, só o general Naamã, dentre todos os leprosos que viviam em Israel e na Síria, recebeu a salvação. Só a viúva de Sarepta e sua família, na região de Sidom, foram salvos da fome que houve em Israel. E não apenas em Israel, mas também na Arábia havia muitos leprosos, mas só Naamã recebeu a graça de Deus. Muitos morreram quando houve uma grande fome em Israel naquela época. Todavia, só a viúva de Sarepta recebeu a graça de Deus. Isso nos mostra que somente estas duas pessoas puderam receber a graça de Deus pela fé no Antigo Testamento, embora muitos vivessem naquela época.
Hoje, nosso Senhor nos salvou e nos deu a verdadeira liberdade. Contudo, o número de pessoas que creem na justiça do Senhor é muito pequeno, assim como também é pequeno o número dos que estão preparados para receber este evangelho da água e do Espírito em seu coração. Havia muitos leprosos na época do Antigo Testamento, mas o general Naamã foi o único eu ficou curado pela fé da obediência quando o Senhor Deus falou com ele através do profeta Eliseu, que o mandou se lavar sete vezes no rio Jordão.
E o que aconteceu quando todos estavam morrendo por causa da fome que assolou Israel? O Senhor disse a Elias para procurar uma viúva em Sarepta. Só que o único alimento que restava à viúva era um pouco de farinha, que dava apenas para fazer um bolo ou um caldo com algumas ervas. Ela ia fazer a última refeição com seu filho e depois morrer de fome (1 Reis 17:12). Aquela viúva e seu filho iam comer e depois só esperar para morrer de fome quando Deus lhes enviou o profeta Elias. Quando ele chegou à porta da cidade, ela estava pegando lenha. Então Elias, servo de Deus, disse a ela: “Traze-me, peço-te, numa vasilha um pouco de água que beba” (1 Reis 17:10). A viúva de Sarepta fez então como Elias disse. Ela recebeu a Palavra de Deus e, por isso, foi salva junto com seu filho.
Esse relato nos mostra que não houve de fato muitos que creram e obedeceram à Palavra de Deus no Antigo Testamento; e como naqueles dias, quando o Senhor veio a este mundo nos dias do Novo Testamento, houve poucos que de fato creram no seu ministério da salvação, embora ele tenha salvado toda a humanidade com o evangelho da água e do Espírito e lhe dado a liberdade livrando-a da opressão.
Mas por que isso aconteceu? Porque as pessoas do mundo olharam para Jesus pelo lado humano e acharam que ele era apenas um homem qualquer. Elas não deram a Jesus o valor que ele merecia realmente. Porém, Jesus com certeza é o filho de Deus. E tem mais, ele é o Filho de Deus e nosso Deus, quem criou tudo que há no universo. Portanto, embora eu me refira a ele apenas como “Jesus Cristo, o Filho de Deus” quando prego, para facilitar seu entendimento, quando o descrevo em algum documento eu uso a expressão “Jesus Cristo, o Filho de Deus Pai”. Jesus Cristo é o Criador. Ele é Deus. Você nunca poderá receber a graça do Senhor se achar que Jesus é somente um ser humano e julgá-lo numa perspectiva humanista.
 
 
As Pessoas Hoje Também São Assim
 
Nosso Senhor veio a este mundo na época do Novo Testamento, mas quem vivia em Nazaré, sua cidade Natal, não creu que ele era Deus. Ao contrário, olharam para ele e então disseram: “Este não é o filho de José?” Porém, as pessoas dos outros vilarejos creram nas obras maravilhosas e nos milagres que Jesus realizou porque não o conheciam bem, humanamente falando. Mas os moradores de Nazaré não agiram assim. Eles não creram em Jesus porque não acreditavam na sua divindade, pois o viam com seus olhos carnais. É por isso que nós temos que olhar para Jesus como dizem as Escrituras, de uma forma espiritual.
Quem não olha para Jesus ou para a Palavra do Senhor de um modo espiritual acaba tendo atitudes erradas como estas. Eu me decepciono muito quando peço alguém para fazer algo. Às vezes fico tão decepcionado ao ver alguém fazendo a obra que chega a embrulhar o estômago. Eu faço um planejamento e preparo tudo para que eles possam fazer seu trabalho, mas eles não conseguem terminá-lo por mais que eu diga centenas e centenas de vezes como fazê-lo. Então eu penso em algo que me traz conforto: “E só esperar mais um pouco que Jesus já está voltando”.
Nós temos que ver a obra de Deus como algo espiritual, seja ela qual for ou como vamos fazê-la. O que foi que aqueles que não olharam para Jesus de modo especial pensaram quando ouviram suas palavras? Eles ficaram irados, agarraram Jesus e o levaram para o alto de um monte, sobre onde a cidade tinha sido edificada, para jogá-lo lá de cima. Está escrito: “Todos na sinagoga, ouvindo estas coisas, se encheram de ira. E, levantando-se, expulsaram-no da cidade e o levaram até ao cimo do monte sobre o qual estava edificada, para, de lá, o recipitarem abaixo. Jesus, porém, passando por entre eles, retirou-se”.
Vamos analisar isso agora. Não pense nessa Palavra em relação aos outros, mas a receba para si mesmo. Você acha que isso que aconteceu foi importante? Nosso Senhor entrou na sinagoga, abriu o livro de Isaías e o leu.
“O Espírito do Senhor é sobre mim,
Pois que me ungiu para evangelizar os pobres.
Enviou-me a curar os quebrantados do coração,
A pregar liberdade aos cativos,
E restauração da vista aos cegos,
A pôr em liberdade os oprimidos,
A anunciar o ano aceitável do Senhor”.
O Senhor leu esse texto, fechou o livro e disse: “Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos”, e explicou a todos esse texto do Antigo Testamento. Mas como foi que todos na sinagoga reagiram? A priori eles gostaram muito, mas depois disseram: “Você não é o filho de José? Por que acha que é tão poderoso assim?” Eles não creram na Palavra de Deus e ainda tentaram matar Jesus. Eles ficaram irados porque olharam para Jesus com seus olhos carnais. Jesus então continuou e falou do general Naamã e da viúva de Sarepta de um modo bem direto: “Havia muitos leprosos e famintos nos dias de Elias, mas só estes dois receberam a salvação. Ninguém mais recebeu a graça de Deus”.
Todos entenderam e pensaram: “Ele está falando de mim”. Então agarraram Jesus pelo colarinho e o levaram para o cume de um monte para o lançar de lá. Mas Jesus se livrou deles e foi embora porque Deus lhe deu uma autoridade sobrenatural. Está escrito no texto bíblico deste capítulo: “E, levantando-se, expulsaram-no da cidade e o levaram até ao cimo do monte sobre o qual estava edificada, para, de lá, o recipitarem abaixo”. Isso nos mostra que alguns homens agarraram Jesus com violência e tentaram lançá-lo do monte. O que ele fez então? O texto bíblico diz que “Jesus, porém, passando por entre eles, retirou-se”. Jesus retirou-se calmamente sem um arranhão sequer. Já que cremos em Jesus como nosso Salvador, temos que entendê-lo corretamente.
“Jesus é somente um homem ou ele é Deus?” Nós temos que crer em nosso coração e entender em nossa mente que Jesus é Deus. O versículo 10 do capítulo 1 do evangelho de João diz: “Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele e o mundo não o conheceu”. E o versículo 3 diz que “todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez”. O que a Palavra quer dizer aqui é que Jesus criou tudo neste mundo. E se não entendermos bem que ele é Deus, nossa fé em breve não existirá mais, apesar de crermos em Jesus como nosso Salvador e nosso Pastor. Se não crermos que Jesus é Deus, podemos até dizer que nossa vida acabou.
Por exemplo, vamos supor que Buda fosse nosso salvador. Então, nossa fé e nossa salvação estariam baseadas no fato de Buda ser deus ou não. Se Buda fosse humano, não poderíamos crer nele porque ele seria um ser imperfeito. E mesmo que ele tivesse nos salvado, esta salvação não seria verdadeira, pois seria a obra de um ser humano. Mas o que aconteceria se ele de fato fosse Deus? Esta salvação seria perfeita. Caso ele tivesse criado o universo, vindo a este mundo num corpo carnal, tirado todos os pecados do homem e levado-os sobre seu corpo ao ser batizado, e também tivesse oferecido seu corpo a Deus como oferta de sacrifício, sido condenado e ressuscitado dos mortos, sua obra da salvação seria fiel e perfeita. A obra que ele fez então poderia salvar as pessoas do pecado, porque sendo Deus, ele teria poder para fazer isso.
Nós cremos em Jesus e recebemos dele a salvação porque ele é o Deus Criador e o Salvador que nos salvou. Quando nós lemos a Palavra no Novo Testamento, podemos ver Jesus e os judeus discutindo sempre; e a razão disso é que eles conheciam apenas seu lado humano. Eles só sabiam que Jesus era filho de José. “Jesus foi criado em Nazaré. O que pode vir de bom de Nazaré?” Eles nunca reconheceram que Jesus é Deus porque o viam de um modo carnal.
Quando nós coreanos queremos ofender alguém, nós dizemos: “Seu caipira idiota!” Ainda mais quando sabemos que a pessoa veio do interior. Mas, na verdade, temos que respeitar o lugar onde as pessoas nasceram. As pessoas que moram nas grandes capitais geralmente são mais astutas. Mas as pessoas do interior são mal educadas. Elas fazem coisas que dá vontade de espancá-las até a morte sem elas nem mesmo saberem por que estão sendo espancadas. Podemos ver assim que o caráter das pessoas pode variar muito dependendo de onde nasceram. Mas isso não tem importância alguma no que se refere a nascer de novo. Quando nascemos de novo somos libertos de todos estes preconceitos humanos graças ao Senhor.
Todavia, o problema é que embora o Senhor seja o Deus que veio a este mundo como o Salvador num corpo carnal, as pessoas só olharam para o seu lado humano e o consideraram homem apenas, não Deus. Os que estavam na sinagoga fizeram o mesmo. Eles olharam para Jesus e não o respeitaram dizendo: “Jesus nasceu em Belém e foi criado na cidade de Nazaré. E Nazaré é uma das cidades menos desenvolvidas de Israel. Além disso, Jesus é o filho de José que veio desta cidadezinha”.
Havia uma pequena cidade chamada Jinbu na província de Kangwon na Coreia, e eu estive lá algum tempo atrás. Eu parei ali quando fui ao casamento do pastor Jaemoon Ha porque me disseram que um irmão morava ali. Nós temos alguns pastores na província de Kangwon, o distrito onde há mais montanhas na Coreia. Às vezes eles me dizem: “Eu morava na cidade grande como o senhor”, embora todos tenham vindo de cidades pequenas. Mas certa vez alguém de Jinbu disse: “Eu sou de Jinbu”, e todos eles desprezaram sua cidade natal e disseram: “Aquele lugar subdesenvolvido?”
Os judeus fizeram o mesmo. Todos eles desrespeitaram Jesus, pois sabiam que ele era de Nazaré. A conversa acabava quando alguém dizia que era de Nazaré. Eles acharam que não podia vir nada de bom de Jesus. Quando lemos a Palavra que fala sobre isso, vemos que todos ficaram com raiva depois que ouviram Jesus falar daquele jeito, o tomaram e tentaram jogá-lo de um monte abaixo. Mas Jesus passou no meio deles e foi embora tranquilamente. Isso nos mostra sua natureza divina.
Mas ele também falou com autoridade quando encontrou pessoas endemoninhadas. Uma vez Jesus disse: “Demônio, saia agora!” E os demônios disseram: “Que temos nós contigo, Jesus, Filho de Deus? Vieste aqui atormentar-nos antes do tempo?” (Mateus 8:29). Era isso o que os demônios estavam dizendo: “Tu és o Filho de Deus e o Criador. Deixe-nos ficar aqui”. E o que isso significa então? Que até os demônios sabem muito bem quem é Jesus. É por isso que eles morrem de medo quando os expulsamos em nome de Jesus Cristo. Os demônios ficam com medo porque conhecem o poder do nome de Jesus Cristo. Jesus Cristo é o nosso Salvador, mas ele também é o Deus Criador. É por isso que até os demônios morrem de medo diante do seu nome. Nós temos que entender muito bem isso. As pessoas naquela ocasião tentaram jogar Jesus do monte para matá-lo, porém ele passou no meio deles ileso. A divino poder do Senhor frustrou seus planos. Isso nos mostra a natureza divina de Jesus.
Jesus é Deus, não humano. Ele tem duas características então: ele é Deus e homem. Jesus é Deus e homem ao mesmo tempo. Ele é humano e Deus, assim como nosso Salvador. Assim como diz a Palavra: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito”, o Deus todo-poderoso veio a este mundo para nos salvar do pecado.
Nós temos que crer na Palavra de Deus exatamente como ela é porque não conhecemos Jesus muito bem. Todos aqueles homens tentaram matar Jesus, mas ele passou no meio deles e foi embora tranquilamente. A Bíblia diz: “Jesus, porém, passando por entre eles, retirou-se”. Jesus não fugiu deles. Ele não implorou para que eles não o matassem ou tentou escapar. Ele nunca seria morto assim por alguém porque era Deus, o Deus todo-poderoso.
Podemos perguntar então? “Por que ele morreu na cruz?” Porque esta foi a sua vontade e a do Pai. O Senhor teve que morrer na cruz por nós porque já estava levando sobre si todos os nossos pecados. Temos que entender bem isso e crer nisso também.
No culto desta manhã, eu quero pregar sobre o jejum de 40 dias de Jesus e a tentação de Satanás. Jesus estava jejuando por 40 dias e Satanás disse a ele para transformar as pedras em pão e comê-las. E ele poderia mesmo fazer isso porque tinha o poder de Deus. Deus podia fazer isso porque ele é o Deus que traz os mortos de volta à vida e cria algo de onde não existe nada. Mas Jesus não fez isso e usou apenas a Palavra de Deus para vencer a tentação de Satanás.
Você e eu temos que entender isso muito bem e crer que Jesus é Deus. Jesus é o Deus que criou o universo, o Criador que fez todas as coisas que existem, inclusive aquela plantinha ali e aquela aranha andando pela teia no telhado. Ele é Deus e o nosso Salvador. E se crermos fielmente que Jesus, nosso Deus, nos salvou, teremos uma fé poderosa então.
Mas o que aconteceria se achássemos que Jesus é apenas um homem? Isso não adiantaria nada, por mais que crêssemos. É isso mesmo. Nós, seres humanos, temos que entender muito bem a divindade de Jesus para termos fé no coração. Nós não devemos conhecer Jesus apenas como um simples Salvador. E não devemos fazer isso porque há muitos neste mundo que se dizem salvadores. Só há um Deus que pode salvar a todos nós dos pecados do mundo e do juízo. Nós merecíamos ir para o inferno porque pecamos perante Deus, e só pudemos ser salvos dos nossos pecados porque o próprio Deus veio como nosso Salvador e nos salvou.
 
 

Nós Temos que Aprender sobre a Justiça de Jesus de Modo Correto

 
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32). Este é o fundamento e a coluna da nossa fé. É a coluna da fé cristã. E nossa vida espiritual de fé acabará se não entendermos bem isso. Nós não vamos conhecer bem Jesus e crer nele se confessarmos apenas: “Eu creio em Jesus, o Filho de Deus”. Nós temos que crer em Jesus entendendo bem que ele é Deus. A Bíblia diz que ele “estava no mundo, e o mundo foi feito por ele”. E como diz esse texto, todo o universo foi criado por Jesus. Você e eu também fomos criados por ele.
Jesus, aquele que nos criou, veio a este mundo num corpo carnal e ficou aqui algum tempo para nos salvar do pecado; e ele de fato nos salvou dos nossos pecados. E após nos salvar de um modo perfeito pelo evangelho da água e do Espírito, ele foi assunto aos céus. Nós temos que crer e entender muito bem o ministério da salvação que Jesus, o Deus Criador, realizou.
Você sabe por que muitos teólogos no mundo inteiro e muitos pastores cristãos e crentes não dão frutos da fé e vivem sob a maldição do pecado? Porque eles não creem e não sabem bem por que Jesus é Deus. E eles tentam impor suas opiniões porque não tem essa fé; só que todos os seus esforços são em vão. Portanto, através do texto bíblico deste capítulo, você e eu temos que entender muito bem que Jesus é o Deus Criador e o nosso Salvador. Através dele o Senhor revela um pouco da sua divindade.
O homem jamais poderá ser Deus. E por mais que finja ser santo e espiritual, ele jamais poderá ser Deus. Aqueles que fazem parte de algum culto é que desejam ser como Jesus e se acham acima dos seres humanos. Todos os pastores e ministros que se acham acima dos seres humanos estão endemoninhados ou fazem parte de uma seita. Eles são totalmente hipócritas. No entanto, há muita gente que é enganada por eles hoje em dia e dizem: “Ele é um homem santo”. Seria bom se um pastor fosse o deus da montanha? Um pastor que é o deus da montanha na verdade não é um pastor. Ele é um enganador, não um servo de Deus.
Jesus é Deus. Ele é o Deus que criou o universo. Você crê que Jesus é Deus? Você crê que ele é o Deus que criou todo o universo? Jesus é o Deus que criou o universo e todos nós. Ele é o Deus todo-poderoso que nos salvou de um modo perfeito dos nossos pecados. Além disso, ele é o nosso Deus, o nosso Salvador, o nosso amigo, o nosso Noivo. Ele é o nosso noivo espiritual e tudo para nós porque nos levará para o seu reino a fim de que vivamos com ele por toda a eternidade.
Jesus é perfeito porque ele é Deus. Ele é completamente perfeito. Nós temos que entender bem isso e crer nisso também. Todos nós temos que ser verdadeiros cristãos que creem em Deus de coração, não somente em nossa mente.