דרשות

Assunto 17: JESUS CRISTO e JOÃO BATISTA

[17-11] “Eu Envio o Meu Anjo Diante da Tua Face” (Marcos 1:1-5)

“Eu Envio o Meu Anjo Diante da Tua Face”
(Marcos 1:1-5)
“Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. Como está escrito no profeta Isaías:
Eu envio o meu anjo diante da tua face,
O qual preparará o teu caminho.
Voz do que clama no deserto:
Preparai o caminho do Senhor,
Endireitai as suas veredas.
Apareceu João batizando no deserto, e pregando o batismo de arrependimento, para remissão dos pecados. Toda a província da Judéia e os de Jerusalém iam ter com ele e, confessando os seus pecados, eram batizados por ele no rio Jordão”.
 
 

O Que Você Sabe sobre João Batista, Que foi Enviado por Deus?

 
João Batista pregava o batismo do arrependimento para a remissão de pecados no deserto. E não apenas isso, mas foi ele quem ministrou em Jesus o batismo que transferiu para Ele todos os pecados do mundo. Já que João Batista era o último sacerdote do Antigo Testamento e nasceu da família do sumo sacerdote, ele foi o servo de Deus que passou todos os pecados da humanidade para Jesus por meio do Seu batismo, segundo a vontade de Deus. Na época em que João Batista nasceu nessa terra, o povo de Israel adorava muitos ídolos. Mas depois de estarem cheios de pecado por adorarem ídolos, veio a dor e eles começaram a desejar a vinda do Salvador prometido que os livraria do sofrimento. E Deus enviou João Batista e Seu Filho Jesus Cristo a essa terra quando o povo mais desejava. Deus enviou João Batista a esta terra seis meses antes de Jesus Cristo para salvar todos os pecadores dos seus pecados. João Batista era a “voz que clamava no deserto”. Ele era o “Elias espiritual” que foi prometido no Antigo Testamento.
Portanto, todos nós temos que ser pessoas que aprendem e crêem na vontade de Deus, que foi usar João Batista. A Bíblia diz que João Batista foi enviado a esta terra seis meses antes de Jesus. Há havia um profundo significado em Deus enviar João Batista antes de Jesus. Sendo assim, temos que pensar mais a fundo sobre isso, conhecer e crer na obra de João Batista.
Deus enviou Seus servos no tempo certo e guiou Seu povo pelo caminho da justiça. Ele parou de enviar Seus profetas 400 anos antes de enviar João Batista. Por isso, o povo de Israel estava ansioso esperando que viesse o servo de Deus que lhe anunciaria a verdadeira Palavra de Deus. Eles viveram muito tempo sem poder ouvir a Palavra pregada pelos servos de Deus. O povo de Deus estava cansado porque não havia um profeta que os guiasse corretamente através da vontade de Deus e da Sua Palavra. Eles chegaram a um ponto em que necessitavam demais de um servo de Deus sincero. João Batista foi a pessoa enviado por Deus naquela época. Seis meses depois de Deus enviar João Batista, Ele enviou Seu Filho Jesus a este mundo.
Jesus foi enviado a essa terra então pela vontade de Deus. Ele era o Filho de Deus, o nosso Deus, e o completo e absoluto Salvador dos pecadores. Ele jamais foi uma criatura como nós. Jesus Cristo era de fato o próprio Deus, Seu Filho unigênito e fiel que humilhou a Si mesmo. Jesus Cristo, que veio para o povo de Israel, foi quem realizou a salvação e salvou todos os homens do pecado do mundo. Ele era o Rei que tinha o grande desejo de cumprir a vontade do Pai e veio a essa terra numa forma humilde.
Por ser aquele que anunciava a vontade de Deus no deserto, João Batista era o servo de Deus que, quando chegou o tempo da vontade de Deus ser cumprida, tinha apenas que ministrar o batismo que transferiria todos os pecados do mundo para Jesus. No entanto, antes de fazer essa obra de justiça, ele teve que se alimentar de gafanhotos e mel silvestre no deserto. E quando o povo de Israel, que estava servindo aos ídolos por centenas de anos, conheceu a vontade de Deus e ouviu Sua Palavra através de João Batista, eles começaram a dar ouvidos a ela. Assim, muitos do povo de Israel foram despertados para o seu pecado e quiseram voltar para Jeová. Deste modo, eles começaram a se preparar para Jesus, que viria para purificar os pecados de uma só vez os pecados do homem.
Está escrito: “Entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele” (Mateus 11:11). João Batista foi o último profeta do Antigo Testamento que representou toda humanidade. Ele foi aquele capaz de cumprir o papel de último sumo sacerdote nessa terra. Ele foi aquele que transferiu todos os pecados deste mundo pelo batismo que ele ministrou em Jesus.
Por outro lado, Jesus recebeu todos os pecados do mundo de uma vez por todas, e desde o início Ele era o Filho de Deus e o Cordeiro do sacrifício que foi preparado por Ele para fazer isso (João 1:29). Jesus se tornou o verdadeiro Mediador entre Deus e o homem. E como João Batista foi o primeiro que deu testemunho disso, Deus apontou para ele e disse: “Este é o Elias que havia de vir” (Mateus 11:14). João Batista, o servo de Deus, foi aquele que testificou que Jesus era o Cordeiro de Deus que veio para tirar os pecados do mundo (João 1:29).
 
 

Deus em Sua Providência Enviou João Batista para Trazer Salvação a Você

 
O nascimento de João Batista e a linhagem da sua família estão muito bem explicados em Lucas 1. Se nós olharmos para o nascimento de João Batista como mostra a Palavra de Deus, vamos entender que ele nasceu pela obra de Deus que em Sua providência nos traria salvação.
A primeira coisa que passamos a saber é que a família de João Batista era descendente dos sumo sacerdotes do Antigo Testamento (1 Crônicas 24:1-19). Zacarias, pai de João Batista, era da família dos sumo sacerdotes. Ele era alguém que fazia seu trabalho com todo o zelo segundo os mandamentos, regras e leis de Deus. Mas seu único desejo era ter um filho, porque sua mulher, Isabel, não podia engravidar. Um dia então, ele entrou no santuário para cumprir sua função como sacerdote de acordo com a ordem da sua divisão, conforme era um costume entre os sacerdotes. Ele tinha que queimar incenso com toda a reverência pelo povo de Israel, pois a sorte caiu sobre ele para que ele fizesse isso no templo do Senhor (Lucas 1:9). Neste exato momento, Deus enviou o anjo Gabriel para entregar Sua mensagem a Zacarias: “Zacarias, não temas. A tua oração foi ouvida. Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João” (Lucas 1:13). Naquela época, sua mulher Isabel já era idosa, e mesmo o mensageiro de Deus, o anjo Gabriel, tendo dito a ele tudo aquilo, ele não acreditou. Zacarias ficou mudo, então os outros sacerdotes entenderam que ele tinha tido uma visão no templo, pois estava mudo e falava por sinais (Lucas 1:20-22).
Depois disso, as maravilhosas obras de Deus começaram a acontecer naquela família e Isabel ficou grávida de acordo com a profecia do anjo Gabriel. Depois que ela ficou grávida e a criança nasceu, sua família queria dar a ela o nome de seu pai, Zacarias, que era descendente do sumo sacerdote Arão. Porém Zacarias, que até aquele momento estava mudo, pediu uma tábua e escreveu que o nome do menino seria João. E todos acharam estranho porque era costume naquela época colocar o nome do pai no filho recém-nascido. Todos acharam estranho ele ter colocado o nome do filho de João, mas a língua de Zacarias se soltou, ele ficou cheio do Espírito Santo e começou a louvar a Deus, profetizando assim: “E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo; pois irás adiante da face do Senhor, e prepararás os seus caminhos, para dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados, por causa da entranhável misericórdia do nosso Deus, pela qual o sol nascente das alturas nos visitará, para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz” (Lucas 1:76-79).
A boca de Zacarias se abriu e o seu louvor subiu até o Céu. Ele profetizou sobre a vida de João, dizendo: “Este filho é meu, mas ele é um servo que Deus enviou. Ah filho meu, que nos foi dado por Deus! Você foi separado para ser o profeta do Deus altíssimo. Você irá diante do Senhor e preparará o Seu caminho, e todas as pessoas aprenderão sobre a verdadeira salvação por meio da remissão de pecados do povo de Deus”. Foi assim que João Batista nasceu da família dos sumo sacerdotes e recebeu a função de transferir todos os pecados dessa terra para Jesus. Ele foi enviado a este mundo como o servo de Deus que seria indispensável para toda a humanidade.
O livro da Malaquias, no Antigo Testamento, profetizou assim a vinda de João Batista no Novo Testamento: “Vede, eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o dia grande e terrível do Senhor” (Malaquias 4:5). Deus prometeu enviar a essa terra um servo Seu no espírito e poder de Elias, antes do grande e terrível dia do Senhor que queimaria este mundo como uma fogueira e o faria desaparecer. Ele seria um servo de Deus que viria a essa terra nos últimos dias e faria a grande obra de trazer de volta para junto de Deus todos aqueles que O deixaram.
Em Mateus 11:12-14, Jesus disse: “Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele. Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir”. Ele testificou que João Batista era o servo de Deus como Elias que foi profetizado no Antigo Testamento. “Vede, eu envio o meu mensageiro que preparará o caminho diante de mim. De repente virá ao seu templo o Senhor, a quem buscais, o mensageiro da aliança, a quem desejais; ele vem, diz o Senhor dos Exércitos. Mas quem suportará o dia da sua vinda? E quem subsistirá, quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do ourives e como o sabão dos lavandeiros. Assentar-se-á como fundidor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi, e os refinará como ouro e como prata. Então eles trarão ao Senhor ofertas em retidão” (Malaquias 3:1-3).
Malaquias 1:3 se refere a João Batista ao dizer: “Vede, eu envio o meu mensageiro que preparará o caminho diante de mim”. E também profetiza sobre o nascimento de Jesus Cristo quando diz: “De repente virá ao seu templo o Senhor, a quem buscais”. Nós podemos ver em Mateus 3:13-17 o ministério conjunto de Jesus Cristo e João Batista que cumpriu a justiça de Deus. Por isso, João Batista é o último profeta do Antigo Testamento que foi capaz de transferir os pecados do mundo para Jesus, pois ele era o servo de Deus espiritualmente capaz de realizar a função de sumo sacerdote. O livro de Malaquias, no Antigo Testamento, profetizou que João Batista e Jesus viriam a essa terra antes que viesse o fim.
 
 

João Batista Veio a essa terra no Espírito e Poder de Elias

 
Malaquias 4:5-6 diz: “Vede, eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o dia grande e terrível do Senhor. Ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos aos pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição”. No Novo Testamento, em Mateus 11:14, Jesus testifica: “E, se quiserdes dar crédito, ele [João Batista] é o Elias que havia de vir.
O que significa então: “Eu enviarei Elias a vocês” antes da destruição deste mundo?” Significa que Deus enviaria a essa terra Seu servo que transferiria os pecados do todo mundo para Jesus Cristo. Isaías 40:3 também se refere a ele assim: “Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus”. É a João Batista que o texto está fazendo alusão aqui ao dizer: “Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus”.
2 Reis relata o arrebatamento de Elias assim: “Indo eles andando e falando, de repente um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro, e Elias subiu ao céu num redemoinho”. Como diz aqui, Elias era um profeta de Deus que foi levado por Ele sem passar pela morte. Deus prometeu na Bíblia que nos enviaria Elias, e isso significa que Ele enviou João Batista, que era capaz de fazer as mesmas obras que Elias. Foi João Batista que batizou Jesus e transferiu para Ele de uma vez por todas os pecados do homem no Novo Testamento. O profeta Elias era o servo de Deus que teve grande poder para fazer com que o povo de Israel, que estava afastado de Deus por causa da adoração aos ídolos, voltasse para Ele. Nos dias do Novo Testamento, João Batista foi o servo de Deus que pôde transferir todos os pecados do homem para Jesus de uma só vez. João Batista recebeu as funções de sumo sacerdote. E dentre todas as pessoas que viviam neste mundo, somente ele foi escolhido por Deus para fazer essa obra (Mateus 3:13-17).
 
 

O Ministério de Elias Descrito no Antigo Testamento

 
Nós podemos ver o grande poder de Elias se compararmos sua obra com a dos outros profetas do Antigo Testamento. Isaías também disse ao povo para abandonar os ídolos e voltar para Deus, mas poucos foram aqueles que ouviram seu clamor e voltaram para Deus. Jeremias, o profeta das lágrimas, dizia ao povo a vontade de Deus todos os dias chorando, mas seu ministério não deu muitos frutos. O profeta Ezequiel também clamou para que o povo deixasse os ídolos e voltasse para Deus, mas o número de pessoas que voltou foi insignificante.
Mas como foi a obra de Elias? Ele foi alguém que lutou e venceu uma batalha de fé contra 850 profetas enfurecidos, para fazer com que o povo de Deus deixasse de servir e seguir aos ídolos e voltasse para Ele. Ele tinha tanta intimidade com Deus que orou a Ele e não choveu por três anos e meio. Ele viveu durante o reinado do rei Acabe, um rei tirano de Israel que negou a Deus e serviu aos ídolos.
Elias foi o servo de Deus que orou e não choveu por três anos e meio, a fim de que o coração do povo e do rei Acabe se voltasse para Deus. Depois de três anos e meio de uma terrível seca, o rei Acabe mandou que seus soldados levassem até ele o profeta Elias. Ele disse a Elias que ele estava afligindo Israel, mas, na verdade, era o rei Acabe que estava afligindo a Deus e ao povo de Israel. Elias então fez uma proposta ao rei Acabe, ele queria mostrar quem era o verdadeiro Deus através de uma demonstração de fé. Ele propôs o seguinte: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; mas se Baal, segui-o” (1 Reis 18:21). Os 400 profetas de Astarote e os 450 profetas de Baal subiram ao monte Carmelo então. Elias então propôs revelar quem era o verdadeiro Deus, Baal ou Jeová, através de uma demonstração de fé. Ele sugeriu que o verdadeiro Deus seria aquele que respondesse com fogo e consumisse a oferta do sacrifício. A princípio, você pode até pensar que Elias seria até derrotado por estar lutando contra 850 profetas enfurecidos que adoravam ídolos. Mas quem você acha que venceu essa batalha de fé?
Os profetas de Baal clamaram o seu nome até o meio-dia, mas não tiveram nenhuma resposta. Eles saltavam ao redor do altar e chamavam o nome de Baal com todo entusiasmo. Mas quando a tarde chegou e não houve nenhuma resposta, Elias zombou deles dizendo: “Clamem mais alto por Baal, pois ele é deus... talvez esteja dormindo, e necessite de que o desperte”. Ao passo que os profetas de Baal gritavam ainda mais alto e se cortaram com facas e lanças até sangrar, conforme seu costume, mas não aconteceu nada até a hora de se oferecer o sacrifício da noite.
Elias então mostrou quem era o Deus verdadeiro. Ele fez uma vala ao redor do altar e encheu de água. Ele encheu quatro cântaros de água e derramou três vezes sobre a oferta e a lenha; e a água encheu a vala ao redor do altar. Depois de fazer isso, Elias orou assim: “Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu, Senhor, és Deus, e que fizeste voltar o seu coração”.
Então, o Senhor Deus enviou fogo do céu e consumiu o sacrifício, a lenha, as pedras, o solo e até a água da vala. A fé de Elias e seu Deus venceram os profetas adoradores de ídolos. Por que Elias quis fazer uma demonstração da fé em Deus? Porque aquilo era uma batalha espiritual de fé, não uma luta de carne e osso.
Todos os 850 profetas que criam em Baal e Astarote, mas o povo de Israel viu o poder do Deus vivo naquela ocasião. Deus mostrou através da fé de Elias que Ele estava vivo e era o Deus do povo de Israel. Já que o rei de Israel viu o poder de Deus diante dos seus olhos, ninguém podia dizer mais que o Senhor não era o verdadeiro Deus. Pela primeira vez, o rei Acabe se arrependeu de crer em Baal, e o povo de Israel voltou a ter a fé de Elias e a buscar ao seu Deus. Por causa disso, Elias foi chamado de servo poderoso, que trouxe o povo de Israel de volta a Deus.
João Batista foi o servo de Deus que teve esse tipo de poder como Elias. Assim como o profeta Elias fez com que todo o povo de Israel voltasse para Deus no Antigo Testamento, João Batista pôde fazer a obra de transferir todos os pecados deste mundo para Jesus ao batizá-Lo no Novo Testamento. Ele deu testemunho de Jesus dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29). Ao fazer isso, todas as pessoas do mundo puderam vir a Jesus Cristo, que veio através do evangelho da água e do Espírito, e receber a purificação dos seus pecados pela fé, além de ser tornar povo de Deus.
Deus enviou João Batista seis meses antes de Jesus para que ele preparasse tudo para transferir os pecados deste mundo para Ele. Todos os pecados do mundo puderam ser purificados só por causa da obra de João Batista e do batismo de Jesus. Jesus pôde receber todos os seus e os meus pecados de uma só vez ao ser batizado por João Batista e, como preço dos pecados do mundo, Ele foi pendurado na Cruz, derramou seu sangue e foi condenado pelos nossos pecados. Agora, aqueles que crêem na obra de João Batista e de Jesus podem receber a salvação dos seus pecados no mundo de uma vez só. O Elias cuja vinda foi profetizada por Deus em Malaquias, no Antigo Testamento, não era outro senão João Batista (Mateus 11:14).
 
 

João Batista Tinha que Ser Capaz de Realizar a Função de Último Sumo Sacerdote nessa Terra

 
Se João Batista não tivesse nascido na família do sumo sacerdote Arão, ele não poderia realizar a função de sumo sacerdote nessa terra. Para poder fazer isso, ele teve que nascer na família de Zacarias, um descendente do sumo sacerdote Arão. Havia uma exigência no Antigo Testamento de que só o sumo sacerdote podia impor as suas mãos sobre o bode sem mancha da expiação, e transferir para ele os pecados do povo de Israel cometidos no ano anterior. João Batista nasceu na família do sumo sacerdote Arão, e por isso ele pôde representar todo mundo, batizar Jesus, o Cordeiro de Deus, e passar todos os seus pecados para Ele de uma vez só. Mas hoje em dia ainda há muitos cristãos que continuam em pecado porque, apesar de crerem em Jesus como seu Salvador, não ignoram e também não dão importância ao papel de João Batista. É por isso que a Bíblia diz o seguinte: “Pois João veio a vós a fim de vos mostrar o caminho da justiça, e não crestes nele, mas os cobradores de impostos e as meretrizes creram. Vós, porém, mesmo vendo isto não vos arrependestes para crerdes nele” (Mateus 21:32). João Batista veio a este mundo mas os fariseus e os sumo sacerdotes, e aqueles que hoje crêem em Jesus, não deram muita importância a sua obra. Nessa geração atual, há muitas pessoas que desprezam o ministério de João Batista, que transferiu os pecados do mundo a Jesus. Os crentes religiosos que não crêem nessa obra tão importante não podem conhecer o segredo do batismo de Jesus no evangelho da água e do Espírito. Uma vida de fé vivida sem crer nessa tão importante obra é o mesmo que zombar da justiça de Deus e estar sob Sua ira.
É algo muito triste ver como hoje em dia alguns cristãos, que crêem que Jesus é o Deus da verdadeira salvação, não conhecem a Verdade conhecida como ‘o evangelho da água e do Espírito’, e levam uma vida de fé baseados em uma falsa verdade. Então, quem eram as pessoas que conheciam e criam na Verdade do evangelho da água e do Espírito na época de Jesus? Eram pecadores, prostitutas e coletores de impostos. Até hoje, pessoas que são espiritualmente como as prostitutas e os coletores de impostos tentam conhecer e crer na Verdade de Deus. Mas que tipo de pessoas são espiritualmente como as prostitutas? Aquelas que pecam segundo o desejo da sua carne e desperdiçam sua vida.
Quem são aqueles que pecam seguindo os desejo da carne então? A verdade é que todos nós cometemos pecados lascivos e da luxúria. Nós também somos como prostitutas que vivem sempre pecando em seu coração por causa dos nossos desejos carnais. Mas não são muitos nessa geração que reconhecem em seu coração que são como prostitutas. No entanto, quando eles reconhecem que são um monturo de pecados diante de Deus, e crêem que Jesus e João Batista vieram até nós para cumprir a justiça de Deus, todos os seus pecados podem ser purificados na mesma hora.
Até mesmo todos vocês que se tornaram cristãos agora precisam ter fé no evangelho da água e do Espírito diante de Deus. Essa fé é o mesmo que crer que João Batista transferiu os pecados do mundo quando O batizou. O mais importante é saber que a fé no evangelho da água e do Espírito nos salvou de todos os pecados do mundo. Portanto, nós temos que saber que todos os nossos pecados são purificados de uma vez só quando cremos que Jesus cuidou deles ao ser batizado por João Batista.
Os cobradores de impostos do Novo Testamento são como as prostitutas, espiritualmente falando, pois cobravam as taxas para as autoridades romanas que dominavam Israel. Naquela época, eles eram tão corruptos que ao cobrarem R$1.000,00 de taxas, por exemplo, costumavam ficar com R$300,00 para si e pagar R$700,00 a Roma. Mas eles também conheciam seus próprios pecados. E é por isso que havia muitas prostitutas e cobradores de impostos que criam em Jesus como seu Salvador naquela época.
Mas os fariseus e principais sacerdotes nunca creram Nele. Eles teimavam que viviam uma vida de justiça guardando a Lei, mesmo sendo imperfeitos. Sendo assim, eles negaram Jesus e João Batista, que veio para mostrar o caminho da justiça, agindo como se não tivessem pecado. Na nossa geração também, os cristãos malignos nem procuram saber que Jesus levou todos os seus pecados ao ser batizado por João Batista. Há também aqueles líderes cristãos tolos que não crêem no evangelho da água e do Espírito, pois estão preocupados em perder sua fonte de renda.
Os fariseus e principais sacerdotes, cuja posição era muito alta naqueles dias, escondiam seus rostos na manga das suas vestes quando viam um pecador e se gabavam da sua santidade. E apesar do seu coração estar cheio de todo tipo de pecado, eles tinham que fazer isso para não parecer imundos e para que as pessoas os tivessem como santos. E esse comportamento falso não parava por aí; eles paravam nas ruas principais levantando seus braços e oravam parecendo muito santos. “Senhor Deus, por favor, salve-nos. Nós estamos orando por este povo tolo e te pedimos que tenhas misericórdia deles e os salve”.
Mas eles eram na verdade hipócritas espirituais e sepulcros caiados. Eles, que ensinavam a Palavra de Deus, na verdade estavam se colocando contra a justiça de Deus. Há muita gente desse tipo nesta geração também. Eles se negam a crer que João Batista transferiu os pecados deste mundo para Jesus de uma vez por todas ao batizá-Lo, e que Jesus cuidou de todos eles de uma vez só. Eles não somente se negam a crer como também tentam impedir que as pessoas creiam no evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Deus. Mas já que eles não crêem que João veio para mostrar o caminho da justiça, eles não podem escapar do juízo do Senhor.
 
 

João Batista Veio para Nos Mostrar o ‘Caminho da Justiça’

 
João Batista veio para nos mostrar o ‘caminho de justiça’. O ‘caminho de justiça’ a que João Batista se refere é a transferência do pecado de todas as pessoas e o fato de elas serem resgatadas deles. Todo aquele que crê no evangelho da água e do Espírito e sabe que ele é a justiça de Deus recebe a remissão dos seus pecados. Não importa quem tenha cometido pecados e quais eles são, todos têm que receber a purificação de pecados através do batismo que Jesus recebeu de João Batista. A fim de cumprir a justiça de Deus, Jesus purificou e levou todos os nossos pecados, foi pregado e pendurado na Cruz, ressuscitou no terceiro dia e salvou do pecado todo aquele que crê. Se não crermos em Jesus de coração, que veio pelo evangelho da água e do Espírito, nós não poderemos ser o povo santo de Deus.
Todos os pecados do mundo foram transferidos para Jesus de uma vez quando Ele foi batizado por João Batista, Ele levou todos eles, foi pregado na Cruz e morreu por nós. Portanto, nós temos que crer agora no evangelho da água e do Espírito. A fé que nos leva a ser verdadeiramente purificados dos nossos pecados é aquela que crê que Jesus, através do batismo que Ele recebeu, levou todos os pecados de uma vez, foi pregado na Cruz e nela morreu. Aquele que não crê no evangelho da água e do Espírito jamais poderá entrar no Céu. Não existe outra maneira de irmos para o Céu a não ser crendo no evangelho da água e do Espírito e tendo nossos pecados purificados. Mas os fariseus e líderes religiosos daquela época lutaram contra a Verdade da salvação porque não criam que Jesus era Deus. Hoje em dia também há cristãos entre nós que crêem em Jesus em vão. Eles são aqueles que, apesar de crerem em Jesus como seu Salvador, ainda estão cultivando o pecado em seu coração.
João Batista veio até nós pelo caminho da justiça de Deus. Jesus foi até os cobradores de impostos e prostitutas e disse a eles que havia doze tipos de pecado no coração do homem. Ele nos ensinou o evangelho da água e do Espírito que purifica os nossos pecados. O Senhor capacitou todas as pessoas a receber a purificação de pecados, todos que crêem no evangelho da água e do Espírito que se tornou a justiça de Deus. João Batista fez o papel de sumo sacerdote que transferiu os pecados deste mundo para aqueles que crêem na justiça de Deus. Até agora João Batista vem até você e a mim pelo caminho da Verdade que contém a justiça de Deus. A ‘justiça de Deus’ que ele cria e pregava era o evangelho da água e do Espírito. Você tem que crer pela fé na justiça de Deus que João Batista cumpriu com Jesus.
A Bíblia diz no Novo Testamento: “Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio como testemunha para testificar a respeito da luz, a fim de que todos cressem por meio dele” (João 1:6-7). João Batista testificou da justiça de Jesus e todas as pessoas passaram a crer em Jesus por causa do seu testemunho. Se João Batista não tivesse feito o papel de sumo sacerdote, transferindo os pecados deste mundo para Jesus através do batismo, como poderíamos crer em Jesus e receber a purificação de todos os nossos pecados pela fé?
Mas já que nós não vimos Jesus sendo batizado por João Batista, ou sendo pendurando e morrendo na Cruz, como é que nós podemos crer nisso? Deus nos deu a Sua Palavra, e a Sua Palavra é a Bíblia.
Você agora pode entender muito bem que todos os seus pecados passaram para Jesus quando João Batista O batizou. Nós sabemos que todos os nossos pecados foram transferidos para Jesus quando Ele foi batizado por João. Como pode então estes que conhecem Jesus e crêem Nele como seu Salvador ter pecado ainda? Como é que os pecados de alguém podem ser purificados na mesma hora se ele não crê que todos eles foram para Jesus quando João Batista O batizou? Se você não sabe que seus pecados foram para Jesus porque você não conhece o evangelho da água e do Espírito, como você pode ser liberto dos seus pecados?
Se você não crê em Jesus como seu Salvador e não conhece a Sua justiça, Seu amor não tem nada a ver com você. O amor de Jesus e Seu sangue podem se tornar vida para você porque Ele levou todos os seus pecados de um vez ao ser batizado por João Batista e ao morrer na Cruz. Se nós conhecemos a justiça de Deus e cremos nela, podemos receber a purificação de todos os nossos pecados de uma vez só pela fé. Mas se não fosse pelo amor de Jesus e pela obra de João Batista, os pecados daqueles de nós que crêem em Jesus não teriam como ser purificados.
Já que as pessoas não sabem que Jesus levou todos os seus pecados de um vez ao ser batizado por João Batista, eles ainda continuam em seu coração mesmo elas crendo em Jesus como seu Salvador. Elas não conhecem o significado do batismo que Jesus recebeu de João Batista, e por isso continuam em pecado mesmo quando desejam crer em Jesus como seu Salvador e quando fazem isso fervorosamente. Tudo que elas fazem então é levar uma vida religiosa, já que seus pecados continuam em seu coração. Elas vivem diariamente com a esperança de entrar no Céu esperando que seus pecados sejam perdoados.
Jesus declarou: “Este é o Elias que havia de vir”. Nós podemos confirmar nos quatro evangelhos que João Batista transferiu os pecado do mundo para Jesus. Quem é este Elias que Mateus 11:14 diz que viria dessa forma? “E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir”? Ele é João Batista. Por essa razão, temos que saber o significado dessas palavras: “Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele. Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça” (Mateus 11:12-15). João Batista foi profetizado no Antigo Testamento, e é por isso que nós sabemos que ele foi um homem enviado por Deus. Através da Bíblia, nós podemos ver que João Batista foi um servo de Deus enviado por Ele.
  
 

Nós Passamos a Entender a Obra de Jesus de Modo Correto e Podemos ir para o Céu Somente Quando Cremos da Mesma Maneira no Ministério de João Batista

 
Está escrito na Bíblia: “Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele”. Violência aqui se refere ao “uso de força física para ferir ou machucar alguém”. Por que Deus disse então que desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus? A função de João Batista deve ter sido muito importante já que a Bíblia afirma isso várias vezes.
A resposta é simples. Desde o início do Antigo Testamento até os dias de Jesus, este foi o tempo da Lei. As profecias do tempo da Lei diziam que Jesus viria a essa terra no futuro, iria tirar todos os pecados do homem de uma vez, purificaria todos eles e cumpriria todas as coisas no Novo Testamento por meio do batismo que Ele receberia de João Batista. É por isso que está escrito que todo aquele que toma o Reino dos Céus com violência pela fé na justiça de Deus está pronto para entrar no Céu, mesmo que ele não tenha nenhuma qualificação para isso.
O tempo da Lei o qual o Senhor se referiu foi o período antes de João Batista. O tempo do Novo Testamento teve início com o nascimento de Jesus e Seu batismo. Já que a Lei nos faz conhecer o pecado, nós podemos reconhecer o pecado e saber que somos pecadores pela Lei que Deus nos deu. Então, nós passamos a entender pela fé que Jesus foi batizado por João Batista, levou os pecados do mundo de uma vez, foi pregado na Cruz e nela morreu. Por isso, nós podemos entrar na porta dos Céus sem hesitar pela fé genuína na justiça de Deus. E já que todos os pecados mencionados na Lei foram passados a Jesus através do batismo que Ele recebeu de João, foram cumpridas essas palavras: “Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João”.
Jesus pôde cumprir a salvação totalmente ao receber todos os pecados deste mundo com o batismo que recebeu de João Batista. Jesus disse que Ele cumpriria a justiça de Deus ao ser batizado por João. Podemos até dizer que o evangelho da água e do Espírito é o cumprimento da última promessa de salvação contida no Antigo Testamento. No Antigo Testamento, o povo de Israel impunha suas mãos sobre a cabeça do animal para o sacrifício, passava seus pecados para ele, derramava seu sangue e o oferecia para receber a remissão dos pecados que tinham cometido contra Deus. Por isso, já que Jesus recebeu também os pecados do mundo sobre o Seu corpo ao ser batizado por João Batista, Ele se tornou a propiciação pelos pecados deste mundo ao derramar Seu sangue na Cruz.
 
 

No Antigo Testamento, Eles tinham que Impor as Mãos sobre a Oferta Sem Mancha e Transferir Seus Pecados para Ela para Purificar seus Pecados

 
O termo “imposição de mãos” no Antigo Testamento tem o significado espiritual de “transferir”. E nós podemos ver que imposição de mãos significa transferir de acordo com a Palavra em Levítico 1:3: “Se a sua oferta for holocausto de gado, oferecerá ele um macho sem defeito. À entrada da tenda da congregação o oferecerá, para que ache favor perante o Senhor”. Deste modo, o povo de Israel trazia uma oferta sem mancha perante Deus, impunha suas mãos sobre ela e transferia seus pecados para ela a fim de purificá-los. É por isso que a Palavra de Deus diz que isso seria aceitável aos Seus olhos. A palavra ‘aceitável’ significa que Deus receberia de bom grado a oferta. Uma oferta aceitável para Deus era a oferta do sacrifício que recebia a imposição de mãos sobre sua cabeça. A oferta que Deus recebia de bom grado concedia à pessoa a purificação de pecados. Ao invés de julgar o pecador, Deus via seu pecado sendo passado para a oferta do sacrifício, aceitava essa oferta e de bom grado purificava os seus pecados.
Todos os homens descendentes de Adão e Eva, o casal que cometeu o primeiro pecado, são pecadores desde que nascem. E eles mesmos não podem resolver o problema do pecado. Por isso, Deus concedeu ao povo de Israel no Antigo Testamento a oferta de expiação. Essas ofertas eram sacrifícios que recebiam a imposição de mãos. Assim, Deus disse a eles para ‘impor’ as mãos sobre a cabeça do animal para purificar seus pecados. Ele falou sobre isso em Levítico 1:3-4. E já que Deus é santo, “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23). E se as pessoas morrerem em pecado, elas irão para o inferno; mas como Deus não queria isso, Ele estabeleceu o sistema sacrificial para a expiação de pecados no Antigo Testamento, que declara que as pessoas tinham que impor suas mãos sobre a cabeça da oferta do sacrifício. Deus então aceitava o sangue do sacrifício como o salário pelo pecado do povo e as libertava de todos eles.
Era assim que acontecia. Desde o começo do mundo, Deus estabeleceu o sistema sacrificial da salvação que consistia na ‘imposição’ de mãos e no ‘derramamento de sangue’. Portanto, a oferta do sacrifício para a salvação estabelecido por Deus primeiro tinha que receber a imposição de mãos para aceitar os pecados da pessoa, e depois tinha inevitavelmente que ter seu sangue derramado. Estes são a justiça de Deus e Seu amor para salvar os pecadores. Isso porque Deus sabia mesmo antes da criação do mundo que nós, seres humanos, iríamos cair em pecado e cometeríamos transgressões. Por este motivo, Ele preparou de antemão Seu Cordeiro sacrificial que purificaria todos os nossos pecados e desejou nos ter junto a Ele. Ele nos fez nascer de novo como Seus filhos pela fé no evangelho da água e do Espírito. Deus preparou tudo isso em Seu sublime desejo de que vivêssemos com Ele para sempre. Deus não quis nos entregar à destruição segundo o juízo do pecado, mas para nos salvar, Ele nos mandou transferir todos os nossos pecados pela imposição de mãos ao Cordeiro sacrificial que Ele havia preparado.
Apesar do homem quebrar o mandamento de Deus e pecar sempre, Ele arrumou um jeito de recebermos a purificação dos nossos pecados segundo Seu grande propósito que nos criou e para nos salvar. Ele estabeleceu o sistema sacrificial que nos permite transferir todos os nossos pecados à oferta do sacrifício pela imposição de mãos e pela fé. Deus não pode ignorar os nossos pecados como se Ele não os tivesse vendo, e já que Ele não pode simplesmente nos deixar morrer porque Ele é o Deus de amor, Ele nos salvou dos todos os nossos pecados através do Cordeiro sacrificial e nos levou a impor nossas mãos sobre Ele, para que assim recebêssemos a purificação dos nossos pecados pela fé.
Deus nos deu a Lei da salvação que cumpriu Sua justiça e misericórdia de uma vez só. Este é o evangelho da água e do Espírito. E o Senhor fez com que Sua justiça se cumprisse por meio do Seu amor. As pessoas transferiam seus pecados para o animal do sacrifício no Antigo Testamento, porém no Novo Testamento, Jesus recebeu a transferência de todos os nossos pecados em Seu batismo, nos salvou e fez daqueles que creram Nele filhos de Deus. Deus estabeleceu a Lei da imposição de mãos como método para transferir os pecados das pessoas para a oferta do sacrifício, e o sangue dessa oferta obrigatoriamente tinha que ser derramado porque levava o pecado das pessoas depois da imposição de mãos.
 
 

O Pecado das Pessoas estão Gravados na Tábua do Seu Coração e no Livro das Obras 

 
Está escrito: “O pecado de Judá está escrito com um estilete de ferro, gravado com ponta de diamante na tábua do seu coração e nas pontas dos seus altares” (Jeremias 17:1). Judá aqui representa todo o povo. Melhor dizendo, os pecados das pessoas estão gravados nestes dois lugares. As palavras ‘gravadas na tábua do seu coração e nas pontas do altar’ significam que, primeiro os pecados ficam gravados na tábua do seu coração, e depois no Livro das Obras; ou seja, o Livro do Juízo (Apocalipse 20:12).
A tábua do coração da pessoa se refere a sua consciência. Nossos pecados ficam gravados em nossa consciência em detalhes com um estilete de ferro com ponta de diamante. Por mais que tenhamos cometido todo tipo de pecado e os outros não saibam, nós não podemos deixar de ser pecadores porque nossos pecados estão gravados em nossa consciência. Portanto, quando as pessoas pecam, elas ficam pensando nisso toda hora, se sentem culpadas por causa disso e ficam muito preocupadas. Mas já que há uma diferença na maneira em que as pessoas se sentem culpadas, algumas continuam vivendo dissolutamente e cometendo pecados como se não tivessem fazendo nada errado. Mas se os outros olharem bem para a consciência delas, eles verão um monte de pecados gravados lá. Sua consciência fica cheia e seus desejos são muito fortes, mas elas simplesmente a desprezam.
Todavia, o pecado não fica gravado apenas na tábua do seu coração. Eles também ficam gravados no Livro do Juízo que está diante de Deus. Assim como deve haver duas testemunhas ou mais no mundo para que algo seja válido, Deus gravou os pecado do homem na tábua do seu coração e no Livro do Juízo. Deus sabia que todos teriam que estar diante Dele, e que eles iriam tentar esconder Dele os seus pecados no fim e ir contra Ele, dizendo: “Eu não cometi pecado algum. Eu nunca fiz isso. Você não me viu fazer isto, viu? Por que Você está me dizendo que eu pequei se Você não me conhece tão bem assim?” Foi por isso que Ele deixou seus pecados gravados na tábua do seu coração e, ao mesmo tempo, no Livro do Juízo.
Mas é claro que os pecados gravados com um estilete de ferro com ponta de diamante são apagados quando uma pessoa recebe a remissão de todos os seus pecados pelo evangelho da água e do Espírito. Mas aqueles que não crêem em Jesus Cristo como seu Salvador, ou que João Batista veio para mostrar o caminho da justiça, um dia enfrentarão a terrível ira de Deus por causa dos seus pecados. Aqueles que estão sob maldição porque ainda não receberam a remissão dos seus pecados, com certeza irão para o inferno quando forem à presença de Deus por causa dos seus pecados que estão gravados na tábua do seu coração.
Está escrito na Bíblia que “cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” (Romanos 14:12). Nós pessoalmente iremos dar conta a Deus pelos pecados que estão gravados na tábua do nosso coração quando estivermos diante Dele. Você pode até dizer: “Eu sou o doutor fulano, da República Federativa do Brasil. Eu nasci nessa terra e tenho pecado desde que eu nasci. Eu pequei tanto, desde a manhã até a noite, que é difícil lembrar de todos eles. Eu não era muito mal quando era criança, mas depois dos 15 anos eu comecei a pecar muito. Eu pecava muito me divertindo, mas quando passei dos 20 anos e cheguei aos 25, aos poucos meus pecados começaram a tomar conta da minha consciência. Eu tinha tantos pecados que não tinha como lembrar de todos eles. Desde que eu nasci até eu morrer, a não ser quando eu dormia, enquanto meus olhos estavam abertos eu pecava, e foi assim que eu cheguei aqui”.
Deus irá pergunta então: “Você conheceu o evangelho da água e do Espírito e creu nele?” E mesmo que a pessoa queria mentir e dizer que sim, ela terá que dizer a verdade desse jeito: “Não, eu nunca quis saber dele”. Deus então irá perguntar algo mais para ela.
“Como é que fica então o problema do pecado que há em seu coração?”
“Eu tentei de tudo para resolver este problema, mas meus pecados continuam no meu coração da mesma maneira”. Deus então irá dizer: “Você vai para o inferno”.
“Eu vou para o inferno?”
“Sim!”
“Mas Deus, por favor...”
“Mas Deus o quê? Todos que pecaram têm que ir para o inferno. Eu não dei o evangelho da água e do Espírito pelo qual era possível receber a salvação do pecado? Eu dei, mas já que você não o quis agora nem Eu posso fazer algo por você. Até logo, e divirta-se no inferno!”
Se os pecados da tábua do coração de alguém não forem apagados enquanto ele viver nessa terra, ele não poderá ir para o Céu, não importa o que ele seja. Isso significa que ele vai para o inferno se os pecados da tábua do seu coração não forem apagados, mesmo que ele creia em Jesus como seu Salvador. Mas há pessoas que tentam enganar sua consciência quando estão na presença de Deus. Elas simplesmente teimam com Deus que não têm pecado.
Se olharmos para Apocalipse 20:12, está escrito que haverá dois tipos de livro quando formos à presença de Deus. Um é o Livro da Vida e o outro é o Livro do Juízo. O Livro do Juízo é o Livro das Obras. Os pecados de todo mundo estão um a um gravados no Livro das Obras, e eles estão empilhados diante de Deus como uma montanha. Mas já que o Livro da Vida só tem uma lista de nomes escrita nele, podemos dizer então que ele não é muito grande. Neste Livro está gravado quem nasceu de novo através do evangelho da água e do Espírito e que recebeu a remissão dos seus pecados, e que tipo de galardão Deus dará a eles. Deus sabe de tudo isso.
Deus designou um anjo para cada ser humano e o mandou estar com ele aonde quer que ele fosse para anotar seus atos detalhadamente. Em Mateus também está escrito que todos têm um anjo. Sendo assim, já que Deus recebe o relatório de tudo sobre nós e nos vê com Seus próprios olhos, nós não podemos enganá-Lo. E mesmo que queiramos enganar nossa consciência insistindo dessa maneira: “eu não cometi nenhum pecado”, um argumento fraco desses não vai funcionar perante o Livro das Obras gravado por Deus. Deus estabeleceu o sistema sacrificial para o bem do homem e fez com que ele recebesse a remissão dos seus pecados.
 
 

Deus Estabeleceu o Sistema Sacrificial Pelo Qual as Pessoas Receberiam a Salvação, para que Seus Pecados Gravados na Tábua do Seu Coração e no Livro das Obras Fossem Apagados

 
Depois que as pessoas no Antigo Testamento transferiam seus pecados para a oferta do sacrifício impondo as suas mãos sobre sua cabeça, eles imolavam o animal e o queimavam. O povo de Israel criava ovelhas e gado para usá-los como oferta pelo pecado, a fim de receber de Deus a remissão. No nosso país cria-se muito gado, mas a maioria das pessoas faz isso em fazendas para ganhar dinheiro ou se alimentar deles. É claro que as ovelhas e o gado também eram usados para alimentar o povo de Israel, mas eles eram criados para oferta do sacrifício. Só depois então é que eles separavam uma parte da carne que poderia ser comida.
Se alguém oferecesse sacrifício uma vez, isso significa que ele não precisaria fazer isso de novo? Não, não é bem assim. Já que os israelitas pecavam todo dia, eles tinham que oferecer sacrifícios diariamente. Uma pessoa não iria cometer pecado no outro dia só porque ofereceu sacrifício no dia anterior. Uma pessoa não recebia de uma vez a remissão dos seus pecados só porque impôs suas mãos sobre a cabeça de uma ovelha uma só vez, a degolou, tomou seu sangue e colocou no altar de ofertas queimadas como oferta pelo seu pecado. Alguém poderia até pensar: “Todos os pecados que eu cometi hoje foram passados àquela ovelha”. Mas ao voltar para casa, ele encontra um cara desonesto que pegou dinheiro emprestado com ele e não pagou, e na mesma hora corre para pegá-lo, se agarra com ele e os dois começam a brigar. Deste modo, os pecados mais uma vez são gravados na tábua do seu coração.
Ele tinha acabado de oferecer sacrifício, mas se o pecado volta a ficar gravado na tábua do seu coração, ele acaba aflito e se irando consigo mesmo. “Não faz muito tempo que eu paguei R$100,00 por uma ovelha, coloquei minhas mãos sobre ela, passei meus pecados para ela e a ofereci como um sacrifício justo degolando-a. Eu recebi a remissão dos meus pecados com muita dificuldade, mas acabei pecando de novo por causa desse cara. Agora eu não tenho outra escolha senão pegar uma ovelha do meu próprio rebanho”. Então ele vai, pega outra ovelha para trazer ao Tabernáculo e pede a um dos sacerdotes para oferecer sacrifício por ele. No Antigo Testamento, os sacerdotes sempre ficavam na entrada do Tabernáculo. Eles não tinham tempo de descansar. Era isso que os sacerdotes do Antigo Testamento faziam.
“Não foi você que esteve aqui agora há pouco?”
“Sim, fui eu. Mas eu pequei de novo. Eu ofereci sacrifício e estava indo para casa com o coração leve, mas veja você, eu encontrei um cara a quem eu emprestei dinheiro e ele não me pagou. Eu tentei me controlar mas o cara me tirou do sério. Então, sem perceber, minha mão voou na cara dele. É claro que ele revidou e a coisa ficou feia. Saiu faísca. Eu até que recebi a remissão dos meus pecados, mas acabei pecando indo para casa e por isso eu trouxe outra ovelha para o sacrifício. E é claro que essa também é uma ovelha sem mancha”.
“Olha só! Vê se você se controla e tenha uma vida santa. Assim eu vou acabar morrendo. É fácil para você trazer essa ovelha, impor suas mãos sobre ela e dá-la para mim, mas todo o trabalho não acaba ficando para mim? Eu, na minha função como sacerdote, tenho que degolá-la, colocar seu sangue nas pontas do altar de ofertas queimadas, tirar seu couro e cortar a carne em pedaços, e queimá-la no fogo. Droga, esse trabalho é tão duro que eu vou acabar morrendo. Foi muito difícil para mim sacrificar o animal que você trouxe antes, e agora vem você de novo com outro animal, cara. É por causa de pessoas como você que a fumaça no Tabernáculo nunca cessa”.
“Ah, eu realmente sinto muito, sacerdote. Eu vou tomar mais cuidado no futuro”.
Mas ao voltar para casa sentindo seu coração leve de novo, ele sem querer comete outro pecado. Quantas vezes eles pecou num só dia? Não foram três, quatro vezes? Toda vez que isso acontecia com o povo, eles iam ao Tabernáculo para oferecer sacrifício.
“Eu estou com vergonha mas tive que voltar. Mais uma vez, faça tudo que você tem que fazer, sacerdote!” Ele então deixa a ovelha lá e vai embora. Mas se ele desse a ovelha ao sacerdote, deixasse tudo por sua conta e não fizesse a sua parte, sua oferta seria totalmente inútil. Se o sacerdote sacrificasse e comesse a ovelha, e impusesse suas mãos sobre ela para transferir os seus próprios pecados, pegasse seu sangue e colocasse nas pontas do altar de ofertas queimadas e derramasse o restante no solo, só os seus pecados seriam remidos. Mais tarde, todos os pecados do Livro das Obras e da tábua do seu coração seriam apagados segundo a lei que diz que “o salário do pecado é a morte”, por ter imolado a ovelha, derramado o seu sangue até ela morrer, tomado o sangue e colocado nas pontas do altar de ofertas queimadas, e derramado o restando no solo.
Que tipo de pecado a ovelha tinha realmente? Que tipo de atitude ética ou moral tem uma ovelha para que ela conheça os seus pecados? já que os animais não têm alma, eles não têm consciência de nada, e por isso não entendem a Lei. Portanto, nenhum animal quer era sacrificado tinha pecado. As ovelhas simplesmente tinham que morrer para receber os pecados do povo pela imposição de mãos. Uma ovelha ignorante era simplesmente usada por Deus como um substituto para salvar o homem; mas este animal não conhecia nem tinha pecado.
Aqueles que queriam receber a remissão de pecados de um modo ou de outro tinham que impor suas mãos sobre o animal do sacrifício. E depois de impor suas mãos sobre sua cabeça e transferir seus pecados para ele, eles tinham que sacrificar este animal. Portanto, se alguém somente deixasse o animal lá e não impusesse suas mãos sobre ele, ele não se tornaria uma oferta adequada para a remissão de pecados. Se uma pessoa quisesse receber a remissão de pecados, ele necessariamente tinha que impor suas mãos sobre a oferta sem mancha e derramar seu sangue, pôr o sangue nas pontas do altar de ofertas queimadas, derramar o restando dele no solo e, por último, oferecer a sua carne a Deus e queimá-la no fogo. O pecador tinha que impor suas mãos sobre a cabeça do animal e ele mesmo imolá-lo, mas o sacerdote fazia o resto.
Já que as pessoas estavam propensas a pecar várias vezes num só dia, eles podiam oferecer sacrifício toda vez que eles pecavam. Se uma pessoa fosse ao Tabernáculo todos os dias e oferecesse uma ovelha por dia, no final de um ano ela teria sacrificado 365 animais. Se fosse assim, todos teriam que criar ovelhas. Mas se alguém fizesse isso, ele ficaria chateado por ter que oferecer sacrifício dia após dia e acabaria desistindo. E ele acabaria desistindo mesmo e diria: “eu vou pecar amanhã de novo, mesmo que eu ofereça sacrifício hoje”, porque na sua decepção ele iria pensar assim: “eu não sou bom. Eu não posso fazer isso. Eu não sou bom!”
Já que Deus conhece bem nossas fraquezas, ele arrumou uma maneira de remir os pecados que os israelitas cometiam durante o ano.
Para que o povo de Israel recebesse a remissão de pecados cometidos em um ano, dois bodes eram preparados. O sumo sacerdote, no lugar de todos os pecadores, impunha suas mãos sobre a cabeça do primeiro bode que representaria o povo de Israel perante Deus. E ele derramava seu sangue cortando sua garganta. Ele então o espargia sete vezes sobre o Santo dos Santos para a banda do oriente. “Senhor Deus, olhe para este sangue”. Dois anjos com suas asas estendidas cobriam a tampa da Arca do Concerto, e o sumo sacerdote espargia sete vezes o sangue sobre ela (Levítico 16:15-16).
Era necessário dois bodes para se oferecer sacrifício no Dia da Expiação. Um era usado para oferta no Tabernáculo de Deus. Quando o sumo sacerdote colocava suas mãos sobre sua cabeça, ele o degolava e derramava o seu sangue. Ele pegava o sangue então e entrava no Santíssimo lugar para santificá-lo e os seus instrumentos. Logo depois, o sumo sacerdote impunhas as suas mãos sobre a cabeça do outro bode na frente do povo, e alguém que era escolhido previamente o levava para o deserto. Assim, este bode levava todos os pecados anuais do povo de Israel para o deserto, vagando a esmo e berrando, sem água ou pasto, e depois morria de sede. Era necessário dois animais, já que a oferta do sacrifício era oferecida duas vezes assim. Esta era a oferta do Dia da Expiação.
Mas esta não era uma oferta perfeita. Já que eles tinham que oferecer sacrifício todos os anos, esta era uma oferta que os levava a lembrar do pecado (Hebreus 10:3-4). Mas Deus então quis estabelecer uma oferta para a salvação eterna e imutável ao invés de ofertas imperfeitas que tinham que ser oferecidas todo ano. Por isso, Ele prometeu que ofereceria a Si mesmo como o eterno sacrifício e nenhuma outra oferta pelo pecado seria mais necessário.
 
 

O Eterno Sacrifício da Redenção Dado por Deus foi Oferecido Quando Jesus foi Batizado por João Batista

 
Deus se lembrou que era preciso um sumo sacerdote e uma oferta para o sacrifício exatamente segundo a lei da salvação que Ele havia planejado antes da criação do mundo. E este era o ministério de Jesus e João Batista. O batismo de João Batista em Jesus no rio Jordão foi o mesmo que a imposição de mãos do Antigo Testamento. Melhor dizendo, Jesus veio a essa terra como o Cordeiro sem mancha e foi batizado por João Batista, o representante da humanidade. Foi assim que Jesus recebeu os pecados do mundo. Ele recebeu a transferência do pecado, foi pendurado na Cruz e condenado por todos os nossos pecados. A justiça de Deus e Seu justo juízo foram cumpridos nessa terra quando Jesus ofereceu este sacrifício.
“Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele. Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele” (Mateus 11:12-14).
João Batista não era apenas o representante do povo de Israel, ele era o representante de toda a humanidade. Ele foi chamado de o maior entre todos os homens nascidos de mulher. Em Mateus 11:11, Jesus aponta para João Batista e diz: “Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele”. Ele diz também que se faz violência ao Reino dos Céus desde os dias de João Batista.
O Antigo Testamento foi até João Batista porque ele foi o último sumo sacerdote do Antigo Testamento. O Novo Testamento começou com o nascimento de Jesus. O Novo Testamento começou quando João Batista foi levantado entre o Antigo e o Novo Testamento para batizar Jesus e transferir os pecados para Ele. E está escrito que o Reino dos Céus sofre violência desde os dias de João Batista porque ele batizou Jesus e transferiu todos os pecados para Ele. E já que ele O batizou e transferiu os pecados do mundo para Ele, ele pôde testificar: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” O Novo Testamento começou e desde os dias de João Batista faz-se violência ao Reino dos Céus.
Se lermos Mateus 3:13-15, está escrito: “Então veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: Eu preciso ser batizado por ti, e vens tu a mim? Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Então João consentiu”. Vamos pensar um minuto então. Jesus foi batizado por João Batista. Onde Ele foi batizado? No rio Jordão. Por que Ele foi batizado? Para cumprir toda a justiça. Jesus foi batizado por João Batista como dizem essas palavras: “João veio a vós a fim de vos mostrar o caminho da justiça”. Jesus foi batizado para ‘cumprir toda a justiça’. O fato de Jesus ter sido batizado no rio Jordão significa que isso aconteceu a fim de Ele ‘cumprisse toda a justiça’.
O povo do Antigo Testamento entrou na terra de Canaã cruzando o rio Jordão. A terra de Canaã significava a Terra Prometida, isto é, o Céu. Então, o rio Jordão também significa o ‘rio de morte’. Isso quer dizer que eles cruzaram o rio Jordão para ter um encontro com Deus na Terra Prometida de Canaã, no Céu. Sendo assim, Jesus foi batizado no rio Jordão a fim de acabar com todos os pecados e a morte.
“Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus”. O ministério de João Batista teve início quando Jesus deu início ao Seu ministério público também. A primeira coisa que Jesus fez em Sua vida pública para eliminar o pecado homem foi ser batizado por João. Ao ser batizado por João Batista, Jesus recebeu todos os pecados do homem, assim como os seus e os meus pecados. Jesus recebeu os pecados do mundo de uma vez por todas ao ser batizado da mesma forma que a imposição de mãos no sistema sacrificial do Antigo Testamento. Quem batizou Jesus? João Batista, o representante da humanidade e o maior entre os nascidos de mulher, O Batizou.
João Batista foi o maior entre os nascidos de mulher. E a sede que ele tinha nessa terra era a sede de Jesus também. Já que Jesus nasceu seis meses depois de João Batista, Ele estava atrás dele em estatura, mas não há dúvidas de que Jesus e João Batista vieram ao encontro um do outro como o Cordeiro de Deus e o representante da humanidade respectivamente.
A vida particular de Jesus acabou e Sua vida pública teve início quando Ele fez 30 anos. Ele começou a obra para salvar todos a humanidade do pecado ao ser batizado. E quem Jesus procurou para ser batizado? Jesus foi ao encontro de João Batista que clamava no rio Jordão: “Arrependei-vos, raça de víboras. Venham ser purificados nesta água e creiam no Senhor que virá!” E finalmente, Jesus abaixou Sua cabeça para João Batista batizá-Lo.
“Me batize, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Você é o representante de toda a humanidade, e por isso é certo você transferir todos os pecados do homem para mim através do batismo. Eu purificarei todos os seus pecados quando você os transferir para mim. Eu farei com que todos que crêem em mim recebam a salvação quando todos os seus pecados neste mundo forem transferidos para mim e Eu morrer na Cruz. Isto é o amor e salvação de Deus. Deus Pai me enviou a essa terra para Eu levar todos os pecados do homem e ser condenado no lugar deles. Portanto, você tem que me batizar”.
Sendo assim, Jesus foi batizado por João Batista e recebeu a transferência de todos os pecados deste mundo. A palavra ‘batismo’ quer dizer ‘ser purificado’. Da mesma maneira, a imposição de mãos no Antigo Testamento também significa ‘transferir’, ‘pecado passado’, e ‘enterrar’. Nós podemos ver no Antigo Testamento que o pecado seria passado pela imposição de mãos sobre a oferta do sacrifício. Assim, Deus aceitava de bom grado o sangue da oferta. Ele disse que aceitaria a oferta do sacrifício e seu sangue pela imposição de mãos porque isso O agradaria.
Deus enviou Jesus porque Ele nos amou, como está escrito: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Isso porque Ele não podia fazer com que os pecadores se tornassem Seu povo. Por isso, Deus transferiu todos os pecados do homem para Jesus. Ele enviou Jesus e fez com que Ele levasse todos os pecados do mundo, a fim de que nos tornássemos pessoas sem pecado. Nós pudemos nos tornar filhos de Deus sem pecado porque todos eles foram passados a Jesus quando Ele foi batizado por João Batista. Ele fez com que toda a humanidade se tornasse sem pecado pela fé no eterno sacrifício de Jesus. Isto é o amor, a santidade e a justiça de Deus. Portanto, foi uma obra de Jesus ser batizado também.
Jesus foi até João Batista quando ele batizava o povo no rio Jordão.
“Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Me batize” (Mateus 3:15).
“Como eu posso Te batizar? Mesmo sendo o maior entre os nascidos de mulher e Deus tendo me dado essa tarefa, Tu és maior do que eu? Tu és o Filho de Deus e o Criador. Como eu posso batizá-Lo?”
Dizer “deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça” é o mesmo que dizer que Jesus recebeu todos os pecados do homem sobre Seu corpo ao ser batizado por João Batista. João Batista foi o representante da humanidade, aquele que realizou as tarefas de sumo sacerdote de toda humanidade. Como o último sacerdote do Antigo Testamento, ele batizou Jesus para passar os pecados do mundo para Ele. João Batista era a única pessoa qualificada para batizar Jesus, o Cordeiro de Deus e Filho de Deus. Jesus foi batizado pelo sumo sacerdote da terra porque Ele era o Cordeiro de Deus que veio para tirar os pecados do mundo. Citado em todo o Antigo Testamento, Jesus era o Cordeiro de Deus que seria a oferta para a expiação, e João Batista era o sumo sacerdote. Jesus disse então: “Você é aquele que irá transferir todos os pecados das pessoas para mim. Ministre o batismo em mim então”.
João Batista se recusou quando Jesus disse isso, mas Ele ordenou: “Faça! Pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Eu te ordeno, me batize. Transfira os pecados do homem para mim me batizando através da imposição de mãos. Ao receber de você o batismo pela imposição de mãos, todos os pecados do homem serão transferidos para mim e Eu os purificarei a todos. A obra mais justa que houve foi passar todos os pecados para o Corpo de Jesus quando Ele foi batizado por você. Eu fui condenado no lugar de todos os homens porque recebi todos estes pecados. Isto é o amor e a salvação de Deus”.
Jesus mandou que João Batista O batizasse. Foi assim que João Batista O batizou. Jesus disse: “Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça” (Mateus 3:15). Aqui, “toda a justiça” é ‘πάσαν δικαιοσύνην’ (pasan dikaiosunen) em grego, que significa o estado mais perfeito onde não há defeito algum.
 
 

Nós Temos que Crer nos Atos de Justiça de Jesus para que Nossos Pecados sejam Purificados

 
Nós somos como fábricas que produzem pecado desde que nascemos. Isso porque nós herdamos o pecado dos nossos pais desde que saímos do ventre de nossa mãe. Nós nascemos nessa terra e herdamos o pecado de Adão e Eva, de quem surgiram os diversos tipos de pecado pessoais que cometemos até a nossa morte. ‘Do berço à sepultura’, nós somos fabricantes de pecado.
Quem é Aquele então que salva seres pecadores assim e os torna justos? Jesus, o Filho de Deus, que foi batizado por João, derramou Seu sangue e morreu por nós. Nosso Senhor disse que essa era a maneira mais correta e única para a salvação: Ele sendo batizado para eliminar todos os pecados do homem de uma vez por todas. João transferiu todos os pecados do homem para Jesus e Ele recebeu em Seu corpo todos estes pecados em Seu batismo. Ele disse que assim seria mais apropriado.
Nós temos que crer no que Ele disse. Além disso, temos que crer nas obras de justiça que Ele realizou. Está escrito que João veio no caminho da justiça. Ele anunciou corretamente a Verdade. Nós somos pessoas tolas que pecam desde o dia do nosso nascimento até morrermos. No entanto, todos os nossos pecados foram para Jesus quando Ele foi batizado por João Batista no rio Jordão, o rio da morte. Através do método da imposição de mãos, Jesus cumpriu toda a justiça de Deus ao ser batizado. Antes de você e eu nascermos, nosso Senhor veio a este mundo e realizou a salvação.
Enquanto este mundo existir, todos que são à semelhança e à imagem de Deus nascerão, morrerão, e assim sucessivamente. Todo mundo comete pecados enquanto está vivo, mas no fim acabam morrendo. Isto vai acontecer até o fim do mundo. Jesus veio a essa terra no ano 1 A.D. a fim de salvar os pecadores dos seus pecados. Ele foi batizado para salvar você e a mim dos nossos pecados. Jesus foi batizado e cumpriu toda a justiça de Deus para salvar a todos nós do pecado. Ele cumpriu toda a justiça, ou seja, a remissão de pecados, através do Seu batismo. Nosso Senhor Jesus Cristo cuidou de todos os seus e os meus pecados com Seu batismo. Quando Ele foi batizado, a voz de Deus, que estava feliz, foi ouvida do Céu, dizendo: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. Deus estava dizendo: “Este é o Meu amado Filho. Ele os tornará puros levando todos os pecados do homem com Seu batismo”. Nós somos basicamente pessoas que iriam para o inferno por causa dos nossos pecados, mas já que nos tornamos justos que pela fé tomaram posse do Céu, nos tornamos os que espiritualmente crêem com toda coragem na obra que Jesus e João Batista realizaram.
 
 
Já que Jesus Deu de Graça, Eu Espero que Você Aceite de Graça Também
 
Um dia eu achei um relógio infantil muito caro. Eu quis dá-lo de presente a uma criança, e aconteceu que na mesma hora três crianças passaram por mim. Eu chamei aquelas crianças então.
“Hei, garotos, venham cá”.
“Sim, senhor?”
“Eu tenho um relógio e quero dar para um de vocês. Quem quer?” Eu pensei que todos eles iriam gritar que queriam, mas estranhamente todos eles ficaram com um pé atrás. O primeiro menino disse então:
“O senhor não vai mesmo me dar esse relógio. Não minta; eu não preciso dele mesmo”. O outro então sussurrou para ele: “Nada é de graça. Este cara é um mentiroso”.
Então eu estiquei a mão e dei o relógio para o outro menino. Ele hesitou mas acabou aceitando. Ele parou alguns segundos e falou como que se estivesse duvidando.
“O senhor vai querer de volta, não vai? Ou vai dizer para todo mundo que eu o roubei, não é? Eu não posso ficar com ele. Receber algo de alguém de graça é perigoso. Eu não quero. Eu não preciso dele”.
Eu vi que, mesmo eu querendo dar o relógio para aqueles meninos, eles não aceitaram e me devolveram com tristeza no coração, achando que eu acabaria me arrependendo de ter feito aquilo. Então, o terceiro menino arregalou os olhos e disse:
“Me dê esse relógio, por favor”. Eu na mesma hora peguei o relógio e dei para ele.
“Muito obrigado, senhor. Mas o senhor não pode pegar de volta o que deu para alguém. Se o senhor fizer isso, todos dirão que o senhor está querendo aparecer”.
Aquele menino colocou o relógio no braço direito, depois no esquerdo, e gostou muito dele. Meu coração se alegrou por causa daquele menino então. Ele foi muito educado e gracioso de acreditar em mim quando eu disse que daria o relógio para ele de graça, ficando feliz em aceitá-lo e correndo de um lado para o outro. Um coração correto que crê no Senhor é como o coração deste menino. O reino dos céus é o mesmo que crer no que o Senhor fez por nós e aceitar isso cheio de gratidão; nós entramos no céu com esse tipo de fé. Tudo que as pessoas que possuem o Reino de Deus pela fé devem fazer é se alegrar e ser gratas pela graça de Deus.
 
 
Aqueles que Crêem na Palavra de Deus em Seu Coração são os Corajosos que Tomam o Reino de Deus pela Força
 
A fé daqueles que entram no Reino de Deus pela força é a mesma fé na salvação que Deus nos deu. Esta é a fé na verdade espiritual da salvação. Irmãos e irmãs, vocês se lembram da palavra em Romanos que diz que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus?” Ninguém pode ser salvo do pecado através das boas obras. Ninguém pode chegar sequer perto do Céu por causa do seu comportamento ou habilidades. Todos são pecadores, por mais que tenham cometido muitos pecados ou não. Por mais que suas atitudes sejam boas, eles não podem pagar o preço do pecado nem entrar no Céu pelo mérito das suas obras. Quem vai para o Céu então?
Já que a Bíblia diz que o “Reino de Deus é tomado à forca”, somente aqueles que crêem que o Senhor remiu todos os seus pecados com o evangelho da água e do Espírito é que podem tomá-lo pela fé e possui-lo. Aqueles que receberam a salvação do pecado pelo evangelho da água e do Espírito pela fé entram no Reino dos Céus. “Senhor, eu creio que Jesus veio a essa terra para salvar a nós, pecadores, e recebeu de João Batista o batismo pela imposição de mãos para levar todos os nossos pecados de uma vez. Tu vieste a essa terra e fizeste isso; por que eu não acreditaria? Senhor, eu creio. Eu Te agradeço pela graça da salvação pela qual Tu remiste todos os meus pecados”. Deus se agrada muito daqueles que pela fé são gratos pelo Seu Reino assim.
A Bíblia, que é a Palavra de Deus, é a grande Verdade e nunca mente. Ele nunca mudou e desde o começo do mundo continua sendo passada até agora. A Bíblia é a Palavra de Deus. No que mais nós poderemos crer se não crermos na Palavra de Deus? Está escrito nitidamente na Palavra de Deus que Jesus cumpriu toda a justiça quando foi batizado. As pessoas vão para o inferno porque têm pecado. Mas está escrito que Jesus levou todos os seus pecados ao ser batizado por João Batista. Desde o começo até o fim, a Bíblia diz que Jesus tornou todas as pessoas sem pecado pelo Seu batismo.
Depois de ser batizado e receber os pecados do mundo deste jeito, Jesus derramou Seu sangue na Cruz. Jesus recebeu a imposição de mãos, foi submerso na água e quando ele subiu novamente, isso significa que Ele recebeu todos os pecados do homem, para depois morrer na Cruz e ressuscitar dos mortos. Ele pessoalmente levou todos os nossos pecados através do Seu batismo, depois foi pregado na Cruz e morreu, e ressuscitou ao terceiro dia após Sua morte. Ele agora está assentado à direita do trono de Deus e nos deu a todos aqueles que crêem Nele a palavra que prova que “eles não tem mais pecado”. A justiça de Deus é o fato de Jesus ter vindo a essa terra e nos tornado sem pecado. Isso é a salvação de Deus. Vocês têm que crer nisso de coração.
O evangelho da água do Espírito é a Verdade que tem que estar no seu e no meu coração. Você tem que crer de coração na Palavra que você ouviu até agora. Você tem que tomar o Reino de Deus pela força pela fé no evangelho da água e do Espírito. Somente aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito em seu coração e receberam de fato a remissão de pecados é que podem entrar no Reino dos Céus. Todos os seus pecados foram para Jesus Cristo e Ele recebeu toda condenação no seu lugar. Ele então ressuscitou três dias depois de morrer e assentou à direita do trono de Deus; e está assentado lá até hoje esperando o Dia do Juízo. Ele está vivo.
O Senhor veio a essa terra num corpo carnal, foi batizado, morreu na Cruz e ressuscitou três dias depois de morrer. Ele testificou da Verdade por 40 dias depois de ter ressuscitado, e mesmo tendo vivido tão pouco neste mundo, 33 anos, Ele hoje está assentado à direita do Pai da eternidade. E agora Ele diz a todos que no seu coração crêem segundo a Palavra da salvação: “É isso mesmo! Sua fé está correta. Você faz parte do meu povo. Entre para o Reino dos Céus”.
Irmãos e irmãs, todos os seus e os meus pecados passaram para Jesus no Seu batismo. Foi por isso que Deus disse que faz-se violência ao Reino de Deus desde os dias de João Batista. Ele disse que os corajosos o tomam pela força. E Ele não nos pede para o tomarmos pela força apenas; mas ao contrário, Ele permite que o tomemos pela força. E o que nós tomamos pela força? Todos se tornam justos pela fé e tomam o Reino de Deus pela força que vêm da fé. Isso significa que possuímos o Reino dos Céus pela fé. Esta é a fé correta.
Mesmo que as pessoas busquem ser religiosas para fugir do pecado e tentem de todo jeito não pecar, ou façam boas obras para ir para o Reino dos Céus, tudo isso é hipocrisia. Entretanto, nenhum homem pode fazer isso, não importa quem ele seja, pois o homem é carnal. Por mais que tentemos agir de modo correto, tudo vai acabar mal no fim, porque você e eu temos um corpo carnal. Quando nós vemos algo gostoso ficamos com água na boca; por mais que sejamos bonitos queremos sempre ficar mais bonitos, e sempre queremos também ter mais do que os outros. A ganância humana não tem fim, e isso é muito triste. Como é que nós, que somos assim, podemos viver sem pecar? É impossível. Portanto, nós temos que nos tornar justos pela fé, não por merecimento próprio. Nós temos que nos tornar filhos de Deus pela fé, receber a vida eterna pela fé, e entrar no Reino dos Céus pela fé.
 
 
Eu Transferi Todos os Meus Pecados para Jesus e Me Tornei um Justo Crendo no Evangelho da Água e do Espírito
 
As pessoas se tornam justas crendo de coração assim como a Bíblia diz: “Pois com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:10). Irmãos e irmãs, vocês realmente crêem no evangelho da água e do Espírito de coração? Se crêem, vocês são justos. Vocês não têm pecado. Vocês não podem pecar. Já que Jesus veio a essa terra e levou todas as suas transgressões, falhas, insuficiências e pecados de uma vez ao ser batizado, vocês não têm pecado.
Já que Elias foi o representante de todos os servos de Deus no Antigo Testamento, que representou todo o povo do mundo como servo de Deus, quem foi então o representante de toda a humanidade? Foi João Batista. 2000 anos atrás, João Batista batizou Jesus no seu e no meu lugar e passou todos os nossos pecados para Ele. Todos os pecados dos seus antepassados, dos seus filhos e dos filhos dos seus filhos foram passados para Ele naquela ocasião. Seus pais também são pessoas deste mundo como você. Todos que nascerão no futuro também fazem parte das pessoas do mundo. João Batista declarou: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” Portanto, esse texto quer dizer que Jesus levou todos os pecados do passado, do presente e do futuro das pessoas deste mundo com Seu batismo.
Tudo bem, vamos dizer que você tinha o pecado original no ventre de sua mãe, nasceu e pecou até os dez anos de idade. Todos estes pecados foram passados a Jesus ou não? É claro que foram passados para Ele. E é óbvio que não apenas nossos pecados cometidos até os dez anos foram passados para Ele, mas também todos os pecados que cometeremos para o resto da vida. Isto é, se você crê no evangelho da água e do Espírito.
Em João 1:29, há um testemunho de Jesus que diz: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” João Batista deu esse testemunho um dia após batizar Jesus. E assim como o seu testemunho, Jesus recebeu todos os pecados do mundo em Seu batismo, levou todos eles à Cruz e lá morreu. Os pecados que você tinha no ventre de sua mãe, e os pecados que você vai cometer até morrer, fazem parte dos pecados do mundo. Os pecados que você comete consciente e inconscientemente por causa da sua imaturidade são os pecados do mundo, pois você os comete enquanto vive aqui. Todos estes são os pecados do mundo: os cometidos consciente e inconscientemente, aqueles cometidos em segredo ou não. Todos estes pecados do mundo foram para Jesus. Todos os pecados que cometemos até os 20, 30, 40 anos, e todos aqueles que cometeremos até morrermos foram passados para Jesus. Eles com certeza foram passados para Jesus.
Nós definitivamente temos que conhecer o evangelho da água e do Espírito e crer de coração que ele eliminou todos os nossos pecados e nos levou a possuir o Reino dos Céus. Não importa gênero ou idade, todos têm que entender isso muito bem e valorizar isso de coração. É claro que eu também creio com todo o meu coração nessa Verdade. Jesus apagou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista, derramar Seu sangue e morrer na Cruz. Nós temos que entender que não há outra maneira de recebermos a remissão de pecados a não ser pelo evangelho da água e do Espírito. Eu sou muito grato a Jesus por Ele ter tirado os pecados do mundo.
Vamos dizer que cometemos pecados de um aos 30 anos. E este é o auge de nossa vida. E quando nossa vida está no auge, nós ficamos mais propensos a pecar com mais intensidade. Não somente os pecados que cometemos no auge da vida, mas os que cometemos até morrer, assim como os pecados dos nossos parentes e dos nossos filhos, foram para Jesus. Os pecados de Adão e Eva também foram para Ele, assim como todos aqueles que o homem cometerá até o fim deste mundo. Eles foram para Jesus Cristo pela fé que temos Nele.
Eu não posso dizer exatamente quando ou de que maneira Jesus vai voltar, mas o fim do mundo com certeza está próximo. No dia em que Ele voltar, certamente alguma mulher vai estar dando à luz uma criança. Mas Jesus já levou até os pecados dessa criança que vai nascer. E já que Ele levou todos estes pecados, todo mundo pode receber a remissão dos seus pecados pela fé no evangelho da água e do Espírito. Sendo assim, todos têm que receber a remissão de pecados, conhecer essa verdade e crer Nela.
A Bíblia diz: “Pois com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:10). Vocês são os justos. Olhando pelo lado da fé, todas as pessoas do mundo são pecadoras. Mas aos olhos de Deus, seus pecados já foram eliminados. E muitos continuam com pecado no coração pois não crêem nisso. A Bíblia diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Deus eliminou os pecados do mundo para que as pessoas tivessem a vida eterna, porque Ele as ama. Ele salvou a todos para que não houvesse uma simples pessoa que fosse julgada e condenada. Mas há muitos que não sabem disso. Há muitos cristãos que não sabem o que é o evangelho da água e do Espírito. Por esse motivo, eles continuarão sendo pecadores.
“Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir” (Mateus 11:13-14). Você agora deve entender que João Batista é o Elias que havia de vir e crer nisso de coração. João Batista foi o representante de toda humanidade, o maior entre os nascidos de mulher e o servo de Deus que era o Elias que havia de vir. Já que João Batista, o representante da humanidade, batizou Jesus e transferiu todos os pecados do mundo para Ele, desde então todos podem receber a remissão dos seus pecados. Jesus, o meu Salvador, foi batizado, recebeu todos os meus pecados, foi julgado por eles e morreu na Cruz. Ele ressuscitou ao terceiro dia, e agora está vivo e ouve todas as minhas orações. Ele tirou todos os meus pecados. Ele levou todos eles. ele fez de mim uma pessoa sem pecado. E mesmo eu sendo alguém infiel que pecará até morrer, Ele me tornou uma pessoa sem pecado.
A minha fé é muito verdadeira. E aqueles que crêem nisso de coração alcançam a salvação. E Deus de fato realizou nossa salvação por completo. Este é o Deus da promessa e da nossa salvação. Todo aquele que crê nessa Palavra de coração é um justo que tem o poder de se tornar filho de Deus. Portanto, eu espero que você creia nisso de coração agora. Eu espero que você tome posse do Reino de Deus pela fé, e da mesma forma se torne filho de Deus.
Deus não nos disse que temos que nos tornar justos e viver com retidão. Ao contrário, Ele disse que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, e são justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3:23-24). Agora, você e eu nos tornarmos sem pecado através da salvação do nosso Senhor Jesus Cristo. Os seus e os meus pecados foram remidos pela fé na obra que o Senhor realizou. Eu creio em meu coração que todos os meus pecados e os pecados do mundo foram para Jesus quando Ele foi batizado por João Batista. Você crê nisso em seu coração? Havia pecados em nosso coração vermelhos como carmesim e mais negros do que tinta preta. Estes pecados foram para Jesus quando Ele foi batizado por João Batista. Ele levou todos os pecados que eu, você e todas as pessoas no mundo cometemos a vida inteira. E ao ser pregado na Cruz e morrer sobre ela, Ele acabou com o castigo que nos lançaria no inferno.
Nós tínhamos pecado no coração, mas eles foram passados a Jesus por João Batista quando ele O batizou. Mas todos estes pecados do mundo passaram para Jesus quando João Batista impôs suas mãos sobre Sua cabeça. Portanto, os seus pecados agora pertencem a Jesus e não são mais seus.
Irmãos e irmãs, Jesus, que não tinha pecado algum, tirou todos os seus e os meus pecados e os levou à Cruz, derramou Seu sangue e ali morreu. A fim de nos salvar, uma Pessoa que não tinha nenhum pecado foi batizado e recebeu os pecados do mundo inteiro. A fim de pagar este preço, Ele foi condenado e sofreu perseguição até a morte. Já que Jesus levou todos os nossos pecados ao ser batizado, Ele teve que ser pregado na Cruz, derramar todo sangue das Suas veias e morrer. Jesus não hesitou em entregar Sua vida para nos salvar. Foi assim que Ele nos amou. Jesus derramou Seu sangue na Cruz porque todos os seus e os meus pecados foram transferidos para Ele em Seu batismo; e Ele morreu por causa disso.
“Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:23). Isso quer dizer que alcançamos a vida eterna pela fé no Senhor, que pagou por nós o salário do pecado, que é a morte. Mas isso tudo só foi possível por causa do batismo de João Batista. Do mesmo modo, Jesus também só pôde dizer: “Está consumado!” (João 19:30), porque Ele recebeu todos os pecados em Seu batismo e cumpriu toda a justiça. Jesus deixou Seu túmulo três dias após morrer. Ele ressuscitou dos mortos. O Jesus ressuscitado deu testemunho da obra que Ele realizou e do evangelho por 40 dias. E depois foi assunto aos Céus diante de muitas pessoas. Enquanto subia o Senhor prometeu que iria voltar a essa terra, dizendo: “Eu voltarei da mesma maneira que vocês estão Me vendo ir para o Céu”.
Nosso Senhor salvou os que crêem de coração que faz-se violência ao Reino dos Céus desde os dias de João Batista. Ele fez com que eles recebessem a salvação pela fé em seu coração e nada mais. Como é que você pretende receber a remissão dos seus pecados? Você pode fazer isso tendo uma vida justa? Não, não pode. Por mais que você faça muitas coisas boas, você não pode se livrar de nenhum dos seus pecados, por menor que ele seja. Você também não pode fazer isso por mérito de alguma obra que você fez.
Tem um ditado coreano que diz: “quando um pai tem uma doença crônica, nenhum filho é fiel a ele”. Por mais que todos reconheçam alguém como sendo uma boa pessoa, se ele ficar sentindo dor por muito tempo, logo a sua natureza pecaminosa vai se revelar e vamos ver quem ele realmente é. Por mais que alguém esconda sua verdadeira natureza e seus desejos ocultos, e também tenha uma aparência de santidade, quando vêm as dificuldades ele acaba revelando sua verdadeira natureza. Se você tem pelo menos alguma coisa boa, eu espero que você não esqueça que há muita coisa ruim por trás isso. Portanto, você precisa se envergonhar do seu pecado. O homem é assim.
Jesus foi batizado por João Batista e acabou com todos os seus, os meus, e todos os pecados do homem. Se alguém não crê que João Batista batizou Jesus, ele crê em vão mesmo que creia em Jesus. O relato do batismo de Jesus está gravado em todos os quatro evangelhos. Isso foi algo muito importante e nós temos aprender tudo sobre isso.
Irmãos e irmãs, eu espero que vocês vivam e creiam de coração no que está escrito na Palavra. Para que o Reino de Deus seja seu de uma vez, vocês têm que crer no amor de Jesus que acabou com todos os pecados do seu coração através do Seu batismo, da Cruz e da ressurreição. Vocês não têm pecados porque Jesus, o Salvador, os purificou com a água e o sangue. Eu espero de coração que vocês realmente creiam nisso. Quem crê nisso é liberto de todos os seus pecados e recebe a salvação. Essa é a Verdade da remissão de pecados descrita no sistema sacrificial do Tabernáculo.
Eu sou grato a Deus por Ele ter nos salvado de todos os nossos pecados.