Predigten

Assunto 20: A ORAÇÃO DO SENHOR

[20-5] Perdoemos as Fraquezas Uns dos Outros (Mateus 6:12)

Perdoemos as Fraquezas Uns dos Outros(Mateus 6:12)
“E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.”
 
 
Como vai você? Estamos aqui vendo a apresentação do grupo jovem. Não tivemos ótimos momentos? O irmão Jinho Hong é bem alto, mas ele se esticou bastante para fazer sua dança estranha. Você não imagina como eu ri ao ver aquela dança. Na verdade, nossos irmãos podem dançar melhor do que eu quando eu era jovem. Nossas irmãs disseram que nossos jovens irmãos são corajosos.
A Igreja de Deus é maravilhosa não importa o que fazemos nela. E é ainda melhor quando cantamos os louvores que nós compomos e as letras que nós mesmos escrevemos. A Igreja de Deus é linda e gloriosa. Você não ama a Igreja de Deus? Claro que sim. E se Deus permitir, eu creio que nós escreveremos louvores ainda melhores. Se algum de vocês tiver boas letras ou canções para louvarmos, por favor, mostre-as para seus pastores. Então, faremos louvores e os cantaremos. Deus receberá uma glória tremenda através dos louvores dos justos nascidos de novo. Quando nosso hinário estiver muito cheio, publicaremos um segundo volume. Até agora, temos 21 novas canções nele. Mas eu quero ver mais 50 novas canções no nosso próximo acampamento de treinamento de discípulos. Será que estou pedindo demais? Se não, gostaria de louvar a Deus com pelo menos 15 novas canções ao ano.
No acampamento de verão para treinamento de discípulos deste ano, estamos estudando sobre a oração do Senhor. Hoje, iremos nos ater à Palavra em Mateus capítulo 6 versículo 12 que diz: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores”.
Se procurarmos entender a Palavra de Deus literalmente, isso será a nossa ruína. Isso porque Deus ocultou significados divinos em Sua Palavra. A Palavra de Deus é escrita em cartas para que cada um possa lê-la, mas para termos o perfeito entendimento dela, é necessário crermos no evangelho da água e do Espírito, que é a chave para entendermos essa Palavra. Somente quem tem o verdadeiro evangelho pode entender e compartilhar a oração do Senhor, porque sabe interpretá-la corretamente.
Estamos estudando a oração que o Senhor nos ensinou. Quando vemos essa oração no sentido literal, nós sentimos a necessidade de fazer algo. Portanto, quando nós lemos hoje a passagem das Escrituras: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores”, sentimos que precisamos receber a remissão de nossos pecados e fazer algo. Nós precisamos receber continuamente a remissão de nossos pecados realmente? Não mesmo! A verdadeira fé não surge de um mero sentimento. Se nós analisarmos os nossos sentimentos com a fé verdadeira, facilmente interpretaremos mal a Palavra de Deus.
Precisamos em primeiro lugar saber que a frase: “Assim como nós perdoamos aos nossos devedores”, da passagem de hoje, não significa que todos os que receberam a remissão de pecados precisam purificar seus pecados novamente. Essa é a passagem mais mal compreendida pela maioria das pessoas. “Se nosso Senhor realmente apagou nossos pecados, porque Ele nos ensinou em Sua oração que devemos orar para que nossos pecados sejam perdoados?” É dessa maneira que muitas pessoas têm entendido mal essa parte da oração do Senhor. Por causa de tais equívocos, há muita confusão entre os cristãos.
A Palavra no versículo 12 nos diz que mesmo precisamos receber continuamente a remissão de nossos pecados pessoais? Não. Podemos perguntar a nós mesmos: “Se Deus nos diz para orarmos todo dia pelo perdão de nossos pecados, então, como podemos ainda ter pecados, se nossos pecados foram tirados de uma vez por todas quando cremos no evangelho da água e do Espírito? Há alguma diferença entre a oração do Senhor e o evangelho da água e do Espírito?”
A maioria dos cristãos insiste que os pecados que eles cometem a cada dia devem ser tirados fazendo orações todos os dias. Contudo, isso não acontece assim. Porque nosso Senhor nos remiu de todos os pecados do mundo de uma vez por todas com Seu batismo na água e Seu sangue derramado na cruz, os crentes desse evangelho não têm pecados.
Mais ainda, se compreendermos mal a oração do Senhor, ficaremos confusos novamente. A fé dos receberam a remissão de pecados é distorcida por aqueles que crêem erroneamente na Palavra de Deus e não conhecem o evangelho da água e do Espírito. Eles dizem que o pecado original foi remido através de nossa fé, mas que nossos pecados pessoais permanecem. Contudo, esse é um grande erro da sua fé enganadora. Eles tentam entender a Palavra na bíblia sem o evangelho da água e do Espírito, acabam cometendo grandes erros e tendo uma fé errada.
 
 

Ainda que Sejamos Fracos, Devemos Perdoar as Faltas uns dos Outros com a Fé no Evangelho da água e do Espírito

 
Não podemos evitar de cometer pecados a cada dia enquanto vivermos nesse mundo. Portanto, devemos perdoar as faltas uns dos outros. Vivemos cometendo pecados pessoais. Isso é um fato. Mas devemos nos purificar de nossos pecados pessoais a cada dia através de nossa fé no evangelho da água e do Espírito. Em outras palavras, a solução de todos os nossos problemas de pecado e do perdão é o evangelho verdadeiro da água e do espírito. A frase: “Assim como nós perdoamos aos nossos devedores” nos diz para perdoar as faltas que os outros cometem em sua fraqueza.
Cada palavra na bíblia expressa o evangelho da água e do Espírito. A frase: “Assim como nós perdoamos aos nossos devedores” também significa que devemos perdoar as faltas uns dos outros com um coração generoso, que o nascido de novo recebeu com a remissão de pecados através do evangelho da água e do Espírito. Portanto, nós só poderemos resolver os problemas dos pecados com o evangelho da água e do Espírito. Nosso Senhor nos fala sobre essa parte. Somente aqueles que experimentaram o amor incondicional de nosso Senhor, isto é, que receberam a remissão de todos os seus pecados que nos foi dado de graça por Ele, podem demonstrar misericórdia àqueles que pecaram contra eles. Foi por isso que o Senhor falou com os justos sobre viver uma fé ética. Meus caros irmãos, vocês entendem isso?
Deus disse a Verdade: “Se você recebeu a graça da remissão de pecados, você também é capaz de perdoar aqueles que pecaram contra você. Mas se você recebeu a graça da remissão de pecados de Mim e não for capaz de perdoar quem pecou contra você, você estará desonrando Meu nome. Se você não é capaz de perdoar o pecado dos outros quando Eu já perdoei os seus, então não poderei perdoá-lo também.”
Nosso Senhor nos tem falado assim. Então, a Palavra nos diz que devemos perdoar uns aos outros. Essa Palavra foi dada aos santos nascidos de novo que crêem no evangelho da água e do Espírito para que a pratiquem em suas vidas. Isto é, essa foi uma lição para nós perdoarmos os erros das pessoas desde que não sejam pecados de blasfêmia ao Espírito Santo. Mesmo que não possamos perdoar aqueles que interferem e corrompem o evangelho da água e do Espírito, devemos perdoar os pecados uns dos outros e vivermos de maneira santa.
Verdadeiramente há aqueles neste mundo que receberam a remissão de pecados de uma vez ao crerem no evangelho da água e do Espírito. Nosso Senhor realmente remiu todos os nossos pecados através do evangelho da água e do Espírito. Por isso, eles não têm mais pecado por causa da fé que tem nesse verdadeiro evangelho. Os crentes no evangelho da água e do Espírito podem se achegar a Deus com uma consciência pura. Por isso, são capazes de perdoar os pecados uns dos outros pela fé no evangelho da água e do Espírito. Se alguém dentre nós não corromper a Verdade imutável, poderemos perdoá-lo então. Aqueles que receberam a remissão de pecados ao crerem no evangelho da água e do Espírito têm o poder de perdoar os pecados uns dos outros.
Assim, há um pecado imperdoável para o Senhor, que é o pecado de corromper esse grande presente da humanidade, o evangelho da água e do Espírito. Nós não podemos permitir que o pecado nos impeça de pregar o evangelho da água e do Espírito, e aceitar o pecado de pregar uma versão corrompida do evangelho. Na verdade, se você é como os que cometem o pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo, você é um pecador pior do que eles. E se você é uma dessas pessoas, você não poderá evitar o inferno. Mas se eles tomarem consciência de seus pecados, voltarem atrás, crerem no evangelho da água e do Espírito e pregarem esse evangelho, eles terão a compaixão de Deus.
No tempo do Antigo Testamento, nosso Senhor permitiu aos crentes purificar seus pecados através de sua fé sob forma de sacrifício: eles transferiam seus pecados pela imposição de suas mãos sobre a cabeça do sacrifício e pagavam o salário de seus pecados ao aspergir o seu sangue no altar queimando a oferta.
No tempo do Novo Testamento, nosso Senhor veio como o Cordeiro que levou sobre Si todos os pecados do mundo. Através do batismo que recebeu de João Batista, nosso Senhor levou todos os pecados do mundo. Além disso, Ele foi à cruz e pagou o resgate por nossas vidas pelo derramar de Seu sangue. Deus nos garantiu receber a remissão de pecados através do evangelho da água e do Espírito. Esse é o evangelho da água e do Espírito que apaga todos os nossos pecados de uma vez por todas. Além disso, esse é o poder do evangelho da água e do Espírito que apaga todos os nossos pecados por toda eternidade. Porque cometemos erros uns contra os outros, nosso Senhor apagou nossos pecados ao receber Seu batismo e ao derramar Seu sangue na cruz.
Se nós quisermos entender a Palavra de Deus, temos que fazê-lo pela fé no evangelho da água e do Espírito. É claro que todos que oram de maneira correta a oração do Senhor são os que colocaram sua fé no evangelho da água e do Espírito. Por isso, se nós estivermos ansiosos por aprender as lições sobre a oração do Senhor, primeiro devemos compreender o evangelho da água e do Espírito. É impossível entender a passagem: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores” sem fé no evangelho da água e do Espírito.
Se os justos viverem na carne, Deus ficará desapontado. Se Deus tivesse exigido de nossa natureza humana apenas boas ações, todos nós ficaríamos desanimados. E então a fé que tínhamos no nosso coração antes se enfraqueceria por causa do fardo pesado do pecado. Somos incapazes de agir com justiça em nossa carne. Deus não requer atos justos de nossa carne fraca.
Ao invés disso, devemos crer nessa verdade da remissão de pecados que vem da água e do espírito. Porque Deus sabe da fraqueza de nossa carne, tudo o que Ele pede é que acreditemos no evangelho da água e do Espírito. Deus nos deu a fé para que possamos dar glória ao nome do Pai.
 
 

Existem Pecados Imperdoáveis

 
Ainda há casos em que mesmo os justos não aceitam uns aos outros. Isso porque existem aqueles que tentam corromper o evangelho dado por Deus, o qual nunca pode ser mudado. Para um leigo, mesmo a espada mais afiada não é melhor que uma espada de madeira. Do mesmo modo, existem aqueles que menosprezam e tentam corromper o evangelho da água e do Espírito dado por Deus, cujo poder é absoluto e no qual cremos e confiamos.
Há aqueles que podem estar se perguntando: “Você está dizendo que há pessoas que você não pode perdoar?” Sim, pode haver algumas pessoas que Deus mesmo nunca perdoará os pecados. Porque nós também não podemos perdoar aqueles que ignoram o evangelho eterno e ainda tentam corrompê-lo? Todo perdão e tolerância dependem de nosso Senhor. Nós não podemos perdoar pessoas como Jezabel, que controlava seu marido Acabe para levar o povo de Deus à idolatria. Jezabel e Acabe foram contra Elias, mesmo sabendo muito bem que ele era servo de Deus. E mesmo Jezabel sabendo que seu marido deveria servir a Jeová como rei de Israel, ela coagiu Acabe a servir outros deuses além de Jeová.
Dentre os pecados que Jezabel cometeu está a tomada da vinha de Nabote, tornando-a uma horta para seu marido. Havia uma vinha próxima ao palácio do rei Acabe cobiçada por ele. Por meios escusos, ele exigiu que Nabote desistisse de sua vinha. Nabote, o dono da vinha, se negou a dar a herança de seus pais ao rei. Acabe desejava tanto aquela vinha e ficou tão desgostoso que nem sequer comeu sua refeição naquele dia. Quando Jezabel viu aquilo, ela disse ao seu marido que conseguiria aquela vinha para ele. Ela comprou testemunhas falsas contra Nabote e ele foi morto. Então, ela tomou aquela vinha e a deu ao rei Acabe (I Reis 21:1-16).
A vinha significa a Igreja de Deus na bíblia. Assim, aqueles que recebem a Igreja de Deus de um homem de fé e a tornam numa horta inútil são os que cometem graves pecados contra o povo de Deus. Este é um ato hostil e grave contra Deus. Jezabel se opôs a Deus sem hesitação para satisfazer sua própria ambição. Esse é um pecado imperdoável, a não ser haja arrependimento e se volta atrás.
Até onde sabemos, todos os homens são essencialmente iguais diante de Deus e têm a mesma natureza humana. Então, aqueles que pensam ser melhores do que os outros e tentam controlá-los são como Jezabel. Alguém que pensa assim: “Eu preciso usar esse desse jeito, preciso controlar aquele de outro jeito” é uma pessoa muito perversa. Há alguma maldade ou egoísmo em seu coração?
Na verdade, o ser humano por si mesmo é muito egoísta. Os cientistas concluíram que os genes humanos são tão egoístas que dão comandos egoístas às várias partes do corpo. Todo câncer é o resultado de células cancerígenas egoístas. Por isso, uma pessoa que não recebeu a remissão de pecados é muito egoísta. E mesmo se você recebeu a remissão de pecados, você não pode evitar de viver egoisticamente se viver na carne. Você deve se arrepender de viver dessa maneira. Por mais que uma pessoa pareça ser boa aos nossos olhos, ela não pode evitar de ser egoísta se não tiver o Espírito Santo. Somente aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito, pelo qual Jesus purificou nossos pecados, podem ter uma boa vida guiados por Deus. Aqueles que têm feito a obra do Senhor não são atingidos pelo gene do egoísmo, porque eles crêem e vivem no poderoso evangelho da água e do Espírito.
De todo modo, há aqueles que ainda estão sob o poder dos genes egoístas, mesmo entre os nascidos de novo. Eles seguem os desejos de sua carne e rejeitam a vontade de Deus. Procuram seus próprios interesses e usam os santos para seus propósitos. Tentam realizar suas vontades a qualquer custo. Seria um grave pecado se tentássemos engrandecer a nós mesmos e realizar nossas vontades sem nos importarmos com a obra de Deus. Precisamos corrigir a nós mesmos. Nós podemos perdoar esses pecados, já que o Senhor tirou toda a nossa fraqueza através de Seu batismo e Seu sangue. Contudo, não podemos esquecer dos que atrapalham a obra de Deus e tentam matar os outros, procurando os seus próprios interesses. Não podemos aceitá-los, a não ser que se arrependam do fundo do seu coração. Esses têm um coração fraco não apenas se matam, mas também matam e levam outros a se matarem a fim de atingirem seus interesses. Por isso, não podemos aceitá-los, a não ser que se arrependam sinceramente. Muitas pessoas podem perder a sua fé indo para o caminho da perdição por causa de uma única fraqueza pessoal. Já que os israelitas adoraram a Baal ao invés de Jeová, nós não podemos permitir pessoas fracas de coração dentro da Igreja de Deus, porque elas podem levar muitos a pecar.
Outras falhas e fraquezas humanas podem ser perdoadas a qualquer tempo. Embora não reconheçamos nossas fraquezas ainda, se percebermos que fizemos algo errado nessa terra e voltarmos atrás, nosso Senhor poderá tirar esses pecados? Se não atrapalharmos o evangelho da água e do Espírito, podemos ser perdoados de nossa estupidez, tolice e cegueira espiritual temporária.
Aqueles que receberam completamente a remissão de seus pecados do Senhor devem perdoar os outros pelas suas transgressões. Quando temos uma fé verdadeira, nós podemos sinceramente perdoar uns aos outros de coração. Isso não é verdade? Certamente que sim. Todos os pecados cometidos na nossa fraqueza podem ser perdoados. Só há um pecado que não pode ser perdoado: o pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo, que é corromper o evangelho da água e do Espírito. Para qualquer outro pecado cometido pelos outros, nós podemos liberar perdão, assim como nosso Senhor nos perdoou a todos.
Mesmo aqueles que receberam a remissão de pecados por crerem no evangelho da água e do Espírito ainda cometem pecados pessoais a cada dia. Por isso, a sujeira pode entrar no nosso coração e podemos nos desviar com maus pensamentos. Quando o seu coração se encontrar nesta situação, você deve começar uma nova vida crendo que até mesmo todos esses pecados foram totalmente tirados pelo Senhor. Nós poderemos começar nossa caminhada novamente ao crermos no batismo de nosso Senhor e no sangue que Ele derramou na cruz.
Nosso Senhor levou todos os nossos pecados ao oferecer Sua própria vida por nós. Não faria nenhum sentido, então, se quem recebeu a remissão de pecados não pudesse perdoar os pecados dos outros. O propósito da vida do justo é perdoar as falhas dos outros com a fé no evangelho da água e do Espírito. É por isso que glorificamos a Deus através da Sua Palavra.
Contudo, nós reclamamos dos pecados dos outros, mesmo que os tenhamos perdoado. Isto é, nossos pensamentos e ações não combinam. Mas isso não é um problema realmente, pois nosso Senhor cuidará disso no tempo certo através da nossa fé. Se perdoarmos os outros de coração, eles serão perdoados. Por outro lado, se não os perdoamos de coração, eles não serão perdoados.
 
 

Esse é o Maior de Todos os Pecados do Homem

 
Qual é o maior pecado de todos? É o pecado de corromper o evangelho da água e do Espírito, que é o pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo. As pessoas cometem esse pecado sem hesitação. E elas não somente cometem esse pecado sozinhas, mas também levam outros a crer como elas. Para alimentar sua ganância, elas escravizam outras pessoas.
Se alguém realmente crê no evangelho da água e do Espírito, ele não será escravizado por outro para satisfazer sua ganância. Se alguém crê sinceramente no evangelho da água e do Espírito, ele nunca fará tal coisa com os outros santos. O coração dos crentes no evangelho da água e do Espírito deve ser puro. Assim, podemos ver logo que nossa carne está longe de ser pura, mas, na verdade, ela é bem má. Quando nós confessamos nossas fraquezas da carne a Deus e oramos por Sua compaixão, nosso coração é realmente purificado. Porém, se dermos lugar à ganância nos tornaremos impuros e maus. Seremos como Esaú, que vendeu seus direito de primogenitura por um pão e um prato de lentilhas. Esta é a história de muitos de nós. Portanto, devemos o mais rápido possível confessar que somos tais pessoas e ir para a Igreja de Deus, a fim de sermos guiados ao bom caminho pelo nosso Deus.
Qualquer talento, poder, ou mesmo uma pequena raiz de orgulho pode nos trazer morte espiritual se não os usarmos para pregar o evangelho. Todos os talentos que nós não usamos para Deus estão prestes a se tornar fracos e maus. Mas há ainda pessoas que mostram sua fraqueza, defeito e maldade como coisas especiais e ainda se gabam delas. Tais pessoas tentam fazer de seus amigos inocentes seus empregados, e ainda fazem com que trabalhem como seus escravos. Mas esse talento ou falta de talento pode ser levado a sério. Deus não se importa com estas coisas, só com a pregação do evangelho. Deus criou cada um diferente, mas, para Ele, ninguém tem mais talento do que o outro. Em outras palavras, estamos no mesmo nível. Há somente regras espirituais na Igreja de Deus para pregar o evangelho. Devemos trabalhar para pregar o evangelho da água e do Espírito dentro dessas regras.
Não há grandes diferenças no talento humano. E até o menos talentoso não é tão diferente do mais talentoso. Não há ninguém que seja totalmente talentoso. Se uma pessoa é muito boa em uma área, ela é fraca em outra. Se vemos alguém com dificuldade em uma área, isso significa que não a vimos ainda na área onde ela é melhor. Isto é, ninguém é bom em todas as áreas, como também ninguém é ruim em todas elas. Portanto, se alguém deseja realmente ver os méritos e os talentos de outra pessoa, ele certamente encontrará muitos se procurar. Especialmente, se olharmos para alguém do evangelho da água e do Espírito, ele então parecerá ainda mais precioso.
Nós que nascemos de novo da água e do espírito devemos respeitar e ver o valor dos servos de Deus, que servem ao evangelho com o mais simples dos corações. Se tivermos uma visão ampla das coisas, ganharemos um coração que perdoa, aceita e se importa com os colaboradores que Deus nos deu. Esse é um coração humilde.
Muitos que vêm de fora têm vários questionamentos com relação à oração do Senhor, após crerem no evangelho da água e do Espírito. A oração do Senhor nos ensina a orar assim: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores”. “Essa Palavra vem da oração que o Senhor nos ensinou. Nosso Senhor nos ensinou a continuar fazendo essa oração. Então, como eu entendo essa Palavra? Ainda que eu creia que o evangelho da água e do Espírito é a Palavra verdadeira, eu não entendo por que devemos orar todo dia pelo perdão de nossos pecados, quando nós cremos que todos eles foram levados pelo batismo de Jesus e pelo Seu sangue na cruz. Isto está errado?”
Há tantas pessoas com este questionamento. Por isso, eu sinto há uma necessidade de estudar versículo por versículo e interpretar o significado da oração do Senhor em detalhes. Essa lição não é somente para os colaboradores externos. Eu sinto que há uma necessidade de nossos colaboradores internos aprenderem sobre a oração do Senhor também. Eu tenho que explanar mais sobre ela, pois os santos certamente os santos querem entendê-la também. Sendo assim, eu vou compartilhar com vocês a Palavra da oração do Senhor, bem como a graça que se espalhou durante esse acampamento de verão.
Eu creio que nosso Senhor tem perdoado as faltas e os delitos daqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito. Todos os que receberam a remissão de todos os seus pecados têm o poder de perdoar os erros dos outros. É por isso que eu digo isso firmemente tanto para nossos colaboradores que estão no exterior quanto para os do nosso país. “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores”. Essa palavra não nos diz que devemos continuar recebendo a remissão de pecados, mas para que os justos que nasceram de novo da água e do espírito perdoem uns aos outros, para que eles também recebam o perdão incondicional de Deus. Deus também nos diz para perdoarmos as faltas uns dos outros.
Certa vez, Pedro veio até Jesus e perguntou: “Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?” Então Jesus disse a ele: “Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete.” E então ele contou aos discípulos “a parábola do servo implacável” (Mateus 18:21-35).
A história é assim: havia uma pessoa que devia muito ao seu senhor mas não podia pagar tal quantia a ele. Ele tinha uma dívida que não poderia pagar nem se trabalhasse a vida toda. Então, ele foi até o seu senhor e implorou que cancelasse sua dívida. O senhor que emprestou o dinheiro a ele viu que aquele servo não poderia pagá-lo realmente. Sabendo disso, o senhor pensou que seria melhor mostrar compaixão e cancelar sua dívida. Então, o servo ficaria muito grato e feliz, e o senhor se sentiria bem em ter poupado essa pessoa que estava em grande apuro. O nome do servo foi riscado da lista dos devedores e todos os seus débitos cancelados.
Aquele servo retornou ao seu lar feliz da vida. No seu caminho de volta para casa, ele foi até uma outra pessoa que lhe devia dinheiro. Assim que viu essa pessoa, voou em seu pescoço e o forçou a pagar-lhe a quantia, que era algo menor que 1/1000 do débito do qual fora perdoado. Mesmo o devedor dizendo que iria pagá-lo logo, o servo implacável o levou para a polícia. Ele já havia tentado colocar outra pessoa na cadeia antes por não tê-lo pago. Quando seu senhor ouviu essa história, ele chamou seu servo mau e o repreendeu dizendo: “Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?” (Mateus 18:32-33). Seu senhor ficou furioso e o entregou aos torturadores até ele pagar toda a dívida que lhe devia.
Nosso Senhor não perdoará os que não perdoarem os outros e se esquecerem que seus débitos já foram cancelados. A lição nos ensina a cancelarmos toda a dívida que nos devem, já que os débitos que temos também foram cancelados. E essa ordem veio de Deus. Nós recebemos a remissão de pecados ao crermos no evangelho da água e do Espírito quando nós ainda éramos pecadores imperdoáveis. Que justificativas damos aos outros pelos nossos incontáveis débitos?
Jesus disse: “Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas” (Mateus 18:35). Essa é basicamente a mesma Palavra: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores”. Portanto, não devemos interpretar mal a passagem: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores”. Devemos estar prontos a perdoar os que comentem pecados contra nós, porque todos os nossos pecados pessoais já foram levados pelo batismo que o nosso Senhor recebeu e pelo Seu sangue na cruz. O que o Senhor requer de nós não é nada mais do que isso. O que nosso Senhor exige de nós através dessa passagem é que perdoemos uns aos outros. Este é o verdadeiro caráter do justo, que perdoa os outros realmente.
De qualquer forma, há aqueles que às vezes praticam o mal aos servos de Deus, e aqueles que se tratam bem e crêem uns nos outros. Há muitos que tiram de outras pessoas que estão abaixo delas e as tratam como tolas, mas nós os justos nunca devemos agir assim. Ainda que cada pessoa demonstre algo errado às vezes, os justos não são tolos. Porque nós temos um coração puro, perdoador e a fé em Deus, as pessoas do mundo nos acham tolos. Todavia, os crentes no evangelho da água e do Espírito não são tolos, principalmente por serem as pessoas que provaram da graça divina do céu vivendo para o Reino de Deus.
Portanto, não devemos ter os outros como inferiores a nós. Se somos pessoas de caráter íntegro, devemos tratar os que servem o evangelho da água e do Espírito melhor do que nós mesmos. Os insensíveis de coração e mente são as pessoas mais arrogantes do mundo. Os crentes do evangelho da água e do Espírito são cidadãos abençoados do céu, têm sabedoria, fé e uma mente mais brilhante do que qualquer um.
É uma tolice e um grande erro pensar que nós podemos controlar os outros com nossos pensamentos. Quem tenta desviar os justos está indo por um caminho errado. Por isso, eles devem se arrepender, voltar atrás, confessar suas culpas e obedecer a Palavra de Deus tendo uma fé verdadeira. Deus perdoa aqueles que merecem receber o perdão, mesmo quando eles não confessam seus pecados, e seu coração se torna mais espiritual do que o daqueles que se arrependem mas continuam fazendo coisas erradas perante Ele. A verdadeira comunhão na fé acontece quando confessamos nossas faltas uns aos outros. Então, nossa gratidão pela graça do evangelho da água e do Espírito que nos libertou será gravada para sempre em nosso coração. Nosso coração se tornará generoso se perdoarmos uns aos outros no amor do Senhor e no evangelho, pelo qual Ele apagou todos os nossos pecados. Eu gostaria que o caminho da verdadeira comunhão na fé estivesse sempre aberto no coração dos justos.
  
 

O Que os Justos Devem Fazer para Ter uma Boa Comunhão

 
Esse é o credo apostólico: “Eu creio em Deus Pai Todo Poderoso, criador dos céus e da terra, e em Jesus Cristo Seu único Filho, que foi concebido pelo Espírito Santo... eu creio... na comunhão dos santos.” O credo apostólico nos fala sobre a comunhão dos santos. Na Igreja de Deus, ele é a comunhão dos santos.
Quando olhamos para os justos, vemos as coisas da carne e as do Espírito. Isso porque Deus nos faz olhar para o coração uns dos outros pela fé. Vemos tanto as fraquezas quanto as qualidades uns dos outros por pura fé. O coração dos justos é como espelhos que refletem uns aos outros. Estamos prontos a servir o evangelho e a viver em comunhão com Deus, porque nosso Senhor já remiu todos os nossos pecados ao nos dar o evangelho da água e do Espírito. Porque cremos no evangelho da verdade, estamos prontos para ter comunhão. Vivemos no evangelho enquanto brincamos, liberamos perdão, apoiamos, confortamos e encorajamos uns aos outros, e também servimos juntos ao Senhor.
A Palavra: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores” não significa que devemos receber a remissão de nossos pecados a cada dia. Ela está nos dizendo: “Perdoem uns aos outros se vocês realmente receberam a remissão de pecados pelo evangelho da água e do Espírito. Eu lhes dei a fé necessária para isso e já os abençoei. Vocês devem fazer isso se realmente receberam a remissão de todos os seus pecados por crerem em Mim. Se vocês crêem que eu verdadeiramente remi todos os seus pecados, vocês devem perdoar e ter paz uns com os outros.” Isso é o que a Palavra quer dizer. Isso significa que os santos devem ter uma vida ética de fé. Queridos cristãos, vocês crêem nisso? Estou certo que sim. Se os justos se arrependerem e pedirem perdão, o que eles não poderão perdoar e que pecados Deus não remirá com o evangelho da água e do Espírito?
Irmãs, nossas jovens irmãs irão se casar no futuro. Nós não podemos fazer nada com os que já são casados, mas vocês que ainda vão se casar devem lembrar como é bom ter um cônjuge crente. Isso não se aplica somente às nossas irmãs, mas também aos nossos jovens irmãos. Nós não devemos nos preocupar muito com a aparência uns dos outros, porque essa preocupação não durará muito tempo.
Uma vez casados, não ligamos tanto para a aparência dos outros tanto quanto ligamos para seu interior. Uma canção popular coreana diz assim: “♪Uma mulher deve ter um coração bonito. ♪Você é mulher só para ter um rosto bonito? ♪Você é realmente uma mulher se seu coração não muda, uma vez que você o entrega ao seu amor”. Amados cristãos, às vezes nós aprendemos com as músicas populares. É verdade! Devemos ter corações bonitos para sermos irmãos em Cristo. Precisamos de fé para sermos queridos irmãos e irmãs em Cristo. Então, espiritualmente, somos corajosos e belos cavalheiros e damas. Em muitas casos, aqueles que são bonitos fisicamente são mal caráter. Esses mal caráter são bem apessoados, só pensam em si mesmos, são preguiçosos e não tem consideração alguma pelos outros. Portanto, eles não sabem nada sobre o que é ter comunhão para servir ao Senhor.
Aqueles que vivem só para comer e vagabundear, nós chamamos de mal caráter. Eles são como animais. O rei de toda a devassidão é o rei da selva, o leão, especialmente o macho. O macho fica deitado na sombra, tirando cochilo e não caça. Quando a fêmea volta de sua dura caçada, o macho come o maior pedaço. E se algo resta depois de se banquetear, ele joga para a fêmea e seus filhotes. Existem muitas pessoas no mundo que parecem ser perfeitamente normais por fora, mas não trabalham e vivem só para comer e vagabundear. É muito fácil ser enganado por esses vagabundos, já que todos têm boa aparência.
Aqueles que têm boa aparência não são pessoas adequadas para que se casar. Por isso, quando procuramos alguém para casar, nossa prioridade deve ser uma pessoa que serve a Deus com sinceridade, que vive no evangelho, que cuidará bem da sua família, que não deixará sua família passar fome, que ajuda seu cônjuge a servir bem ao Senhor e que defenderá sua família de todos os perigos.
Eu sou alguém que se casou muito bem. Minha esposa nunca reclamou de mim, mesmo nas vezes em que negligenciei minha família para servir ao evangelho. Ainda que às vezes ela tenha se desapontado comigo por não cuidar de outras coisas, ela sempre disse que eu sou importante por servir o evangelho. Um casal deve tratar um ao outro assim.
Uma vez eu a compreendi mal. Até eu fiquei um pouco desapontado com isso, quando vi que tudo não passou de um mal entendido. Minha esposa tem um coração tão amoroso que dói quando vê um irmão ou irmã morrendo por causa de sua pouca fé. Então, ela se aproxima da pessoa, se coloca em seu lugar e sofre com ela. Isso é bom.
Mas o problema é que há pessoas que se aproveitam da fraqueza dos outros. Essa é uma fé errada de quem que tira vantagem da fraqueza dos outros e os explora, sendo usados por sua própria ganância. Meus caros cristãos, aqueles que estão à frente na Igreja têm verdadeira compaixão pelos fracos e os protegem dos outros. Ter esse tipo de compaixão é o mesmo que confortá-los e encorajar sua fé, tendo um coração que leva outros a servirem a Deus. O problema é que tem gente que quer se colocar acima de Deus.
Amados irmãos, não devemos permitir que os que estão à frente da Igreja de Deus venham a atormentar, ferir e matar espiritualmente outros santos. Um cão pastor é colocado entre as ovelhas para prevenir que alguém que queira fazer mal a elas se aproxime. O cão pastor que está no meio das ovelhas protege-as dos lobos que querem atacá-las. E quando a ovelha vagueia perdida, o cão pastor a mantém segura no pasto, latindo para avisá-la do perigo. O cão pastor faz isso para evitar que a ovelha caia no precipício. Esse cão pastor faz o trabalho do pastor praticamente. Em outras palavras, cão pastor quer dizer pastor.
Ás os líderes espirituais aparentam não ter compaixão. Contudo, o que eles fazem o fazem sinceramente de maneira a manter os santos no caminho certo. Porque eles querem ver os santos e obreiros crescerem na fé, eles os exortam e encorajam. Eles ajudam-nos, não deixam que se percam, impedem outros de fazerem coisas erradas e mantém outros ainda fazendo o que for preciso para protegerem todos eles.
Eu sou realmente grato pela benção do evangelho da água e do Espírito que me concedeu a remissão dos meus pecados. Se alguém não se opõe ou interfere no evangelho da água e do Espírito, e ainda se arrepende de suas faltas, eu posso dizer: “Bem, isso é compreensível. Somos apenas humanos. Eu já sabia de tudo isso”.
A passagem das Escrituras de hoje sobre a oração do Senhor foi essa: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores”. Isso significa que Deus nos deu poder de perdoarmos as faltas uns dos outros. Nosso Senhor nos disse para perdoarmos as faltas dos outros com a Verdade. Somos gratos a Deus por apagar todos os nossos pecados de uma vez por todas.