Проповеди

Assunto 14: A Primeira Epístola de JOÃO

[Capítulo 2-2] Nosso Senhor que se Tornou Nosso Advogado (1 João 2:1-17)

Nosso Senhor que se Tornou Nosso Advogado
(1 João 2:1-17)
“Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, porém, alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo. E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: eu o conheço, e não guardar os seus mandamentos, é mentiroso e nele não está a verdade. Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus nele tem-se verdadeiramente aperfeiçoado. E nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou. Amados, não vos escrevo mandamento novo, mas um mandamento antigo, que desde o princípio tivestes. Este mandamento antigo é a palavra que ouvistes. Contudo vos escrevo novo mandamento, que é verdadeiro nele e em vós, porque as trevas vão passando, e já brilha a verdadeira luz. Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está nas trevas. Aquele que ama a seu irmão permanece na luz, e nele não há nenhum tropeço. Mas aquele que odeia a seu irmão está nas trevas; não sabe para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos.
Filhinhos, eu vos escrevo,
Porque os vossos pecados são perdoados, por causa do seu nome.
Pais, eu vos escrevo,
Porque conhecestes aquele que é desde o princípio.
Jovens, eu vos escrevo,
Porque vencestes o maligno.
Eu vos escrevi, meninos,
Porque conhecestes o Pai.
Eu vos escrevi, pais,
Porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens,
Porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós,
E já vencestes o maligno.
Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba a vida, não é do Pai, mas do mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.”
 
 
Quem se Tornou o Nosso Advogado?
 
No Antigo Testamento, quando o pecador trazia o animal do sacrifício para oferecer a Deus, ele tinha que acreditar que enquanto era ele que tinha que morrer pelos seus pecados, o animal do sacrifício ao invés disso recebia seus pecados com a imposição de mãos e derramava seu sangue até a morte pelos seus pecados no seu lugar. Todos aqueles que forem ter essa fé devem crer com seus corações que Deus remiu todos os seus pecados segundo o sistema sacrificial do Tabernáculo – isto é, ao passar todos os seus pecados à oferta do sacrifício e ao derramar o sangue do animal.
Esse sistema sacrificial foi uma sombra dos bens futuros (Hebreus 10:1). Aqui, a frase “os bens futuros” significa os atos de justiça de Jesus Cristo, isto é, Sua salvação da água e do Espírito. Você também deseja crer no verdadeiro evangelho da água e do Espírito de todo seu coração? Meus amados irmãos, quando nos achegamos a Deus e nos colocamos diante dEle, temos que ter recebido a purificação dos nossos pecados por conhecermos e crermos na lei da salvação que nos salvou de todos os nossos pecados e os levou a todos. Nós também precisamos saber e crer em nossos corações que essa salvação da purificação de pecados vem completamente da misericórdia de Deus e do Seu amor, e é com esse conhecimento e com essa fé que devemos nos colocar diante de Deus.
Como única maneira e única fé para sermos salvos de todos os nossos pecados, devemos crer que Jesus Cristo é o Filho de Deus, e que ao vir a essa terra, sendo batizado por João Batista e levando sobre Si assim os pecados do mundo, e morrendo na Cruz e ressuscitando dentre os mortos, Ele de fato nos salvou de uma forma perfeita de todos os nossos pecados, da condenação e da morte. E no final das contas é crendo no evangelho da água e do Espírito que nós recebemos a remissão dos nossos pecados. Ao vir a essa terra, sendo batizado, e derramando Seu sangue na Cruz, Jesus Cristo apagou por completo todos os nossos pecados de uma vez por todas.
Hebreus 10:11-13 afirma: “Todo sacerdote se apresenta dia após dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar pecados. Mas este, havendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus. Daí por diante espera que seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés.” Meus amados irmãos, Jesus Cristo apagou de uma vez todos os pecados da humanidade, inclusive todos os seus pecados, ao vir a essa terra, sendo batizado, e derramando Seu sangue. Ele apagou não apenas os pecados que você e eu cometemos desde que nós nascemos e os que cometeremos até o dia da nossa morte, mas apagou também todos os pecados dos nossos descendentes de uma vez por todas.
Jesus Cristo é Aquele que levou sobre Si nossos pecados e morreu por nós, Aquele que ofereceu o sacrifício da salvação. Ao oferecer dessa maneira o eterno sacrifício pelo pecado com no Seu batismo e na Cruz, Jesus completou nossa salvação para sempre. Você pode receber a purificação dos seus pecados somente quando você crer que Jesus Cristo apagou para sempre todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito e de uma vez por todas. Creia! Aí então você receberá para sempre a salvação dos seus pecados. E receberá a vida eterna.
Sendo assim, é muito importante você entender que é crendo em Jesus Cristo, o Doador do evangelho da água e do Espírito, que podemos receber a eterna remissão de pecados. Aqueles que crêem no batismo que o Messias recebeu e no sangue que Ele derramou na Cruz como sendo sua própria remissão de pecados foram realmente remidos de todos os seus pecados de uma vez por todas.
Mas aqueles que não crêem na Verdade desse evangelho enfrentarão a condenação por causa dos seus pecados quando o juízo de Deus vier. Deus por enquanto está deixando-os à vontade, mas quando o Dia do Juízo chegar, todos que têm pecado serão totalmente condenados e sofrerão eternamente. Aqueles que receberam a remissão dos seus pecados por crerem no evangelho da água e do Espírito, ao contrário, poderão compartilhar da glória do Reino de Deus.
  
 

Em que Livro Seus Nomes estão Escritos Agora?

 
Apocalipse 20:12-15 nos diz que aqueles que têm pecado em seus corações têm seus nomes escritos no Livro das Obras, enquanto que aqueles que receberam a remissão dos seus pecados pela fé, e por isso são justos, têm seus nomes escritos no Livro da Vida. Porque todo mundo nasce em pecado, o nome de todo mundo é automaticamente escrito no Livro das Obras; todavia, graças ao Senhor que remiu nossos pecados, os nomes dos crentes foram apagados do Livro das Obras e agora foram escritos no Livro da Vida.
Essa passagem também fala que aqueles cujos nomes estão escritos no Livro das Obras são aqueles que têm pecado em sua consciência, e que por isso Ele os lançará no lago de fogo (Apocalipse 20:15). Esse é o próprio juízo da segunda morte que espera todos os pecadores. Esse juízo da segunda morte é o juízo do pecado, a condenação que lançará os pecadores no lago de fogo para que eles fiquem lá para sempre.
Aqueles cujos nomes estão escritos no Livro da Vida, por outro lado, são aqueles que crêem que Deus verdadeiramente os salvou de todos os seus pecados. Eles são aqueles que crêem na salvação de Deus do tecido de linho fino torcido azul, púrpura e carmesim, e que, pela fé, entraram pela porta do Tabernáculo, a porta dos Céus. Nosso Senhor concedeu as grandes bênçãos da salvação àqueles que realmente receberam a remissão do pecado das suas consciências por crerem no evangelho da água e do Espírito. Essas pessoas cujos pecados Deus remiu são aquelas que sabem como Jesus Cristo apagou todos os seus pecados pela vida inteira, e crêem nisso. Foi por causa dessa nossa fé que Deus nos permitiu receber dEle a eterna remissão dos nossos pecados.
Está escrito em Hebreus 10:19-22, “Portanto, irmãos, tendo ousadia para entrar no Santo dos Santos, pelos sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado da má consciência, e o corpo lavado com água limpa.” Pelo batismo e pelo sangue de Jesus, nos recebemos essa ousadia para entrar no Santo dos Santos. Jesus Cristo pôde derramar Seu sangue somente porque Ele primeiro levou sobre Si os pecados do mundo ao ser batizado por João (Mateus 3:15).
Aqui, o autor de Hebreus diz: “e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado da má consciência, e o corpo lavado com água limpa.”
Para apagar os pecados da humanidade, Jesus Cristo deixou o glorioso trono de Deus e veio a essa terra. Assim como Deus havia prometido por meio do profeta Isaías, depois de se passar mais de 700 anos desde que Isaías havia profetizado, Jesus de fato nasceu nessa terra através do corpo da virgem Maria. O próprio Messias veio a essa terra no corpo de um homem e levou sobre Si nossos pecados através do Seu batismo no rio Jordão.
Por que Jesus o verdadeiro Deus teve que ser batizado por um homem, João Batista? Essa pergunta tem sido por séculos um mistério para aqueles que buscam a verdade. No entanto, graças ao Senhor, Ele “desvendou-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que propusera em Cristo” (Efésios 1:9). O Senhor nos fez entender o significado do Seu batismo no qual se constitui o evangelho da água e do Espírito, o evangelho original que Seus Apóstolos receberam e pregaram.
Quando se diz aqui: “tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus,” esse Grande Sacerdote se refere a Jesus Cristo. Jesus Cristo é o Sumo Sacerdote do Reino dos Céus, e a função do sumo sacerdote terreno foi cumprida por João Batista. Por que Deus precisou separar um homem chamado João Batista, que foi o maior entre todos os homens nascidos de mulher? Isso foi feito para que Jesus pudesse ser batizado por João Batista. Para nos salvar dos nossos pecados, em outras palavras, o próprio Deus sendo o Sumo Sacerdote eterno abaixou sua cabeça para João Batista, o representante de toda a humanidade (Mateus 11:11), e recebeu o batismo através do qual Ele aceitou os pecados do mundo.
Foi para receber nossos pecados que Jesus Cristo entregou Seu corpo como nossa oferta do sacrifício e foi batizado por João Batista. Jesus Cristo foi oferecido a Deus Pai como nossa propiciação. Referindo-se a isso, Hebreus diz que “nossos corações” foram “purificados de má consciência, e o corpo lavado com água limpa” (Hebreus 10:22). O texto está nos dizendo que aqueles que entendem que são um poço de pecados foram purificados da sua má consciência e nossos corpos lavados com água limpa. Essa “água limpa” se refere ao batismo que Jesus recebeu (1 Pedro 3:21).
Você sabe quantos pecados você comete durante sua vida inteira? Seres humanos nascem em pecado desde o ventre de sua mãe, e estão condenados a viver sua vida inteira cometendo pecado até o dia da sua morte. Todo mundo, em outras palavras, nasceu com mais de uma dúzia de pecados em sua mente: os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, e soberba, e a loucura (Marcos 7:20-22). E eles pecam durante sua vida inteira com seus corpos e com seus corações. Porque são deficientes, eles cometem esses vários tipos de pecado sem parar. Eles então passam e entender que os pecados que cometem hoje serão cometidos de novo amanhã, e os pecados que eles cometeram esse ano serão novamente cometidos ano que vem. Por isso, nós somos seres que estão condenados a continuar pecando muitas e muitas vezes até o dia da nossa morte.
Todavia, o escritor aos Hebreus diz aqui que nossos corpos foram lavados com água limpa. Isso significa que sendo batizado por João pessoalmente, Jesus Cristo purificou todos os nossos pecados. Quando foi realmente que nossos pecados foram passados a Jesus e purificados? Foi quando Jesus Cristo foi batizado por João. Mas no que diz respeito a nós, nossos pecados foram purificados por crermos nessa Verdade do fundo do nosso coração. Nós cremos nisso porque Jesus Cristo se tornou a nossa própria oferta do sacrifício ao ser batizado e derramando Seu sangue.
 
 
“Deixa por Agora, Porque Assim nos Convém Cumprir Toda a justiça” (Mateus 3:15)
 
Vamos voltar para Mateus 1:21-23: “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta: a virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamarão pelo nome de Emanuel, que quer dizer: Deus conosco.”
Para salvar Seu povo dos seus pecados, o próprio Deus veio no corpo de um homem e nasceu nessa terra através do corpo da virgem Maria. Deus havia prometido isso a mais de 700 anos antes através do profeta Isaías, que Ele enviaria o Messias: “a virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamarão pelo nome de Emanuel.”
O nome ‘Emanuel’ aqui quer dizer Deus conosco. Para estar conosco, então, o que Deus teve que fazer? Ele teve que vir a nós como um homem. Por que Ele veio a nós como um homem? Ele fez isso porque Ele tinha que levar sobre Si todos os nossos pecados de vez por todas. Foi porque Jesus Cristo, o próprio Deus, tinha que levar sobre Si os nossos pecados que Ele nasceu nessa terra como um homem através do corpo da virgem Maria. E Jesus permaneceu em silêncio até os 29 anos de idade, mas no ano seguinte, quando Ele completou 30 anos, Ele Se revelou.
Quando foi, então, que todos os nossos pecados foram passados a Jesus? Para isso, vamos voltar especificamente aqui para Mateus 3:13-17: “Então veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: eu preciso ser batizado por ti, e vens tu a mim? Mas Jesus lhe respondeu: deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Então João consentiu. Assim que Jesus foi batizado, saiu logo da água. Nesse instante abriram-se-lhe os céus, e viu o Espírito Santo descendo com pomba e pousando sobre ele. E uma voz dos céus disse: este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”
 
 

A Razão pela qual Jesus foi Batizado por João Batista

 
Aqui, Mateus 3:13 diz: “Então veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: eu preciso ser batizado por ti, e vens tu a mim?” João aqui se refere a João Batista. Esse João nasceu como descendente da casa de Arão o sumo sacerdote do Antigo Testamento, e ele foi o último sumo sacerdote do Antigo Testamento que cumpriu fielmente toda sua função quando Jesus veio (Lucas 1:5, 76-77).
Você provavelmente se lembra que no Antigo Testamento, Arão o sumo sacerdote colocava suas mãos sobre a cabeça de um cordeiro vivo e derramava seu sangue para oferecer sacrifício em favor do povo de Israel no Dia da Expiação. Deus prometeu que através do sacrifício que foi oferecido segundo o sistema sacrificial, Ele aceitaria a oferta e em troca apagaria os pecados dos Israelitas.
Assim como a oferta do sacrifício no Antigo Testamento tinha que receber a imposição de mãos do sumo sacerdote, Jesus, da mesma forma, veio ao rio Jordão, e levou sobre Si os pecados do mundo ao receber o batismo de João, que foi realizado da mesma maneira. Mateus 11:13-14 diz: “Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir.” Essa passagem indica que todas as profecias dos profetas no Antigo Testamento e as profecias de Deus acabaram em João. O chamado de João se completou com o cumprimento da sua função – isto é, batizar Jesus e passar para Ele os pecados da humanidade. Pelos pecados do mundo terem sido realmente passados a Ele, agora o tempo da promessa acabou, e o tempo da verdadeira salvação do Senhor começou desde o batismo que Jesus recebeu de João.
Quem foi Elias? Ele foi um dos maiores profetas de Israel que fez voltar o coração de Deus para os Seus filhos e o coração dos filhos para Deus Pai (Malaquias 4:5-6). Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, veio a essa terra para levar os pecados de toda a humanidade, aceitar os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista, o representante da humanidade, o Elias que havia de vir, e o descendente do sumo sacerdote do Antigo Testamento. Quando João impôs suas mãos sobre a cabeça de Jesus, todos os pecados da humanidade foram passados ao corpo de Jesus Cristo de uma vez por todas.
Em outras palavras, o Sumo Sacerdote celestial e o representante da terra se encontraram e ofereceram o eterno sacrifício pelo pecado que apagou os pecados da humanidade. Foi porque Jesus o Sumo Sacerdote celestial foi batizado por João o representante da humanidade que todas as profecias e promessas do Antigo Testamento foram cumpridas.
É por isso que Jesus diz aqui: “Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João.”
Da mesma forma, falando em Mateus 11:14, “E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir,” Jesus mesmo chamou João de Elias. Essa passagem foi realmente profetizada no Antigo Testamento. Se formos para Malaquias 4:5-6, nós veremos isso claramente:
“Vede, eu vos enviarei o profeta Elias,
Antes que venha o dia grande e terrível do Senhor.
Ele converterá o coração dos pais aos filhos,
E o coração dos filhos aos pais,
Para que eu não venha e fira a terra com maldição.”
Deus nos prometeu enviar Elias, e este Elias que Deus prometeu enviar não é nenhum outro senão João Batista.
Elias, um dos maiores profetas no Antigo Testamento, foi o profeta essencial para converter o coração do povo de Israel a Deus. Este Elias era um homem que viveu no século 9 A.C. Mais de 800 anos havia se passado quando Jesus disse isso. Como, então, Deus enviaria esse Elias? A promessa foi que Deus enviaria alguém que cumpriria a função de Elias. Portanto, a passagem aqui está profetizando sobre João Batista.
Ao batizar Jesus, João Batista converteu o coração de toda a humanidade a Deus. Em Mateus 11:11-12, Jesus mesmo dá testemunho de João Batista também: “Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele. Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele.”
O que essa passagem quer dizer? Ela quer dizer que Deus prometeu apagar para sempre os pecado de todo mundo, e que segundo essa promessa, Ele aceitou, como Sumo Sacerdote celestial, todos os pecados de todas as pessoas através do seu sacerdócio terreno. E ela proclama que qualquer um que crer no batismo de Jesus pode agora com ousadia entrar no Céu pela fé.
Já que não foi possível remir para sempre todos os pecados de uma vez por todas com o sangue de cordeiros e bois no Antigo Testamento, um outro sacrifício era necessário. Porém, nessa terra, não havia uma oferta de sacrifício imaculado que pudesse apagar todos os pecados por completo e para sempre; por esse motivo, o Filho de Deus sem pecado, Jesus Cristo, teve que vir a essa terra e se tornar Ele mesmo essa oferta do sacrifício. Assim como Jesus teve que vir a essa terra para oferecer a oferta eterna pelo pecado do Seu povo, também deveria haver um representante da humanidade, um sumo sacerdote que passasse seus pecados para Ele, o Cordeiro de Deus. Foi por isso que havia João Batista, um descendente de Arão, que Deus preparou para esse propósito.
Somente Arão e seus descendentes, que foram os sumo sacerdotes do Antigo Testamento, estavam qualificados para oferecer o sacrifício do Dia da Expiação. Sendo assim, Deus não poderia escolher qualquer um para ser o sumo sacerdote terreno. Então Deus preparou este representante da humanidade da família dos sumo sacerdotes; isto é, dos descendentes de Arão. Esse representante foi João Batista que nasceu de Zacarias e Isabel seis meses antes de Jesus nascer. Os pais de João, Zacarias e Isabel, também eram descendentes de Arão.
Portanto, João Batista, cujos parentes eram descendentes de Arão, pôde cumprir seu sacerdócio como sumo sacerdote enviado por Deus, e ele era o representante da humanidade e estava realmente qualificado para passar todos os pecados a Jesus. Pelo fato de João Batista, o Elias que havia de vir, que converteu o coração dos filhos aos pais, ter sido o sumo sacerdote terreno que Deus havia preparado, ele batizou Jesus Cristo, que se tornou a oferta do sacrifício, da mesma forma que a imposição de mãos do Antigo Testamento.
João Batista batizou Jesus impondo suas mãos sobre Sua cabeça. Jesus tinha 30 anos naquele tempo. Os descendentes de Arão começavam seu sacerdócio com 30 anos de idade (Números 4:3). Quando João batizou Jesus, todos os pecados da humanidade foram passados a Ele. Sendo assim, nós não precisamos mais de nenhum sacrifício para apagar os nossos pecados (Hebreus 10:18). João Batista foi o último sacerdote do Antigo Testamento.
Deus enviou João Batista, o Elias que havia de vir, e seis meses depois, Ele também enviou Seu Filho Jesus como a oferta perfeita e imaculada por toda a humanidade. Ao fazer com que João Batista batizasse Jesus e ao fazer com que Jesus recebesse o batismo de João, Deus passou todos os nossos pecados a Jesus. Ao fazer isso, a providência e as promessas de Deus foram todas cumpridas. João Batista, o sumo sacerdote terreno, impôs suas mãos sobre a cabeça de Jesus, nossa própria oferta do sacrifício. E ao receber essa imposição de mãos, Jesus foi imerso nas águas e depois saiu dela. Jesus recebeu o batismo que cumpriu toda a justiça de Deus.
O fato de Jesus ter sido imerso nas águas significa Sua morte. E o fato dEle ter saído das águas simboliza Sua ressurreição. E a imposição de mãos que Jesus recebeu de João nos diz que Ele aceitou todos os nossos pecados.
O batismo de Jesus que está descrito em Mateus 3:13-17 foi para Ele aceitar os pecados do mundo. Para levar sobre Si nossos pecados, Jesus Cristo procurou ser batizado por João Batista no rio Jordão, onde João estava batizando os Israelitas para o arrependimento. A princípio, João não concordou, dizendo: “Eu preciso ser batizado por ti, e vens tu a mim?” João batista tentou impedir Jesus de ser batizado porque sabia que enquanto ele era apenas o sumo sacerdote dessa terra, Jesus Cristo era o Sumo Sacerdote celestial, e ele não podia aceitar, como um simples homem, o ato ousado de impor as mãos sobre a cabeça do próprio Deus. Porém, Jesus foi capaz de persuadi-lo energicamente: “Deixa por agora.”
Por que o Sumo Sacerdote celestial veio a essa terra? Ele veio a essa terra para nos salvar para sempre dos nossos pecados e de uma vez por todas, não oferecendo sangue de bois e cordeiros, mas oferecendo Seu próprio corpo (Hebreus 9:12). Ao receber Seu batismo de João, Jesus aceitou todos os pecados do mundo em Seu corpo, e ao oferecer Seu corpo a Deus Pai, Ele nos salvou de todos os nossos pecados. Dessa forma, Jesus aceitou todos os nossos pecados ao ser batizado, ofereceu Seu corpo a Deus Pai ao ser crucificado, e se tornou assim nossa própria oferta do sacrifício para expiação de todos os nossos pecados, salvando a todos nós dessa maneira.
Então, Jesus disse com firmeza ao hesitante João: “Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça.” João Batista então fez a vontade de Jesus, e O obedeceu. Finalmente, ele impôs suas mãos sobre a cabeça do Messias, e esse foi o momento em que a vontade de Deus foi cumprida corretamente. Por isso, a Bíblia declara: “Assim que Jesus foi batizado, saiu logo da água. Nesse instante abriram-se-lhe os céus, e viu o Espírito Santo descendo com pomba e pousando sobre ele. E uma voz dos céus disse: este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” (Mateus 3:16-17).
A palavra “batismo” significa ser lavado, ser imerso na água, e ser enterrado. Quando o pecado é passado a alguém, a pessoa que aceitou esse pecado tem que morrer. Assim aquele que passa o pecado é purificado dele, e já que aquele que recebeu esse pecado tem que morrer por causa dele, ele é enterrado também – isto, em outras palavras, é como o símbolo da morte de Jesus quando Ele foi imerso na água. João Batista, o representante da humanidade, o Elias que havia de vir e sumo sacerdote, batizou Jesus e assim passou os pecados do mundo a Jesus Cristo, o Salvador que veio a essa terra para salvar a todos perfeitamente dos seus pecados.
O significado espiritual do batismo é a transferência do pecado. Qual é, então, o significado espiritual da imposição de mãos? A imposição de mãos também significa passar o pecado, ou transferir o pecado. Por isso, esta imposição de mãos do Antigo Testamento e o batismo do Novo Testamento são a mesma coisa. Sendo assim, ao colocar suas mãos sobre a cabeça de Jesus, João Batista O batizou passando a Ele todos os pecados do mundo.
Jesus levou sobre Si todos os nossos pecados para cumprir toda a justiça de Deus. Qual o significa do termo ‘pois assim’ na frase: “Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça”? O termo ‘pois assim’ é ‘hutos’ em grego, que significa ‘bem dessa maneira,’ ‘o mais apropriado,’ ou ‘não há outra maneira além dessa.’ Essa palavra nos mostra que Jesus irreversivelmente levou os pecados da humanidade sobre Si mesmo através do batismo que Ele recebeu de João. Em outras palavras, nada foi mais apropriado para cumprir toda a justiça de Deus do que esse método que permitiu João, o representante da humanidade, batizar Jesus o Filho de Deus para que Ele assim levasse os pecados da humanidade.
Está escrito: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16).
Enviando Seu Filho Jesus Cristo a essa terra, Deus Pai O fez receber o batismo do representante da humanidade dessa forma. Foi por Jesus aceitar todos os nossos pecados que ao ser batizado que Ele pôde levar os pecados do mundo e morrer na Cruz. Assim, Jesus foi o sacrifício da nossa oferta eterna do pecado que nos salvou totalmente ao ser batizado e morrendo na Cruz. Essa foi a providência de Deus.
Foi por isso que Jesus disse em João 3:5, “Aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode ver o reino de Deus.” Foi por Jesus Cristo ter aceitado todos os nossos pecados ao ser batizado que Ele pôde ser crucificado e ter derramado Seu sangue em nosso lugar. Um dia depois do batismo de Jesus, o próprio João Batista deu testemunho de Jesus dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29). E Jesus, ao carregar os pecados do mundo até a Cruz e ser crucificado, nos salvou de todos eles.
Meus amados irmãos em Cristo, você e eu temos que acreditar nesse evangelho da água e do Espírito. Jesus Cristo aceitou todos os nossos pecados através do Seu batismo, foi crucificado até a morte em nosso lugar, ressuscitou dos mortos em três dias, e vive até hoje para toda a eternidade. Você, também, deve crer agora em Jesus Cristo como seu Deus e seu Salvador.
Ao aceitar todos os nossos pecados através do Seu batismo e morrendo na Cruz, Jesus cumpriu completamente a lei que declara que o salário do pecado é a morte. Dessa forma, nosso Senhor salvou você e a mim de todos os nossos pecados. Foi por isso que Deus Pai abriu as portas dos Céus quando Seu Filho foi batizado. A Bíblia diz que quando Jesus foi batizado e logo saiu da água, as portas dos Céus se abriram: “Nesse instante abriram-se-lhe os céus, e viu o Espírito Santo descendo com pomba e pousando sobre ele. E uma voz dos céus disse: este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 13:16-17).
Deus se agradou com o batismo de Jesus. Nosso Deus e Pai cumpriu a salvação através de Seu Filho. Tomando Seu próprio Filho como oferta do sacrifício pelos nossos pecados, Ele fez com que Ele suportasse todos os nossos pecados e a nossa condenação, e assim salvasse toda a humanidade. A fim de salvar a humanidade de todos os seus pecados exatamente como Ele havia prometido no Antigo Testamento, Deus Pai cumpriu Sua justiça exatamente da maneira que Ele havia prometido.
Na passagem das Escrituras aqui, o Apóstolo João nos diz: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, porém, alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo” (1 João 2:1-2).
Nós temos que reconhecer que João está falando do evangelho da água e do Espírito nessa passagem. Em outras palavras, Jesus apagou todos os pecados do mundo. Quem se tornou a propiciação pelo mundo inteiro? Jesus Cristo é o Senhor que, para apagar os pecados do mundo, foi batizado por João Batista e assim levou sobre Si todos os pecados do mundo inteiro e o purificou por completo de uma vez por todas. O que o Apóstolo João está dizendo aqui, portanto, não é que somos perdoados todos os dias toda vez que pecamos neste mundo e sempre que nós fazemos as nossas orações de arrependimento, mas que Jesus Cristo remiu todos os nossos pecados de uma vez por todas através do evangelho da água e do Espírito.
 
Quem é nosso Advogado?
Somente Jesus Cristo que nos livrou dos nossos pecados no mundo é o nosso Advogado.
 
Essa passagem está nos dizendo, em outras palavras, que se alguém neste mundo pecar, nós temos Jesus Cristo como nosso Advogado junto ao Pai. O “Advogado” aqui se refere ao Senhor, no sentido de que Jesus intercede junto ao Pai em nosso favor por causa dos nossos pecados. Jesus Cristo é o Salvador que nos salvou de forma perfeita de todos os pecados do mundo. É por isso que quando um crente no evangelho da água e do Espírito peca, Jesus Cristo que se tornou nosso Salvador intercede junto a Deus Pai por ele e até mesmo em nosso favor, dizendo: “Para apagar todos os seus pecados, Eu fui batizado por João Batista. Por isso, ele não é culpado, Pai, porque ele crê no evangelho da água e do Espírito... Você, meu filho, não tenha medo dos pecados que você cometeu estes dias. Você não sabe que todos esses pecados também foram lavados através do Meu batismo e do meu sangue na Cruz? Apenas reconheça-os e confesse-os diante de Deus, e confie no evangelho da água e do Espírito e medite nele novamente.”
  
O que é a verdadeira confissão?
É confessar nossos pecados todos os dias colocando nossa fé no evangelho da água e do Espírito.
 
Essa passagem diz que depois de crermos no evangelho da água, se mais uma vez nós cometermos pecado contra Deus, nós então precisamos confessar esses pecados a Jesus Cristo e crer que o Senhor levou até mesmo esses pecados. O que nós precisamos entender bem aqui é que não é pelos nossos próprios atos de confissão que nossos pecados são apagados. Ao contrário, é porque nosso Senhor levou sobre Si nossos pecados pessoais através do batismo que Ele recebeu que essas nossas transgressões pessoais são dissolvidas pela nossa fé. Isso porque quando nosso Senhor veio a essa terra e foi batizado por João Batista, Ele levou sobre Si todos os pecados do mundo de uma vez por todas. E porque Ele já suportou a condenação por causa dos nossos pecados na Cruz, tudo que temos que fazer é confessá-los crendo no evangelho da água e do Espírito.
Assim sendo, quando cremos então que nosso Senhor levou sobre Si todos os pecados que nós já cometemos e que iremos cometer ao longo da nossa vida inteira nessa terra, nós somos salvos de todos os nossos pecados e libertos da nossa culpa. O que o Apóstolo João está nos dizendo aqui é que ele deseja que nós, em Jesus Cristo, nunca sejamos escravos do pecado novamente. É por isso que o próprio Jesus Cristo se tornou a propiciação pelos nossos pecados diante de Deus Pai.
O Apóstolo João, em outras palavras, está nos exortando a viver no perfeito evangelho e a viver uma vida perfeita pela fé. Somente então nós poderemos de fato viver uma genuína vida de fé. É quando nós conhecemos essa Verdade é que podemos ser purificados de todos os nossos pecados no Senhor, e nunca mais seremos escravos das nossas fraquezas e nos tornaremos obreiros de Deus. Em outras palavras, ao crermos no evangelho da água, nós nunca mais estaremos sob condenação, e é isso que nos permite fazer a verdadeira confissão de fé que nos capacita a chamar Jesus Cristo de nosso verdadeiro Salvador. Por quê? Porque ao crermos no verdadeiro evangelho com nossos corações, todos nós podemos chegar com ousadia diante do Deus santo.
Aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito, o verdadeiro evangelho que nosso Senhor nos deu, foram libertos de todos os pecados que eles cometeram de uma vez por todas pela fé. Somente crendo nesse verdadeiro evangelho é que nós podemos ser perfeitamente salvos de todos esses pecados que cometemos a vida inteira. O verdadeiro evangelho nos trouxe a salvação de todos os pecados do mundo quando Jesus veio a essa terra e foi batizado, e levou todos os pecados do mundo sobre Seu próprio corpo. Ter fé nessa Verdade é crer que o Senhor nos salvou de todos os nossos pecados de uma vez por todas. Somente crendo nesse evangelho da água e do Espírito é que nós podemos ser salvos.
No entanto, todos nós continuamos a pecar enquanto vivemos neste mundo. Isso porque todo mundo tem um corpo, e, portanto, ele é sempre deficiente. Contudo, nós não podemos nos tornar pecadores de novo. Porque Jesus Cristo, que apagou todos os nossos pecados e se tornou nosso Advogado, ainda está do nosso lado é que todos aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito vivem sempre na plenitude.
 
Nós continuamos a pecar enquanto vivemos neste mundo?
Sim, mas nosso Senhor já apagou todos esses pecados.
 
Meus amados cristãos, nós continuamos cometendo pecado ou não enquanto vivemos neste mundo? –É claro que sim.– Nós realmente continuamos pecando e o faremos até o dia da nossa morte. Se essa é a questão, então não é verdade que todos esses pecados que nós cometemos a vida inteira pertencem aos pecados do mundo? Todos eles pertencem aos pecados do mundo. Mas Jesus Cristo não levou sobre Si todos esses pecados do mundo de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista? Ele realmente os levou a todos.
E Ele carregou ou não esses pecados do mundo e morreu por nós na Cruz? É claro que sim. E Jesus Cristo não ressuscitou dentre os mortos então, e não se tornou agora nosso verdadeiro Salvador? Ele de fato se tornou nosso verdadeiro Salvador. Nosso Senhor está vivo agora, e Ele se tornou o Salvador de todos aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito. Nós temos que conhecer muito bem e crer nesse verdadeiro evangelho. A não ser que façamos isso, nós não poderemos ser libertos dos nossos pecados, mesmo que confessemos crer em Jesus.
 
O que nós temos que admitir diante de Deus?
Nós temos que admitir que sempre fomos pecadores, e que todos os nossos pecados foram remidos apenas através do evangelho da água e do Espírito.
 
Se nós nem admitirmos que estamos condenados a pecar nessa terra até o dia da nossa morte, é simplesmente impossível para nós crer no Senhor. Como pode alguém que não é pecador ter necessidade de crer em Jesus como Salvador? Está escrito: “Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes” (Mateus 9:12). Alguém pode dizer que embora tenha pecado contra Deus e contra os homens antes, jamais vai pecar de novo? Se nós estamos tão confiantes de que não pecaremos de novo, e se nós somos tão perfeitos a ponto de realmente não pecarmos de novo, então que necessidade nós temos de crer em Jesus como nosso Salvador?
Se alguém não sabe que Jesus levou todos os pecados do mundo, e se esquece da Verdade que Jesus cumpriu toda a justiça de Deus ao levar sobre Si os nossos pecados através de João Batista quando foi batizado, essa pessoa pode de alguma maneira ser salva crendo nesse Senhor? Quem tem coragem de dizer que está tão confiante que nunca vai pecar de novo?
Meus santos irmãos, através do batismo que Jesus recebeu de João Batista, Ele levou sobre Si todos os pecados que eu e você cometemos por toda nossa vida. É por isso que nós temos que crer nesse Jesus, que levou os pecados da nossa vida inteira através do Seu batismo, como nosso Salvador, e apenas quando nós cremos assim é que poderemos nos tornar justos. Antes de crermos no Senhor como Salvador, nós primeiro temos que admitir que somos sementes de transgressão, e que nós estamos condenados a continuar pecando a vida toda até o dia da nossa morte. Só aqueles que reconhecem sua natureza pecaminosa diante de Deus é que podem ter a verdadeira fé, e apenas eles podem crer no verdadeiro evangelho da água e do Espírito.
É extremamente importante que nós venhamos a admitir a Deus que estamos condenados a pecar até o dia da nossa morte. Sempre que pecamos neste mundo, na nossa fraqueza ou por qualquer outra razão, nós devemos admitir que pecamos, e devemos também reconhecer que Jesus levou sobre Si todos esses pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista, e que todos os nossos pecados foram realmente passados a Ele – somente então nós poderemos ter a verdadeira fé. Quando nós temos essa fé é que podemos nos afastar de todos os nossos pecados e de toda a condenação do pecado, e realmente estarmos mais perto do Senhor. É no evangelho da água e do Espírito que podemos ser realmente purificados e nos afastar das trevas.
Ao invés de tentarmos esconder nossos pecados de Deus enquanto vivemos nossa vida de fé na Sua presença, nós precisamos chegar diante da sua brilhante luz da Verdade e confessar: “Senhor, eu sou um pecador. Eu estou condenado a pecar até eu morrer, mas eu creio que Jesus veio a essa terra para me salvar dos meus pecados, e que Ele aceitou todos os pecados deste mundo ao ser batizado por João Batista.” Crendo na Verdade do evangelho da água e do Espírito e confessando nossos pecados, nós chegamos mais perto de Deus na Sua luz brilhante da Verdade, porque o Senhor levou sobre Si todos os nossos pecados de uma vez por todas através da água e do Espírito. Assim como a oferta do sacrifício no Antigo Testamento recebia os pecados dos Israelitas pela imposição de mãos, nosso Senhor recebeu todos os pecados do mundo por meio de João Batista.
Para nós, crer nisto que o Senhor fez por nós é ter de fato a verdadeira fé. Se a nossa fé não é assim, mas se ao invés disso nós escondemos de Deus os pecados que nós cometemos neste mundo tentando expiar nossos pecados fazendo algo bom e virtuoso, longe de sermos remidos, nós apenas acabaremos caindo num poço de pecados ainda mais fundo. Quando isso acontece, nossos corações ficam em trevas por causa do pecado, e nós nos envergonhamos tanto de nós mesmos que não somos capazes de encarar ninguém.
Sem fé no evangelho da água e do Espírito, não podemos clamar o nome de Deus, nem entender o que é certo ou errado, porque a nossa razão, a nossa sabedoria, e a nossa percepção se tornam obscuras. Isso é o que Satanás quer que aconteça a nós. Sobre aqueles que não crêem no evangelho da água e do Espírito, e por isso não conseguem passar seus pecados a Jesus, e tentam até mesmo escondê-los de Deus, a grande ira de Deus virá.
  
Por que temos que confessar os pecados que cometemos?
Para vivermos na luz da Verdade, isto é, no evangelho da água e do Espírito.
 
Devemos confessar a Deus que nossas sementes são tão ruins que não podemos evitar de continuar pecando, e por isso temos que crer que ao ser batizado, nosso Senhor levou sobre Si todos esses pecados que cometemos no mundo até o dia da nossa morte. Nós temos que crer que nosso Senhor dessa forma suportou os pecados do mundo, os levou até a Cruz, e suportou toda a condenação do pecado derramando Seu sangue sobre ela. Foi por crer no evangelho da água e do Espírito assim que Jesus se tornou o Salvador dos crentes. É crendo no evangelho da água e do Espírito que nós somos purificados dos nossos pecados, e é por meio deste que nos tornamos filhos de Deus.
É crendo no evangelho da água e do Espírito que nós nos tornamos aqueles que de fato não tem pecado, cujos corações são mais alvos que a neve. É aí então que nossos corações se tornam leves como uma pena, capazes de servir ao Deus santo como Seus obreiros e de adorá-Lo.
Meus santos irmãos, nenhum outro a não ser esse é o próprio poder do evangelho da água e do Espírito.
O chamado “evangelho da Cruz” que as pessoas deste mundo crêem afirma que nós somos santificados pelos nossos próprios esforços diários para não pecar, mas nunca poderemos deixar nossos corações mais alvos que a neve crendo dessa maneira. A não ser que creiamos no evangelho da água e do Espírito, nossos corações nunca ficarão leves como uma pena. Nós não temos como evitar de pecar neste mundo, e nós de fato pecamos o tempo todo, mas quando cremos que nosso Senhor levou todos os nossos pecados ao ser batizado, suportou toda a condenação pelos nossos pecados ao derramar Seu sangue na Cruz, e assim salvou você e a mim de todos os nossos pecados, nós podemos por essa fé nos tornar filhos de Deus.
 
Todos têm que reconhecer sua natureza humana diante de Deus para viver uma vida de fé corretamente?
Sim, porque qualquer um que não reconhece a si mesmo diante de Deus não pode crer no evangelho da agua e do Espírito.
 
A bíblia descreve os fariseus como hipócritas. Sempre que eles viam alguém só um pouquinho impuro, eles arregaçavam as mangas e cobriam seus olhos, a fim de não se contaminarem com o que seus olhos viam. Mas na verdade, eles, também, estavam imundos diante de Deus. Eles eram o tipo de pessoas que eram totalmente ignorantes em relação a si mesmos e só queriam apedrejar os outros até a morte, freqüentemente invocando a lei. Este não é outro senão o triste retrato dos cristãos mundanos de hoje e dos servos de Satanás.
Aqueles que não conhecem a si mesmos deveriam aprender com Sócrates primeiro. O que ele nos disse? Ele disse a famosa frase: “Conhece-te a ti mesmo.” Que conselho sábio foi este! Há muitos filósofos neste mundo, mas ninguém deixou uma frase tão famosa quanto esta. Sócrates disse algo que era digno de um grande filósofo. Muitos dos filósofos da sua época se gabavam somente da sua própria filosofia, falando arrogantemente do ascetismo e do hedonismo, e dizendo para todo mundo como viver. Mas Sócrates não se importou com eles e apenas disse: “Conhece-te a ti mesmo. Antes de você dizer alguma coisa, primeiro entenda quem você realmente é. Já que você tem muitas falhas em si mesmo, o que te qualifica a dizer que os outros fizeram algo certo ou errado?”
A Bíblia também destaca isso. Jesus disse: “Tira primeiro a trava do teu olho, e então verás claramente para tirar o cisco do olho do teu irmão” (Mateus 7:5). Esta, meus amados irmãos em Cristo, é a razão pela qual devemos saber muito bem quem somos, e que somos seres pecadores. Você precisa entender que nosso Senhor se tornou o verdadeiro Salvador dos pecadores, e precisa reconhecer que ao crer no evangelho da água e do Espírito, seu coração deve se sentir leve como uma pena.
Você deve reconhecer o fato de que você comete vários pecados enquanto está vivendo nessa terra, e deve confessar seus pecados diários para Deus todos os dias colocando sua fé no evangelho da água e do Espírito. E você também deve reconhecer que seus pecados não estão mais em seus corações, porque você crê que nosso Senhor levou todos os seus pecados ao ser batizado. É crendo que Jesus suportou toda condenação pelos seus pecados que seus corações se tornarão leves como uma pena.
Nossos corações são do tipo de alguém que, por crer na Verdade do evangelho da água e do Espírito, reconheceu todos os seus pecados e passou todos eles a Jesus. Esse mesmo coração daquele que passou seus pecados a Jesus Cristo é que crê que seus pecados foram realmente passados a Ele através do batismo de João Batista – nenhum outro além deste é o coração que é tão leve como uma pena. Você crê nisso? Você crê que Jesus Cristo levou sobre Si todos os pecados do mundo? Você crê que Ele se tornou a propiciação pelos nossos pecados? Você crê que Jesus Cristo é o nosso Ajudador? Você crê que Ele é o Senhor que apagou todos os nossos pecados?
Sempre que tropeçamos por causa das nossas fraquezas, e sempre que caímos, nosso Senhor vem a nós e nos diz: “Eu levei todos esses pecados também. Eu sou o seu Salvador. Vocês são o Meu povo, e os Meus filhos.” Então é pela fé que nos tornamos Seus filhos. Eu louvo a Deus por essa abundante graça!
O Apóstolo João disse: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, porém, alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.” Meus amados irmãos, há muitas pessoas parecidas com os fariseus que vivem em completa contradição com essa passagem. Essas pessoas crêem que são muito virtuosas e honestas.
Você provavelmente já se deparou com uma reportagem investigativa na televisão revelando os atos inescrupulosos e sem ética cometidos por algumas pessoas desonestas. Vendo isso, muitos telespectadores se sentem indignados e irados com elas. Mas a verdade é que para Deus, não há dúvida alguma de que nós somos como essas pessoas. Os jornalistas que revelam essas histórias e os bandidos que são expostos pelos jornalistas são a mesma coisa para Deus, porque eles são seres humanos que da mesma forma pecam o tempo todo.
Ainda há pessoas que alimentam muitos pensamentos estranhos; isso quer dizer que, há pessoas que crêem que elas de forma alguma são iguais a esses bandidos. Nenhum outro senão essas pessoas é que estão mentalmente doentes. “Eu nunca vou ser como esses bandidos.” Aqueles que insistem nisso estão tão mentalmente doentes que sua doença chegou a um estágio que não tem tratamento e não pode ser curada pelos médicos deste mundo. A maioria das doenças mentais tem tratamento, mas ainda há muitos doentes mentais que fizeram todo tipo de tratamento e agora estão além dos limites da ciência médica moderna.
Vocês se lembram do escândalo terrível que abalou Washington alguns anos atrás? O presidente Clinton foi julgado para ter seu impeachment por causa do chamado “Zippergate.” Kenneth Starr, o procurador escolhido para acusar o presidente Clinton por má conduta, o perseguiu ferozmente numa caçada implacável. Mas Clinton foi a única pessoa que era sexualmente imoral e lasciva? Eu gostaria de perguntar para Starr e para o povo americano: “Vocês são melhores do que Clinton? Conheçam a si mesmos!”
A Bíblia diz: “Pois todos pecarão e destituídos estão da glória de Deus, e são justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3:23-24). Aqui está dizendo que é por causa do nosso Senhor que todos nós somos salvos.
Você nunca deve ter a visão dos fariseus. Você nunca deve ter um coração como o deles. Meus santos irmãos, alguém pode julgar ou condenar outra pessoa? Ninguém pode fazer isso. Nenhum homem pode julgar outro ser humano. Lembra da mulher adúltera apanhada no ato de adultério? Os fariseus e os escribas queriam apedrejá-la até a morte, mas o que foi que Jesus disse? Ele disse a eles: “Aquele que dentre vós está sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra” (João 8:7).
O tipo de pessoas que Jesus considera ser mais repulsivo, sujo, e desgraçado não são outros senão os fariseus e escribas. Há inúmeras pessoas que são assim no mundo. Todos os religiosos deste mundo são como esses fariseus e escribas. Na sua hipocrisia, os religiosos deste mundo parecem ser santos por fora, mas por dentro eles estão podres até o âmago. Quando nós olhamos para o que realmente está dentro desses religiosos do mundo, nós podemos ver facilmente que todos eles são corruptos. Foi por isso que Jesus Cristo veio a essa terra para salvar todos os pecadores dos seus pecados, e para fazer isso, Ele teve que ser batizado para levar sobre Si todos os pecados da humanidade.
Meus amados irmãos, cada um dos nossos pecados foram passados a Jesus de uma vez por todas. E ao levar esses pecados do mundo até a Cruz e ter morrido nela, Jesus salvou aqueles que crêem nEle. Portanto, é por crer na Palavra de Deus que alguém pode ser salvo perfeitamente, como a Bíblia afirma: “Pois com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:10).
O que, então, precisamos reconhecer e crer? Precisamos entender que somos seres inúteis que estão condenados a pecar até o dia da sua morte, e por isso temos que crer no evangelho da água e do Espírito. E para termos essa fé firmemente, nós temos que confessar todos os pecados que cometemos. Temos que confessar da seguinte forma: “Senhor, eu cometo pecados todos os dias. Não tem um dia que eu não peque, e a cada dia que passa, eu acabo cometendo todo tipo de iniqüidade. Mas Tu, meu Senhor, levaste todos esses pecados também.” Nós temos que confessar o que realmente somos, e temos que crer no evangelho da água e do Espírito. A não ser que nós façamos isso, jamais poderemos ser salvos dos nossos pecados. Porque todos nós, em outras palavras, não podemos ser salvos dos nossos pecados a não ser que creiamos no evangelho da água e do Espírito.
Em 1 João 2:3-11, o Apóstolo João continua dizendo detalhadamente: “E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: eu o conheço, e não guardar os seus mandamentos, é mentiroso e nele não está a verdade. Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus nele tem-se verdadeiramente aperfeiçoado. E nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou. Amados, não vos escrevo mandamento novo, mas um mandamento antigo, que desde o princípio tivestes. Este mandamento antigo é a palavra que ouvistes. Contudo vos escrevo novo mandamento, que é verdadeiro nele e em vós, porque as trevas vão passando, e já brilha a verdadeira luz. Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está nas trevas. Aquele que ama a seu irmão permanece na luz, e nele não há nenhum tropeço. Mas aquele que odeia a seu irmão está nas trevas; não sabe para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos.”
O ponto-chave que resume essa passagem é este: “Aquele que guarda os Seus mandamentos sabe que está vivendo em Deus. Porém aquele que não os guarda vive nas trevas.” Para nós, viver segundo os mandamentos de Deus é amar a Deus e amar uns aos outros. Usando uma simples questão, o assunto aqui é se os justos amam ou não uns aos outros. Em outras palavras, o que está em jogo aqui é se os justos odeiam uns aos outros ou têm ciúmes uns dos outros, ou se eles amam uns aos outros; se eles sabem ou não que são realmente o povo de Deus; se eles entendem que foram revestidos da mesma graça por Jesus Cristo e tem consideração uns com os outros. Foi dito aqui que aquele que não ama vive nas trevas, e que aquele que vive nas trevas foi cegado por esse pecado.
O Apóstolo João também fala sobre o novo e o antigo mandamento, dizendo: “Este mandamento antigo é a palavra que ouvistes. Contudo vos escrevo novo mandamento.” Antigos ou novos, todos os mandamentos se resumem no amor. Assim como a Lei do Antigo Testamento nos ordena a amar a Deus e amar o nosso semelhante como a nós mesmos, da mesma forma o novo mandamento está centrado no amor, no que Jesus nos disse – “amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei.” Aqueles que não amam, qualquer que seja o motivo, estão pecando contra Deus, e sem dúvida alguma estão vivendo suas vidas de acordo com sua vontade. Eles são totalmente soberbos, se colocando diante de Deus como se fossem juízes. Essas são as pessoas mais malignas.
Meus amados irmãos, essa lição é igualmente aplicada a todos nós, a todos os irmãos da fé, assim como aos servos de Deus, que estão vivendo sua vida de fé. Nada pode ser mais contraditório do que acreditarmos que nós estamos livres do problema quando olhamos para os outros como se eles fossem piores do que nós, e notamos cada falha dos outros enquanto que somos totalmente incapazes de perceber nossas próprias falhas. Nós devemos, portanto, amar verdadeiramente uns aos outros. Esse amor não deve ser mostrado apenas na aparência, mas devemos amar uns aos outros do fundo do nosso coração, entendendo que nossos irmãos são pessoas como nós e povo de Deus. Nós temos que ter um coração cuidadoso assim. Aquele que não tem um coração amoroso assim está no caminho errado. Levar vantagem com a fraqueza dos outros não é amar. Fazermos da fraqueza dos outros a nossa própria fraqueza é que é amor.
Para aqueles que se alegram com a fraqueza dos outros e tiram vantagem disso, isso só pode significar que o amor já os deixou. Eles de fato não estão mais vivendo na Palavra do Senhor. Embora eles possam ter recebido a remissão dos seus pecados, eles não estão andando com Deus. Deus não pode se unir com essas pessoas que tiram vantagem das fraquezas dos outros e se alegram com isso, e no fim das contas eles acabam se afastando de todo mundo.
Em Cristo, todos nós devemos nos unir como um só, como a farinha fina se torna uma massa. Assim como a farinha se transforma em macarrão somente quando ela é misturada a massa primeiro, se você continuar vivendo só para si mesmo, isso não vai valer de nada. Cada um de nós que vive só para si mesmo é facilmente levado pelo vento mais fraquinho. Assim como o grão de trigo deve ser primeiro cultivado para que a farinha que dele é produzida vire uma massa e aí se torne um saboroso pão, apenas quando os justos se unem e se tornam um com Deus é que eles podem se tornar obreiros úteis para Deus. É por isso que todos nós devemos nos tornar um e amar uns aos outros.
Todos nós devemos nos lembrar que nosso Senhor se tornou nosso Advogado.