শিক্ষা

Assunto 16: O Evangelho Segundo JOÃO

[Capítulo 15-4] Você Terá uma Vida Cheia de Alegria por Amar o Senhor e Guardar Seus Mandamentos (João 15:1-17)

Você Terá uma Vida Cheia de Alegria por Amar o Senhor e Guardar Seus Mandamentos
(João 15:1-17)
“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor. Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo. O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros.”
 
 
É com grande alegria que eu quero saudar a todos os santos que hoje se encontram aqui. Esse encontro de avivamento tem sido algo maravilhoso. Desde segunda-feira nós estamos tendo comunhão, eu já parti o pão com vocês e também pude contemplar as lindas cores do Monte Seorak que mudam nessa época do ano. Os três dias que passei com vocês aqui de fato foi um tempo maravilhoso. As folhas que mudam de cor em contraste com o mar azul ao fundo formam uma cena espetacular da natureza, tornando nosso encontro ainda mais especial. Eu sou muito grato a Deus por tudo isso. Deus sempre abençoa os justos quando eles se reúnem assim. E através do seu fabuloso plano, ele nos preparou esse tempo aqui para que tomássemos algumas decisões importantes. Eu realmente sou muito grato a Deus. Apesar de querer muito passar mais algum tempo aqui, depois do meu sermão dessa noite todos teremos que voltar para casa e para os nossos afazeres.
 
 

O Senhor é a Videira Verdadeira e o Cabeça da Igreja

 
Hoje à noite, nós lemos João 15:1-17 como texto base do nosso sermão. Jesus diz no versículo 1: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador”. Ao fazer uma analogia com a videira, nosso Senhor explica como ter uma vida de fé estando nele e o que é a verdadeira alegria. O Senhor disse que ele mesmo é “a videira verdadeira”. Ele está com cada um de nós, que somos as varas que dão uvas. Ele também é o cabeça da Igreja, que nos salvou do pecado. E nós somos os membros da Igreja de Deus.
O Senhor também disse que seu Pai é o lavrador. O lavrador cultiva a vinha para depois colher suas uvas. E ele cuida da vinha segundo o seu querer e a sua vontade. Então, assim como o lavrador cuida da vinha, Jesus Cristo cumpre toda a vontade de Deus através de nós, suas varas. Deus Pai, o lavrador, resolveu salvar os pecadores das suas iniquidades através do seu Filho. O que nós temos que entender aqui é que Jesus Cristo veio a essa terra para desfazer as obras do diabo. A Bíblia diz que “para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo” (1 João 3:8). Portanto, quando nosso Senhor veio a essa terra, ele realmente desfez todas as obras do diabo com o evangelho da água e do Espírito – isto é, ele apagou todos os pecados do homem.
Todavia, até hoje Satanás continua enganando os cristãos. E ele engana sempre os cristãos para que eles não consigam entendem o amor de Deus e desfrutá-lo por completo. Ao enganar as pessoas, Satanás faz com que elas não entendam a verdade e creiam em Jesus somente de um modo religioso. Deste modo, ele faz com que os cristãos falem línguas falsas e tenham uma vida religiosa falsa também. Todas as religiões que há neste mundo não passam de falsas religiões criadas pelo próprio homem; e as pessoas estão se curvando diante de imagens que elas mesmas criaram e servindo-as cegamente. Elas põem sua confiança em deuses que elas mesmas criaram e oram para que essas imagens as abençoem. Para ser bem direto, elas estão adorando ídolos. Assim são as religiões do mundo.
 
 

O Senhor que Veio a essa Terra para Desfazer as Obras de Satanás e Nos Salvar do Pecado

 
Hoje à tarde, nós saímos para fazer uma caminhada nos montes e encontramos um templo budista. A maioria dos templos budistas tem um santuário interior dedicado a Buda e outro dedicado aos deuses da montanha. A velha crença xamanista da Coreia crê que em todo lugar há um deus – toda montanha tem um deus, o mar tem um deus, e até a lua tem um deus. Basicamente, a crença tradicional da Coreia era o panteísmo, que cria que todo objeto tinha um espírito. Por essa razão, algumas pessoas chegaram ao cúmulo de achar e crer que o pano usado para limpar o chão podia ser possuído por um espírito.
Os deuses das montanhas são os mais conhecidos de todas as deidades animistas da Coreia. Antigamente, os coreanos costumavam construir santuários para os deuses das montanhas e se curvavam diante dos ídolos, orando para que eles os abençoassem com a prosperidade. Por exemplo, quando uma mulher era estéril, ela orava no santuário pedindo ao seu deus para se tornasse fértil. Quando o animismo estava em alta na Coreia, toda montanha tinha um santuário dedicado ao seu deus. Porém, quando o budismo chegou na Coreia, esses santuários começaram a ser construídos dentro dos templos junto ao santuário principal, para que os visitantes pudessem se curvar diante do altar dedicado ao deus da montanha assim como à estátua de Buda, sempre para pedir por prosperidade.
A religião é assim. As pessoas pedem aos ídolos criados por elas mesmas que as abençoem. No fim, todas as religiões foram criadas pelo homem. E embora pareça que as pessoas religiosas levam uma vida de fé, na verdade elas estão apenas praticando sua religião. A vida de fé é totalmente diferente de qualquer vida religiosa. Na fé cristã, adoramos a Deus e cremos no que ele fez por nós. Na vida religiosa, ao contrário, as pessoas criam seus próprios ídolos, adoram essas imagens e oram para que elas as abençoem.
Será que estamos levando uma vida de fé correta então? O Senhor disse que veio a essa terra para desfazer as obra do diabo. Mas como são os cristãos hoje em dia? Hoje, mesmo entre os cristãos que afirmam que levam uma vida de fé em Jesus, há muitos que não sabem que ele os salvou através do evangelho da água e do Espírito. Eles não têm a menor ideia de que é através do evangelho da água e do Espírito que Jesus os salvou de todos os seus pecados e os tornou filhos de Deus. E sem saber como receber o dom do Espírito Santo em seu coração, eles não conseguem ver que sua maneira de crer no Senhor está errada. Deste modo, há muitos que professam sua fé em Jesus como seu Salvador, embora não conheçam o evangelho da água e do Espírito; e isso nada mais é do que levar uma vida religiosa.
Nesse momento, muitos cristãos estão levando uma vida religiosa em vão ao invés de levar uma vida de fé. Eles oram pelas bênçãos de Deus sem ter nenhum entendimento sobre a verdade da salvação; e dói meu coração quando eu vejo essas pessoas. Elas não estão interessadas em conhecer a grande verdade da purificação de pecados, no que exatamente Jesus fez por elas através do evangelho da água e do Espírito. Ao contrário, tudo que elas querem é que Deus aceite sua devoção. Quando a Bíblia diz que o senhor veio a essa terra para desfazer as obras do diabo, isso significa que ele veio desfazer justamente essas obras que levam as pessoas a se desviar de Deus e a ter uma vida religiosa inútil, e para nos salvar das armadilhas do diabo.
Jesus Cristo, o Filho de Deus, veio mesmo a essa terra num corpo carnal, e quando fez trinta anos, ele recebeu todos os pecados do homem de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista. E como preço por todos estes pecados, ele foi crucificado e derramou seu sangue até a morte, mas ressuscitou dos mortos e nos salvou. Por essa razão, Jesus é mesmo o Deus Todo-Poderoso e nosso Salvador que veio pelo evangelho da água e do Espírito. O Deus e Pai de Jesus Cristo desfez as astutas ciladas do diabo, a fim de que ele pudesse nos salvar de todos os nossos pecados através do seu Filho e nos tornar seu povo. Antes da vinda de Jesus, Adão e Eva caíram na tentação de Satanás no jardim do Éden e pecaram comendo da árvore do conhecimento do bem e do mal. Consequentemente, toda raça humana passou a viver afastada de Deus por algum tempo.
Entretanto, Jesus Cristo veio a essa terra. E ao ser batizado nessa terra, ele levou sobre si todos os nossos pecados; e ao pagar o salário destes pecados, ele se tornou o verdadeiro Deus da nossa salvação. Deste modo, nós pudemos encontrar Deus novamente, pois estávamos afastados dele desde o dia em que Adão e Eva caíram na tentação de Satanás e pecaram. Nós agora somos filhos de Deus, pois o Senhor nos salvou de um modo perfeito e completo.
O Senhor diz aqui: “Eu sou a videira verdadeira”. E também está escrito que “ele é o cabeça do corpo, da igreja” (Colossenses 1:18). Quando Jesus Cristo diz aqui: “Eu sou a videira, vós as varas”, ele quer dizer que é o cabeça da igreja.
 
 

A Vontade do Senhor é que Reunamos Nossas Forças para Darmos Frutos

 
O texto bíblico deste capítulo fala da vida de fé que levamos na Igreja de Deus depois que encontramos o evangelho da água e do Espírito e cremos nele. O Senhor quer purificar todos os nossos pecados com perfeição com o evangelho da água e do Espírito, a fim de que creiamos mais na sua justiça e possamos dar mais frutos. O Senhor também disse que arrancaria aqueles que não dessem fruto algum. Então, para que possamos dar frutos, temos que permanecer no Senhor e ter fé no evangelho da água e do Espírito. Os membros da Igreja de Deus são os crentes no evangelho da água e do Espírito, e já que eles se tornaram membros da Igreja de Deus, eles precisam levar uma vida de fé confiando no Senhor. Agora que o Senhor nos salvou com o evangelho da água e do Espírito, ele quer que produzamos muitos frutos espirituais.
Nós temos que viver pela fé seguindo o evangelho da água e do Espírito do Senhor. Nós temos que reconhecer nossas limitações, seguir o evangelho da água e do Espírito que o Senhor nos deu pela fé, amar o Senhor acima de tudo e nos lembrar do seu mandamento, que diz que devemos ter nenhum outro deus diante dele. Nós temos que ser sempre gratos ao Senhor da verdade e servi-lo em nossa vida, sempre pensando em como o Senhor nos salvou. Mas para vivermos assim, temos que dedicar nossa vida para salvar as almas segundo a vontade do Senhor.
 
 

Como Ter uma Vida de Fé Repleta de Alegria

 
Quando é que nosso coração mais se alegra? Quando amamos o Senhor acima de todas as coisas. Quando nosso coração ama o Senhor mais que tudo, e quando nos lembramos do seu amor e o buscamos de todo o nosso coração, apesar das nossas falhas, ele faz nosso coração transbordar de alegria. Quando o Senhor faz nosso coração transbordar de alegria é que nos sentimos mais felizes, procuramos fazer o que é certo e podemos ter comunhão com ele. Quando não temos outros deuses além do nosso Deus, embora tenhamos poucos motivos para nos alegrarmos neste mundo, nosso coração se enche de alegria e nos sentimos felizes e justos. Enfim, é isso o que o Senhor diz: “Se vocês estiverem na videira, vocês darão muitos frutos”. Ele também disse: “Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo”.
Amados irmãos, o que temos que fazer para que o gozo em nossa vida de fé seja completo? Tudo que temos a fazer é somente amar o Senhor acima de todas as coisas. Assim, nosso coração se encherá de gozo – simples assim! Só que para termos nosso coracao cheio de gozo, isso depende do que fazemos. Para que isso aconteça, tudo que temos que fazer é não ter outros deuses diante do Senhor, o amarmos de todo o nosso coração, embora sejamos imperfeitos, honrá-lo e sermos gratos a ele. Assim, teremos pleno gozo, pois o gozo do Senhor encherá o nosso coração. Foi por isso que o Senhor disse: “Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo”.
Quando é que o Senhor mais se alegra? Quando o amamos acima de todas as coisas. O Senhor se alegra quando o amamos mais que tudo neste mundo e não temos outros ídolos diante dele. Além disso, quando agimos assim é que todo o gozo que o Senhor nos proporciona permanece em nosso coração. É isso o que o Senhor nos ensina aqui.
 
 
Nós Também Somos Escravos do Seu Amor
 
Depois de nos salvar do pecado com o evangelho da água e do Espírito, Jesus nos disse: “Eu amo vocês realmente”. Eu os salvei de todos os seus pecados. Nós podemos ver isso no diálogo que o Senhor teve com Pedro.
“Tu me amas, Pedro?”
“Sim, Senhor; tu saber que eu te amo”.
“Apascenta os meus cordeiros”.
Jesus perguntou a Pedro novamente: “Tu me amas mais do que a estes?”
“Sim, Senhor; tu saber que eu te amo”.
“Apascenta minhas ovelhas”.
Perguntou Jesus pela Terceira vez então: “Tu me amas mais do que a estes?”
E pela terceira vez, Pedro deu a mesma resposta: “Senhor, tu saber que eu te amo”.
Por que Jesus perguntou três vezes a Pedro aqui se ele já sabia a resposta? Quando Jesus foi levado à corte de Pilatos, um homem olhou para Pedro e o acusou de ser seguidor de Jesus. E para salvar sua vida, ele negou Jesus três vezes. Seria melhor se Pedro não tivesse negado Jesus, mas, ao contrário, o seguisse até o fim segundo suas convicções. Entretanto, quando alguém o reconheceu e toda atenção se voltou para ele, ele negou Jesus e o amaldiçoou, dizendo: “Eu não conheço esse homem”.
Na mesma hora o galo cantou. E quando Pedro ouviu o galo cantar, ele se lembrou do que havia dito a Jesus: “Eu te seguirei até a morte”. Mas Jesus lhe disse: “Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, três vezes me negarás”. E ao ouvir isso de Jesus, que o negaria, Pedro disse: “Ainda que me seja mister morrer contigo, não te negarei”. Mas aconteceu que, estando na corte de Pilatos, Pedro acabou mesmo negando Jesus três vezes antes de o galo cantar. Então, quando ouviu o galo cantar, ele chorou amargamente.
Pedro era um homem fiel. Quando os soldados romanos e os servos dos líderes judeus foram prender Jesus, ele pegou a espada e cortou a orelha direita do servo do sumo sacerdote (João 18:10). Pedro era muito fiel a Jesus e queria se dedicar totalmente a Deus.
Devido à lealdade que Pedro tinha, ele não conseguiu suportar a vergonha de ter negado Jesus três vezes e até tê-lo amaldiçoado. Por isso, mesmo depois de Jesus ter ressuscitado, ele voltou para a vida que tinha antes de conhecê-lo, pois ficou com vergonha de encontrar a Cristo. Embora alguns discípulos tenham voltado a seguir Jesus depois que viram o Senhor ressuscitado, Pedro estava tão envergonhado que não pôde olhar para ele como fazia antes. Embora ele mesmo tenha ido ao sepulcro e visto que o corpo de Jesus não estava lá, ele não o procurou. Ao contrário, ele voltou à sua antiga profissão – a pesca.
Depois que Pedro e outros seis discípulos saíram para pescar, Jesus apareceu na praia perto de onde eles estavam, ao amanhecer. Então, ele disse: “Amigos, vocês pegaram algum peixe?” “Não”, Pedro respondeu. “Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis”, disse Jesus. E quando Pedro lançou a rede do lado direito do barco como Jesus havia dito, ele pegou muitos peixes. E ao chegar à praia, ele viu uma fogueira acesa para assar os peixes e pão. Jesus então pediu a Pedro que trouxesse alguns peixes que ele havia pescado e juntos tomaram o café da manhã.
Depois de terminar sua refeição, Jesus perguntou a Pedro: “Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que a estes?” Mas até aqui, Pedro ainda estava muito envergonhado para responder Jesus, duvidando se tudo aquilo era apenas um sonho ou realidade. Apesar de estar feliz por Jesus ter ressuscitado dos mortos e poder vê-lo, no fundo do seu coração Pedro ainda estava muito envergonhado. E quando ouviu a pergunta de Jesus, ele se sentiu mais envergonhado ainda e não pôde suportá-la. Antes de Jesus ser crucificado, ele perguntou a Pedro: “Você me ama mais do que a todas essas pessoas?” E naquela ocasião, Pedro respondeu com uma convicção inabalável de que de fato amava o Senhor. Até mesmo quando Jesus disse aos seus discípulos: “Todos vocês me deixarão e fugirão”, Pedro disse a ele: “Senhor, eu prefiro morrer a ter que fugir. Mesmo que eu morra, eu não fugirei”.
Contudo, o Senhor já sabia o que iria acontecer, e tudo de fato aconteceu como ele havia dito. Mas apesar disso, o Senhor mesmo procurou Pedro, que o havia negado, mas ele não conseguiu dizer uma palavra sequer quando o encontrou. Todavia, Pedro entendeu o verdadeiro amor do Senhor quando ele fez as mesmas perguntas para ele. Então, quando Jesus lhe perguntou: “Você me ama mais do que a todas essas pessoas?”, ele respondeu: “Senhor, tu sabes que eu te amo”. Aí então, a fonte do amor de Pedro pelo Senhor não era ele mesmo, mas o próprio Senhor.
“Senhor, agora eu entendo realmente como o Senhor me ama. Embora eu seja imperfeito, tu ainda me procuraste, me avisaste antes e tua Palavra és realmente verdade. Tu és o Filho de Deus, tu és meu Salvador, tu és o Deus Todo-Poderoso. Apesar de eu tê-lo negado, tu vieste me procurar depois de teres ressuscitado. Eu não tenho palavras. Tu sabes que eu te amo”.
E quando Pedro respondeu, Jesus lhe disse: “Apascenta minhas ovelhas”. Depois o Senhor lhe perguntou de novo: “Você me ama mais do que a todas essas pessoas?”, e Pedro não tinha outras palavras para responder a não ser com as mesmas de antes: “Senhor, tu sabes que eu te amo”. Então, o Senhor disse mais uma vez: “Apascenta minhas ovelhas”. O que o Senhor estava querendo dizer a Pedro com essas palavras é que ele devia alimentar, guiar e apascentar muito bem suas ovelhas.
Pedro sabia que Jesus era o Deus vivo, e também sabia o quanto ele o amava. Mas apesar disso, ele negou Jesus, o traiu e pensou que jamais poderia encontrar Jesus com sua consciência tranquila. No entanto, o Senhor o procurou e o salvou porque o amava. No fim, Pedro descobriu porque era simplesmente impossível não amar o Senhor.
Assim como Pedro, nós também somos escravos do amor. Uma canção muito popular da Coreia diz que o amor é a semente das lágrimas, mas isso não é verdade. O amor é a semente da alegria. Nós somos escravos do amor, as sementes de alegria. Como é que Pedro poderia deixar o Senhor, já que ele não desistiu dele e o amou para sempre? “Antes fui eu que te amei, Senhor, mas agora é seu amor que reina em mim. Eu jamais vou deixá-lo. Tu sabes que eu te amo”. Pedro fez essa confissão várias vezes. Mas foi Jesus quem o levou a fazer tal confissão com seu amor. Pedro confessou todas as suas falhas a Jesus, e então lembrou em seu coração que todos estes pecados já tinham sido passados para Jesus quando ele foi batizado.
  
 
Não Ter Outros Deuses Diante do Senhor é o Segredo para Guardar Seus Mandamentos e Levar uma Vida Feliz de Fé
 
Jesus disse: “Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo (João 15:11)”. O que temos que fazer para sermos cheios de gozo no Senhor? Temos que estar nele pela fé, seguir seus mandamentos e amá-lo acima de todas as coisas. Nós também temos que tirar todo ídolo do nosso coração que está tomando o lugar do Senhor. E se reconhecermos nossas falhas e seguirmos o Senhor pela fé, sua alegria então será uma realidade em nossa vida. O Senhor nos encherá de gozo e fará nosso coração transbordar de alegria.
Nós não poderemos ter uma vida feliz de fé se tivermos outros ídolos diante do Senhor. Não é assim que amamos o Senhor acima de todas as coisas e guardamos seus mandamentos. Assim como o Pai amou o Senhor, e assim como o Senhor guardou os mandamentos do Pai enquanto estava nessa terra, também temos que amar o Senhor e guardar os mandamentos do Pai. Os principais mandamentos de Deus são amar a ele acima de todas as coisas e ao nosso próximo como a nós mesmos. Nosso Senhor também amou o Pai acima de todas as coisas. E como ele disse, nosso coração tem que ser cheio da alegria de Deus.
Então, se quisermos ter uma vida feliz de fé, primeiro temos que tirar os ídolos do nosso coração, guardar os mandamentos do Senhor e amá-lo acima de tudo em nossa vida. Assim, poderemos sempre sorrir de alegria. Nosso coração se regozijará o tempo todo. Quando fizermos a obra do Senhor, mesmo quando formos tentados a olhar para as circunstâncias e nossas fraquezas e falhas forem expostas, se amarmos o Senhor de todo o nosso coração, ele se encherá de alegria e seremos muito felizes, apesar das nossas imperfeições. Quando amamos o Senhor acima de todas as coisas é que sua alegria toma conta do nosso coração plenamente.
Amados irmãos, eu espero que todos vocês entendam que não poderão agradar ao Senhor fazendo boas obras apenas. Por nós mesmos, somos incapazes de fazer algo bom. Seja nos tornarmos mártires pelo Senhor, darmos frutos abundantes, seguirmos a Deus, tudo isso só é possível guardando os mandamentos do Senhor no coração e tirando dele todos os ídolos.
Embora eu seja imperfeito, ainda assim eu amo o Senhor acima de todas as coisas. O Senhor é o meu amado. Ele é o meu Mestre. Nada mais me resta senão o Senhor. É claro que às vezes minhas fraquezas, minhas emoções e meus pensamentos se interpõem entre mim e o Senhor e me impedem de ter mais comunhão com ele. Mas quando isso acontece, tudo que eu faço é buscar mais o Senhor. O Senhor é aquele a quem mais desejo e amo; só ele é o meu verdadeiro Deus.
Certa vez, quando perguntaram a um famoso pregador da Coreia quem ele mais admirava, ele disse que era o almirante Yi Sunshin. Então, outro famoso pregador que estava ao seu lado disse que admirava mais Wonhyo, o grande monge que viveu 1400 anos atrás. Mas eu achei suas respostas tão engraçadas que comecei a rir. É claro que o almirante Yi merece toda a nossa admiração porque foi um grande almirante na história da Coreia. Durante a invasão japonesa à Coreia na década de 50, o almirante Yi derrotou uma das maiores frotas japonesas, e mais de uma vez. E Wonhyo, o grande monge, também é uma figura respeitável por causa da sua virtude e dos seus ensinamentos. Assim podemos ver que todo mundo tem alguém que admira. Alguns admiram certos cientistas, outros admiram certos filósofos, e outros ainda dizem que admiram outras personalidades. Mas e nós? Será que todas essas personalidades merecem nossa maior admiração? Como crentes no evangelho da água e do Espírito, o Senhor é aquele a quem mais devemos admirar. Não há ninguém que seja mais digno de admiração do que ele.
Você ama a si mesmo acima de todas as coisas? É claro que sim, pois é da natureza do homem amar a si mesmo. O ser humano é egoísta porque ama demais a si mesmo. Mas existe alguém que merece ser mais amado do que o Senhor? Não, ninguém merece ser tão amado como o Senhor. Por acaso nós podemos comparar o Senhor com as coisas desde mundo, como saúde, riqueza, poder e prazer? Não, nada disse se compara ao Senhor. E por mais que a comparemos com o Senhor, algumas delas estão acima dele? É claro que não!
O Senhor salvou a você e a mim com o evangelho da água e do Espírito, e com essa palavra da verdade ele purificou todos os nossos pecados. Foi assim que nos tornamos justos. Existe algo que pode ser comparado com essa bênção de amor e graça que nos tornou filhos de Deus através do evangelho da água e do Espírito? Não, nada pode se comparar a isso. Quando caímos em pecado e estávamos destinados à destruição, Jesus nos amou incondicionalmente e nos salvou sem exigir nada em troca. Apesar das nossas fraquezas e imperfeições, o Senhor teve misericórdia de nós e nos amou; e foi por causa desse amor que ele nos tomou em seus braços e nos salvou a todos.
É por isso que não podemos impor nenhuma condição, mas somente aceitar com gratidão o amor e a salvação de Deus. Melhor dizendo, temos que abrir mão de tudo para receber o amor e a salvação do Senhor. Embora de tempos em tempos algo sempre acontece para minar o amor de Deus em nosso coração, não há nada que consiga tirá-lo da posição mais alta e mais honrosa que há nele. Na verdade, as coisas do mundo não podem se comparar ao Senhor, mas isso às vezes acontece. No entanto, nada disso pode roubar do nosso coração o amor de Deus.
Você e eu queremos levar uma vida de fé na Igreja de Deus e seguir o Senhor fielmente. E embora sejamos falhos, nós queremos servir ao Senhor juntos; embora sejamos falhos, queremos seguir o Senhor. Qual a primeira e a última exigência que o Senhor nos faz? Nada mais do que defendermos o seu evangelho da água e do Espírito pela fé. Em outras palavras, temos que guardar o mandamento do Senhor que nos manda não ter outros deuses diante dele. Temos que obedecer a este mandamento, entendendo muito bem que nada neste mundo pode ser comparado ao Senhor, que é ele quem mais devemos admirar neste mundo, pois sua beleza é incomparável.
Embora sejamos fracos e imperfeitos, ainda assim nós amamos o Senhor acima de todas as coisas. E podemos ter comunhão com ele justamente porque tiramos todos os ídolos do nosso coração, guardamos seus mandamentos e o amamos acima de todas as coisas, apesar das nossas falhas. É por isso que o nosso coração se alegra, é feliz, tem paz e é fortalecido. Quando a Palavra que o Senhor nos deu entra no nosso coração, ele se enche de paz e passamos naturalmente a amar nossos irmãos e a ter um só coração com eles. É por essa razão que todo o povo de Deus é amado pelo Senhor. Nós amamos tanto o Senhor que nada pode nos dar mais alegria.
É justamente isso que o Senhor nos diz no texto bíblico deste capítulo em João 15. É por isso também que o Senhor quer que dediquemos nossa vida a ele e nos diz: “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando” (João 15:14), e “Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos” (João 15:13). O Senhor entregou sua própria vida por nós. Se de fato obedecermos ao mandamento do Senhor e o amarmos acima de todas as coisas, nada pode ser maior do que morrermos por ele. Não há amor maior do que entregar a vida pelos amigos. O Senhor de fato nos amou, e ele realmente se sacrificou por nós. Portanto, se não temos mesmo outros deuses diante do Senhor, se o amamos acima de todas as coisas e o seguimos com esse amor e fé, dispostos a entregar nossa vida por ele se for preciso, nada pode ser melhor do que isso. É assim que nos tornamos verdadeiros amigos do Senhor. E é por isso que ele diz que somos seus amigos e nos fará conhecer todas as coisas.
O Senhor nos chama de amigos de Deus e fez de nós seus obreiros nessa terra. Não fomos nós que escolhemos o Senhor, mas foi ele quem nos escolheu e nos salvou. Jesus disse que tudo que pedirmos ao Pai em seu nome, nós receberemos, a fim de que possamos dar muitos frutos. Então, precisamos de alguma coisa, temos que orar ao Senhor. Agora, nós podemos receber tudo que pedirmos ao Pai se orarmos em nome de Jesus Cristo, no nome do Deus Todo-Poderoso. Jesus Cristo é o Deus Todo-Poderoso que responde todos os nossos pedidos quando os fazemos diretamente a ele. E é por ele nos conceder todas as coisas que confiamos nele e o seguimos. É por este poder que o Senhor nos dá, por causa do seu amor por nós, que o amamos acima de todas as coisas.
O Senhor nos disse: “Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros”. E se de fato obedecermos ao mandamento do Senhor que nos manda não ter outros deuses diante dele e amarmos a Deus acima de todas as coisas e o seguirmos, nós poderemos amar uns aos outros e ter compaixão uns dos outros também. O Senhor nos leva a ter uma vida de fé para que amemos uns aos outros como ele nos amou. Jesus Cristo, que é o cabeça da igreja, nos chamou para sua Igreja como seus obreiros, para que nela o amássemos todos juntos. Mas assim como o Senhor nos mandou amar uns aos outros, ele nos disse que também devemos dar frutos abundantes em nossa vida. O Senhor de fato é o cabeça da Igreja, nosso Salvador e o próprio Deus.
Embora eu e você sejamos imperfeitos, pelo menos nosso coração sempre está no Senhor. Não deve haver nada nessa terra que amemos mais do que o Senhor. Isso quer dizer que devemos dedicar nosso coração a guardar os mandamentos do Senhor. Nós temos que obedecer a Palavra do Senhor e não ter outros deuses diante dele. Embora sejamos imperfeitos, temos que fazer de tudo para guardar os mandamentos do Senhor nessa terra e obedecê-los pela fé. E se por acaso nós falharmos, temos que nos lembrar de tudo que o Senhor nos disse e voltar a amá-lo pela fé acima de todas as coisas novamente. Apesar das nossas falhas, temos que amar e cuidar uns dos outros. E sempre unidos e cooperando uns com os outros, temos que pregar a verdade, a verdade do evangelho da água e do Espírito, a todos que não conhecem o Senhor ainda. Deste modo, viveremos de uma forma em que serviremos ao Senhor, amaremos as outras almas e também uns aos outros. Portanto, temos que amar a Deus acima de todas as coisas e viver segundo a sua vontade. Eu estou totalmente convencido de que essa é a maneira correta de se viver. Você crê assim também?
Apesar de tropeçarmos às vezes por causa de nossas fraquezas, como Pedro, o profundo amor de Deus já está enraizado em nosso coração. Jamais podemos esquecer que o Senhor veio a essa terra e nos salvou com a verdade, com o evangelho da água e do Espírito. É por isso que devemos amar o Senhor acima de todas as coisas. Embora sejamos falhos, ainda assim amamos o Senhor. Você também ama o Senhor?
Todos nós somos imperfeitos. Todavia, por mais que sejamos imperfeitos, nós amamos muito o Senhor. E já que amamos o Senhor acima de tudo e o amaremos para sempre, nós não podemos deixar de amá-lo. Nós amamos mesmo o Senhor. Você ama mesmo o Senhor? Você sempre amará o Senhor? Você acha que é impossível não amar o Senhor acima de todas as coisas? Eu sou muito grato a Deus.

Estes três últimos dias foram como um sonho para mim. Eu me sinto muito feliz por ter estado aqui com vocês. Eu também sou muito grato pela deliciosa comida que foi servida nesse encontro, e também por ter contemplado o lindo cenário que essas montanhas criadas por Deus proporcionam no outono. Mas acima de tudo, eu estou muito feliz porque os obreiros do nosso ministério tiveram a oportunidade de se reunir para tratar de assuntos referentes à obra de Deus. Nós tomamos muitas decisões importantes acerca da obra de Deus aqui. A única coisa que eu lamento é que não pudemos ter comunhão com nossos irmãos de outros países. Eu oro para que um dia o Senhor nos dê essa rica oportunidade de nos encontrarmos e termos comunhão com todos os santos de todos os cantos da terra. Amém!