佈道

Assunto 10: O Apocalipse (Comentários sobre o Apocalipse)

[Capítulo 11-1] Quem São as Duas Oliveiras e os Dois Profetas? ( Apocalipse 11:1-19 )

Quem São as Duas Oliveiras e os Dois Profetas?
( Apocalipse 11:1-19 )
“Foi-me dado um caniço semelhante a uma vara, e também me foi dito: Dispõe-te e mede o santuário de Deus, o seu altar e os que naquele adoram; mas deixa de parte o átrio exterior do santuário e não o meças, porque foi ele dado aos gentios; estes, por quarenta e dois meses, calcarão aos pés a cidade santa. Darei às minhas duas testemunhas que profetizem por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco. São estas as duas oliveiras e os dois candeeiros que se acham em pé diante do Senhor da terra. Se alguém pretende causar-lhes dano, sai fogo da sua boca e devora os inimigos; sim, se alguém pretender causar-lhes dano, certamente, deve morrer. Elas têm autoridade para fechar o céu, para que não chova durante os dias em que profetizarem. Têm autoridade também sobre as águas, para convertê-las em sangue, bem como para ferir a terra com toda sorte de flagelos, tantas vezes quantas quiserem. Quando tiverem, então, concluído o testemunho que devem dar, a besta que surge do abismo pelejará contra elas, e as vencerá, e matará, e o seu cadáver ficará estirado na praça da grande cidade que, espiritualmente, se chama Sodoma e Egito, onde também o seu Senhor foi crucificado. Então, muitos dentre os povos, tribos, línguas e nações contemplam os cadáveres das duas testemunhas, por três dias e meio, e não permitem que esses cadáveres sejam sepultados. Os que habitam sobre a terra se alegram por causa deles, realizarão festas e enviarão presentes uns aos outros, porquanto esses dois profetas atormentaram os que moram sobre a terra.
Mas, depois dos três dias e meio, um espírito de vida, vindo da parte de Deus, neles penetrou, e eles se ergueram sobre os pés, e àqueles que os viram sobreveio grande medo; e as duas testemunhas ouviram grande voz vinda do céu, dizendo-lhes: Subi para aqui. E subiram ao céu numa nuvem, e os seus inimigos as contemplaram.
Naquela hora, houve grande terremoto, e ruiu a décima parte da cidade, e morreram, nesse terremoto, sete mil pessoas, ao passo que as outras ficaram sobremodo aterrorizadas e deram glória ao Deus do céu. Passou o segundo ai. Eis que, sem demora, vem o terceiro ai.
O sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo: O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos. E os vinte e quatro anciãos que se encontram sentados no seu trono, diante de Deus, prostraram-se sobre o seu rosto e adoraram a Deus, dizendo: Graças te damos, Senhor Deus, Todo-Poderoso, que és e que eras, porque assumiste o teu grande poder e passaste a reinar.
Na verdade, as nações se enfureceram; chegou, porém, a tua ira, e o tempo determinado para serem julgados os mortos, para se dar o galardão aos teus servos, os profetas, aos santos e aos que temem o teu nome, tanto aos pequenos como aos grandes, e para destruíres os que destroem a terra. Abriu-se, então, o santuário de Deus, que se acha no céu, e foi vista a arca da Aliança no seu santuário, e sobrevieram relâmpagos, vozes, trovões, terremoto e grande saraivada”.

A Palavra de Apocalipse 11 é muito importante para nós, assim como toda a Palavra de Deus. Para destruir o mundo, há uma obra crítica que Deus precisa fazer de antemão. É a colheita do povo de Israel nos últimos tempos. Deus também tem outra obra a fazer tanto para os israelitas quanto para os gentios, e isso é fazê-los participar da primeira ressurreição e do arrebatamento, martirizando-os.
Como a Bíblia fornece um relato geral sobre essas questões, precisamos descobrir como a salvação da remissão de pecados de Deus é cumprida no Novo Testamento. A Escritura nos fala sobre esses tópicos porque se não os examinarmos de perto, ficaremos confusos sobre os santos, os servos de Deus e o povo de Israel que aparecem no livro de Apocalipse.
 

Exegese
 
Versículo 1: “Foi-me dado um caniço semelhante a uma vara, e também me foi dito: Dispõe-te e mede o santuário de Deus, o seu altar e os que naquele adoram”.
Isso nos diz que a obra de salvar os israelitas do pecado pela Graça de Deus está prestes a começar. “Medir” aqui significa que Deus intervirá pessoalmente para salvar o povo de Israel de seus pecados no fim dos tempos.
Na passagem principal do capítulo 11, devemos colocar nosso foco na salvação dos israelitas do pecado. Esta Palavra nos diz que o evangelho da água e do Espírito será pregado ao povo de Israel a partir de então, significando o início da obra de Deus que transforma os israelitas no povo de Deus liberto de todos os seus pecados pela Graça da salvação dada por Jesus Cristo. Deus registrou Apocalipse 11 para também dar Sua remissão de pecados aos israelitas no fim dos tempos. A “medir” nos versículos 1 e 2 significa estabelecer o padrão para todas as coisas. O propósito de Deus ao medir Seu Templo é descobrir, já tendo planejado salvar os israelitas, se seus corações estão ou não prontos para receber Sua salvação. E se seus corações não estiverem prontos, então é para prepará-los, para que seus corações fiquem retos.

Versículo 2: “Mas deixa de parte o átrio exterior do santuário e não o meças, porque foi ele dado aos gentios; estes, por quarenta e dois meses, calcarão aos pés a cidade santa”.
Deus deu a Satanás o poder de pisar nos gentios por três anos e meio. Portanto, todos os gentios devem receber em seu coração o evangelho da água e do Espírito, a Palavra da redenção, o mais rápido possível dentro dos três anos e meio do período de sete anos da Grande Tribulação. A história do mundo terminará quando a Grande Tribulação passar da sua metade e entrar no seu segundo período. Em breve, o tempo virá, em um futuro próximo, quando todos os gentios, bem como os santos que já foram salvos de todos os seus pecados, serão pisados por Satanás.
Os gentios, portanto, devem receber a remissão de seus pecados e preparar sua fé de martírio antes que os primeiros três anos e meio da Tribulação passem por eles. Nesta ocasião, o povo de Israel também sofrerá sob a terrível Tribulação durante os primeiros três anos e meio. Mas eles também aceitarão que Jesus é seu Salvador neste momento. No final, o povo de Israel receberá a salvação de todos os seus pecados durante os primeiros três anos e meio da Grande Tribulação. Devemos entender que Deus permitirá a remissão de pecados aos israelitas mesmo durante o período da Grande Tribulação.

Versículo 3: “Darei às minhas duas testemunhas que profetizem por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco”.
Deus levantará especialmente duas testemunhas como Seus servos para o povo de Israel. Aos dois profetas que Deus levantará para os israelitas é dado poder duas vezes maior que o dos profetas antigos, e através das palavras de seu testemunho, Deus começará a trabalhar entre o povo de Israel para que eles aceitem Jesus Cristo como seu Salvador. Através das obras desses dois profetas, muitos israelitas se tornarão o verdadeiro povo de Deus nascido de novo.
Ao ter os dois profetas, que Deus enviaria no fim dos tempos para salvar os israelitas dos seus pecados, realizando milagres e maravilhas, Ele fará com que os israelitas, que seriam então guiados por esses profetas, regressem a Cristo e creiam Nele como seu Salvador. Esses dois profetas alimentarão o povo de Israel com a Palavra de Deus durante 1.260 dias durante os primeiros três anos e meio da Grande Tribulação. Ao dar o evangelho da água e do Espírito aos israelitas e ao fazê-los crer nele, Deus lhes permitirá a mesma salvação que salvou os gentios do tempo do Novo Testamento de todos os seus pecados através da fé.

Versículo 4: “São estas as duas oliveiras e os dois candeeiros que se acham em pé diante do Senhor da terra”.
As “duas oliveiras” aqui se referem aos dois profetas de Deus. (Apocalipse 11:10). Os “dois candeeiros”, por outro lado, referem-se à Igreja de Deus que Ele fundou entre os gentios e à Igreja que Ele permitiu ao povo de Israel. Deus construiu Sua Igreja entre os judeus e nós, os gentios, e Ele continuará a fazer Sua obra de salvar almas do pecado até o último dia.
Pelas “duas oliveiras” e pelos “dois candeeiros”, Deus nos diz que assim como Ele levantou Seus profetas nos tempos do Antigo Testamento para salvar os israelitas de seus pecados e trabalhou por meio desses profetas falando por eles, quando o fim dos tempos chegar, Ele também levantará do povo de Israel dois profetas que pregarão Sua Palavra, e conduzirá os israelitas a Jesus através desses profetas.
Os israelitas falharam em levar a sério os servos de Deus que são de origem gentia e não ouvem o que esses servos de Deus têm a dizer a eles. Como eles sabem tudo sobre o sistema de sacrifício e as profecias do Antigo Testamento, os profetas de Deus do fim dos tempos precisam ser levantados de seu próprio povo de Israel. Os israelitas são tão versados nas Escrituras que poderiam recitar toda a Torá mesmo enquanto correm. É por isso que eles nunca acreditam no que os servos gentios de Deus dizem a eles.
Mas os servos de Deus, ouvindo o evangelho da água e do Espírito que você e eu estamos pregando agora, se levantarão de seu próprio povo. Quando os crentes no evangelho da água e do Espírito se levantarem dos seus, e deles surgirem os dois profetas estabelecidos por Deus que explicarão e pregarão a Palavra de Deus para eles, os israelitas passarão a crer.
O povo de Israel saberá que essas duas testemunhas são os profetas enviados e levantados pelo próprio Deus para salvá-los de seus pecados no fim dos tempos. Esses profetas exercerão seu grande poder, assim como os servos de Deus no Antigo Testamento, que os israelitas conhecem bem e nos quais acreditam, exerceram antes. Os israelitas, portanto, verão com seus próprios olhos as poderosas maravilhas que as duas testemunhas realmente realizarão. A partir disso, o povo de Israel retornará a Jesus Cristo e crerá no Senhor. Quando eles reconhecerem Jesus Cristo como o Filho de Deus e seu Salvador, assim como nós, eles terão a mesma fé que nós, ou seja, eles também serão salvos crendo no evangelho da água e do Espírito.
Essas duas testemunhas explicarão a Palavra de Deus e alimentarão o povo de Israel por 1.260 dias durante a Grande Tribulação de sete anos. Assim como você e eu, que somos os gentios dos tempos do Novo Testamento, fomos salvos crendo no evangelho da água e do Espírito, Deus também permitirá que os israelitas sejam salvos no fim dos tempos crendo neste evangelho da água e o Espírito.
Como o versículo 4 nos diz: “São estas as duas oliveiras e os dois candeeiros que se acham em pé diante do Senhor da terra”. A Bíblia chama essas duas testemunhas de “as duas oliveiras”. As duas oliveiras referem-se aos dois profetas do fim dos tempos. No versículo 10, está escrito: “Os que habitam sobre a terra se alegram por causa deles, realizarão festas e enviarão presentes uns aos outros, porquanto esses dois profetas atormentaram os que moram sobre a terra”. Aqui, devemos entender esta Palavra nos concentrando em quem são as duas oliveiras.
As oliveiras eram usadas na época do Antigo Testamento para consagrar os móveis do santuário e do altar no Templo de Deus, ungindo-os com seu óleo. Esse azeite também era usado para outros fins, como acender as lâmpadas do Templo. Eles tinham que usar apenas o azeite puro no Templo. Deus não permitiu que qualquer óleo fosse usado em Seu Templo, mas Ele se certificou de que apenas o azeite fosse usado. Assim, temos que saber que a oliveira, assim como a figueira, representa o povo de Israel.
Há muitas interpretações sobre estas duas oliveiras e os dois candeeiros. Algumas pessoas até afirmam que eles próprios são as oliveiras. Mas as duas oliveiras referem-se aos ungidos. Nos tempos do Antigo Testamento, as pessoas eram ungidas quando eram estabelecidas como profeta, rei ou sacerdote. Quando alguém era assim ungido, o Espírito Santo descia sobre ele. Como tal, a oliveira se refere a Jesus Cristo que foi concebido pelo Espírito Santo. (Romanos 11:24). As pessoas têm muito mal-entendidos sobre este ponto.
No entanto, as duas oliveiras, que são as duas testemunhas mencionadas ao longo da passagem principal, referem-se aos dois servos de Deus que Ele levantará especialmente no fim dos tempos para a salvação dos israelitas.
Isto é o que o versículo 4 está nos dizendo. Os dois candeeiros aqui se referem à Igreja de Deus que Ele levantou entre os gentios, e a Igreja permitida ao povo de Israel. Na era do Antigo Testamento, os israelitas originalmente tinham a Igreja de Deus. Mas desde a era do Novo Testamento, eles não têm mais esta Igreja de Deus. Por quê? Porque eles ainda não reconheceram Jesus Cristo, e também não têm o Espírito Santo em seus corações.
Como eles não aceitaram nem o evangelho da água e do Espírito, nem Jesus Cristo, a Igreja de Deus não é mais encontrada entre eles. No entanto, antes do fim do mundo, durante os primeiros três anos e meio da Grande Tribulação, Deus permitirá Sua Igreja ao povo de Israel também. É por isso que a Bíblia nos fala das duas oliveiras, que são as duas testemunhas.
O Senhor Jesus estabelecerá Sua Igreja e fará Sua obra de salvar almas do pecado tanto entre os judeus quanto entre nós, os gentios. Através dessas Igrejas, Ele os fará servir a esta obra espiritual de salvar almas do pecado até o aparecimento do Anticristo. Isso significa que Deus fará os vasos dos santos, os membros de Sua Igreja, para que eles sirvam ao ministério de salvar as almas perdidas no pecado. Devemos, portanto, realizar diligentemente nosso ministério restante com fé.

Versículo 5: “Se alguém pretende causar-lhes dano, sai fogo da sua boca e devora os inimigos; sim, se alguém pretender causar-lhes dano, certamente, deve morrer”.
Deus deu este poder aos dois profetas para que possam cumprir sua missão especial. Para fazer o povo de Israel se arrepender e vencer Satanás no fim dos tempos, Deus nos mostra que quem tentar matar as duas testemunhas deverá morrer, e que o poder de Sua Palavra estará com essas duas testemunhas.
Como tal, o povo de Israel, acreditando nos ensinamentos desses dois profetas, retornará a Jesus Cristo. É por isso que Deus permitirá as duas oliveiras – isto é, as duas testemunhas – aos israelitas, para que eles sejam salvos de seus pecados no fim dos tempos.

Versículo 6: “Elas têm autoridade para fechar o céu, para que não chova durante os dias em que profetizarem. Têm autoridade também sobre as águas, para convertê-las em sangue, bem como para ferir a terra com toda sorte de flagelos, tantas vezes quantas quiserem”.
Porque o povo de Israel não se arrependerá a menos que os servos de Deus que Ele levantou para eles realizem esses atos de poder, Deus permitirá que as duas testemunhas trabalhem com Seu poder. Os dois profetas não apenas levarão os israelitas a Jesus, mas também vencerão os inimigos de Deus com poder e cumprirão todas as obras de seu chamado. Deus lhes dará poder especial para que preguem toda a Palavra da profecia ao povo de Israel, testifiquem que Jesus Cristo é o tão esperado Messias e os façam crer.

Versículo 7: “Quando tiverem, então, concluído o testemunho que devem dar, a besta que surge do abismo pelejará contra elas, e as vencerá, e matará”.
Esta Palavra nos diz que o Anticristo aparecerá neste mundo quando os primeiros três anos e meio do período de sete anos da Grande Tribulação passarem. É neste momento que aqueles que acreditam em Jesus Cristo como seu Messias esperado finalmente se levantarão do povo de Israel. Mas muitos deles serão martirizados para defender sua fé da Besta, que é o Anticristo, e seus seguidores. Os dois profetas de Deus também serão martirizados quando completarem as obras de seu chamado.
O fato de as duas testemunhas serem mortas pelo Anticristo está de acordo com a vontade de Deus. Por quê? Porque Deus também quer dar a eles Sua recompensa pelo martírio. Esta recompensa é para que eles participem da primeira ressurreição, unam-se ao Senhor Jesus na Ceia das Bodas do Cordeiro, regozijem-se para sempre e recebam a vida eterna. Para dar esta bênção a todos os santos, Deus quer que eles sejam martirizados pela fé. Todos os santos, portanto, não devem temer ou evitar o seu martírio, mas, em vez disso, abraçá-lo com uma fé afirmativa e receber a sua abençoada recompensa.

Versículo 8: “E o seu cadáver ficará estirado na praça da grande cidade que, espiritualmente, se chama Sodoma e Egito, onde também o seu Senhor foi crucificado”.
Este versículo nos diz que as “duas testemunhas” são exatamente do povo de Israel. Os dois servos que Deus levantará para os israelitas não são dos gentios, mas de seu próprio povo de Israel. Como tal, as duas testemunhas são mortas no mesmo lugar onde Jesus foi crucificado. Este fato nos diz claramente que essas duas testemunhas são israelitas. Para o povo de Israel, eles são os servos de Deus.
Para o povo de Israel, que é espiritualmente como o povo de Sodoma e do Egito, Deus estabelecerá Seus dois profetas, lhes dará poder e os fará testemunhar que Jesus é o Messias por quem os israelitas esperam, para que o povo de Israel possa se arrepender e crer em Jesus.
O Anticristo matará os dois servos de Deus no lugar do Gólgota, onde Jesus foi crucificado. Porque os seguidores do Anticristo têm espíritos malignos, eles vão odiar até a morte essas duas testemunhas que acreditam em Jesus e testificam por Ele. Como os soldados romanos que crucificaram Jesus e perfuraram Seu lado com uma lança antes, aqueles com espíritos malignos odiarão não apenas Jesus, mas também odiarão as duas testemunhas de Deus e as matarão.

Versículo 9: “Então, muitos dentre os povos, tribos, línguas e nações contemplam os cadáveres das duas testemunhas, por três dias e meio, e não permitem que esses cadáveres sejam sepultados”.
Entre o povo de Israel também há aqueles que não creem em Jesus Cristo como seu Salvador. Vendo a morte da carne dos dois servos (duas oliveiras), essas pessoas ficarão impressionadas com a sensação de triunfo e, para aumentar essa sensação de vitória, nem mesmo darão às vítimas um enterro adequado. Mas a vitória deles será despedaçada quando Deus ressuscitar as “duas testemunhas” e, portanto, elas passarão a temer a Deus.
Eles poderão se congratular pela morte dos dois servos de Deus, mas isso não vai durar muito, pois eles logo perceberão que o Anticristo não é páreo para Jesus Cristo - decepção e vazio os dominarão.
Essas pessoas desmerecem a Palavra da profecia de Deus pregada pelos dois profetas. Ao se oporem a esses dois servos que Deus levantará, eles acabarão sendo cortados da última colheita da salvação e acabarão se tornando seguidores de Satanás.

Versículo 10: “Os que habitam sobre a terra se alegram por causa deles, realizarão festas e enviarão presentes uns aos outros, porquanto esses dois profetas atormentaram os que moram sobre a terra”.
Como eles pregarão a Palavra da profecia de Deus, as duas testemunhas levantadas para a salvação dos israelitas serão uma grande dor de cabeça para os seguidores de Satanás. Como tal, todos se alegrarão com a morte dessas duas testemunhas e enviarão presentes uns aos outros para se congratularem.
Nós também ficamos felizes quando aqueles que nos incomodam desaparecem. O Anticristo e seus seguidores odiarão quando as duas testemunhas levantadas por Deus pregarem a Sua Palavra. Toda vez que ouvirem a Palavra de Deus, seus espíritos ficarão cheios de agonia. Porque foram tão atormentados quando as duas testemunhas falaram sobre Jesus, eles se regozijarão quando as virem sendo enviadas à morte pelo Anticristo. É por isso que eles trocarão presentes e congratularão uns aos outros.

Versículo 11: “Mas, depois dos três dias e meio, um espírito de vida, vindo da parte de Deus, neles penetrou, e eles se ergueram sobre os pés, e àqueles que os viram sobreveio grande medo”.
Deus, porém, fará com que as duas testemunhas participem da primeira ressurreição. Esta Palavra é a evidência do fato de que os santos, que serão martirizados para defender sua fé após terem sido salvos do pecado crendo na Palavra de salvação dada pelo Senhor Jesus, participarão da primeira ressurreição.
Um espírito de vida penetrando neles em “três dias e meio” nos diz que o Senhor Jesus permitirá sua ressurreição em pouco tempo, assim como Ele mesmo ressuscitou de Sua morte na carne. Deus permitir a todos os santos esta fé da primeira ressurreição é, para os próprios santos, uma grande bênção de Deus, mas para todos os pecadores, trará grande desânimo e medo. A primeira ressurreição dos santos é a promessa de Deus e Sua recompensa por sua fé.

Versículo 12: “E as duas testemunhas ouviram grande voz vinda do céu, dizendo-lhes: Subi para aqui. E subiram ao céu numa nuvem, e os seus inimigos as contemplaram”.
Esta Palavra aponta a ressurreição e o arrebatamento de todos os santos. Tendo crido na Palavra de profecia do Senhor Jesus, aqueles que foram salvos de todos os seus pecados não teriam escolha a não ser serem martirizados para defender sua fé. Este versículo nos mostra que o Senhor Jesus ressuscitará todos esses santos e os arrebatará. Os santos e servos de Deus que serão martirizados em sua fidelidade a Ele serão abençoados sendo elevados aos ares (arrebatamento) devido a sua fé no Senhor Jesus. Não podemos deixar de agradecer ao Senhor Jesus por nos dar nossa ressurreição e arrebatamento como recompensa por sermos martirizados após sermos salvos crendo na remissão de pecados que Ele nos deu.
Deus Pai permitirá a ressurreição e o arrebatamento para todos aqueles que se oporem ao Anticristo e forem martirizados por crer no evangelho da água e do Espírito dado por Jesus Cristo. Devemos acreditar neste fato. A ressurreição e o arrebatamento dos santos são as bênçãos que fluem da salvação deles pela fé no evangelho da água e do Espírito dado por Deus. Satanás e seus seguidores do fim dos tempos encontrarão todos os seus esforços evaporando no ar quando virem os santos, a quem tanto perseguiram e mataram, sendo ressuscitados e arrebatados.
Deus ressuscitará e arrebatará os santos martirizados, mas destruirá aqueles que ainda permanecerem nesta Terra derramando as pragas das sete taças. Quando esta obra for concluída rapidamente, Ele descerá a esta Terra com os santos e convidará os justos para a Ceia das Bodas de Cristo. Nosso Senhor Jesus fará esta festa durar mil anos. Quando este milênio terminar, Ele permitirá que Satanás se levante brevemente do abismo e lute contra Deus e Seus santos, mas Ele acabará por destruir Satanás e seus seguidores, e os julgará para serem lançados no fogo eterno. Os justos, no entanto, entrarão no Reino dos Céus do Senhor Jesus e viverão com Ele para sempre.

Versículo 13: “Naquela hora, houve grande terremoto, e ruiu a décima parte da cidade, e morreram, nesse terremoto, sete mil pessoas, ao passo que as outras ficaram sobremodo aterrorizadas e deram glória ao Deus do céu”.
Após o martírio, ressurreição e arrebatamento dos dois profetas que Deus levantará para a salvação dos israelitas, Ele permitirá que Seus anjos derramem livremente as pragas das sete taças nesta Terra. Aqueles que ainda permanecerem nesta Terra após o arrebatamento dos santos receberão essas pragas das sete taças como presentes. Só então serão assaltados pelo medo e darão Glória a Deus, mas isso não servirá mais para eles, pois não seria um ato da verdadeira fé no amor de Deus.
Quando este mundo for destruído, os justos terão seu Céu eterno, ressurreição eterna e bênçãos eternas, mas para os pecadores, apenas o sofrimento do fogo eterno no inferno os espera. É por isso que todos devem receber a remissão dos seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito. E porque aqueles que foram redimidos de seus pecados creem no novo mundo que Deus lhes prometeu, eles pregam o evangelho da água e do Espírito para todos.

Versículo 14: “Passou o segundo ai. Eis que, sem demora, vem o terceiro ai”.
Tanto para os gentios quanto para os israelitas, o terceiro ai de Deus esperaria por todos, exceto aqueles que participaram de sua ressurreição e arrebatamento ao serem salvos e martirizados.
A praga que dura desde o toque da sexta trombeta do anjo até o início das pragas das sete taças com o toque da sétima trombeta é chamada de segundo ai. As pragas das sete trombetas são divididas em três períodos - os primeiros, os do meio e os últimos. As pragas naturais e o martírio dos santos pelo Anticristo estão incluídos no primeiro e no segundo ais. O terceiro ai, por outro lado, são as pragas que destruirão o mundo completamente. Este terceiro ai são as taças da ira de Deus que serão derramadas sobre os pecadores que ainda permanecem nesta Terra.

Versículo 15: “O sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo: O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos”.
A frase “e houve no céu grandes vozes” nos mostra que os santos e servos que foram salvos de todos os pecados já estarão no Céu quando as pragas das sete taças começarem neste mundo. Como tal, o povo de Deus não será mais encontrado neste mundo a esta altura. Devemos saber disso. “O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos”.
Neste momento, os santos louvarão ao Senhor Jesus no Céu, mas depois que todas as pragas das sete taças forem derramadas, eles também descerão à Terra renovada com o Senhor Jesus e reinarão com Ele por mil anos neste mundo. Isso será seguido pelo Senhor Jesus e pelos santos reinando para sempre no Novo Céu e Nova Terra.
Para nos livrar do pecado, nosso Senhor Jesus nos serviu como um servo durante todo esse tempo, em vez de reinar sobre nós como um Rei. Ele nos concedeu Sua Graça de fazer aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito como sua salvação em filhos de Deus. Como nosso Senhor Jesus é o Rei eterno para nós, Ele também fará Seu povo reinar para sempre. Aleluia! Graças a Deus!

Versículo 16: “E os vinte e quatro anciãos que se encontram sentados no seu trono, diante de Deus, prostraram-se sobre o seu rosto e adoraram a Deus”.
Deus é digno de receber toda a Glória. É apropriado para aqueles que foram salvos de todos os pecados caírem sobre seus rostos, adorarem e louvarem a Deus. Nosso Senhor Jesus, que fez todas essas obras para salvar os pecadores, é digno de receber louvor e adoração de todos os santos e todas as criaturas para todo o sempre.

Versículo 17: “Dizendo: Graças te damos, Senhor Deus, Todo-Poderoso, que és e que eras, porque assumiste o teu grande poder e passaste a reinar”.
Para reinar com Seu povo para sempre a partir de então, nosso Senhor Jesus vencerá Satanás e receberá grande poder de Deus Pai. Como tal, o Senhor Jesus reinará para sempre. Ele é digno de fazê-lo. Eu dou Glória a Ele, pois o Senhor Jesus, que fez todos os pecados do mundo desaparecerem, que salvou todos aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito, e que julgou Seus inimigos, é digno de receber Seu majestoso poder e reinar para sempre. Então, todos aqueles que reconhecem a soberania de Deus serão revestidos da Glória de louvar a Deus para sempre com o poder e o amor do Todo-Poderoso Senhor Jesus.

Versículo 18: “Na verdade, as nações se enfureceram; chegou, porém, a tua ira, e o tempo determinado para serem julgados os mortos, para se dar o galardão aos teus servos, os profetas, aos santos e aos que temem o teu nome, tanto aos pequenos como aos grandes, e para destruíres os que destroem a terra”.
Simultaneamente ao derramamento das pragas das sete taças virá agora a destruição da carne daqueles que permanecem espiritualmente gentios. Esta Palavra nos diz que então será a hora de Deus julgar a todos como o Juiz de todos, recompensando Seus servos e profetas, os santos e aqueles que O reverenciam, e destruindo aqueles que se opõem e desobedecem à Sua vontade. O Senhor Jesus trará o julgamento de Sua ira sobre aqueles que não reconhecem Sua soberania, mas Ele permitirá que os santos sejam glorificados com Ele. Isso significa que o Senhor Jesus se tornará o Juiz de todos, bons e maus.
Quando o Senhor Jesus se sentar em Seu Trono como o Rei dos nascidos de novo e julgar a todos, todos os pecadores e justos do mundo receberão seu julgamento justo. Neste momento, com o veredicto de Seu julgamento, o Senhor Jesus dará o Céu e a vida eterna aos santos, mas aos pecadores Ele trará sua destruição eterna e o castigo do inferno. A soberania de Jesus Cristo e a bênção do reinado de Seu povo continuarão para sempre. O primeiro mundo terminará neste momento, e o segundo mundo, o Reino de Cristo, começará assim.

Versículo 19: “Abriu-se, então, o santuário de Deus, que se acha no céu, e foi vista a arca da Aliança no seu santuário, e sobrevieram relâmpagos, vozes, trovões, terremoto e grande saraivada”.
Deus permitirá a Seus santos, os justos, Sua bênção de viver em Seu Templo. Todas essas coisas são cumpridas de acordo com a Palavra da promessa de Deus para a humanidade em Jesus Cristo. O Reino de Deus começa com a Palavra da profecia de Deus e é completado pelo cumprimento desta profecia.
Todas as promessas de Deus, desde a ressurreição e arrebatamento dos santos até sua participação na Ceia das Bodas do Cordeiro com Jesus Cristo e sua bênção de reinar para sempre como reis, são dadas igualmente ao povo de Israel e a nós, os gentios. Além disso, Ele trata a salvação dos israelitas durante o fim dos tempos e nossa salvação da mesma maneira, nos faz martirizados neste período, nos permite a mesma ressurreição e o mesmo arrebatamento depois, e nos veste com a mesma Glória. A Palavra nos diz que embora os israelitas e nós, os gentios, sejamos povos diferentes na carne, somos, no entanto, o mesmo povo de Deus, espiritualmente.
Muitas pessoas afirmam e acreditam que os nascidos de novo serão arrebatados antes que a Grande Tribulação de sete anos comece. Mas este não é o caso. Biblicamente falando, as pessoas continuarão a ouvir o verdadeiro evangelho e serão salvas durante os primeiros três anos e meio do período de sete anos da Grande Tribulação. O Anticristo então surgirá, os santos serão martirizados e, após sua ressurreição e arrebatamento, virá a Ceia das Bodas do Cordeiro de Cristo, permitindo que os santos reinem com Ele por mil anos.
Os santos devem ter o conhecimento exato do tempo de seu martírio, ressurreição e arrebatamento. Sem saber este tempo, eles continuarão vagando em sua confusão e morrerão espiritualmente nela.
Aqueles que têm o conhecimento exato da Providência de Deus sobre o fim dos tempos esperam por sua ressurreição e arrebatamento, e servirão diligentemente ao evangelho. Aqueles que sabem que não há esperança nesta Terra devem ter a mesma esperança que os nascidos de novo crendo no evangelho da água e do Espírito. Os santos serão martirizados crendo na Palavra de Deus.
A fé que pode discernir os tempos é indispensavelmente necessária nesta época. Está quase chegando a hora das terríveis pragas e tribulações descerem sobre o mundo inteiro e o Anticristo emergir. Agora é a hora de acordar do seu sono. Devemos ter em mente que temos que passar por quase todas as tribulações da Grande Tribulação. É imperativo que creiamos no retorno de Jesus Cristo, em nossa ressurreição e arrebatamento, e em nossa participação na Ceia das Bodas do Cordeiro com Jesus Cristo. Para que tenhamos a fé mais apropriada para esta época, devemos entrar na Arca do evangelho da água e do Espírito.
Espero e oro para que, conhecendo esta época presente, você tenha a fé que é mais urgentemente necessária e a mais adequada para esta época.